Funcionários da Carris em greve garantem circulação de 70% da frota de ônibus em Porto Alegre

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Os funcionários da empresa de transporte coletivo Carris garantem cumprir a ordem judicial de colocar nas ruas 70% da frota de ônibus em horário de pico e 50% nos demais horários nesta segunda-feira (3). A paralisação começou na sexta (30) e ainda não tem previsão para encerrar. Nesta manhã uma reunião no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) discute a situação e, no início da tarde, uma nova assembleia será realizada na sede da empresa.

Segundo Luis Afonso Martins, motorista e integrante do comando de mobilização, os funcionários em greve estão cumprindo a exigência da Justiça nesta manhã. "Está sendo cumprido o pedido de 70%", disse ele ao G1. "(A reunião) pode decidir o fim (da paralisação), viemos com essa disposição. O transtorno não é só para a população, para a empresa, mas também para os trabalhadores", completou.

A reunião no TRT começaria às 8h. Por volta das 12h30 uma assembleia esta marcada para ocorrer na sede da Carris, para debater os assuntos tratados na reunião da manhã. Em frente à empresa, grevistas seguem as manifestações.

Funcionários da Carris rejeitaram na sexta (30) a proposta acertada durante reunião de mediação realizada no Ministério Público do Trabalho (MPT). O acordo fechado entre a direção da Carris, uma comissão de trabalhadores e representantes do Sindicato dos Rodoviários previa o pagamento da primeira parcela do prêmio por participação nos resultados da empresa na próxima quarta (5), no valor de R$ 500. A segunda parcela, proporcional às metas individuais, seria paga no dia 15 de janeiro de 2013.

Segundo o diretor do Sindicato dos Rodoviários, Julio Gamaliel Pires, os trabalhadores reivindicam o pagamento de R$ 1 mil na primeira parcela da premiação, além de melhores condições de trabalho, como mais segurança e equipamentos em boas condições.

Continua nesta segunda o cadastro para interessados em ocupar vagas temporárias de motorista e cobrador na Carris. O processo emergencial foi iniciado no domingo (2). Para se inscrever, é preciso comparecer à sede da empresa, na Rua Albion, 385, Portão 2, em Porto Alegre, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30.

Os interessados devem levar carteira de trabalho, RG, CPF e comprovante de residência. Os candidatos às vagas de motorista deverão apresentar, além desses documentos, Carteira Nacional de Habilitação (CNH), Curso de Capacitação em Transporte Coletivo de Passageiros, sendo exigida experiência mínima de dois anos. Para o cargo de cobrador, é preciso ter concluído o Ensino Médio e ter idade mínima de 18 anos.

READ MORE - Funcionários da Carris em greve garantem circulação de 70% da frota de ônibus em Porto Alegre

Consórcio do trem-bala terá de investir 30% de capital próprio

O consórcio que vencer o leilão do trem-bala, previsto para ocorrer entre maio e agosto do ano que vem, deverá manter uma relação capital próprio e dívida da ordem de 30% e 70%, respectivamente, durante o período de concessão do empreendimento. Os 30% atribuídos ao consórcio incluirão ainda a participação da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), estatal que será o braço do governo no projeto.

A decisão é da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e será incluída no edital do trem de alta velocidade, que deverá ser conhecido no início da próxima semana.
O vencedor do leilão que irá contratar o operador do trem e a tecnologia que será utilizada terá que apresentar capital social de pelo menos R$ 75 milhões, no prazo de 90 dias contados da publicação do ato de homologação da concorrência, como condição para a assinatura do contrato.

O edital deveria ter sido publicado na segunda-feira, mas a agência divulgou apenas o relatório de audiência pública do trem que ligará Rio, São Paulo e Campinas. Nesta quarta-feira o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes deve apresentar relatório sobre o edital do trem de alta velocidade.

Depois de escolher o operador do trem-bala, o governo deverá fazer uma segunda licitação para contratar o consórcio que irá assumir as obras civis do projeto, o que ocorrerá somente em 2014. O trem-bala tem previsão de entrar em operação plena em 2020. O preço total do empreendimento ainda é uma incógnita. O governo fala em R$ 36 bilhões, mas a resposta final ficará a cargo das empresas interessadas no projeto.

EPL terá ação “golden share”

A EPL terá participação minoritária na sociedade do trem-bala, possivelmente em torno de 10%. A estatal, no entanto, deterá ações preferenciais de classe especial na concessionária. Com essas ações, também conhecidas como “golden share”, ou ações de ouro, a EPL terá resguardado seu direito de poder de veto em decisões, entre outras prerrogativas inseridas no contrato. Na prática, a empresa poderá manter o controle do trem-bala, sem necessariamente ter mais de 50% das ações.

READ MORE - Consórcio do trem-bala terá de investir 30% de capital próprio

Empresas de ônibus de Cuiabá estão promovendo mudanças e melhorando a questão de acessibilidade

Aos poucos, as empresas que atuam no transporte coletivo de Cuiabá estão promovendo mudanças e melhorando a questão de acessibilidade para atender aos cidadãos deficientes usuários de ônibus na Capital e assim respeitar a lei que confere a essas pessoas plenos direitos de ir e vir com total acessibilidade, por meio de veículos adaptados. A constatação é do Instituto de Pesos e Medidas de Mato Grosso (Ipem-MT) que realizou a Operação Vulcano para vistoriar os veículos parte dos ônibus que rodam em Cuiabá. De um total de 182 veículos inspecionados, 133 foram aprovados enquanto uma menor parte, 49, foi reprovada.
Foto: Chico Ferreira
O órgão vai fiscalizar a cada 2 meses o segmento com foco nos veículos que não se adaptaram. Foram 21 (rodoviária) e 72 (urbana). Os 04 veículos fabricados no modelo frescão também foram aprovados.

De acordo com Ipem, o resultado da operação apontou que algumas empresas tiveram melhoria considerável na questão da acessibilidade. A vistoria abrangeu ônibus de empresas rodoviárias que operam no Estado e também do transporte coletivo da Capital, tanto novos quanto antigos que passaram pela adaptação.

“Algumas empresas além de se adaptarem deram início a renovação dos veículos antigos. Mostra que parte do empresariado está se empenhando e com isso o setor está se adequando. Por outro lado, algumas empresas pequenas, de microônibus embora tenham sido notificadas em operações orientativas, não realizaram nenhuma alteração”, complementou, via assessoria, Bento Francisco Gomes Bezerra, coordenador de Fiscalização da Conformidade do Ipem.

Segundo Bento, os prazos para as empresas promover adaptações nos veículos já decorreram e quem não se adaptou tem que fazer a regularização de acordo com a legislação. “O usuário não pode ficar sem o atendimento das suas necessidades”. A Operação Vulcano aconteceu entre os dias 21 e 26 de novembro em Cuiabá e Várzea Grande.

Informações: Gazeta Digital

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Empresas de ônibus de Cuiabá estão promovendo mudanças e melhorando a questão de acessibilidade

Edital para licitação do transporte público coletivo de Aracaju será relançado

O Juiz da 12ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ/SE), Raphael Silva Reis, concedeu liminar, solicitada pela empresa cearense Capital Transporte de Passageiros Ltda, exigindo da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) o cumprimento do prazo de 45 dias entre a publicação do edital de licitação do transporte público coletivo de Aracaju e a entrega de envelopes por parte das empresas interessadas em concorrer à licitação contendo suas propostas. Cumprindo a determinação da Justiça a SMTT irá republicar na próxima semana o edital de Transporte Público, recomeçando assim o processo licitatório.

Licitação

Em 2011, o Ministério Público do Estado de Sergipe solicitou que o município de Aracaju, por meio da SMTT, realizasse a licitação do transporte público coletivo. À época, o órgão municipal conseguiu um prazo para planejar e elaborar o edital contendo os marcos que deveriam ser seguido pelas empresas interessadas em prestar o serviço.

Em abril deste ano o edital foi lançado dando início ao processo licitatório. Em junho o Tribunal de Contas de Sergipe pediu a suspensão do processo licitatório, alegando haver erros no edital. No início do mês de novembro o Ministério Público do Estado de Sergipe demonstrou que o Tribunal de Contas não tinha poder para proibir a licitação, que o edital não continha erros e que o certame deveria ser retomado.
No último dia 13 de novembro, o juiz da 12ª Vara Cível concedeu liminar determinando para SMTT o prazo de cinco dias para que fosse dado prosseguimento regular a licitação. De acordo com a advogada da SMTT, Walesca Cunha, a data para o recebimento dos envelopes já tinha sido marcada.

“Cumprindo a ordem judicial publicamos um edital e marcamos a data para o recebimento dos envelopes, que seria no dia três de dezembro de 2012. Em junho, quando o edital foi suspenso, já tínhamos cumprido os prazos exigido por lei e todo o procedimento também exigido por lei, anteriores a entrega de envelopes, que faz parte da etapa final da licitação, ou seja, já estávamos finalizando o processo”, destaca.

A advogada explica ainda que o processo licitatório continuou de onde havia parado.  “Demos prosseguimento a licitação do ponto em que ela havia parado em junho, demos um prazo de dez dias para que as empresas nos entregassem os envelopes contendo suas propostas. Ontem, dia 29, a empresa cearense Capital Transporte de Passageiros, que não participou da primeira fase da licitação, que aconteceu antes da suspensão da licitação, ingressou na Justiça com pedido de liminar para que fosse cumprido o prazo de 45 dias entre a publicação do edital e a data da entrega dos envelopes. Por tanto, a SMTT irá cumprir o que foi determinado pela Justiça, relançaremos pela segunda vez os edital e daremos o prazo de 45 dias”, esclarece.

READ MORE - Edital para licitação do transporte público coletivo de Aracaju será relançado

Em João Pessoa, Semob inicia pesquisa do transporte público para reestruturar sistema

A Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob) de João Pessoa iniciou, nesta sexta-feira (30), uma pesquisa de campo para avaliar o transporte coletivo da Capital. O objetivo é identificar a demanda de origem e destino dos usuários para a realização do plano de reestruturação do transporte coletivo de João Pessoa.

O estudo detalhará o padrão e as escolhas de transporte de uma região, investigando os deslocamentos diários que as pessoas fazem, suas origens e destinos, que meios de transporte usam e os motivos de seus deslocamentos. A pesquisa faz parte de uma cooperação técnica entre a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Durante a pesquisa, que começou nesta sexta e prosseguirá nos dias 4, 5 e 6 de dezembro, das 6h às 20h, trinta pesquisadores estarão nos terminais de bairros e nos pontos de parada com maior demanda, entrevistando os usuários de ônibus pelo método da amostragem. Os passageiros vão responder os itens de um formulário padrão para a coleta de dados. Ao final, esses dados serão sistematizados e tratados para gerar subsídios que colaborem na efetivação do plano de reestruturação do transporte coletivo da cidade.

Planejamento – O formulário da pesquisa é composto basicamente de seis blocos de questões para identificar qual linha o usuário está esperando, qual o bairro de origem e o destino que pretende chegar, se está indo ou vindo do local de trabalho, se está realizando integração e com qual frequência utiliza aquela determinada linha de ônibus, entre outros itens. Os pesquisadores também vão observar a lotação dos ônibus por horário em relação à sua capacidade de passageiros sentados e em pé.

Os resultados vão mostrar uma “matriz” das viagens, e apontarão as áreas onde há mais deslocamentos, os polos de origem e destino das viagens, a participação dos modos de transporte por motivo e destino, entre outros. “São informações essenciais para qualquer planejador urbano e, especialmente, para o planejador de transportes”, afirma o superintendente de mobilidade urbana, Nilton Pereira de Andrade. As ações serão voltadas para a evolução e melhoria do transporte de massa da Capital.

A pé – Na segunda etapa do estudo, será feita uma pesquisa de hábitos do deslocamento a pé. A finalidade é identificar as principais características dos movimentos que ocorrem nesta modalidade de ir e vir das pessoas, para propor melhorias na infraestrutura e na acessibilidade voltada para os pedestres. Também será realizada uma pesquisa com os ciclistas para identificar sua origem e destino, bem como a visão desse público sobre a utilização da bicicleta em João Pessoa.

As informações e os dados coletados durante a pesquisa servirão de subsídios para a definição de diretrizes e a proposição de um esquema geral do Plano de Reestruturação do Transporte Coletivo a ser implementado pela Prefeitura Municipal. Essas diretrizes serão alvo de um debate entre todos os envolvidos no processo de reestruturação do transporte urbano para a definição e execução do plano, destacando-se a PMJP, Semob, BID e também a sociedade.

Treinamento – Na última quinta-feira (29), agentes de mobilidade e alunos do Pró-Jovem participaram de um treinamento com os coordenadores da pesquisa, Maurício Veccio e Adriana Torquatro, que fazem parte do Consórcio Oficina/Setec, responsável pelo estudo. O consórcio é formado pelas empresas Oficina Engenheiros Consultores Associados Ltda., Setec Internacional/Setec Hidrobrasileira e Obras e Projetos Ltda.

Informações: Prefeitura de João Pessoa


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Em João Pessoa, Semob inicia pesquisa do transporte público para reestruturar sistema

China estreia 1º trem de alta velocidade em áreas de frio extremo

O primeiro trem de alta velocidade capaz de circular em áreas de temperaturas extremamente baixas fez neste sábado sua primeira viagem, através de três províncias do nordeste da China, informou a agência estatal de notícias Xinhua.

A linha ferroviária pretende revitalizar a indústria, em parte obsoleta, dessa região remota do país asiático, que disponibiliza 67 viagens diárias. Hoje, quatro deles saíram de forma simultânea às 9h locais das cidades de Harbin, Changchun, Shenyang e Dalian. O percurso Harbin-Dalian foi construído por russos e japoneses no século passado, convertendo-se em uma via de acesso ao nordeste da China por parte dos países vizinhos.
A nova linha funcionará paralelamente com os velhos trens de indústria russo-japonesa, mas a primeira fará o percurso pelas três províncias na metade de tempo da antiga, o que deve levar ao estímulo das indústrias química, automobilística e manufatureira locais.

A linha, de 921 km de extensão, entrou em funcionamento após ser submetida a testes durante dois meses, nos quais a região foi sacudida por fortes nevascas e temperaturas de até 40 graus negativos.

Antes de ser colocado em prática o trajeto Harbin-Dalian, havia apenas três linhas ferroviárias circulando em áreas de frio extremo, todas no norte da Europa e na Rússia, mas sem a velocidade dos trens chineses e com um percurso muito menor.

As três linhas juntas somam menos de 700 km, e a mais rápida, que une Moscou e São Petersburgo, chega a 250 km/h em períodos não superiores a 20 minutos.

"A nova linha de trens de alta velocidade representa um grande progresso para o projeto de construir "quatro serviços verticais" e "quatro horizontais" deste tipo", afirmou hoje à Xinhua Lu Chunfang, vice-ministro do Ministério de Ferrovias.

Até o momento, a China tem 8,6 mil km de trilhos de trens de alta velocidade, o que a coloca na liderança mundial do setor. No entanto, o governo pretende estimular ainda mais suas conexões ferroviárias, e pretende chegar à marca de 18 mil km de trajetos de trens de alta velocidade em 2015.

Informações: Portal Terra
READ MORE - China estreia 1º trem de alta velocidade em áreas de frio extremo

Frota de ônibus de Imperatriz-MA é insuficiente, diz secretário de Trânsito

Há aproximadamente 20 mil usuários do transporte público em Imperatriz para uma frota de 76 ônibus, a quantidade não é suficiente, segundo o secretário de municipal de Trânsito, cabo José Ribamar. Na cidade, são duas empresas prestadoras do serviço, Aparecida, com 30veículos, e Viação Branca do Leste, com 46,
Foto: Safira Pinho
“Nós estamos solicitando um número bem maior com a direção da VBL, para que preencha este quadro porque há uma lacuna. Estamos trabalhando no sentido de dobrar esta frota, inclusive naquelas comunidades que não são atendidas com ônibus como Vila Davi II, Vila Zenira, Vila Chico do Rádio, têm outros bairros que estão se projetando agora, mas o nosso desejo é atender a todos. A nossa previsão é até março”, afirma o secretário, que revela a previsão de aumento de 30% na frota de veículos, previsto para esse ano de 2012.

Em 2008, foi realizado um processo de licitação entre o Município e as empresas por um período de dez anos, havendo substituição somente por quebra de contrato. Para o secretário, a medida é uma forma de impulsionar o aumento da frota, evitando novas contratações.

O proprietário da empresa Aparecida, Anderson Picoli, diz que a quantidade é adequada para a empresa, mas para o usuário não. “Porque existe o lado econômico. Se a gente aumenta o número de veículos não vai aumentar o número de passageiros suficientemente para poder garantir o equilíbrio do sistema econômico. Aí vai gerar prejuízos", afirma Picoli. Segundo os empresários, para melhorar o transporte de passageiros, as ruas e avenidas precisam estar acessíveis para a circulação dos ônibus.

Exemplos como de Oneide Maria da Silva, moradora do Conjunto Vitória, são comuns e mostram como a quantidade de veículos não atende satisfatoriamente a necessidade da população. “Demora demais, passo mais de meia hora esperando. Não tem sinal, campainha, preciso ficar gritando o motorista para ele parar. A minha filha trabalha no shopping e só chega atrasada porque demora muito o ônibus. Precisamos de um reparo porque pagamos caro”, afirma.

Informações: Imperatriz Notícias

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Frota de ônibus de Imperatriz-MA é insuficiente, diz secretário de Trânsito

Em Barra Mansa, Aumento de passagem começa a vigorar e causa insatisfação

Os usuários do transporte público de Barra Mansa já estão pagando 15 centavos a mais para trafegar. O A VOZ DA CIDADE foi às ruas saber o que os barramansenses estão achando do novo valor da passagem, justificado pela prefeitura em função da renovação da frota, que estaria acontecendo desde 2004 e seria a mais nova do estado.

O motivo não convenceu o soldador aposentado Olívio Alves, 60 anos. “Os ônibus estão uma sucata e eles ainda aumentam o preço da passagem. É uma falta de respeito com o consumidor”, afirmou.

Olívio não estava ciente do aumento até embarcar no veículo. “Eu fiquei sabendo do reajuste no susto. Se eu tivesse vindo com o dinheiro contado, não ia voltar para casa. Ainda vou avisar minhas filhas, elas são estagiárias e não tiveram nenhum reajuste no salário para bancar o valor a mais da passagem”, contou o aposentado.

Outro que também não estava sabendo da mudança de R$ 2,65 para R$ 2,80 é o recepcionista Jailson Palmeira do Nascimento, 42 anos. “A passagem aumentou?”, indagou. Após a confirmação da equipe de reportagem, Jailson justificou a falta de informação com o próprio valor do transporte. “É muito difícil eu andar de ônibus justamente por isso. É caro demais. Prefiro vir de bicicleta mesmo, aqui em Barra Mansa os motoristas não respeitam os ciclistas, mas esse valor de passagem dificulta o acesso ao transporte coletivo”, disse. “Agora que eu vou usar ainda mais a bicicleta mesmo”, completou o recepcionista.

O autônomo Abel Arantes, 34 anos, estava ciente do reajuste por já ter trafegado sob o novo valor da passagem. “Eu tive que pagar esse novo preço para vir para cá. É um absurdo. Fiquei sabendo por comentários das pessoas indignadas dentro do ônibus. Eu morava em Queimados, dois anos atrás, de lá eu pegava um ônibus que me deixava no Barra Shopping, mais de uma hora de ônibus, e pagava R$ 2,45. E ainda tinha ar condicionado e televisão. Aqui eu ando 12 minutos de ônibus, sem nada e pago esse absurdo”, afirmou.

Informações: A Voz da Cidade

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Em Barra Mansa, Aumento de passagem começa a vigorar e causa insatisfação

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960