Rio de Janeiro: Greve de ônibus vai prejudicar cerca de 3,5 Milhões de Passageiros

sábado, 22 de maio de 2010


O Sindicato dos Rodoviários ratificou, ontem à tarde, a decisão da categoria de entrar em greve por tempo indeterminado, a partir da zero hora de segunda-feira, no Rio de Janeiro. A primeira reação dos empresários foi chamar a polícia.

O presidente do Rio Ônibus, Lélis Teixeira, requisitou apoio da Secretaria de Segurança Pública contra os piqueteiros, para garantir o trabalho dos motoristas que não aderirem à paralisação e a saída dos veículos das garagens.

Os empresários também decidiram ir à Justiça contra o sindicato para que a greve seja decretada ilegal. O Rio Ônibus reclama do descumprimento do acordo coletivo firmado em março, pelo qual os rodoviários da capital receberam aumento salarial de 5% e seus colegas das outras cidades da Região Metropolitana ganharam 7%. Com isso, os salários foram equiparados, criando-se um piso regional.

Agora, a categoria reivindica reajuste de 15%, além de vale-refeição de R$ 150, auxílio para compra de uniforme e o fim da dupla função de motoristas que atuam como cobradores. Ao todo, há 40 mil profissionais na capital.

Metrô, trens e barcas são opção

A cidade tem uma frota de 6.800 ônibus, que transportam 3,4 milhões de passageiros por dia. Para amenizar os transtornos para a população, a Secretaria estadual de Transportes solicitou à SuperVia, à Barcas S/A e ao Metrô Rio o reforço de suas frotas, para dar opção a quem não puder ir para o trabalho de ônibus.

— A greve será por tempo indeterminado. Nem se pode dizer que os empresários fizeram uma contraproposta, de tão ridícula que era. Eles ofereceram um aumento no valor do tíquete-alimentação, de R$ 63 para R$ 70 — disse o diretor financeiro do sindicato, Samuel Freire de Souza.

Pressão de opositores
Em nota, o presidente do Rio Ônibus, Lélis Teixeira, reclamou que o acordo coletivo com os empregados foi homologado na Delegacia Regional do Trabalho. Quanto à requisição da polícia, Teixeira pediu para que “aja com o máximo rigor contra aqueles que estiverem de alguma forma prejudicando o bom andamento dos serviços prestados”.

A greve foi provocada por duas paralisações promovidas em abril por opositores do sindicato. O grupo criou outro sindicato, o Sintraturb, considerado ilegal pelo Ministério do Trabalho.


Fonte: Extra online
READ MORE - Rio de Janeiro: Greve de ônibus vai prejudicar cerca de 3,5 Milhões de Passageiros

Série Transporte pelo Mundo Chega a Washington



É fácil viajar em torno da área de Washington, DC utilizando os transportes públicos. Desde Washington, DC é freqüentemente o tráfego congestionado e o estacionamento é caro, tendo em transporte público pode ser uma forma conveniente para se locomover. Esportes, entretenimento, lojas, museus e atracções turísticas são acessíveis através dos transportes públicos. Pendulares para o trabalho de metrô, trem ou ônibus pode ser menos estressante e mais conveniente do que dirigir um carro a algumas áreas na região. Aqui está um guia para Washington, DC sistemas públicos de transporte.
O Washington Metropolitan Area Transit Authority (WMATA) fornece ônibus e serviço de transporte ferroviário em Washington, DC e Maryland e Virginia subúrbios. Metrobus funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana com cerca de 1.500 ônibus. Os intervalos de manutenção variam de acordo com a hora do dia e por semana / fim de semana para atender a demanda. Para Metrobus são designados com vermelho, branco, azul e sinais eo número de rota e destino são exibidos acima do pára-brisa e do lado de embarque do ônibus.


Metrobus Acessibilidade

Todos os ônibus da frota da Metro são acessíveis para pessoas com deficiência. Eles têm uma rampa de piso rebaixado ou elevador, equipado para torná-lo mais fácil de entrar e sair. As rampas dos ônibus de piso rebaixado pode ser operada manualmente, se o sistema hidráulico não. Lugares reservados para deficientes e de idosos está localizado nos bancos atrás do motorista do ônibus. Duas áreas de fixação da cadeira de rodas estão localizados perto da frente de cada ônibus e incluem baixos gravata e cinto de segurança subabdominal.
Washington, DC é uma das cidades mais acessíveis com deficiência no mundo. Este guia fornece informações sobre o transporte, estacionamento, acesso para as atrações populares, patinete e aluguel de cadeira de rodas, e muito mais.
O metrô de Washington é o sistema de metrô regional, oferecendo transporte limpo, seguro e confiável em todo o Washington, DC área metropolitana com cinco linhas de código de cores que se cruzam em vários pontos, tornando possível para os passageiros que trocar de trem e viajar para qualquer lugar no sistema.
Dizer que o tráfego é muito congestionado, em Washington, DC é um eufemismo. Para se locomover pela cidade, você deve ter paciência e um bom senso de direção. Estacionamento na rua é difícil de encontrar e mais garagens cobrar US $ 5 por hora ou US $ 20 por dia, equivalente a R$ 35 reais.
Para o recém-chegado, encontrar o caminho de volta pode ser muito confuso. A cidade é dividida em quadrantes, Nordeste (NE), Noroeste (NW), Sudeste (SE) e Sudoeste (SW). Estas seções da cidade se reúnem em torno do Capitólio E.U., que marca o centro da cidade. Endereços em Washington, DC incluem uma direção, que lhe diz que quadrante da cidade, o endereço é localizado dentro Você precisa ter cuidado porque o nome da mesma rua e número podem existir em, por exemplo, NE, bem como NW.
Você deve ter certeza de olhar para um mapa e planeje sua rota antes de aventurar-se a um novo local. Os semáforos da cidade estão nas laterais das estradas, em vez de cabeça. Tenha cuidado com os círculos de tráfego em toda a cidade. Você pode facilmente acabar no caminho errado, especialmente à noite quando os sinais podem ser difíceis de ler.
Washington, DC tem um sistema de ônibus para chegar ao redor do National Mall. DC Circulador Ônibus fornecer uma maneira barata de se locomover mais populares atrações da cidade. Os ônibus correm a cada 5 a 10 minutos e custam US $ 1 por viagem.
Metrô


A melhor maneira de obter toda a cidade e os subúrbios de Maryland e Virginia é por metro. O Washington Metropolitan Transit Authority é relativamente limpa e segura. Para encontrar as estações de metro, olhar para as colunas de alto marrom com o grande "M."

Metrô abre às 05h30 durante a semana e fins de semana 07:00. Ele fecha à meia-noite de domingo a quinta-feira. Na sexta-feira e sábado à noite, ele permanece aberto até 03:00 tarifas variam de preço de R $ 1,35 a $ 4,25 por base a distância da viagem. A menos que você quiser transportar os lotes de mudança, a certeza de ter abundância de US $ 1 contas para comprar seus bilhetes. As máquinas de bilhetes dará a você mudar para 5, 10 ou 20 notas de dólar, mas apenas nos bairros. As transferências são livres dentro do Metro.

cinco Metrorail diferentes linhas que passam em torno de Washington, Maryland e Virginia. Planeie a sua rota e certifique-se de perceber se é necessário alterar as linhas para chegar ao seu destino.
Uma vez que algumas áreas da cidade são uma longa caminhada das estações de Metro, autocarros e Circulador DC não correr toda a cidade, pode ser mais fácil chegar a alguns lugares por Metrobus. As paragens de ônibus tem o vermelho, branco e azul ou sinais de bandeiras. Quando o ônibus se aproxima da parada, olhar para o número de rota e destino exibido acima do pára-brisa. As tarifas variam de $ 1.25 a $ 3.10.

READ MORE - Série Transporte pelo Mundo Chega a Washington

Greve preocupa usuários do transporte coletivo de Marília


A greve anunciada pelos motoristas e cobradores da Circular, que inicia na segunda-feira, já preocupa a população que depende do transporte público para trabalhar. Mais de 43 mil pessoas utilizam diariamente o serviço. Apenas 35% dos 114 ônibus devem fazer as 51 linhas que cobrem a cidade. Zona sul, onde está a maioria das linhas, deve ser a mais prejudicada.
De acordo com a assessoria de imprensa da Circular, o esquema de transporte, vai depender de quantos funcionários não vão aderir à greve. Segundo o sindicato dos Motoristas, 50% dos 400 empregados vão participar.
A atendente Jociele Aparecida, 25 anos, moradora do bairro Fernando Mauro, necessita do transporte público diariamente para ir e voltar de seu trabalho, no centro. Ela ainda não sabe como fará nos dias de greve.
“Estou pensando em pegar mototaxi, porém não sei se terei condições de pagar e a pé é muito longe, levaria pelo menos uma hora e meia”, informa. Apesar da dificuldade que espera enfrentar, Juciele, está a favor da categoria. “A população será prejudicada, mas eles estão lutando por seus direitos”, destaca.
A moradora do bairro Santa Antonieta, Benedita Oliveira, 44, também pretende utilizar o mototaxi para ir trabalhar, mas não está irritada com o sacrifício que terá que fazer por reconhecer os baixos salários dos funcionários.
“A população que pagará o pato, porém se eu estivesse entre os funcionários da Circular, seria a primeira a levantar a bandeira”, ressalta.

Fonte: Jornal Diário
READ MORE - Greve preocupa usuários do transporte coletivo de Marília

Rio Ônibus vai entrar na Justiça contra greve dos rodoviários


Em nota divulgada pelo Rio Ônibus, o presidente Lélis Teixeira considera injustificada e ilegal a greve dos rodoviários marcada para segunda-feira. Ele argumenta que acordo coletivo entre os sindicatos patronal e dos trabalhadores acabou de ser assinado.

O Rio Ônibus informou ainda que solicitou apoio à secretaria de Segurança na segunda-feira e que vai entrar na Justiça para que a greve seja decretada ilegal.

O Sindicato dos Rodoviários entrará em greve a partir da 0h da próxima segunda-feira. A informação foi dada pelo blog Casos de Cidade. A paralisação, que poderá prejudicar 3,4 milhões de pessoas, acontece dois meses após o sindicato firmar um acordo coletivo, com aumento de 5% na capital e de 7% no Grande Rio.

Entre as principais reivindicações, estão reajuste salarial de 15% e o fim da dupla função para motoristas que fazem as vezes de trocador. O Rio Ônibus, que representa as empresas de viação, ainda não se manifestou sobre a nova greve.

A assembleia desta sexta foi provocada por opositores que tentam criar outro sindicato. O mesmo grupo paralisou 11 empresas no dia 12 de abril, num movimento considerado ilegal pela Justiça do Trabalho e que deixou 120 mil passageiros a pé.- Daquela vez, faltou muita gente à assembleia e começaram a parar empresa por empresa, através desse sindicato fajuto.

Além disso, sempre ganhamos mais do que os colegas da Baixada e tem patrão que não paga hora extra e nem cumpre o acordo coletivo. A categoria se revoltou - diz o presidente do sindicato, Antônio Onil da Cunha, o Branco.

No próximo dia 9, a prefeitura promete divulgar o edital de licitação das linhas de ônibus, mas o Tribunal de Justiça deve publicar na próxima segunda uma decisão da 12ª Câmara Cível condicionando-a à indenização das empresas que perderem suas permissões. A Procuradoria-Geral do Município só se pronunciará após ser notificada, mas o prefeito Eduardo Paes já disse ser contra.

Fonte: O Globo
READ MORE - Rio Ônibus vai entrar na Justiça contra greve dos rodoviários

Recife: Seis linhas de ônibus têm seus itinerários alterados na Avenida Bernardo Vieira de Melo


O Grande Recife Consórcio de Transporte irá modificar, a partir de amanhã (22/05), o itinerário de seis linhas que trafegam pela Avenida Bernardo Vieira de Melo. Com a alteração, as linhas passarão a trafegar pelas Avenidas Presidente Castelo Branco e Presidente Kennedy.

A mudança acontecerá em virtude da alteração do plano de circulação do trânsito feito pela Prefeitura de Jaboatão. As linhas 020-Candeias/Dois Irmãos, 070-Candeias/Joana Bezerra, 071-Candeias, 072-Candeias (Complementar), 910-Piedade/Rio Doce (Via Barra de Jangada) e 060-Conjunto Catamarã, que trafegam no sentido subúrbio/cidade não trafegarão mais pela Avenida Bernardo Vieira de Melo no trecho entre as ruas Capitão Médico Osias Ribeiro e Aniceto Varejão.

Com a mudança, essas linhas irão trafegar pela Avenida Ulisses Montarroyos, Rua Capitão Médico Osias Ribeiro, Avenida Presidente Castelo Branco, Avenida Presidente Kennedy, Rua Aniceto Varejão, Avenida Bernardo Vieira de Melo. Os usuários estão sendo informados da mudança por meio de cartazes informativos afixados nas linhas envolvidas e também cartazes nas paradas dessas linhas.

Os novos pontos de paradas no sentido subúrbio/cidade seguem abaixo:

Parada 1 - Av. Pres. Castelo Branco, (Candeias), em frente ao Nº7675.
Parada 2 - Av. Pres. Castelo Branco, (Candeias), ao lado do Nº6565, junto ao Aconchego da Magna.
Parada 3 - Av. Pres. Castelo Branco, (Candeias), em frente ao Restaurante do Bambam, junto o poste de concreto S/Nº.
Parada 4 - Av. Pres. Castelo Branco, (Candeias), em frente à Banca do Felipe, ao lado da Autofap.
Parada 5 - Av. Pres. Castelo Branco, (Candeias), em frente ao Nº5467, ao lado da Galeria Spazzio Samarino.
Parada 6 - Av. Pres. Castelo Branco, (Candeias), na lateral do Nº105/ Edifício Salomão.
Parada 7 - Av. Pres. Castelo Branco, (Candeias), em frente à Loteria Monte Carlo, ao lado da Panificadora Dona Rosa.
Parada 8 - Av. Pres. Castelo Branco, (Candeias), ao lado do Nº4813/MP Mundial Autopeças.
Parada 9 - Av. Pres. Castelo Branco, (Candeias), lado oposto ao Nº4334/Edf. Bertioga, a 2 metros da casa vizinha.
Parada 10 - Av. Pres. Castelo Branco, (Candeias), ao lado do Nº4321, próximo ao Cerpe.
Fonte: CGRT
READ MORE - Recife: Seis linhas de ônibus têm seus itinerários alterados na Avenida Bernardo Vieira de Melo

DF: Estudantes continuam sem o Passe Livre

Sem o repasse dos R$ 6 milhões os postos da Fácil ficaram vazios nesta sexta-feira, dia 21. Nenhuma recarga será feita até que a verba seja liberada. A previsão mais otimista é de que isso aconteça só na próxima terça-feira (25).
Os deputados não votaram o projeto que transfere o crédito da Secretaria de Obras para a de Transportes. "Essa questão do Passe Livre vai dar cadeia. Porque o que estão fazendo nesta cidade, o dinheiro está sumindo pelo ralo da incompetência e provavelmente da corrupção. Isso vai dar cadeia”, afirma o deputado Paulo Tadeu, líder do PT.
O governo tentou garantir a colocação dos créditos antes da transferência do dinheiro, mas o decreto infringe a lei que determina primeiro o repasse dos recursos. Desde o início do Passe Livre foram liberados mais de R$ 23 milhões. Em fevereiro, R$ 7 milhões para pagar as passagens dos estudantes. Em março, 8,2 milhões e em abril, mais R$ 8 milhões.
Durante a audiência pública sobre mudanças na lei, Wagner Canhedo, dono de empresa de ônibus e da Fácil, disse que o recurso é insuficiente para arcar com o Passe Livre. “Foi aprovado nesta Casa uma despesa de R$ 19,5 milhões, por mês, para atender 150 mil estudantes mês. E qualquer um que souber fazer conta vai chegar a essa conclusão”, enfatiza o empresário do transporte. Esse valor não está especificado no projeto, apenas a quantidade máxima de passagens por mês: 54.
O que a lei determina é a apresentação pela Fácil de um demonstrativo mensal da utilização dos créditos, por cada estudante beneficiado. De abril para maio, o cadastro dos estudantes aumentou 30%. Wagner Canhedo disse durante a audiência pública que faz o relatório quinzenalmente.
Mas, de acordo com o governo, até hoje não foi feita nenhuma prestação de contas detalhada ao DFTrans. E a Corregedoria tem tido dificuldade, inclusive, em ter acesso ao banco de dados da Fácil para fazer a auditoria na empresa. Canhedo disse que apresentaria os números ainda hoje à Câmara Legislativa.
Fonte: DFTV
READ MORE - DF: Estudantes continuam sem o Passe Livre

Segunda edição do Show Bus da Mercedes-Benz traz soluções e tecnologia para transporte urbano


Quem costuma andar de ônibus sabe o quanto é desagradável passar horas dentro de veículos desconfortáveis e muitas vezes quentes. E para quem vive em grandes centros urbanos, a tarefa fica ainda mais difícil. Foi pensando em oferecer um produto melhor para seus clientes, e consequentemente à população, que a Mercedes-Benz realizou nos dias 18 e 19, em São Paulo, a segunda edição do Show Bus.

Um dos destaques do evento foi o seminário sobre sistemas BRT - Bus Rapid Transit, que reuniu autoridades, empresas operadoras, gestores, consultores e fornecedores no debate da implantação e operação do BRT na Copa do Mundo de 2014 no Brasil, na qual o Recife (São Lourenço da Mata) vai ser uma das cidades-sede.

Para demonstrar de forma prática o conceito do moderno sistema de transporte coletivo urbano, a Mercedes-Benz montou, nas dependências da sua fábrica, a Estação BRT. O visitante conferiu, na área externa da exposição, uma ambientação típica de pontos de parada de corredores exclusivos, com sinalização e acessibilidade a um ônibus articulado, que fez um trajeto por vias internas da fábrica. O evento contou com o apoio e a presença de várias empresas que atuam no segmento de ônibus. Os parceiros que participaram do Show Bus tiveram espaços próprios para divulgar seus produtos e serviços, bem como para incrementarem o relacionamento com os clientes.

Considerado o maior evento do setor de ônibus do Brasil, o Show Bus também é a maior ação de relacionamento com clientes de ônibus do País e da América Latina. Empresários de vários países visitaram a feira e conferiram as novidades do mercado. Foram lançados dois novos chassis, o O 500 RSDD 8x2 e o OF 1730, e foi apresentada a versão Low Entry do OH 1518. Ao todo, foram expostos 15 modelos da marca. Outra novidade foi a revelação do início nos testes com biocombustíveis, como diesel de cana e biodiesel. Os produtos e serviços pós-venda e as ações ambientais nas unidades da empresa também foram apresentadas nos dois dias.

"O Show Bus mostra claramente a importância do negócio ônibus para a Mercedes-Benz do Brasil, maior fabricante e líder em vendas no mercado brasileiro e nas exportações de ônibus, bem como para a Daimler Buses, unidade de negócios da Daimler AG que é líder mundial em participação no mercado de ônibus", afirmou Jürgen Ziegler, presidente da Mercedes-Benz do Brasil. "Nossa forte e tradicional liderança de mercado e a ampla experiência de 53 anos de atuação no País nos credenciam a realizar um evento abrangente, que conta com a participação de clientes de todo o país e da América Latina, parceiros e outros profissionais ligados ao setor", destacou o executivo.

Fonte: Diário de Pernambuco
READ MORE - Segunda edição do Show Bus da Mercedes-Benz traz soluções e tecnologia para transporte urbano

Passagem de ônibus mais cara aumenta movimento no metrô em Teresina


Após o aumento da passagem de ônibus, que passou a vigorar desde o último sábado, 15, cada vez mais os teresinenses vêm optando por formas alternativas de deslocamento. Utilizando o metrô ou mesmo através de caminhadas mais prolongadas, a população tenta diminuir os gastos ao sair de suas casas para o trabalho. Esse é o caso da cabeleireira Sandra Maria, residente no bairro Dirceu II, zona Sudeste da cidade. Sempre que necessita ir ao Centro comercial à procura de produtos de beleza, a empreendedora não pensa duas vezes em esperar um pouco mais pelo metrô.

“Desde que o metrô foi inaugurado passei a usá-lo, pois além de ser um meio mais econômico, é muito mais confortável do que os ônibus da cidade”, enfatiza Sandra. Segundo ela, o gasto quase quatro vezes menor com transporte representa uma economia significativa para a renda familiar. “Enquanto que se anda uma vez de ônibus, se pode andar quase quatro vezes de metrô”, salienta a cabeleireira. Preocupada com os gastos, a dona-de-casa e estudante Teresa Antunes também engrossa a lista de pessoas que resolveram abandonar o ônibus.

Teresa comenta que o último reajuste no preço da passagem de ônibus foi decisivo para que ela descartasse o uso do meio de transporte. “O preço cobrado nem de longe justifica a qualidade do serviço oferecido, pois os ônibus sempre vivem lotados e demoram muito a passar pelas paradas”, argumenta. De acordo com Conceição Castro, supervisora da subestação da Praça da Bandeira, somente na última semana houve um aumento de 10% no número de pessoas que utilizam o metrô da capital.

“Após a euforia da população em conhecer a nova estrutura do metrô, está havendo uma consolidação desse meio de transporte, já que o aumento do número de passageiros é crescente a cada dia”, ressalta Conceição ao comentar que nos fins de semana o movimento de passageiros é ainda maior. “Desde que começamos a abrir a estação aos sábados e domingos, percebemos que a quantidade de pessoas na estação é bem maior do que em dias comuns”, afirma a supervisora. Durante a semana a estação abre às 6h30 e fecha às 19h. Já nos fins de semana, abre às 6h30 e fecha às 14h.

CMTP aponta metrô como um “avanço atrasado”

Questionado sobre uma matéria veiculada nacionalmente, na qual constava que o serviço metroviário de Teresina é o pior do país, Antônio Sobral, diretor administrativo da Companhia Metropolitana de Transportes Públicos, afirma que: “O metrô da cidade é um avanço atrasado, se compararmos com outros Estados, a exemplo de São Paulo, onde esse tipo de transporte começou a funcionar ainda na década de 70”, analisa.

Entretanto, mesmo o metrô aparecendo tardiamente na cidade, Sobral destaca que ao todo, somente seis Estados possuem esse tipo de serviço, dois deles no Nordeste. “Não podemos comparar a quantidade de pessoas que utilizam o serviço em Teresina com aqueles que usam em São Paulo, pois além da última possuir um número maior de habitantes que a da nossa capital, ainda estamos passando por um processo de consolidação desse tipo de transporte”, ressalta Antônio Sobral.

A despeito da matéria publicada pelo jornal de circulação nacional, onde consta que 1,6% da população utiliza o metrô, Sobral elenca que atualmente esse número atinge os 4%. Segundo a Companhia Metropolitana de Teresina (CMTP), dentro de aproximadamente 45 dias o órgão deve concluir os últimos reparos na obra da Estação Bandeira. Banheiros, cadeiras e bebedouros serão fixados no local para dar maior conforto aos usuários, sem mencionar no desenvolvimento de projetos que otimizem o tempo que o usuário passa nas dependências da estação.

Além de terminar a construção do projeto original, Antônio Sobral garante que até o final deste ano os projetos de prolongamento do metrô devem ser entregues para os órgãos competentes. “Nosso intuito é estender o serviço metroviário para o Centro Administrativo, zona Sul, Altos e Campo Maior”, acrescenta Sobral.

Governador anuncia dois novos trens

O metrô de Teresina vai ganhar uma série de inovações, começando pela operação de dois novos trens. Também serão realizados dois cruzamentos de linhas, instalação de bicicletário e duplicação da linha férrea no trecho entre os bairros Renascença e Matinha.Todas essas mudanças foram discutidas ontem, em Brasília, pelo governador Wilson Martins e o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos.

Parte das inovações serão realizadas com recursos do próprio Estado, enquanto outras serão fruto de convênio entre o Governo do Piauí e a União. Os dois novos trens devem começar a operar nos próximos dois meses, segundo informou o diretor da Companhia do Metrô, Antônio Sobral, que acompanhou o governador na audiência. Com os dois novos trens, o tempo de espera entre as viagens será reduzido de 33 para 12 minutos, o que aumentará o uso do transporte ferroviário em Teresina.

Já o prefeito Elmano Ferrer disse ontem, em reunião com os vendedores do Shopping da Cidade, que vai construir a passarela que vai ligar a Estação do Metrô ao segundo piso do shopping. “A construção dessa passarela é um pedido meu e não importa se vai ser compartilhado com o Governo ou será somente a Prefeitura. Só sei que iremos fazer”, afirmou Ferrer.

Fonte: Portal O Dia
READ MORE - Passagem de ônibus mais cara aumenta movimento no metrô em Teresina

Urbanista defende que ônibus sejam ‘metronizados’


O arquiteto e urbanista Jaime Lerner, ex-prefeito de Curitiba, defendeu, em Campinas, o que chamou de metronização do ônibus, ou seja, dar ao ônibus a mesma performance do metrô. “O futuro está na superfície, porque não há mais condições de aplicar tanto dinheiro em metrô”, disse o ex-governador do Paraná e primeiro a implantar um sistema de BRT no País.

Ele alertou, no entanto, que, sem a concepção correta da cidade, não adiantará aumentar a frota.Curitiba fez sucesso com seu sistema de transporte porque planejou, disse Lerner. Não apenas linhas de ônibus e corredores, mas especialmente porque utilizou o transporte como indutor de desenvolvimento. Nos anos 70, integrou o transporte ao uso do solo.

A opção foi por implantar um desenvolvimento radial a partir do Centro, por corredores de transportes. As indústrias que ficavam no entorno do Centro foram levadas para a região oeste, no Distrito Industrial, e um novo zoneamento foi estabelecido ao longo dos corredores, priorizando o uso residencial e serviços.

Assim, Curitiba tem hoje 72 quilômetros de corredores. Junto com isso, foi criado um sistema trinário de transporte, ou seja, um conjunto de três vias de 100 a 200 metros entre elas, sendo uma via rápida para o centro, uma via em sentido único para os bairros e, no centro, uma pista com três vias, formada por uma canaleta exclusiva e duas vias de acesso local.

Para atender a demanda, a cidade se estruturou de tal forma que hoje tem nove ônibus operando na linha circular, 50 convencionais, 385 atuando nas linhas troncos, 24 articulados, 162 biarticulados, além de articulados interbairros e linhas diretas.

O BRT de Curitiba nasceu, segundo Lerner, porque a cidade não tinha dinheiro para implantar metrô, problema da maioria das grandes cidades. A utilização de ônibus em corredores exclusivos, embarques e desembarques rápidos por meio de plataformas elevadas no mesmo nível dos veículos e o sistema de pré-pagamento da tarifa deram agilidade ao sistema. (MTC/AAN)

Fonte: PUC Campinas
READ MORE - Urbanista defende que ônibus sejam ‘metronizados’

Ministro das Cidades, Márcio Fortes dá sinal verde para o VLP


O ministro das Cidades, Márcio Fortes, disse ontem que há grande possibilidade de o sistema de veículo leve sobre pneus (VLP) que a Prefeitura de Campinas pretende implantar no Corredor Ouro Verde, ligando o Centro ao Aeroporto Internacional de Viracopos, seja incluído no PAC da Mobilidade.

Segundo ele, a prioridade na área de transporte na segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) será para projetos de BRT, sigla de bus rapid transit, sistema de ônibus de alta capacidade, que utiliza corredores exclusivos.“Teremos R$ 18 bilhões para investir em metrô, BRT e obra viária. Vamos deixar os veículos leves sobre trilhos (VLT) para casos excepcionais e concentrar em BRT (que usa ônibus)”, disse.

O ministro informou que, em um mês, os prefeitos e governadores começarão a ser chamados a Brasília para serem informados das regras e apresentarem seus projetos de mobilidade. A proposta do governo é liberar os recursos para que as obras aprovadas tenham início em 2011 e conclusão em 2014.

Já há, segundo ele, 20 projetos de BRT aprovados para as 12 cidades que serão sede da Copa do Mundo de Futebol de 2014. “Temos que implantar o sistema no País todo, especialmente nas regiões metropolitanas”, disse. O ministro participou, em Campinas, do Show Bus, promovido pela Mercedes-Benz. A Prefeitura vai conceder a operação dos corredores e arcar com as obras de implantação do VLP.

Para isso, busca financiamento de R$ 406 milhões para a infraestrutura, tanto do Corredor Ouro Verde, onde circularão os VLPs, quanto do Corredor Campo Grande, onde circularão os ônibus biarticulados adquiridos recentemente pela Itajaí Transportes Coletivos. Quem vencer a concessão, comprará os VLPs, orçados em R$ 310 milhões.

Os termos da concessão ainda estão em discussão, mas a operação do corredor deverá ser feita por um período variável entre 30 e 40 anos e ganhará a licitação a empresa que oferecer o maior valor de outorga e a melhor técnica.O plano inicial era que os VLPs, uma espécie de metrô sobre pneus com piloto automático, circulassem nos futuros corredores Campo Grande e Ouro Verde, sendo que o corredor Campo Grande utilizará a faixa de domínio do antigo VLT para fazer a conexão com o novo Terminal Multimodal de Campinas. Mas a Prefeitura avaliou que faltariam recursos.

Embora o projeto de dotar Campinas de um sistema de média capacidade de transporte tenha partido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a garantia dos recursos não se firmou até agora.

Por isso, a Prefeitura mudou o projeto e optou por implantar biarticulados no Corredor Campo Grande e VLPs no Ouro Verde.Alguns grupos internacionais já se interessaram pelo projeto, como a japonesa Mitsui.

Executivos da empresa estiveram em Campinas com representantes da francesa Lohr Industrie, que fabrica e comercializa sistemas de transportes de passageiros, e manifestaram interesse em financiar a compra dos VLPs.

Fonte: PUC Campinas
READ MORE - Ministro das Cidades, Márcio Fortes dá sinal verde para o VLP

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960