Haddad libera R$ 1,43 bilhão para novos corredores de ônibus

terça-feira, 30 de abril de 2013

Na maior liberação de verbas em quase cinco meses de governo, o prefeito Fernando Haddad (PT) assinou R$ 1,43 bilhão em contratos para a construção de novos corredores de ônibus na periferia de São Paulo. Os contratos também contemplam algumas das maiores empreiteiras do país, como a OAS, a Andrade Gutierrez e a Construtora Gomes Lourenço.

As licitações começaram em dezembro de 2012, no último mês da gestão Gilberto Kassab (PSD), e foram concluídas no sábado. Um novo terminal de ônibus para o Jardim Ângela, na zona sul, novos corredores na Radial Leste, entre o Tatuapé e Guaianazes, e faixas exclusivas para coletivos na Avenida Inajar de Souza, na zona norte, estão entre as obras que as empreiteiras devem executar pelos próximos 36 meses.

Na zona leste, para a construção de 17 km de faixas exclusivas na Radial Leste, o governo municipal vai ter de desapropriar quadras inteiras em algumas regiões, além de alargar vias e calçadas. Ao todo, o plano do governo municipal é entregar 147 km de corredores e 12 terminais de ônibus até junho de 2016.

Nessa primeira etapa do projeto também serão feitos 12,1 km de corredores entre a região da Vila Sônia e o Campo Limpo e a reforma dos 14 km do corredor da Inajar de Souza. Também estão no pacote a construção de um complexo viário de acesso ao futuro terminal do Jardim Ângela, por R$ 154 milhões, e a construção do próprio terminal, em área de 74 mil metros quadrados, por R$ 307,6 milhões.

READ MORE - Haddad libera R$ 1,43 bilhão para novos corredores de ônibus

Tarifa de ônibus de Natal deverá ser reajustada

O reajuste salarial dos trabalhadores do sistema de transporte público deverá implicar diretamente na tarifa de ônibus. Caso a proposta apresentada de reajuste salarial e de vale-alimentação em 7,5% seja aceita, o preço da passagem poderá saltar dos atuais R$ 2,20 para até R$ 2,60. O impacto é calculado pelo   coordenador jurídico do Seturn, Augusto Maranhão Vale.

Desde o ano passado, o setor persegue um aumento. “Para se manter há três soluções: o reajuste tarifário, uma política de subsídios para as empresas ou fechar mais empresas”, pontua Vale. O sistema de transporte está sem reajuste na passagem há 27 meses. Entre as formas de subsídio, o Seturn já apresentou proposta para a redução do ICMS do óleo diesel, junto ao governo do Estado, e redução do ISS.

A secretária de Mobilidade Urbana de Natal, Elequicina Santos, admite a possibilidade de aumento, embora não tenha previsão de percentual ou prazo para ocorrer. “Estamos analisando as solicitações do setor para aumento da tarifa, bem como formas de subsídio para o transporte coletivo”, afirma. Enquanto a tarifa esteve “congelada”, acrescenta a secretária, o setor  teve três reajuste salariais e um de combustível. A licitação de concessão do transporte público deve ocorrer no 2º semestre.

Os trabalhadores e empresários do sistema de transporte público de Natal sentaram, pela terceira vez ontem, mas não chegaram a um consenso sobre o reajuste. A reunião na DRT/RN, teve a mediação Cláudio Gabriel de Macedo. A proposta representa a metade do valor pedido, mas também “um acréscimo real se considerada a inflação no período”, pondera o advogado. 

A categoria reivindica 15% de reajuste salarial, além da unificação do vale-alimentação em R$ 360,00 e melhorias em relação ao plano de saúde e a extinção da dupla função (motorista-cobrador).  O salário atual é de R$ 1.350 e o vale-alimentação de R$ 171,00 para motoristas e R$ 164,88, para cobradores. A contraproposta será apreciada em duas assembleias gerais, que serão realizadas hoje, às 9h e 16h, no Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários. Por ora, asseverou o presidente do Sintro, Nastagnan Batista, não há qualquer indicativo de greve. “Estamos abertos a negociação”, disse Batista. Uma nova audiência de conciliação está agendada para às 10 desta quinta-feira, dia 2.

READ MORE - Tarifa de ônibus de Natal deverá ser reajustada

Transporte coletivo de Goiânia em greve na quinta-feira

O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado de Goiás (Sindittransporte) anunciou no último domingo (28) a paralisação dos motoristas de ônibus do transporte coletivo de Goiânia. A greve, que deve se iniciar à meia-noite de quinta-feira, 1º de maio, é motivada pelo impasse quanto ao reajuste salarial dos motoristas.

A proposta inicial era de reajuste de 19% enquanto a contraproposta oferecida pelo Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Goiânia (Setransp) foi de 6,75% no aumento salarial. A Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em Goiás (SRTE-GO), que atua como mediadora no impasse, sugeriu índice de 10% para o reajuste de salário e 30% para os tickets alimentícios – os motoristas pediram inicialmente 35%.

De acordo com a assessoria de imprensa do Sindittransporte, os motoristas estão dispostos a aceitar os valores sugeridos pela SRTE-GO, mesmo que estes estejam abaixo do desejado. Já o Setransp, contudo, não se mostrou apto a aceitar o proposto, o que acarretou que o sindicato dos motoristas determinasse a paralisação.

Ainda nesta segunda-feira (29), será encaminhado um ofício para o Setransp e o Ministério Público, informando-os da greve, bem como o presidente do Sindittransporte, Alberto Magno, deverá se reunir com representantes do Setransp para determinar a frota que circulará no período.

Em nota enviada à reportagem, o Setransp, no entanto, afirmou que “se mantém determinado e dedicado a um entendimento com os representantes dos motoristas, de forma a garantir a continuidade dos serviços públicos de transportes de passageiros.” Para o sindicato das empresas, “manifestações sobre eventual paralisação da categoria são legítimas e comuns neste período de dissídio, mas não refletem o espírito de negociação e entendimento mantidos entre as partes”.

Cumprindo a legislação específica, que determina um intervalo mínimo de 72 horas entre o comunicado e o efetivo início da paralisação, para serviços considerados essenciais, os motoristas aguardam até o dia 1º de maio. A greve não tem tempo determinado para sua duração, mas pode ser suspensa inclusive neste prazo de 72 horas, caso o Setransp aceite as negociações.

READ MORE - Transporte coletivo de Goiânia em greve na quinta-feira

Novos trens de alta velocidade começam a ligar Moscou a Nizhny Novgorod

Começou a trafegar no domingo, 28, o novo trem de alta velocidade Lastochka (Andorinha) ligando Moscou a Nizhny Novgorod.  O tempo de viagem entre estas duas cidades a bordo deste veículo demora quatro horas.

Uma fonte da empresa Ferrovias da Rússia, operadora do transporte, revelou à agência de notícias Itar-Tass que as composições têm cinco vagões fabricados pela empresa alemã Siemens e que, nesta fase inicial de operações diárias, que irá até 30 de setembro, os horários de partida são 14h15, de Moscou, e 19h15, de Nizhny Novgorod.

Durante o percurso, o trem Lastochka faz três paradas: duas de um minuto, nas cidades de Dzerzhinsk e Kovrov; uma de dois minutos, na cidade de Vladimir. O preço da passagem é de 850 rublos, o que pela cotação atual da moeda russa, equivale a R$ 54,31.

De acordo com a empresa Ferrovias da Rússia, os russos estão habituados aos trens de alta velocidade, como, por exemplo, os que ligam as cidades de Velikiy Novgorod, Bologoye e São Petersburgo.

As próximas rotas dos trens Lastochka serão as ligações de Moscou com Kazan e Sochi. Estas duas cidades sediarão, respectivamente, os Jogos Olímpicos Universitários, em julho de 2013, e as Olimpíadas e Paraolimpíadas de Inverno, em fevereiro e março de 2014.

Estes veículos se unirão às composições Sapsan (Falcão), também de alta velocidade, que ligam Moscou à Nizhny Novgorod em viagens de 3h55. Os trens Lastochka possuem assentos multicoloridos e telas digitais que indicam a duração da viagem e a rota percorrida. Cada composição de cinco vagões tem capacidade para transportar até 850 passageiros.

Informações: Diário da Rússia

READ MORE - Novos trens de alta velocidade começam a ligar Moscou a Nizhny Novgorod

Sistema de transporte de Uberaba passa a ter bilhetagem controlada por chip

Bilhetagem eletrônica do transporte coletivo na cidade será trocada por um sistema mais moderno. A informação é do superintendente de Planejamento de Trânsito e Transporte, Claudinei Nunes. Segundo ele, reunião realizada na manhã de hoje vai definir cronograma oficial da troca e quem serão os primeiros a utilizar o novo sistema.
Foto: Enerson Cleiton
Ele explica que o cartão será chipado, tipo smart card, que possui maior sensibilidade. “O usuário aciona o validador da própria carteira ou bolsa, sem precisar inserir, que é o que estraga os cartões”, pontua Claudinei. O superintendente acrescenta que serão mais de cem postos de vendas que poderão fazer as recargas. A novidade é que será possível adquirir créditos também pela internet.

A contratação da empresa Transdata Smart, que será a responsável pelo sistema de bilhetagem inteligente, está sendo oficializada por meio da Transube (Associação das Empresas do Transporte Coletivo de Uberaba). “Não haverá custos para a Prefeitura de Uberaba”, fecha Nunes.

Por Keyla Cristina
READ MORE - Sistema de transporte de Uberaba passa a ter bilhetagem controlada por chip

CET implanta três novas faixas exclusivas para ônibus em São Paulo

segunda-feira, 29 de abril de 2013

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) implanta nesta segunda-feira (29) três novas faixas exclusivas para ônibus em São Paulo. As faixas funcionarão apenas no horário de pico, das 6h às 9h e das 17h às 20h.

Na Zona Sul, uma faixa exclusiva para ônibus será implantada na Avenida Nossa Senhora do Sabará. Serão 2,7 km entre as avenidas Washington Luís e Interlagos.

Pelo novo corredor devem circular 23 linhas de ônibus. Cerca de 235 mil passageiros serão atendidos em um dia útil. No período da manhã, a exclusividade dos ônibus na faixa vai das 6h às 9h, no sentido Centro. À tarde, será das 17h às 20h no sentido bairro. Quem invadir a faixa durante os horários exclusivos para ônibus estará sujeito a multa de R$ 53,20 (infração leve) e três pontos na carteira de habilitação.

Domingos de Morais e Jabaquara
A nova faixa exclusiva será implantada em ambos os sentidos do corredor formado pela Rua Domingos de Morais e pela Avenida Jabaquara, na Zona Sul de São Paulo.

Na Rua Domingos de Morais, a faixa ficará entre as ruas Sena Madureira e Luís Góis. O trecho exclusivo continua na Avenida Jabaquara, entre as ruas Luís Góis e Irerê. O trecho totaliza 7,2 km de extensão.

No sentido bairro da Rua Domingos de Morais circulam 23 linhas de ônibus, transportando cerca de 272 mil passageiros por dia útil. Já no sentido Centro, são 15 linhas, com 168 mil pessoas atendidas.

Na Avenida Jabaquara passam 30 linhas no sentido bairro, com aproximadamente 288 mil usuários. Já na direção do Centro, também circulam 30 linhas, mas com mais de 310 mil pessoas transportadas diariamente, de segunda a sexta-feira.

Zona Leste
A faixa de 13 km será implantada nas estradas do Imperador e Mogi das Cruzes e na Rua Embira, em ambos os sentidos, entre as Avenidas Pires do Rio e São Miguel.

Pelo corredor das estradas do Imperador e Mogi das Cruzes e Rua Embira circulam 41 linhas de ônibus transportando, aproximadamente, 226 mil passageiros por dia.
A faixa exclusiva de ônibus será implantada à direita das vias, mantendo-se as outras duas faixas destinadas ao tráfego geral de veículos.

A ativação das novas faixas faz pare da operação "Dá Licença para o Ônibus", que visa agilizar a circulação do transporte coletivo na capital paulista. O motorista que não respeitar a exclusividade dos ônibus no trecho durante os horários de ativação está sujeito à multa por infração leve - R$ 53,20 e três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Informações: G1 em São Paulo

READ MORE - CET implanta três novas faixas exclusivas para ônibus em São Paulo

Hortolândia pode ter estações de BRT ao longo do Corredor Metropolitano

O prefeito Antonio Meira participou, nesta terça-feira (23), do Fórum Nacional de Mobilidade Urbana e Trânsito, em Brasília. A atividade, que fez parte da programação do Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável, tratou de questões ligadas ao desenvolvimento do sistema viário nos municípios. Um dos pontos principais da reunião foi a apresentação do modelo de BRT (Bus Rapid Transit, ou Trânsito Rápido de Ônibus) adotado em Belo Horizonte (MG). Hortolândia pretende incluir estações de BRT no projeto para o traçado do Corredor Metropolitano Noroeste, documento cuja elaboração está em andamento. A discussão do projeto é realizada entre a Prefeitura e a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), responsável pela obra.

O sistema BRT funciona por meio do tráfego de ônibus ou veículos articulados em vias exclusivas, tornando o transporte mais rápido. A capacidade de transporte de passageiros pelo BRT é similar à de um sistema de VLT (Veículo Leve sobre Trilhos). O investimento para a construção dos corredores e estações BRT é menor do que o custo para a implantação de metrôs, o que torna o projeto viável. “O sistema viário é uma das prioridades do nosso governo. O modelo adotado em Belo Horizonte resultou em um grande avanço na mobilidade daquele município. É um projeto de sucesso. Ações como esta, que trazem melhorias para o transporte público, devem ser analisadas com grande potencial de se tornarem realidade aqui em Hortolândia”, enfatizou Meira.

A criação de corredores BRT na RMC (Região Metropolitana de Campinas) já foi tratada na semana passada, durante uma reunião entre representantes dos municípios. Em Campinas, há pontos onde já existem estações BRT. De acordo com o secretário de Planejamento Urbano de Hortolândia, Marcelo Zanibon, a discussão técnica para estabelecer detalhes do projeto para o Corredor Metropolitano em Hortolândia pode incluir estações na cidade. “Vamos estudar a possibilidade de que o projeto já tenha os locais onde serão instaladas as estações BRT, que podem ficar em diversos pontos ao longo do traçado”, afirmou Zanibon.

Informações: Prefeitura de Hortolândia

READ MORE - Hortolândia pode ter estações de BRT ao longo do Corredor Metropolitano

Prefeitura de SP quer que todo radar flague rodízio

domingo, 28 de abril de 2013

A prefeitura de São Paulo pretende dotar todos os radares da cidade com leitores automáticos de placas, capazes de flagrar motoristas que furam o rodízio municipal de veículos. Hoje, dos 587 radares ativos na capital, só 196 possuem esse tipo de tecnologia. Além disso, novos aparelhos também devem ser instalados, principalmente, em corredores de ônibus, para coibir a invasão de automóveis particulares. A gestão do petista Fernando Haddad prepara um edital, a ser publicado em maio, para a contratação de serviços de fornecimento, instalação e operação dos equipamentos.
Prefeitura estima que novos radares possam aumentar em até 20% a fluidez do trânsito na capital (Nelson Antoine/Fotoarena)
A instalação dos novos radares deverá começar em agosto, segundo o diretor de Planejamento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Tadeu Leite Duarte. A Secretaria Municipal dos Transportes pretende também rearranjar os atuais pontos de fiscalização. Um dos focos da ação é a verificação eletrônica intensiva dos corredores de ônibus, para inibir a entrada de veículos que não sejam coletivos ou táxis e, assim, melhorar a velocidade média do transporte coletivo.

Segundo a Prefeitura, a tecnologia também permitirá rastrear o percurso dos coletivos e estimar tempos de viagem, além de subsidiar a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e a São Paulo Transporte (SPTrans), que gerencia os ônibus municipais, com dados em tempo real sobre as condições do trânsito.

Todos os radares devem ser ligados por fibra ótica à Central Integrada de Mobilidade Urbana (Cimu), que será construída na região central da cidade. Esse polo também congregará e processará informações recebidas de semáforos inteligentes. Assim, será possível a adoção de medidas mais rápidas para solucionar problemas viários. 

A projeção do governo é que as ações melhorem em 20% a fluidez do trânsito. No caso dos corredores de ônibus, a meta é fazer com que a velocidade média dos coletivos salte dos atuais 13 km/h para 25 km/h.

Informações: Veja Abril

READ MORE - Prefeitura de SP quer que todo radar flague rodízio

Novos corredores vão agilizar linhas mais congestionadas em Uberlândia

A Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settran) calcula que a implantação de cinco novos corredores em Uberlândia vai gerar redução de 30% no tempo de viagem entre a estação mais distante e o Terminal Central em linhas consideradas mais congestionadas, como as rotas para a região do bairro Luizote de Freitas, na zona oeste.

A reportagem do CORREIO de Uberlândia andou em um ônibus da linha T-120 (Terminal Central-Luizote-Mansour) para calcular o tempo médio que o ônibus leva para se deslocar do Terminal Central ao bairro Luizote no horário de pico em um dia de semana. Na ida, foram 23 minutos no deslocamento entre o Terminal Central e a esquina da avenida Marcos de Freitas Costa com a rua Genarino Cazabona, quando o veículo faz a conversão para entrar no bairro.

No retorno, do mesmo local até o Terminal Central, quando já eram quase 18h, o trajeto bairro-Centro demorou 28 minutos. Ou seja, caso os cálculos da Settran estejam corretos, a trajetória do Luizote ao Terminal Central reduziria oito minutos e levaria, em média, 20 minutos para ser completada. “Queremos aumentar o número de transportados, reduzindo o tempo médio de viagem em linhas como essa do Luizote”, afirmou o secretário de Trânsito e Transportes (Settran), Alexandre Andrade.

A ampliação dos corredores do Sistema Integrado de Transporte (SIT) com a construção de quatro novos terminais de embarque e desembarque teve o financiamento, de R$ 360 milhões, aprovado em março pelo governo federal. A previsão é que o contrato com a Caixa Econômica Federal seja assinado em setembro deste ano, de forma concomitante com a conclusão dos projetos básicos e executivos.

A programação da prefeitura prevê que as obras comecem no início do ano que vem. A licitação será por RDC (Regime Diferenciado de Compras), o que, segundo o secretário, vai agilizar a execução das obras, que serão realizadas por etapas para reduzir o impacto no trânsito da cidade. “Grandes obras não podem ser realizadas se não forem precedidas de grandes debates”, afirmou.

Novo mundo será a primeira obra

Segundo o secretário de Trânsito e Transportes, Alexandre Andrade, o primeiro dos novos corredores de ônibus a serem implantados será o que ligará o Terminal Central à zona leste, na região dos bairros Alvorada e Morumbi, com a construção do Terminal Novo Mundo. “No corredor leste, a avenida Segismundo Pereira é de mais fácil instalação e não tem custo de desapropriação”, afirmou.

Posteriormente, o segundo corredor a ser implantado será o da zona sul, que ligará o Terminal Central ao Universitário, que ficará entre o Centro Universitário do Triângulo (Unitri) e o Uberlândia Shopping. A razão é a mesma do leste, pois a avenida Nicomedes Alves dos Santos comporta a instalação da linha exclusiva na faixa central ao lado do canteiro que divide as duas pistas. Nos outros três corredores, o projeto prevê a utilização de faixas exclusivas do lado direito com a redução de vagas de estacionamento.

Projeto sofrerá poucas mudanças

O projeto de criação de novos corredores de ônibus apresentado pelo governo anterior deve sofrer poucas alterações, de acordo com o secretário de Trânsito e Transportes, Alexandre Andrade. O projeto foi apresentado no ano passado, para o processo de seleção do governo federal, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

Uma das propostas de alteração prevista pela atual gestão é a redução de vias que seriam utilizadas no bairro Martins, no setor central, para mitigar o impacto na zona comercial instalada nas avenidas Fernando Vilela, Vasconcelos Costa e Belo Horizonte. “Nestes locais será preciso um estudo com um pouco mais de critério para que não gere dificuldade para o comércio. Devemos optar pelo uso de binário [com as mãos das vias invertidas] só com duas destas avenidas no Martins”, afirmou.

Por Artur Fernades
Informações: Correio de Uberlândia

READ MORE - Novos corredores vão agilizar linhas mais congestionadas em Uberlândia

Pacote para resolver mobilidade urbana no Grande ABC deve custar R$ 7,8 bilhões

O Consórcio Intermunicipal do Grande ABC fechou plano para solucionar os problemas de Mobilidade Urbana da região. O pacote prevê 157 intervenções, que terão custo total de R$ 7,8 bilhões. Na tarde de ontem, o estudo foi entregue à ministra do Planejamento, Miriam Belchior, na sede da entidade regional, em Santo André.

"Os sete prefeitos apresentaram proposta muito consistente. Há projetos de curto, médio e longo prazos. Agora, vamos trabalhar com os técnicos do governo federal e do Consórcio para levar o plano para a presidente (da República) Dilma (Rousseff - PT)", disse Miriam.

A previsão é que a presidente receba o estudo em junho. "Estamos trabalhando com esse cronograma. Então, tem trabalho técnico a ser feito em cima do plano do Consórcio. Vamos destrinchar tudo para detalharmos a proposta e apresentarmos a Dilma", afirmou a ministra.
Miriam não confirmou se todo o valor previsto no pacote de projetos será bancado pela União. "O governo federal, normalmente, define valores por meio de uma proposta inicial. Hoje, o Consórcio formalizou a solicitação de R$ 7,8 bilhões em recursos. Vamos trabalhar para detalhar algumas dessas informações e fazer um pedido que a presidente possa aprovar."

A ministra acredita que o pacote de intervenções pode mudar o cenário da Mobilidade Urbana no Grande ABC a longo prazo. "Foram feitos alguns estudos sobre o quanto o plano poderia mudar para melhor a situação da região daqui a 15 anos. Os ganhos apresentados são significativos", garantiu.

O prefeito de São Bernardo e presidente do Consórcio, Luiz Marinho (PT), acredita que após reunião com Dilma, em junho, poderá ser feita previsão sobre datas de obras e qual porcentagem do custo total dos projetos será bancada pelo governo federal. "Algumas cidades possuem projetos prontos e isso pode se transformar em recursos para obras já na virada deste ano, por exemplo", disse.

Corredor de S.Bernardo pode se estender para outras duas cidades
As 157 intervenções prevista no plano de Mobilidade Urbana do Consórcio Intermunicipal estão divididas em 16 eixos. Um dos mais importantes, segundo a coordenadora do GT (Grupo de Trabalho) de Mobilidade Urbana da entidade, Andrea Brisida, é a extensão do corredor de ônibus Leste/Oeste, que será construído em São Bernardo com verba de R$ 247 milhões do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).
"A ideia é estender esse corredor, que hoje é estritamente municipal, para Diadema e Santo André, criando ligação que chegará inclusive à Capital, que também tem propostas de corredores de ônibus", afirmou Andrea.

A coordenadora também exaltou o projeto do Eixo Sudeste, que seria a ligação de Rio Grande da Serra a São Caetano, passando por Ribeirão Pires, Mauá e Santo André. "Esses dois eixos são importantes pelo peso regional que possuem. Mas é claro que temos outras tantas intervenções relevantes", afirmou.

Por Cadu Proieti 
READ MORE - Pacote para resolver mobilidade urbana no Grande ABC deve custar R$ 7,8 bilhões

No Dist. Federal, Transporte público 24 horas é motivado para dar opções a motoristas, devido à Lei Seca

A Câmara Legislativa realiza audiência pública na segunda-feira (29) para debater deficiências do transporte público coletivo no Distrito Federal e a proposta de criação de transporte 24 horas. Serão discutidos assuntos relativos à efeitos da chamada Lei Seca. A iniciativa  da discussão é do deputado Prof. Israel (PEN).

Segundo sustenta Prof. Israel,  os consumidores que aderiram à Lei Seca reclamam da falta de alternativas para voltar para casa de madrugada, problema também enfrentado por muitos trabalhadores e estudantes. Para oferecer condições de locomoção aos clientes e trabalhadores de bares e restaurantes, o parlamentar defende, ainda, a criação da rota cultural: ônibus circulariam pelo Plano Piloto e cidades do DF em locais de lazer e levariam os passageiros para a Rodoviária e estações de metrô, com linhas ininterruptas.

A reivindicação por meios de transporte 24 horas conta com o apoio do Sindicato de Sindhobar  (Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Brasília), que registrou queda de 25% do movimento nos estabelecimentos da área depois da implantação da Lei Seca.

O presidente da Associação Comercial do Distrito Federal, Cleber Pires, acredita que a iniciativa pode gerar resultado positivo tanto para os empresários quanto para os empregados do setor.

— Brasília já alcançou sua maioridade, mas as políticas públicas ainda não conseguem acompanhar as demandas dos cidadãos.

Informações: R7.com

READ MORE - No Dist. Federal, Transporte público 24 horas é motivado para dar opções a motoristas, devido à Lei Seca

'Passe Lazer' começa em Campinas com tarifa de ônibus a R$ 1,65

Com a tarifa de transporte público coletivo a R$ 1,65, entrou em vigor neste domingo (28) o "Passe Lazer" em Campinas (SP). O desconto no valor da passagem, que usualmente custa R$ 3,30, valerá para o último domingo de cada mês pelo menos até julho.

A medida vale para o pagamento com o cartão do Bilhete Único Comum ou em dinheiro. O “Passe Lazer” não beneficia quem tem o bilhete escolar, que já possui 60% de desconto e, também, os que usam o vale-transporte, por ser um benefício antecipado que as empresa empregadoras prestam ao funcionário para deslocamento ao trabalho.

A resolução que permite o pagamento de R$ 1,65 com as datas pré-definidas, foi publicada no Diário Oficial de quarta-feira (17). O serviço valerá também nos dias 30 de junho e 28 de julho.

Segundo a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), 87 mil pessoas usam o transporte público aos domingos, sendo que um terço utiliza o Bilhete Único Comum.

Os usuários que pagarem a passagem com o Bilhete Único Comum podem utilizar o benefício da integração de duas horas, que permite que o passageiro utilize quantas linhas precisar durante esse período. O serviço atende as 203 linhas de ônibus que circulam pela cidade.

Promessa dos 100 dias
Apesar de a Prefeitura ter anunciado que a nova cobrança de passagens seria implantada dentro dos 100 primeiros dias do governo do prefeito Jonas Donizette (PSB), completados na semana passada, o benefício só começa neste domingo.

A previsão era que o benefício tivesse início em março. No entanto, problemas na bilhetagem eletrônica atrasaram o início da cobrança nos coletivos. Antes da definição do calendário, no dia 10, o prefeito tinha assinado o decreto com as disposições estabelecendo o desconto na tarifa.

Informações: G1 Campinas

READ MORE - 'Passe Lazer' começa em Campinas com tarifa de ônibus a R$ 1,65

No Rio, Estações BRT funcionam às escuras

sábado, 27 de abril de 2013

Na mesma linha, duas realidades diferentes. Enquanto as estações do BRT Transoeste na Barra e Recreio funcionam iluminadas, limpas e com segurança, nos trechos de Santa Cruz a Paciência o cenário não é bem este.

Além do asfalto ser pior nas áreas das estações dos "primos pobres" do BRT, como Vila Paciência, Três Pontes, Cesarinho e Cesarão II, elas estão próximas a comunidades não pacificadas e com pouca segurança.

Até pessoas armadas circulam por perto. Funcionam com pouca iluminação, lâmpadas espaçadas e passarelas escuras.
Em Santa Cruz, a estação só tem iluminação na cabine e no letreiro, prejudicando a circulação de passageiros que usam o meio de transporte | Foto: Alexandre Brum / Agência O Dia
O motivo alegado por empresa fornecedora da luz que não terminou o serviço nos pontos citados já inaugurados é um calote de cerca de R$ 850 mil da empreiteira responsável pelas obras no trecho que vai de Campo Grande a Santa Cruz, a Sanerio Engenharia, pelo trabalho já feito nas outras estações.

A Sanerio nega atraso no pagamento e diz que as obras dos empreiteiros apresentaram problemas. De acordo com a empreiteira, ela teria recebido R$ 84 milhões da Prefeitura do Rio para fazer o trecho, que vai de Campo Grande até Santa Cruz.

Outras fornecedoras do BRT Transoeste também afirmaram que não vão dar continuidade ao serviço “por não quererem trabalhar de graça”, como a responsável pelas portas automáticas, a Prime Portas Automáticas.

A empresa diz que não entregará as 72 portas que faltam porque a Sanerio ainda não lhe pagou mais de R$ 1 milhão pelo o serviço feito em estações já inauguradas.

A empresa responsável pelo piso e parte elétrica, a Ms Damato Serviços, relata a mesma situação. Calcula uma pendência de R$ 200 mil por conta da empreiteira.

“Nem a empresa que fornece as quentinhas tem recebido em dia. Por isso, as obras foram paralisadas pelos vários fornecedores, que têm contas a pagar pelo material e funcionários utilizados nas obras”, disse um empresário que não quis se identificar.

Sanerio aponta erros na finalização da obra

A Sanerio, por meio de nota, negou que acumula qualquer dívida com as empresas citadas e que, pelo contrário, “as obras executadas pelos fornecedores registram problemas de finalização que precisam ser sanados” e os contratos ainda não se encerraram.

Porém, afirmou que “não há hipótese de interrupção das obras em função de pendências com fornecedores”.

A que fornece aço, por exemplo, já teria sido excluída. Além disso, diz que já entregou 15 das 30 estações previstas no contrato. As outra 13 estariam “semiprontas” e outras duas “em fase de construção”.
Na Barra da Tijuca, estação está bem iluminada e o entorno também, o que facilita o acesso dos passageiros mesmo durante a noite | Foto: Alexandre Brum / Agência O Dia
De acordo com a Secretaria Municipal de Obras, todas as estações da linha de Santa Cruz a Campo Grande devem ser entregues até o final deste semestre e informou que, caso a empreiteira descumpra o contrato, ela poderá ser penalizada com as sanções previstas na legislação.

Além disso, afirmou que problemas comerciais entre empresas e seus subfornecedores não são de responsabilidade da Prefeitura do Rio.

Por Constança Resende
READ MORE - No Rio, Estações BRT funcionam às escuras

Metrô de São Paulo recebe mais dois trens modernizados

O Metrô de São Paulo recebeu nesta sexta-feira mais dois trens totalmente modernizados. Segundo a Companhia do Metropolitano de São Paulo,  já são 33 máquinas do tipo desde 2010. Pela manhã, estacionaram no pátio do Jabaquara seis vagões vindos de Cabreúva, no interior. Na segunda-feira, mais seis vagões devem chegar de Araraquara.

Os trens passarão pelos testes finais para serem implantados na Linha 1-Azul (Jabaquara-Tucuruvi)  e na Linha 3-Vermelha (Corinthians/Itaquera e Palmeiras/Barra Funda), respectivamente. Segundo o Metrô, estes testes são iniciados ainda na fábrica, durante o processo de modernização, por uma equipe própria da companhia.

Os trens modernizados têm novo sistema de ar-condicionado, câmeras de vigilância, sensores para detecção de fumaça, sistema de informação audiovisual (monitores e displays) e monitoramento contínuo dos equipamentos pelo operador (caixa preta), sistema de controle de patinagem e deslizamento que melhora o desempenho dos freios em condições de baixa aderência, como em tempo chuvoso.

Também foram realizadas melhorias no sistema de tração, na ergonomia e na iluminação, intervenções que, segundo o Metrô, proporcionam ainda mais eficiência ao sistema de tração em corrente alternada (motores com controles e componentes eletrônicos mais eficientes que possibilitam menor consumo de energia).

As composições estão de acordo com as normas de acessibilidade, com espaços para cadeira de rodas e sinalização audiovisual de abertura e fechamento de portas. O interior dos carros ainda terá mapa dinâmico visual das estações, comunicação em braile e dispositivos de emergência para comunicação com o operador.
As cabines dos operadores foram ampliadas e receberam novo banco ergométrico e acesso mais rápido às informações geradas pela viagem. A modernização dos trens inclui ainda sistema de som que melhora a audição das mensagens sonoras eletrônicas e das divulgadas pelo operador de trem, além de pega-mão fluorescente destinado a pessoas com dificuldades visuais.

Segundo o Metrô, no total, serão 98 composições modernizadas, com investimentos na ordem de R$ 1,75 bilhão.

Informações: Portal Terra
READ MORE - Metrô de São Paulo recebe mais dois trens modernizados

Porto Alegre: Mão inglesa deve ser implementada na Praça Julio de Castilhos

Reivindicadas por moradores dos bairros Moinhos de Vento e Rio Branco, em Porto Alegre, as alterações no trânsito nas imediações da Praça Júlio de Castilhos, no entroncamento da Avenida Independência com a Rua Ramiro Barcelos, entraram na pauta da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

A previsão é de que até o final de maio o trânsito fique em mão inglesa (quando o sentido de circulação se dá pela esquerda) no local.

Ou seja: aqueles motoristas que estão na Rua 24 de Outubro e precisam ingressar na Rua Mostardeiro poderão fazer o retorno pela esquerda sem ter de ir até a Ramiro Barcelos. Faltam apenas os últimos ajustes no projeto para dar início à mudança.

— Como qualquer outra modificação que fazemos, vamos avaliar os efeitos e as consequências — explica o diretor de trânsito da EPTC, Carlos Pires.

Novo sistema de trânsito não inclui ônibus, táxi-lotações e veículos de grande porte

Para ônibus, táxi-lotações e veículos de grande porte, a circulação permanece a mesma: é preciso contornar a praça para entrar na Mostardeiro. A alteração no sentido da via foi anunciada em encontro organizado pelo Centro Administrativo Regional da Região Centro (CAR-Centro), que contou com a presença de representantes da prefeitura e moradores dos bairros Moinhos de Vento, Auxiliadora e Independência.

Em função das mudanças, a localização do ponto de táxi também será alterada na Praça Júlio de Castilho – mas não deverá permanecer na mesma via.

Outra alteração no bairro Moinhos de Vento será na Rua Tobias da Silva, que terá o sentido invertido da Félix da Cunha até a Quintino Bocaiúva. A mudança deve entrar em vigor em até 45 dias. O objetivo é desafogar a região da 24 de Outubro.

Informações: ZERO HORA

READ MORE - Porto Alegre: Mão inglesa deve ser implementada na Praça Julio de Castilhos

Tarifa de ônibus em Mogi das Cruzes é a mais cara do Brasil

A Prefeitura de Mogi das Cruzes anunciou nesta quinta-feira (25) a correção da tarifa de ônibus. O aumento foi aprovado pelo Conselho Municipal de Transportes (Comutran), durante uma reunião realizada nesta tarde. O novo valor, de R$ 3,30, começa a valer a partir deste domingo (28). O reajuste foi de 40 centavos.
Foto: Pedro Carlos Leite/G1
De acordo com a Prefeitura, a nova passagem foi definida com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 13,96%. O valor será de R$ 3,30, o que segundo a administração, ainda é menor do que havia sido solicitado pelas empresas. Desde o mês passado, um grupo de estudantes protestava contra o aumento nas passagens. O movimento deles começou na internet.

Apesar dos aumentos, as empresas de ônibus terão que cumprir algumas exigências, como ampliar o período de integração no Cartão SIM de uma hora para uma hora e meia; colocar mais 50 novos ônibus 100% acessíveis para substituição de frota, sendo que dois deles são semiexpressos e já entraram em operação nesta quinta-feira (25) na linha do Jardim Layr. 

Além de mais dois microônibus para o transporte de pessoas com deficiência e quatro vans que já fazem parte do sistema. A nova frota deverá entrar em operação em até 60 dias.

Segundo o secretário municipal de Transportes, Nobuo Aoki Xiol, desde fevereiro passado, as concessionárias solicitam um reajuste. Ele ainda afirmou que o valor está congelado há quase dois anos e meio e o reajuste concedido é menor que o pedido oficial feito pela CS Brasil, de R$ 3,42. Xiol afirmou que Mogi das Cruzes acompanha o valor da tarifa nas principais cidades da Grande São Paulo onde há integração. Ou seja, a pessoa viaja de um ponto a outro da cidade pagando apenas uma passagem. "Esta é uma das maiores vantagens do sistema e por isso insistimos no aumento do período, beneficiando o usuário que pode fazer alguma coisa pessoal e seguir viagem, seja para o trabalho ou para casa", disse.

Informações: G1 de Mogi das Cruzes e Suzano

READ MORE - Tarifa de ônibus em Mogi das Cruzes é a mais cara do Brasil

Comissão de Transporte da Câmara Municipal aprova rodízio de veículos no Recife

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Em reunião na manhã desta quinta-feira (25) a Comissão de Transporte da Câmara do Recife, com a presença do secretário de Mobilidade e Controle Urbano, João Braga, aprovou um projeto substitutivo confirmando a tese de restrição de veículos na capital pernambucana.

Um Projeto de Lei de 2010, de autoria do vereador Gilberto Alves (PTN), foi substituído por um mais rígido. Neste novo, para transitar livremente nas áreas restritas só foram abertas exceções para ambulância, veículos a serviço da polícia, taxis, transporte escolar e ônibus a serviço do transporte público. Não entram na lista nem motocicletas ou carros da imprensa, por exemplo.


O desavisado que cometer a primeira infração receberá advertência em sua residência. Mas a segunda infração já chegará em casa como multa. O prazo entre as duas infrações é de 12 meses, seguindo as regras do Código de Trânsito Brasileiro.

As infrações serão consideradas de acordo com o CTB como trânsito em local/horário não permitido (Infração do código 574-60, artigo 187, I). Será considerada infração média, com multa de R$ 85,13, além de o condutor ganhar quatro pontos na carteira. O poder Executivo regulamentará onde e como será feita a restrição. A comissão colocou como referencial o último número das placas dos veículos.

O vereador Jurandir Liberal, presidente da Comissão de Transporte, espera que o projeto seja votado em sessão plenária após o feriado de 1º de maio. Se aprovada, segue para a sanção do prefeito Geraldo Julio. Se sancionado, o Poder Executivo terá 90 dias para regulamentar a restrição e colocá-la em prática.

O líder do governo na Câmara, Gilberto Alves (PTN), destacou ainda que o projeto de restrição tem caráter transitório. "As restrições podem não ser definitivas. Isso ficará a cargo do Executivo. Mas se iniciam-se obras num ponto e a restrição fica necessária, ela pode ser implementada lá até o fim das obras. Depois a circulação fica livre", exemplificou.

Além de Jurandir Liberal (PT), integram a Comissão Aerto Luna (PRP) e Priscila Krause (DEM). A vereadora da oposição não participou do encontro, alegando estar com uma virose, em casa, repousando.

Informações: Blog do Jamildo

READ MORE - Comissão de Transporte da Câmara Municipal aprova rodízio de veículos no Recife

Prefeitura de SP vai implanta faixa exclusiva para ônibus na zona sul

A Prefeitura de São Paulo vai implantar na próxima segunda-feira (29) mais uma faixa exclusiva de ônuibus na cidade, desta vez na avenida Nossa Senhora do Sabará, na zona sul da cidade, em ambos os sentidos, entre as avenidas Washington Luís e Interlagos.

Esta faixa, que faz parte da operação "Dá Licença para o Ônibus", vai operar de segunda-feira a sexta-feira, em uma extensão de 2,7 Km, de manhã e à tarde. Pela manhã, a exclusividade dos ônibus na faixa vai das 6h às 9h, no sentido centro; e, no período da tarde, valerá das 17h às 20h, em direção ao bairro.
Renato S. Cerqueira/Futura Press
As faixas exclusivas de ônibus serão implantadas de segunda-feira à sexta-feira, nos horários de pico, com objetivo de privilegiar o transporte coletivo.

O objetivo é priorizar a circulação do transporte coletivo, contribuindo para a melhoria do desempenho dos ônibus nos corredores, buscando-se a redução dos tempos de viagens, com padrões de eficiência, conforto e segurança para os usuários do transporte público.  

Pelo corredor circulam 23 linhas de ônibus, com uma frequência de 147 ônibus/hora pico transportando, aproximadamente, 235 mil passageiros em dia útil.

Semáforos para veiculos e para pedestres
Para a implantação da faixa exclusiva na avenida Nossa Senhora do Sabará, foi instalado um novo semáforo veicular e para pedestres no cruzamento dessa avenida com a rua Sant´Ana, com a ideia de melhorar as condições de segurança e acessibilidade viárias.

A faixa exclusiva será instalada à direita da via, mantendo-se as outras faixas de rolamento destinadas ao tráfego geral de veículos. Quem invadir a faixa exclusiva nos horários de ativação estará sujeito à multa de R$ 53,20 e trêss pontos na carteira de habilitação.

Informações: Portal Uol

READ MORE - Prefeitura de SP vai implanta faixa exclusiva para ônibus na zona sul

Em Goiânia, Multas no corredor da Avenida T-63 começam a ser aplicadas no dia 2 de maio

A Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT) vai multar, a partir do dia 2 de maio, veículos que pararem ou estacionarem ao longo do corredor preferencial de ônibus da Avenida T-63, em Goiânia. 

A fiscalização do local será reforçada e a terceira faixa da via, que é para circulação exclusiva de ônibus, só poderá ser trafegada por carros que forem estacionar em garagens ou realizar conversão na primeira rua à direita.

A multa para a infração de parar ou estacionar na via, segundo o Código de Trânsito Brasileiro, é de R$ 127,69. Além disso, haverá remoção do veículo e cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Segundo a Prefeitura de Goiânia, as mudanças ocorridas na Avenida T-63 fazem parte do planejamento de mobilidade. A proposta é organizar o trânsito goianiense tendo em vista o crescimento da cidade e, consequentemente, da população.

Transporte coletivo
A prefeitura garante ainda que novos abrigos serão instalados nos 24 pontos de parada do transporte coletivo existentes na avenida. O corredor da T-63 soma 6 km de extensão. Cerca de 80 mil usuários do transporte coletivo utilizam a via diariamente. Ao todo, 86 linhas de ônibus operam no local e realizam cerca de 562 viagens.

READ MORE - Em Goiânia, Multas no corredor da Avenida T-63 começam a ser aplicadas no dia 2 de maio

Projeto de Lei determina a volta dos cobradores em Rio Preto-SP

A Câmara de Rio Preto derrubou nesta terça-feira (23) veto ao projeto de lei que proíbe motoristas de transporte coletivo de acumular a função de cobrador. O mesmo projeto revoga lei em vigor desde 2000 que acabou com a exigência de cobradores em todos os veículos de transporte. O veto do prefeito Valdomiro Lopes  (PSB) foi derrubado com votos de 15 vereadores. Apenas um, Eduardo Piacenti (PPS), foi a favor do veto.

Atualmente, segundo contrato de concessão de transporte coletivo, apenas os ônibus maiores precisam ter cobradores. Com isso, veículos médios e os miniônibus, que são maioria no serviço em Rio Preto, prescindem deles.

O vereador Daniel Caldeira (PSL), que também é o atual presidente do Sindicato dos Motoristas de Rio Preto, mobilizou os colegas para a derrubada do veto. Contou com apoio até da base governista. “Estou aqui não como bancada do governo ou oposição. O povo quer a volta dos cobradores”, disse Caldeira durante a sessão.


O projeto, da vereadora Alessandra Trigo (PSDB), havia sido aprovado em novembro. “Essa Casa [Câmara] cometeu um erro histórico com milhares de pessoas”, disse Alessandra, ao referir-se à lei aprovada há 13 anos que acabou com a exigência de cobradores na cidade. Na ocasião, a regra que exigia cobradores em todos veículos estava em vigor havia quatro anos.
  
O Executivo vetou a proposta da tucana por considerar o projeto inconstitucional e que poderá aumentar custo da tarifa de transporte. “Quando a lei foi mudada para tirar os cobradores ninguém contestou que era inconstitucional”, disse o vereador Marco Rillo (PT).

Vereadores da base também  justificaram o voto contra o governo. “A segurança vem em primeiro lugar”, afirmou Márcio Larranhaga (PSC), que é policial rodoviário.

Alguns manifestantes levaram cartazes pedindo o retorno dos cobradores. A galeria estava lotada, mas não houve incidentes.

Presidente diz que promulga lei em 10 dias

O presidente da Câmara de Rio Preto, Paulo Pauléra (PP), afirmou ontem que vai promulgar a lei que derrubou o veto sobre cobradores em dez dias. Esse é o prazo estipulado no regimento da Câmara em caso de rejeição de veto. O mesmo regimento, porém, afirma que o Executivo pode sancionar o veto em 48 horas, mesmo sendo derrubado. Pauléra diz que seguirá a regra dos dez dias. O presidente, que não votou, afirmou que é a favor do projeto se não houver aumento na tarifa. Segundo ele,  o retorno de cobradores em todos os veículos teria impacto de R$ 1 milhão ao mês. “Aí a tarifa sobe”, argumentou.

Prefeitura diz que procuradoria decidirá sobre medida a tomar

O secretário de Comunicação de Rio Preto, Deodoro Moreira, afirmou ontem, depois da votação na Câmara, que a Procuradoria Geral vai definir qual medida será tomada pela prefeitura em função da derrubada do veto sobre o retorno de cobradores em todos veículos de transporte coletivo. “A procuradoria vai dar um parecer e daí será definido o que fazer”, afirmou.

A prefeitura pode entrar com Adin (ação direta de inconstitucionalidade) depois que a lei for promulgada. Na teoria,  assim que lei estiver em vigor, motoristas não podem exercer também a função de cobradores, como ocorre atualmente em parte da frota. A assessoria da Riopretrans, que engloba as empresas que fazem o serviço, a Expresso Itamarati e Circular Santa Luzia, disse ontem que vai  analisar o impacto financeiro do projeto para manifestar-se. A assessoria disse que ambas as empresas têm, somadas, 95 cobradores.

Daniel Caldeira, do  Sindicato dos Motoristas, diz que cerca de 300 veículos fazem transporte hoje. O projeto permitiria a contratação de 400 cobradores de ônibus. Caldeira ameaçou até greve no setor se a prefeitura entrar na Justiça contra a lei.

Informações: Rede Bom Dia
READ MORE - Projeto de Lei determina a volta dos cobradores em Rio Preto-SP

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960