Em Curitiba, Linha Universidades começa a operar na segunda

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

A partir da próxima segunda-feira (11), estudantes universitários que residem ou estejam na região do Setor Histórico ou nas imediações da Praça Tiradentes, no Centro da cidade, contarão com alternativa de transporte que permitirá acesso fácil e rápido à Universidade Curitiba (Unicuritiba) e às unidades da Universidade Federal do Paraná na região do Jardim Botânico e Jardim das Américas.

A linha convencional Raquel Prado/PUC, que já atende os estudantes da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, no Prado Velho, terá seu trajeto estendido pela URBS e passará a se chamar Linha Universidades. Após a PUC, a linha continuará seu trajeto até os campi Jardim Botânico, Centro Politécnico e Setor de Educação Profissional e Tecnológica da UFPR. No sentido bairro, os alunos da Unicuritiba também serão atendidos, com o ponto que fica na Rua Desembargador Westphalen, enquanto no sentido Centro, há um ponto na Rua Chile, em frente ao acesso principal da universidade (leia sobre o trajeto abaixo).

"A extensão da linha vem na hora certa porque permite viagens diretas, com economia de tempo, de casa à faculdade, com o pagamento de uma só tarifa", diz Mariana Gabriel, estudante do curso de Farmácia da UFPR na unidade do Jardim Botânico.


Mariana mora na região do São Francisco e diariamente embarca às 6h40 no ônibus expresso Santa Cândida/Capão Raso, vai até a Praça Eufrásio Correia, no Centro da cidade, onde pega outra linha expressa, Pinhais/Rui Barbosa, desembarcando na estação tubo Jardim Botânico.

As aulas na faculdade, em regime integral, começam diariamente às 7h30, e o tempo médio de deslocamento em ônibus é de 45 minutos. A rotina de Mariana é também seguida pela sua colega de curso, Fernanda Kotsuco. "A vantagem da linha estendida, além da facilidade de deslocamento com o pagamento de uma só passagem, é que os ônibus praticamente vão parar em frente ao portão principal da faculdade, o que dá segurança para quem vai para casa no fim da tarde, não tendo que caminhar até a estação tubo do ônibus expresso", diz.

Com a extensão da linha, quem está no São Francisco e região se desloca aos cursos da UFPR no mesmo ônibus, dispensando a baldeação até agora necessária, e que exigia o desembolso de mais R$ 2,70 quando do embarque, na região central, em linhas que vão até o Jardim Botânico ou Centro Politécnico, como Santa Bárbara, Estudantes, Linha Direta Centro Politécnico, entre outras.

A alteração atende determinação do prefeito Gustavo Fruet de ampliar as opções de transporte coletivo para os universitários. Atualmente, a linha atende cerca de 1,8 mil passageiros por dia. A previsão é que o número médio de usuários seja de 3 mil em dias úteis. O trajeto, de 13 quilômetros, a partir da Rua Raquel Prado, no Bom Retiro, vai até a Pontifícia Universidade Católica (PUC/PR), na Rua Imaculada Conceição, no Prado Velho, será ampliado para 22 quilômetros.

Trajeto 

A partir de segunda-feira, os ônibus, no sentido bairro, seguem pelas ruas Desembargador Westphalen, Guabirotuba e Alberto Twardowski, contornam o complexo da UFPR do Jardim Botânico pela Rua Prefeito Lothário Meissner e a Avenida Comendador Franco (das Torres). Retornam à PUC pela Avenida Salgado Filho , seguem pelas ruas Comendador Roseira, Rockfeller e Chile, por onde chegam à Universidade Curitiba (Unicuritiba). Na Unicuritiba, seis mil alunos estão matriculados em 12 cursos mantidos pela instituição. Desse total, segundo cálculos da direção, cerca de 50% utilizam as diversas linhas do transporte coletivo para comparecerem às aulas.

O trajeto, sentido Centro, prossegue pelas ruas Alferes Poli, André de Barros e Avenida Marechal Floriano, não havendo mudanças de percurso até o Bom Retiro. Até agora, após a parada no abrigo da PUC, na Rua Imaculada Conceição, os ônibus, no sentido Centro, seguiam pelas ruas Comendador Roseira, Rockfeller e Avenida Iguaçu, por onde chegavam à Avenida Marechal Floriano.

Por causa da expansão da linha, o atendimento, antes feito por três ônibus, passa a ser feito por quatro, com frequência de 22 minutos. A Linha Universidades funcionará normalmente de segunda-feira de manhã até as 14 horas de sábados, que é o período de aula regulares nos cursos das universidades Católica e Federal do Paraná.

A partir das 14 horas de sábado, além de domingo e feriados (em período integral), a linha será seccionada na Rua José Loureiro. Os ônibus que circulam na Alameda Doutor Muricy, dobram à esquerda, na Rua José Loureiro, por onde chegam à Avenida Marechal Floriano e seguem em direção ao Bom Retiro. Nesses dias, a linha rodará com o nome de Raquel Prado.

Outras opções de acesso em ônibus para universidades

Além da Linha Universidades, os estudantes matriculados na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, no Prado Velho, e nos cursos mantidos pela Universidade Federal do Paraná no Jardim Botânico, no Centro Politécnico, na Escola Técnica da UFPR e na Universidade Curitiba, dispõem de outras linhas regulares de ônibus que passam defronte ou nas proximidades dessas escolas.

Confira as outras alternativas de acesso:

• Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) 

Bom Retiro/PUC - saídas, no centro da Rua José Loureiro, entre Alameda Doutor Muricy e Rua Desembargador Westphalen;
Uberaba - Praça Rui Barbosa;
Interbairros I - ­ a linha circular permite embarques em vários pontos da cidade;
Linha Direta Aeroporto - embarque nas estações tubo Centro Cívico, Prefeitura, Círculo Militar, Rodoferroviária, Paiol, PUC, Salgado Filho e Aeroporto Afonso Pena;
Linha Direta Curitiba/Fazenda Rio Grande – estações tubo Centro Cívico, Prefeitura, Círculo Militar e Rodoferroviária;
Interbairros V -  terminais Fazendinha, Portão e Oficinas;
Cabral/Portão - Terminais Portão e Cabral.

• Universidade Federal do Paraná – Centro Politécnico (Setores: Ciências da Terra, Exatas e Química)

Estudantes - embarque na Praça 19 de Dezembro;
Santa Bárbara e Petrópolis – Praça Rui Barbosa;
Interbairros II - terminais Campina do Siqueira, Capão Raso, Hauer, Capão da Imbuia, Cabral;
Interbairros V - terminais Fazendinha, Portão, Oficinas;
Linha Direta Inter 2 - terminais Campina do Siqueira, Portão, Capão Raso, Hauer, Capão da Imbuia, Cabral;
Linha Direta Centro Politécnico (dias úteis e sábado) - Círculo Militar;

• Universidade Federal do Paraná – Setores de Ciências de Saúde e de Ciências Sociais Aplicadas – Jardim Botânico

Petrópolis e Santa Bárbara - Praça Rui Barbosa;
Solitude - Praça Carlos Gomes;
Cabral/Portão - terminais Cabral e Portão;
Linha Direta Centenário - no Centro, Rua Marechal Deodoro, entre as ruas Mariano Torres e Tibagi, Terminal Centenário.

• Unicuritiba – sede Rebouças

Bom Retiro/PUC - no Centro, embarque na Rua José Loureiro, entre a Alameda Doutor Muricy e Rua Desembargador Westphalen;
Cabral/Portão - terminais Cabral e Portão;
Expresso Boqueirão - no Centro, Praça Carlos Gomes; e terminais Boqueirão, Carmo e Hauer. Desembarque recomendado na estação tubo Almirante Gonçalves.

Informações: Urbs
READ MORE - Em Curitiba, Linha Universidades começa a operar na segunda

Saiba como adquirir o Cartão Estudante em Sorocaba

I. Solicitação de Autorização do Passe Estudante para alunos que ainda não possuem o Cartão Estudante

O formulário “Solicitação de Autorização para Compra de Passe Estudante” deverá ser preenchido pelo aluno, a partir de 01/12/13, exclusivamente pelo site da Urbes;

1.: O preenchimento é fácil e auto-explicativo, ou seja:

Ao acessar o site da Urbes, o aluno fará o cadastramento preenchendo o formulário próprio disponível no site, e nesse momento, receberá um número de protocolo o qual poderá acompanhar sua solicitação, independente da Secretaria da Escola. Ao acessar o Sistema com o número do protocolo, serão exibidas algumas mensagens. Exemplo: Aguarde processamento; solicitação aceita com sucesso; convocação para confecção do cartão nas unidades das Casas do Cidadão ou Central de Atendimento; solicitação inválida (motivo: proximidade, duplicidade etc.).


Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP

Solicitação válida, o interessado deverá imprimir sua Carta de Convocação, dirigir-se à Secretaria da sua Escola para confirmação da matrícula (carimbo e assinatura do responsável pela Escola). Após, com a Convocação em mãos devidamente assinada e carimbada pela Escola, mais a documentação necessária (especificada na carta de convocação), o aluno dará continuidade ao processo, de acordo com a carta de convocação, para confecção do cartão e retirada da Autorização para Compra do Passe Estudante e Frequência Escolar, nas unidades das Casas do Cidadão ou Central de Atendimento.

Solicitação inválida, verificar mensagem no status da sua solicitação.

2. As escolas terão que carimbar e assinar a Convocação dos alunos confirmando que os mesmos frequentam a unidade de ensino e/ou estágio.


II. Solicitação de Autorização do Passe Estudante para alunos que possuem o Cartão Estudante

O formulário “Solicitação de Autorização para Compra de Passe Estudante” deverá ser preenchido pelo aluno, exclusivamente pelo site da Urbes;

1.: O preenchimento é fácil e auto-explicativo, ou seja:

Ao acessar o site da Urbes, o aluno fará o recadastramento preenchendo o formulário próprio disponível no site, nesse momento o aluno receberá um número de protocolo o qual poderá acompanhar seu recadastramento independente da Secretaria da Escola. 

Ao acessar o Sistema com o número do protocolo, será exibido algumas mensagens. Exemplo: Aguarde processamento, recadastramento aceito com sucesso, recadastramento inválido (motivo: proximidade, duplicidade etc.).

Recadastramento válido: aguardar conforme previsto na mensagem recebida do seu status. A Urbes encaminhará sua Autorização para Compra do passe Estudante a Secretaria da Escola.

Recadastramento inválido: verificar mensagem no status do seu recadastramento.

Informações: Urbes
READ MORE - Saiba como adquirir o Cartão Estudante em Sorocaba

No DF, 40 novos ônibus serão entregues neste sábado

Mais 40 ônibus zero quilômetro da Viação Piracicabana vão começar a circular, neste sábado (9), em 14 linhas que atendem ao Varjão e ao Plano Piloto. Com essa entrega, já chegam a 540 os veículos da nova frota rodando pelo Distrito Federal. A ideia do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) é renovar a frota até o final deste ano.

Neste primeiro momento, haverá somente a substituição de veículos nessas 14 linhas, que, anteriormente, eram operacionalizadas pelas empresas Pioneira e Planeta. "Não haverá, por enquanto, alteração de horário ou itinerário. As mudanças ocorrerão somente quando os coletivos novos chegarem a todas as bacias", adianta o diretor-geral do DFTrans, Marco Antonio Campanella.


A Piracicabana, que serve às regiões da Bacia 1, já havia disponibilizado 87 coletivos em Planaltina. A empresa vai colocar mais 330 ônibus em circulação para atender também aos moradores de Sobradinho, Cruzeiro, Sobradinho 2, Lago Norte, Sudoeste/Octogonal, Varjão e Fercal .

Nos novos coletivos, os passageiros podem realizar - em um período de até duas horas, no mesmo sentido - três viagens (com dois transbordos) pagando uma única passagem. Os veículos fazem integração com os ônibus da TCB, com os novos carros das demais bacias, além do metrô.

Os carros da Piracicabana têm a cor vermelha e são equipados com bancos estofados, motores menos poluentes, visores eletrônicos de itinerários, vidros fumê (para diminuir a incidência de luz solar), entre outros itens de segurança e conforto.

Os veículos também têm rampas e elevadores para facilitar o acesso de usuários cadeirantes ou com dificuldades de locomoção, que disporão de lugares especiais em assentos e espaços adaptados às suas necessidades.

Renovação – A previsão é de que, até dezembro, outras duas empresas passem a operar no Distrito Federal: HP-ITA e Marechal, nas bacias 3 e 4, respectivamente. As bacias 2 (Pioneira) e 5 (São José) também já começaram a receber os primeiros veículos novos.

"Com a integração total do sistema, faremos os ajustes necessários para oferecer aos usuários um transporte de qualidade, com conforto, segurança e confiabilidade", assegura o diretor técnico do DFTrans, Lúcio Lima.

As regiões do Paranoá, Itapoã e Cidade Estrutural já contam com a frota totalmente renovada – são 163 carros operando nas três cidades, além de mais 90, em São Sebastião, e 66 que interligam as regiões de Ceilândia, Recanto das Emas, Riacho Fundo II, Taguatinga e Vicente Pires.

Relação das Linhas onde os coletivos da Piracicabana vão operar (a consulta dos horários e itinerários pode ser feita aqui):

136.6 VARJÃO / W3 NORTE - SUL (ESTAÇÃO ASA SUL)
136.7 VARJÃO / L2 NORTE - SUL
136.8 VARJÃO / LAGO NORTE
136.9 VARJÃO / EIXO NORTE - SUL (ROD. PLANO PILOTO)
0.107 ROD. PLANO PILOTO / W3 - L2 SUL (ESPLANADA)
107.1 ROD. PLANO PILOTO / W3 - L2 SUL
0.114 ROD. PLANO PILOTO / L2 -W3 SUL
0.136 ROD. PLANO PILOTO / CLUBE DO CONGRESSO
136.0 ROD. PLANO PILOTO / CLUBE DO CONGRESSO (REDE SARAH)
136.1 ROD. PLANO PILOTO / LAGO NORTE (L2 NORTE)
136.2 LAGO NORTE / 716 SUL (W3 SUL)
136.3 EXPRESSO LAGO NORTE
136.4 CLUBE DO CONGRESSO/ ROD. PLANO PILOTO (L2 NORTE - UNB)
136.5 ROD. PLANO PILOTO / L2 NORTE / CLUBE DO CONGRESSO (REDE SARAH)

Informações: Urbes
READ MORE - No DF, 40 novos ônibus serão entregues neste sábado

Grande Recife: Corredor Norte/Sul: trecho entre os Terminais Pelópidas Silveira e PE-15 é liberado para ônibus

A partir de sábado (09/11), a pista exclusiva para ônibus entre o Terminal Integrado Pelópidas Silveira, em Paulista, e o Terminal Integrado da PE-15, em Olinda estará liberada. O retorno dos coletivos à faixa exclusiva vai agilizar o deslocamento dos usuários do Sistema de Transporte já que os ônibus deixarão de competir com os carros na faixa mista. 

Ao longo do trecho liberado, 4,7 km, existem 14 paradas. Esses pontos de embarque e desembarque atendem a 15 linhas que realizam 1.585 viagens e transportam mais de 67 mil passageiros diariamente. 

O Grande Recife Consórcio de Transporte está informando as mudanças aos usuários por meio de cartazes fixados nos ônibus. As paradas desativadas e reativadas também estão sinalizadas com cartazes e divulgadores estão no trecho distribuindo folhetos informativos. 




Para outras informações sobre o itinerário das linhas os usuários podem entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente do Grande Recife, pelo telefone 0800 081 0158, ou no site www.granderecife.pe.gov.br. 

Norte/Sul: O Corredor tem início no Terminal Integrado de Igarassu e segue até a Estação Central do Metrô, no centro do Recife, passando pela PE-15, pelo Complexo de Salgadinho e pela Avenida Cruz Cabugá. O percurso de 33,2 km vai contar com 33 estações interligadas a quatro terminais integrados: Igarassu, Abreu e Lima, Pelópidas Silveira e PE-15. As obras de construção do corredor estão em andamento e serão concluídas até março de 2014. O corredor passa pelos municípios de Igarassu, Abreu e Lima, Paulista, Olinda e Recife. 

Linhas que voltam a circular no canteiro central no trecho entre os TIs Pelópidas Silveira e PE-15: 

905- Igarassu/Paulista 
909- Paulista/Joana Bezerra 
923- Cidade Tabajara/PE-15 
931- Jardim Paulista Baixo/PE-15 
932- Jardim Paulista Alto/PE-15 
934-ArthurLundgren I /PE-15 
935- Paratibe/PE-15 
941- Arthur Ludgren II/PE-15 
943- Mirueira/PE-15 
946- Igarassu (BR-101) 
967- Igarassu (Sítio Histórico) 
970-Paulista/TI PE-15 
976- Paulista (Prefeitura) 
977- Paulista (Cond. Da Boa Vista) 
979- Paulista/Rua do Sol (Expresso)

Informações: GRCT
READ MORE - Grande Recife: Corredor Norte/Sul: trecho entre os Terminais Pelópidas Silveira e PE-15 é liberado para ônibus

BHTrans anuncia mais 135 quilômetros de pistas exclusivas para ônibus com radares

Para dar mais fluidez ao tráfego em corredores, a BHTrans vai implantar 135 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus na capital, que conta hoje com apenas 15 quilômetros de pistas exclusivas e a meta é chegar a 150. A princípio, serão implantados 100 quilômetros de faixas exclusivas. A empresa não revelou quais vias serão incluídas no projeto, mas explicou que o sistema será criado em avenidas e ruas com intenso tráfego de coletivos. O anúncio foi feito ontem no lançamento, pela Associação Nacional das Empresas de Transporte Urbano (NTU), de campanha para ampliar velocidade de coletivos.

Além da Avenida Nossa Senhora do Carmo, a capital dispõe de dois corredores com pista exclusivas: as avenidas Antônio Carlos e Cristiano Machado. Juntas, elas somam 13,4 quilômetros e até o início do BRT o número vai aumentar (veja quadro). Em nota, a BHTrans informou que está em fase final edital para criar mais 100 quilômetros de faixas. A previsão é de que 30 corredores estejam no pacote, como a Avenida Assis Chateaubriand e a Nossa Senhora do Carmo, além das ruas Niquelina e Padre Eustáquio.
No mês passado foi publicado edital para contratação de novos radares em BH, sendo que 72 pontos serão fiscalizados em rodízio para detectar avanço de faixa exclusiva. Eles serão distribuídos nas ruas Oiapoque, Curitiba, Rio de Janeiro e Espírito Santo e nas avenidas Pedro II, Augusto de Lima, Alfredo Balena e do Contorno, o que significa que essas vias terão faixas para ônibus. A BHTrans não informou se os locais dos radares estão no grupo dos 100 quilômetros de pistas ou se referem a outro pacote.

GARGALOS O incentivo à implantação de 4 mil quilômetros de faixas exclusivas para ônibus em um ano em todo o país foi tema de campanha lançada ontem, em Brasília, pela NTU para aumentar a velocidade dos coletivos e minimizar o gargalo criado pela expansão da frota de automóveis. A entidade informou que perdeu mais de 30% dos passageiros nos últimos 18 anos, passando de 60 milhões para 40 milhões o número de pessoas transportadas por dia no país.

Batizada de Campanha de Qualificação das Redes Convencionais de Transporte Público Urbano, a iniciativa da NTU, que tem como parceiro o Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte Público de Qualidade para Todos (MDT), traz um manual com experiências de sucesso em Goiânia, São Paulo e Rio de Janeiro. Segundo o documento, os dois principais pilares da priorização são o aumento da velocidade dos ônibus e o menor tempo dos usuários no veículo. As orientações mostram que o sistema pode ser feito em curto prazo (em até seis meses), custa pouco (entre R$ 100 mil e R$ 500 mil por quilômetro) e não demanda desapropriações.

PISTA LIVRE Para o presidente da NTU, Otávio Cunha, o sistema é considerado emergencial e deve funcionar apoiando modelos mais complexos, como o transporte rápido por ônibus (BRT). “Todo o itinerário do transporte coletivo deve ser priorizado para que o desempenho do sistema seja satisfatório. E netas faixas podemos estabelecer horários, deixando pista livre para os ônibus apenas no horário de pico”, diz Cunha.

Segundo o coordenador do MDT, Nazareno Afonso, dados de 2011 mostram que só 0,12% do sistema brasileiro contava com pistas para ônibus, totalizando 412 quilômetros. Disse que as intervenções devem contemplar a estrutura de abrigos e sistema de informação ao usuário. “O estacionamento na via pública tem de ser proibido onde transitam ônibus. Os carros precisam perder privilégios. Não temos onde colocar a frota de veículos”, pondera.

NOVOS CORREDORES | Faixas exclusivas em BH
» Avenida Nossa Senhora do Carmo: 900 metros
» Avenida Antônio Carlos: Ampliação de 7,5 para 14,7 quilômetros com a conclusão do BRT (de Venda Nova ao Complexo da Lagoinha)
» Avenida Cristiano Machado: Ampliação de 5,9 para 7,1 quilômetros com a conclusão do BRT (do São Gabriel ao Túnel da Lagoinha)
» Previsão de mais 100 quilômetros, a custo de R$ 100 milhões, em 30 corredores, como ruas Niquelina e Padre Eustáquio e avenidas Nossa Senhora do Carmo e Assis Chateaubriand.

Radares em rodízio
» 72 novos pontos de fiscalização eletrônica em sistema de rodízio em vias como ruas Oiapoque, Curitiba, Rio de Janeiro e Espírito Santo e avenidas Pedro II, Augusto de Lima, Alfredo Balena e do Contorno. Previsão de implantação em fevereiro.

Informações: Estado de Minas
READ MORE - BHTrans anuncia mais 135 quilômetros de pistas exclusivas para ônibus com radares

Trens recém-reformados abrem portas em movimento no Metrô de São Paulo

Nos últimos dias 1 e 2, dois trens recém-reformados se movimentaram com as portas abertas no Metrô de São Paulo. As falhas ocorreram na Linha 3-Vermelha, que liga a cidade de leste a oeste. As composições com defeito foram recondicionadas há menos de três anos pelo consórcio MTTrens, liderado pela TTrans, empresa envolvida nas denúncias de formação de cartel para burlar a concorrência em editais para modernização da frota e ampliação da malha metroferroviária no estado. Integrantes da administração tucana teriam acobertado o conluio.

O primeiro trem a apresentar problema com as portas é conhecido internamente como K05. No dia 1º, sexta-feira, por volta das 15h, a composição estava chegando à plataforma da estação Pedro II, no centro da capital, quando a porta número 7 do carro 3 abriu-se antes que o trem parasse completamente. Um funcionário que estava na estação percebeu a falha e avisou imediatamente o Centro de Controle Operacional. O vagão foi esvaziado. De acordo com o relatório de falhas, ao qual RBA e Outras Palavras tiveram acesso, o operador “isolou” o carro com problema e seguiu viagem.

A falha é considerada grave tanto por funcionários como pelos protocolos da Companhia do Metrô. Tanto que o trem K05 foi recolhido logo após a ocorrência. E continua retido até hoje, sob análise dos técnicos e engenheiros da Comissão Permanente de Segurança (Copese) da empresa. Como o próprio nome diz, o órgão só é acionado em caso de falhas que comprometem a segurança do sistema, dos metroviários ou dos usuários. É a Copese que está investigando, por exemplo, as causas do descarrilamento ocorrido último 5 de agosto na Linha 3-Vermelha, outra pane a atingir uma das composições da frota K.



Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP

Menos de 24 horas depois da falha com o K05, no sábado, 2 de novembro, Dia de Finados, o trem K01, também reformado pela MTTrens, se movimentaria com portas abertas. O defeito foi registrado às 7h30 na estação Belém, na zona leste. O problema foi parecido com o do dia anterior: a composição abriu portas antes de parar totalmente na plataforma. Porém, com um agravante: o trem acelerou antes de fechá-las por inteiro. O defeito obrigou o operador a acionar os freios de emergência para paralisar a composição, que estava no modo automático. Os técnicos do Metrô recolheram o K01, não encontraram anormalidades e o colocaram de volta em circulação.

Os novos problemas motivaram os funcionários da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) de Operação da Linha 3-Vermelha a pedir uma reunião extraordinária para discutir a situação. A requisição, enviada por e-mail ainda no feriado, foi negada. Amparados pela legislação trabalhista e por normas internas, os metroviários insistem na realização de encontros temáticos para discutir falhas graves porque é a única chance que possuem para receberem informações oficiais do Metrô sobre os defeitos no sistema. Caso contrário, assim como faz com a imprensa, a empresa não se pronuncia. E os funcionários ficam sem saber o que de fato ocasionou o problema.

Histórico
Essa não é a primeira vez que trens da frota K apresentam defeitos na abertura de portas. Há pouco mais de um mês, no dia 2 de outubro, a mesma composição que descarrilou no dia 5 de agosto – a K07 – abriu sozinha todas as suas portas, em todos os vagões, inclusive no lado oposto ao da plataforma, onde fica o trilho energizado de alta voltagem. À diferença das falhas ocorridas na semana passada, porém, os vagões estavam parados na estação Santa Cecília. Apesar de graves, nenhuma das três ocorrências foi divulgada publicamente. Todavia, estão registradas nos sistemas de segurança do Metrô. A informação foi obtida por RBA e Outras Palavras com funcionários que não quiseram se identificar por medo de represálias.

Cansados do secretismo da empresa, que, dizem, coloca em risco a vida de usuários e as suas próprias, metroviários também repassaram à reportagem uma extensa lista de falhas registradas em outros trens da frota K durante o mês de outubro. Os defeitos são recorrentes. O relatório dos funcionários aponta, por exemplo, que o trem K07 (o mesmo do descarrilamento, o mesmo das portas) apresentou “falha de tração” no dia 23 de outubro e teve de ser evacuado. No mesmo dia, problema semelhante atingiu as composições K14 e K24, que também foram evacuadas.

De volta à operação, o K24 seria evacuado novamente no dia seguinte, então com falha nos freios. Dia 30 de outubro, seria a vez do trem K14 regressar ao pátio, impedido de prestar serviço à população. A lista de problemas relatados pelos metroviários é extensa e inclui ainda as composições K22 e K10. Tantas panes fazem com que os trens reformados pelo consórcio MTTrens tenham rendimento muito inferior aos demais. E isso apesar do alto valor pago pelo Metrô para modernizá-los, cerca de 80% do preço de um novo.

Uma breve comparação feita por metroviários aponta que as composições da frota K rodam, em média, 230 quilômetros por dia e passam aproximadamente oito horas diárias fora de circulação, por causa das sucessivas falhas. Um trem antigo possui prognóstico muito melhor: fica cerca de quatro horas em manutenção e circula 550 quilômetros por dia. É um desempenho 130% maior, em números aproximados.

Some-se às novas informações o histórico de falhas que vem sendo publicado por RBA e Outras Palavras desde agosto. Outro levantamento informal realizado com base nos registros oficiais do Metrô atesta que, apesar de serem novos ou recém-reformados, os trens fornecidos pelas empresas do cartel – entre eles toda a frota K – apresentam quantidade de defeitos até quatro vezes maior que as composições antigas, com cerca de 30 anos de uso. Algumas chegam a registrar média de 35 problemas técnicos por dia.

“É muito exagero uma empresa que transporta quatro milhões de pessoas por dia usar o acaso como controle de qualidade”, protesta um metroviário ouvido pela reportagem, e que prefere manter o anonimato. Na conversa que tivemos com alguns funcionários do Metrô, há algumas semanas, é nítida a insatisfação com a falta de transparência. “A companhia é uma caixa blindada jogada no fundo do mar. Não nos dizem nada. Em caso de acidentes graves, os primeiros a morrer seremos nós.”

Os metroviários afirmam que, ao esconder informações sobre as constantes falhas que acometem o sistema, a empresa, além de esconder do público a situação real do Metrô, perde uma “grande” oportunidade de preparar melhor seus quadros. “Erros são didáticos”, afirma um funcionário com mais de 20 anos de casa. “Se bem instruído sobre a origem dos problemas, todo mundo aprende. Isso acontecia antes. Agora, não acontece mais.”

Informações: Rede Brasil Atual
READ MORE - Trens recém-reformados abrem portas em movimento no Metrô de São Paulo

Prefeitura de Salvador propõe ônibus padronizados e operando 24h por dia em edital

Ônibus padronizados, operando 24 horas por dia e com videomonitoramento em tempo real. Essas são algumas das novidades propostas pelo edital de licitação do sistema de transporte público de Salvador, divulgado ontem para consulta pública, pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Transportes (Semut). 

O edital ficará disponível no site http://www.desenvolvimentourbano.salvador.ba.gov.br/ até o próximo dia 22, para que a população possa fazer críticas e sugestões. Em seguida, ainda este mês, deve ser realizada uma audiência pública, na sede do Ministério Público, ainda com data a ser definida. 

“O novo sistema tem uma integração entre as linhas, para que o transporte coletivo seja mais rápido, confortável e seguro. Nós queremos aumentar  o número de usuários de ônibus, então, é preciso melhorar os serviços”, afirmou o secretário municipal de Urbanismo e Transportes, José Carlos Aleluia, ao CORREIO. 


Ainda este ano, o edital deve ser lançado para a escolha dos três consórcios de empresas que devem operar o sistema, segundo o secretário. Atualmente, 18 empresas atuam no sistema.  “O modelo atual não é eficiente, porque há muita concorrência entre as empresas. Nós queremos trabalhar para o bem dos passageiros”.

O novo sistema dividirá a cidade em três grandes áreas: Subúrbio Península (A), Miolo (B) e Orla/Centro (C) - veja mapa ao lado. Essas áreas, por sua vez, terão linhas estruturais (alta demanda, nos principais corredores), auxiliares (média demanda, entre sub-regiões) e locais (pequena extensão). 

Tarifa e frota
Pelas novas regras do edital, os consórcios que vencerem a licitação poderão explorar o sistema durante 30 anos a partir da assinatura do contrato, sem possibilidade de prorrogação. “Elas terão que demonstrar capacidade financeira e operacional para assumir”, disse Aleluia. 

A tarifa vai custar R$ 2,80. Esse valor deve ser mantido até dezembro de 2014, quando ocorrerá o primeiro reajuste. Depois, o preço só será revisto a cada quatro anos. 

As empresas ainda devem adaptar os ônibus para que eles fiquem totalmente padronizados: cada área terá um modelo visual. Para completar, os veículos devem contar com uma estrutura interna e externa que possibilite o embarque de passageiros pela porta dianteira. Já o desembarque deve ser realizado pela porta traseira ou central. 

Além disso, a idade média da frota não pode passar dos 3,5 anos. Quando os ônibus completarem 7 anos, eles devem deixar de ser utilizados. A ideia é que a idade seja reduzida gradualmente: para chegar a esse índice, o edital indica que a frota tenha 20% de ônibus novos. Até o final do primeiro ano de concessão, as empresas devem fazer um acréscimo de mais 20% em veículos zero-quilômetro. 

Tecnologia
Ainda segundo o edital, os usuários também vão poder contar com a tecnologia a seu favor. As empresas terão um prazo de 12 meses para implantar um sistema de monitoramento que deve incluir equipamentos de GPS, computadores instalados nos ônibus e câmeras de segurança.

“Esses dados vão ser transmitidos para a central de operações da prefeitura. Assim, vamos acompanhar toda a frota. Isso vai ser útil porque, nos últimos acidentes de ônibus na cidade, tivemos dificuldade para ter acesso aos dados, porque tudo é analógico”, explicou o subsecretário, Orlando Santos. 

A implantação desse sistema deve auxiliar a divulgação de informações nos chamados Painéis de Mensagens Variáveis (PMVs), que devem exibir  informações sobre horários de chegada dos veículos, nos terminais e pontos. 

O edital também prevê a construção de “módulos de conforto” para fiscais, motoristas e cobradores, com sanitários, salas de fiscalização e depósitos de materiais, nos pontos finais de linha. Para o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Hélio Ferreira, a mudança é positiva. “Vejo essa informatização como um avanço necessário, para dar conforto para operar o transporte”, afirmou. Colaborou Joice Vieira.

Por Thais Borges
Informações: Correio 24 Horas
READ MORE - Prefeitura de Salvador propõe ônibus padronizados e operando 24h por dia em edital

Governador da Paraíba assina ordem que autoriza obras do Trevo de Mangabeira

O governador Ricardo Coutinho assina na manhã desta quinta-feira (7) a ordem de serviço para o início da construção do Trevo de Mangabeira, em João Pessoa.

A obra será a 72ª autorizada dentro do Programa Caminhos da Paraíba e representa investimento de R$ 20 milhões. Seu objetivo é eliminar os constantes congestionamentos numa das principais vias de ligação com a Zona Sul da Capital.

O empreendimento é rodeado de polêmica, já que o local de construção é o mesmo em que a Prefeitura Municipal de João Pessoa queria fazer um terminal de integração no bairro onde deve funcionar o BRT.
Coutinho já havia feito a licitação para as obras e na quarta-feira (6) aconteceu uma audiência pública sobre a construção. Nesta quinta a ordem de serviço será assinada. 

Sobre o terminal de BRT, o prefeito terá que construir em outro local

Houve um laivo de maturidade da parte do prefeito Luciano Cartaxo ao dar sinais de recuo na briga contra a construção do Trevo de Mangabeira. Orientado pelo ministro Aguinaldo Ribeiro ou não, o fato é que ele entendeu que o governador do Estado, Ricardo Coutinho (PSB), iria fazer a obra de todo jeito, querendo a prefeitura ou não, e que gestor algum gostaria de ter no currículo a atitude de impedir uma obra em favor da cidade.
O governo fechou os olhos e bateu o pé: anunciou a obra, fez plenária no bairro para garantir apoio da população local e hoje assina a ordem de serviço. Amanhã colocará máquinas e homens para trabalhar no local. Primeiro por assegurar-se da garantia que possui documentos comprovando a posse do espaço e do direito a trabalhar no terreno a ser utilizado. Segundo e, principalmente, porque sabe da importância e do impacto positivo da obra para mobilidade urbana de João Pessoa e para o bairro, sempre cioso do próprio desenvolvimento.

Remar contra isso seria por parte da gestão municipal um suicídio administrativo. E dá um azar danado mesmo sendo o trevo de quatro folhas.

O governador também previa que seria assim. Por isso, tocou o andamento do projeto sem temer a “guerra” porque saberia que sairia ganhando mesmo perdendo. O povo quer a obra, seja lá de onde ela venha. E como venha.

Cartaxo entendeu isso e agora se coloca mais como vítima de que como vilão. Estrategicamente, está correto.

Agora, querendo fechar o ato com chave de ouro, o governo Ricardo Coutinho, depois de assegurada a paz para fazer o Trevo de Mangabeira, poderia sim chamar o prefeito Luciano Cartaxo para uma audiência e dizer: “Prefeito, em nome da cidade, vamos sim, por livre e espontânea vontade, doar um terreno para que se construa o Terminal de Integração”.

Informações: paraiba.com.br
READ MORE - Governador da Paraíba assina ordem que autoriza obras do Trevo de Mangabeira

Em Campinas, Emdec cria nova linha de ônibus para Sousas

O distrito de Sousas terá uma nova linha de ônibus a partir da próxima segunda-feira, 11 de novembro. A 3.89 – Estação Sousas circulará exclusivamente nos horários de pico dos dias úteis.

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) criou a linha para ampliar a oferta de transporte público nos bairros Imperial Parque e Jardim Conceição. Dois ônibus convencionais viajarão entre as estações de transferência Sousas e Expedicionários.

O itinerário resumido no sentido Sousas-Centro será:

Estação Sousas
Imperial Parque e Jardim Conceição
Rodovia Heitor Penteado
Av. Dr. Moraes Salles
Av. Aquidabã
Estação Expedicionários

Com partidas às 05h30, 06h05, 06h40, 07h15, 07h50, 08h25, 15h15, 15h50, 16h25, 17h00, 17h35 e 18h10.

Neste sentido de circulação, os pontos de parada na região central serão na Rua Coronel Quirino (oposto ao Bosque), Av. Aquidabã (esquina com Rua Boaventura do Amaral e também no Largo do Pará) e Av. Prefeito José Nicolau Ludgero Maselli (próximo ao Terminal Central).

Já o itinerário resumido no sentido Centro-Sousas será:

Estação Expedicionários
Av. Dr. Campos Sales
Av. Senador Saraiva (pista externa)
Av. Dr. Moraes Salles (pista externa)
Rodovia Heitor Penteado
Estação Sousas

Com partidas às 06h10, 06h45, 07h20, 07h55, 08h30, 09h05, 15h55, 16h30, 17h05, 17h40, 18h15 e 18h50.

Neste sentido de circulação, os pontos de parada na região central serão na Estação Expedicionários, Av. Senador Saraiva (pista externa) e Av. Dr. Moraes Salles (pista externa, próximo à Guarda Municipal, e também perto da escola Francisco Glicério).

Saiba mais
O distrito de Sousas já é atendido pelas linhas 3.90 – Joaquim Egídio, 3.91 – Nova Sousas, 3.92 – San Conrado e 3.96 – Sousas.

A criação da linha 3.89 otimiza o percurso e distribui a demanda, visando proporcionar viagens práticas e confortáveis entre o distrito e a região central. Diferentemente das demais, a 3.89 não circulará aos sábados, domingos e feriados. A 3.92 – San Conrado também não opera aos domingos e feriados.

Para informações e solicitações referentes ao transporte público coletivo (Sistema InterCamp), os usuários têm à disposição o telefone 3772-1517 da Emdec, que funciona 24 horas.

Informações: EMDEC
READ MORE - Em Campinas, Emdec cria nova linha de ônibus para Sousas

Segundo megatatuzão inicia a perfuração na Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo

O Governo do Estado de São Paulo anunciou na última segunda-feira (4) que foram iniciadas as atividades do segundo Shields TBM (Tunnel Boring Machines), conhecido como "megatatuzão", na Linha 5-Lilás do Metrô. Com 720 toneladas, o equipamento está fazendo a escavação no poço Conde de Itu, em Santo Amaro, onde será a futura estação Adolfo Pinheiro. Esta é a primeira vez na história em que duas tuneladoras trabalham ao mesmo tempo em uma mesma linha.

O outro megatatuzão, que já foi utilizado na perfuração dos túneis da Linha 4-Amarela, tem 75 metros de comprimento e pesa 1.500 toneladas. Agora, juntos, os equipamentos perfurarão de 24 a 30 metros por dia.

A tecnologia funciona em cinco etapas. Primeiramente, a roda de corte gira em torno de quatro vezes por minuto removendo até 4,3 mil toneladas de terra por dia. Após esta etapa, na câmara de trabalho, o material escavado é submetido a uma força que equilibra a pressão do solo à frente da roda de corte. A terceira etapa consiste na retirada da terra por um enorme parafuso e depois por uma esteira. Já na quarta etapa, as placas de concreto chegam à frente por meio de trilhos e são erguidas pelo guincho que monta anéis de sustentação, que também apoiam o movimento dos cilindros. Por fim, 20 pares de cilindros hidráulicos empurram a máquina para frente, 1,5 metro de cada vez.



Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP

A Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo terá mais 11,5 km de extensão e 11 estações: Adolfo Pinheiro, Alto da Boa Vista, Borba Gato, Brooklin, Campo Belo, Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin. Quando concluída, a linha deverá transportar mais de 780 mil pessoas por dia.

Informações: PortoGente
READ MORE - Segundo megatatuzão inicia a perfuração na Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo

Dois novos ônibus articulados entram em circulação em Rio Branco

Eram 06h30min da manhã quando o prefeito Marcus Alexandre chegou ao bairro Liberdade (antigo Dom Moacir) nesta quarta feira, para apresentar para a comunidade local, o ônibus articulado (sanfonado) que passa a fazer a linha da localidade, que fica na BR 364. Em seguida ele foi a Vila Santa Maria, na AC 40, onde também entregou um ônibus articulado para os moradores.

Os novos ônibus são parte do processo de modernização da frota de ônibus de Rio Branco, exigida pelo prefeito desde o início de sua administração. O prefeito relata que o objetivo é evitar a espera dos passageiros pelos coletivos. “O transporte público tem que ser eficiente para que as pessoas não percam tempo em paradas de ônibus”, relata.
No Liberdade, que já conta com três ônibus comuns, agora passa a contar com 4 veículos, incluindo o sanfonado, que tem o dobro da capacidade para o transporte de passageiros. Enquanto os comuns comportam 80 pessoas, os articulados carregam 160, podendo chegar a 200 pessoas. O vice-presidente da Associação de Moradores do bairro, Francisco Vieira, relata que a comunidade agora não terá mais problema com o transporte público, como ocorria antes nos horários de pico.

Logo depois do bairro Liberdade, o prefeito e os representantes da empresa Floresta, entregaram outro ônibus articulado para os moradores da região do Santa Maria, na AC 40. Marcus Alexandre ressalta que esta é uma das linhas com maior fluxo de passageiros: “Aqui temos as Vilas Acre, da Amizade, Major Mendes, loteamentos Santa Helena e Farrah, além dos moradores dos ramais, então esse ônibus é o ideal para cá”.

Outros dois ônibus articulados já transportam os passageiros das linhas da Sobral e do Calafate. O diretor de Transportes da RBTRANS, Jô Luis Fonseca, destaca que os ônibus articulados são mais adequados para rotas longas, em locais onde não há necessidade de muitas curvas e manobras e em locais de grande demanda.

Informações: Prefeitura de Rio Branco
READ MORE - Dois novos ônibus articulados entram em circulação em Rio Branco

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960