Recife: Finalmente começa construção do Terminal Integrado Largo da Paz

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011


O Governador do Estado, Eduardo Campos, assina hoje (23/02) a ordem de serviço para a construção do Terminal Integrado Largo da Paz, localizado no bairro de Afogados, em Recife. Na ocasião, o Governador aproveita para lançar o edital de Licitação para as obras do Terminal Integrado de Prazeres, localizado no município de Jaboatão do Guararapes. As duas estações fazem parte do pacote de ampliação do Sistema Estrutural Integrado (SEI), que prevê a construção de nove novos terminais até 2012.

O Terminal Integrado Largo da Paz, cujo orçamento está avaliado em R$ 3 milhões, vai promover a interligação com as linhas de ônibus que vem da área norte da Região Metropolitana do Recife. O TI beneficiará cerca de 48 mil usuários em dias úteis, operando, inicialmente, com duas linhas: 914 - PE 15/Afogados; e 115 – Afogados/Aeroporto. Serão realizadas 406 viagens/dia, utilizando uma frota de 47 veículos. O terminal vai funcionar em uma área de 565,77 m2 , já o terreno tem 1.193,88 m2. A obra tem previsão para ser concluída em 12 meses.

Para o secretário das Cidades, Danilo Cabral, o Governo está trabalhando para garantir uma melhor condição de mobilidade no Recife e Região Metropolitana. “A ampliação e modernização do sistema é parte de um projeto que tem como foco a melhoria do serviço prestado ao usuário”.

Prazeres – O Governo também anuncia o Edital de Licitação do Terminal Integrado de Prazeres, localizado em Jaboatão dos Guararapes. A obra está orçada em R$ 3,8 milhões e o terreno ponde será construído o TI mede 4.080,11 m2. A área construída é de 1.412,81 m2. Para este Terminal, o Consórcio Grande Recife de Transporte prevê seis linhas de ônibus e um transporte de 51 mil passageiros nos dias úteis.

Expansão - Até 2012, o Sistema Estrutural Integrado (implantado em 1992 e que tem como principal característica a integração inter-terminais, com a possibilidade de circulação pela RMR com o pagamento de apenas uma tarifa por sentido), contará com 23 terminais. Até lá serão construídos nove novos TIs, um investimento de R$ 44 milhões (Aeroporto; Cajueiro Seco; Tancredo Neves; TIP; Xamba; Prazeres; Santa Luzia; Cajueiro Seco; Largo da Paz) e reformados outros quatro (Barro(ampliação) ; PE15; Jaboatão e Cais de Santa Rita), o que significa mais R$ 3 milhões. Os recursos são oriundos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), da Caixa Econômica Federal e do Tesouro Estadual.

No primeiro Governo Eduardo Campos, foram construídos três Terminais: Pelópidas Silveira, em Paulista; José Faustino dos Santos, Cabo de Santo Agostinho; e o TI da Caxangá, que era um Terminal de bairro e foi transformado em um Terminal Integrado.



Fonte: CGRT

READ MORE - Recife: Finalmente começa construção do Terminal Integrado Largo da Paz

No Rio, Com BRT Transolímpico, Avenida Salvador Allende será totalmente repaginada, com cinco faixas, canteiros e ciclovias

Hoje sem acostamentos asfaltados nem calçadas, mal sinalizada, com iluminação insuficiente, cheia de curvas perigosas e remendos no asfalto, a movimentada Avenida Salvador Allende — por onde passam 59 mil veículos por dia — será totalmente repaginada para os Jogos Olímpicos de 2016. A via, que faz parte do traçado do BRT Transolímpico — corredor expresso ligando a Barra a Deodoro, passando sob o Maciço da Pedra Branca —, deverá ficar parecida com a Avenida das Américas. Dos atuais 30 metros de largura e quatro faixas de rolamento (duas por sentido), a Allende passará a ter 80 metros de largura e dez faixas (cinco por sentido). As faixas centrais serão reservadas ao sistema de transporte por ônibus articulados batizado de Bus Rapid Transit (BRT).


Projeto é encurtado para reduzir custos
O restante do corredor expresso aproveitará ainda outras vias de Jacarepaguá, Curicica, Jardim Sulacap e Magalhães Bastos, como as estradas do Calmet e de Curicica e as ruas André Rocha e Salustiano Silva. Também estas vias, hoje estreitas e muitas vezes residenciais, passarão a ter 40 metros de largura.
— A nova Salvador Allende terá três faixas por sentido na pista central e duas na lateral, assim como a Avenida das Américas no trecho da Barra. No restante do Transolímpico, o corredor terá três faixas por sentido, sendo uma em cada direção para o trânsito local dos bairros. A partir da Taquara, será aberta uma nova via que cortará a Colônia Juliano Moreira, transpondo através de pontes e viadutos algumas estradas da região, como a do Rio Grande e da Boiúna — explicou o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto.

Parte do caderno de encargos dos Jogos, o BRT Barra-Deodoro foi concebido originalmente como opção de ligação expressa para desafogar o saturado trânsito de Jacarepaguá e seus arredores. Durante os Jogos, o corredor ligará dois dos quatro núcleos de competições. Na Barra, atenderá à chamada família olímpica, a turistas e a jornalistas que transitarem entre o Riocentro, o Parque Olímpico e a Vila dos Atletas. Na outra ponta, a nova estrada desembocará em Deodoro, onde será construído o Parque Radical, que sediará as provas de pentatlo moderno, esgrima, tiro e moutain-bike, entre outras, em áreas militares às margens da Avenida Brasil.

Anunciado pela prefeitura em maio de 2010 e com previsão de início de obras para o primeiro semestre de 2011 — adiado agora para o fim do ano —, o projeto do Transolímpico está passando por um freio de arrumação. O objetivo é diminuir os custos de implantação, orçados inicialmente em mais de R$ 3 bilhões — e que devem cair para R$ 2,1 bilhões, segundo o prefeito Eduardo Paes. O trajeto original, que teria 26km, foi encurtado em 3km, com a exclusão de uma variante que seria construída na Avenida Duque de Caxias, na Vila Militar. Também está sendo reestruturado o trecho do corredor entre as avenidas Marechal Fontenelle e Brasil, em Magalhães Bastos, para diminuir a quantidade de desapropriações.

Outra mudança de peso é o tamanho do túnel que será construído sob o Maciço da Pedra Branca. A previsão original era que as galerias tivessem 3.800 metros. Pela nova geometria da obra, o túnel foi encurtado para 1.800 metros. O número original de estações — 18 — também será modificado. O projeto perdeu ainda uma estação subterrânea que seria construída na Taquara, para fazer a integração do BRT com as redes de ônibus locais. Os passageiros chegariam à estação por escadas rolantes e elevadores, ideia que foi abandonada.

— A integração com a rede alimentadora local continuará a ser feita na Taquara, mas no nível da rua — disse Pinto.

Segundo Paes, a prefeitura quer que o número de desapropriações em Magalhães Bastos, Sulacap e Vila Militar fique em torno de 700 imóveis, bem menos que as cerca de 3.500 desapropriações que estão sendo feitas para a implantação do TransCarioca, corredor que ligará a Barra ao Aeroporto Internacional Tom Jobim.

— Em Magalhães Bastos a gente optou por negociar faixas de terrenos com o Exército do que partir para a desapropriação dos imóveis de terceiros. Estimamos os gastos com desapropriações em cerca de R$ 300 milhões — disse Paes.

READ MORE - No Rio, Com BRT Transolímpico, Avenida Salvador Allende será totalmente repaginada, com cinco faixas, canteiros e ciclovias

Metrô ainda é um “desconhecido” por comerciantes e moradores da região de Curitiba que será afetada pelo modal

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Curitiba deu início em dezembro do ano passado ao processo de licenciamento am­­biental prévio do metrô. Apesar de esta ser a fase para prestar esclarecimentos e informar a população sobre os impactos do metrô, pouca gente nos 20 bairros que serão afetados pelas obras e pelos 22 quilômetros da Linha Azul, en­­tre o Pinhei­rinho e o Santa Cân­dida, tem conhecimento do projeto.

Por enquanto, comerciantes e usuários do transporte coletivo sabem pouco sobre o assunto. Só especialistas em mobilidade urbana e ativistas ligados à área conhecem detalhes do projeto. A Secre­taria do Meio Ambiente terá de realizar uma audiência pública para conceder a licença-prévia com base no Estudo de Impacto Ambiental e no Relatório de Impacto Ambiental (EIA-Rima) desenvolvidos pela empresa Ecossistema. A audiência ainda não foi marcada e a divulgação terá de ser feita com 20 dias de antecedência. Até lá, os estudos podem ser consultados no site da prefeitura ou na sede da Se­­cretaria do Meio Ambiente. Mas pouca gente sabe dessa possibilidade.


“Vão ter que consultar a gente, mas não falam nada”, reclama Mirian Jesuíno da Silva, proprietária de uma loja no bairro Pinhei­rinho. Ela será uma das afetadas, já que a previsão é que as avenidas Wiston Churchill e República Argentina sejam fechadas para a circulação de veículos durante as obras. Isso significa transferir o tráfego para vias paralelas por tempo indeterminado.

Roseli Maia, dona de uma loja na região, também reclama da falta de informações. “Gostaria de participar [da discussão], mas não vi divulgação”, diz. Ela não se opõe ao metrô, mas diz desconhecer o projeto e sabe que terá transtornos durante as obras. “Para quem depende [do movimento] da avenida, é feroz”, afirma.

Nem o presidente da Associação dos Comerciantes da Macrorregião do Pinheirinho conhece detalhes do projeto, nem sabia que é possível acessá-lo. “Não estamos sabendo de nada”, disse Irineu Chris­tofoli, que é também dono de uma loja na região. Ele quer mobilizar os comerciantes e defende que o trajeto do metrô passe nas vias residenciais ao lado das avenidas Wiston Churchill e República Argentina. “A proposta é jogar [o metrô] pela via rápida. Mas temos que ver o projeto.”

Já a vendedora Loreni Pereira da Luz, usuária do transporte coletivo, não vê vantagens no investimento. “Para que metrô?”, questiona. “Eu pego um ônibus perto do terminal do Pinheirinho e em 20 minutos estou na Praça Rui Barbosa, no Centro.”

O superintendente de Controle Ambiental da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Mário Rasera, pretende envolver as regionais da prefeitura para informar a população. “Vamos envolver as administrações regionais e pedir para as entidades comerciais divulgarem. Nos interessa ter toda a população envolvida.” Rasera garante que as sugestões serão analisadas. “Al­­guns ajustes podem ser sugeridos por nós ou pela população.” O projeto foi desenhado pelo Instituto de Pesquisa e Plane­jamento Urbano de Curitiba (Ippuc) e elaborado pelo consórcio Novo Modal, que engloba as empresas Trends, Engefoto, Esteio e Vega.

READ MORE - Metrô ainda é um “desconhecido” por comerciantes e moradores da região de Curitiba que será afetada pelo modal

Estudantes fazem protesto contra aumento de passagem em Salvador

Os estudantes de Salvador voltaram às ruas na tarde desta quinta-feira (24) para protestar contra o aumento da passagem de ônibus - que passou de R$ 2,30 para R$ 2,50 -, e contra as más condições do transporte público da capital baiana.

Os manifestantes saíram do Viaduto do Aquidabã e seguiram em caminhada pela Avenida Sete Portas, no sentido Iguatemi. Na altura do Hortifruti, eles bloquearam o trânsito e promoveram o chamado passe livre, que consiste em parar os ônibus para os passageiros embarcarem pela porta de saída sem pagar passagem.

De acordo com Rafaela Giffone, integrante do Movimento Exu Tranca Rua-SSA – que organiza o protesto batizado de Revolta do Buzu 2011, pelo orkut e pelo twitter -, cerca de 300 pessoas participaram da manifestação nesta quinta-feira (24).

Os organizadores esperam que com a volta às aulas mais estudantes possam aderir ao movimento. Amanhã, às 15h, eles irão se reunir em assembleia no Colégio Central, na Avenida Joana Angélica, para definir novas mobilizações.

Melhorias O principal objetivo dos manifestantes é fazer com que a tarifa de ônibus diminua, mas entre as reivindicações também estão o passe livre para estudantes e a melhoria das estações da Lapa e da Rodoviária.

 


READ MORE - Estudantes fazem protesto contra aumento de passagem em Salvador

Em Fortaleza, Hora social vai equilibrar demanda por ônibus

Novidade no sistema de transporte de Fortaleza, a hora social pretende equilibrar a demanda dos usuários de ônibus da cidade e aumentar a receita em horários fora do pico. Os horários em que a tarifa continuará R$ 1,80 foram definidos a partir de um estudo, segundo o presidente da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor).

A partir de 6 de março, nos horários chamados “entre pico” (das 9 às 10 horas e das 15 às 16 horas), a passagem continuará em R$ 1,80 (inteira) e R$ 0,90 (meia) para os portadores de vale-transporte eletrônico e de carteira de estudante carregada com créditos. Mais de um milhão de passageiros utiliza ônibus por dia na capital cearense.

Segundo a Etufor, Fortaleza possui uma frota operante de 1.755 veículos, variando de mês para mês, em função da flutuação esperada do número de passageiros.

“Nós temos um estudo para procurar mudar um pouco a quantidade de pessoas do horário de pico para esses horários”, destacou Ademar Gondim, presidente da Etufor. O público será principalmente o das pessoas que podem pegar o transporte público em qualquer horário.

Frota
Apesar de existirem horários de pico, em geral as maiores movimentações em cada terminal acontecem em horários diferentes. No Siqueira, por exemplo, o maior movimento acontece às 5h30min. No Papicu, o horário é às 6h30min.

Entre os terminais, segundo o anuário do transporte público de Fortaleza 2009, documento produzido pela Etufor, Parangaba e Antônio Bezerra são os mais movimentados. Naquele ano, foram 2,16 milhões de pessoas no terminal do Antônio Bezerra e 2,24 milhões na Parangaba

Sistema de transporte na capital cearense
O sistema de transporte de Fortaleza possui sete terminais fechados integrados e dois abertos não integrados. São 240 linhas de ônibus regulares, incluindo 22 “corujões”, que operam a partir das 0 hora.

Na cidade, a idade média dos veículos é de 4,6 anos, sofrendo alteração conforme a entrada e saída de ônibus do sistema. Há linhas convencionais e complementares de transporte para o tráfego entre terminais e para o centro da cidade.

Como

ENTENDA A NOTÍCIA

Os horários de pico em geral são os que a população mais reclama da demora dos ônibus e da lotação. Se a medida funcionar como pretende, vai equilibrar a demanda entre os horários do dia, evitando as tradicionais filas de espera.



READ MORE - Em Fortaleza, Hora social vai equilibrar demanda por ônibus

No Rio de Janeiro, Ônibus e metrô (des)integrados

Há duas semanas, circula uma nova integração entre ônibus e metrô, do Riocentro à estação de Del Castilho. A linha, 268, é operada pela Viação Redentor, do consórcio Transcarioca, e serve principalmente a moradores de condomínios nas avenidas Embaixador Abelardo Bueno, em Jacarepaguá, e Olof Palme e dos Bandeirantes, no Camorim. Apesar de tanta visibilidade, a Metrô Rio diz desconhecer a novidade.
Entretanto, o passageiro não paga R$ 3,80 — tarifa cobrada pela integração em toda a cidade. O serviço é feito à parte e custa R$ 2,70. Ou seja, os usuários são obrigados a desembolsar R$ 5,50, somando-se os R$ 2,80 do metrô — ou 44,73% a mais.
De fato, o site da concessionária não informa sobre o serviço e tampouco o Diário Oficial. Procurada, a Metrô Rio informou que não foi avisada da conexão. Já a Transcarioca afirmou ter autorização da Secretaria Municipal de Transportes para circular durante período de testes, sem embarque de passageiros.
Mas não é isso o que acontece e nem o que informam os funcionários da Redentor.
— Durante a semana, Os $ônibus saem a cada 15 minutos. Nos fins de semana, o intervalo é de meia hora — explica um rodoviário.
Os veículos também têm a mesma pintura de outros que já realizam esse serviço. Os ônibus são todos refrigerados e trazem no letreiro luminoso informações sobre o itinerário, como paradas em frente à Arena HSBC e ao condomínio Rio 2, até o ponto final, no shopping Nova América



READ MORE - No Rio de Janeiro, Ônibus e metrô (des)integrados

No Recife, Todos os ônibus estarão com a tecnologia de GPS neste ano


Um novo modelo operacional para o sistema de transporte público da Região Metropolitana do Recife (RMR) promete minimizar o turbulento cenário de atrasos e problemas que marcam os pontos de ônibus e atormentam os quase dois milhões de usuários do sistema. Até o final de agosto deverá ser implantado em 2.980 coletivos da RMR aparelhos GPS que permitem ao usuário ter acesso, através do próprio aparelho celular, a localização do seu ônibus. A mudança foi anunciada ontem, pelo governador do Estado, Eduardo Campos, durante a assinatura da ordem de serviço do terminal do Largo da Paz, no bairro de Afogados, no Recife e o lançamento do edital de licitação para as obras do Terminal de Prazeres, em Jaboatão dos Guararapes. O primeiro passo para a implantação desse serviço é a instalação de uma central de monitoramento que deve ser instalada até o final de agosto.
Quando a central estiver ligada aos aparelhos de rastreamento via satélite, os usuários do sistema de transporte urbano poderão receber no seu celular uma mensagem com o horário que o ônibus estará chegando em sua parada. “Hoje em dia quase todo mundo tem celular, mesmo um pré-pago. Na hora que o ônibus usar o GPS, o sistema avisa a central e nós avisamos aos usuários que estiverem cadastrados. Isso traz maior comodidade e segurança evitando que você fique exposto ou exposta durante muito tempo em uma parada ou um terminal de ônibus”, destacou o governador.
A expectativa do Poder Executivo é de que o monitoramento via GPS, a instalação de novos terminais de integração e a criação de um grande corredor de transporte público resolvam o problema de trafegabilidade enfrentado no Recife e Região Metropolitana. “Só no ano passado tivemos 106 mil carros novos, fora Vans e microônibus. São 106 mil carros a mais com praticamente as mesmas ruas. Nós sabemos que o único caminho não é inventar a roda, é ter a roda que já foi inventada adaptada a nossa realidade, expandindo a linha do metrô, duplicando o número de passageiros e fazendo os corredores de ônibus exclusivos”, observou Campos.
O governador afirmou ainda que, com os novos terminais de integração, o número de usuários de transporte público deve passar de 800 mil para 1,6 milhão de passageiros. “Estamos nos articulando para que o sistema de transporte possa dar um salto. Ao longo dos últimos anos nós fizemos três terminais de integração. Este ano vamos fazer mais sete e estes terminais vão possibilitar um melhor conforto para as pessoas que usam ônibus e metrô, fazendo com que 800 mil passageiros deixem de pagar duas ou três passagens e possam pagar uma só. Por outro lado, com os corredores exclusivos, a velocidade média dos ônibus em horário de pico deve passar de quatro quilômetros por hora para 20 quilômetros, permitindo que 700 ônibus sejam tirados de circulação e nos dando condição de manter o crescimento das passagens abaixo da inflação e sem prejuízo na qualidade do serviço”, afirmou.



READ MORE - No Recife, Todos os ônibus estarão com a tecnologia de GPS neste ano

Confusão em novos números de ônibus no corredor de ônibus de Copacabana

Rio - A mudança de número de 22 linhas de ônibus que passam pelo corredor exclusivo da Avenida Nossa Senhora de Copacabana está causando grande confusão nos passageiros, principalmente quem mora fora do bairro. Eles se queixam da dificuldade de encontrar os pontos de embarque e desembarque. A Secretaria Municipal de Transportes distribuiu folhetos explicativos em Copacabana, mas quem não mora lá e não recebeu o informativo recorre à paciência dos condutores de coletivos.

Com o novo sistema BRS (ônibus de transporte rápido, em português), os 15 pontos de ônibus da via e os coletivos que circulam pelo local foram divididos em BRS 1, BRS 2 e BRS 3. Os veículos só param para embarque e desembarque nos pontos que exibem a numeração correspondente.

- Confira as linhas clicando AQUI.

Como a linha que esperava tem o adesivo BRS 2, a dona de casa Ana Rita Durão, 52 anos, ficou 40 minutos em um ponto de ônibus com essa sigla, na altura da Rua Belford Roxo. A espera foi em vão, já que o veículo entrou na Rua Figueiredo Magalhães e não passou pelo local. “Me disseram que vou ter que andar umas dez quadras para chegar ao ponto da Linha 434 (Grajaú-Leblon). Parece brincadeira”, reclamou.

Distância entre pontos

Moradores de outros bairros estão sofrendo para descobrir quais linhas param nos pontos onde querem desembarcar. “Queria descer próximo à Praça Cardeal Arcoverde, mas o ônibus passou a uns cinco quarteirões daqui”, queixa-se o vendedor Gilberto Alves, 38 anos, que mora em Olaria.

Já o funcionário de supermercado Paulo Roberto Gama, 52 anos, diz que está perdendo mais tempo para descer no ponto certo. “Antes, podia pegar cinco linhas diferentes. Agora só sobrou uma perto do trabalho”, reclama o morador de Abolição.



READ MORE - Confusão em novos números de ônibus no corredor de ônibus de Copacabana

Em São Paulo, Protesto contra aumento de ônibus reúne 2.500 no centro

Cerca de 2.500 pessoas participam de protesto contra o aumento da passagem de ônibus em São Paulo na noite desta quinta-feira.
A estimativa é da Polícia Militar, que acompanha o protesto pelas ruas do centro de São Paulo. Homens da tropa de choque também foram acionados.
Os estudantes reivindicam a revogação do decreto do prefeito Gilberto Kassab (DEM) que aumentou a tarifa de R$ 2,70 para R$ 3 em janeiro.
A manifestação começou por volta das 17h em frente ao Teatro Municipal e seguiu em direção à praça da Sé até chegar ao terminal de ônibus do parque D. Pedro 2º.
No local, a polícia havia montado um cordão de isolamento para impedir que os manifestantes. Após uma discussão, os manifestantes foram liberados para entrar e fizeram panfletagem com pessoas que aguardavam ônibus no terminal.
Os manifestantes pedem a revogação do aumento da tarifa de ônibus de R$ 2,70 para R$ 3, anunciado em janeiro. Outros seis protestos já foram realizados na cidade --no último, houve confronto entre manifestantes e PMs, e um servidor público chegou a ter que passar por uma cirurgia por conta de uma fratura no nariz.
Ontem, a prefeitura anunciou uma reunião no dia 4 de março, às 16h, entre integrantes do Comitê Contra o Aumento da Passagem e a Secretaria Municipal de Transportes. Ainda de acordo com a prefeitura, a reunião foi marcada após solicitação do comitê-- em três reuniões anteriores, segundo a prefeitura, foi feito um esclarecimento sobre os custos do sistema de transporte público da cidade.
Para Oliveira, a reunião é uma boa notícia, mas o objetivo do movimento é negociar diretamente com o prefeito Gilberto Kassab (DEM).


READ MORE - Em São Paulo, Protesto contra aumento de ônibus reúne 2.500 no centro

Cuiabá: BRT ou VLT, eis a questão!

Volta à tona a questão da Mobilidade Urbana, tendo como vertente o sistema modal a ser implantado, o BRT (Bus Transit Rapid) ou o VLT ( Veículos Leves sobre Trilhos). O impasse continua de um lado a (Agecopa) Agência Estadual Executora dos Projetos da Copa do Mundo Fifa Brasil 2014, responsável legal pela execução das obras, favorável a implantação do sistema (BRT), que já se encontra em estado avançado de negociação; por outro lado alguns Deputados são favoráveis ao sistema (VLT).
Essa questão é extremamente polêmica e complicada, uma vez que representa um dos maiores gargalos da nossa cidade, a questão da mobilidade urbana, que há tempos se arrasta e, até então, não se encontrava uma solução plausível e aceitável, visando minimizar os problemas de deslocamento.
Cuiabá por ter nascido de forma natural ou espontânea apresenta principalmente na área central, uma série de irregularidades em suas edificações, representando um dos complicadores no deslocamento, obrigando assim, a criação de um novo sistema modal de locomoção.
A Agecopa representante legal da Copa do Mundo 2014, tendo como Presidente Yênes Magalhães, defende com veemência a instalação do modelo BRT (Bus Transit Rapid) e, diga-se de passagem, já se encontra em avançado estado de viabilização.
O Governador Silval Barbosa entregou formalmente, nesta segunda feira 21 de fevereiro, o primeiro projeto de mobilidade urbana do BRT (Bus Transit Rapid) Aeroporto Marechal Rondon até o CPA (Morada da Serra) à Caixa Economica Federal de Mato Grosso. Ele foi enfático ao dizer que os recursos para o projeto de mobilidade urbana de Cuiabá e Várzea Grande, na ordem de R$ 485 milhões, já estão assegurados.
A viabilidade desse modelo chamado BRT, pode ter sido pesquisado através de estudos feitos em países vizinhos, a exemplo, Bogotá, capital da Colômbia, que já faz uso desse modelo, reduzindo o tempo de espera média dos ônibus em 83%, caindo de 18 para apenas 3 minutos, este modelo reduz: tempo de espera, de embarque, de percurso e aumenta a velocidade, entre outros benefícios. Na visão de alguns parlamentares do Estado, a utilização mais viável seria o sistema modal conhecido como VLT (Veículos Leves sobre Trilhos), sistema de média capacidade comum em vários países europeus. A preocupação maior recai sobre a especificidade da nossa cidade, que é considerada ainda bastante modesta se comparada com cidades européias.
Outra questão emblemática recai sobre o alto custo para a implantação desse sistema chamado VLT, nas cidades a ser instalada, dependerá das condições de infraestrutura e demandas apresentadas. Num primeiro momento, com a realização da copa do mundo, o sistema seria extremamente eficaz em função da vinda de muitos turistas, e como ficará esse mesmo transporte pós-Copa.
Obviamente é bastante salutar esse leque de alternativas, visando diminuir esse entrave que acontece em nossa capital, com relação à mobilidade urbana. Atrelado a isso, independentemente do modelo a ser implantado, vai estar á capacidade de entendimento e compreensão da população cuiabana e mato-grossense, de que, todo tipo de melhoria ou mudança requer sacrifícios, para que possamos efetivamente propiciar uma copa do mundo a altura.

Fonte: O Documento

Share |
READ MORE - Cuiabá: BRT ou VLT, eis a questão!

Técnicos avaliam veículo leve sobre trilhos em Santo André e Guarulhos

Os detalhes técnicos do futuro corredor sobre trilhos que ligará o ABC, a partir de Santo André, à cidade de Guarulhos, em São Paulo, foi tema discutido por representantes da Prefeitura de Santo André , Secretaria de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e Metrô. - A princípio a ligação teria 30 quilômetros de extensão, partindo da região de Bom Sucesso/Cumbica, em Guarulhos, passando por bairros da Zona Leste de São Paulo, integrando com a estação Itaquera. Local que deverá abrigar o futuro estádio do Corinthians, que provavelmente sediará a Copa de 2014, além de um shopping e uma unidade do Poupatempo. A partir daí, o traçado prevê atingir as regiões de Sapopemba, do Oratório, até chegar em Santo André.

Veículo Leve

O estudo definiu em princípio que o ideal é o veículo leve sobre trilhos (VLT) para ser utilizado na ligação ABC-Guarulhos. Trata-se de uma espécie de metrô de média capacidade. "Nosso trabalho é técnico. Definiremos o que nos compete para contribuir com o processo deste trabalho", esclarece Frederico Muraro Filho, secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação de Santo André. Importante destacar que a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação de Santo André (SDUH) participou de todas as decisões a respeito do traçado e estações, em conjunto com o governo do estado e as prefeituras envolvidas no processo, visto que parte dele estará dentro do município andreense.

O VLT que ligará São Paulo às cidades de São Caetano, Santo André e São Bernardo está orçado em R$ 3 bilhões. Cálculos iniciais dão conta que a ligação ABC-Guarulhos atenderia 450 mil pessoas por dia, em um entorno que abrange cerca de 1,8 milhões de habitantes.

Estação Pirelli

Dentro do Município de Santo André, o trajeto prevê cinco paradas, sendo que a última é na Estação Pirelli. Nesse ponto estima-se uma média de 32 mil passageiros circulando por dia, interligando a linha férrea e o Expresso Guarará, o qual será adicionado ao projeto mais sete quilômetros de corredor até o terminal da Vila Luzita. Cálculos iniciais dão conta que a ligação ABC-Guarulhos atenderia 450 mil pessoas por dia, em um entorno que abrange cerca de 1,8 milhões de habitantes.

Fonte: DCI

READ MORE - Técnicos avaliam veículo leve sobre trilhos em Santo André e Guarulhos

TransLíder reajusta tarifa do transporte coletivo de Cubatão

Depois de três anos sem aumento, as tarifas do transporte coletivo de Cubatão sofrerão um reajuste. A partir das 6 horas do dia 1º de março, as passagens passam dos atuais R$ 2,00 para R$ 2,50. Segundo a Companhia Municipal de Trânsito (CMT), o reajuste passou a ser inevitável, sob pena de inviabilizar a manutenção do serviço, cuja qualidade é considerada a melhor da região, em especial pela volta dos cobradores, integração na tarifa, aumento de linhas e veículos, cujo tempo de uso passou de mais de nove anos para no máximo 18 meses. Mesmo com todos esses benefícios, o valor da passagem em Cubatão continua um dos menores da Baixada Santista.

Defasagem – Para autorizar o reajuste, a CMT contratou auditoria especializada para analisar o pedido de aumento feito pela concessionária de transporte, a Viação TransLíder. O relatório dessa análise técnica concluiu que as tarifas já estavam defasadas há muito tempo, pois não sofreram qualquer reajuste desde janeiro de 2008.
De acordo com o documento, fica flagrante o desequilíbrio financeiro enfrentado pela empresa, pois o cálculo feito em janeiro de 2008 não previa em seus custos a inclusão dos cobradores e encargos sociais, aumento de número de veículos, ampliação de itinerários, aumento de viagens e, tampouco, a ampliação da cobertura, que atende a bairros que não eram servidos pelo transporte público, como Mantiqueira e Bolsão 7, por exemplo. Ao fim, a análise da planilha de custos efetuada pelos técnicos concluiu pela defasem da tarifa e apontou R$ 2,68 como o valor atualizado da tarifa para que se promova o reequilíbrio financeiro do sistema de transporte.
O superintendente da CMT, Marco Fernando da Cruz, relata que a autorização para o reajuste foi baseada exclusivamente nos critérios técnico-financeiros apontados na análise e inclui, ainda, o aumento natural no custo dos insumos, como diesel, mão de obra, veículos, desgaste de pneus, além de salários e encargos sociais decorrentes da inclusão da função de cobrador, por exemplo.
“A partir daí, começamos a negociar o valor do reajuste e, por determinação da prefeita Marcia Rosa, chegamos a um valor menor que o proposto pela análise técnica e o solicitado pela empresa”. Só para ilustrar, o superintendente lembra de recente declaração da Companhia de Engenharia de Trafego de Santos (CET) de que apenas a inclusão da função de cobrador faria com que o custo do transporte naquele município ultrapassasse a casa dos R$ 3,00.
Qualidade – Mas Marco Cruz salienta que o maior indicador foi a elevação da qualidade real do transporte, sentida diariamente pelos usuários, além dos demais avanços, como frota nova, número maior de linhas e de saídas e ampliação das regiões atendidas. Ele recorda que quando o atual governo assumiu a Prefeitura, encontrou um transporte de péssima qualidade, infinitamente mais defasado do que o valor das passagens, com a frota reduzida e sucateada e um serviço irregular e inseguro, “um verdadeiro desrespeito ao usuário e à Cidade”, classificou.
De acordo com a TransLíder, no processo licitatório a tarifa proposta pela empresa vencedora já havia sido de R$ 2,47, a menor a ser apresentada. Mas, em atendimento à solicitação da Prefeita, todas as melhorias exigidas no contrato seriam primeiro consolidadas, com o custo tarifário sendo mantido congelado em R$ 2,00. Marco Cruz explica que, diante da comprovada defasagem, a CMT autorizou o reajuste, até para não comprometer a manutenção da qualidade do transporte e evitar que se agrave o desequilíbrio financeiro, o que poderia levar a empresa até mesmo a desistir do contrato. “A conquista do melhor transporte coletivo – obtida em conjunto pela Prefeitura e pela população – não pode ser ameaçada”, defendeu Marco.
Perueiros – Com relaçãoaos permissionários de transporte alternativo, o custo das tarifas das vans também sofre reajuste proporcional ao do transporte convencional: sobe de R$ 1,90 para R$ 2,40. Tal medida se faz também necessária para manter o equilíbrio do sistema, que caminha para integração de linhas e serviços.
Confira a evolução do transporte público em Cubatão:
- Retorno da função de cobrador, gerando mais de 200 novos postos de trabalho, principalmente para jovens e mulheres
- Número de veículos sobe de 40 para 64
- Veículos com acessibilidade passam de apenas 1 para 38, com previsão da totalidade da frota acessível até o final deste ano
- Ampliação do número de viagens, que passa de 466 para 731 por dia
- Expansão de linhas e itinerários
- Novos bairros atendidos, como Mantiqueira e Bolsão 7.
- Antiga reivindicação dos usuários, a integração passa a ser feita também na Avenida 9 de Abril. Dentro de uma hora após desembarcar, o passageiro pode embarcar em outro veículo, no mesmo sentido.

READ MORE - TransLíder reajusta tarifa do transporte coletivo de Cubatão

Agetran e Assetur lançam 850 pontos de recarga de passe eletrônico

Na próxima segunda-feira (28), às 9h, a Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) e a Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano (Assetur) irão apresentar o novo sistema de passe eletrônico, com a ativação de 850 novos pontos de recarga, distribuídos em todas as regiões da Capital.
O evento será realizado no auditório do Sebrae, localizado na avenida Mato Grosso, 1.661 e tem como objetivo principal a modernização do sistema de recarga do cartão cidadão, agilizando o embarque diário dos usuários que necessitam de transporte coletivo.
De acordo com o diretor-presidente da Agetran, Rudel Trindade Júnior, o funcionamento dos novos pontos de recarga irá oferecer mais praticidade ao cidadão que utiliza o transporte coletivo cotidianamente. “Com mais locais para efetuar a recarga, o usuário perceberá a agilidade que o serviço oferece, aderindo cada vez mais ao uso de cartão em suas viagens“, avalia.

Fonte: A Critica

Share |
READ MORE - Agetran e Assetur lançam 850 pontos de recarga de passe eletrônico

Em Sorocaba, Transporte coletivo terá 50 ônibus novos, todos adaptados a deficientes e com acentos para obesos


O transporte coletivo urbano de Bauru receberá neste ano 50 ônibus novos, dentro do programa de renovação periódica da frota das três empresas concessionárias do serviço.

Já encomendados às montadoras, os novos veículos estão programados para entrega desde o fim de março até meados de agosto, sendo 30 da empresa Grande Bauru, 15 da Cidade Sem Limites e cinco da Baurutrans.

Todos os novos ônibus estarão equipados com plataformas elevatórias de cadeiras de rodas, elevando dos 81% atuais para 96% o índice de acessibilidade da frota para pessoas com deficiência física severa (cadeirantes).

Os carros apresentam ainda nicho interno para fixação de cadeira de rodas, com opção de assento dobrável e também banco para obesos, conforme previsto pelas normas que regulamentam o setor.

Assentos preferenciais para idosos, gestantes e pessoas com limitações físicas são destacados pela cor da pintura, além de adesivos de orientação.

Com a incorporação dos novos ônibus, a idade média das frotas das empresas se situará em 2,43 anos para a Grande Bauru, 2,89 anos para a Cidade Sem Limites e em 2,78 anos para a Baurutrans.

Atendendo às determinações do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), os ônibus são equipados com motores eletrônicos com menor emissão de poluentes, parametrizados para limitar a velocidade em 60 km/h, e carroceria com vedação que proporciona maior conforto acústico interior.


READ MORE - Em Sorocaba, Transporte coletivo terá 50 ônibus novos, todos adaptados a deficientes e com acentos para obesos

Londrina reduz valor da passagem de ônibus

Enquanto em Curitiba se discute o possível aumento na pasagem de ônibus, Londrina vai reduzri a tarifa. O prefeito Barbosa Neto (PDT) sancionou nesta quinta-feira (24) a Lei nº 11.123, de 23 de fevereiro, que prevê o subsídio de R$ 6.332.000,00 para o Sistema Público de Transporte Coletivo, garantindo a redução da tarifa para R$ 2,20, cinco centavos a menos do que o praticado no momento. A tarifa passa a ser cobrada na catraca a partir da zero hora de domingo (27).
De acordo com a planilha elaborada pela Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU) o valor da tarifa no município passaria a ser R$ 2,35, um aumento de 4,25%.  No entanto, diferentemente do que tem ocorrido em grande parte dos municípios do país, o prefeito Barbosa Neto decidiu subsidiar parte do custo do sistema, o que possibilita a redução da tarifa de R$ 2,35 para R$ 2,20, uma redução de 6,38%.
O subsídio corresponde aos valores das isenções de 50% concedidos aos estudantes e 100% concedidas aos aposentados por invalidez, pessoas com deficiência, crianças e adolescentes em situação de risco e pessoas em tratamento contínuo, previstas na lei 10.962/2010. De acordo com dados da CMTU, em Londrina 5.438 pessoas são beneficiadas com 100% da isenção e 28.066 estudantes têm direito a pagar metade do valor da tarifa.
Barbosa Neto citou o impacto imediato da redução da tarifa no bolso do usuário. No mês inteiro, a economia é de R$ 8, valor que sobe para R$ 95 se o ano inteiro for levado em consideração. “Pode parecer pouco, mas enquanto grandes cidades do Brasil aumentam a passagem, nós seguimos o caminho inverso. Queremos que o transporte coletivo seja adotado cada vez mais como política municipal de nossa administração”, disse o prefeito.
O subsídio das isenções por parte do poder público é inédito no município e segue o que há de referência em política pública em transporte coletivo. Até então o valor das isenções era pago pelos usuários pagantes do sistema de transporte coletivo, ao transferir estes pagamentos para o orçamento da prefeitura tornou-se possível a redução da tarifa para R$ 2,20.
O projeto encaminhado pelo Executivo e aprovado pela Câmara de Vereadores, prevê o subsídio da tarifa com recursos da arrecadação do ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens e Imóveis). A redução da tarifa traz benefícios para todos os usuários que utilizam do transporte coletivo em Londrina, cerca de 80 mil pessoas, o que significa uma grande conquista para a cidade.
De acordo com o diretor de Trânsito da CMTU, Wilson de Jesus, a redução da tarifa não acontecia há 40 meses. “O prefeito Barbosa Neto recompôs um desequilíbrio financeiro com os dois reajustes de seu governo. Fizemos isso com muito cuidado na apuração dos custos para os cofres municipais. O preço da tarifa que começa a ser praticado no domingo é ainda menor do que o valor aprovado anteriormente”, comentou.
O município está, dessa forma, na contramão das grandes cidades do país, que reajustaram suas tarifas. Em Florianópolis, a passagem de ônibus coletivo passou de R$ 2,20 para $ 2,52; em Belo Horizonte de R$ 2,30 para R$ 2,45; São Caetano de R$ 2,30 para R$ 2,75; Santo André de R$ 2,75 para R$ 2,90; Rio de Janeiro de R$ 2,35 para R$ 2,50; Guarulhos de R 2,75 para R$ 2,90; Diadema R$ 2,50 para R$ 2,90; Salvador de R$ 2,30 para R$ 2,50 e São Paulo de R$ 2,70 para R$ 3,00.
O diretor de Trânsito da CMTU lembrou que Londrina tem buscado inovações no sistema de transporte coletivo, como a implantação das faixas exclusivas, que tiveram uma avaliação extremamente positiva dos usuários; a aquisição de ônibus com certificação de redução de emissão de poluentes e adaptados para pessoas com deficiência; e agora com a redução da tarifa. 
Segundo o presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Londrina (Metrolon), Gildalmo Mendonça, a decisão de subsidiar a redução da tarifa era uma medida solicitada pelo sindicato há 14 anos. “Barbosa Neto teve sensibilidade ao acatar o nosso pedido. É importante ressaltar que a lei beneficia todas as pessoas que utilizam o transporte coletivo”, comentou.
Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sintrol), João Batista, o subsídio representa um grande avanço no transporte coletivo. “As isenções não devem passar pelo bolso de quem paga o preço normal da tarifa”, argumentou.

Fonte: Bem Paraná

Video: Paraná TV

READ MORE - Londrina reduz valor da passagem de ônibus

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960