Impasse impede mudança de linhas do Ticen para Terminal Cidade de Florianópolis

domingo, 4 de setembro de 2011

As linhas intermunicipais que deveriam estar parando no Ticif (Terminal Cidade de Florianópolis) , estão seguindo diretamente para o Ticen (Terminal Integrado do Centro). A mudança que estava prevista para ocorrer no sábado (3), ainda não aconteceu.

Segundo o vice-prefeito e secretário de Transporte e Terminais da Capital, João Batista Nunes, as empresas Biguaçu e Santa Teresinha, que deveriam ter transferido 15 linhas do Ticen para o Ticif não acataram a decisão da prefeitura.  "Elas serão multadas, linha por linha, hora por hora, por nao cumprirem a decisão", diz.

Quanto às linhas executivas do transporte municipal, todas foram transferidas e circulam normalmente pelo Terminal Cidade de Florianópolis com embarque e desembarque na plataforma cinco.

Conforme o administrador da empresa Santa Terezinha, Carlos Alberto Vieira, a empresa ainda aguarda uma ordem oficial do Deter (Departamento Estadual de Infraestrutura) para realizar a mudança, que segundo ele é questionável. "Mesmo que tivéssemos recebido não iríamos transferir sem questionamento", explica.
Os representantes da empresa Biguaçu não foram encontrados pela reportagem do Notícias do Dia para esclarecer o caso.


Fonte: ND Online

READ MORE - Impasse impede mudança de linhas do Ticen para Terminal Cidade de Florianópolis

Falta de acessibilidade dificulta a inclusão social em Manaus

A ausência de parceria entre o poder público e entidades de classe que defendem os direitos dos deficientes físicos são as principais causas da falta de acessibilidade em Manaus. De acordo com o presidente da Associação dos Deficientes Físicos do Amazonas (Adefa), Isaac Benayon, no Amazonas são cerca de 518 mil  pessoas com deficiência física, mental e sensorial que, diariamente, enfrentam dificuldade em se locomover. “A acessibilidade faz a vida do deficiente ter mais qualidade”, afirmou.

Entre os problemas enfrentados pelos deficientes,  está a dificuldade em conseguir assento no transporte coletivo, utilizar banheiros especiais e vagas de estacionamento. Além disso, Benayon relata que a travessia segura de cadeirantes e deficientes visuais mesmo em locais com semáforos é rara. “O sinal existe, mas esqueceram de avisar para os  motoristas que eles precisam parar”.

Moisés Sarmento, 56, portador de deficiência na perna esquerda em função de sequelas de uma poliomielite, relata que as dificuldades de locomoção já iniciam quando ele sai de casa. Morador do bairro Compensa, a rua onde mora é esburacada.  Quando finalmente chega na parada de ônibus, onde não existe rampa para o acesso à calçada, inicia a segunda parte da ‘maratona’.

“As pessoas empurram a gente sem ligar se corremos o risco de nos machucarmos, sem falar que os passageiros sentam na cadeira preferencial e viram para o outro lado para não ceder o lugar”, disse.

Mas não são apenas os usuários que desrespeitam os deficientes, segundo Moisés. “Os motoristas dos ônibus não querem que a gente entre pela frente. Somos obrigados a entrar por trás e ficarmos em pé, as vezes, durante toda a viagem”, reclamou.

Intolerância

Para Benayon, a intolerância dos manauaras com os deficientes é um problema de educação  que requer atitudes efetivas do poder estadual e municipal de educação. “Pedimos dos dois secretários de Educação que uma matéria de organização e normas cívicas seja incluída na matriz curricular de ensino das crianças”, informou.

O trabalho, defendido pela Adefa, estaria baseado na formação cidadã das crianças por meio de desenhos animados mostrando as diversas situações vividas pelos deficientes no dia a dia. “É preciso desconstruir a intolerância do ser humano para com o outro, evitando afirmações e comportamentos preconceituosos e desrespeitosos sobre os deficientes”.

Parceria valiosa

Benayon destaca que a parceria entre o poder público e as entidades que lutam pela inclusão dos deficientes é fundamental, mas ainda inexistente em Manaus.

Exemplo disso, segundo ele, é a passarela localizada na Avenida Darcy Vargas, atualmente, em fase de finalização, e que não contou com o auxílio de nenhuma entidade representante dos deficientes ou dos idosos.

“Eles não nos deram a oportunidade de dizer que a inclinação da rampa vai quebrar o eixo da cadeira ou pode derrubar um idoso. Eles acham que porque está na lei e nas normas da ABNT já é o suficiente”, desabafou.

Outra atitude que demonstra a necessidade de parceria, segundo a Adefa, é o tempo dos semáforos. “Uma pessoa que utiliza muletas, por exemplo, não tem condições de atravessar uma rua em dois minutos”, contestou o presidente da Adefa.


Fonte: D24 am

READ MORE - Falta de acessibilidade dificulta a inclusão social em Manaus

Saiba como Tóquio conseguiu acabar com os engarrafamentos

Blog Meu Transporte ""03 Anos"" (Notícia exibida no blog em janeiro de 2010) 

Tóquio, muitas vezes, lembra São Paulo. São prédios e mais prédios que escondem o horizonte. Ruas lotadas de gente apressada. Até o número de habitantes é semelhante. São quase 13 milhões na capital japonesa contra 11 milhões na capital paulista. Uma das diferenças mais visíveis está no meio da rua. Em Tóquio não tem engarrafamento.
O número de carros é grande. São 4,5 milhões. Mas é menos do que em São Paulo, que tem 6,5 milhões de automóveis. "Eu tenho carro mas deixo em casa. O estacionamento é muito caro em Tóquio", justifica uma mulher. "Eu nem tenho carro. O metrô funciona muito bem", destaca um homem. Os trens fazem parte da paisagem de Tóquio.
São 15 linhas de metrô, na região central, e mais 102 de trem para os subúrbios e outras cidades do Japão. Os trens são limpos, eficientes e, a não ser no caso de terremotos estão sempre precisamente no horário. Até executivos de grandes empresas abrem mão do carro. Osvaldo Kawakami é presidente da refinaria que a Petrobras tem no Japão. Antes de sair para qualquer reunião, ele consulta a internet para saber o horário do trem, a que horas vai sair e a que horas vai chegar no destino. Um dos maiores pecados que um executivo como ele pode cometer no Japão é chegar atrasado. Pode colocar a perder um bom negócio. Osvaldo também vai e volta para casa de metrô. A estação fica perto do escritório.
O presidente Jal, a maior companhia aérea do Japão, é famoso por também ser um passageiro frequente do transporte público. Usa o ônibus para fazer o trajeto de casa para o trabalho. Os ônibus em Tóquio são extremamente pontuais, raramente atrasam. Os passageiros podem consultar o horário exato em que vão chegar no ponto na internet ou no celular. Para não deixar dúvidas, um painel eletrônico mostra a que distância o ônibus está do ponto e quanto tempo falta para chegar no destino final. Isso é possível porque os ônibus são ligados a satélites por GPS.
A informação é transmitida para uma central e também para os pontos onde ele vai parar. Como não há engarrafamento, é mais fácil para os motoristas respeitar o horário. Com um sistema de transportes desses, não tem como usar o trânsito como desculpa para chegar atrasado ao trabalho.

Fonte: G1.com.br
READ MORE - Saiba como Tóquio conseguiu acabar com os engarrafamentos

Linhas Bacurais em Recife, confira os horários:

O Consórcio Grande Recife informou os horários e linhas dos ônibus bacurais que circulam nas madrugadas na Região Metropolitana do Recife. Veja sua linha:
  • Tabela 01
    http://img401.imageshack.us/img401/9880/horriobacurais.jpg
    Linhas: AEROPORTO, RESID. BOA VIAGEM, JARDIM PIEDADE, CANDEIAS, UR-02(Ibura), ALTO DOIS CARNEIROS, UR-11, JORDÃO, CONJ. MARCOS FREIRE, CABO, CAVALEIRO, JABOATÃO, MORENO, JARDIM SÃO PAULO, TOTÓ, CURADO II, CURADO IV, TORRÕES, MONSENHOR FABRÍCIO, CDU (Várzea), SÃO LOURENÇO.
  • Tabela 02http://img220.imageshack.us/img220/7948/horriobacurais1.jpg
    Linhas: LOT. S. COSME DAMIÃO, NOVA DESCOBERTA, DOIS IRMÃOS, CASA AMARELA, MORRO DA CONCEIÇÃO, BREJO, CÓRREGO DO JENIPAPO, ALTO SANTA TEREZINHA, DOIS UNIDOS, ALTO JOSÉ BONIFÁCIO, JARDIM BRASIL, ÁGUAS COMPRIDAS, OURO PRETO, MARANGUAPE II, MIRUEIRA, IGARASSU, CAETÉS, AMPARO, RIO DOCE, PAU AMARELO.

Linhas bacuraus ganham reforço na operação
Os usuários de quatro linhas de bacuraus vão poder contar com um reforço permanente de viagens a partir deste final de semana. A novidade faz parte de um plano de revisão na operação de linhas de bacuraus feito pelo Grande Recife Consórcio de Transporte. Em cada linha, uma nova viagem foi implantada para atender aos usuários de Olinda, Paulista, Recife e Jaboatão na volta para casa nas madrugadas de sábado para domingo.

A partir deste domingo (11/09), as linhas 995-Pau Amarelo (Bacurau), 985-Rio Doce (Bacurau), 533 - Casa Amarela (Bacurau) e 254-Jaboatão (Bacurau) passarão a contar com uma viagem a mais em suas programações. O horário da 1h30 foi o escolhido por apresentar grande fluxo de usuários voltando para casa. Até este final de semana, as linhas de bacurau estavam programadas para operar com viagens à 1h e às 2h.

A expectativa é que daqui para frente novas linhas também possam contar com esse reforço. O reforço é permanente. Para informações sobre o itinerário das linhas, o usuário pode ligar para a Central de Atendimento ao Cliente, pelo telefone 0800 081 0158, ou acessar o site www.granderecife.pe.gov.br.

Nova programação, a partir de 11/09:

Lista de Linhas que participam da operação:

995 - Pau Amarelo (Bacurau)
985 - Rio Doce (Bacurau)
533 - Casa Amarela (Bacurau)
254- Jaboatão (Bacurau)

Blog Meu Transporte
READ MORE - Linhas Bacurais em Recife, confira os horários:

São Paulo: Confira as linhas de ônibus que circulam 24 horas

São Paulo é uma cidade que nunca para. E por causa disso, o transporte também não pode parar. A cidade possui 41 linhas de ônibus que operam 24 horas, de acordo com a SPTrans (São Paulo Transporte S. A.).

As linhas operam por oito áreas (veja a lista abaixo).

Apesar de São Paulo ter linhas de ônibus que operam 24 horas, o sistema de metrô e trens não acompanha este ritmo e se encerra por volta das 0h15 – o metrô funciona até à 1 hora aos sábados.

Você pode conferir o trajeto de cada uma das 41 linhas no site da
SPTrans.


LISTA DE ÔNIBUS QUE OPERAM 24 HORAS
8006-10 Jd. Donaria - Terminal Pirituba (Área 1)
8400-10 Terminal Pirituba - Pça. Ramos de Azevedo (Área 1)
8549-10 Taipas - Pca. do Correio (Área 1)
9014-10 Morro Grande - Terminal Lapa (Área 1)
9500-10 Terminal Cachoeirinha - Paissandu (Área 1)
9653-10 Pedra Branca - Lgo. do Paissandu (Área 1)
848L-10 Recanto dos Humildes - Terminal Pirituba (Área 1)
9019-10 Jd. Paulistano - Terminal Pirituba (Área 1)
9020-10 Vila Mirante - Terminal Pirituba (Área 1)
1728-51 Jd. Brasil - Pca. do Correio (Área 2)
2732-10 Metrô Artur Alvim - Vila Regina (Circular) (Área 3)
2363-10 Jd. Danfer - Terminal Pq. D. Pedro II (Área 3)
2100-10 Terminal Vila Carrão - Pca. da Sé (Área 4)
3160-10 Terminal Vila Prudente - Terminal Pq. D. Pedro II (Área 4)
5020-10 Hospital Heliópolis - Terminal Sacomã (Área 5)
5032-10 Vila Arapuã - Terminal Sacomã (Área 5)
514T-10 Terminal Sacomã - Jd. Itápolis (Área 5)
4222-10 Pq. Santa Madalena - Pça. João Mendes (Área 5)
5036-10 Jd. Celeste - Terminal Sacomã (Área 5)
5038-10 Pq. Bristol - Terminal Sacomã (Área 5)
5290-10 Divisa Diadema - Pça. João Mendes (Área 6)
546L-10 Jd. Luso - Terminal Santo Amaro (Área 6)
6003-10 Terminal Grajaú - Terminal Varginha (Área 6)
6034-10 Pq. Res. Cocaia - Term. Santo Amaro (Área 6)
6312-10 Jd. Luso - Terminal Amaral Gurgel (Área 6)
675G-10 Pq Res. Cocaia - Metrô Jabaquara (Área 6)
6960-10 Terminal Varginha - Terminal Santo Amaro (Área 6)
7063-10 Jd. Macedônia - Terminal Campo Limpo (Área 7)
5300-10 Terminal Santo Amaro - Terminal Pq. D. Pedro II (Área 7)
6450-10 Terminal Capelinha - Terminal Bandeira (Área 7)
6455-10 Terminal Capelinha - Lgo. São Francisco (Área 7)
809P-10 Terminal Campo Limpo - Pinheiros (Área 7)
8605-10 Terminal Campo Limpo - Terminal Bandeira (Área 7)
7903-10 Jd. João XXIII/Educ. - Pça. Ramos de Azevedo (Área 8)
8615-10 Pq. da Lapa - Terminal Pq. D.Pedro II (Área 8)
8700-10 Terminal Campo Limpo - Pça. Ramos de Azevedo (Área 8)
8038-10 Pq. Continental - Lapa (Área 8)
637A-10 Terminal Jd. Ângela - Pinheiros (Área 7)
737A-10 Term. Jd. Ângela - Terminal Sto. Amaro (Área 7)
6008-10 Jd. Planalto - Terminal Sto. Amaro (Área 7)
7001-10 Vila Gilda - Jd. Ângela (Área 7)

*Área 1: verde claro - Zona Noroeste
*Área 2: azul escuro - Zona Norte
*Área 3: amarelo - Zona Nordeste
*Área 4: vermelho - Zona Leste
*Área 5: verde escuro - Zona Sudeste
*Área 6: azul-claro - Zona Sul
*Área 7: vinho - Zona Sudoeste
*Área 8: laranja - Zona Oeste



Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook

Fonte: Band

Share |

READ MORE - São Paulo: Confira as linhas de ônibus que circulam 24 horas

Trem Bala pode custar cerca de R$ 55 bilhões, custo é suficiente para construir 180km de metrô em São Paulo

Enquanto a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) planeja realizar em fevereiro de 2012 a primeira etapa do leilão de concessão do trem-bala, que ligará Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro, o projeto conhecido como Trem de Alta Velocidade (TAV) segue como um tema polêmico, principalmente entre especialistas em transporte. Para o engenheiro Sergio Ejzenberg, mestre em Transporte pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), o trem-bala já nasce morto e que não há demanda de passageiros para justificar os investimentos do governo federal. Segundo ele, com a previsão, ainda preliminar, de investimentos de R$ 55 bilhões seria possível construir 180km de metrô em São Paulo.
 
"É um trem natimorto, por falta de demanda, e quem vai pagar é você e eu. Daria para fazer 200km de metrô. Quando começar (as obras), esse trem não vai parar de comer dinheiro nunca. A previsão de recursos começou com R$ 9 bi, foi para R$ 15 bi, passou para R$ 33 bilhões e se fala que R$ 55 bi não vai dar. Se for R$ 55 bi é 180km de metrô. (...) As pessoas sobem em árvore para não deixar cortar. Tinha que ir pra frente do trator e não deixar começar. É dinheiro jogado fora porque esse negócio não vai funcionar. Não tem demanda (de passageiros) para isso", afirmou Ejzenberg.
 
O engenheiro cita estudos feitos com dados comparativos do mundo inteiro, realizado por consultores brasileiros de transporte, e diz que as pesquisas mostraram que o trem-bala "é uma bobagem". Ele cobra ainda um maior posicionamento da população sobre a destinação e aplicação de recursos públicos em grandes obras, sejam municipais, estaduais ou federais.
 
"Pagamos por isso e temos direito de reclamar. Mas por falta de consciência, ninguém reclama. Nós temos uma nação um pouco frívola. Todo acompanha que está erguendo que um pilar em um estádio (Itaquerão, estádio da Copa do Mundo, em São Paulo) que vai gastar os tubos para ser construído, mas ninguém fica feliz quando coloca um pilar num hospital ou numa universidade. Existem marchas pela maconha, contra a maconha, mas ninguém faz marcha contra a corrupção. Então o povo está achando que está tudo bem, só um ou outro chato que fica reclamando", alfineta.

Metrô seria a única solução em SP
O engenheiro mestre pela Poli-USP é defensor do metrô como principal sistema de transporte de massa. Segundo ele, que critica investimentos em pontes ou túneis como forma de aliviar congestionamentos, essa seria a única solução para a demanda estrutural da cidade de São Paulo, por exemplo, aliada a mais investimentos na construção de corredores de ônibus - os ônibus seriam o meio de "levar" os usuários às estações.


"Não estamos falando de uma cidade qualquer, estamos falando de uma das maiores metrópoles do mundo, e não temos um sistema que apresente a mesma capacidade e a mesma praticidade. Nós precisamos de uma malha de transporte que sirva a cidade como um todo. Para conseguir dar uma cobertura espacial sem destruir a cidade, eu tenho que ir pelo subsolo", defende o especialista.


Fonte: Terra

READ MORE - Trem Bala pode custar cerca de R$ 55 bilhões, custo é suficiente para construir 180km de metrô em São Paulo

Comemorar? Setor automotivo tem venda recorde de carros

As vendas de veículos zero-quilômetro voltaram a crescer, depois de ficarem estagnadas em julho. O setor automobilístico comercializou 327.393 unidades (de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus) no mês passado, 6,91% mais que em julho e 4,67% acima dos números de agosto de 2010, de acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores.

Foi o melhor resultado para esse mês na história do setor. No acumulado dos primeiros oito meses, a marca também foi recorde. Neste ano, até agora, o segmento vendeu 2,37 milhões de veículos, crescimento de 8% frente ao mesmo período anterior.


No entanto, o presidente da Fenabrave, Sérgio Reze, ressalta que, pela média diária (dividindo o volume mensal pelo número de dias úteis), em agosto houve retração (de 2%). Isso porque o mês passado teve dois dias a mais (23 frente a 21 em julho).


Para os representantes do setor, o recuo era previsto. "Houve encolhimento do prazo de financiamento, a inadimplência está grande e os bancos estão mais seletivos", diz o presidente do Sindicato das Concessionárias e Distribuidoras de Veículos do Estado de São Paulo, Octávio Vallejo.


Além disso, Reze assinala que parte do mercado é impulsionada por negócios das montadoras com frotistas e locadoras. Dos automóveis comercializados pelas quatro grandes (Fiat, Volkswagen, GM e Ford), de janeiro a agosto, para empresas, 72,7% (356 mil veículos) foram por venda direta (faturado direto com a montadora).

Ele se queixa de que parte das locadoras (que se beneficiam de imposto menor na compra dos carros) estaria atuando como revenda, comercializando o carro zero antes do prazo legal de um ano após o licenciamento.

Outra reclamação do dirigente diz respeito aos estoques elevados, por causa do descompasso entre a demanda, que desacelerou, e a produção em alta das montadoras. Pelos número da Fenabrave, os carros nas lojas já somam 40 dias para desova, frente a 35 em julho. "A média confortável é 21 ou 22 dias. Nossa capacidade financeira está no limite e a rentabilidade caiu uma barbaridade", diz.
IMPORTADOS - De janeiro a agosto, o volume de automóveis e comerciais leves importados somou 319 mil. "Num universo de 2 milhões de unidades, não é motivo de preocupação", avalia Reze.

No entanto, o ritmo de vendas de veículos chineses impressiona. Em janeiro, eram 2.067 e, em agosto, 8.535. A presença das marcas desse país no Grande ABC mostra que a briga por mercado deve crescer. Uma delas, a JAC, que no início do ano abriu loja em Santo André, há poucos dias inaugurou ponto comercial em São Caetano. Nessa unidade, a gerente comercial, Danielle Tostes, diz que a meta é vender 100 carros por mês.

País segue em quarto lugar no ranking mundial

O Brasil se manteve na quarta colocação no ranking mundial de vendas de veículos zero-quilômetro em julho, de acordo com dados mais recentes da Jato Dynamics do Brasil, líder em fornecimento de informações automotivas.

A disputa continua acirrada pelas duas primeiras colocações. Os Estados Unidos lideram, com crescimento de 0,9% em relação a 2010, seguidos pela China, com alta de 7,5%. No acumulado do ano, as posições se invertem e o país asiático é o primeiro, com quase 8 milhões de veículos vendidos. Entretanto, os dados chineses incluem apenas veículos de passeio. Para o restante dos países, os números englobam carros e comerciais leves.

Em terceiro lugar aparece o Japão, com queda de 23,5% em julho em comparação ao mesmo período do ano passado. O Brasil, por sua vez, registrou em julho crescimento de 0,9%. Na quinta e sexta colocações, seguem a Alemanha e a Rússia com alta de 10,6% e 26,8%. Depois, pela ordem, estão Índia, França, Grã-Bretanha e Itália, com resultados negativos de 7,8%, 6,7%, 3,2% e 11,4%, respectivamente.

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

READ MORE - Comemorar? Setor automotivo tem venda recorde de carros

Em São José dos Campos, Prefeitura amplia a oferta de ônibus e tabela de horários

A Prefeitura de São José dos Campos adota a partir desta segunda-feira (5) algumas mudanças no transporte coletivo da cidade. Na região norte, o número de ônibus será ampliado com a implantação de uma linha circular para tornar mais rápido o deslocamento dos usuários. Além disso, algumas linhas circulares que atendem diversas áreas da cidade terão nova tabela de horários.

Como parte dessas alterações, os moradores do Jardim Minas Gerais, na zona norte, terão a linha circular 132 – Vila Dirce/Altos da Vila Paiva. O objetivo é oferecer mais agilidade para os passageiros, tanto no sentido centro quanto para outros bairros, por meio do sistema de integração 100% entre as linhas. Para isso, é indispensável utilizar o cartão eletrônico.

O circular atenderá os bairros Vila Dirce, Altos da Vila Paiva, Altos do Caetê, Jardim Minas Gerais e Vila Unidos. Os passageiros terão dois pontos principais de integração com outros destinos: um na Estrada do Jaguari, no ponto ao lado da loja Ferragens Agrogil, com seis opções de linhas - 102-Jaguari/Terminal Central, 115-Vila Dirce/José Longo, 122-Altos de Santana/Pq Industrial, 123-Vila Dirce/Jardim Augusta, 125-Buquirinha/Aquarius, 231-Tesouro/Vila Dirce; em outro ponto, na Estrada Juca de Carvalho, ao lado do Depósito do Luizão, os usuários terão como opções as linhas 101-Represa/Terminal Central, 107-Vila Paiva/José Longo e 126-Bairro São João/Terminal Central.

A linha 107-Vila Paiva/José Longo terá o itinerário alterado e deixará de fazer alguns atendimentos aos bairros Altos do Caeté, Altos da Vila Paiva e Unip. Os estudantes da Unip deverão utilizar a linha 107-Vila Paiva/José Longo até o centro da cidade para integrar com as 306-Limoeiro/Terminal Central e 311-Limoeiro/Jardim das Indústrias-Praça Afonso Pena, pagando apenas uma passagem com o cartão eletrônico.

Com o cartão eletrônico, o usuário poderá utilizar até três ônibus, num mesmo sentido de deslocamento, por um período de duas horas, pagando uma só passagem. Quem ainda não possui o cartão deverá adquiri-lo no Consórcio 123 (Avenida Rui Barbosa, 15), centro. O cartão fica pronto na hora e a primeira via é de graça. Para isso, é necessário levar os documentos de identidade e o comprovante de endereço.

As linhas com novos horários, também a partir desta segunda-feira (5), são as seguintes:

Na região norte: a linha 107-Vila Paiva/José Longo e 115-Vila Dirce/José Longo;
Na região sul: as linhas 303-Colonial/Rodoviária, 307-Morumbi/Terminal Central, 331-Campo dos Alemães/Jardim Aquarius e 315-Interlagos/Terminal Central.
Na linha 107 serão quatro novos horários: um em dias úteis e três nos finais de semana.
Na linha 115 serão nove horários a mais: dois em dias úteis e sete nos finais de semana.
A linha 303 terá dois novos horários no sábado.
Na linha 307 serão 13 novos horários aos domingos.
A linha 331 terá 14 novas partidas em dias úteis.
Na linha 315 serão acrescentados dois carros, além de mais 26 novos horários.

Outras informações e orientações podem ser obtidas pelo telefone: 3925-2024.

Fonte: Agora Vale

READ MORE - Em São José dos Campos, Prefeitura amplia a oferta de ônibus e tabela de horários

Cubatão passará a contar com um sistema de bilhetagem eletrônica

O transporte público municipal de Cubatão passará a contar com um sistema de bilhetagem eletrônica. O projeto de lei que institui o sistema já está em tramitação na Câmara. Depois de aprovado, será implantado em até seis meses pela concessionária que realiza o serviço na Cidade.

Segundo o superintendente da Companhia Municipal de Trânsito (CMT), Marco Cruz, o sistema será semelhante ao que está em prática há anos no transporte metropolitano, com cartões magnéticos.

Marco Cruz conta que a medida já estava prevista no edital de licitação que escolheu a empresa para explorar o transporte público em Cubatão e que a mudança não afeta o emprego dos cobradores. “A presença desses trabalhadores está garantida no edital. E os ônibus continuarão aceitando dinheiro”.

Perueiros insatisfeitos
Em média, cerca de 500 mil pessoas por mês usam o transporte convencional e as lotações do alternativo. E são justamente os perueiros que não estão muito satisfeitos com a notícia da implantação da bilhetagem eletrônica. Eles reclamam que não foram comunicados sobre o projeto e que não há garantias de que serão inseridos no novo sistema.

“Se o projeto for aprovado como está e os permissionários ficarem de fora, isso significará a inviabilidade financeira para todo o transporte alternativo”, declara Jefferson Dias Gomes Neves Cansou, advogado da Cooperativa do Transporte de Passageiros (Coopertransp).

O defensor afirma que limitar a bilhetagem eletrônica ao transporte convencional representará uma queda de cerca de 50% no número de passageiros conduzidos pelas lotações. “Atualmente, os perueiros transportam cerca de 150 passageiros pagantes e 70 isentos (deficientes físicos e aposentados). E não há qualquer subsídio”.

Mas Marco Cruz adianta que a intenção do Município é expandir a bilhetagem para o transporte alternativo. “Não teria motivo para ficar de fora se o nosso intuito é ter um sistema de transporte integrado na Cidade”.




READ MORE - Cubatão passará a contar com um sistema de bilhetagem eletrônica

Governo de Pernambuco lança plano para novas rodovias

É unanimidade que Pernambuco tem vivido um de seus melhores momentos na economia. No ano passado, o estado cresceu 5,2% e, neste ano, espera acompanhar a média de crescimento nacional. Mas os bons frutos trazidos pelo boom econômico também geraram desafios como o da mobilidade. O governo do estado sabe que, para manter os empreendimentos já atraídos e viabilizar outros, é necessário investir na infraestrutura de transporte. Afinal, a riqueza tem que circular pelo estado, alcançando todas as regiões. O turismo e a própria mobilidade urbana também precisam fluir por caminhos “bem pavimentados”. Foi com esse olhar integrado, pensando no presente e, sobretudo, no futuro que o estado vislumbra, que o governador Eduardo Campos lançou, ontem, no Palácio do Campo das Princesas, o Plano de Infraestrutura Rodoviária de Pernambuco - Caminhos da Integração. A meta é ousada: se tudo correr dentro do prazo programado, o governo quer que, em 2014, o estado esteja entre os três do país com as melhores estradas e a melhor infraestrutura para o transporte de pessoas e mercadorias.

Com 12,5 mil quilômetros de estradas, entre estaduais e federais, sendo que 60% delas com mais de 20 anos de existência, o estado tem mais da metade de suas rodovias classificadas entre regular (44,6%), ruim (23,2%) e péssima (6,9%), segundo dados da Confederação Nacional de Transportes (CNT) de 2010. Com o plano, o governo quer mudar esses percentuais, investindo R$ 1,98 bilhão em restauração, requalificação, conservação e duplicação de rodovias, além de implantação de novas.

“Queremos recuperar nosso patrimônio rodoviário. Não dá para fazer somente tapa-buraco. Temos um amplo programa que vai dotar Pernambuco de uma infraestrutura logística, com a crença de que ela vai ajudar a direcionar os investimentos”, declarou o governador.



READ MORE - Governo de Pernambuco lança plano para novas rodovias

Em Uberaba, Empresas querem reajustar tarifa para cobrir aumento de salário

Antes mesmo de cumprir o acordo fechado com os trabalhadores que prevê reajuste de 8% nos salários e o aumento no vale-alimentação para R$270, os empresários do transporte coletivo urbano já falam em reajuste na tarifa do serviço. De acordo com diretor da Piracicabana, Carlos Roberto Cherulli, será encaminhado ofício ao prefeito Anderson Adauto solicitando a antecipação do reajuste da tarifa do transporte.

O usuário do transporte coletivo sempre começa o ano tendo de desembolsar mais, entretanto, os diretores das empresas Líder e Viação Piracicabana irão solicitar ao prefeito que antecipe o reajuste. “É um costume errado aumentar a tarifa somente uma vez no ano, na verdade, o reajuste tem de acontecer quando existe o desequilíbrio, e o aumento no salário dos funcionários faz isto acontecer”, afirma Cherulli, ressaltando que está nas mãos do prefeito fazer a mudança agora ou não.

De acordo com o diretor, a proposta feita aos sindicalistas foi acima do que a empresa poderia oferecer, mas satisfazer os funcionários também é preciso. “Com certeza teremos de aumentar a tarifa, se não for agora, será no ano que vem, pois o reajuste é calculado diante do custo, e se aumentam os nossos gastos, temos de aumentar o dinheiro que entra”, explica Cherulli, lembrando que o maior custo das empresas é com a mão-de-obra.

O dissídio coletivo gira em torno da inflação do ano anterior e o índice inflacionário de 2010 foi de 6,87%. O reajuste dado aos funcionários de 8% e um vale-alimentação mensal de R$270 não ficaram dentro do orçamento das empresas. “Pode parecer pouco, mas o salário que hoje é R$1.060 vai aumentar para R$1.140 e o vale-alimentação vai de R$150 para R$270”, afirma o diretor, lembrando que a data-base da classe é em agosto, portanto, vão ser pagos retroativos aos funcionários.


READ MORE - Em Uberaba, Empresas querem reajustar tarifa para cobrir aumento de salário

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960