Série Caos do Transporte: Falta de transporte faz milhões de pessoas andarem vários quilômetros a pé todos os dias

sábado, 29 de janeiro de 2011

Em muitos lugares, não há transporte público. Há também a falta de dinheiro ou a economia para fechar as contas no fim do mês. Na reportagem especial de hoje, o repórter Luiz Carlos Azenha mostra uma ideia criativa no Nordeste. E o caos no transporte no Estado mais rico do país.

Fonte: R7.com

Share |
READ MORE - Série Caos do Transporte: Falta de transporte faz milhões de pessoas andarem vários quilômetros a pé todos os dias

Série Caos do Transporte: viajar sentado é um desafio

Série do Jornal da Record mostra que a superlotação e a falta de respeito marcam o transporte público na maior metrópole do país. Mulheres grávidas e idosas encaram longas viagens em pé por ninguém ceder o assento preferencial.

Fonte: R7.com


Share |
READ MORE - Série Caos do Transporte: viajar sentado é um desafio

Série Caos do Transporte: O sistema de transporte público do país

Nova série do Jornal da Record acompanha o trajeto para o trabalho de quatro pessoas na Grande São Paulo e avalia as condições dos trens, ônibus e metrôs do país.


Fonte: R7.com

Share |
READ MORE - Série Caos do Transporte: O sistema de transporte público do país

Série Caos do Transporte: Projetos de metrô não saem do papel

Grandes capitais brasileiras têm dificuldades para viabilizar suas malhas metroviárias. Salvador (BA) deveria ter 12,5 km de metrô, mas a obra nunca foi concluída e suas ruínas estão espalhadas pela cidade. As composições compradas em 2008 nunca rodaram. Investigações mostram que a falta de dinheiro, planejamento e corrupção atrapalham a ampliação do transporte na capital baiana, em Fortaleza (CE), Rio de Janeiro, Brasília (DF) e em São Paulo.


Fonte: TV Record

Share |
READ MORE - Série Caos do Transporte: Projetos de metrô não saem do papel

Porto Alegre tem só 8 km de ciclovias

Porto Alegre possui um Plano Diretor Cicloviário que prevê 492 quilômetros de ciclovias na cidade. Entretanto, a realidade é bem diferente - a capital do Estado possui apenas 8 quilômetros de vias aptas a serem usadas pelos ciclistas, todas na zona Sul. Na cidade catarinense de Joinville, por exemplo, são 76 quilômetros.

Até o final de março, a ciclovia da Restinga (com 4,8 quilômetros) deverá ser entregue aos usuários. A demanda é uma exigência antiga dos moradores da região. "Por tratar-se de uma área de forte comércio, onde as pessoas usam a bicicleta como meio de transporte, procuramos conciliar no projeto os dois interesses", declarou o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari.

Nos próximos anos, mais dois grandes projetos devem sair do papel - na avenida Ipiranga e na Sertório. "Até o final de maio, esperamos ter o licenciamento da ciclovia na avenida Ipiranga em toda sua extensão. O projeto da Sertório já possui verba em orçamento para elaboração do projeto básico", informou Cappellari.

A fisioterapeuta Lauren Faria, moradora do bairro Tristeza, usa todos os dias a ciclovia da Diário de Notícias, no bairro Cristal. "Quase todo mundo vem andar de bicicleta por lazer ou exercício. Como meio de transporte, vejo pouca gente", afirma. Para Lauren, na Wenceslau Escobar, por exemplo, onde os ônibus passam muito perto dos ciclistas, poderia ser implantada uma ciclovia. "Os motoristas ainda são muito mal educados", reclamou.

Cappellari confirmou que antes de incentivar o uso das bicicletas como meio de transporte é preciso dar condições aos usuários. "O índice de acidentes desse tipo é muito alto", destacou, lembrando que o ciclista também tem sua responsabilidade. O uso dos equipamentos de segurança ainda é baixo, afirmou ele.

A Organização Mundial da Saúde indica a bicicleta como uma das formas de reduzir a inatividade. No país, há apenas 600 quilômetros de ciclovias. A frota é estimada em 75 milhões, mas só 4% é usada como meio de transporte.

Fonte: Correio do Povo

READ MORE - Porto Alegre tem só 8 km de ciclovias

Projeto de ciclovias em Belo Horizonte não sairam do papel

Quase não há ciclovias na cidade, pois para uma cidade como Belo Horizonte existir apenas 22 km de ciclovias é quase nada, e as que existem estão mal conservadas e com as placas de proteção arrancadas, o jeito é disputar espaços com os automóveis que quase sempre não respeitam os ciclistas, muitas pessoas usariam a bicicleta como meio de transporte em Belo Horizonte, mas do jeito que está é muito arriscado.
Em maio de 2007, o Diário Oficial do Município publicou a construção de 25 km novos de ciclovias, porém até hoje não foram construídos nenhum quilômetro sequer, ou seja, tudo ficou no papel.
Segundo o coordenador do projeto pedala BH, os projetos atrasaram porque houve mudanças, e que o novo projeto equivale a 18 km divididos em 06 novas ciclovias pela cidade.
Esta semana a prefeitura de BH informou a construção da primeira ciclovia, situada na rua risoleta neves próximo a estação BH bus são Gabriel, porém nenhuma obra existia no local.
A prefeitura informou que até agosto, os 18 km estejam prontos já para os ciclistas usarem.
Meu Transporte

Video: Globominas

READ MORE - Projeto de ciclovias em Belo Horizonte não sairam do papel

Ônibus dos corredores exclusivos já rodam pela Grande Vitória

Pelas ruas da cidade é possível encontrar os ônibus com portas instaladas do lado esquerdo sendo utilizado pela população. Os coletivos já estão sendo fabricados dessa forma para serem utilizados nos futuros corredores exclusivos para ônibus, que serão implantados nas principais vias da Grande Vitória.
Na Grande Vitória, já são 86 ônibus utilizados e, segundo a assessoria de comunicação da Ceturb, até o final de 2011, mais 147 ônibus com portas instaladas do lado esquerdo estarão rodando no Estado.
As portas à esquerda do ônibus porque as faixas segregadas para coletivos ficarão à esquerda das pistas de rolamento e as estações de embarque, localizadas ao longo dos canteiros centrais das vias.
O que também muda é a forma de pagamento. A tarifa será efetuada nas estações, possibilitando que os usuários embarquem sem subir degraus, já que as portas à esquerda se abrirão na altura do corredor interno dos ônibus, que ficará no mesmo nível do piso das estações. A intenção é agilizar o processo e oferecer mais conforto ao usuário, principalmente aos cadeirantes.
Para a diarista Márcia Carla da Silva, 34, a novidade poderá ajudar bastante na vida dos trabalhadores que fazem uso dos coletivos todos os dias. "Eu estava vendo essas portas de um lado diferente e não tava sabendo o porquê delas. Se esse corredor exclusivo funcionar como estou sabendo, será muito bom. Será mais rápido e acho que não terá tanto atraso de ônibus", opinou.
O estudante Eduardo Macedo, 19, também gosta da ideia dos novos ônibus para a utilização nos corredores exclusivos. "Em Curitiba o sistema funciona com o corredor exclusivo. Se o Espírito Santo fizer igual, será muito bom. Tomara mesmo que dê certo. Temos mesmo que sempre fazer uso de boas ideias".
Até que sejam instalados os corredores, os ônibus vão rodar com as portas à esquerda vedadas e com assentos instalados no espaço em frente, que não precisa ser utilizado para circulação de pessoas em um primeiro momento.
Os ônibus passarão a abrir as portas à esquerda quando trafegarem pelos corredores exclusivos, mas quando passarem por trechos sem faixas especiais, serão utilizadas as portas à direita, com embarque pela dianteira, pagamento de tarifa e passagem pela roleta, e desembarque pelas portas do meio e traseira.

Fonte: ES Hoje

Share |
READ MORE - Ônibus dos corredores exclusivos já rodam pela Grande Vitória

Em Santos, CET lança campanha no corredor de ônibus da Ana Costa

Para alertar o motorista que estacionou o veículo no corredor de ônibus da Avenida Ana Costa, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) está lançando uma campanha em parceria com estabelecimentos comerciais e de saúde, como hospitais, prontos-socorros e centros clínicos.

A partir de terça-feira (1º), uma equipe da empresa vai percorrer toda a extensão da avenida, para afixar o cartaz alusivo à proibição de parada e estacionamentos na faixa de transporte coletivo.

Intitulada ‘Onde você estacionou seu veículo?’, a campanha mostra os horários de proibição para circulação e estacionamento na via: das 6h às 9h, no sentido praia/Centro; e das 17h às 20h, na direção oposta.

“A faixa da Ana Costa não foi criada para punir, mas para reservar um espaço da via exclusivamente ao transporte público e, com isso, incentivar o seu uso. Um carro estacionado irregularmente atrapalha a circulação dos coletivos”, disse Luciane Beck, diretora de Planejamento e Projetos da CET.


READ MORE - Em Santos, CET lança campanha no corredor de ônibus da Ana Costa

Jardim Botânico: faixa seletiva inibiria ultrapassagem

A partir da implantação da faixa preferencial para ônibus em toda a extensão da Rua Jardim Botânico, ultrapassagens não serão mais permitidas na principal via do bairro, segundo Richele Cabral, diretora de mobilidade urbana da Federação das Empresas de Transportes do Rio de Janeiro (Fetranspor). Pelo sistema em estudo, tanto os coletivos quantos os carros particulares e táxis não poderão mais trocar de faixa. As filas indianas serão fiscalizadas por câmeras e radares. De acordo com a prefeitura, a implantação da faixa preferencial para ônibus na Rua Jardim Botânico será colocada em prática ainda no primeiro semestre deste ano.

- Não vai ter ultrapassagem. É um problema sério. Para funcionar bem, teria que ser igual à faixa preferencial de Copacabana. Mas, na Rua Jardim Botânico, não será possível. O objetivo da implantação do Bus Rapid Service (BRS) é ganhar velocidade com a prioridade do sistema de ônibus. No BRS do Jardim Botânico, esse objetivo não será totalmente alcançado - diz Richele, que participa dos estudos.

Redução da frota depende de velocidade
A diretora de mobilidade urbana da Fetranspor disse que não é possível estimar a redução da frota na Rua Jardim Botânico, porque ainda não se sabe o ganho de velocidade que a implantação da faixa preferencial proporcionará:
- O estudo para a implantação do BRS do Jardim Botânico ainda está muito incipiente. No projeto funcional, não há espaço físico para alargar a pista. Toda priorização dos ônibus é válida. Será melhor do que atual tráfego misto.  

O estudo da prefeitura para a implantação das faixas preferenciais para ônibus está sendo feito em parceria com a Fetranspor. Richele diz que não sabe como serão as paradas para táxis na Rua Jardim Botânico. Carga e descarga só serão permitidas em tranversais. Ela acrescenta que, na via, todos os ônibus poderão parar em todos os pontos. Ou seja: mesmo que determinado coletivo não tenha passageiros para embarcar ou desembarcar em determinado local, terá que esperar o ônibus da frente dar a partida.

- Onde não houver recuo não haverá nenhum tipo de ultrapassagem. Se não tiver a baia, o ônibus de trás vai ter que parar e esperar. Os carros particulares só poderão trafegar na faixa destinada aos ônibus quando forem entrar numa transversal. Se a placa do carro foi lida duas vezes pelo radar na pista da direita, o veículo será multado - explica Richele.

Apesar das informações passadas pela Fetranspor, a Secretaria municipal de Transportes informou que o modelo para a implantação da faixa preferencial para ônibus na Rua Jardim Botânico ainda não está definido. A fórmula encontrada pelos técnicos da secretaria e pela CET-Rio para dar prioridade e maior eficiência ao transporte público em Copacabana não será exatamente a mesma em outros bairros. As particularidades de cada corredor serão levadas em consideração na elaboração de seus respectivos projetos, de acordo com a secretaria.

Os projetos de racionalização das viagens por ônibus no município estão em andamento. A prioridade da prefeitura, no momento, é viabilizar a implantação das faixas preferenciais para ônibus nos dois principais corredores viários de Copacabana. A prefeitura já fixou prazos para a implantação das faixas que serão usadas pelo sistema BRS, nas zonas Sul e Norte da cidade. A primeira será implantada dia 19 de fevereiro, na Avenida Nossa Senhora de Copacabana. Em março, será a vez da Rua Barata Ribeiro. No primeiro semestre, além do Jardim Botânico, o sistema será implantado em Botafogo.


READ MORE - Jardim Botânico: faixa seletiva inibiria ultrapassagem

Metrobus quer começar a renovar frota neste ano

A Metrobus pretende renovar, até 2012, toda a frota de ônibus que atende o Eixo Anhanguera, além de adquirir outros 30 veículos para a implantação da extensão da linha. A promessa é do presidente da Metrobus, Carlos Maranhão, que sinaliza que um acordo para a renovação da concessão à empresa já está costurado entre o governador Marconi Perillo e o prefeito de Goiânia, Paulo Garcia.

Maranhão anunciou a renovação da frota em resposta à reportagem publicada ontem, pelo POPULAR, sobre as condições (críticas) da maior linha de transporte coletivo da capital. “Os investimentos na prestação do serviço são exigências para renovação do contrato de concessão à Metrobus e devem ser objeto de acordo assinado com a Prefeitura de Goiânia, estabelecendo esse compromisso do governo do Estado”, destaca o presidente da Metrobus. “Estamos convencidos de que há um acerto entre o prefeito e o governador para que essa renovação da concessão seja firmada”, acrescenta.

Fonte: O Popular
READ MORE - Metrobus quer começar a renovar frota neste ano

Rodoviária de Salvador acumula problemas e é desafio até a Copa de 2014

Confusão, falta de equipamentos e de estrutura na rodoviária de Salvador. São várias as reclamações dos passageiros. Melhorar o terminal é um dos desafios até a 2014. Já são 30 anos de construção do terminal rodoviário de Salvador. O tempo foi passando, a estrutura não aumentou, mas os problemas se multiplicaram.
‘A situação é precária aqui. A rodoviária não dá conforto nenhum’.
‘Aqui é complicado. Os carros ficam estacionados e no horário de pico ainda piora’.
‘A gente sabe que tem como resolver. Uma rodoviária desse porte com embarque e desembarque tudo junto. Não existe isso’.
Um turista desembarcou de Goiânia à noite e teve que dormir na rodoviária, pois não há ônibus para o seu próximo destino. ‘Não tem outra coisa a fazer, a não ser esperar. Achei desorganizada, a rodoviária muito pequena. De manhã, apareceu gente parecendo formigueiro’, diz Vanilson da Silva.
Uma mulher chegou de São Paulo e tem que viajar em outro ônibus para Camaçari, na região metropolitana. Mas na hora de passar pelas catracas e seguir para o novo embarque, a surpresa. ‘Tenho que dar uma volta grande porque não pode passar aqui com o carrinho’.
A volta que ela dá é de 50 metros, até chegar ao setor de embarque. E este não é um caso isolado.
Uma outra reclamação muito comum na rodoviária de Salvador é a falta de carrinhos para o transporte de bagagens. O passageiro tem que sair do terminal para procurar onde encontrar algum carrinho vazio. ‘Ninguém nunca acha carro aqui não’, critica  o aposentado Nilton Ribeiro.
Pelo terminal rodoviário de Salvador, passam cerca de 11 mil pessoas, entre desembarque e o embarque. Elas viajam para várias partes do estado, vários estados também e até uma viagem internacional, para Assunção, no Paraguai. São 540 ônibus em dias úteis. O problema maior é quando o passageiro desembarca. Falta informação e estrutura.
São problemas muito graves enfrentados por quem chega para o embarque. Até nos horários em que o movimento não é dos maiores, dá para notar a confusão dos carros. É impressionante como as coisas são complicadas.
Ao longo dos anos, essa confusão toda só vem aumentando e nada tem sido feito para resolver questões que hoje são muito exigidas, como a acessibilidade. Um homem, que perdeu o braço esquerdo em um acidente, vai para Aracaju. Ele chega em um carro particular e a mulher dele não consegue  ajuda ou carrinho para transportar as bagagens.
‘É complicado isso aqui. Sempre é assim. Isso aqui precisa melhorar muito’.
Mas toda essa confusão, falta de estrutura e desinformação deve ter fim em breve. O atual terminal rodoviário de Salvador vai ser apenas ponto de apoio de ônibus que vão fazer a ligação com uma nova rodoviária. Até 2014, deve ser construída uma outra novinha em folha.
‘A primeira opção é Simões Filho porque isso integraria com o metrô, que a sua segunda etapa ligaria o Acesso Norte até a BR-324, liberando a região do Iguatemi para que o local seja, por exemplo, uma estação de transbordo’, afirma Ney Campello - secretário extraordinário da Copa.
O Jornal da Manhã conversou por telefone com o diretor da Sinart, Reinaldo de Góes, responsável pela administração da rodoviária, e ele disse que não vê necessidade de ampliar a estação. Disse ainda que a rodoviária de Salvador hoje recebe menos passageiros do que na década de 80. No ano passado, cerca de 4,3 milhões de pessoas passaram pela estação. Em 1986, esse número chegou a mais de seis milhões, segundo Reinaldo de Góes.
O diretor da Sinart disse ainda que o número de carrinhos para transportar a bagagem é suficiente. São cerca de 130. Só que, ainda de acordo com dados da Sinart, todos os dias circulam pela rodoviária de Salvador 35 mil passageiros.
Com relação à confusão no trânsito, o diretor disse que tudo passa pela falta de gentileza de quem utiliza a estação.
De qualquer forma, uma reunião entre a Sinart e representantes do Governo do Estado está programada para depois do Carnaval para analisar a situação de olho na Copa do Mundo.


READ MORE - Rodoviária de Salvador acumula problemas e é desafio até a Copa de 2014

Detro apreende 15 ônibus nos terminais do Rio, Alcântara e Niterói

O Detro (Departamento de Transportes Rodoviários) apreendeu 15 ônibus e emitiu 23 multas durante a operação Legal tem que ser Legal para conferir as condições de tráfego dos veículos que integram a frota de transporte regular intermunicipal, nesta sexta-feira (28).

Os fiscais estiveram nos terminais de Alcântara, João Goulart (Niterói) e Américo Fontenele (Central).
As principais infrações são de alteração de características, quando o banco do trocador é substituído por dois assentos de passageiros sem a devida autorização do Detro, e falta de selo de vistoria.
As irregularidades e reclamações contra os ônibus e vans intermunicipais podem ser denunciadas à Ouvidoria do Detro pelo telefone 021-xx- 2332-9535 ou pelo e-mail

Fonte: R7.com
READ MORE - Detro apreende 15 ônibus nos terminais do Rio, Alcântara e Niterói

Novos ônibus são adquiridos para o transporte coletivo em Rio Branco

Na tarde de sexta-feira (28/01), as empresas apresentaram  os novos veículos que serão utilizados para suprir os bairros que eram operados pela empresa São Roque. No total, são 30 novos ônibus, 15 semi-novos e quatro veículos reserva. Todos os ônibus estão dentro das normas de segurança e apresentam rampa para deficientes físicos.
“Nós estamos trabalhando para melhorar a qualidade do nosso trânsito. Sabemos que ainda temos problemas, mas é tudo muito recente e novo. Estamos trabalhando para garantir melhorias. Nos últimos cinco anos nós temos mantido uma relação de diálogo e isso tem garantido mudanças importantes no sistema”, destacou Eduardo Farias.

Todas as linhas com pelo menos um ônibus para portador de necessidades especiais

Agora, em 100% das linhas, haverá ao menos um ônibus adequado para portadores de necessidades especiais –e nas linhas mais movimentadas, três veículos com essas características estarão prontos para atender  à cadeirantes, deficientes visuais e demais portadores de limitações físicas. “Uso ônibus cinco ou seis vezes por semana para trabalhar, resolver problema em banco, e passava até mais de uma hora esperando o ônibus. Acredito que com os novos ônibus esse tempo irá reduzir para quinze minutos”, disse Cleildo Pimentel, que há treze anos sofreu um acidente e perdeu os movimentos das pernas, passando a utilizar cadeira de rodas para se locomover. 
O serviço de van que atende a deficientes físicos em casa para levar  será mantido com atendimento prioritário para tratamento de saúde, até que toda a frota tenha efetivas condições de  transportar portadores de necessidades especiais. A integração desse público com o sistema regular é fundamental na política de acessbilidade.


Share |
READ MORE - Novos ônibus são adquiridos para o transporte coletivo em Rio Branco

Curitiba: Novo Terminal de São José dos Pinhais entra em funcionamento dia 30

O novo Terminal Central de São José dos Pinhais entra em funcionamento neste domingo, dia 30. A grande novidade é a utilização de um sistema de bilhetagem eletrônica, que vai facilitar a vida de quem usa a rede de transporte público municipal e cortar pela metade o preço da segunda passagem para quem vier até o centro e quiser se deslocar para outra região da cidade. Os usuários que tiverem o Cartão VEM Cidadão e VEM VT não serão obrigados a desembarcar no Terminal Central para trocar de ônibus e receber o desconto. Eles poderão descer em qualquer ponto no Centro da cidade ganhando 60 minutos para embarcar em um novo ônibus com direção ao seu destino final. Este sistema é um dos mais modernos do mundo e bastante comum em cidades européias que dispensam o uso de terminais fechados para que os passageiros possam usufruir do benefício de desconto nas passagens.
“O nosso objetivo é propiciar ao cidadão um transporte coletivo moderno, confortável e seguro. A frota de veículos cresceu 11% em São José, um dos maiores aumentos no Paraná, precisamos pensar no futuro e para incentivar o uso do transporte coletivo, temos a obrigação de propiciar o melhor”, afirma o prefeito Ivan Rodrigues.
O novo sistema de bilhetagem vai acontecer através do uso do cartão eletrônico VEM, equipado com um chip onde constam informações do usuário e créditos para utilização no transporte coletivo de São José dos Pinhais. Sua aquisição é gratuita, ele é recarregável e substitui valores de papel diminuindo o risco de roubos dentro dos ônibus. Somente de posse do cartão, os passageiros receberão o desconto na segunda passagem e poderão, em alguns casos, utilizar a nova Linha Centro gratuitamente.
Na região Sul da cidade, mais uma inovação. Um ponto de integração será colocado em funcionamento na região do bairro São Marcos e servirá como uma espécie de terminal. Assim, quem se deslocar da área rural no Sul em direção ao bairro ou quiser usar os ônibus para trajetos dentro da região pagará apenas R$ 1,30 pela passagem. Caso queiram seguir, rumo ao Centro de São José, completarão a passagem com o pagamento de mais R$ 0,50, fechando a tarifa base de R$ 1,80. Se o passageiro ainda quiser seguir em direção ao Norte da cidade (sentido Afonso Pena) pagará apenas metade da tarifa: R$ 0,90.
O objetivo, segundo o secretário de Urbanismo, Luis Scarpin, é estimular o desenvolvimento da região Sul e facilitar a vida do usuário, que poderá resolver suas coisas dentro do próprio bairro sem a necessidade de ir ao Centro. “Com a implantação deste ponto serão criadas linhas alimentadoras que irão aumentar a freqüência dos ônibus nas zonas rurais e dar mais agilidade para quem vai do São Marcos ao centro”, completa o secretário.
Na região Norte da cidade, onde há o Terminal Afonso Pena, os usuários da região rural pagam R$ 1,80 para ir até o terminal e não desembolsam nenhum centavo a mais para que venham até o Centro da cidade. Da mesma maneira, se quiserem ir até o São Marcos pagam apenas metade da tarifa. Todos os que usam o Cartão terão 60 minutos depois que desembarcam para que possam pegar o novo ônibus, sendo beneficiados pelo desconto de 50%.  Isso significa que quem antes pagava R$ 3,60 (R$ 1,80 + R$1,80), passará a desembolsar R$ 2,70 (R$1,80 + R$ 0,90) para atravessar toda a cidade.
Outra boa novidade é a criação da nova Linha Centro que irá atender deslocamentos na área central da cidade. O preço para esta linha será de R$ 0,90. Entretanto, ela será gratuita para os usuários que vêm das regiões Norte e Sul e já tenham pagado a tarifa base de R$ 1,80.
“Esta novidade é mais um conforto que oferecemos para os passageiros que poderão ir diretamente e de maneira mais rápida para os principais pontos do anel central sem que precise caminhar ou pagar nova tarifa”, explica Scarpin.
Mudanças no trânsito - Para que o novo terminal entrasse em funcionamento, diversas alterações no sistema viário precisaram ser feitas. Todas as mudanças seguiram diretrizes dadas pelo Ministério das Cidades para a estruturação do transporte público nas cidades brasileiras. Dentre elas, mudanças essenciais, como calçadas melhores, pavimento adequado, guia rebaixada e sinalização, que auxiliam o trânsito de pedestres. E ainda mudanças de sentido e revitalização em algumas vias, e a implantação de binários. De acordo com o secretário de Urbanismo, Luis Scarpin, essas obras trazem maior fluidez do tráfego na região central da cidade.
“Algumas ruas concentravam excessiva carga de itinerários urbanos e rurais, conseqüência da localização do antigo terminal central. Ao mesmo tempo, grande parte do tráfego de automóveis se utiliza dessas mesmas vias, causando conflitos com o transporte coletivo. Portanto, as mudanças que fizemos irão desafogar o congestionamento e ainda expandir o comércio, já que o itinerário de alguns ônibus mudaram”, explica Scarpin.
O antigo terminal central da cidade será desativado no mesmo momento em que o novo entrar em funcionamento e dará espaço para o projeto de revitalização do Centro da cidade, trazendo mais comodidade e segurança a todos os cidadãos. O novo terminal Central de São José dos Pinhais fica no cruzamento da Avenida das Américas com a Rua Claudino dos Santos.
Fonte: Bem Paraná
Share |
READ MORE - Curitiba: Novo Terminal de São José dos Pinhais entra em funcionamento dia 30

Tarifa de ônibus em Aracajú vai custar R$ 2,25

O tão esperado fim da novela sobre o aumento da passagem de ônibus foi concluído na manhã desta sexta-feira, 28, na sede da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito – Smtt – o valor estipulado do aumento foi de 7,14%, ou seja, a passagem que é de 2,10 vai para 2,25. Um valor abaixo do que estava sendo pleiteado pelos empresários do setor de transporte. O aumento passa a vigorar a partir do dia 31 de janeiro.
Em uma reunião a portas fechadas na Smtt, o superintendente do órgão Osvaldo Nascimento,  o secretario de finanças, Jeferson Passos,  o secretario de governo e presidente do Conselho de Administração da Smtt, Lucas Fialho, a presidente da Emsurb, Lucimara Passos e o presidente da Emurb, Paulo Melo, homologaram o reajuste tarifário do sistema de transporte coletivo da capital e região metropolitana.  
De acordo com Osvaldo Nascimento foi levado em consideração os custos sociais e o impacto do aumento para os trabalhadores. “O aumento teve como base os dados técnicos, foi visto a planilha de custos, observamos os gastos com insumos, compra de combustível, pneus e a compra de novos ônibus”, disse.
E mais, quando questionado sobre a deficiência da frota, o superintendente admitiu a necessidade de melhoria do transporte, mas enfatizou que no ano passado houve a mudança de 184 ônibus. “É preciso melhorar cada vez mais, entendemos as reclamações e procuramos melhorar o serviço. Não basta só colocar ônibus novos é preciso criar corredores de ônibus para assim possibilitar um fluxo melhor do transporte”, enfatiza.

Fonte: Cinform

Share |
READ MORE - Tarifa de ônibus em Aracajú vai custar R$ 2,25

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960