Operação do metrô curitibano vai custar R$ 170 milhões por ano

sexta-feira, 22 de junho de 2012


A operação dos primeiros 14,2 quilômetros do metrô de Curitiba deve custar R$ 170 milhões por ano, segundo projeções feitas pela prefeitura. O edital da licitação que definirá qual concessionária administrará o trecho, que vai da estação CIC-Sul até a Rua das Flores, no Centro da capital, está em fase de consulta pública. O documento prevê a construção do modal (em até quatro anos) e a concessão da operação por três décadas, bem como determina que a vencedora seja a que oferecer o menor valor de tarifa técnica por passageiro, cujo valor máximo é de R$ 1,81. O custo total do metrô curitibano será de R$ 2,33 bilhões.

Para aumentar a rentabilidade da concessão, o executivo municipal também aposta na agilidade da concessionária em executar a obra, já que, quanto mais cedo a construção for finalizada, maior a possibilidade de lucro da empresa, que poderá explorar por mais tempo o serviço. A secretária municipal de Administração, Dinorah Botto Portugal Nogara, explica que a concessão, baseada em um modelo de parceria público-privada (PPP) patrocinado, não poderá ser prorrogada. Após os 34 anos de concessão, o poder público pode assumir a administração do metrô ou lançar nova concorrência.

Ainda de acordo com Dinorah, a secretaria está recebendo muitas sugestões e dúvidas em relação ao edital e deve prorrogar, por mais trinta dias, o período de consulta pública ao documento. A expectativa do município é de que até o fim do ano já exista um vencedor da concorrência, para que as obras possam começar em 2013.


Custo
A tarifa técnica contempla, além do custo operacional do sistema, que é mais baixo por causa da verba de R$ 1 bilhão repassada a fundo perdido pelo governo federal, o lucro da concessionária, com uma taxa interna de retorno (TIR) de 6,5% ao ano. Segundo Wilson Justus, superinten­­dente de concessões da Secretaria Municipal de Administração Pública (Smad), a operação do sistema vai custar R$ 1,15 por­ ­­passageiro, somado a R$ 0,66 de retorno para a concessionária.

O advogado Rodrigo Pi­ronti, doutorando em Direito Econômico e professor de Direito Administrativo, lem­bra que o valor da tarifa técnica poderá ser inferior, dependendo dos lances ofertados pelas empresas. Na opinião do advogado, como o metrô será integrado ao sistema de ônibus, com o pagamento de uma única passagem pelo usuário, não há risco de não atratividade do sistema. “Além disso, a taxa interna de retorno do projeto é bastante atrativa ao mercado”, pondera.

Para o professor Garrone Reck, do Departamento de Transportes da Universidade Federal do Paraná (UFPR), é preciso ter clareza para definir como será feita a integração dos dois sistemas, considerando que enquanto a obra não estiver finalizada os ônibus vão continuar trafegando pelas canaletas exclusivas. O metrô passará embaixo das faixas que hoje são exclusivas para os biarticulados, e o local por onde passam os ônibus será destinado para o uso das pessoas. “O metrô é uma obra complexa e de impacto prolongado. Podemos saber quando vai começar, mas é difícil prever quando termina”, analisa.

Cidades optam por modelos distintos
O modelo de parceria público-privada (PPP) adotado por Curitiba é bem diferente do escolhido por outras capitais. Em São Paulo, por exemplo, a gestão de quatro linhas do metrô é pública, feita pela Companhia do Metropolitano de São Paulo. Apenas uma linha, a Amarela, inaugurada em 2010, é operada em regime de concessão.

Município contemplado pelo mesmo pacote de recursos federais que beneficiou Curitiba, Belo Horizonte também optou por um caminho diferente. Na capital mineira, que já possui rede metroviária administrada pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), a gestão é participativa, mas a administração é pública, embora a empresa seja de economia mista. O mesmo modelo será aplicado na ampliação da rede.

Consulta pública
Edital é alvo de questionamentos


O período de consulta pública ao edital do metrô tem movimentado setores da sociedade civil interessados na construção do modal. Um exemplo do interesse pelo projeto é o documento com sugestões e questionamentos protocolado nesta semana por sindicatos e entidades representativas. A principal dúvida refere-se à composição da tarifa técnica. “Não sabemos como foi criado esse item, quais os critérios e parâmetros que serviram de base para chegar a esse valor. Se você não sabe quais são os custos, é complicado para investir”, analisa Fabiano Camargo da Silva, economista do Dieese e assessor do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Paraná (Senge-PR), uma das entidades que assinam o documento.


A oportunidade de questionar e sugerir modificações ao edital foi avaliada positivamente por Ulisses Kaniak, presidente do Senge-PR. Para ele, o metrô é um meio de transporte muito importante e Curitiba já deveria contar com essa opção de modal. “Em nome da sociedade, temos de prezar para que tudo ocorra de forma clara e com menor custo para que a população usufrua sem que paire nenhuma dúvida sobre a transparência do processo”, diz.


Indicadores de qualidade


Assim como ocorreu com a licitação do sistema de ônibus da capital, indicadores de qualidade do serviço de metrô também podem influenciar a remuneração da concessionária responsável pela operação do modal. O poder público vai fiscalizar o serviço com base em seis indicadores, já definidos no edital de licitação: cumprimento de viagens, reclamação dos usuários, falhas em veículos e sistemas de controle e fiscalização, disponibilidade de veículos e de estações e terminais de integração, e autos de infração.


Cada descumprimento dos indicadores representará um desconto de 2% do valor mensal bruto na remuneração devida por meio da tarifa técnica. O valor máximo a ser descontado é 12%. 


Continuação
Não há previsão para obras da segunda etapa do metrô


A Linha Azul do metrô deverá ter ao todo 22 quilômetros de extensão, ligando o bairro CIC ao Santa Cândida. A construção e operacionalização dos 7,8 quilômetros restantes, entre o centro e a zona Norte da cidade, ainda não tem previsão de sair do papel. O Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) já conta com estudos sobre a implantação da segunda fase do sistema, mas não é possível estimar quando a linha será concluída, porque o município depende da arrecadação de recursos para a obra. Para a conclusão do traçado, um novo edital será lançado. 


Segundo o presidente do Ippuc, Cléver Ubiratan Teixeira de Almeida, o trecho do eixo Norte-Sul é o único que preenche os requisitos para receber o transporte metroviário. “Nenhuma outra linha tem demanda suficiente para a implantação de um metrô”, diz. (FT)


Impacto
O efeito das obras no cotidiano da cidade não pode ser previsto, apesar de vários cenários elaborados pelo poder público. Embora o projeto inicial pressuponha a construção do metrô em três sistemas – elevado, cut and cover (corta e cobre) e túnel –, o edital deixa a escolha da tecnologia de construção em aberto. A empresa vencedora pode optar por melhorias no projeto, desde que não representem custos adicionais. 



Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Operação do metrô curitibano vai custar R$ 170 milhões por ano

Fortaleza: Empresa de ônibus paralisa 100% das atividades por conta de greve e licitação


Os motoristas de ônibus da empresa Montenegro, situada na Vila Pery, na Capital, paralisaram todas as suas atividades na manhã desta sexta-feira (22). Além do movimento grevista, os manifestantes reclamam que a empresa é uma das oito que irá deixar de operar a partir do dia 1º de julho, por conta da última licitação, assinada no fim do mês de maio.

Os funcionários da empresa afirmam que não sabem como vai ficar sua situação a partir da data e estão acampados na porta da empresa. Todos os ônibus da Montenegro estão estacionados dentro do pátio. Apenas profissionais internos estão trabalhando, a portas fechadas. A Moradores dos bairros Conjunto Esperança, Novo Mondubim, Parque Santa Rosa, Parque São José e Vila Pery, que são atendidos pela empresa, reclamaram da falta de transporte nesta manhã.

Em 19 de abril, a Prefeitura divulgou o resultado final da licitação, que apontou as oito empresas que estarão excluídas do sistema de transporte a partir de julho. Serão elas a Asa Azul, Expresso Timbira, Montenegro, Maratur, São Benedito, São Francisco, São José e Transpessoa.

Em 31 de maio, foram assinados os contratos das empresas Aliança, Auto Viação Fortaleza, Auto Viação São José, Cearense, Dragão do Mar, Fretcar, Maraponga, Rotaexpressa, Santa Cecília, Santa Maria, Siará Grande,  Terra Luz, Vega e Viação Urbana. Estas, continuarão servindo à população de Fortaleza e Região Metropolitana.

Fonte: Diário do Nordeste

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Fortaleza: Empresa de ônibus paralisa 100% das atividades por conta de greve e licitação

Brasil e Turquia negociam parceria para o trem-bala

A Turquia poderá ser parceira do Brasil na construção do trem-bala que ligará Rio a São Paulo, informou o ministro de Relações Exteriores, Antônio Patriota, após café da manhã entre Dilma Rousseff e o primeiro-ministro turco, Tayyip Erdogan.

O projeto do TAV (Trem de Alta Velocidade) nacional, que já teve cronograma adiado várias vezes, terá um custo total superior a R$ 40 bilhões. A primeira fase de licitação está prevista para outubro.

Segundo Patriota, os dois países pretendem elevar o comércio bilateral dos US$ 3 bilhões atuais para US$ 10 bilhões. O ministro não detalhou, contudo, qual seria o prazo para atingir essa meta.

Um dos setores que deve contribuir para esse incremento é o de transportes, onde se incluem trens de alta velocidade, segmento no qual a Turquia tem experiência.
“A ideia é fortalecer a relação entre o Brasil e a Turquia”, afirmou Patriota. Segundo ele, os compromissos bilaterais assumidos no encontro serão detalhados em um documento a ser divulgado ainda nesta manhã.

Além de transportes, os dois países se comprometeram a cooperar no setor de construção de moradias populares. A Turquia, segundo Patriota, tem uma experiência semelhante ao projeto brasileiro Minha Casa Minha Vida.

Também foram abordados investimentos na área de petróleo e gás, além de propostas de cooperação na área de defesa. Patriota afirmou, no entanto, que a reunião não discutiu assuntos políticos.
“De maneira geral, o documento fala em cooperação em infraestrutura, onde se incluem portos e aeroportos”, afirmou Patriota.
O café da manhã aconteceu no hotel onde Dilma está hospedada por volta das 9h, antes da presidente sair para o evento da Rio+20.

Fonte: Folha de S. Paulo, Por Denise Luna
READ MORE - Brasil e Turquia negociam parceria para o trem-bala

Metrô de SP realiza nova sessão de testes do novo sistema de controle de trens na Linha 2- Verde

O Metrô dará continuidade, no próximo domingo, dia 24, aos testes para o funcionamento do sistema CBTC (em português, Controle de Trens Baseado em Comunicação) na Linha 2- Verde. Nesse dia, para a execução dos testes, as estações Vila Prudente, Tamanduateí e Sacomã ficarão fechadas ao público das 4h40 até o meio-dia.

Durante o período de interrupção comercial da circulação de trens, os usuários serão atendidos gratuitamente por ônibus do sistema PAESE (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência), que cobrirão o percurso do trecho interrompido.

O CTBC é considerado o sistema de controle de trens mais moderno do mundo e está em operação em linhas de metrôs nas cidades de Nova York, Londres e Paris, entre outras. Quando esse sistema estiver funcionando plenamente, o intervalo entre um trem e outro será reduzido e a capacidade de transporte ampliada em cerca de 20%.

Os dias escolhidos para a realização dos testes são domingos e feriados, devido ao menor número de usuários que utilizam os trens e estações metroviárias. Sempre com antecedência, o Metrô avisará aos usuários pelos sistemas de som das estações, dos trens e também por meio de cartazes nas estações, qual o trecho e horário da realização dos testes e da necessária interrupção da operação comercial.

Fonte: Metrô SP
READ MORE - Metrô de SP realiza nova sessão de testes do novo sistema de controle de trens na Linha 2- Verde

Rio+20 tem seis ônibus Scania a etanol, Veículos reduzem em até 90% as emissões de CO2

Na Rio+20, evento que está acontecendo no Rio de Janeiro (RJ), a Scania está presente com seis ônibus movidos a etanol, que fazem o transporte dos participantes da conferência. Os veículos estão realizando um percurso que contempla o Riocentro, o Autódromo, o Parque dos Atletas e a Arena HSBC. Eles vão circular até dia 22, data de encerramento do encontro.

No evento, estão presentes dois modelos K 270 6x2 de 15 metros com piso baixo, disponibilizados pela Viação Tupi Transportes, e dois K 270 4x2, cedidos pela Viação Metropolitana, todos com motores de 9 litros e 270 cavalos de potência. Essas companhias operam os 60 ônibus movidos a etanol que já circulam em São Paulo (SP) no Projeto Ecofrota. Os outros dois veículos foram disponibilizados pela própria montadora com a identificação “Etanol é Agora!”.

Os modelos atendem à legislação Euro 5 e são capazes de reduzir em até 90% a emissão de CO2 na atmosfera. Esse combustível renovável também proporciona a redução de material particulado, NOx (óxidos de nitrogênio) e hidrocarbonetos.
“O etanol oferece a melhor relação custo-eficiência, além de apresentar alta disponibilidade e reduzir significativamente as emissões de gases poluentes”, afirma Wilson Pereira, gerente executivo de Vendas de Ônibus da Scania Brasil.

O Brasil é o primeiro país da América Latina a utilizar ônibus movido a etanol e a Scania foi a única montadora a desenvolver e disponibilizar o produto no mercado nacional.
“O ônibus movido a etanol reforça a postura da Scania de investir em soluções sustentáveis de transporte. Essa tecnologia contribui para a melhoria da qualidade do ar nas cidades, mas sem eliminar as características dos veículos da marca, como excelente produtividade e desempenho”, diz Marcelo Montanha de Oliveira, gerente de Ônibus da Scania para América Latina.

Além da Viação Metropolitana e da Viação Tupi Transportes, a Clariant, empresa de especialidades químicas com atividade internacional, também contribuirá para a iniciativa com o fornecimento do aditivo Master Batch ED 95, produzido no Brasil e necessário para o funcionamento dos veículos que utilizam etanol.

Informações: WebTransport
READ MORE - Rio+20 tem seis ônibus Scania a etanol, Veículos reduzem em até 90% as emissões de CO2

Prefeitura de Porto Alegre fecha parceria com ATP para agilizar projetos do BRT

A prefeitura e a Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP) fecharam acordo de cooperação técnica, nesta quinta-feira (21), para viabilizar os projetos arquitetônicos para as 77 estações e cinco terminais de integração do Sistema BRT (Bus Rapid Transit). Conforme a parceria, a entidade doará ao município os estudos para a padronização dos mobiliários no novo sistema de transporte coletivo da Capital.

Conforme nota da prafeitura, as propostas serão elaboradas por profissionais contratados pela ATP, alinhados aos critérios técnicos trabalhados junto à equipe da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

Conforme o presidente da associação, Ênio dos Reis, a intenção é contribuir para agilizar a preparação do sistema BRT. "Os projetos visam ao futuro do transporte coletivo de Porto Alegre. Será uma colaboração para viabilizar ações da prefeitura que irão qualificar a mobilidade urbana", afirmou o dirigente.
"A entidade vai dar uma importante contribuição no desafio de pensar as novas estruturas de forma a atender as necessidades dos usuários, com acessibilidade, conforto e agilidade, compondo ainda de forma harmônica a paisagem urbana”, afirmou o prefeito José Fortunati.

As obras do sistema de transporte BRT já estão em desenvolvimento nos corredores de ônibus das avenidas Protásio Alves e Bento Gonçalves. O projeto de qualificação do transporte coletivo prevê corredores exclusivos para ônibus; veículos de grande capacidade e baixas emissões de poluentes; estações fechadas e seguras, com a possibilidade de passagens pré-pagas; soluções para uma rápida entrada e saída de passageiros; informações aos passageiros e controle de tráfego em tempo real; sinal de trânsito prioritário nos cruzamentos; garantia de maior acessibilidade; passagem única e livre transferência de passageiros entre linhas de ônibus.

Fonte: Jornal do Comércio
READ MORE - Prefeitura de Porto Alegre fecha parceria com ATP para agilizar projetos do BRT

Prefeitura de São Paulo implanta 11,3 km de Corredores de ônibus na Cidade

A Prefeitura de São Paulo, através da Secretaria Municipal de Transportes, da SPTrans e da CET, implantou neste final de semana, 16 de junho, os primeiros 11,3 km de corredores exclusivos, de um total de 130 km de corredores de ônibus à direita que serão instalados até o final do ano, em todas as regiões da Cidade. O objetivo é dar maior fluidez ao transporte coletivo, diminuindo o tempo de viagem.

Essa implantação faz parte dos trabalhos iniciados em 2011 para aumentar a velocidade dos ônibus do sistema municipal de transportes em 15% até o fim deste ano. Esse estudo já resultou na implantação de faixas exclusivas em vias como a Radial Leste, rua Domingos de Morais e ruas Borges Lagoa e Pedro de Toledo.
A relação das seis faixas exclusivas de ônibus entregues neste final de semana segue na tabela abaixo. As faixas funcionam entre 6h e 20h de segunda a sexta-feira, exceto na Teotônio Vilela, que será em tempo integral. Técnicos de campo da CET e da SPTrans vão acompanhar as mudanças e orientar motoristas e usuários.

Desde 2011 a Prefeitura, por meio da SPTrans e da CET, vem implantando faixas exclusivas e preferenciais visando priorizar o transporte público na Cidade. No período, os ônibus passaram a trafegar com exclusividade à direita nas seguintes vias:

Rua Borges Lagoa / Rua Pedro de Toledo - 1,6 km; Radial Leste - 8 km; Rua Domingos de Morais - 0,55 km; Av. Vereador José Diniz - 1,8 km; Ponte do Socorro - 0,5 km; Rua Almirante Brasil - 0,185 km.
Também foi entregue uma faixa reversível para ônibus na Av. Ordem e Progresso, com 1,2 km de extensão, que é ativada durante o horário de pico da manhã.

Assessoria de Imprensa - SPTrans
Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Prefeitura de São Paulo implanta 11,3 km de Corredores de ônibus na Cidade

VLTs são reforço durante paralisação de ônibus em Fortaleza

Durante a greve dos motoristas e cobradores de ônibus, mais três Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs) vão circular na operação assistida que acontece na Linha Sul do Metrô de Fortaleza, entre as estações Carlito Benevides (Pacatuba) e da Parangaba (Fortaleza).
Além do horário das 8h ao meio-dia, a operação dará um reforço no horário de pico, compreendido entre as 16 horas e 19 horas. A medida beneficia os moradores de três municípios cearenses 9Pacatuba, Maracanaú e Fortaleza).

Segundo informações da Gerência de Controle e Tráfego do Metrô de Fortaleza, serão disponibilizados três VLTs, cada um com capacidade de transportar 776 passageiros por viagem. A estimativa é que haja partidas a cada 20 minutos. Não haverá cobrança de passagem aos usuários. Dois VLTs entram em operação nesta quinta-feira, 21. O terceiro, nesta sexta-feira, 22.
Greve
No primeiro dia de greve dos motoristas e cobradores de ônibus em Fortaleza, a linha Oeste do metrô registrou aumento no número de passageiros utilizando o transporte. Segundo balanço do Metrofor, houve um aumento de 50% no número de pessoas circulando, nesta quarta-feira, 20.

A linha, que liga Fortaleza a Caucaia, transporta, em média, 12 mil pessoas por dia. Nesta quarta-feira, 20, foram transportadas 18.407 passageiros nas 40 viagens realizadas.

Fonte: O Povo Online
READ MORE - VLTs são reforço durante paralisação de ônibus em Fortaleza

Na Bahia, Governo lança consulta pública para metrô da Paralela

Foi lançado nesta quinta (21) o Edital de Consulta Pública do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas (linha 2 do Metrô). O lançamento foi realizado em evento no Hotel Fiesta, com a presença do governador Jaques Wagner e do secretário de Desenvolvimento Urbano, Cícero Monteiro.
As obras de implantação da linha que deve ligar o aeroporto ao Acesso Norte serão executadas através de uma Parceria Público-Privada (PPP). O Edital ficará em consulta pública durante 60 dias e, ao final deste período, as contribuições serão analisadas para formulação do Edital de Licitação, que será lançado em seguida.
A previsão é que em novembro deste ano seja realizado um Pregão na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), definindo o vencedor. A PPP também incluirá a complementação da linha 1, no trecho de 5,6 km entre o Acesso Norte e Pirajá, com mais três estações. A primeira parte da linha 1, entre a Lapa e o Acesso Norte, tem 6,6 km e está em obras há 12 anos.

Informações: Correio 24 Horas
READ MORE - Na Bahia, Governo lança consulta pública para metrô da Paralela

Novo secretário nacional de transporte e mobilidade urbana afirma que dará celeridade aos projetos da área

Há menos de um mês no cargo, o novo secretário nacional de transporte e da mobilidade urbana, Júlio Eduardo dos Santos, afirmou que o principal objetivo neste momento, em sua gestão, é dar agilidade aos processos de obras que tramitam em suas diretorias, para que os benefícios sejam usufruídos o mais rápido possível pela população.

À frente de importantes projetos para o desenvolvimento do país, como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Grandes Cidades, PAC Pavimentação e das obras de mobilidade urbana para Copa do Mundo, Júlio Eduardo pretende destinar uma atenção especial a esses projetos. “Todos da Semob estão trabalhando intensamente em um novo relatório desses projetos. Serão informações importantíssimas que deveremos manter sempre atualizadas para que respaldem o ministério nas tomadas de decisão rápidas e manter a sociedade conhecedora de todos os seus desenvolvimentos”, disse.

Ele destacou que, após uma avaliação criteriosa das necessidades, pretende reestruturar toda a secretaria estabelecendo métodos mais efetivos para o atendimento das demandas. “A secretaria está recebendo novos projetos de grande impacto para sociedade. Por isso, precisamos estar preparados. Como bem disse o ministro Agnaldo Ribeiro, em sua posse, “gestão” é a palavra chave e, com uma boa gestão, você consegue multiplicar o desempenho dos técnicos, para atender mais e colher melhores resultados. O corpo técnico do Ministério das Cidades é de primeira qualidade e, para obter esses resultados, não basta somente o envolvimento deles, precisamos sim, valorizá-los e ter seus comprometimentos. Esta será minha grande tarefa junto a eles”, observou.

Júlio Eduardo ressaltou, ainda, que os planos estabelecidos pelo Governo Federal para melhorar o transporte e a mobilidade urbana no país são muito bons e que pretende dar maior apoio aos municípios e aos estados em sua gestão, através de investimentos, treinamentos e capacitação para o desenvolvimento de projetos da área. “A nossa obrigação é levar o que temos de melhor a todos os nossos parceiros, para que possam estar preparados para as demandas na área. Temos que informar aos municípios que, hoje, existe a Lei de Mobilidade Urbana, recentemente aprovada, que define novos padrões de atuação e suas responsabilidades. Além disso, mostrar que eles têm linhas de crédito, que podem investir com segurança e que terão nosso apoio em todas as etapas do processo”, destacou.

Para o novo secretário, o Ministério das Cidades precisa atuar, firmemente, antes da assinatura dos contratos de obras com os municípios. “A nossa função é dar suporte aos municípios para que tenham facilidade no preenchimento dos pré-requisitos e na apresentação da documentação necessária exigida pelo Governo, evitando a perda de prazos. A sociedade não tem interesse nos problemas intermediários, ela quer a obra pronta. Evitar os gargalos que levam a perda de tempo é a nossa tarefa e obrigação”, acrescentou.

O secretário frisou que os projetos devem dar atenção especial à acessibilidade. “Todos os projetos somente são aprovados se estiverem enquadrados na legislação específica de acessibilidade em vigor, que contempla as facilidades para o atendimento desta situação. O transporte e a mobilidade urbana devem estar preparados para que todos possam utilizá-los, independentemente de suas limitações”, enfatizou.
O novo secretário lembrou, também, do discurso do ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, em abril deste ano, na cerimônia de lançamento do PAC Mobilidade Grandes Cidades, na qual ele destacou o tempo perdido diariamente por um trabalhador em sua vida no percurso de casa ao trabalho.

“Nosso objetivo é reduzir esse tempo, por meio da implantação ou melhorias nos modais de transporte urbano. É difícil, mas não é impossível fazer com que as pessoas utilizem o transporte coletivo. Isso só vai acontecer no dia em que elas se sentirem bem com a mudança, através de opções seguras e de qualidade. Este é o nosso desafio e daqueles que querem uma qualidade de vida melhor para toda sociedade, principalmente aquela parcela que mais precisa”, afirmou.

Por fim, Júlio Eduardo alertou para necessidade e obrigação da sociedade pensar em modais de transporte e de mobilidade urbana não poluentes, através de novas matrizes energéticas menos poluentes e o incentivo do transporte individual não motorizado como o caminhar e a utilização de bicicletas. Segundo ele, é fundamental a participação da sociedade civil organizada nas decisões dessa área: “A secretaria sempre estará aberta às sugestões vindas através do Conselho das Cidades e participará intensamente com os conselheiros naquilo que seja para o bem comum da sociedade”.

Júlio Eduardo foi empossado pelo ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, no último dia 23 de maio.

Informações: Ministério das Cidades
READ MORE - Novo secretário nacional de transporte e mobilidade urbana afirma que dará celeridade aos projetos da área

Porto Alegre: Empresa de transporte Carris comemora 140 anos

A empresa de transporte coletivo de Porto Alegre, Carris, comemorou os 140 anos de serviços completados esse ano, em solenidade na sua sede, em Porto Alegre, nesta quinta-feira (21). Criada em junho de 1872, a empresa serve a cerca de 300 mil passageiros por dia, percorrendo 75 quilômetros todos os dias e contando com quase 2 mil servidores, 362 veículos e 28 linhas.

Mais antiga empresa de transporte coletivo do País em atividade, a Carris nasceu com a autorização do imperador Dom Pedro II, via decreto, publicado em 19 de junho de 1872. Hoje, a companhia tem mais de 200 dos seus 362 veículos com acessibilidade, enquanto 100% da frota opera com biodiesel.

Conforme o prefeito José Fortunati, a atuação da Carris combina investimento na renovação da frota, com recursos de acessibilidade e sustentabilidade, qualificação dos profissionais e instrumentos modernos de gestão. "O referencial de qualidade é presente a partir de quem atua nas viagens, na manutenção dos veículos e nas diversas etapas que viabilizam o serviço prestado aos 300 mil passageiros diários de Porto Alegre e também da Região Metropolitana", avaliou o prefeito.

A comemoração incluiu a apresentação do livro alusivo aos 140 anos, inauguração da galeria de ex-presidentes e apresentação de peça de teatro encenada pelos colaboradores e dirigida pelo gaúcho Flávio Bicca. Nesta quinta, a partir das 14h30, a Carris será homenageada na Câmara Municipal, em ato no Plenário Otávio Rocha.

Para o presidente da Carris, Sérgio Zimmermann, a companhia desenvolveu-se ao longo dos 140 anos pautada pelo desafio de antecipar as inovações para o transporte coletivo. Zimmermann resgatou o início da operação em 1872 com bondes puxados por tração animal, destacando projetos que se consolidaram na rotina dos usuários, como as linhas T, que ligam os bairros sem passar pelo Centro. "É com essa dimensão de serviço que os colaboradores fazem da empresa referência nacional, com foco na prestação de um bom serviço aos cidadãos", manifestou o dirigente.

Entre os funcionários, Valfrido Borges da Silva, motorista da Carris há 35 anos, recebeu a comenda Dom Pedro II, criada especialmente para a data em reconhecimento a personagens que contribuíram para a trajetória da companhia. A homenagem foi concedida a um conjunto de parceiros e autoridades, como o prefeito José Fortunati e o ex-prefeito José Fogaça. 
Conforme a prefeitura, a missão da Carris é transportar pessoas com qualidade, contribuindo com a mobilidade urbana. O Executivo ainda destacou a Linha C4 Balada Segura, que facilita o deslocamento de trabalhadores e frequentadores das regiões boêmias de Porto Alegre.

Informações: Jornal do Comércio

READ MORE - Porto Alegre: Empresa de transporte Carris comemora 140 anos

Itinerários do transporte coletivo em Cuiabá sofrem alterações

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes Urbanos (SMTU) informa que algumas linhas do transporte coletivo de Cuiabá tiveram seu itinerário e frequência alteradas.  Intervenções realizadas no nas vias públicas por empresas contratadas pela SECOPA, como as interdições parciais e totais na Avenida Miguel Sutil (trincheiras), bem como obras de prolongamento e asfaltamento de vias na região do Coxipó, fizeram com que os ônibus, em alguns casos, contornem trechos de suas rotas tradicionais.

A linha intermunicipal Várzea Grande - Cuiabá via Nova Esperança (A-08), por exemplo, ao acessar o bairro Verdão vindo de Várzea Grande não irá percorrer parte da perimetral e entrar pela rotatória do bairro Santa Isabel, parando em frente à policlínica do Verdão. Entrará pela Rua Dom Luiz de Castro e sairá em frente ao ginásio poliesportivo Aecim Tocantins, cerca de 200 metros abaixo da policlínica, em direção ao centro de Cuiabá.

Ao todo, cinco linhas municipais tiveram itinerários alterados por conta das intervenções viárias. Essas alterações de itinerário levam, consequentemente, à supressão ou inclusão de novos pontos de embarque e desembarque, mas mantendo o mesmo sentido, fazendo com que o usuário necessite caminhar apenas algumas quadras a mais para atingir seu destino.

A cidade de Cuiabá recebe obras que tem por objetivo trazer mobilidade e maior acessibilidade a todos, conforto e segurança para os que se locomovem pela capital. As obras, durante sua execução, faz com que a frequência (tempo que cada carro ou ônibus passa de ponto em ponto) aumente.

A SMTU solicita paciência e compreensão dos usuários no momento em que a cidade busca contornar os transtornos vindos com as obras para a Copa de 2014. A secretaria orienta que os usuários repensem o modo de utilizar o transporte coletivo, buscando sair mais cedo de casa para não se atrasar a compromissos.

As alterações nos itinerários do transporte coletivo estão sendo feitas através de avisos nos ônibus, além de contatos diretos com representantes dos bairros afetados. O coordenador de fiscalização de Transporte Leopoldino Queiroz, informa que reclamações, informações ou sugestões podem ser feitas pelo fone 0800 65 1517.

LINHAS COM ALTERAÇÃO NOS ITINERÁRIOS

- 403 Pedregal X Centro
- 411 Renascer X Centro
- 306 CPA X grande Terceiro
- 503 Osmar Cabral X Centro
- 613 São Gonçalo X Beira Rio X Parque Geórgia X Chácara dos Pinheiros

Fonte: 24horasnews.com.br

READ MORE - Itinerários do transporte coletivo em Cuiabá sofrem alterações

Paulistano gasta até 4 horas por dia no trajeto casa-trabalho

Quem usa transporte público em São Paulo gasta até quatro horas por dia para ir ao trabalho e voltar para casa. A informação é da gerente-executiva da Associação Nacional dos Transportes sobre Trilhos (ANPTrilhos), Roberta Marchesi, que participou, nesta terça-feira (19), de audiência pública da Comissão de Desenvolvimento Urbano sobre as greves no transporte público do País. “O tempo que muitos brasileiros gastam no trajeto casa-trabalho é desumano”, declarou.
 


Segundo a dirigente, a solução para o problema está, em parte, no investimento em transporte de alta capacidade, como o metrô. “Dados do Ipea [Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada] de 2005 revelam que o transporte individual representava 49% da nossa matriz, o que gera o aumento da poluição e dos congestionamentos. É necessário mudar esse quadro”, destacou.

Outro estudo citado por Roberta mostra que, nas 20 maiores cidades do mundo, muita gente trabalharia mais se gastasse menos tempo no trajeto casa-trabalho. Em São Paulo, 14% dos pesquisados afirmaram estar dispostos a trabalhar mais; em Nova Deli, o número chegou a 40% da população.

Fonte: Força Sindical - 21/06/2012
READ MORE - Paulistano gasta até 4 horas por dia no trajeto casa-trabalho

Empresas de transporte coletivo de Fortaleza tem redução de ISS

A Câmara Municipal de Fortaleza (CMF) aprovou ontem a mensagem que praticamente isenta as empresas de transporte coletivo de Fortaleza de pagar o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS). O Projeto de Lei Complementar (PLC), encaminhado pela Prefeitura, reduz de 2% para 0,01% a alíquota do importo para as empresas do setor. A matéria gerou forte reação dos vereadores da oposição, que são minoria na Casa. Ao final, a mensagem teve 22 votos a favor, dois contra e uma abstenção.

Segundo o texto, devido ao interesse público, é preciso adotar “estratégias para a desoneração dos tributos de competência municipal, que repercutam diretamente no valor da tarifa repassada aos usuários”.

A matéria diz ainda que o ISS para o transporte público alternativo (como topics) será de 2%. A mensagem havia sido retirada de pauta na terça-feira por falta de um relatório sobre o impacto que a redução terá no orçamento do Município. Ontem, um documento foi anexado, mas, de acordo com os oposicionistas, não continha as informações financeiras necessárias.

“Os vereadores não sabem o que estão votando. Estão apenas cumprindo ordens da prefeita (Luizianne Lins)”, afirmou a vereadora Toinha Rocha. Segundo ela, o relatório foi anexado apenas momentos antes da mensagem ser votada e não foi analisada pelas comissões competentes. Toinha criticou ainda o conteúdo do projeto. “Os vereadores estão isentando os empresários de ônibus de pagar impostos”, afirmou. Toinha e os demais vereadores de oposição disseram que vão entrar com ação na Justiça contra a matéria.

O presidente da CMF, Acrísio Sena (PT), argumentou que a maioria dos vereadores havia concordado em votar a matéria da forma como estava. “O plenário é soberano e aceitou colocar em votação”, disse. Plácido Filho (PDT) também foi contrário ao projeto, classificado por ele como “imoral”. “Dá-se tudo aos empresários”, criticou.

O líder da prefeita na Câmara, Ronivaldo Maia (PT), rebateu as críticas. “Essa matéria é legal e prevê a desoneração de imposto, para facilitar a negociação que está em andamento”, afirmou, em referência à greve de motoristas e cobradores de ônibus. João Batista (PRTB), disse que a redução é “a única forma de segurar o congelamento do preço da passagem (de ônibus)”.

Por quê

ENTENDA A NOTÍCIA

Segundo a Prefeitura, a redução é necessária para que não haja aumento do preço da passagem de ônibus. A oposição, no entanto, considera a medida vantajosa apenas para os donos das empresas de ônibus.

READ MORE - Empresas de transporte coletivo de Fortaleza tem redução de ISS

Prefeitura de Campo Grande abre licitação do transporte público

Foi publicado na edição de hoje do Diário Oficial do município abertura de licitação, na modalidade concorrência, para concessão exclusiva do transporte coletivo urbano de Campo Grande. Atualmente, este serviço é prestado pelas empresas Jaguar, São Francisco, Viação Campo Grande, Cidade Morena e Serrana.

Mediante pagamento de R$ 3 mil, as empresas interessas podem adquirir a pasta contendo detalhes do procedimento e os requisitos necessários para participar da disputa. A documentação está disponível na Central Municipal de Compras e Licitações, que fica no Paço Municipal.
De acordo com o prefeito de Campo Grande, Nelsinho Trad (PMDB), o edital foi formulado depois de muito estudo, audiência pública e participação da sociedade civil. “Agora vamos ver o que conseguiremos positivamente para o município”, comentou.
Os documentos e as propostas entregues pelas empresas serão abertas pelo presidente da Comissão Especial de Licitação a partir das 14h do dia 14 de agosto.
Fonte: Correio do Estado
READ MORE - Prefeitura de Campo Grande abre licitação do transporte público

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960