Passagens de ônibus intermunicipais de São Paulo sofrem reajustes a partir de domingo

sexta-feira, 31 de maio de 2013

A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) irá reajustar as tarifas dos ônibus intermunicipais da Grande São Paulo e da Baixada Santista. O valor médio do reajuste da passagem será de 7,5% e já começa a ser aplicado no próximo domingo (2).

As 13 linhas do Corredor Metropolitano ABD - São Mateus / Jabaquara -, operadas pela Concessionária Metra, terão reajuste de 9,68%. A tarifa passará de R$ 3,10 para R$ 3,40.

O ônibus executivo que liga o Aeroporto Internacional de Guarulhos a diversos pontos da capital terá a tarifa reajustada em 8,5% - de R$ 35,00 para R$ 38,00. A linha suburbana que interliga a Estação Tatuapé do Metrô ao Aeroporto Internacional será reajustada em 6,98%, passando de R$ 4,30 para R$ 4,60.


O cálculo das novas tarifas levou em conta a inflação do transporte coletivo nos últimos 18 meses, que inclui componentes específicos como óleo diesel, que aumentou 21,18%, e mão-de-obra que acumula dissídios de maio do ano passado e maio deste ano com variação de 17,24 %.

As tarifas dos serviços da Região Metropolitana de Campinas não serão reajustadas nesta data, por conta da licitação da concessão do serviço que está em andamento, cuja entrega da proposta dos concorrentes está marcada para o dia 06 de junho.

REAJUSTE POR ÁREAS
REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

ÁREA 1
Municípios de Cotia, Embu, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra, Juquitiba, São Lourenço da Serra, Taboão da Serra, Vargem Grande Paulista e São Paulo.
A menor tarifa será de R$ 2,35 e a maior de R$ 5,70, dependendo da quilometragem percorrida pela linha.

ÁREA 2
Municípios de Barueri, Cajamar, Caieiras, Carapicuíba, Francisco Morato, Franco da Rocha, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus, Santana de Parnaíba e São Paulo.
A menor tarifa será de R$ 2,35 e a maior de R$ 5,70, dependendo da quilometragem percorrida pela linha.

ÁREA 3
Municípios de Arujá, Guarulhos, Mairiporã, Santa Isabel e São Paulo.
A menor tarifa será de R$ 2,35 e a maior de R$ 5,70, dependendo da quilometragem percorrida pela linha.

ÁREA 4
Municípios de Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Suzano e São Paulo.
A menor tarifa será de R$ 2,35 e a maior de R$ 5,60, dependendo da quilometragem percorrida pela linha.

ÁREA 5
Municípios de Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e São Paulo, dependendo da quilometragem percorrida pela linha.
A menor tarifa será de R$ 2,25 e a maior de R$ 5,50.

REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA

Menor tarifa: R$ 2,45; maior tarifa, R$ 9,80, dependendo da quilometragem percorrida pela linha.

Informações: Folha SP
READ MORE - Passagens de ônibus intermunicipais de São Paulo sofrem reajustes a partir de domingo

No Rio, Unificação de passagens de ônibus divide usuários

De acordo com o contrato de concessão, o reajuste anual de tarifas de ônibus na cidade do Rio deveria ter sido concedido no dia 1º de janeiro deste ano. Mas, por solicitação do governo federal, a nova tarifação foi adiada para junho. A partir deste sábado, será R$ 2,95 o preço das passagens de todos os ônibus comuns da cidade do Rio, com ou sem ar condicionado.
Foto:  Alexandre Vieira / Agência O Dia
Antônio Coimbra é morador da Freguesia. Para fechar negócios, o corretor precisa percorrer toda a cidade. Ele reclama que a maioria dos ônibus com ar está na Zona Sul. “É o povão que vai pagar a conta porque anda mesmo é de quentão, disse. 


Moradora de Jacarepaguá, a fisioterapeuta Gisele Palma gostou da unificação. “Num primeiro momento, parece que é bom, mas tem de vir junto com mais qualidade”, frisou.

A tarifa única representa uma elevação de 20 centavos na tarifa dos ônibus sem ar, que hoje é de R$ 2,75, e uma redução no preço de grande parte dos veículos refrigerados, que começa em R$ 2,85 e chega a R$ 5,40 nos percursos mais longos.

Com a decisão, os passageiros que fazem a integração de veículos refrigerados e sem ar pagarão só a tarifa básica com o Bilhete Único Carioca. 

De acordo com a Secretaria Municipal de Transportes, a medida beneficiará cerca de 5 milhões de passageiros por mês que usam ônibus urbanos com ar-condicionado e poderão economizar até R$ 3 por viagem. 

A frota de ônibus urbanos do Rio é de 8,7 mil veículos. Apenas cerca de 800 têm ar-condicionado, menos de 10% do total. É o que questiona a diarista Ana Gomes.

Moradora da Ilha do Governador, ela trabalha em Copacabana e diz que o aumento nos “quentões” vai pesar no bolso dela, da filha e do genro. Desconfiada, Ana acha que as empresas vão tirar os ônibus refrigerados das ruas. 
“Ué, vai diminuir o preço do ônibus com ar-condicionado? Mas quase não existe ônibus com ar-condicionado na cidade. Isso é coisa pra tapear o povo. Vai ficar uma coisa pela outra. Eles aumentam o preço do ônibus na maioria dos lugares e diminuem na Zona Sul”, analisa.

Toda frota com ar

Já professora Eva Vider, especialista em transportes da UFRJ, considera a unificação como um indício de que toda a frota deverá ter ar-condicionado, promessa feita pelo prefeito Eduardo Paes. “A tendência é que os ônibus ofereçam mais conforto. Os novos contratos de concessão já levam em consideração a exigência de ar”, disse. 

Com a instituição da tarifa única na cidade, apenas os frescões, ônibus rodoviários com ar-condicionado, continuarão com tarifa diferenciada.

A Secrtaria de Transprotes garante que a frota com ar não será reduzida e que, até 2016, todos os coletivos da cidade serão refrigerados. Além disso, passageiros com direito à gratuidade poderão usar qualquer ônibus.

Informações: O Dia
READ MORE - No Rio, Unificação de passagens de ônibus divide usuários

São Paulo: Licitação prevê ônibus com itinerário de Metrô na madrugada

A Prefeitura de São Paulo deve publicar, na próxima semana, o edital da licitação das empresas de ônibus que terão direito de operar na cidade pelos próximos 15 anos. A estimativa é que o negócio movimente mais de R$ 90 bilhões. "Está tudo preparado para ser publicado o edital na semana que vem", disse nesta quarta-feira (29) o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto.

Uma das novidades previstas é a criação de linhas que serão alternativas ao Metrô durante a noite e a madrugada, de acordo com Tatto. "Quando o Metrô deixa de operar, a gente coloca o ônibus", disse o secretário. Entretanto, ele afirmou que nem toda a malha do Metrô será coberta de imediato. "Essa rede nós vamos construir com o tempo", disse.


O edital deve ainda propor mudanças no critério de remuneração das empresas e fazer da qualidade uma das condicionantes para o pagamento. Na nova licitação, que busca aumentar o investimento em tecnologia da informação, a Prefeitura pretende aumentar a fiscalização sobre as concessionárias e colocar  na internet informações úteis aos passageiros.

O investimento em tecnologia será parte da contrapartida exigida pela Prefeitura das empresas de ônibus. Elas terão que investir em novos validadores de catraca, adequados à leitura do Bilhete Único Mensal, e no aperfeiçoamento do Sistema Integrado de Monitoramento (SIM) da SPTrans. Uma das propostas é ter três centrais para monitorar a operação do sistema e inibir a sobreposição ou falta de carros.

"Nessa área tecnológica vai ter muita coisa. A gente vai colocar tudo no Google, na Nokia", afirmou, indicando intenção de compartilhar com sites os itinerários e localização em tempo real dos ônibus. "Esta área está muito defasada. Parou no (antigo computador) 486. Temos de atualizar. E para isso tem uma licitação correndo inclusive, do Datacenter, no valor de R$ 150 milhões."

Corredor vira Metrô
Tatto afirma que, após a licitação e com o arsenal de informações produzido pelas novas tecnologias embarcadas, vai tentar implementar um procedimento chamado "operação assistida" que busca dar característica de Metrô a um corredor de ônibus: velocidade pré-determinada, pevisão de chegada, de saída e de embarque em intervalos programados. O teste será feito no corredor entre Pirituba e o Centro da cidade.

"Vamos definir: nesse corredor tem X número de passageiros, precisamos de tantos ônibus e ele precisa correr a 20 km/h. O intervalo tem de ser de 3 em 3 minutos. Para isso acontecer, você parte de levantamentos do SIM, retira parte das interferências do viário, como carro que invade o corredor, como excesso de linhas e programação semafórica inadequada."

Segundo o secretário, as maiores reclamações dos passageiros são superlotação, tempo  de espera e tempo de viagem. "O problema da cidade não é a falta de ônibus. O problema, talvez, é distribuição desses ônibus no terrritório e a velocidade desse ônibus. A gente tem de acabar com esse comboio. Tudo tem a ver com a velocidade, que é de 13 km/h e que queremos chegar acima de 20 km/h", afirmou.

Informações: G1 SP
READ MORE - São Paulo: Licitação prevê ônibus com itinerário de Metrô na madrugada

Aracaju terá transporte público fluvial, Via Rio Sergipe

Na última semana, quando almoçou com empresários, o prefeito João Alves Filho (DEM) disse que, no máximo, em 30 dias estará abrindo licitação pública para a introdução na capital de um sistema de transporte público via rio; serão barcos com capacidade para 200 pessoas que irão farão o itinerário Mercados Municipais – 13 de Julho (nas imediações do Iate Clube); o prefeito informou que o projeto terá custo zero para a Prefeitura, pois caberá aos empresários que entrarem na concorrência arcar com as despesas da compra dos barcos e também a construção dos locais de transbordo de passageiros

Não é de hoje que muito se especula sobre a ideia de fazer uso de embarcações no rio Sergipe como alternativa ao ônibus, em Aracaju. O tema foi abordado recentemente pelo prefeito em conversa com jornalistas, embora ele não tenha dito abertamente como se daria. Informou apenas que era uma novidade, praticamente inédita no Brasil. Pois então, na última semana, quando almoçou com empresários, João disse que no máximo em 30 dias estará abrindo licitação pública para a introdução na capital de um sistema de transporte público via rio.


De acordo com o editorial do Jornal da Cidade, na edição domingo/segunda (26 e 27 de maio), o transporte se dará através de barcos com capacidade para 200 pessoas que farão o itinerário Mercados Municipais – 13 de Julho (nas imediações do Iate Clube). Segundo o prefeito, o projeto terá custo zero para a Prefeitura, pois caberá aos empresários que entrarem na concorrência arcar com as despesas da compra dos barcos e também a construção dos locais de transbordo de passageiros.

O JC informa que o empresário Lion Schuster é quem está assessorando o prefeito na ideia do transporte hidroviário. As embarcações que farão o trajeto não serão do tipo to-to-tó. O projeto do novo sistema será enviado à Câmara antes do recesso de julho. Não se sabe ainda se haverá interligação com os ônibus. Para quem não se recorda, por muito tempo, o transporte entre os municípios de Aracaju e Barra dos Coqueiros foi feito atravessando o rio Sergipe.

Informações: Brasil247.com
READ MORE - Aracaju terá transporte público fluvial, Via Rio Sergipe

Tarifa de ônibus em Natal sofre reajuste neste sábado

As tarifas do transporte público de passageiros na Região Metropolitana de Natal vão sofrer reajuste. O aumento foi confirmado ontem pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Rio Grande do Norte (DER/RN) e entra em vigor a partir do próximo sábado, dia 1º de junho. Em média, o preço das passagens vai aumentar 8,21%, mas há casos onde o reajuste será de 13,63%. A portaria que autoriza o reajuste será publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) juntamente com a planilha com os custos mensais das empresas.
Foto: Junior Santos
De acordo com o diretor geral do DER/RN, Demétrio Torres, o aumento foi autorizado após uma minuciosa análise de todas as planilhas apresentadas pelo Sindicato das Empresas de Transporte Intermunicipal de Passageiros do RN (Setrans-RN). “O último reajuste foi autorizado ainda no Governo passado. Analisamos todos os custos das empresas e chegamos a alguns percentuais de acordo com a quilometragem de cada linha”, explicou ele.


Reajuste salarial dos rodoviários, aumento no preço dos combustíveis, pneus e outras peças foram os principais itens, segundo Torres, que influenciaram na majoração das tarifas. “Levamos em conta também uma portaria de setembro de 2005 que regulamenta as linhas intermunicipais que são urbanizadas”, completou. O documento está no site do DER/RN e as planilhas fornecidas pelo Setrans/RN serão publicadas no DOE. 

O diretor geral explicou também que a desoneração do PIS/ Cofins nas passagens de ônibus, anunciada pelo Ministério da Fazenda – ainda sem regulamentação oficial – foi incluída na elaboração do novo reajuste. “Além das planilhas, analisamos essa variável. O aumento da tarifa é o único caminho que temos”, disse.

O reajuste das tarifas intermunicipais foi ponto de controvérsia entre empresários e Governo, desde o dia 18 de maio, quando a tarifa de ônibus de Natal passou de R$ 2,20 para R$ 2,40. Nesse dia, as empresas que fazem o transporte de passageiros entre municípios da RMN reajustaram as tarifas para R$ 2,50, sem autorização do DER/RN. O órgão determinou a redução do valor.

Por Roberto Lucena
Informações: Tribuna do Norte
READ MORE - Tarifa de ônibus em Natal sofre reajuste neste sábado

Tarifa de ônibus em Maringá terá reajuste neste domingo

O valor da tarifa do transporte coletivo urbano de Maringá sobe para R$ 2,65 a partir da zero hora do próximo domingo (2). O reajuste de 6% - hoje os usuários pagam R$ 2,50 - foi anunciado na tarde desta sexta-feira (31) pela Secretaria Municipal de Trânsito e Segurança (Setrans).

De acordo com a Setrans, o índice considera os aumentos nos insumos e custos de mão de obra que compõem a planilha - que poderá ser consultada no site da prefeitura, na íntegra, a partir da zero hora de sábado (1º).

Ainda segundo a secretaria, nos últimos 12 meses, a concessionária do serviço registrou aumento nos derivados de petróleo, como combustíveis, óleos lubrificantes e pneus, na ordem de 15,4%. O reajuste acordado com a categoria dos motoristas foi de 10% e demais custos tiveram majoração de 8,4%.

Confira aqui o valor das tarifas de ônibus reajustadas.

A Prefeitura de Maringá ressalta que os estudos da planilha de custos dos sistemas de transporte coletivo indicavam que a nova tarifa custaria R$ 2,75. A diferença de R$ 0,10 entre o valor calculado e o que entrará em vigor é reflexo da lei de desoneração da folha de pagamento, sancionada em fevereiro deste ano. Na ocasião, a TCCC optou pela substituição de uma contribuição de 20% sobre a folha de pagamento das empresas, feita ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), para cobrança de uma taxa de 2% do faturamento.

Desta forma, a tarifa pode sofrer alterações após a regulamentação de incetivos fiscais anunciadas, porém ainda não regulamentadas pelos governos federal, estadual e municipal.

Pedido de adiamento

No início da semana, os vereadores de Maringá pediram ao prefeito Roberto Pupin (PP) o adiamento do reajuste por meio da aprovação de um requerimento, colocado em votação em regime de urgência. O documento, de autoria do vereador Humberto Henrique (PT), foi assinado pelos 15 membros do Legislativo e aprovado por unanimidade na sessão de terça-feira (28).

Os vereadores defendiam que, antes de o Executivo autorizar a recomposição anual dos valores, fosse aplicado à planilha de custos o impacto dos incentivos fiscais concedidos pelo governo federal (desoneração da folha de pagamento, que está em vigor desde janeiro, e isenção de PIS-Cofins, que entrará em vigor dia 1º de junho); pelo governo do Estado, que garantiu isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o óleo diesel usado no setor (ainda não está regulamentado); e da proposta da prefeitura de conceder isenção de Imposto Sobre Serviços (ISS) ao transporte coletivo.

Na quarta-feira (29), o secretário municipal de Transportes, Ademar Schiavone, confirmou que o novo valor entrará em vigor no domingo (2) e alegou que o adiamento não seria possível por conta de cláusulas do contrato com a Transporte Coletivo Cidade Canção (TCCC).

Informações: O Diário Maringá

READ MORE - Tarifa de ônibus em Maringá terá reajuste neste domingo

Bilhete Único Fortaleza garante integração ilimitada por apenas R$ 1,10 para estudantes

Estudantes interessados em usufruir dos benefícios do Bilhete Único Fortaleza poderão realizar o cadastro em qualquer um dos doze pontos de atendimento do Bilhete Único e no atendimento exclusivo na sede da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor). Somente na Etufor são 16 (dezesseis) guichês de atendimento que garantem a agilidade na hora do cadastramento e da entrega do cartão Bilhete Único Fortaleza.

Após cadastrados, os estudantes poderão pegar quantos ônibus quiserem no intervalo de duas horas pagando apenas R$ 1,10 (um real e dez centavos). Além da opção da integração, os estudantes ainda terão garantido o direito de utilizar a meia passagem ilimitada nos transportes coletivos.


Como o Bilhete Único é um serviço opcional, quem não quiser utilizar o benefício da integração poderá usar normalmente a carteira de estudante, sem qualquer alteração. Já para os que quiserem aderir ao novo sistema de integração, está assegurada a transferência dos créditos da carteira de estudante para o novo cartão.

No ato do recebimento do Bilhete Único, o estudante poderá fazer a transferência dos créditos e não terá qualquer prejuízo. Além disso, o cartão já estará apto para ser utilizado para débito da meia passagem e para inclusão de créditos.

Quem optar por aderir ao Bilhete Único permanecerá com a carteira de estudante, pois ela continuará sendo utilizada para meia cultural e esportiva. Os alunos estão sendo informados sobre esses e outros benefícios de diversas formas.

A diretoria da Etufor tem mantido contato direto com representantes e entidades estudantis para responder questionamentos e esclarecer dúvidas através de reuniões. Somente esta semana, na sede da Etufor, já foram realizados dois encontros e um terceiro está agendado. Além disso, foi realizada e televisionada na última quinta-feira (2) uma audiência pública na Câmara Municipal de Fortaleza sobre o Bilhete Único. O evento contou com a presença de diversos estudantes.

Mais esclarecimentos também estão disponíveis nos sites da Prefeitura de Fortaleza (www.fortaleza.ce.gov.br/bilheteunico), do Sindiônibus (www.sindionibus.com.br) e do Vale Transporte Eletrônico (www.vtefortaleza.com.br). Por fim, a Prefeitura, diariamente, tem publicado notícias sobre o assunto através do Facebook e Twitter. 

Informações: Prefeitura de Fortaleza
READ MORE - Bilhete Único Fortaleza garante integração ilimitada por apenas R$ 1,10 para estudantes

Transporte coletivo de Osasco ganha 20 novos ônibus adaptados

A cidade de Osasco ganhou 20 novos ônibus adaptados para frota municipal com plataforma elevatória, que possibilita o embarque de pessoas com necessidades especiais. Na ocasião, o prefeito Jorge Lapas, acompanhado do presidente da CMTO (Companhia Municipal de Transportes de Osasco), Paulo Arnoni, e o diretor superintendente da empresa Urubupungá, Luís Augusto Saraiva, participaram do evento de entrega oficial dos novos veículos que fazem parte da renovação da frota prevista no contrato de concessão do serviço, administrado pela CMTO e que deverão atender a zona Norte da cidade.

Segundo Paulo Arnoni, a cidade possui atualmente 231 novos ônibus adaptados em circulação, sendo que de um total de 184 pertencentes à Viação Osasco, 107 já estão adaptados, ou seja, aproximadamente 60% da frota municipal da empresa está renovada. Já a Urubupungá possui em torno de 170 em circulação, sendo que 124 passaram por renovação e também estão adaptados, o que representa pouco mais de 70% da capacitada instalada municipal da empresa operando em Osasco. “Com os novos sistemas nos coletivos, haverá uma redução de 70% de emissão de gases automotores poluentes. Já temos 60 veículos na frota operando com sistema de alta tecnologia. Temos hoje uma frota operante de cerca de 370 veículos, sendo 231 adaptados, o que representa pouco mais de 62% de renovação na frota. 

Os novos coletivos da Urubupungá possuem duas poltronas para a acomodação de pessoas obesas, alças de segurança e balaustres com identificação, que facilitam a locomoção de pessoas com deficiência visual no interior do veículo. Os novos ônibus têm também um diferencial mecânico: a tecnologia Blue Tec5, que realiza o pós-tratamento dos gases de escapamento. Dessa forma, os novos veículos reduzem quimicamente as emissões de gases poluentes, contribuindo para que o meio ambiente não seja agredido. De acordo com a Urubupungá, visando ainda segurança da população, serão instaladas três câmeras que captam imagens do motorista, do cobrador, dos usuários e do trajeto da linha. 

Informações: Prefeitura de Osasco

READ MORE - Transporte coletivo de Osasco ganha 20 novos ônibus adaptados

Urbs Curitiba inicia reparos nas coberturas dos terminais de transporte

A Urbs começou na segunda-feira (27) as obras de reforma da cobertura do Terminal Pinheirinho e determinou o início imediato dos reparos e consertos que precisam ser feitos para evitar goteiras nos 22 terminais de transporte de Curitiba, incluindo o Guadalupe, que é metropolitano. Nesta quarta-feira (29) começou a ser cumprido um cronograma de vistoria técnica nos terminais, que vai apontar os reparos necessários.

O primeiro passo para o trabalho foi dado na semana passada, com a renegociação do contrato firmado na gestão anterior, que terceirizou a manutenção dos terminais. A partir de agora, fiscais do transporte coletivo passarão a fazer, a cada 48 horas, relatórios sobre a situação dos terminais e sobre o andamento das obras.

A vistoria, a fiscalização permanente e o início imediato de reparos necessários fazem parte da política de melhoria no atendimento ao usuário do sistema de transporte.


O caso mais grave é o do terminal Pinheirinho, no qual será preciso fazer reparos em toda a cobertura, de 27 mil metros quadrados. A obra, que em valor de mercado custaria em torno de R$ 1,8 milhão, será feita sem custos adicionais, por aditivo contratual, e prevê a troca de todas as calhas do terminal, das telhas que estiverem comprometidas e reparos que forem necessários nas junções da cobertura.

O trabalho foi iniciado na segunda-feira (27) e tem prazo até o fim de setembro para ser concluído. Os reparos só não foram iniciados antes porque havia um contrato em andamento que precisou ser reavaliado e renegociado com a empresa responsável.

A rodada de vistoria técnica – feita por engenheiro e fiscal de contrato da Urbs e técnicos da empresa Socicam, responsável pela manutenção dos terminais -, começou nesta quarta-feira (29) pelo terminal do Hauer, no qual foram identificados os pontos que precisam de reparos e que deverão estar consertados no prazo máximo de 30 dias. Ao longo das próximas semanas, as equipes vão percorrer o restante dos terminais, fazendo uma nova avaliação, levando em conta que todos eles foram reformados a partir de julho do ano passado.

Nesta terça-feira foram iniciados os reparos na cobertura do Terminal Campina do Siqueira, que deverão estar concluídos nas próximas duas semanas. Neste caso, o trabalho não exige a retirada de calhas ou telhas, mas o conserto na junção dos domus que compõem a cobertura que, em função da variação climática exigem manutenção constante e que a partir de agora será fiscalizada de forma contínua pelos técnicos da Urbs.

Pinheirinho

O problema no terminal Pinheirinho, onde o nível de vazamentos representa um problema sério tanto para os usuários quanto para a operação do transporte, é provocado por um problema estrutural que exige a retirada e reposição de todas as calhas. O contrato firmado pela gestão anterior não previa esse tipo de trabalho, o que passa a ser feito a partir de agora com a renegociação do contrato feita pela gestão atual. Pelo novo acordo, este tipo de conserto passa a fazer parte das atribuições da empresa sem qualquer custo adicional ao contrato.

As obras no Pinheirinho serão feitas por etapas e, a princípio, não haverá necessidade de alteração na operação do terminal. Caso, ao longo dos trabalhos, isso se mostre necessário, os usuários serão devidamente informados. Por enquanto não há qualquer alteração nos pontos de parada de ônibus, lojas e serviços existentes no terminal.

O Pinheirinho é o maior Terminal de transporte da cidade, com uma área operacional de 27,3 mil metros quadrados, 33 linhas de ônibus e 140 mil usuários por dia. O segundo maior terminal em extensão é o Boqueirão, com área operacional de 16,4 mil metros quadrados.

A Urbs administra 22 terminais de transporte em Curitiba. São 21 terminais urbanos e o Guadalupe, onde param as linhas metropolitanas. Por dia, cerca de um milhão de pessoas passam pelos terminais em Curitiba. Os outros nove terminais que fazem parte da Rede Integrada de Transporte ficam na Região Metropolitana e são administrados pelas prefeituras locais.

Informações: Bem Paraná
READ MORE - Urbs Curitiba inicia reparos nas coberturas dos terminais de transporte

Ribeirão Preto poderá ter greve de ônibus na próxima segunda-feira

Os motoristas de ônibus do transporte coletivo urbano de Ribeirão Preto vão entrar em greve a partir da próxima segunda-feira.  

Se for bem-sucedida, o movimento pode afetar diretamente de oitenta mil a cem mil pessoas que utilizam diariamente o sistema de transporte coletivo municipal. 

A cidade conta com 600 motoristas, que têm um salário básico de R$ 1,4 mil. 
A decisão sobre a paralisação total foi tomada durante duas assembleias, realizadas ontem no Sindicato dos Motoristas de ônibus de Ribeirão Preto, na Vila Tibério (zona Oeste). 

Sem reajuste 

A decisão de a categoria entrar em greve ocorreu depois de o Consórcio PróUrbano deixar claro que não iria oferecer qualquer reajuste salarial no dissídio dos motoristas, apesar de ter anunciado a intenção de renovar as cláusulas sociais dos funcionários.  

O Consórcio PróUrbano é formado pelas empresas Transcorp, Rápido D’ Oeste e Turb (todas de Ribeirão Preto) e Sertran (Sertãozinho). Por contrato, terá de investir cerca de R$ 130 milhões em melhorias do sistema nos próximos vinte anos. 

Segundo Luis Gustavo Vianna, diretor do consórcio, o novo contrato assinado em maio do ano passado com a prefeitura de Ribeirão Preto teria desequilibrado o sistema financeiro das empresas do transporte coletivo urbano em 17%. Por isso, não seria possível dar o reajuste pedido pelos funcionários.  

O sindicato da categoria reivindica a inflação de 7%, além de mais 10% de aumento real.

Paralisação 

“A greve está decidida e optamos por parar 100%, a exemplo do que ocorreu no ano passado”, diz Alcides Lopes, vice-presidente do sindicato. 

Segundo ele, a assembleia tinha sobre a mesa a votação de duas propostas: uma propunha a parada total - que acabou sendo vencedora - e outra, que sugeria a paralisação de uma empresa por dia. 

“Em Ribeirão, temos apenas uma empresa. As linhas são dela e estão divididas em quatro garagens. Por isso, se parássemos uma garagem por dia daria 30% do transporte e ficaríamos no limite legal exigido para o serviço essencial. No entanto, a assembleia optou pela paralisação total”, disse João Henrique Bueno, presidente do sindicato da categoria.

Assembleia mostrou divisão da categoria 

A forma da paralisação dividiu os motoristas de ônibus, na assembleia de ontem. Parte queria a paralisação total, enquanto outra queria a parcial. “O sindicato não quer a paralisação total porque está do lado dos patrões”, conta um motorista, que pediu para não ser identificado. 

“A greve será considerada ilegal pelo Tribunal Regional do Trabalho e, com isso, ficaremos apenas com o reajuste da inflação, de 7%. Com a greve parcial poderíamos ficar parados por tempo indeterminado e conseguir um reajuste maior”, retrucou João Henrique Bueno. 

Outro impasse teve a ver com os motoristas atuarem como cobradores. “Em várias cidades o prefeito já fez decreto para tirar o dinheiro do ônibus. Resta a prefeita Dárcy Vera (PSD) criar coragem e tomar a mesma atitude. Vai agilizar o transporte e aumentar a segurança”, diz Bueno.

Informações: Jornal A Cidade
READ MORE - Ribeirão Preto poderá ter greve de ônibus na próxima segunda-feira

Cidade de Sorocaba tem a 3ª maior tarifa de ônibus do Brasil

O reajuste no custo das tarifas de transporte coletivo de Sorocaba, que passa a valer a partir do dia 5 de junho, consolida a cidade como a terceira maior tarifa ranking nacional, entre as cidades com mais de 500 mil habitantes. Se excluídas as capitais, Sorocaba tem o segundo maior preço da passagem de ônibus do país e também do interior paulista. Com o aumento de 5,49%, anunciado anteontem pela Urbes - Trânsito e Transporte, a tarifa social passará dos atuais R$ 2,95 para R$ 3,15. Esse valor é apenas R$ 0,15 abaixo do praticado por outras seis cidades paulistas e R$ 0,10 a menos que a tarifa que passará a vigorar na Capital a partir do dia 2 de junho.

Segundo levantamento divulgado pela Associação Nacional dos Transportes Públicos (ANTP), as cidades com a maior tarifa do país são Campinas, Guarulhos, Osasco, Santo André, São Bernardo do Campo e São José dos Campos, que têm um custo de R$ 3,30 nas passagens de ônibus. As tarifas mais baixas são praticadas em Brasília (DF) e Jaboatão de Guararapes (PE), com custo de R$ 2. Ribeirão Preto é a cidade paulista com mais de 500 mil habitantes onde é mais barato andar de ônibus (R$ 2,90).


De acordo com a Urbes, o cálculo do valor de tarifa do transporte coletivo leva em consideração uma série de variáveis, que podem ser comuns entres diversas cidades. Contudo, alega a empresa, outras variáveis são específicas de cada sistema de transporte como, por exemplo, a política de gratuidade, o sistema de integração (bilhete único), a tarifa reduzida para domingos e feriados e a renovação da frota. Na avaliação da equipe técnica da Urbes, uma eventual comparação de tarifas deve considerar, além desses aspectos mencionados, os Estados onde essas cidades estão localizadas.

De acordo a empresa responsável pelo transporte urbano, a definição do índice a ser aplicado no reajuste das tarifas foi definido com base no aumento dos custos operacionais do transporte coletivo urbano, face ao aumento salarial e benefícios concedidos aos trabalhadores do setor, e também a reposição da variação de preços de insumos básicos utilizados na operacionalização do serviço. O maior variação, segundo a Urbes, ocorreu em relação aos combustíveis e lubrificantes (15,9%), seguidos dos materiais de rodagem (10,5%), pagamento de pessoal (9,74%) e despesas administrativas e operacionais (7,9%). Segundo a Urbes, os gastos com pessoal, encargos e benefícios correspondem a cerca de 56% dos custos tarifários.

O índice médio de 5,49% para a correção da tarifa, enfatizou a empresa, está abaixo da inflação do período (6,38%), calculada pelo índice IGPM/FGV. Além da tarifa social, que passará de R$ 2,95 para R$ 3,15, também serão corrigidos os valores do vale-transporte (R$ 3,15 para R$ 3,35) e do passe estudante (R$ 1,50 para R$ 1,55). O último aumento no preço das tarifas de ônibus em Sorocaba aconteceu no dia 1º de junho de 2012 e o índice aplicado foi de 4,1%.

Usuários reclamam

O anúncio do novo aumento da tarifa de ônibus não foi bem recebida por quem utiliza o transporte coletivo diariamente. Além de considerar alto o valor que é praticado na cidade, os usuários cobram melhorias no serviço oferecido. A auxiliar de produção Rosana Marques, 35 anos, considera um "absurdo" um novo aumento de tarifa diante do qualidade do serviço que vem sendo oferecido na cidade. "Já cansei de perder hora no trabalho por causa das filas que se formam nos terminais. Tem que melhorar o serviço ao invés de só aumentar o preço para quem pega o ônibus." Rosana conta que já gasta cerca de R$ 130 por mês só com ônibus e agora o custo do transporte vai pesar ainda mais. "O negócio e antecipar a compra do passe antes que aumente. Pelo menos economizo um pouco."

A estudante Gabriela Quini, 19 anos, também critica o novo aumento. "O custo do ônibus em Sorocaba já é alto demais. Os usuários não tem que pagar pelo aumento concedido para os motoristas, quem tem que fazer isso são as empresas que já lucram bastante." A cozinheira Zilda Ribeiro Pimenta, 47 anos, ficou surpresa com a notícia do novo aumento de ônibus programado para acontecer no dia 5 de junho. "Não sabia. Já está caro demais. O problema é que o salário da gente não sobe e quando sobe, tudo aumenta ainda mais", reclama. Luciana conta que já gasta R$ 17 por dia só de transporte coletivo, pois mora num cidade da região, e agora terá que arcar com um custo ainda maior. "É desanimador."

O professor de Educação Física, Wagner dos Santos, 36 anos, conta que há algum tempo tem evitado andar de ônibus, tanto por conta do preço da tarifa como da má qualidade do serviço. "Além de pagar caro, a gente ainda tem que se submeter à desorganização dos terminais de ônibus, onde ninguém respeita as filas e as pessoas têm que esperar um tempão para conseguir pegar um ônibus. Eu tenho preferido andar a pé do que me submeter a isso." Na avaliação de Wagner, a Urbes deveria investir mais na qualidade do serviço que é oferecido aos usuários do que simplesmente aumentar o preço das passagens. 

A técnica de enfermagem Luciana Viviani, 31 anos, diz que com o preço que está sendo cobrado no transporte coletivo de Sorocaba, compensa mais reunir um grupo de pessoas e andar de carro. "Além de sair mais barato é bem mais rápido e confortável." Ela afirma que todo o mês chega a gastar até R$ 180 só com passagem de ônibus. "É um absurdo ter que pagar ainda mais por esse serviço." Mas nem todos são unânimes em criticar o aumento. A aposentada Edna Vilela, 63 anos, considera normal o reajuste, pois na sua avaliação os motoristas merecem gastar mais e já era esperado que ocorresse um aumento, como em todos os anos. "Eu não pago a passagem, mas mesmo se pagasse eu concordaria com o aumento."

Manifestação

O anúncio do reajuste da tarifa de ônibus já repercutiu também nas rede sociais, onde está circulando uma mobilização para que seja realizada uma manifestação contra o aumento nas passagens e por melhorias no transporte coletivo de Sorocaba. O ato está para marcado para o próximo dia 5 de junho, quando começa a vigorar a nova tarifa, a partir das 15h, no Terminal Santo Antônio.

Ranking das cidades com mais de 500 mil habitantes

3,30 - Campinas (SP)/Guarulhos (SP)/Osasco (SP)/Santo André (SP)/São Bernardo do Campo (SP)/São José dos Campos (SP)
3,20 - São Paulo
3,15 - Sorocaba
3,00 - Joinville (SC)
2,95 - Cuiabá (MT)/Contagem (MG)
2,90 - Florianópolis (SC)/Ribeirão Preto (SP)
2,85 - Campo Grande (MS)/Porto Alegre (RS)/Uberlândia (MG)
2,80 - Belo Horizonte (MG)/Duque de Caxias (RJ)/Feria de Santana (BA)/Nova Iguaçu (RJ)/Salvador (BA)/São Gonçalo (RJ)
2,75 - Goiânia (GO)/Manaus (AM)/Rio de Janeiro (RJ)
2,60 - Curitiba (PR)/Porto Velho (RO)
2,50 - Palmas (TO)
2,45 - Vitória (ES)/Aracaju (SE)
2,40 - Londrina (PR)/Rio Branco (AC)
2,30 - Macapá (AP)/Maceió (AL)/João Pessoa (PB)
2,25 - Boa Vista (RR)/Recife (PE)
2,20 - Belém (PA)/Fortaleza (CE)/Natal (RN)
2,10 - São Luís (MA)/Teresina (PI)
2,05 - Juiz de Fora (MG)
2,00 - Brasília (DF)/Jaboatão dos Guararapes (PE)

- Fonte: Associação Nacional dos Transportes Públicos (ABTP)

Por Rosimeire Silva
Informações: Cruzeiro do Sul
READ MORE - Cidade de Sorocaba tem a 3ª maior tarifa de ônibus do Brasil

Em SP, Recarga do Bilhete Único até 1º de junho garante valor antigo após reajuste

Os passageiros que optarem por recarregar o Bilhete Único em São Paulo até o dia 1º de junho, véspera do aumento tarifário para ônibus, trens e metrô, poderão viajar ainda com o valor da tarifa antiga, até o crédito se esgotar. A informação é da São Paulo Transportes (SPTrans), que gerencia o Bilhete Único na capital paulista.

No site da empresa, a principal dúvida levantada pelos passageiros é sobre a mudança de tarifa, que passará de R$ 3 para R$ 3,20 no próximo dia 2 de junho. De acordo com a prefeitura, se a recarga for realizada antes do dia do reajuste, “será debitado o valor da tarifa vigente na data da compra dos créditos, desde que seu cartão não seja substituído”. Em caso de perda, o recadastro de um novo cartão será com a nova tarifa.


Se o passageiro fizer uma recarga de R$ 300 com a tarifa atual, por exemplo, poderá fazer 100 viagens simples, mesmo após a mudança tarifária. Já se a recarga for completada após o dia 2 de junho, será possível fazer apenas 93 viagens.

A tarifa atual vigora desde janeiro de 2011. Segundo a prefeitura, caso fosse feito o reajuste com base na inflação acumulada no período, aferido pelo IPC/Fipe, o valor chegaria a R$ 3,40. "O reajuste abaixo da inflação é um esforço da prefeitura para não onerar em excesso os passageiros", diz a prefeitura em nota, que prevê o pagamento de R$ 1,25 bilhão em subsídios ao sistema de ônibus em 2013.

O Bilhete Único pode ser recarregado nas Lotéricas, estações de metrô, terminais de ônibus e em diversos pontos cadastrados pela prefeitura.

Informações: Portal Terra
READ MORE - Em SP, Recarga do Bilhete Único até 1º de junho garante valor antigo após reajuste

Terminal de ônibus Pinheiros entra em operação neste sábado

A primeira fase de operação do Terminal Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo, terá início a partir deste sábado (1º), de acordo com a SPTrans. O terminal de ônibus está localizado entre a Rua Gilberto Sabino e a Avenida das Nações Unidas e é integrado à Linha 4 – Amarela do Metrô e à Linha 9 – Esmeralda da CPTM.

Nesta primeira fase, sete linhas de ônibus irão operar no terminal, sendo cinco com ponto final e outros duas de passagem. A demanda esperada é de 16 mil passageiros por dia útil, atendidos por uma frota de 80 ônibus.

A segunda fase deverá começar em 15 dias e a terceira, daqui a 30 dias. Quando estiver à plena capacidade, o terminal, que funcionará 24 horas, deverá receber 60 mil passageiros por dia útil, distribuídos em 15 linhas municipais e nove intermunicipais.

Linhas da primeira fase de operação:
930P/10 Term. Pq. D. Pedro II - Terminal Pinheiros
637P/10 Terminal Santo Amaro - Terminal Pinheiros
809P/10 Terminal Campo Limpo - Terminal Pinheiros (diuturna)
809A/10 Jd. D´Abril - Terminal Pinheiros
809D/10 COHAB Educandário - Terminal Pinheiros
809J/10 Jd. Colombo - Terminal Pinheiros - Circular
809R/10 Rio Pequeno - Terminal Pinheiros - Circular

Informações: G1 SP

READ MORE - Terminal de ônibus Pinheiros entra em operação neste sábado

Em Salvador, Rodoviários marcam assembleia para deflagrar greve

quarta-feira, 29 de maio de 2013

O Sindicato dos Rodoviários divulgou nesta quarta-feira (29) edital de convocação de assembleia geral extraordinária para o dia 5 de junho com a seguinte pauta: “autorização para a diretoria da entidade, a partir da realização desta assembleia, decretar e deflagrar greve geral, por tempo indeterminado no setor público de transporte”. 

A assembleia será realizada em dois turnos – manhã e tarde-, no auditório do Sindicato dos Eletricitários da Bahia (Sinergia), no bairro de Sete Portas, em Salvador, e nas delegacias da entidade em Jequié, Candeias, e Alagoinhas. 

Segundo Daniel Mota, diretor de imprensa do Sindicato dos Rodoviários, os trabalhadores voltaram a se reunir na manhã desta quarta, na sede do Sinergia, e rejeitaram as propostas do Setps e da Abemtro de reajuste de 3,21% para 4,13% e 4,5%, respectivamente. “Os trabalhadores apoiaram a proposta da direção de recusar a proposta dos empresários e definiram que mantêm a mobilização”, diz. 
Ainda de acordo com o diretor, não há paralisação prevista para os próximos dias, porém, a partir da próxima semana, os rodoviários voltam se reunir nas portas das garagens, como ocorreu no último dia 16. 

“Até este final de semana a população pode ficar despreocupada, mas, no início do mês, no dia 2 ou 3, a gente vai para a rua. Esta cidade pode acordar com atrasos temporariamente. Desta vez, diferente de anos anteriores e em respeito à população, nós estamos avisando”.  

Segundo Mota, se não houver uma contraposta até o dia 5 de maio, a greve é inevitável: “é clara esta possibilidade se não tiver um acordo plausível antes. Se chegar à greve, a responsabilidade fica no colo da prefeitura, do secretário de transporte e dos empresários". 

Além do aumento salarial de 15%, os trabalhadores pedem redução da jornada de trabalho para 6h, ticket alimentação de R$ 15 trinta dias por mês e nas férias, assistência médica e odontológica para titulares e dependentes paga pelos patrões, gratificação de Carnaval, fim da cobrança de avarias, das terceirizações e da dupla função - motorista que é cobrador.

Eles também reivindicam o cumprimento da Lei Federal do Descanso (nº 12.519/2012), que estabelece que para cada carga-horária de 7h cumprida pelos motoristas, estes devem descansar uma hora. “O motorista não tem nem espaço físico para cumprir este descanso", afirma Mota.

Informações: Correio da Bahia
READ MORE - Em Salvador, Rodoviários marcam assembleia para deflagrar greve

São Paulo: Metroviários decidem esperar nova proposta do governo e adiam greve

Os metroviários haviam se reunido durante a tarde com representantes do Metrô no Tribunal Regional do Trabalho da 2.ª Região, no centro, para tentar uma conciliação. O Metrô pediu mais uma semana para reapresentar uma nova proposta para os trabalhadores. "Dia 3 ou (o Metrô) faz uma proposta razoável para a categoria, ou dia 4 para São Paulo", disse ao microfone o presidente do sindicato, Altino de Melo Prazeres Júnior. Ele sugeriu que a categoria vá "até o limite" para conquistar as reivindicações. 

Os metroviários pedem aumento real de 14,16%, além de 7,3% de reposição salarial e reajuste de 24,3% para o vale-refeição. Há outras reivindicações, como o aumento do vale-alimentação para R$ 382,71 e equiparação salarial. 


Entenda o caso: Metroviários fazem assembleia para decidir se mantêm greve 
No Metrô, em caso de greve, a única linha que funcionaria sem interrupção é a 4-Amarela (Luz-Butantã), já que seus funcionários pertencem a outro sindicato. É que a Linha 4 é administrada pela iniciativa privada, por meio de uma concessão do governo do Estado. 

Com isso, podem ser paralisadas as Linhas 1-Azul (Tucuruvi-Jabaquara), 2-Verde (Vila Madalena-Vila Prudente), 3-Vermelha (Corinthians-Itaquera-Palmeiras-Barra Funda) e 5-Lilás (Capão Redondo-Largo Treze), por onde circulam, por dia, em média, quase 4 milhões de passageiros. 

CPTM 

Assim como os metroviários, os funcionários de quatro linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) também decidiram adiar a greve. A decisão foi tomada em assembleia realizada na frente da Estação Brás, na região central, por volta das 20h40. 

De acordo com o diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Sorocabana, Alessandro Viana, foi marcada uma audiência de conciliação com a CPTM para as 14 horas de terça-feira (28). Essa entidade representa as Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda. 

Também participará dessa reunião o Sindicato dos Ferroviários da Central do Brasil, que igualmente sinalizava com a possibilidade de interrupção das Linhas 11-Coral e 12-Safira da CPTM. Na segunda (3), a CPTM deverá apresentar uma nova proposta para a categoria, que, no mesmo dia, avaliará se a aceita ou não. 

A categoria pede a reabertura das negociações com a CPTM, reposição da inflação e aumento real de 5%. Além disso, os funcionários querem vale-refeição de 25 reais e um vale-alimentação. O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de São Paulo, que representa os empregados das Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa, já havia fechado acordo com a CPTM na semana passada. Portanto, não haverá greve nesses ramais. 
Outro lado 

Em nota, o Metrô confirmou que, com a decisão, o transporte funcionará normalmente na terça (28). E disse que "conta com o bom senso da categoria em respeitar a solicitação" do TRT para suspender o movimento até semana que vem, "quando será feito novo encontro para negociação entre as partes". 

"A Companhia realizou neste mês seis reuniões com a categoria para negociar o reajuste dos metroviários, que reivindicam, além de reajuste de 8,06%, aumento real de 14,16%. Nos últimos sete anos, a soma de aumentos chegou a 48,84%. Somente acima de inflação, foram 8,8% no mesmo período. A Companhia concede uma série de benefícios aos seus funcionários, como participação nos lucros, vales Refeição e Alimentação, auxílio médico e previdência, além de outras gratificações." 

*Com informações da Agência Estado 
READ MORE - São Paulo: Metroviários decidem esperar nova proposta do governo e adiam greve

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960