Depois de caos, ônibus voltam a circular no Recife

sexta-feira, 14 de junho de 2013

A paralisação de advertência dos rodoviários na manhã desta sexta-feira, afeta não só a rotina dos usuários do transporte público de passageiros. Os motoristas também estão sendo impactados pelos grandes congestionamentos que estão se formando em diversas vias da cidade, como Avenida João de Barros, Ruas Fernandes Vieira, da Soledade, do Hospício e Manoel Borba. Sem conseguir atravessar o centro da cidade, as vias da área norte, como a Avenida Cruz Cabugá, estão praticamente vazias.
Foto: Renata Portini/DP/D.A Press
Para chamar a atenção para as reivindicações da categoria por reajuste salarial, os rodoviários se concentraram por volta das 6h e a partir das 8h pararam as atividades por uma hora. Na Avenida Conde da Boa Vista, Avenida Antônio de Goes, Avenida Guararapes, Rua do Sol, Rua do Príncipe, Cais de Santa Rita e no Terminal Integrado Tancredo Neves, os motoristas desceram dos coletivos e os passageiros tiveram que continuar o percurso a pé.
Foto: Renata Portini/DP/D.A Press
De acordo com o presidente da Oposição dos Rodoviários de Pernambuco, Juscelino Pereira Macedo, a paralisação dos motoristas, cobradores, despachantes e fiscais de ônibus terá, além da uma hora de advertência, mais duas horas de panfletagem e carros de som defendendo a proposta de reinvidicação da categoria. Segundo ele, a decisão sobre a mobilização foi tomada após o adiamento da primeira reunião de negociação entre patrões, sindicato e oposição para definir o reajuste salarial.

O protesto é pacífico, mas a Polícia Militar está nos locais de maior concentração. Policiais da cavalaria, de motos, a pé e em viaturas estão monitorando a manifestação.

Informações: Diário de Pernambuco

READ MORE - Depois de caos, ônibus voltam a circular no Recife

Prefeitura de São Paulo abre licitação de R$ 46 bi para renovar transporte

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), abriu nesta quinta-feira licitação para a renovação dos serviços de transporte público feito na capital paulista por 15 mil ônibus coletivos e 7 mil peruas. Serão os maiores contratos feitos na história da Prefeitura: as duas consultas públicas (para ônibus e vans) somam R$ 46,3 bilhões, valor maior que todo o orçamento da capital para 2013, de R$ 42 bilhões.

A concessão do transporte público, pelo período de 15 anos, será mais uma vez conduzida por um governo do PT. Em 2003, a licitação que reorganizou linhas de ônibus e peruas foi feita pela prefeita Marta Suplicy (PT), pelo período de dez anos e valor de R$ 15 bilhões. A administração municipal vai agora reconfigurar o sistema de concessão dos transportes da cidade, que hoje é dividida em oito regiões (geridas por consórcios).


A partir de julho, a divisão será de três regiões: leste, noroeste e sul. De acordo com a gestão Haddad, a medida racionalizará a operação. Os contratos devem ser assinados em julho. O prefeito de São Paulo tem dito que o novo modelo ajudará a evitar novos aumentos da tarifa, hoje em 3,20 reais.

O prazo dos contratos desse serviço de concessão (geralmente, prestados por empresas e consórcios que operam os ônibus maiores, entre regiões diferentes do município) será de 15 anos. Já o da permissão (vans e ônibus menores geridos por cooperativas, num perímetro mais localizado) terá validade de sete anos, prorrogáveis por mais três, "quando houver interesse público".

Outra alteração diz respeito às áreas operacionais. Serão três, segundo o decreto: noroeste, leste e sul. A primeira abrangerá as atuais áreas de concessão 1, 2 e 8 e as de permissão 1.0, 2.0, 8.0 e 8.1. As da leste serão as áreas de concessão 3, 4 e 5 e de permissão 3.0, 3.1, 4.0, 4.1 e 5.0. A área de operação sul será composta pelas áreas de concessão 6 e 7 e pelas de permissão 6.0, 6.1 e 7.0.

O Poder Executivo alega que essa mudança "permitirá melhor controle pelo poder público e facilitará o equilíbrio financeiro entre os lotes". Hoje, existem oito áreas operacionais. Com as mudanças, o Executivo espera melhorar a qualidade do transporte público, uma vez que serão pedidas mudanças como a inclusão de GPS nos validadores das catracas.

Em caso de pane no GPS, o validador travará e o ônibus não poderá sair da garagem. A medida ajudará a Secretaria Municipal dos Transportes a ter um maior controle sobre a localização da frota em tempo real. Os contratos são os maiores já assinados pelo Município desde 2004, quando Marta fez a licitação para a concessão dos serviços de limpeza urbana, pelo período de 20 anos (renovável por mais 10 anos) e valor de quase R$ 20 bilhões. O maior contrato assinado pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD) nos quase sete anos de mandato, em 2012, de R$ 3,36 bilhões, foi para a realização do programa, ainda em andamento, para a reurbanização de 118 favelas nos arredores das Represas Billings e Guarapiranga.

Informações: Diário do Grande ABC
READ MORE - Prefeitura de São Paulo abre licitação de R$ 46 bi para renovar transporte

Curitiba terá informação de ônibus em tempo real no computador ou celular

Curitiba será a primeira cidade do País a contar, até o fim deste mês, com informações de itinerário e de horário de ônibus em tempo real, no serviço Google Maps. O novo serviço foi definido na tarde desta quinta-feira (13) pelo prefeito Gustavo Fruet, em reunião com o diretor de novos negócios do Google, Alessandro Germano, durante o lançamento do novo sistema de busca de itinerários, abrigado na funcionalidade Transit do serviço de mapas online do Google. 

Fruet testou o novo sistema, disponível na internet e para smartphones (iPhone e Android). A ferramenta indica a localização do ponto de ônibus mais próximo de onde está o usuário, as opções de linhas que levam ao destino pretendido, os horários de cada linha e a previsão do tempo de chegada. Por solicitação do prefeito, o serviço passará a incluir as informações em tempo real. Os dados, já disponíveis no Centro de Controle Operacional da Urbs, permitem saber a que distância o ônibus está da próxima parada e em quanto tempo vai chegar até ela. 

“Há cidades que têm este serviço na internet, mas não na base do Google, o que será possível em Curitiba dentro de poucos dias, em função do sistema já existente na cidade” explicou a gestora de relações governamentais do Google, Mariana Macário, que também acompanhou a apresentação do novo sistema em Curitiba. 

“Este é mais um passo para a melhoria do atendimento ao usuário de transporte. Vamos ampliar o alcance das informações disponíveis para beneficiar o usuário do ônibus”, disse o prefeito Gustavo Fruet. “Os curitibanos podem ter certeza de que, com seriedade e responsabilidade, vamos recuperar a qualidade do nosso transporte, do atendimento nos terminais. Estamos num grande esforço para sanear o sistema e permitir avanços. Não é um processo simples, que pode ser feito do dia para a noite, quando se tem um sistema que há anos vem enfrentando déficits”, afirmou. 

Como funciona

O sistema lançado nesta quinta-feira substitui o antigo sistema de busca da Urbs. Ele foi apresentado no painel formado por 21 telas de LCD de 42 polegadas  do Centro de Controle Operacional da Urbs.

As informações ficam disponíveis via internet e smartphones em todo o mundo e em todas as línguas servidas pelo Google Maps.  Até aqui, estavam disponíveis no Google Maps apenas as opções para deslocamentos a pé ou

Informações: Prefeitura de Curitiba

READ MORE - Curitiba terá informação de ônibus em tempo real no computador ou celular

Veja como vai funcionar o sistema de Bilhete Único em Fortaleza

A partir de sábado (15) os usuários do transporte público urbano de Fortaleza poderão pagar apenas uma tarifa e pegar quantas linhas de ônibus precisar, em um prazo de duas horas, no Bilhete Único. Mas os usuários precisam ficar atentos quanto à modalidade de seu cartão - que pode ser estudante, vale-transporte eletrônico ou avulso - para conhecer os benefícios de cada um.

De acordo com a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), o procedimento será o mesmo para todos: o usuário entra no ônibus, aproxima o cartão do validador, é debitada uma passagem e assim a catraca será liberada e será iniciado o período de duas horas para realizar quantas integrações forem necessárias.


Para realizar a integração o procedimento é o mesmo, a diferença é que em vez de debitar uma outra passagem aparecerá a mensagem “integra” e a catraca será liberada. E assim o passageiro poderá fazer quantas vezes quiser no intervalo de duas horas. Encerrado o período, uma nova passagem será debitada e um novo prazo de duas horas será iniciado.

O estudante que optar pelo Bilhete Único pagará meia-passagem (R$ 1,10) para realizar quantas integrações quiser, no intervalo de duas horas. Nesse caso, a carteira de estudante passará a ser utilizada somente para meia-cultura e identificação do aluno. O Bilhete Único de estudante poderá ser utilizado nos ônibus e vans com o benefício da meia passagem ilimitada e o aluno poderá colocar créditos para evitar o transporte de valores dentro do ônibus ou van.

Quem já possui o vale transporte eletrônico, fornecido pelas empresas, também poderá fazer a opção pelo Bilhete Único. O procedimento de carga e recarga continua o mesmo, ou seja, mensalmente o cartão será carregado com o valor, em reais, correspondente ao total das passagens que o funcionário irá precisar.

Já para o usuário que pretende adquirir passagens avulsas existe o Bilhete Único Avulso. Diferentemente dos cartões utilizados por funcionários de empresas, os cartões Avulsos podem ser adquiridos por qualquer usuário do sistema, sendo inteiramente aplicados a usuários que pagam inteira, profissionais liberais, turistas e trabalhadores domésticos. As recargas podem ser feitas em qualquer valor.

2ª Via
O cartão do Bilhete Único é pessoal e intransferível, segundo a Prefeitura de Fortaleza. Em caso de perda, roubo ou extravio, o usuário ou a empresa poderá solicitar o bloqueio junto a Central de Atendimento da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos de Fortaleza, no número 156 ou pelo Alô Sindiônibus, no número 4005.0956. Durante a ligação será preciso informar o número do documento de identidade e CPF. Com o bloqueio os créditos do cartão poderão ser recuperados, bastando tirar uma segunda via do cartão.

Informações: G1 Ceará
READ MORE - Veja como vai funcionar o sistema de Bilhete Único em Fortaleza

Aplicativo sobre transporte público promete ajudar turistas no Rio

Uma parceria firmada entre a Fetranspor, federação de empresas transportadoras de passageiros do Rio, e os desenvolvedores do Moovit, um aplicativo para smartphones que fornece dados em tempo real sobre a situação do transporte público, promete ajudar torcedores e turistas durante a Copa das Confederações.

O aplicativo é atualizado a todo instante. Ao andar com o Moovit aberto, os usuários contribuem fornecendo velocidade e dados de localização sobre as viagens. Além disso, a própria pessoa pode enviar relatórios sobre as condições do veículo, como superlotação e limpeza.

“Para a Fetranspor, o Moovit  é um instrumento fundamental para obter informações em tempo real, seja do ponto de vista dos passageiros, seja do ponto de vista de nossa organização, que terá condições de tomar decisões mais rapidamente”, avalia Lélis Marcos Teixeira, presidente da Fetranspor.

Nir Erez, presidente do Moovit, acredita que o aplicativo ajudará muito os usuários do transporte público durante a competição. "É extremamente útil no dia a dia, mas em eventos do porte da Copa das Confederações, Copa do Mundo e Olimpíadas, pode ajudar muito mais, pois os passageiros trocam informações entre si e com o sistema, sabendo em tempo real o que está acontecendo no trânsito e na malha de transportes em geral”. 

Informações: Estadão

READ MORE - Aplicativo sobre transporte público promete ajudar turistas no Rio

Após isenção de impostos, prefeituras reduzem tarifas de ônibus

Em meio aos protestos violentos contra o aumento da tarifa do transporte público em São Paulo, as prefeituras de diversas cidades brasileiras anunciaram para os próximos dias a redução no preço da passagem, após a vigência, a partir do dia 1º de junho, da isenção dos impostos PIS e Cofins para as empresas do setor.

Em Campinas (SP), o prefeito Jonas Donizette anunciou na quarta-feira a redução de 3% na tarifa, que passará de R$ 3,30 para R$ 3,20 a partir de 30 de junho. Durante o evento de homenagem a funcionários da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), Donizette afirmou que era necessário repassar a desoneração dada pelo governo federal ao valor da tarifa. "Os empresários alegaram que teriam um prejuízo de R$ 870 mil por mês com a redução na tarifa, mas preferi pensar em primeiro lugar nos usuários do transporte, que vão economizar na passagem e poder contabilizar um dinheiro no final do mês", disse. Donizette lembrou também que não haverá aumento no subsídio atual da prefeitura ao sistema de transporte, que está atualmente em R$ 36 milhões por ano.

Também nesta semana, cinco cidades da região do Grande ABC de São Paulo - São Bernardo, Santo André, São Caetano, Mauá e Ribeirão Pires - terão a tarifa de transporte coletivo reduzida de R$ 3,30 para R$ 3,20. O novo preço passará a valer a partir do próximo sábado.

O anúncio foi feito na semana passada pelo prefeito de São Bernardo do Campo e presidente do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, Luiz Marinho (PT), durante reunião da entidade. Em Diadema, onde o preço da tarifa já era de R$ 3,20, o valor será mantido. Nessa cidade, o reajuste passará a ser feito de dois em dois anos, como ocorre nos demais municípios do ABC. Em Rio Grande da Serra, onde a tarifa é de R$ 3, o valor será mantido.

Pelo Brasil

A partir de domingo, os ônibus da rede não integrada da região metropolitana de Curitiba terão a tarifa de ônibus reduzida em dez centavos, passando de R$ 2,85 para R$ 2,75. "O Paraná hoje dá um exemplo para o Brasil de trabalho em favor da sua população. Investimos em mobilidade e garantimos assim mais dinheiro no bolso do trabalhador", anunciou o governador Beto Richa (PSDB), ao lembrar que a isenção de ICMS era um compromisso do plano de governo.
Curitiba terá redução
Em Goiânia (GO), a redução passou a valer já a partir desta quinta-feira, após decisão da Justiça de Goiás que suspendeu o aumento de R$ 2,70 para R$ 3, ocorrido no dia 21 de maio. Após uma série de protestos, o reajuste foi cancelado pela Justiça na última segunda-feira, mas somente ontem a Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) foi oficiada.

Desde a última segunda-feira, os usuários do transporte coletivo de Manaus (AM) convivem com tarifas reduzidas. O valor foi reajustado de R$ 3,00 para R$ 2,90 pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, que usou como argumento a redução nos tributos federais.

Em Natal (RN), onde o preço da tarifa é alvo de uma série de protestos desde o mês passado, a prefeitura também determinou a redução da tarifa em dez centavos. Desde o dia 4 de junho, a passagem de ônibus passou a valer R$ 2,30. Apesar da redução, o valor não voltou ao mesmo patamar de antes do último reajuste, ocorrido no dia 18 de maio, quando a tarifa passou de R$ 2,20 para R$ 2,40. O prefeito Carlos Eduardo solicitou à Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana novos cálculos no valor da passagem, logo após o governo federal anunciar a decisão de zerar o pagamento do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

Informações: Portal Terra
READ MORE - Após isenção de impostos, prefeituras reduzem tarifas de ônibus

Metrô SP fecha estacionamento ao lado da estação Marechal Deodoro

O Metrô de São Paulo desativou o estacionamento integrado à estação Marechal Deodoro, da linha 3-vermelha, no centro de São Paulo.

O espaço fazia parte do E-fácil, lançado pela companhia em 2009 e que previa garagens ao lado de estações.

O projeto foi uma das principais bandeiras da gestão José Serra (PSDB) para incentivar a troca do carro pelo transporte público.
Joel Silva/Folhapress
O fechamento, na última semana de maio, surpreendeu os usuários do local, que pagavam R$ 12,10 para estacionar o carro por até 12 horas e recebiam duas passagens de metrô, trem ou ônibus.

"O que me deixou mais irritado foi que não avisaram antes. Cheguei na porta e vi tudo fechado", diz o jornalista Fabiano Angélico, que acabou usando outro estacionamento -que cobrou R$ 27.


Ele mora na zona norte e costumava usar o serviço toda semana, para evitar a lentidão do centro histórico.

Segundo o Metrô, o estacionamento foi desativado devido ao fim do contrato de concessão. A empresa Maxipark, que operava o espaço, "não demonstrou interesse em renovar o contrato".
A empresa foi escolhida por licitação e recebia uma taxa por carro estacionado. Procurada, a Maxipark não informou o motivo que a levou a deixar o negócio.

PROCURA EM BAIXA

A procura pelo local, diz o Metrô, era pequena em comparação aos outros pontos da rede. A taxa de ocupação dos mais lotados é de 100%, enquanto na Marechal Deodoro ficava próxima de 30%.

Moradores da região contestam. "Ele vivia lotado, no último dia tinham uns 150 carros. Fechou sem aviso prévio, e desde então um monte de gente já deu com a cara, quer dizer, com o carro no portão" conta o jornaleiro Márcio Ribeiro da Costa, que tem banca em frente ao local.

Com o E-fácil fechado, quem quiser continuar com o esquema carro-metrô terá que gastar mais que o dobro.

Há um estacionamento em frente que cobra R$ 23 por 12 horas. Somando o valor das passagens, o custo vai a R$ 29,40. E, ao contrário do E-fácil, não funciona 24 horas.

REDE

Com 193 vagas, o estacionamento era o menor e mais caro da rede, que ainda mantém cinco espaços: nas estações Imigrantes (linha 2-verde), Brás, Bresser e Itaquera (3-vermelha) do metrô e Guaianazes (11-coral), da CPTM.

Com o fechamento, a rede perdeu 12% das vagas. O Metrô afirma que os pontos restantes vão continuar abertos e que o terreno ao lado da Marechal Deodoro terá outro uso, ainda indefinido.
Editoria de arte/Folhapress
Comuns em países ricos, os estacionamentos integrados à rede de transporte público são apontados como uma opção para resolver os congestionamentos e dificuldades de deslocamento nas grandes metrópoles.

Luiz Figueira de Mello, professor de engenharia do Mackenzie, diz que o fechamento é "um retrocesso, pois é preciso incentivar as pessoas a andarem de metrô".

O professor defende que, mesmo sendo menos vantajoso economicamente, "o estacionamento deveria ser mantido como uma opção ao paulistano".

Informações: Folha SP
READ MORE - Metrô SP fecha estacionamento ao lado da estação Marechal Deodoro

Nova linha de ônibus começa a circular na zona norte de Manaus

No início desta semana começou a circular a linha 560-T4/ Cidade de Deus/ Nova Cidade/ T1 Centro, para atender moradores da zona norte de Manaus. 

A linha 560 possui uma frota diária de 10 ônibus articulados novos. Além das ruas locais dos bairros atendidos, a linha percorre ainda as avenidas Autaz Mirim, Margarita, Monsenhor Pinto, Curaçao, Sete de Maio, Torquato Tapajós e Constantino Nery. A circulação e o atendimento da nova linha são fiscalizados pela Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU).

A Prefeitura de Manaus implantou, nos últimos meses, três novas linhas para atender usuários de várias zonas da cidade: 358 - Residencial Viver Melhor/ T2/ Cachoeirinha; 041 - T4/ Nova Cidade/ Residencial Viver Melhor - e agora a 560 - T4/ Cidade de Deus/ Nova Cidade/ T1/ Centro.  

A SMTU ainda analisa outras áreas que também podem ser beneficiadas com novas linhas de ônibus.

Informações: http://www.d24am.com

READ MORE - Nova linha de ônibus começa a circular na zona norte de Manaus

Etufor tenta diminuir transtornos pelas paralisações dos terminais

O chefe de operações da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Raimundo Rodrigues, conversou na tarde desta quinta-feira, 13, com O POVO Online, sobre o que a empresa está fazendo para diminuir os transtornos causados pelas paralisações dos terminais e dos ônibus em Fortaleza.

Raimundo lista duas situações que vêm ocorrendo. Uma é o fechamento das garagens impossibilitando a saída dos ônibus. Já a outra é a paralisação dos ônibus dentro dos terminais, em que nessas situações nenhum veículo entra ou sai.


Para a primeira situação, a Etufor está fazendo permutas de outras empresas, ou seja, quando as garagens estão fechadas, outros ônibus são colocados nas ruas, mas mesmo assim não conseguem suprir a frota em 100%. Porém, Rodrigues afirma que uma carga de 50% ou 70% está sendo disponibilizada a população diante dos transtornos.

Já na segunda situação, como os ônibus não podem entrar, nem sair dos terminais, os veículos estão parando no entorno do terminal paralisado para o passageiro utilizar o serviço.

Durante as paralisações, alguns ônibus são danificados, como pneus furados e retrovisores quebrados, por exemplo. Segundo Raimundo, nessas situações, a Etufor busca consertar o mais rápido possível os veículos que apresentam problemas. 

Desde a última segunda-feira, motoristas e cobradores estão paralisando os terminais de Fortaleza. A ação faz parte da estratégia da categoria, em clima de campanha salarial.

Informações: O Povo Online
READ MORE - Etufor tenta diminuir transtornos pelas paralisações dos terminais

Usuários enfrentam problemas na rodoviária de Belo Horizonte

As pessoas que precisam usar a rodoviária de Belo Horizonte enfrentam problemas. O transporte coletivo é um assunto delicado e estratégico, num país que sedia eventos como a Copa do Mundo, ou a das Confederações. Por isso, falou-se tanto na necessidade de investimentos nos aeroportos. Mas esses investimentos não foram vistos na mesma medida nos terminais rodoviários de cidades sede.

O prédio, construído na década de setenta, não atende as necessidades nos dias de hoje. Apenas a área de embarque conta com elevador e a esteira rolante não funciona. “Como vocês viram, a rampa é bem íngreme. Então, eu tenho uma certa dificuldade pra subir”, reclamou o técnico de basquete Eliseu Ferreira da Silva.

A Prefeitura de Belo Horizonte informou que as peças das esteiras rolantes não são mais fabricadas e que existe um projeto, ainda sem previsão, para substituí-las por escadas rolantes.

Ainda é possível perceber goteiras, falta de sinalização e de pessoal qualificado para dar informações aos usuários.  A administração municipal declarou ainda que vai fazer uma nova obra pra acabar com as goteiras.

Para quem desembarca no terminal, a dificuldade começa em se localizar e até saber como sair de lá. As placas não indicam acesso a ônibus ou metrô, por exemplo. E se o turista for estrangeiro, pior ainda. Nenhuma delas tem tradução em outros idiomas.

No guichê de informações, a atendente não fala inglês e nem espanhol. No posto de atendimento ao turista, a funcionária diz que fala só um pouquinho de inglês.

Duas estudantes americanas reclamam da dificuldade de comunicação. Segundo as jovens, a maioria dos atendentes não consegue entender o que elas perguntam e, muito menos, responder.

A administração da rodoviária anunciou reforço no atendimento bilíngue dois dias antes de cada jogo. “Essa capacidade de atender uma demanda, que por ventura possa ocorrer de última hora, a gente tem perfeitamente condições de atender”, afirmou o gerente do terminal, Ricardo Coutinho.

Para o doutor em engenharia de transportes, Frederico Rodrigues algumas capitais estão perdendo a chance de conquistar os turistas. “Não só focar em aeroportos, como está acontecendo, mas, também nos terminais rodoviários, porque os turistas também fazem viagens internas no país e pra isso precisa desse apoio do modo de transporte rodoviário”, explicou.

Informações: G1 Minas
READ MORE - Usuários enfrentam problemas na rodoviária de Belo Horizonte

Lula diz que transporte público é 'problema crônico' no País

Durante sua participação no Fórum Mundial de Autoridades Locais da Periferia, nesta quinta-feira, em Canoas, na Grande Porto Alegre, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva disse que a questão do transporte público no País é um "problema crônico". 
Lula participa de evento em Canoas (RS) - Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula / Divulgação
“O transporte coletivo neste País é um problema crônico, cada vez mais difícil”, disse Lula a uma plateia de prefeitos de cidades periféricas, defendendo que eles busquem alternativas para a mobilidade nas regiões metropolitanas, “para discutir e começar a encontrar uma solução definitiva (...) Só quero saber quem vai colocar o transporte, se é o poder público que vai estatizar, ou se o governo vai estar disposto a colocar dinheiro, sobretudo em cidades ocupadas de foram desordenada”, afirmou.

Ao discorrer sobre a ocupação desordenada dos centros urbanos, nas décadas de 60 e 70, que iniciaram as ocupação de áreas que mais tarde se tornaram as favelas brasileiras, Lula reconheceu sua parcela de culpa, e também a de correligionários, que defendiam a ocupação, e culpou ainda uma elite brasileira que teria ignorado a questão.

“Era bonito defender os pobres do interior (que ocupavam as áreas) quando tinha prefeito querendo tirar e a gente não deixava, vamos ser francos. Quantas vezes você não fez isso, Tarso (Genro)? “, perguntou ao governador do Rio Grande do Sul. “De um lado a irresponsabilidade gerencial administrativa da elite brasileira, mas também tivemos muitos vereadores que se elegeram fazendo isso. Defender os pobres não era errado, mas tínhamos que discutir que deveria haver um lugar melhor que aquele”, afirmou.

Ele diz que o reflexo disso, hoje, são os preços caros para construção e moradia em virtude da falta de estrutura, que dificulta a vida dos governantes brasileiros. “Temos sérios problemas para enfrentar na habitação, porque os terrenos estão cada vez mas caros, e mesmo com o programa do governo federal”, disse referindo-se ao programa Minha Casa, Minha Vida. “Dilma (Rousseff) vai entregar 3 milhões de casas até 2015, um milhão foram entregues até agora, mas está cada vez mais difícil pelo preço do terreno”, completou. 

Ministérios
Lula defendeu ainda a criação de ministérios em seu governo, dizendo que se fosse possível resolver tudo com apenas uma pasta, faria isso. “Se não criar ministério resolvesse alguma coisa, nós só teríamos apenas um. Criamos o ministério das Cidades, da Igualdade Racial, dos Direitos Humanos, da Pesca, da Mulher... se pode ter o Ministério da Indústria, porque não pode ter o da Mulher?”, perguntou, durante o discurso de aproximadamente 50 minutos. 

Informações: Portal Terra
READ MORE - Lula diz que transporte público é 'problema crônico' no País

Prefeitura de Joinville reduz a tarifa do ônibus de transporte coletivo

A Prefeitura de Joinville decretou nesta quinta-feira, dia 13, a redução da tarifa do transporte coletivo em R$ 0,10. A nova tarifa passa a vigorar no dia 1º de julho, baixando de R$ 2,90 para R$ 2,80 quando comprada antecipadamente, e de R$ 3,30 para R$ 3,20 quando paga no ato de embarque pelo passageiro.

Esta é a segunda vez no atual governo que há redução da tarifa do ônibus. A primeira ocorreu logo após a posse, no dia 2 de janeiro, em que houve revogação de reajuste decretado em dezembro de 2012 e edição de novo decreto com redução de R$ 0,10 - de R$ 2,90 para R$ 2,80 (antecipada) e de R$ 3,30 para R$ 3,20 (embarcada).


A redução de agora é resultado de atualização da planilha de custos como consequência da medida provisória do governo federal que reduziu, a partir de junho, as alíquotas de contribuição das empresas de ônibus para o PIS/PASEP e da Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social).

O decreto nº 20.790, com a data de 13 de junho de 2013, será publicado no Jornal do Município desta sexta-feira, 14 de junho. Nele fica também estabelecido que as passagens adquiridas antecipadamente, em data anterior à vigência da nova tarifa, manterão a sua validade até terem a capacidade do cartão ou bilhete exauridas com o carregamento anterior à data do decreto.

Estabelece também que, em decorrência da redução da tarifa, não haverá compensação ou devolução da diferença de valores das passagens já adquiridas. Segundo cálculo do Ministério da Fazenda, as alíquotas do PIS e da (Cofins) incidentes sobre o transporte coletivo urbano somam 3,65%. Com a isenção, o governo quer aliviar os custos das classes média e baixa que utilizam ônibus.

Evolução da tarifa

Maio de 2009
De R$ 2,05 para R$ 2,30 (antecipada) 
De R$ 2,50 para R$ 2,70 (embarcada)

Dezembro de 2010
De R$ 2,30 para R$ 2,55 (antecipada)
De R$ 2,70 para R$ 2,90 (embarcada)

Dezembro de 2011
De R$ 2,55 para R$ 2,75 (antecipada)
De R$ 2,90 para R$ 3,10 (embarcada)

Dezembro de 2012
De R$ 2,75 para R$ 3,00 (antecipada)
De R$ 3,10 para R$ 3,35 (embarcada)

No primeiro ato de governo, prefeito Udo Döhler revogou o reajuste de dezembro e reduziu o aumento.

Janeiro de 2013 (redução)
De R$ 2,75 para R$ 2,90 (antecipada)
De R$ 3,10 para R$ 3,30 (embarcada)

Junho de 2013 (redução)
De R$ 2,90 para R$ 2,80 (antecipada)
De R$ 3,30 para R$ 3,20 (embarcada)

Informações: Economia SC
READ MORE - Prefeitura de Joinville reduz a tarifa do ônibus de transporte coletivo

Em São Paulo, Mais 10 linhas de ônibus passam a funcionar no terminal Pinheiros

A partir de sábado (15) a SPTrans (empresa que gerencia o transporte municipal) vai implantar a segunda fase de funcionamento do terminal Pinheiros, na zona oeste de São Paulo.

De acordo com a SPTrans, serão implantadas mais dez linhas, totalizando 17 que passam no terminal. O espaço entrou em operação no início do mês.
Rivaldo Gomes - Folhapress
A SPtrans estima que agora o local atenderá 34 mil passageiros por dia. O terminal está localizado entre a rua rua Gilberto Sabino e a avenida das Nações Unidas e está integrado com a linha 4-amarela do Metrô e a linha 9-esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

AS NOVAS LINHAS NO TERMINAL

177Y/10 Metrô Barra Funda - Terminal Pinheiros
637A/10 Terminal Jardim Ângela - Terminal Pinheiros
637A/21 Vila Remo - Terminal Pinheiros
637A/25 Piraporinha - Terminal Pinheiros
637A/26 Terminal Guarapiranga - Terminal Pinheiros
5100/10 Terminal Pinheiros - Term. Pq. D. Pedro II
719P/10 Terminal Pinheiros - Metrô Armênia
7228/10 Terminal Pinheiros - Praça Ramos de Azevedo
702N/10 Terminal Parque D. Pedro II - Terminal Pinheiros (noturna)
802C/10 Ceasa - Lgo. da Concórdia (noturna)

LINHAS QUE JÁ ERAM ATENDIDAS

930P/10 Term. Pq. D. Pedro II - Terminal Pinheiros
637P/10 Terminal Santo Amaro - Terminal Pinheiros
809P/10 Terminal Campo Limpo - Terminal Pinheiros (diuturna)
809A/10 Jd. D´Abril - Terminal Pinheiros
809D/10 COHAB Educandário - Terminal Pinheiros
809J/10 Jd. Colombo - Terminal Pinheiros - Circular
809R/10 Rio Pequeno - Terminal Pinheiros - Circular

Informações: Folha SP

READ MORE - Em São Paulo, Mais 10 linhas de ônibus passam a funcionar no terminal Pinheiros

Grande Recife: Estação Cajueiro Seco enfrenta desafios para a Copa

A Estação Cajueiro Seco, em Jaboatão dos Guararapes, Região Metropolitana do Recife, é a última da Linha Sul do metrô e deve ser usada por muitos torcedores durante a Copa das Confederações, que começa neste final de semana. Passam, por dia, 47 mil pessoas pela estação, que é integrada ao Terminal de Ônibus. 

Os trens circulam por Cajueiro Seco com um intervalo que varia entre sete e oito minutos, caindo para cinco minutos nos períodos de pico. Embora conte com ônibus, espaço para guardar bicicletas, sinalização em português/inglês e ligação direta com a estação do metrô, o local apresenta alguns problemas - a começar pelos entulhos da obra, que precisam ser recolhidos. O mato em volta da estação também necessita de cuidados.


O acesso ao metrô é feito de forma correta e conta com rampa e escada, mas, no caminho, a reportagem encontrou uma moto parada em lugar errado, além da ausência de uma cobertura, o que traz transtornos em dias de chuva. “Vai criar lodo e as pessoas podem escorregar, é um perigo”, reclama o pedreiro Rogério Barros.

Se na entrada da estação a placa é bilíngue, nas bilheterias, placas de modo geral e mapas contam apenas com informações em português. A falta de orientações em outro idioma vai ser um desafio para os visitantes, apostam os passageiros. “Eu acredito que até pessoas que são daqui se perdem, imagine os estrangeiros?”, questiona o técnico de suporte Marcos Castelo Branco.

Outro problema encontrado é que as escadas rolantes funcionam de forma irregular, parando com frequência, segundo os passageiros. A falta de banheiros é outra queixa de quem costuma utilizar a estação. Os elogios vão para a limpeza e a segurança, feita com a ajuda de policiais e câmeras de monitoramento.

A assessoria de imprensa do Metrorec informou que a rampa de acesso também serve como calçada e, por isso, não é coberta. O reparo do elevador e das escadas rolantes é feito pelo fabricante - que não tem unidades no Nordeste –, daí o atraso na chegada das peças e no período de manutenção. O Metrorec disse também que existe uma placa bilíngue na entrada principal da estação.

Informações: G1 PE
READ MORE - Grande Recife: Estação Cajueiro Seco enfrenta desafios para a Copa

No Rio, Metrô e trem serão gratuitos para torcedor na Copa das Confederações

A maior intenção da prefeitura do Rio de Janeiro é que os torcedores que irão assistir aos três jogos da Copa das Confederações no Maracanã usem o metrô e trem como meios de transporte. Dessa forma, os ingressos para as partidas darão direito a passagens de ida e volta nos dias dos jogos.

Todo o entorno do estádio será interditado para ônibus, táxis e veículos particulares. No dia 20, único dia útil em que haverá jogo, estará proibido o estacionamento no Centro. Além disso, foi declarado feriado escolar e ponto facultativo para servidores públicos de várias regiões da cidade.

Na região do estádio, 19 ruas terão acesso restrito à moradores previamente credenciados. Dentre as vias, estão o Viaduto Oduvaldo Cozzi, que dá acesso a São Cristóvão; as avenidas Maracanã e Radial Oeste; e as ruas Eurico Rabelo e Mata Machado. Já o estacionamento na região estará proibido desde as 17h do dia anterior aos jogos e só será liberado horas após o final das partidas.

As orientações para o uso de estações do metrô no entorno do Maracanã serão de acordo ao setor dos ingressos dos torcedores. Além disso, a prefeitura criará linhas especiais de ônibus e reforçará outras que já existem para facilitar o acesso de locais como aeroporto, Jacarepaguá e Barra às estações de metrô.

Informações: Blog Sidney Rezende

READ MORE - No Rio, Metrô e trem serão gratuitos para torcedor na Copa das Confederações

Prefeito de Campinas anuncia redução da tarifa de ônibus

O prefeito de Campinas (SP), Jonas Donizette (PSB), anunciou na tarde desta quarta-feira a redução na tarifa de ônibus da cidade de R$ 3,30 para R$ 3,20. O novo preço da passagem passa a valer no dia 30 de junho. 'Em virtude da desoneração do PIS e do Cofins que foi divulgada pela presidenta Dilma (Rousseff), fizemos estudos na cidade de Campinas e vamos rebaixar o preços da passagem de ônibus. O preço estava caro. Para mim, era muito incômodo esse valor que tinha subido na gestão passada. Eu achava salgado R$ 3,30. Agora estamos diminuindo os R$ 0,10, porque para o trabalhador, faz diferença', afirmou.

Sobre os protestos contra o aumento de tarifa, o prefeito defendeu que têm que ser respeitados, desde que sejam pacíficos. 'Mas tem havido excessos. Hoje (12), vimos um policial sendo agredido por um grupo de manifestantes, isso é inaceitável, Todo protesto tem limite, ele tem que ter ordem. Aqui nos antecipamos, não aconteceu e espero que não aconteça.'

Pela internet um grupo de manifestantes se organiza para um protesto no dia 20. Mais de 1 mil pessoas confirmaram presença. Sobre a decisão de algumas prefeituras, em maioria de prefeitos petistas, ter reduzido a tarifa, Donizette defendeu que a decisão não é partidária. 'Não sou do PT e estou tomando essa decisão. No governo, partido a gente tem para disputar a eleição. Foi uma mensagem minha para a população que teríamos um bom grau de convivência tanto com o governo estadual como com o governo federal', disse o prefeito, ao defender que outras prefeituras podem determinar a redução com base na desoneração do PIS e do Cofins, independente de partido.

O aumento foi comunicado aos empresários do setor do transporte em uma reunião na terça-feira, 11. 'Houve da parte deles reivindicações que eu decidi não atender. O fato da desoneração em si era suficiente para que fizéssemos o rebaixamento. Eles alegaram que teve recentemente o aumento do preço do diesel e também o dissídio salarial dos trabalhadores que foi de 8%. Mas estamos fazendo esse rebaixamento, sem mexer em nenhum outro ponto financeiro', explicou o prefeito.

As empresas chegaram também a pedir aumento no subsídio pago pela prefeitura, que hoje é de R$ 2,1 milhões por mês. Os empresários alegaram, segundo o prefeito, que com a redução de R$ 0,10 na tarifa eles terão um prejuízo mensal de R$ 870 mil. A Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc) informou que com a redução da passagem elas receberão com os 8,7 milhões de passageiros ano R$ 30 milhões - já com os subsídios - enquanto o custo do sistema, já com a desoneração dos PIS e Cofins, será de R$ 33 milhões.

'O desequilíbrio econômico financeiro da prefeitura com as concessionárias vai aumentar. As empresas esperam que a prefeitura passa a fazer a parte dela, desonerando o ISS de 2% e retirando a taxa de gerenciamento, que também é de 2%. E que o governo do Estado desonere o ICMS do diesel', afirmou o diretor de Comunicação da Transurc, Paulo Bardall.

Informações: Diário da Manhã

READ MORE - Prefeito de Campinas anuncia redução da tarifa de ônibus

Passe livre de ônibus custaria R$ 5,5 bilhões para São Paulo

Cinco bilhões e meio de reais: este seria o gasto anual da prefeitura para implantar a tarifa zero nos ônibus de São Paulo, uma das reinvindicações do Movimento Passe Livre, que tem realizado protestos para reduzir ou zerar o preço das passagens de ônibus na cidade. 
Grmisiti/Flickr
Este ano, de acordo com dados da prefeitura, o município deve gastar R$ 1,25 bilhão para financiar o preço da tarifa atual de R$ 3,20. Sem o subsídio de 93 centavos, o usuário do sistema de ônibus da cidade pagaria R$ 4,13, segundo informações da prefeitura. 


Para determinar o valor, governo e empresas somam os custos para pôr os ônibus na rua ao lucro previsto pela iniciativa privada. O resultado desta soma é dividido pelo número aproximado de usuários. Quando o valor fica muito alto, a prefeitura entra com uma parte do dinheiro para diminuir o preço das passagens (o chamado subsídio). 

Para que a tarifa voltasse a custar R$ 3, o munícipio teria que desembolsar aproximadamente R$ 1,5 bilhão do orçamento.

Tarifa zero

Creso Peixoto, especialista em transportes e professor de engenharia civil na FEI (Faculdade de Engenharia Industrial), afirma que a adoção da passagem gratuita implicaria em multas por descumprimento de contrato para a prefeitura e reorganização do orçamento do município.

"Se a catraca fica livre, alguém tem que pagar a conta", disse Peixoto. E caso isso aconteça, o principal prejudicado será o contribuinte – que terá de pagar mais impostos para tapar o rombo.

O especialista acredita que outras cidades podem inspirar São Paulo a resolver seu problema de transporte público. "Em Londres, a passagem unitária custa 4 libras (cerca de R$ 13,50)", afirma ele. Entretanto, o bilhete vale não por uma viagem, mas por um determinado período de tempo – o que barateia a circulação. Paris tem um sistema parecido, no qual a tarifa é cobrada do usuário apenas uma vez ao dia. 

"Modelos de transporte que cobram mais de quem usa menos podem cobrar menos de quem usa mais", resume o especialista.

Outras soluções

Outra solução para a cidade é o investimento nas várias modalidades de transporte de massa. Segundo Peixoto, cada quilômetro de metrô instalado custa cerca de 100 milhões de dólares. Já no caso do VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos ou, simplesmente, bonde), o valor cai para 50 milhões de dólares. Corredores expressos de ônibus ainda são a alternativa mais barata, custando 15 milhões de reais por quilômetro instalado. 

Por Saulo Pereira Guimarães
Informações: Exame Abril
READ MORE - Passe livre de ônibus custaria R$ 5,5 bilhões para São Paulo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960