Ruas de Curitiba podem ganhar faixa exclusiva para ônibus

domingo, 3 de fevereiro de 2013

A Urbs estuda implantar faixas exclusivas para a circulação de ônibus em algumas ruas de Curitiba com o objetivo de aumentar a velocidade média do transporte coletivo. Muitas linhas que circulam fora das canaletas exclusivas enfrentam lentidão em vias comuns.
Alexandre Mazzo/ Gazeta do Povo
O presidente da Urbs, Ro­berto Gregório da Silva Júnior, diz que o transporte coletivo terá prioridade em relação ao individual. “Vamos trabalhar no estudo de faixas exclusivas, ampliação dessas faixas, de forma a garantir um padrão mínimo de velocidade do transporte coletivo.”

Essa proposta também foi apresentada na Câmara Mu­nicipal. O vereador Valdemir Soares (PRB) reapresentou um projeto de lei – arquivado em 2008 – que propõe a instalação dessas faixas na Zona Central de Tráfego (ZCT) em vias com três ou mais pistas de circulação. De acordo com o projeto, os ônibus terão uma faixa preferencial quando a via tiver até três pistas de rolamento e exclusiva no caso de ruas com quatro ou mais pistas. Em sua justificativa, o vereador diz que a medida tornará o sistema mais eficiente, atraindo mais usuários.

Planejamento

Especialistas veem com simpatia a ideia de faixas exclusivas, mas discordam da forma como o processo está sendo conduzido. “O transporte coletivo tem que ser prioridade, não há dúvida. 

Pista só para ônibus é uma realidade em São Paulo

Em São Paulo, as faixas exclusivas para ônibus são comuns. Os motoristas que desrespeitam a exclusividade das faixas, por onde só circulam ônibus e táxis com passageiros, são punidos com multas. Carros só podem trafegar pela faixa em finais de semana e feriados, com horários determinados.

O professor Ramiro Gonçalez faz uma analogia do quadro de Curitiba com o da capital paulista. Na avaliação de Gonçalez, durante anos São Paulo priorizou o transporte individual, com a construção de viadutos e alargamento de avenidas, que resultaram em um imenso congestionamento. Mesmo com a adoção de faixas exclusivas de ônibus e metrô, ele avalia o transporte paulistano como lento.

Para ele, Curitiba está indo pelo mesmo caminho, mas tem tempo de reverter a situação e a adoção de faixas exclusivas é uma solução viável. “Caminhamos para ter, com a Região Metropolitana de Curitiba, 3 milhões de pessoas e 2 milhões de carros. Cada carro ocupa seis metros quadrados. Não tem espaço físico para todo mundo. Sou favorável a qualquer ação no sentido de priorizar o transporte coletivo”, afirma. (FT)

Por Fernanda Trisotto

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960