Recife vai ter greve de ônibus amanhã

terça-feira, 14 de junho de 2011

Motoristas e cobradores de ônibus decidiram, em assembleia no fim da tarde desta terça-feira (14), fazer uma greve de advertência de 24 horas. A paralisação acontece a partir da meia-noite desta quarta-feira (15) e vai até 0h de quinta-feira.
A paralisação acontece porque os manifestantes querem 22% de aumento, mas os patrões ofereceram apenas 5%. Nesse instante, eles estão em passeata pela Avenida Agamenon Magalhães, em direção à Avenida Guararapes para alertar para a população e a categoria sobre a paralisação. Um grande congestionamento acontece na Agamenon.
A categoria vive um dilema. Enquanto parte dos manifestantes quer que, nesta quarta, os motoristas saiam das garagens e abandonem os carros no meio da rua, outros são contrários à medida. Eles terão uma nova assembleia na Avenida Guararapes para decidir o que fazer.
Diariamente, o fluxo de pessoas que utilizam ônibus no Grande Recife é de aproximadamente 1,8 milhão pessoas.
Ainda está indefinida a quantidade mínima exigida por lei de ônibus para circularem pela cidade, mas nos entornos das negociações, fala-se que apenas 30% da frota circularão nesta quarta-feira.

Meu Transporte

READ MORE - Recife vai ter greve de ônibus amanhã

Em São Paulo, Começam as desapropriações para construir monotrilho

Apesar de todo o projeto ainda estar parado na Justiça, o Metrô de São Paulo começou a desapropriar os terrenos para a construção da futura Linha 17-Ouro - monotrilho que vai ligar o Aeroporto de Congonhas à região do Morumbi. Inicialmente, foram declarados de utilidade pública 65 imóveis nos bairros da Saúde e do Campo Belo, ambos localizados na zona sul da cidade.

O primeiro dos três decretos previstos para a desapropriação de imóveis foi publicado na edição de sábado do Diário Oficial do Estado. O texto prevê a utilização de uma área de aproximadamente 21,3 mil quilômetros quadrados - o equivalente a três campos de futebol se estivessem juntos.

O chamado monotrilho do Morumbi terá 17,9 quilômetros de extensão, entre a Estação Jabaquara (Linha 1-Azul) e a futura São Paulo-Morumbi (Linha 4-Amarela). As composições vão circular a uma altura de 15 metros e passar por bairros nobres, como Brooklin, Granja Julieta, Campo Belo e Morumbi.

O primeiro decreto, no entanto, prevê desapropriação de terrenos no trecho entre a Estação São Joaquim e a Marginal do Pinheiros. Ficará para depois a definição dos imóveis que serão utilizados na região do Panamby, o ponto mais polêmico do projeto.

O projeto para a futura Linha 17-Ouro está parado na Justiça devido a uma liminar concedida em dezembro, que impede a assinatura do contrato com a empresa vencedora da licitação. A Sociedade dos Amigos de Vila Inah (Saviah) entrou com ação contra o projeto, alegando que ele não tem estudos de impacto ambiental e na vizinhança, nem seu traçado detalhado. O Metrô recorreu, mas, em março, a Justiça manteve a proibição. A liminar que está barrando a Linha 17-Ouro do Metrô deve ser analisada ainda nesta semana pelo Tribunal de Justiça.


As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

READ MORE - Em São Paulo, Começam as desapropriações para construir monotrilho

Volvo fabricará ônibus híbridos no Paraná

A Volvo vai fabricar em Curitiba o primeiro veículo híbrido do país. Depois de ganhar uma disputa com unidades da montadora na Índia e no México, a fábrica da Cidade Industrial de Curitiba (CIC) vai montar chassis de ônibus movidos a eletricidade e diesel. O investimento previsto é de R$ 16 milhões, e estão sendo contratados cerca de 30 engenheiros para adaptar a tecnologia desenvolvida pela empresa na Suécia para o mercado brasileiro.

Durante o anúncio do projeto ontem em Gotemburgo, na Suécia, onde está a sede da montadora, o prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, afirmou que autorizou a compra de 60 veículos híbridos pelas empresas que operam no transporte da capital. Os ônibus devem começar a ser incorporados à frota no segundo semestre de 2012 e em 2013, em seis linhas de transporte. Estima-se que o preço de cada ônibus já encarroçado fique entre R$ 650 mil e R$ 700 mil, cerca de 70% mais do que os convencionais.

Serão produzidos inicialmente chassis híbridos convencionais, sem articulação, mas a direção da Volvo deve definir até o fim do ano se produzirá também chassis articulados. “Se formos produzir, teremos um incremento de investimento de pelo menos US$ 15 milhões para essa linha”, disse, em entrevista por telefone desde a Suécia, Luis Carlos Pimenta, presidente da Volvo Latin America.
Os engenheiros contratados nesta primeira fase vão desenvolver o projeto em conjunto com as fabricantes de carrocerias. Fruto de cerca de dez anos de estudos, o híbrido da Volvo começou a ser feito na fábrica de Borös, na Suécia, e montado em Wroclaw, na Polônia, no ano passado. Ao contrário do Brasil, na Europa a Volvo também produz as carrocerias.
Os ônibus híbridos suecos já rodam em dez países, entre eles Inglaterra, Holanda, Espanha e Itália. “As grandes cidades estão sendo guiadas cada vez mais pela economia de combustível e redução de emissões. Trata-se de uma tecnologia que tende a crescer em cidades acima de 2 milhões de habitantes”, disse Pimenta.
O veículo híbrido – que tem um motor a diesel e outro elétrico – promete uma economia de 35% de combustível, e uma redução de 80% a 90% na emissão de poluentes. Mas o impacto na qualidade do ar em Curitiba, ao menos no início, será pequeno: os 60 veículos que devem ser comprados vão representar cerca 3% da frota total da cidade, de 1.915 ônibus. Os híbridos vão usar biodiesel B100, que já é usado em 30 veículos na cidade.
Segundo a Urbanização de Curitiba S.A (Urbs), serão 34 veículos híbridos em uma primeira fase, o que vai significar uma substituição inicial de 9,3% da frota das linhas onde vão operar os ônibus.

Desenvolvimento
A produção do híbrido em Curitiba deve começar no fim do primeiro semestre de 2012, com 80 unidades. Hoje a capacidade de montagem de ônibus da Volvo na Cidade Industrial de Curitiba é de 4 mil unidades por mês, em três turnos de produção.
Curitiba é considerada hoje um centro de desenvolvimento de novas tecnologias dentro do grupo Volvo, o que pesou na decisão de trazer para a cidade a nova linha de produção, segundo Pimenta. No ano passado, a Volvo testou um ônibus híbrido importado da Suécia nas ruas de Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro e Santiago, no Chile. A intenção é negociar a venda dos chassis produzidos no Brasil para outros estados e países onde a montadora já opera com os chamados BRTs (Bus Rapid Transit, na sigla em inglês), como Santiago, Bogotá e Cidade do México. “Com o crescimento dos BRTs em função da Copa do Mundo e da Olimpíada, acredito que esse mercado tem grande potencial de crescimento”, disse o executivo.

Sem aumento
O prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, afirmou que a substituição de ônibus convencionais por híbridos não significará aumento do preço da tarifa. “O valor inicial maior é compensado pela redução dos gastos com a diminuição no consumo de combustível”, afirmou. A vida útil do híbrido é maior – de 12 anos, contra dez anos dos atuais. Segundo Ducci, a Volvo não recebeu incentivos fiscais para a implantar a nova linha de produção.
Veículos serão usados em linhas centrais
Autarquia que gere o transporte coletivo da capital, a Urbs anunciou que a primeira linha a operar o híbrido será a Interbairros 1 (sentido horário e antihorário), que circula em bairros no entorno do Centro. Dez dos 111 ônibus que fazem a rota serão trocados até o fim de 2012. Numa segunda etapa, até o fim de 2013, os híbridos vão circular nas linhas Detran-Vicente Machado, Água Verde-Abranches, Ahú-Los Angeles, Juvevê-Água Verde e Jardim Mercês-Guanabara. Dos 254 veículos que operam essas linhas, 24 serão do modelo novo. O objetivo da Urbs é iniciar as operações nas linhas que ligam bairros opostos e passam pelo região central de Curitiba, diminuindo a poluição sonora e atmosférica.
A Gazeta do Povo procurou as empresas que operam as linhas citadas pela Urbs – Auto Viação Marechal, Auto Viação Araucária, Transporte Coletivo Glória, Auto Viação Santo Antônio e Auto Viação Redentor –, mas não conseguiu contato ou um responsável para comentar o anúncio.
Por meio de sua assessoria de imprensa, a Associação das Empresas de Transportes Cole­tivos Urbanos e Interur­banos do Estado do Paraná (Setransp), afirmou que toda inovação tecnológica que busque melhorar a qualidade do transporte público é bem-vinda, mas que ainda é preciso discutir o custo dos novos veículos.




READ MORE - Volvo fabricará ônibus híbridos no Paraná

Em Maceió, Câmara aprova projeto que normatiza transporte coletivo

Os 19 vereadores presentes à sessão desta terça-feira, dia 14, na Câmara de Maceió aprovaram os pareceres da CCJ e o projeto de lei que regulamenta o processo de licitação do transporte coletivo urbano de Maceió. O projeto segue – agora – para votação em segunda discussão, o que pode ocorrer na sessão desta quarta ou quinta-feira, segundo expectativa do presidente da Casa, Galba Novaes (PRB).
De acordo com o presidente da Casa de Mário Guimarães, a ‘celeridade’ dada ao projeto representa o comprometimento do Legislativo com a população da capital. “85% do projeto é baseado na lei federal, os 15% restantes foram adequados para atender as peculiaridades de Maceió”, destacou o edil.
Ainda segundo Novaes, o projeto chegou à casa em abril e dentro de uma semana pode ser sancionado pelo prefeito Cícero Almeida (PP). Questionado se poderia haver alguma alteração no projeto de lei, Galba disse que o colegiado é soberano. Os prazos declarados por Galba não condizem com informações veiculadas na imprensa, que dão conta que o projeto chegou ao Legislativo em novembro do ano passado.
Já o relator do projeto, vereador Ricardo Barbosa (Psol), apontou para a importância da aprovação dos pareceres emitidos pela Comissão de Constituição e Justiça da Casa (CCJ). "Cumprimos com nossa obrigação. O serviço de transporte público na nossa cidade é de péssima qualidade, a população externa isso diariamente e não poderíamos deixar de discutir o tema", afirmou.
A polêmica envolvendo o transporte público da capital já se desenrola há tempos. O Ministério Público Estadual, por meio dos integrantes da Fazenda Pública, acionou a Justiça e obrigou a prefeitura a dar início ao processo licitatório.
Denúncias de favorecimento de empresas, inclusive com financiamento de campanhas políticas, além do evidente sucateamento da frota, levam a reclamações constantes sobre o setor. O projeto de lei aprovado na Câmara de Maceió deverá servir de norte para todo o processo licitatório, que será conduzido pela Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT).


READ MORE - Em Maceió, Câmara aprova projeto que normatiza transporte coletivo

Recife pode ter greve de ônibus nesta quarta-feira

Motoristas e cobradores se reúnem hoje para decidirem se entram em greve amanhã ou não, está é a 4ª e ultima mesa de negociação entre empresas e sindicato, segundo informes do sindicato, os rodoviários estão pedindo aumento de 22% e mais aumento no ticket de R$ 125,00 para R$ 192,00, os trabalhadores reivindicam ainda melhorias na qualidade dos serviços, devido a muitos terminais não terem condições de infra-estrutura e também por motivos operacionais de cumprimento de horários.

“Estamos sem reajustes salariais, não estão pagando os adicionais direito e nem a nossa hora extra. Quando pagam é de forma incorreta. Somado a isso, tem as condições precárias de trabalho. Alguns terminais não têm nem banheiro para usarmos. Por conta disso, tem muito motorista indo trabalhar em Suape, pois pagam melhor e dão boas condições de trabalho”, comentou um motorista, numa parada de ônibus, enquanto esperava os passageiros entrar no coletivo.
Se estas reinvidicações não forem aceitas, a cidade do Recife vai ficar sem ônibus nesta quarta-feira, deixando mais de 1,5 milhão de pessoas sem transporte.
Em breve mais informações sobre essa possível greve de ônibus na capital pernambucana e região metropolitana.

Fonte: Meu Transporte

''Gostou do Blog, então adicione a seus favoritos e seja um seguidor, Blog Meu Transporte é um espaço de um usuário de ônibus de Recife, venha fazer parte desta família, mande informações e denúncias para mostrarmos juntos a real situação do transporte em nossa cidade.''


Share |
READ MORE - Recife pode ter greve de ônibus nesta quarta-feira

Em Fortaleza, Primeiro VLT da Linha Oeste começa circular

Começou a operar em fase de testes dinâmicos, nesta segunda-feira (13), o primeiro veículo leve sobre trilhos (VLT) que vai compor a Linha Oeste do Metrô de Fortaleza. O governador Cid Gomes acompanhou o início operação realizando o percurso que se iniciou na Estação de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), e se encerrou na Estação João Felipe, no Centro de Fortaleza. O VLT é o primeiro, de seis trens adquiridos pelo Governo do Estado, que vai operar na Linha Oeste ligando Caucaia a Fortaleza. Na ocasião, Cid Gomes entregou a população os trens que já compõem essa Linha totalmente reformulados.

Segundo o Governador, o Estado vem realizando ações com o objetivo de ampliar e melhorar a oferta do transporte público no Ceará. Além da reformulação da Linha Oeste, deverá ser inaugurada até o fim do ano a Linha Sul do Metrô de Fortaleza, que se inicia em Pacatuba e vai até o Centro, funcionado com veículo elétricos. “O ramal que liga os bairros Parangaba e Mucuripe entrará em operação no início de 2014, para atender as demandas da Copa. Também está em processo avançado o projeto da Linha Leste, que vai do Centro de Fortaleza até o bairro Edson Queiroz”, explicou Cid. Com a implantação desses projetos serão 970 mil passageiros sendo transportados diariamente.

O Estado investiu R$ 124 milhões na aquisição dos seis VLTs; recuperação de 13 carros de passageiros, conhecidos como Pidners; reforma de quatro locomotivas; e melhorias na estações que compõe a Linha Oeste. Do montante, R$ 80 milhões - sendo R$ 70 milhões da União e R$ 10 milhões do Estado -, foram destinados somente na recuperação dos trens, que receberam revestimento em fibra de vidro reforçado e pintura automotiva, janelas em policarbonato, pisos em PVC/PRFC, bancos com acentos individuais, melhorias na iluminação e acionamento de portas e ar-condicionado. “O Governo Estadual quer garantir aos usuários tanto segurança como conforto. A aquisição desses VLTs vai ampliar a prestação desse serviço. Nessa fase vão funcionar em testes dinâmicos, para em breve operar em horário comercial transportando passageiros”, explicou o secretário da Infraestrutura, Adail Fontenele.


Além da reforma e aquisição de novos veículos, foram recuperados 17 quilômetros de via permanente e duplicados outros 2,5 quilômetros, reformadas nove estações, e realizado o trabalho de sinalização das passagens de nível. Também foi concluído o viaduto rodoviário Visconde de Cauípe, em Caucaia. Cerca de 13 mil passageiros, que fazem o trajeto Caucaia-Fortaleza diariamente, serão beneficiados a ação. “A Linha Oeste vai operar de forma mais eficiente. Os trens foram melhorados e consequentemente vai melhorar o nível desse tipo de transporte que é tão importante para a população”, reforçou o presidente da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), órgão responsável pera recuperação dos trens, Rômulo Fortes.

Fases dos VLTs

Nessa primeira etapa não serão transportados passageiros. Em julho, deve ter início a operação assistida, em que o trem circula já com passageiros, mas em um período de tempo menor e sem cobrança de bilhete. Após a realização dos ajustes finais, terá início a operação comercial. Ao todo a Linha Oeste é composta por 46 viagens diárias.


Fonte: Governo do Ceará



READ MORE - Em Fortaleza, Primeiro VLT da Linha Oeste começa circular

No Rio, Governo e SuperVia devem anunciar hoje compra de mais 90 trens até 2015

O governador Sérgio Cabral e o presidente da SuperVia, Carlos José Cunha, devem anunciar hoje uma série de medidas como o aumento dos investimentos da empresa, de R$ 1,25 bilhão, até 2048. Ambos estimavam aplicar juntos R$ 2,5 bilhões. Dentre as novidades, está uma nova licitação internacional do governo para compra de 60 trens.
Esta é a deixa para a SuperVia antecipar a encomenda de outros 30, com recursos próprios, num pacote de 90 composições. A ideia é ter todas prontas até 2015. Com isso e a reforma de 73 trens, a empresa chegará a 2023 com 231 composições refrigeradas. Essa renovação baixará a idade média da frota, de 35 para 16 anos.
A SuperVia anuncia ainda o fim da grade de horários e a adoção de uma de intervalos, como o metrô, em setembro. Essa medida foi revelada pelo EXTRA em sua edição de 16 de maio de 2010 e passa a vigorar em setembro. Trata-se do pontapé inicial para a implantação do sistema de proteção automática (ATP, na sigla em inglês), que estará instalado pela canadense Bombardier no ramal de Deodoro em novembro de 2012.
As demais linhas utilizarão o sistema já em 2013. Com o ATP, o tempo de espera entre um trem e outro cairá pela metade, chegando a três minutos no ramal de Deodoro. O investimento é de R$ 125 milhões.
Jà as informações de problemas na ferrovia serão dadas pelo centro de operações e não mais pelos maquinistas — que o faziam de improviso e a contragosto, por não ser sua atribuição. A ouvidoria da companhia também passará a atuar durante o dia todo.
A revitalização da antiga linha entre Santa Cruz e Itaguaí é outro item da pauta, bem como a lavagem dos trens, hoje feita a cada 40 dias. Esse intervalo cairá para 15 idas. Mas ainda pode melhorar. Em Londres, por exemplo, as composições do metrô são lavadas diariamente. A limpeza interna dos vagões também foi reforçada com a substituição da firma que prestava o serviço.
Os passageiros também terão bicicletários gratuitos à sua disposição nas estações mais movimentadas e permissão para transportar bicicleta nos trens, nos fins de semana, a partir das 14h.



READ MORE - No Rio, Governo e SuperVia devem anunciar hoje compra de mais 90 trens até 2015

Apresentado os corredores BRT ''Norte-Sul, Leste-Oeste e BR-101'', que prometem revolucionar o sistema de transporte coletivo no Recife e Região Metropolitana

A Região Metropolitana do Recife está a um passo de dar um dos maiores saltos de qualidade na história do Transporte Público de Passageiros, em um arrojado projeto realizado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria das Cidades. Com a implantação dos corredores exclusivos de ônibus nos moldes do BRT (Bus Rapit Transit), a população terá um ganho no tempo de suas viagens de 15 a 30 minutos. Será a mais ambiciosa intervenção no setor, com investimento de, aproximadamente, R$ 1 bilhão e que chama atenção quando calculamos a redução do tempo gasto nas viagens diárias dos passageiros que trabalham no Grande Recife. Para percorrer os 12,3 km de extensão do Corredor Leste-Oeste, trecho que sai de início em Camaragibe e segue até o centro do Recife, por exemplo, os usuários gastam hoje em um ônibus comum cerca de 1h45min.

Com a implantação do corredor exclusivo de BRT, esse tempo cairá para 1h15min. Esse ganho de meia hora em cada viagem diária, significa que o trabalhador terá economizado um dia de seu tempo ao final de cada mês.

Além do ganho de tempo nas viagens, o modelo de transporte BRT a ser adotado nos 100 km de extensão dos corredores Norte-Sul, Leste-Oeste e BR-101, permitirá mais conforto e segurança aos usuários, já que todos são equipados com ar-condicionado, sistema de segurança através de registro de imagens, contagem eletrônica de passageiros e GPS. Esse modelo existe hoje em cidades como Bogotá (Colômbia), Paris (França) e Curitiba (Brasil). Esses veículos também cobram a tarifa antes de o passageiro entrar no ônibus e os embarques e desembarques são feitos em miniestações construídas no mesmo nível dos coletivos, o que agiliza o tempo de parada dos veículos.

Segundo o secretário das Cidades, Danilo Cabral, “outro benefício é que os corredores vão acabar com o conflito que existe hoje entre o transporte público e o individual, já que os ônibus circularão em vias exclusivas e os semáforos serão sincronizados. Também, serão realizadas intervenções viárias como a construção de estações elevadas, viadutos e túneis, evitando o tráfego rotineiro e facilitando assim o fluxo dos coletivos”.

Transparência
Para garantir a transparência dos projetos dos três corredores a Secretaria das Cidades (Secid) montou um Grupo de Trabalho com o Tribunal de Contas do Estado para construir juntos os editais de licitação das obras. Também hoje, a Secid realiza uma audiência pública no auditório do TCE-PE às 14h30, para apresentar os projetos à sociedade.

Passada a audiência pública, o Estado tem mais 15 dias úteis para publicar o edital de licitação dos projetos. Tempo suficiente para fazer as alterações e ajustes que surjam durante o debate. “Estamos trabalhando para publicar esses editais em julho e assim termos a garantia de que em 2013 estaríamos com as obras prontas para que Per­nambuco possa, inclusive, credenciar-se para sediar também a Copa das Confederações”, disse o secretário Danilo Cabral, lembrando que cada obra leva em torno de 24 meses para ser entregue.

Saiba mais
Corredor Leste-Oeste - Será responsável pelo transporte dos passageiros na praça do Derby até o Terminal Integrado de Camaragibe, com extensão de 12,3 quilômetros. 

Corredor da BR 101 (IV Perimetral): Com início no entroncamento da BR-101 com a PE-15 seguindo até Cajueiro Seco, em Jaboatão, a obra de construção do corredor da BR-101 tem um investimento estimado de R$ 480 milhões.

Corredor Norte-Sul: Com uma demanda atual de 146 mil passageiros por dia, o corredor Norte Sul será implantado a partir do Terminal Integrado de Igarassu e nessa primeira etapa a intervenção seguirá até o Centro do Recife. O segundo trecho seguirá do Tacaruna até a avenida Barão de Souza Leão.


Fonte: Folha PE

READ MORE - Apresentado os corredores BRT ''Norte-Sul, Leste-Oeste e BR-101'', que prometem revolucionar o sistema de transporte coletivo no Recife e Região Metropolitana

RMTC Goiânia renova frota de ônibus do Serviço Acessível

A frota de veículos da RMTC 100% acessíveis, será renovada a partir desta quinta-feira, 07. A entrega dos veículos será feita às 9h no Sest/Senat. O investimento total feito pelas operadoras do transporte coletivo foi de R$1,3 milhão. Os cinco novos carros são do ano de 2011 e atendem ao Regimento Interno do Transporte Acessível da Região Metropolitana, de 2006, que regulamenta os veículos destinados exclusivamente a portadores de necessidades especiais. Além disso, estão de acordo com a Normativa de Segurança ABNT-NDR-1422. Portanto, em relação ao modelo anterior, na qual os bancos do acompanhantes e cadeirante eram voltados para a lateral oposta, na nova configuração os mesmos são posicionados para a frente do veículo. Desta maneira, a cadeira de rodas ficará localizada ao lado de quem acompanha, o que dá maior segurança e facilita a movimentação e auxílio. A fixação da cadeira se dá por uma estrutura de metal individualizada.

Os novos ônibus possuem pintura distinta. Ainda que adotem o padrão dos demais veículos da Rede, uma faixa vermelha na porta do meio e outra na traseira diferenciam tal serviço. O interior é adaptado para oferecer maior comodidade e segurança a quem utiliza. São oito lugares exclusivos para transportar pessoas em cadeira de rodas e 12 poltronas estofadas para os acompanhantes. Ainda em consonância à nova regulamentação, quatro lugares para cadeira de rodas tiveram que ser retirados; em contrapartida, três assentos a mais estão disponíveis.

Atualmente cinco rotas são oferecidas, todas passam por 13 entidades parceiras como centros de tratamento, atendimento e fisioterapia a portadores de necessidades especiais, além de laboratórios de análises clínicas. O objetivo é oferecer maior mobilidade àqueles que necessitam de tratamento contínuo ou por tempo indeterminado. A ação beneficia 203 pessoas cadastradas que utilizam o serviço cotidianamente, em 136 bairros nos municípios de Goiânia, Trindade, Aparecida de Goiânia e Senador Canedo. Os interessados devem entrar em contato com a CMTC para fazer cadastro prévio a fim de analisar o local de moradia de quem solicita com a viabilidade de incluí-lo em um dos trajetos existentes – uma vez que o embarque é realizado na porta da casa do cliente.

RMTC acessível

A aquisição de novos veículos acessíveis faz parte da política de inclusão desenvolvida pela RMTC. Além deste serviço específico, dos 1371 ônibus da Rede, 80% contam com elevadores especialmente projetados para o embarque de cadeirantes, sendo que em todas as 257 linhas em operação há, ao menos, um veículo acessível. Em todos os ônibus há, ainda, espaço reservado e cinto de segurança especial para a acomodação de uma cadeira de rodas, além de banco para acompanhante. “Queremos garantir a todos os cidadãos o direito de ir e vir com segurança, inclusive a quem é portador de alguma necessidade especial”, enfatiza o diretor do Consórcio Rmtc, Leomar Avelino.

Os terminais de integração também focam a acessibilidade. A partir da reforma ou ampliação dos mesmos, está previsto a instalação de elementos como rampas de acesso, piso podotátil (para orientação de deficientes visuais), sistema de sonorização, treinamento dos organizadores de fila para auxílio no embarque/desembarque. O terminal Cruzeiro, com fluxo de mais de 50 mil pessoas por dia, já conta com as facilidades que, em breve, serão disponibilizadas ao Bandeiras e Garavelo – com a construção do terminal definitivo.

O passe livre aos portadores de necessidades físicas, visuais, renais, fonoauditivas ou de terapia educativa especial também é assegurado pela RMTC. Para ter o benefício é necessário agendar perícia médica na sede do SIT-PASS no Parthenon Center (Rua 4, Centro) e portar documentação pessoal ou outros requisitados no ato da solicitação. Cerca de 30 mil pessoas, das quais 20% referem-se a acompanhantes, possuem o cartão que dá direito a seis viagens diárias no serviço convencional. São realizadas em média 805.000 viagens por mês sem pagamento de tarifa, algo que se pago fosse representaria R$2 milhões por mês.

 
Fonte: RMTC Goiânia


READ MORE - RMTC Goiânia renova frota de ônibus do Serviço Acessível

Em São Paulo, Moradores reclamam do estado de conservação de ônibus

Os moradores de Cidade Tiradentes, na Zona Leste da capital paulista, passam até seis horas dentro do ônibus todos os dias para ir e voltar ao trabalho no Centro. São três horas para ir de casa para o Terminal Princesa Isabel. A distância até a região central é grande, mas a viagem poderia ser mais rápida se os ônibus não quebrassem tanto pelo caminho.
“Eu estou desde as 4h30 para poder chegar 8h no Hospital das Clínicas”, reclama a dona de casa Maria Regina de Souza, em um ponto de ônibus do bairro.
“A gente já chega estressado porque a condução nossa todo dia é a mesma coisa. Tem dias que você fica 40 minutos esperando a condução e não passa”, reclama José Roberto Soares, representante comercial.
Segundo os moradores de Cidade Tiradentes, a superlotação dos coletivos é rotina. “A perna dói, os braços doem segurando no ferro”, conta outra passageira. “Se não segurar, você cai. Não temos segurança nenhuma. Já vi uma vez motorista no celular”, completa outro passageiro.
Entre os depoimentos, há relatos de baratas e ratos dentro dos ônibus. Quando chove, passageiros contam que existem goteiras. Contudo, o problema mais recorrente é a quebra dos veículos no meio do trajeto. “Muitos quebram no caminho”, diz um rapaz.
A equipe de reportagem do SPTV acompanhou a rotina desses passageiros. Às 6h30 da manhã, um ônibus quebrou e passageiros tiveram que embarcar em outro. Já 7h20, o ônibus que a equipe estava também quebra e as pessoas tiveram que descer na Avenida Celso Garcia.
“É o encaixe das rodas. Como ele estava muito pesado, o espigão ficou torto e o pneu apegando na lataria. O carro não é velho, a manutenção é precária”, conta o motorista Antonio Carlos Nascimento. Os próximos ônibus vêm lotados e os passageiros querem ir para o trabalho. “O trabalho nem cansa muito. Essa condução que é horrível”, fala uma das passageiras.
São 34 km de Cidade Tiradentes até o Terminal Princesa Isabel. O gerente da regional leste da SPTrans, Wagner Chagas, disse que as melhorias estão sendo feitas. “Nas últimas semanas já fizemos algumas mudanças na linha. Já foram trocados 20 ônibus dessa linha. Daria para fazer a viagem mais rápida, mas a linha trafega por corredores de tráfego intenso.”


Fonte: G1.com.br

READ MORE - Em São Paulo, Moradores reclamam do estado de conservação de ônibus

Curitiba terá 60 ônibus movidos a eletricidade e a biodiesel a partir de 2012

Ônibus híbrido em São Paulo
O prefeito Luciano Ducci e o presidente mundial da Volvo, Hakan Karlsson, anunciaram nesta segunda-feira (13), em Gotemburgo, na Suécia, que a Volvo vai investir R$ 200 milhões em Curitiba. Os investimentos incluem, além do aumento da produção, a implantação de uma fábrica de ônibus híbridos com motores elétrico/biodiesel na capital do Paraná. "Curitiba será a primeira cidade da América Latina a ter o hibribus atendendo a população, com 60 ônibus a entrar no sistema a partir de 2012", anunciou Luciano Ducci.

Curitiba venceu Índia e México na disputa para a implantação da fábrica de hibribus. "Também seremos a primeira cidade da América Latina a fabricar o ônibus elétrico/biodiesel. É uma conquista que reforça os avanços da cidade, principalmente na área de transporte e desenvolvimento com foco no respeito ao meio ambiente", afirmou Luciano Ducci.

Investimentos - Além da linha de produção do hibribus, a Volvo também terá investimentos na ampliação da fábrica de pintura, na expansão do Centro de Operações Logísticas e na nacionalização das linhas de motores de 11 litros e de caixas de transmissão eletrônica para ônibus e caminhões.

O investimento na linha do hibribus será de R$ 16 milhões, com geração de 30 empregos de alta qualificação, para engenheiros. O desenho do chassi do hibribus será feito em Curitiba.

Operação - A primeira linha de Curitiba a ter o hibribus será a do Interbairros 1, que circula em bairros no entorno do Centro. Na segunda etapa, os ônibus híbridos atenderão as linhas Detran-Vicente Machado, Água Verde-Abranches, Ahú-Los Angeles, Juvevê-Água Verde e Jardim Mercês-Guanabara.

"São linhas que ligam bairros opostos e passam pelo Centro. Com o hibribus, teremos ônibus mais silenciosos e menos poluentes nestes locais", disse o presidente da Urbs, Marcos Isfer, que também participou do anúncio na Suécia. A Urbs gerencia o transporte coletivo em Curitiba.

Produção - A nova linha da Volvo vai produzir chassis de ônibus híbridos, movidos a eletricidade e a biodiesel. O produto escolhido é um chassi padrão, na configuração 4x2 eixos. O motor tem tecnologia similar à usada da Fórmula 1, que transforma energia mecânica em energia elétrica.

A Volvo é o primeiro fabricante a produzir veículos híbridos no Brasil. A pré-produção começa no próximo ano, com uma previsão de 80 unidades. A operação brasileira será a primeira a fabricar híbridos fora da Suécia. Os híbridos da Volvo são produzidos conjuntamente por duas plantas - a de Boros, a 80 quilômetros de Gotemburgo, e a de Wroclaw, na Polônia.

Dois motores - O ônibus tem dois motores, um a biodiesel e outro elétrico, que funcionam em paralelo ou de forma independente. O motor elétrico é utilizado para arrancar o ônibus e acelerá-lo até uma velocidade de aproximadamente 20 quilômetros por hora, e também como gerador de energia durante as frenagens.

O motor biodiesel entra em funcionamento em velocidades mais altas. A cada vez que se acionam os freios, a energia de desaceleração é utilizada para carregar as baterias.

Quando o veículo está parado, seja no trânsito, em pontos de ônibus ou em semáforos, o motor biodiesel fica desligado. Estudos da Volvo demonstram que o tempo que o veículo fica parado pode representar até 50% do período total de operação do ônibus. Durante todo esse tempo, não há emissões de poluentes, pois o motor biodiesel se apaga completamente.

"Esta tecnologia tem duas vantagens principais: mais economia de combustível e grande redução no impacto ambiental", destaca Luis Carlos Pimenta.


Fonte: Jornale

READ MORE - Curitiba terá 60 ônibus movidos a eletricidade e a biodiesel a partir de 2012

Em São José dos Campos, Motoristas e cobradores recebem treinamento

Um programa de treinamento para motoristas e cobradores do sistema de transporte público começa nesta terça-feira (14) em São José dos Campos. Entre os assuntos que serão abordados estão: motivação, orgulho no trabalho que realiza, cuidados com a aparência, cuidados com idosos e deficientes, a relação com os adolescentes e situações de estresse. A capacitação será realizada no Espaço Mario Covas (Praça Afonso Pena, 29), no centro.

O “Transporte Bem” é um programa que vai abranger 1.350 profissionais. Durante cerca de três meses, eles estarão recebendo várias informações de uma equipe especializada em Recursos Humanos. As turmas (manhã e tarde) serão divididas em 60 pessoas, que passarão por sete horas semanais de curso. O encerramento do curso está previsto para o dia 24 de setembro.

É a primeira vez que um treinamento desse porte é realizado em São José dos Campos. Baseada na andragogia (ensino para adultos), a metodologia do programa visa o “princípio do compartilhar” e dessa forma melhorar ainda mais a relação motorista/cobrador/passageiro.

Para um dos coordenadores do treinamento, a intenção é ressaltar a qualidade na prestação de serviços e “mostrar o poder de um sorriso na relação entre pessoas”. Lincoln Firoozmand explica que “os serviços propostos visam aprimorar as funções dos motoristas e cobradores, garantindo melhores resultados quanto ao seu desempenho e gerando consequentemente a satisfação dos usuários.”

Fonte:
Agora Vale

READ MORE - Em São José dos Campos, Motoristas e cobradores recebem treinamento

Metrô de SP reforma trens e amplia a capacidade

A Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) está reformando os 98 trens originais das Linhas 1-Azul e 3-Vermelha. Nesse processo, a parte interna das composições é reformulada, com a retirada de assentos, o que amplia a capacidade de passageiros transportados. O investimento total é de R$ 1,75 bilhão.
Segundo a Alstom, uma das empresas que trabalham na reforma dos trens, a capacidade nas composições da Linha 1 vai subir para 2.082 passageiros por trem (com seis vagões), um ganho de 150 vagas. Já na Linha 3 os trens ganharão espaço para mais 126 passageiros, atingindo capacidade de 2.126 vagas.
De acordo com Ramon Fondevila, diretor geral do setor de transporte da Alstom Brasil, como o metrô realiza trajetos mais curtos, o passageiro pode viajar de pé. "Na reforma são implantados sistemas de detecção de fumaça, circuito interno de câmeras, novo sistema para as portas e freio mais moderno, então o conforto é maior", explicou. Já o Metrô afirma que a reforma visa tornar os trens mais acessíveis para portadores de necessidades físicas, como os cadeirantes, o que justifica a retirada dos assentos.
Fondevila afirma que os trens que estão sendo reformados têm de 25 a 30 anos de uso. O processo de reforma leva de cinco a oito meses, dependendo do estado da composição. Apesar da visível melhora na situação dos vagões, o diretor da Alstom lembra que um trem reformado não é igual a um trem novo. "Sempre tem algum desgaste natural de matéria-prima. O trem novo custa mais caro e demora mais para ser entregue. Não existe trem em prateleira, cada cliente opera de uma maneira", explica. Ele diz que é difícil prever a vida útil dos trens reformados, mas eles devem durar pelo menos mais cinco anos.
O processo de reforma dos trens começou em 2009 e deve terminar em 2014. O Metrô só libera um trem para ser reformado quando recebe outro pronto. Após ser entregue, os trens passam por testes dinâmicos nas linhas do Metrô, antes de entrar em operação. O governador Geraldo Alckmin participa hoje da entrega dos dois primeiros trens modernizados do Metrô.


Fonte: Estadão

READ MORE - Metrô de SP reforma trens e amplia a capacidade

Em Cuiabá, Projetos de mobilidade são revisados

Projetos do plano de mobilidade urbana de Cuiabá para a Copa do Mundo de 2014 estão sendo revisados para tentar diminuir a quantidade de desapropriações nas vias da cidade. A informação é do secretário de Apoio às Ações da Agecopa e PAC, Djalma Sabo Mendes. Apesar de afirmar há semanas que os técnicos iriam iniciar os trabalhos de avaliações dos imóveis, isso ainda não aconteceu.

Uma das avenidas cujo projeto será revisado é a Doutor Meirelles, na região do Coxipó, cuja duplicação é considerada uma das intervenções com maior número de imóveis a ser desocupados. “Está sendo feita a redefinição do projeto porque haverá muita desapropriação na avenida”, afirmou Sabo.

Mas, mesmo diante da constatação, o secretário declarou que ainda não é possível saber a quantidade exata de imóveis afetados pelas obras. Sabo vem afirmando há semanas que a essa altura os técnicos já estariam avaliando os imóveis, o que não ocorreu ainda. “A equipe vai a campo ainda esta semana”, voltou a declarar.

As declarações foram dadas após reunião do Conselho de Acompanhamento da Copa do Mundo ontem à tarde, no Palácio Paiaguás. Fazem parte do conselho o presidente da Agecopa, Éder Moraes, o governador Silval Barbosa e os prefeitos de Cuiabá, Francisco Galindo, e Várzea Grande, Murilo Domingos, entre outros.

Moraes confirmou que a Agecopa vai fazer algumas adequações nos projetos. “Tudo o que puder ser feito para evitar as desapropriações será feito”, declarou. Uma das razões, segundo ele, é que as obras poderão ser concluídas em menor tempo se houver menos desocupações de imóveis.

Ele disse ainda que os comerciantes e locatários da avenida Prainha não precisam ficar apreensivos porque as desapropriações na via já foram reduzidas em 80% e que, nos 20% restantes, “será feita nova crítica para tentar diminuir ainda mais”. Em relação aos demais projetos para Cuiabá, Moraes disse que há 257 obras, sendo que 58 estão em fase de conclusão.

VLT X BRT – Sobre a escolha do modelo de transporte público para a Capital e Várzea Grande, Silval Barbosa disse que ainda tem alguns dias para tomar a decisão. Na semana passada, ele esteve em São Paulo para receber a conclusão do estudo de viabilidade do VLT, mas disse que não foram apresentados os valores de implantação do modal e que ainda aguarda esses números. O governador disse ainda que não há definição do valor da tarifa que os usuários vão pagar.



Fonte: Diário de Cuiabá

READ MORE - Em Cuiabá, Projetos de mobilidade são revisados

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960