Celular já avisa a hora de descer de ônibus, trens e metrô

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Na cidade de exatos 15.033 coletivos e 1.345 linhas de ônibus, mesmo o paulistano mais escolado tem suas dificuldades para lidar com o caótico transporte público de São Paulo. Na tentativa de ajudar as 8 milhões de pessoas que usam todos os dias os ônibus da capital paulista, o Google lançou um serviço que não só exibe quais coletivos, metrô ou trens o usuário deve pegar para chegar ao destino, como também o avisa sobre o momento certo de descer do veículo.

Parece mais difícil na teoria do que na prática. Pelo programa Google Maps (
http://maps.google.com.br), acessível por smartphones com GPS, é possível digitar um endereço ou mesmo um ponto conhecido da cidade (como o Parque do Ibirapuera ou o Shopping Iguatemi). O site responde com os trajetos possíveis para se chegar ao local, usando ônibus, metrô, trens ou os três meios de transporte. A partir daí, o aplicativo acompanha o usuário durante toda a rota e envia um alerta na hora certa de fazer as conexões e também quando chegar ao destino final.

O serviço também está disponível em Porto Alegre e no Rio. Segundo Diego Nogueira, engenheiro de software do Google, o aplicativo pode ajudar o paulistano a conhecer melhor sua metrópole. "O usuário pode ter informações sobre uma vizinhança, ler opiniões de outros usuários sobre um novo restaurante na cidade e saber por onde andam os seus amigos", afirma.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


READ MORE - Celular já avisa a hora de descer de ônibus, trens e metrô

Recife: Apesar dos problemas, especialistas em transporte defendem Corredor Leste-Oeste

Mesmo com todos as falhas de planejamento que o Corredor Leste-Oeste possui desde sua criação, técnicos em transporte defendem o equipamento e demonstram temor de a cidade decidir desfazer o projeto, abrindo mais espaço para os automóveis na Avenida Conde da Boa Vista.
“O Leste-Oeste tem problemas de planejamento e passou por muitos ajustes que deveriam ter sido feitos antes do início da operação. Isso é fato e o transformou numa obra maldita, sem pai nem mãe. A falta de manutenção também piora tudo. Mas a concepção do corredor é importante e tem que ser mantida. É a prioridade ao transporte público. Tanta resistência a ele existe porque o automóvel perdeu espaço para o ônibus e isso incomoda a sociedade”, defendeu o consultor Germano Travassos.
Para o consultor, o prefeito deveria, inclusive, implantar uma política pública de incentivo ao transporte na cidade. “Algo urgente para ser feito é reativar a faixa exclusiva de ônibus que existia na Avenida Herculano Bandeira, no Pina, e foi desativada pela prefeitura há anos. Ela ainda deveria ser apliada até a Rua Tomé Gibson. Essa seria uma medida de quem prioriza o transporte público”, exemplificou.


César Cavalcanti, da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), vai mais além. “O que nos tememos é que, com a intenção de rever o projeto, a prefeitura regrida e reduza o espaço viário do ônibus em detrimento do carro. Isso não pode acontecer de forma alguma. Ajustes até devem ser feitos, mas os ônibus têm que continuar tendo prioridade”, afirmou.
O Grande Recife Consórcio de Transporte também saiu em defesa do corredor. “Sabemos que ele necessita de mais ajustes, mas é positivo e não podemos voltar no tempo”, defendeu a diretora de operações do órgão, Taciana Ferreira. 

Postado por Roberta Soares - JC Online



READ MORE - Recife: Apesar dos problemas, especialistas em transporte defendem Corredor Leste-Oeste

Circulação de dinheiro nos ônibus de Campo Grande está com os dias contados

A definição para a implantação do uso do cartão magnético no transporte coletivo de Campo Grande foi discutida ontem (20), em reunião técnica, quando foi elaborado o Plano de Ação com as metas para a retirada gradativa do dinheiro de circulação de dentro dos ônibus coletivos urbanos. O encontro, que aconteceu ontem (20.07) na sede da Agência Municipal de Regulação, teve a participação do diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Rudel Trindade Junior, do diretor da Agência de Regulação, Marcelo Amaral, do Procurador de Justiça, Aroldo José de Lima, do presidente da Assetur (Associação das Empresas do Transporte Coletivo Urbano), João Rezende e do presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano de Campo Grande, Demétrio Ferreira de Freitas.

De acordo com o Plano de Ação, a medida começa no dia 26 de agosto com o uso obrigatório do cartão magnético nos 45 ônibus articulados e nas linhas 302 - Caiobá e 319 - Dom Antônio Barbosa. A estimativa da Agetran é que essa primeira ação atenderá cerca de 45 mil usuários, o que representa 12% do total de passageiros do transporte coletivo na capital. No dia 26 de outubro, dois meses após o início da implantação, o dinheiro não será mais aceito como pagamento da passagem nos ônibus que servem a linhas alimentadoras (azuis), o que abrangerá aproximadamente 200 ônibus. A adoção total do sistema de cartão eletrônico, em todas as linhas e em todo o período de funcionamento do transporte coletivo urbano (diurno e noturno) deverá acontecer no dia 1º de Janeiro de 2012.

Processo gradativo

O diretor da Agetran, Rudel Trindade Junior explicou que o processo gradativo de adoção do cartão e retirada do dinheiro de circulação nos ônibus vai contribuir para que o usuário e a população em geral se adapte ao novo sistema e crie a cultura de aquisição antecipada dos cartões. “Para isso, será preparada uma campanha de divulgação na mídia, nos terminais e junto a órgãos representativos do comércio para orientar a população sobre o novo sistema do cartão”, disse. O titular da Agetran adiantou que consta neste Plano a extensão da rede de comercialização para que o usuário tenha facilidade em adquirir e abastecer o cartão.

Na opinião do Procurador de Justiça, Aroldo José de Lima a forma gradativa de retirada do dinheiro de circulação nos ônibus vai contribuir para que o novo sistema seja bem-sucedido. “Temos exemplos de outras cidades que já adotaram esse sistema do cartão com experiências vitoriosas. A preocupação é com o nosso bem maior que é a vida”, justificou o Procurador, referindo-se à segurança dos motoristas e da população usuária.

Entre as justificativas para o uso do cartão magnético e a retirada do dinheiro de circulação está a falta de segurança gerada pelo acúmulo de dinheiro nos ônibus. Rudel Trindade contabiliza 600 assaltos por ano aos ônibus, um número expressivo que marca a violência neste segmento e a necessidade de mudanças na forma de cobrança da passagem do transporte coletivo urbano.

O presidente da Assetur, João Rezende vê como positiva a adoção gradativa do cartão magnético. “Precisamos, a partir de agora, criar a cultura da compra antecipada do cartão”, afirmou. Segundo ele, a retirada do dinheiro de circulação nos ônibus é um ponto positivo para motoristas e usuários. “O usuário entenderá que a mudança será positiva e que sairá ganhando em segurança e agilidade no transporte”, pontua. É o que também pensa o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo, Demétrio Ferreira Freitas. “Os motoristas aguardam por esse novo sistema com muita expectativa e acreditam que ele trará mais segurança, qualidade e conforto ao transporte coletivo, facilitando o processo para todos”, concluiu.


Fonte: A Critica

Share |
READ MORE - Circulação de dinheiro nos ônibus de Campo Grande está com os dias contados

Primeira ciclorrota de São Paulo começa a funcionar

A primeira ciclorrota de São Paulo começa a funcionar hoje na Zona Sul, cortando o Brooklin, a Chácara Santo Antônio e o Jardim Cordeiro. São 15 quilômetros ligando os Parques do Cordeiro, na Avenida Professor Vicente Rao, e Severo Gomes, perto da Avenida Santo Amaro, à Avenida Jornalista Roberto Marinho.

A sinalização foi finalizada ontem pela Secretaria Municipal dos Transportes e inclui logotipo de bicicletas no solo e placas e faixas informando sobre a existência da ciclorrota e alertando motoristas para reduzirem a velocidade.

Diferentemente das ciclovias, onde o tráfego das bicicletas é isolado, a rota de bicicleta consiste em uma via compartilhada que funcionará 24 horas por dia. Na prática, o novo serviço é uma forma de a Prefeitura cumprir o artigo 58 do Código de Trânsito Brasileiro, que prevê preferência para bicicletas em todas as vias públicas urbanas.

Mas nem bem surgiu e a ciclorrota já é motivo de polêmica. O ponto que poderá causar mais discussão é o limite de velocidade de 30 km/h nessas vias, eminentemente residenciais. A exceção ficará por conta das Ruas Alexandre Dumas e Verbo Divino, onde o limite será de 40 km/h - a justificativa é que contam com tráfego mais intenso e servem de passagem de ônibus. Não estão previstos radares.


As informações são do jornal
O Estado de S. Paulo.

READ MORE - Primeira ciclorrota de São Paulo começa a funcionar

No Rio, Estação Cinelândia do metrô terá dois acessos fechados para obras de modernização

Os acessos Rio Branco e Consulado Americano da estação Cinelândia serão fechados para obras de modernização a partir desta sexta-feira (22). As informações foram divulgadas pelo Metrô Rio na manhã desta quarta-feira (20). A previsão é de que os acessos sejam reabertos em cerca de 45 dias.

As obras prevêem a revitalização total das áreas comuns, com remodelação dos espaços, melhorias de infraestrutura e nova iluminação.

De acordo com a empresa, os acessos Pedro Lessa e Santa Luzia, fechados anteriormente, foram reabertos no início da semana. A concessionária informou também que o investimento nas obras de modernização da estação Cinelândia é de R$ 4 milhões.


Fonte: G1

READ MORE - No Rio, Estação Cinelândia do metrô terá dois acessos fechados para obras de modernização

No Recife, Mudança no trânsito da Avenida Agamenon Magalhães altera o itinerário de 13 linhas

Em virtude de mudanças no tráfego que serão realizadas pela Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) na Avenida Gov. Agamenon Magalhães a partir do próximo sábado (23), o Grande Recife irá alterar o itinerário de 13 linhas. Deste total, cinco linhas terão seus itinerários modificados após o fechamento de duas agulhas (acessos entre a via principal e a via local) localizadas em frente ao Clube Português e mais oito terão suas rotas alteradas devido ao fechamento do acesso localizado em frente ao Hospital da Restauração.

Na primeira etapa, as cinco linhas que utilizavam uma das duas agulhas localizadas em frente ao Clube Português e que trafegavam pela Rua São Salvador passarão a trafegar pela Rua 48 para ter acesso à Avenida Governador Agamenon Magalhães. A parada em frente ao clube que era atendida por estas linhas será desativada e removida. Os usuários deverão procurar a parada localizada em frente ao nº 1160 (próximo à Embratel).

Já na segunda etapa, as sete linhas provenientes da Rua Dom Bosco, irão deixar de entrar na pista local pelo acesso existente em frente ao Hospital da Restauração e de atender à parada de ônibus localizada na pista local em frente ao hospital. Assim, passarão a atender a parada localizada na pista central. Após este atendimento, o acesso a via local pela avenida só será possível pela agulha em frente à concessionária Toyolex, posterior à que foi interditada.

Entre as 13 linhas envolvidas na alteração, a única exceção é a linha 982-Conjunto Beira Mar/Derby, que também atende ao Hospital da Restauração. Ela passará a ingressar na pista local da Avenida Gov. Agamenon Magalhães pelo primeiro acesso após a descida do Viaduto João de Barros, deixando de atender as paradas do canteiro central, em frente ao CREA e ao Medical, para atender as da pista local em frente aos mesmos pontos de referência.

Os usuários das linhas envolvidas na operação serão avisados das alterações com cartazes nos ônibus das linhas e nas paradas. Quem quiser saber mais informações pode entrar em contato com a Central de Atendimento ao Cliente, pelo telefone 0800 081 0158, ou pelo site www.granderecife.pe.gov.br.

Detalhamento das linhas que participarão da mudança de itinerário:

1)Fechamento dos acessos localizados em frente ao Clube Português:

723-Cajueiro (Via Derby)
760-Dois Unidos/Derby
780-Alto Santa Terezinha/Derby
830-Caixa D’Água/Derby
850-Aguazinha/Joana Bezerra
982-Conjunto Beira Mar/Derby*

*Esta linha terá seu acesso à pista local antecipado para a primeira agulha após a descida do Viaduto João de Barros.

2)Fechamento da agulha localizada em frente ao Hospital da Restauração:

351-Curado II
352-Curado II (Bacurau)
361-Curado IV - R.14
362-Curado IV (Bacurau)
363-Curado IV - Av. 01
421-Torrões
431-Cidade Universitária


Fonte: CGRT



READ MORE - No Recife, Mudança no trânsito da Avenida Agamenon Magalhães altera o itinerário de 13 linhas

Em Curitiba, Carros são multados por trafegar nas canaletas exclusivas para ônibus

Uma blitz realizada por agentes de trânsito da Urbs, policiais do BPTran e polícia civil abordou nada menos do que 707 condutores que trafegavam pelas canaletas exclusivas do transporte coletivo. A blitz foi feita das 8h às 12 e das 14h às 18h em trechos de canaleta da Travessa da Lapa, Sete de Setembro, Marechal Floriano, Alferes Poli e Presidente Faria, na região central da cidade.

Foram 123 autuações aplicadas pelos agentes de trânsito e seis apreensões de veículos por falta de documentação ou habilitação vencida. A infração, prevista no artigo 184 do Código de Trânsito Brasileiro, é leve, com multa de R$ 53,20 e três pontos na carteira.

Nada menos do que 438 ciclistas foram abordados, recebendo orientação sobre o risco de trafegar em vias exclusivas para os ônibus. Também receberam orientação, skatistas, carrinheiros e até mesmo dois atletas que treinavam corrida nas pistas dos ônibus.

O objetivo da operação, explica o coordenador de fiscalização de trânsito da Urbs, Alceu Portella, é coibir o tráfego de veículos nas canaletas. “Quando o motorista opta por trafegar por uma canaleta ele está assumindo o risco de provocar um acidente, com consequências não só para ele mesmo, mas para motoristas e passageiros dos ônibus”.

O Código de Trânsito Brasileiro determina que apenas veículos destinados a socorro de incêndio e salvamento, e veículos de polícia, fiscalização e operação de trânsito e ambulâncias, quando em serviço, com sinais sonoros e luzes características (giroflex) ligados, têm livre circulação e parada, podendo portanto utilizar vias exclusivas. Mas se não estiverem a serviço, nem mesmo ambulâncias ou carros de polícia podem trafegar pelas canaletas.

A blitz realizada terça-feira foi definida pelo Comitê Técnico Operacional de Trânsito (CTOT) que reúne técnicos da Diretran e policiais do BPTran. Há três meses foi enviada correspondência a órgãos policiais, hospitais, Samu e empresas de atendimentos de emergência, entre outros, alertando para os riscos de veículos circularem nas canaletas quando não estão a serviço. A correspondência também informava da fiscalização em todos os eixos de transporte, a ser feita ao longo do ano.

A intensificação da fiscalização foi definida a partir de estudos feitos pelo CTOT indicando o aumento do tráfego de veículos particulares e de salvamento e socorro que não estão em serviço, como um dos fatores a provocar acidentes com ônibus do transporte coletivo.

Dados do BPTran mostram que a maioria dos acidentes nas canaletas, ocorre na região central da cidade. As colisões transversais na região totalizaram 28% no período. Outros 14,5% do total de acidentes com ônibus, conforme o BPTran, resultam de pequenas frenagens abruptas feitas pelos coletivos em função da presença de outros veículos na via exclusiva.

A frota operante de ônibus expressos – aí incluído o Ligeirão, é de 185 veículos que utilizam 82 quilômetros de canaletas exclusivas nas avenidas Marechal Floriano Peixoto, Winston Churchill, República Argentina, Sete de Setembro, João Gualberto e Paraná, além da Travessa da Lapa e trechos na Presidente Faria e Alferes Poli. Por dia, o sistema Expresso transporta em torno de 600 mil passageiros.


Fonte: Jornale



READ MORE - Em Curitiba, Carros são multados por trafegar nas canaletas exclusivas para ônibus

Em Uberaba, Quatro linhas de ônibus terão novas rotas e novos horários

A partir de sábado (23) as linhas 21, 28, 29 e 32 do sistema de transporte coletivo urbano terão novas rotas e novos horários. Para isso, foram colocados quatro novos veículos em circulação.
O objetivo é visar melhorias no Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Uberaba, e mudanças nas linhas foram realizadas pela Seplan (Secretaria de Planejamento), através do Departamento de Operação e Fiscalização do Transporte Coletivo.
De acordo com o diretor de Operações do Transporte Coletivo da Seplan, Claudinei Nunes, já foram distribuímos mais de 5 mil panfletos informando a população sobre as mudanças.
A principal mudança será na linha 28 – Jardim Morumbi/Centro, que passará a chamar Jardim Copacabana (via João XXIII ou via Uniube/PMU), além de aumentar seus atuais 29 horários para 60 horários que oferecerão aos uberabenses transporte a cada 20 minutos.
A linha 21 – Alfredo Freire/Valim de Melo - tem 70 horários que passam pelo Distrito Indutrial I. Com a mudança, os ônibus vão intercalar em passar pelo Distrito Industrial I ou seguir adiante via Beija-Flor. “Vai ser intercalado, um sim e outro não, vai estar sinalizado no para-brisa do ônibus, então essas pessoas também terão uma nova opção nessa linha”, indica.
Na linha 59 – Cássio Resende/Uniube -, o ponto final que tinha no bairro Estados Unidos passou a ser circular. Com isso fez-se uma alteração no bairro Santa Maria, que agora circular[a pela rua Goiás, tendo como ponto final a Uniube. “As pessoas não vão mais ficar dando voltas dentro do ônibus coletivo. Ele retorna pelo mesmo caminho com os passageiros para o centro da cidade. Ficou mais ágil”, conta.
A linha 17 – Santa Maria/Uniube via Santos Dumont - teve apenas uma pequena extensão. Agora ela abrange mais oito ruas do bairro Santa Maria. Para maior detalhamento, a população pode procurar a Seplan pelo telefone 3318-0414 ou então nas empresas que oferecem o serviço de transporte coletivo na cidade. (MS)


READ MORE - Em Uberaba, Quatro linhas de ônibus terão novas rotas e novos horários

Em Campo Grande, Frota de ônibus deve ser reforçada no início de Agosto

Campo Grande deve receber 69 novos ônibus do transporte público coletivo já no início de Agosto. Essa foi a promessa da Assetur (Associação das Empresas do Transporte Público Urbano) ao prefeito da Capital, Nelson Trad Filho (PMDB).

Segundo o prefeito, os novos ônibus são parte da contrapartida das empresas pelo investimento do Pró-Transportes, linha de crédito conseguida pelo município junto ao Governo Federal, que irá asfaltar 100% das linhas de ônibus de Campo Grande.

Nelsinho afirmou, em evento ontem no Parque Isabel, que teve duas reuniões com representantes das empresas, que prometeram comprarem 69 novos ônibus e entregá-los já em Agosto.

Pró Transportes - A Prefeitura abriu em março o primeiro lote, com 27 licitações para contratação das empresas que ficarão responsáveis pelas obras do programa Pró-Transporte, financiado junto ao governo federal.

As obras licitadas são para a criação de corredores de transporte coletivo em Campo Grande, e, de acordo com o município, vão garantir asfalto em cem por cento das linhas de ônibus na cidade.
O projeto Pró-Transporte prevê, ao todo, investimento de R$ 60 milhões. Eles incluem os corredores de transporte e também corredores estruturais na cidade. Serão beneficiados os seguintes bairros: Jardim das Nações, Jardim Noroeste, Avenida Oceania, Vivendas do Bosque, Jardim Racho Alegre, Parque Dallas, Jardim das Cerejeiras II e II, Vila Oeste, Parque dos Laranjais, Jardim Ouro Preto, Loteamento Nova Serrana, Jardim São Pedro, Parque Izabel Garden, Nova Campo Grande, Vila Futurista e Residencial Sírio Libanês.

Também integram a lista os bairros Vila Jardim Beija-Flor, Jardim Manaira, Jardim Vilas Boas, Danúbio Azul, Residencial Barra da Tijuca, Loteamento Dona Dedé, Jardim Portal do Panamá, Bairro São Caetano, Jardim Inápolis, Jardim Morada do Sol, Jardim Nova Jerusalém e Jardim Indianópolis.



READ MORE - Em Campo Grande, Frota de ônibus deve ser reforçada no início de Agosto

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960