Em BH, Velocidade média dos ônibus cai a cada ano

domingo, 5 de dezembro de 2010

Um levantamento divulgado ontem pela Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) confirma o que os moradores da capital sentem, todos os dias, ao saírem de casa, seja utilizando o transporte coletivo ou em carro próprio. Estamos caminhando para o caos, com um trânsito cada dia mais lento. De 2002 para cá, segundo os dados da BHTrans, a velocidade média dos ônibus, no centro da cidade, nos horários de pico, caiu 55%.

Há oito anos, os coletivos trafegavam a cerca de 20 km/h. Hoje, não passam de 9 km/h, nos horários de trânsito mais intenso. Fora do pico, a velocidade média dos ônibus passa para 16 km/h. Apesar de mostrar apenas a velocidade dos ônibus, o diagnóstico da BHTrans é um "termômetro" de como anda o desempenho do trânsito na cidade.

Os números foram apresentados pelo presidente da BHTrans, Ramon Victor Cesar, durante o Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Públicos de Transporte Urbano e Trânsito. "Não podemos ter a ilusão de que as obras viárias solucionarão o problema do trânsito na cidade. Estamos tentando criar um sistema de ônibus que atraia a população para o transporte público. Temos que dar agilidade ao transporte público e o BRT (ônibus rápido) será um dos nossos caminhos para combater os congestionamentos, que estão cada dia piorando mais", reconheceu.

O impressionante crescimento da frota de carros é uma das explicações para a mobilidade precária na capital. Enquanto a população cresceu 6% em 11 anos, esse mesmo índice foi alcançado anualmente pelos veículos, desde 2000. Belo Horizonte tem atualmente 1,3 milhão de carros para uma população de 2,3 milhões de habitantes. É o mesmo que dizer que existe um carro para cada 1,5 morador da cidade.

A partir de 2011, conforme a BHTrans, 40 km de linhas do BRT começarão a ser implantadas. As avenidas Antônio Carlos, Pedro I, Cristiano Machado, Pedro II, Carlos Luz e algumas da área central terão prioridade.

Fonte: O Tempo
READ MORE - Em BH, Velocidade média dos ônibus cai a cada ano

Em Feira de Santana, Transporte coletivo passa por vistorias

Mais 25 veículos da frota do Sistema Integrado de Transportes (SIT) de Feira de Santana passam por vistoria neste domingo (5), no pátio da Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT).

O trabalho anual teve início dia (27) e deve ser concluído até 19 de dezembro. No último final de semana foram vistoriados 64 ônibus e 44 micro-ônibus. Já as vans alimentadoras estão sendo vistoriadas de segunda à sexta-feira.

A avaliação é feita em toda a parte elétrica, mecânica e estrutural do veículo, considerando as condições de conforto, segurança e regularidade do transporte de passageiros.

Cezar Aguiar, engenheiro mecânico da SMTT, informa que os problemas mais comuns estão relacionados a parte elétrica, a exemplo de lâmpadas queimadas ou quebradas; no limpador de párabrisa e tacógrafo (regulador de velocidade).

“Quando qualquer problema é apresentado oferecemos um prazo de 5 a 15 dias para que seja resolvido e o veículo retorna para nova vistoria. Em casos mais sérios, como encontramos um braço de direção danificado, é conduzido de imediato para a garagem para ser resolvido”, disse.

Ao todo deverão passar por vistoria 207 ônibus e micro-ônibus e 55 vans alimentadoras. Os responsáveis pelas prestadoras de serviços devem se dirigir ao Departamento de Transportes Públicos apresentando cópias e originais do CRV, CRLV, seguro de terceiros (materiais e pessoais), certificado de dedetização, certificado de inspeção do tacógrafo. As informações são da Secom.

READ MORE - Em Feira de Santana, Transporte coletivo passa por vistorias

Metrô-SP e CPTM criam esquema de fim de ano

Milhares de paulistanos deverão se deslocar neste mês para visitar as árvores e fazer as compras de Natal. Para diminuir o trânsito nos locais, o Metrô de São Paulo e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) vão diminuir o intervalo dos trens nos horários fora de pico, tanto nos dias úteis quanto nos fins de semana.
Segundo a CPTM, o aumento da oferta de lugares será de até 25% nos dias úteis e de 50% aos sábados e domingos. As duas companhias juntas transportam atualmente perto de 6 milhões de usuários por dia - a maior parte concentrada nos horários de pico, nos quais o sistema já opera na capacidade máxima. Na época de Natal, entretanto, a tendência é que aumente o movimento em horários alternativos, principalmente na região central da cidade.

Fonte: Estadão
READ MORE - Metrô-SP e CPTM criam esquema de fim de ano

São Paulo: Fazer compras usando transporte coletivo neste fim de ano é a melhor opção

Com a aproximação das festas de fim de ano, o paulistano começa a sofrer com o tráfego intenso principalmente nas proximidades dos centros comerciais. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) já implantou várias operações especiais para contribuir com a fluidez do trânsito. Porém, para aqueles que querem mesmo evitar ficar parados em longos congestionamentos, o melhor é optar pelo transporte público quando possível.

A CET começou, neste mês de dezembro, a Operação Natal 2010, que inclui a intensificação de fiscalização do trânsito nas imediações dos shoppings e de áreas de comércio popular da cidade. Na próxima segunda-feira (6), o monitoramento será ampliado para outros grandes pólos de compras, sempre no intuito de otimizar a circulação de veículos. Entre as medidas adotadas estão: a adequação dos tempos dos semáforos, colocação de cones e cavaletes para coibir estacionamentos irregulares e formação de filas duplas.

No entanto, para os paulistanos que querem escapar dos congestionamentos na hora de fazer as compras de fim de ano, uma dica é procurar fazer, pelo menos uma parte delas em centros comerciais próximos a estações do Metrô ou nos bairros próximos, como sugere o especialista em engenharia de tráfego Horácio Augusto Figueiras.

“Para comprar um botão, eu preciso ir ao shopping? Não tem alternativa? Se puder, opte pelos centros comerciais de rua. Em vários bairros da cidade, temos opções interessantes como em Pinheiros, Santana, Tucuruvi, Lapa, Tatuapé”, observou Figueiras. Nem sempre eles contam com boas opções de estacionamento, mas facilita a locomoção em transporte público.

Se for inevitável se dirigir aos grandes centros comerciais, vale a pena procurar horários alternativos. “Logo na abertura, é mais fácil encontrar uma vaga. O motorista corre menos o risco de ficar rodando uma hora em busca de um lugar para estacionar”, observou o especialista.

Fonte: Estadão
READ MORE - São Paulo: Fazer compras usando transporte coletivo neste fim de ano é a melhor opção

Passagem de ônibus é reajustada para R$ 2,50 em Petrópolis

Com uma frota de ônibus sucateada, que há meses vem provocando transtornos para passageiros, Petrópolis passa a ter amanhã uma das passagens mais caras do estado. Por conta de um decreto do prefeito Paulo Mustrangi, que concedeu reajuste de 13,6 % em favor da empresas de transporte da cidade, a tarifa passa de R$ 2,20, para R$ 2,50.
A título de comparação, na capital, quem usa o transporte coletivo desembolsa R$ 2,40 e, com o bilhete único, tem o direito de circular em dois ônibus no intervalo de duas horas. Segundo a Fetranspor, na região metropolitana do Rio, que abrange 20 municípios, a tarifa mais cara é praticada em Mangaratiba (R$ 2,50) e a menor em Guapimirim (R$ 1,90).
O anúncio do aumento causou indgnação entre vereadores.
"A Câmara vai pressionar o prefeito para que não haja o aumento. Nenhuma melhoria foi feita para que se justifique o reajuste", critica o presidente da Câmara Municipal, Bernardo Rossi.
Como Rossi, até o líder do governo na Câmara, Wagner Silva, é contra o aumento:
"Peço ao prefeito que reveja esse decreto e que não haja aumento até que os problemas no transporte sejam resolvidos".
A situação de caos instalada no setor de transporte público da cidade fez com que em abril o prefeito Paulo Mustrangi decretasse a intervenção em três das seis empresas responsáveis pelo transporte de passageiros. Passados mais de sete meses, usuários ainda enfrentam frequentes falhas no serviço oferecido pelas empresas que passaram a ser admistradas pelos interventores: coletivos continuam quebrando diáriamente e, por vezes, se envolvendo em acidentes.

Fonte: O Globo
READ MORE - Passagem de ônibus é reajustada para R$ 2,50 em Petrópolis

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960