Em São Luís, BRT contará com tecnologia embarcada

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Lawrence Melo ressaltou que a obra foi dividida em etapas porque se fosse iniciar várias frentes de trabalhos a cidade iria ficar literalmente paralisada. “Estamos mexendo em duas avenidas onde tem o fluxo de tráfego muito intenso todos os dias, que é a Avenida dos Holandeses e Av. Litorânea. O primeiro equipamento de mobilidade urbana que vai ser entregue será o prolongamento da Av. Litorãnea e a gente pode mexer nele porque como não existia antes não passava carro por lá e pretendemos entregá-lo em dezembro de 2019. Iniciamos recentemente outra frente de trabalho, que foi na Av. Atlântica do Araçagi ate a Av. São Luís Rei de França deveremos entregar até fevereiro ou março do que vem”, disse o presidente da MOB.

“O BRT estará em operação no segundo semestre de 2021”

Também está previsto para o mês de setembro  intervenções na rotatória do quartel da Polícia Militar que deverá ser entregar em fevereiro de 2020 e toda a conclusão do lote 1 será em dezembro do mesmo ano.  Já o lote 2 que é a requalificação da Av. dos Holandeses inclusive o trecho do Araçagi e a Av. São Luís Rei de França, além das intervenções rotatória do Golden Shopping, rotatória do Caolho que dá acesso Av. Daniel de La Touche, na rotatória do Shopping doAutomóvel com previsibilidade de entrega em junho de 2021. “O BRT estará em operação no segundo semestre de 2021”, afirmou Lawrence Melo.

BRT TERÁ UM CORREDOR EXCLUSIVO, ALÉM DE CICLOVIAS
Para veículos particulares, o fluxo na Avenida dos Holandeses não sofrerá alterações. “Toda a Avenida dos Holandeses terá o trânsito em sentido duplo. Na Avenida Litorânea, dependendo do horário, teremos duas vias em um sentido ou em outro”, comentou Lawrence.

“Será um sistema de transporte coletivo localizado na parte norte da Ilha que terá impactos em todas as outras regiões”

Além disso, o BRT contará com tecnologia embarcada, que permitirá o aviso aos usuários dos horários da passagem do veículo nas paradas de ônibus e também a programação dos sinais de trânsito, que para o corredor, estarão sempre verdes. “Será um sistema de transporte coletivo localizado na parte norte da Ilha que terá impactos em todas as outras regiões uma vez que se cria um novo corredor e se desafoga o grande fluxo que hoje existe em pontos como a Forquilha, Cohab, São Cristóvão, das pessoas que precisam sair dos outros municípios em direção ao centro de São Luís”, declarou o presidente da MOB. 

O que o novo sistema BRT incluirá:

– Ônibus biarticulado com tecnologia embarcada

– Avisa quando vai passar

– Corredor exclusivo

– Sinal sempre verde

– Redução de 1 hora no tempo das viagens

– Ciclovias, calçadas e pistas de corrida ou caminhada em 20 km da Ilha de São Luís

Por: Samartony Martins
Informações: O Imparcial


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página

READ MORE - Em São Luís, BRT contará com tecnologia embarcada

Prefeito de SP assina 32 contratos para operação de transporte público no valor de R$ 63 bilhões

Após a suspensão da greve parcial de motoristas de ônibus da capital, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), assinou ontem 32 novos contratos para operação do transporte público da capital paulista, que vinham sendo barrados por contestações na Justiça e no Tribunal de Contas do Município (TCM) desde 2013. Agora no valor de R$ 63 bilhões, essa é uma das maiores licitações do País. Em relação à paralisação, a polícia ainda investiga locaute – paralisação patrocinada pelos empregadores.

Os contratos assinados, por 15 anos, não alteram as empresas que já operam nem as estimativas de gasto anual do serviço. Nos bastidores, alguns empresários do setor defendiam a renovação dos atuais contratos de emergência, que custam mais caro aos cofres públicos, até que os donos das empresas e a Prefeitura chegassem a um acordo sobre o prazo de vigência e os valores envolvidos. A resistência a esses novos contratos é apontada pelos auxiliares mais próximos do prefeito como uma das causas da paralisação, que afetou 30% da frota.

Essa mobilização ocorre em um momento em que empresas de ônibus da zona sul perderam cerca de 28% dos passageiros para a Linha 5 do Metrô. E às vésperas da implementação de mudanças na rede. As linhas mais afetadas foram justamente das empresas Sambaíba e Santa Brígida, na zona norte. Com a nova organização do sistema, os itinerários estruturais das viações ficaram menores.

O cenário de crise estaria por trás da falta de caixa que impediu o pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) para os motoristas e cobradores, que decidiram cruzar os braços. A avaliação dos aliados do prefeito é que esse cenário ruim para os empresários se associou à vontade política do sindicato de fazer a greve.

Ofício assinado pelo secretário municipal de Segurança Urbana, José Roberto Rodrigues de Oliveira, foi enviado à Delegacia de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC) para fazer representação formal sobre suspeitas de locaute. A delegada Fabíola de Oliveira Alves decidiu abrir inquérito ainda ontem. “Cabe à polícia (dizer se foi locaute). Quem investiga prática de crimes é a Polícia Civil”, afirmou o prefeito.

O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros, Francisco Christovam, descartou possibilidade de locaute. “Não procede, é uma informação equivocada que foi passada para ele (Covas).” Valdevan Noventa, presidente do sindicato dos motoristas e deputado federal pelo PSC de Sergipe, também negou ação conjunta.

Covas relatou ter feito diversas reuniões com motoristas e cobradores. Esses profissionais alegavam temor de que, com os novos contratos, a quantidade de coletivos em operação seja reduzida e os cobradores acabem demitidos. O prefeito destacou que a assinatura dos termos ocorreu após aval da Procuradoria-Geral do Município (PGM), e não teve relação com a greve. Ele disse também que a Prefeitura se comprometeu a não fazer de forma imediata a revisão da frota ou do papel dos cobradores.

O prefeito descartou atraso em repasses às empresas do setor e disse que haverá uma antecipação de R$ 40 milhões nos pagamentos que pode ajudar na Participação nos Lucros e Resultados (PLR) aos funcionários. “O resultado é positivo. Desde 2013, das gestões do PT, a cidade vivia com contratos emergenciais, o que ajudou a sucatear o sistema.”

A Prefeitura argumenta que, além de reduzir o tempo de duração dos contratos, os empresários terão menos lucro. A taxa de retorno do setor deve mudar de 9,8% para 9,1% do investido. O valor dos contratos, que para um prazo de 20 anos era de R$ 71 bilhões, passará para R$ 63 bilhões. A mudança de prazo atendeu ao Órgão Especial do Tribunal de Justiça, que entendeu que a lei que havia determinado duração de 20 anos para os contratos foi aprovada na Câmara de forma irregular.

Futuro
Questionado se essa decisão pode levar a novas ações, Covas disse que sim. “Toda decisão pode ser questionada pelo Poder Judiciário, isso faz parte do regime democrático. Mas é para isso que a gente consulta a Procuradoria.” 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página
READ MORE - Prefeito de SP assina 32 contratos para operação de transporte público no valor de R$ 63 bilhões

Metrô do Recife tem tarifa reajustada novamente

Os usuários já estão pagando mais caro pela passagem do Metrô do Recife. Seguindo o planejamento de reajustes escalonados, a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) elevou, a partir deste domingo (8), a tarifa ao valor de R$ 3. Este é o terceiro aumento de uma série que fixará o tíquete em R$ 4 até março de 2020.

Entre a população que utiliza o modal para se locomover pela região, o clima é de insatisfação. “Não temos conforto, os trens só vivem quebrados e ainda assim somos obrigados a pagar a mais por isso? É um verdadeiro absurdo uma coisa dessa acontecer”, reclama a aposentada Cleide Ferreira de Santana, de 66 anos.

Uma moradora de Surubim, que há um mês está no Recife, também não poupa críticas ao aumento de preços. “Se você estivesse pagando por um serviço decente, até justificava o preço alto. Porém, não temos o mínimo conforto para justificar uma conta tão cara”, relata Ediuza de Souza, que completa afirmando que a tarifa era para baixar e não aumentar. Ao ser informada que em março do próximo ano a passagem irá custar R$ 4, ela foi taxativa. “ Agora que ninguém anda mais de metrô”, disparou.

De acordo com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), o aumento das tarifas de metrô tem como objetivo suprir um déficit com a operação, folha de pagamento e indenizações da empresa. A CBTU justifica que o custo com a manutenção da rede em Estado é de R$ 541 milhões somente neste ano. No entanto, a arrecadação máxima chegou a apenas R$ 70 milhões.

Informações: Folha de Pernambuco


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página
READ MORE - Metrô do Recife tem tarifa reajustada novamente

SPTrans informa as linhas que passam na exposição no Ibirapuera

A SPTrans informa as linhas que atendem o Ibirapuera, onde será realizada a exposição The Art of the Brick: DC Super Heroes entre os dias 12 de setembro e 29 de dezembro, de terça a sexta-feira das 9h às 20h e sábado e domingo das 9h às 19h.

A exposição será na Oca do Ibirapuera localizada na Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n, portão 2 – Ibirapuera, Zona Sul e as linhas que o atendem passam pela R. Abílio Soares, Av. Pedro Álvares Cabral, Av. Brig. Faria Lima e R. Manoel da Nóbrega.

Confira a relação de linhas que atendem a região:

Rua Abílio Soares

475R/10 Jd. São Savério – Term. Pq. D. Pedro II

509J/10 Jd. Selma - Pq. Ibirapuera

509M/10 Jd. Miriam - Term. Princ. Isabel

5154/10 Term. Santo Amaro – Term. Princesa Isabel

5164/10 Vl. Sta. Catarina - Pq. Ibirapuera

5185/10 Term. Guarapiranga – Term. Pq. D. Pedro II

5194/10 Jd. Apurá - Pq. Ibirapuera (não opera de fim de semana)

5300/10 Term. Sto. Amaro - Term. Pq. D. Pedro II

5317/10 Sesc/Orion - Pça. do Correio (não opera aos domingos)

5318/10 Chác. Santana - Pça. da Sé

5362/10 Pq. Res. Cocaia - Pça. da Sé

5362/41 Pq. Res. Cocaia – Pq. Ibirapuera (não opera de fim de semana)

5370/10 Term. Varginha - Lgo. São Francisco

5370/21 Term. Varginha - Pq. Ibirapuera (não opera de fim de semana)

5391/10 Jd. Ângela - Lgo. São Francisco

5611/10 Eldorado - Pça. João Mendes

5614/10 Eldorado - Pça. João Mendes (não opera de fim de semana)

5614/21 Eldorado - Pq. Ibirapuera (não opera em dia útil)

5630/10 Term. Grajaú - Metrô Brás

5630/21 Cid. Dutra - Lgo . São Francisco (não opera de fim de semana)

5632/10 Vl. São José - Lgo. São Francisco (não opera aos domingos)

5652/10 Jd. IV Centenário - Pça. da Sé (não opera de fim de semana)

5652/22 Jd. IV Centenário - Pq. Ibirapuera (não opera em dia útil)

6338/10 Jd. Miriam - Pq. Ibirapuera

Av. Brig. Luís Antônio

475R/10 Jd. São Savério – Term. Pq. D. Pedro II

477A/10 Sacomã - Term. Pinheiros

5100/10 Term. Pinheiros - Term. Pq. D. Pedro II (não opera de fim de semana)

5111/10 Term. Sto. Amaro - Term. Pq. D. Pedro II

5119/10 Term. Capelinha - Lgo. São Francisco

5119/22 Term. João Dias – Largo São Francisco (não opera de fim de semana)

5131/10 Cid. Ademar - Pq. D. Pedro II (não opera aos domingos)

5154/10 Term. Santo Amaro – Term. Princesa Isabel

5164/21 Cid. Leonor - Pq. Ibirapuera

5175/10 Baln. São Francisco – Praça da Sé

5178/10 Jd. Miriam – Praça João Mendes

5185/10 Term. Guarapiranga – Term. Pq. D. Pedro II

6412/10 Paraisópolis - Paulista

669A/10 Term. Sto. Amaro - Term. Princ. Isabel

7550/10 Term. Sto. Amaro - Metrô Sta. Cecília (não opera de fim de semana)

967A/10 Imirim – Pinheiros (não opera de fim de semana)


Av. Pedro Álvares Cabral

175T/10 Metrô Santana – Metrô Jabaquara

509J/10 Jd. Selma - Pq. Ibirapuera

509M/10 Jd. Miriam - Term. Princ. Isabel

5154/10 Term. Santo Amaro – Term. Princesa Isabel

5164/10 Vl. Sta. Catarina - Pq. Ibirapuera

5164/21 Cid. Leonor - Pq. Ibirapuera

5175/10 Baln. São Francisco – Praça da Sé

5178/10 Jd. Miriam – Praça João Mendes

5185/10 Term. Guarapiranga – Term. Pq. D. Pedro II

5194/10 Jd. Apurá - Pq. Ibirapuera (não opera de fim de semana)

5300/10 Term. Sto. Amaro - Term. Pq. D. Pedro II

5317/10 Sesc/Orion - Pça. do Correio (não opera aos domingos)

5318/10 Chác. Santana - Pça. da Sé

5362/10 Pq. Res. Cocaia - Pça. da Sé

5362/41 Pq. Res. Cocaia – Pq. Ibirapuera (não opera de fim de semana)

5370/10 Term. Varginha - Lgo. São Francisco

5370/21 Term. Varginha - Pq. Ibirapuera (não opera de fim de semana)

5391/10 Jd. Ângela - Lgo. São Francisco

5611/10 Eldorado - Pça. João Mendes

5614/10 Eldorado - Pça. João Mendes (não opera de fim de semana)

5614/21 Eldorado - Pq. Ibirapuera (não opera em dia útil)

5630/10 Term. Grajaú - Metrô Brás

5630/21 Cid. Dutra - Lgo . São Francisco (não opera de fim de semana)

5632/10 Vl. São José - Lgo. São Francisco (não opera aos domingos)

5652/10 Jd. IV Centenário - Pça. da Sé (não opera de fim de semana)

5652/22 Jd. IV Centenário - Pq. Ibirapuera (não opera em dia útil)

6338/10 Jd. Miriam - Pq. Ibirapuera

6358/10 Jd. Luso – Term. Bandeira

6455/10 Term. Capelinha – Largo São Francisco

647C/10 Term. João Dias – Hosp. Das Clínicas (não opera aos domingos)

709A/10 E.T. Água Espraiada – Metrô Ana Rosa

857A/10 Term. Campo Limpo – Metrô Santa Cruz



Rua Manoel da Nóbrega

509J/10 Jd. Selma - Pq. Ibirapuera

5154/10 Term. Sto. Amaro - Term. Princ. Isabel

5164/21 Cid. Leonor - Pq. Ibirapuera

5175/10 Baln. São Francisco – Praça da Sé

5178/10 Jd. Miriam - Pça. João Mendes

5185/10 Term. Guarapiranga - Term. Pq. D. Pedro II

709A/10 E.T. Água Espraiada – Metrô Ana Rosa

857A/10 Term. Campo Limpo – Metrô Santa Cruz

Para informações sobre itinerários ligue 156.

Informações: SPTrans


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página
READ MORE - SPTrans informa as linhas que passam na exposição no Ibirapuera

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960