São Paulo não cumpre metas de Transporte

segunda-feira, 21 de junho de 2010


O governo estadual cumpriu menos da metade das metas da área de Transporte Metropolitano estabelecidas para o ano passado no Plano Plurianual (PPA) 2008-2011. Segundo balanço feito pelo Executivo, 16 dos 30 objetivos traçados para o setor não foram alcançados, incluindo a ampliação das linhas de Metrô e a modernização dos trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).
O plano de expansão das malhas metroviária e ferroviária é uma das principais peças de campanha do pré-candidato à Presidência e ex-governador José Serra (PSDB). Em nota, a Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM) afirmou que “alguns projetos sofreram atrasos inerentes a fatores externos que não podem ser controlados pela STM, como os processos de contratação e desapropriação e a demora no fornecimento do setor privado”. Leia a íntegra da nota.
A Linha 5 (Lilás) teve a maior diferença entre o previsto e o realizado. Deveria ter sido implantado 25% do trecho entre o Largo 13, em Santo Amaro, e a Chácara Klabin, na zona sul. Mas foram construídos 9,25%.
A previsão era que 38% da ampliação da Linha 2 (Verde) fosse concluída, mas foram feitos 14,7%. Na Linha 4 (Amarela), a meta era 36%, mas 28%,32% foi realizado.
Nenhuma das metas de modernização das linhas de trem foi atingida em 2009. O pior desempenho foi na Linha 10 (Turquesa), que vai do centro da capital a Rio Grande da Serra. A previsão era concluir 12% do projeto de revitalização da linha e implantação do Expresso ABC. Mas apenas 3% foram feitos. O principal benefício desse investimento é reduzir os intervalos entre as composições, que continuam lotadas nos horários de pico.
Especialistas em transporte minimizam os atrasos, alegando as dificuldades de executar obras públicas e a “raridade” dos investimentos em transporte de massa. “O governo deve ser cobrado pelo prazo, mas tem que tomar cuidado para não desqualificar o investimento”, diz Marcos Bicalho, superintendente da Associação Nacional do Transporte Público (ANTP). “É preciso entender as dificuldades que há na gestão pública.”
Para Bicalho, o governo deve ser transparente tanto na hora de anunciar os projetos como na hora de prestar contas. “Nós (no Brasil) deveríamos ter o hábito de prestar contas, ser mais franco, assumir atrasos.”
O consultor de transporte Horácio Figueira afirma que os investimentos estão melhorando a rede do Metrô e dos trens, mas que há problemas para serem resolvidos. “Está faltando trem. O Metrô e a CPTM estão superlotados. E o ônibus, outro transporte de massa, está esquecido. Só o trilho não vai dar conta da demanda.”

Fonte: Jornal da Tarde
READ MORE - São Paulo não cumpre metas de Transporte

São Paulo: Ônibus a hidrogênio vão rodar no corredor do ABD, anuncia EMTU


De acordo com a Empresa Metropolitano de Transportes Urbanos, que gerencia os transportes intermunicipais por ônibus nas regiões metropolitanas de São Paulo, Baixada Santista e Campinas, o veículo vai operar no corredor metropolitano ABD, ligando São Mateus, na zona leste, a Jabaquara, na zona sul da Capital, pelos municípios de Santo André, São Bernardo do Campo e Diadema, com extensão para a região da Berrini, na zona Sul de São Paulo, e para Mauá, no ABC Paulista.
O desenvolvimento do projeto deste ônibus custou U$ 16 milhões de dólares e teve a parceria de empresas privadas, governos federal e estadual e instituições internacionais. Os testes realizados com sacos de areia e galões de água no próprio corredor e, também, dentro da garagem da operadora Metra, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, surpreenderam positivamente a EMTU e a empresa.
O desempenho, segundo a EMTU, não ficou em nada atrás dos ônibus diesel e trólebus. Mas a grande novidade em relação aos testes foi a economia de combustível. A expectativa dos fabricantes era de que o ônibus percorresse 100 quilômetros usando 15 quilos de hidrogênio. O consumo médio foi de apenas 12 quilos para os mesmos 100 quilômetros percorridos, no corredor, que é de via segregada, com pavimento especial, considerado modelo mundial de transportes.

Fonte: Adamo Bazani
READ MORE - São Paulo: Ônibus a hidrogênio vão rodar no corredor do ABD, anuncia EMTU

Detran vai realizar treinamento para motoristas de ônibus de Cuiabá e VG


Motoristas de ônibus do transporte público urbano de Cuiabá e Várzea Grande vão receber treinamento promovido pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT). A necessidade de treinamento foi apresentada ao Detran pelo deputado estadual Mauro Savi, por meio de uma indicação. “A proposta é muito pertinente porque a necessidade existe realmente. Já entramos em contato com as empresas de ônibus e estamos trabalhando na organização desse treinamento”, explicou o presidente do Detran, Teodoro Moreira Lopes, o Dóia, ao observar que mais de 800 motoristas serão beneficiados com a ação. Ainda não há uma data prevista para a realização do treinamento.
Segundo informações de lideranças comunitárias e da população em geral, a quantidade de acidentes de pequeno, médio e grande porte com usuários do transporte público, motoristas e pedestres, tem acontecido com uma frequência assustadora.
“A cada dia temos mais vitimas de acidentes de envolvendo transporte público. E com o aumento da frota que tem ocorrido em Cuiabá e Várzea Grande a tendência é que essas ocorrências sejam cada vez mais frequentes. Então acreditamos que um bom treinamento, com abordagem em direção defensiva pode diminuir esses acidentes”, avaliou o deputado Mauro Savi.
De acordo com dados do Detran-MT, em 2009 Cuiabá contava com 1.763 ônibus e 586 microônibus. Já em Várzea Grande os números apontavam 416 ônibus e 224 microônibus. Vale destacar, no entanto, que com o transporte público integrado, muitos desses veículos trafegam nos dois municípios.

Fonte: O Documento
READ MORE - Detran vai realizar treinamento para motoristas de ônibus de Cuiabá e VG

Alternativas viáveis e de baixo custo podem ser saídas para o Transporte Público


Exemplos de cidades como Curitiba, referência em transporte público, devem ser seguidos, dizem especialistas.

Fortaleza, assim como a maioria das capitais brasileiras, vem crescendo de maneira rápida e desordenada. A população aumentou de forma impressionante: no ano 2000, éramos 2,1 milhões de pessoas. Atualmente, segundo estimativas do IBGE e da própria Prefeitura, já passamos dos 2,5 milhões de pessoas a disputar os 336 km quadrados de área da cidade. Se nos multiplicamos de forma crescente, o transporte público não acompanhou esse ritmo. "O resultado é desperdício de tempo e de recursos", declara o professor do Departamento de Engenharia de Transportes da Universidade Federal do Ceará (UFC), Flávio José Craveiro Cunto.

Outro especialista em engenharia de transporte da UFC, professor Mário Azevedo, defende melhorias para o transporte coletivo e o não-motorizado (pedestres e ciclistas) e dificultar o uso do veículo privado. "O espaço viário é limitado", afirma.

O transporte por veículo privado é comprovadamente não sustentável e tem custo alto para a sociedade. "Então é preciso restringir o uso do automóvel, para que tenhamos espaço para melhorar a vida de pedestres, ciclistas e usuários do transporte coletivo. Assim, estas modalidades se tornarão mais atrativas, inclusive, para aquelas pessoas que usam o automóvel", ressalta Azevedo.

Curitiba, reconhecem os estudiosos em transporte, é exemplo de planejamento e de cidade com boa mobilidade. Talvez, apontam, seja o melhor exemplo de cidade brasileira, mas não é assim um "paraíso". Lá também existem coisas para serem melhoradas. Para eles, algumas soluções dos curitibanos podem ser aproveitadas em Fortaleza, outras não.

Um projeto positivo é o chamado sistema de transporte rápido por ônibus ou, simplesmente, os BRTs, sigla para "Bus Rapid Transit". Além das linhas exclusivas, o sistema se destaca pelo uso de Terminais de Integração ´fechados´ para permitir a operação ordenada de poucas linhas de alta frequência na via; uso de veículos maiores com capacidade para 270 passageiros; adoção de linhas diretas (ligeirinhos) entre terminais de integração e pontos de grande concentração de destinos, aumentando a velocidade comercial do sistema; e a criação de rede integrada que passou a permitir a captação da demanda reprimida não atendida pelo sistema convencional - restrita à demanda servida entre origens e destinos ao longo de cada linha convencional.

OPÇÃO - Metrô tem preço alto e obras de longa duração

No quesito mobilidade urbana, os especialistas concordam em um ponto: o metrô não é mais a "salvação da lavoura", como muitos defendiam.Segundo estudo da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) um dos grandes "equívocos" na discussão dos problemas das grandes cidades em todo o mundo é a polarização entre a opção pelo carro ou pelo metrô no enfrentamento dos desafios da mobilidade urbana.

Diz trecho do documento que "com o crescimento do número de carros nas ruas, alimenta-se o imaginário popular com a ideia de que a solução seria a ampliação da infraestrutura viária, como viadutos e vias expressas, e o consequente aumento de grandes estacionamentos - subterrâneos ou não - e a adoção de todo o aparato que acompanha a opção pelo automóvel, com as metodologias de engenharia de trânsito".

Para contrabalançar isso, argumenta o engenheiro de transporte, Américo de Souza Lima, vende-se a ideia de que só o metrô poderia resolver essa confusão fenomenal.

Jaime Lerner também é crítico desse tipo de transporte. Alerta que, além do alto custo, o metrô exige sistema de integração. Ele aponta o carro elétrico como uma alternativa barata e que não polui o meio ambiente.

Metrô, destaca, é obviamente um ótimo meio de transporte, mas não se pode esquecer seus custos e duração para a construção de linhas. Londres, Paris, Moscou, Nova York possuem redes extensas, mas que tiveram sua construção iniciada há 100, 120 anos, quando os custos de se trabalhar no subsolo eram mais baratos.

MEIO AMBIENTE SAUDÁVEL - Bicicletas podem ser a solução

Na avaliação do professor de Engenharia de Trânsito da USP e coautor do livro Transporte Público Urbano, Antônio Ferraz, na maioria das grandes cidades brasileiras, ter um carro é a carta de alforria contra ônibus antigos e lotados.Até os anos 1950, bondes e trens eram os transportes mais populares. As distâncias a percorrer eram pequenas e o sistema público atendia às necessidades da maioria. Incomodava, porém, quem tinha dinheiro para comprar carros. Esses queriam mais espaço na rua. Afirmavam que bondes "atrapalhavam o trânsito". A campanha fez das charretes símbolo de atraso. Os trenzinhos perderam o glamour.

Fortaleza cresceu, virou metrópole e passou a enfrentar todos os dilemas de cidade grande com problemas de deslocamentos. "Os engarrafamentos são comuns em nosso cotidiano", afirma a doutora em Planejamento Urbano, Cleide Bernal.Segundo ela, só existe um caminho para evitarmos um colapso de todo o sistema: investir em soluções viáveis e a curto prazo. Entre as alternativas, diz ela, a bicicleta não pode ficar de fora.

Para Cleide, o custo de implantação de uma ciclovia e a é menor que uma via normal, porém com a mesma capacidade de escoamento.

O ministro das Cidades, Marcio Fortes, faz ressalvas. Lembra que é preciso avaliar as condições geográficas das cidades e o clima. Lembra que um lugar com muitas ladeiras e com altas temperaturas inviabiliza o uso de bicicletas durante o dia.

Outra saída, aponta o economista Paulo César Batista, seria a diminuição da necessidade de viagens, posicionando melhor os equipamentos sociais, descentralizando os serviços públicos, ocupando os vazios urbanos, favorecendo a multicentralidade, como formas de aproximar as oportunidades de trabalho e a oferta de serviços dos locais de moradia.

Fonte: Diário do Nordeste
READ MORE - Alternativas viáveis e de baixo custo podem ser saídas para o Transporte Público

PEC reduz para 60 anos direito a gratuidade no transporte público


Reduzir para 60 anos de idade o direito à gratuidade nos ônibus e trens metropolitanos, barcas e metrô. É esse o objetivo da proposta de emenda constitucional (PEC) formulada pela deputada Maria Lúcia Prandi (PT), presidente da Frente Parlamentar Pró-Envelhecimento Saudável. O direito está previsto no Estatuto do Idoso, mas depende de regulamentação estadual para valer no sistema de transporte coletivo sob jurisdição do governo do Estado.
"Como mais rico Estado do país, São Paulo não pode privar seus idosos desse direito. Por isso, tomei a iniciativa de apresentar a PEC. Agora, vamos em busca do apoio necessário para aprová-la, no menor tempo possível", afirmou a deputada, destacando que a iniciativa é fruto das audiência públicas promovidas pela frente que preside. Criado em 2001, o grupo já realizou mais de 40 encontros sobre temas de interesse da terceira idade, reunindo cerca de 10 mil pessoas.
De acordo com a proposta formulada por Maria Lúcia, serão acrescidos três parágrafos ao artigo 280 da Constituição Estadual, que integra o Capítulo da Proteção Especial e a seção referente aos direitos dos idosos, além da família, criança, adolescente e pessoas com deficiência. Nos itens inseridos pela parlamentar, fica explicitado o direito dos idosos à gratuidade a partir dos 60 anos, em todo sistema de transporte coletivo sob administração direta ou indireta do governo do Estado.

Fonte: JusBrasil
READ MORE - PEC reduz para 60 anos direito a gratuidade no transporte público

Porto Alegre: Ônibus da Carris transmitem atualizações da Copa


A Copa do Mundo invadiu os coletivos da Carris. Além da decoração especial nos veículos, o Canal Você, da Ativa, transmite em tempo real informações de todos os jogos da Copa. A atualização acontece em um intervalo de cinco minutos. A transmissão online das partidas está em funcionamento desde sexta-feira, no jogo de estreia da Copa entre África do Sul e México, que acabou com um empate por 1 a 1. Assim como os televisores nos ônibus da Carris, a rodoviária de Porto Alegre também oferece o serviço aos usuários.

Fonte: Carris
READ MORE - Porto Alegre: Ônibus da Carris transmitem atualizações da Copa

Em Brasília, Usuários do transporte público fecham pista próximo à Rodoviária


Cerca de 200 pessoas invadiram a pista em frente à plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto, ao lado do Teatro Nacional, sentido Asa Norte. A manifestação começou às 18h30, e o trânsito ficou parado durante cerca de uma hora.
Às 19h35, os manifestantes, que protestavam contra a greve dos rodoviários, voltaram a bloquear a pista por cinco minutos e em seguida se dispersaram.

Segundo o tenente da 7ª Companhia de Polícia Militar Independente Bruno Prado, responsável pela negociação com os manifestantes, não havia uma liderança no grupo, o que dificultou a retirada das pessoas da pista. "Todos queriam falar ao mesmo tempo", explicou o tenente.
Algumas pessoas que estavam no protesto foram embora quando passou um ônibus pirata no local. O motorista seguia para Planaltina e cobrava R$ 10 por passageiro. Depois de receber ameaças pelo valor abusivo, o dono do ônibus baixou para R$ 3.

Fonte: Correio Braziliense
READ MORE - Em Brasília, Usuários do transporte público fecham pista próximo à Rodoviária

Palmas: Juíza suspende o aumento da tarifa do transporte coletivo

Após representação do presidente da juventude do PV - Partido Verde, Laerci Júnior e da presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Nataly Dias, o Ministério Público Estadual (MPE) propôs uma Ação Cautelar contra o município de Palmas e o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Rodoviário Urbano de Passageiros dos Municípios do Tocantins (Seturb). A ação é em razão do descumprimento do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado pelo MPE em 24 de junho de 2009, que fixava regras referentes ao reajuste de tarifas do transporte coletivo.
Na tarde desta terça a juíza da 1ª Vara da Comarca de Palmas, Adelina Gurak julgou procedente a ação, e determinou a suspensão imediata do reajuste do transporte coletivo de Palmas.
Para Laerci Júnior presidente da Juventude do PV – Partido Verde de Palmas, “está foi uma grande vitória da juventude e de toda a população, que merece respeito e precisa ter um transporte de melhor qualidade, sinto-me feliz de o Ministério Público Estadual (MP) e a Justiça terem sido tão ágeis quanto a nossa representação, conclui”. Já a presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFT diz que está contente com o resultado desta luta “nus sentimos vitoriosos na conquista desta luta, mas estamos atentos, pois essa só foi à primeira de muitas que iremos travar”, diz contente.

Comemoração
O vereador Fernando Rezende (DEM) parabenizou a atitude da juíza Adelina Gurak, que acatou a ação movida pelo Ministério Público Estadual (MPE), concedendo liminar para suspender o aumento na tarifa de transporte coletivo de Palmas. O reajuste entrou em vigor nesta segunda-feira, 21, quando a tarifa passou de R$ 2,00 para R$ 2,20. O parlamentar levantou a discussão na Câmara Municipal recentemente, alertando para o cumprimento dos prazos legais para o anuncio do aumento das tarifas. O anúncio oficial deveria ter acontecido em 1º de março de 2010 e só após 90 dias o aumento entraria em vigor. “Acredito que a ação da juíza foi a mais correta por resguardar os direitos dos cidadãos. Estamos cobrando o cumprimento dos prazos legais para que o patrimônio público não seja lesado com o pagamento de multas. Temos que respeitar o prazo mínimo de 90 dias para a efetivação da nova tarifa. Se o prefeito insistir em manter o aumento o MPE pode aplicar multa de R$ 1.800.000, 00 para a prefeitura, por descumprimento da lei”, comentou o parlamentar. O vereador comentou que todas as medidas tomadas que justificam o aumento foram cumpridas dentro do prazo estabelecido no TAC, com exceção do prazo de divulgação da tarifa, que deveria ter acontecido em 1º de março de 2010 e só entraria em vigor 90 dias depois da divulgação. Na última segunda-feira, 07, a população foi surpreendida com o anúncio de R$ 2,20 e que este valor entraria em vigor no dia 21 de junho. “Segundo o TAC, caso não seja cumprido o prazo de divulgação, o direito de aumento fica para o próximo ano, ou seja, 2011”, disse Rezende.

Fonte: O Girassol

READ MORE - Palmas: Juíza suspende o aumento da tarifa do transporte coletivo

Corredor para trólebus terá ônibus a diesel em SP


Após 24 anos de promessas de governadores tucanos como Mario Covas e José Serra, a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) vai finalmente entregar à população o corredor de ônibus Diadema-Brooklin (zona sul de SP) no próximo dia 31 de julho.

Mas as faixas exclusivas, criadas nos anos 80 para serem ocupadas por trólebus, terão apenas ônibus movidos a diesel rodando ao longo de seus 12 km.

Segundo a EMTU, existe um projeto de eletrificação da via, mas não há prazo algum para que saia do papel.
Desconsiderando-se o impacto ambiental, os veículos a diesel são preferenciais por serem mais baratos e mais versáteis, já que não dependem de vias dotadas de uma rede elétrica para rodar.

Já o ônibus elétrico polui 100% menos, segundo afirmam os técnicos do setor.

O problema é que as eventuais panes na rede elétrica costumam travar o trânsito.

O custo ambiental não costuma ser colocado nos cálculos, o que é um erro. A poluição do ar causa um impacto grande no sistema de saúde, afirma Jorge Moraes, presidente da ONG Respira São Paulo e projetista de redes eletrificadas aéreas.

A nova ligação, que começou a ser construída em 1986, é um dos ramais do chamado corredor Metropolitano ABD (que liga Santo André, São Bernardo e Diadema).

O percurso ligará o terminal de Diadema à Estação Morumbi da linha 9 - Esmeralda da CPTM, localizada ao lado do shopping Market Place, na marginal Pinheiros.

Os coletivos vão trafegar pelas pistas da esquerda, próximo ao canteiro central de quatro avenidas, onde estão sendo construídas 20 paradas, segundo o mapa do corredor.

Como acontece após a implantação de corredores de ônibus, haverá impacto no tráfego de veículos, já que uma das pistas será disponibilizada para coletivos metropolitanos e municipais, principalmente em áreas movimentadas como a do shopping Morumbi.

Hoje, já existe um outro braço desse corredor que liga São Mateus, na zona leste, ao Jabaquara, na zona sul, passando por Mauá e pelo ABD. São 33 km e 233 coletivos, dos quais 78 são elétricos.

CAOS ELEITORAL
Não só o esqueleto do corredor faz parte da paisagem há décadas. Em alguns anos eleitorais, uma ou outra mexida é feita na região.

A alteração do trânsito sob o viaduto da Washington Luiz, por exemplo, em 2006, deixou o trânsito caótico na região.

E assim está até hoje.

A EMTU afirma que haverá sincronização semafórica em todos os cruzamentos, o que permitirá maior fluidez, embora algumas conversões possam ser alteradas.

O governador Mario Covas chegou a reinaugurar a obra em 1996. A promessa era que os trólebus estivessem trafegando em dois anos e meio.

O valor total da obra será de R$ 22,9 milhões.

Fonte: 24 horas news
READ MORE - Corredor para trólebus terá ônibus a diesel em SP

Estações da Integração Tarifária estão em obras em Rio Grande

A integração tarifária do transporte coletivo da cidade está em preparativos para entrar em funcionamento no dia 17 de julho. Atualmente, a Secretaria Municipal da Segurança, dos Transportes e do Trânsito no Rio Grande (SMSTT) realiza as obras nas Estações de Integração e promove audiências públicas para esclarecer a comunidade o novo sistema.
Com a integração tarifária, o usuário do transporte coletivo poderá utilizar mais de um ônibus pagando a mesma tarifa. Para proporcionar a integração entre as linhas, serão construídas estações no bairro Junção, na Praça Tamandaré, no balneário Cassino e no Trevo.
De acordo com o titular da SMSTT, Enoc Guimarães, para preparar o terreno, localizado na Junção, onde será instalada uma das estações, foi realizado o aterro da área, a colocação de saibro e de um sistema de iluminação e ainda a retirada de árvores com autorização, tendo uma contrapartida com o plantio de novas árvores. No local, será construído um abrigo com uma estrutura de ferro de 96 metros quadrados. Esta estação será a maior do novo sistema de integração tarifária.Conforme Guimarães, as estações localizadas no Trevo e na Praça Tamandaré também estão sendo preparadas. Já a estação do balneário Cassino permanecerá temporariamente no mesmo local. Segundo o secretário, o investimento total do novo processo fica entre R$ 150 mil e R$ 200 mil.

Fonte: Jornal Agora
READ MORE - Estações da Integração Tarifária estão em obras em Rio Grande

DF: Nenhum ônibus circulou está manhã deixando mais de 1 milhão de passageiros prejudicados


Apesar da garantia do Sindicato dos Rodoviário de colocar 60 % da frota de ônibus para circular nesta segunda-feira (21/6), quando a categoria decidiu começar uma greve geral, nenhum dos 2,4 mil coletivos rodam pelas ruas do Distrito Federal desde o início da manhã.

A informação é do Sindicato das Empresas de Ônibus Coletivo (Setransp), que não vai negociar enquanto o governo do DF não analisar um reajuste de tarifas. Oficiais de Justiça estão nas ruas desde cedo para fiscalizar se a determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de que pelo menos 60% da frota circule enquanto os motoristas e cobradores permanecerem em greve é cumprida.

De acordo com o coordenador da ação, o oficial de Justiça Jayme Batista, foram fiscalizadas as garagens do Gama, de Sobradinho, de Samambaia e de Santa Maria e em pelo menso três delas o que se vê é desrespeito à decisão. Segundo ele, dos 110 veículos que deveriam atender Santa Maria, nenhum sai do terminal.

Segundo informações preliminares das ações no Gama e em Sobradinho, a situação é semelhante nessas cidades. Jayme Batista destaca a impossibilidade de fiscalizar todos os terminais do DF.

“Estamos trabalhando por amostragem, já que temos um efetivo pequeno de oficiais de Justiça para atender as mais de 1,5 mil linhas do DF. Vamos onde os empresários nos indicaram que o descumprimento da medida é mais grave.

Prejuízo
Quem utiliza coletivos precisou utilizar outras alternativas. Muitas pessoas chegaram a desistir dos compromissos e voltaram para casa. O movimento nas estações do Metrô esteve intenso durante todo o horário de pico.

De acordo com a assessoria da Companhia do Metropolitano, todos os trens (19) circularam desde cedo para tentar atender a demanda. Embora os vagões deixassem as estações lotados, nenhuma confusão foi registrada esta manhã. Ainda não há uma estimativa de aumento da procura ao transporte, que leva, em dias normais, cerca de 160 mil pessoas.

O Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), responsável pelo transporte coletivo na região, não autuou nenhum motorista por fazer transporte pirata na manhã desta segunda. Segundo o órgão, 50 motoristas foram abordados nos Eixinhos Sul e Norte, mas em todos os casos os fiscais caracterizaram transporte solidário.

Apesar das alegações do DFTrans, a realidade vista nas paradas de ônibus de algumas cidades do DF foi outra. No Recanto das Emas e em Samambaia, muitos carros de passeio, vans e ônibus escolares passaram nos locais de espera do coletivos anunciando os destinos. A situação é a mesma no Paranoá, em Sobradinho e em Planaltina.

Quem pega ônibus em Taguatinga e Ceilândia não teve muita dificuldade em chegar ao destino. Por conta da grande quantidade de transportes irregulares, as paradas não estavam cheias, como era de se esperar já que nenhum rodoviário está rodando esta manhã.

Fonte: Correio Braziliense
READ MORE - DF: Nenhum ônibus circulou está manhã deixando mais de 1 milhão de passageiros prejudicados

São Paulo: Entra em operação duplicação de pontos de ônibus para aliviar o tráfego no Corredor Rebouças


Entra em operação neste sábado (19/6) a ampliação das faixas de parada do ponto de ônibus localizado no cruzamento das avenidas Rebouças e Faria Lima. Com o objetivo de diminuir o tempo de atendimento aos usuários na parada do Corredor Campo Limpo/Rebouças/Centro, os coletivos vão parar para embarque e desembarque dos dois lados da plataforma, duplicando a capacidade de atendimento nos dois sentidos da via.

Na situação atual, três ônibus cruzam o semáforo depois de realizar o atendimento na parada. Com o duplicação da área de parada dos ônibus, entre seis e oito veículos conseguirão cruzar a Avenida Faria Lima, diminuindo o tempo de viagem dos cerca de 350 mil usuários que circulam no corredor diariamente.

Cronograma da obra
O volume anormal de chuva que atingiu a cidade entre o fim de 2009 e março deste ano afetou o andamento das obras. Como resultado, as plataformas estão sendo entregues, mas uma segunda etapa da obra ainda está em andamento, contemplando a troca da cobertura do ponto. A estrutura atual, de 30 metros, será substituída por uma de 42 metros, aumentando a capacidade de atendimento aos usuários.

Pavimentação do Corredor Rebouças
Está em andamento na Secretaria Municipal de Transportes uma licitação para execução de obras de requalificação do Corredor Campo Limpo/ Rebouças/Centro. Em quase toda a sua extensão será aplicado piso rígido (concreto) para eliminar as ondulações motivadas pela aceleração e freada dos coletivos nas proximidades das paradas. As obras devem começar no segundo semestre de 2010.
Disposição dos pontos após o desmembramento:
LADO DIREITO
Linhas:
577T/10 Jd. Miriam - Vila Gomes
857P/10 Terminal Campo Limpo - Paraíso
6206/10 Jd. D'Abril - Terminal Bandeira
715M/10 Jd. Maria Luiza - Lgo. da Pólvora
775P/10 Jd. Guaraú - Metrô Ana Rosa
857R/10 Terminal Campo Limpo - Aclimação
8700/10 Terminal Campo Limpo - Pr. Ramos de Azevedo
8700/51 Terminal Campo Limpo - Est. da Luz

LADO ESQUERDO
Linhas:

702C/10 Jd. Bonfiglioli - Metrô Belém
702U/10 Butantã/USP - Term. D. Pedro II
7411/10 Cidade Universitária - Praça da Sé
7454/10 COHAB Educandário - Terminal Princesa Isabel
7458/10 Jd. Boa Vista - Estação da Luz
7458/21 Estação da Luz - Butantã
7545/10 Jd. João XXIII - Pr. Ramos de Azevedo
7545/21CDHU Butantã - Praça Ramos de Azevedo
7598/10 Parque Continental - Anhangabaú
7598/41 Rio Pequeno - Anhangabaú
778R/10 COHAB Raposo Tavares - Term. Princesa Isabel
778R/21 COHAB Raposo Tavares - Term. Princesa Isabel
7903/10 Jd. João XXIII/Educandário - Pr. Ramos de Azevedo

Fonte: SPTrans
READ MORE - São Paulo: Entra em operação duplicação de pontos de ônibus para aliviar o tráfego no Corredor Rebouças

Mudanças no sistema binário de Maringá começam sem acidentes


A Secretaria dos Transportes (Setran) não registrou, até a manhã desta segunda-feira (21), nenhum acidente nas avenidas São Paulo e Tiradentes nem na Praça Rocha Pombo. O trânsito nesses três pontos passou por alterações entre quarta-feira (16) e domingo (20). Por meio da assessoria de imprensa, a secretaria informou que avaliará os resultados das mudanças nesta semana, para eventuais adequações.
Segundo a assessoria, os semáforos da Praça Rocha Pombo começaram a funcionar na quarta-feira (16); a terceira faixa da Avenida Tiradentes foi liberada no sábado (19); e duas quadras da Avenida São Paulo, entre as avenidas Tiradentes e XV de Novembro, voltaram a ser duplicadas no domingo (20). Para orientar os motoristas, agentes de trânsito trabalham nesses pontos.

Uma avaliação mais completa sobre as mudanças deverá ser divulgada nos próximos dias. A recomendação da secretaria é de que os motoristas dirijam com atenção redobrada nos próximos dias, para que não haja acidentes.

Em breve
O prefeito Silvio Barros citou, em coletiva à imprensa na quarta-feira (16), quais serão as próximas mudanças nos trânsito de Maringá.
Até o fim do ano, a Avenida Brasil deve perder o estacionamento conhecido como espinha de peixe. Também haverá modificações na Avenida Morangueira. “As mudanças na Avenida Morangueira servirão para melhorias no transporte coletivo. Servirão também para subsidiar a licitação do transporte coletivo”, afirmou.
Barros evitou dar detalhes sobre os conceitos de mudanças na via, já que os estudos não estão prontos.

Entenda as mudanças no trânsito de Maringá
- Semaforização da rotatória da Praça Rocha Pombo: Primeira rotatória de Maringá a ganhar o sistema de sinalização. São três semáforos ao todo.
- Implantação da terceira pista na Avenida Tiradentes: a avenida foi uma das mais prejudicadas com o aumento nos engarrafamentos após a implantação do novo sistema. A nova faixa vai da Rua Vaz Caminha até o cruzamento com a Avenida Duque de Caxias e será exclusiva para que quem for fazer conversão à esquerda.
- Retomada da mão dupla em um trecho da Avenida São Paulo: o trecho da Avenida São Paulo, entre o cruzamento com XV de Novembro e a Tiradentes, que ganhou mão única com a implantação do binário, voltou a ser de mão dupla. Os técnicos constataram que uma das faixas estava subutilizada, tendo tráfego de veículo próximo de zero.

Fonte: JM online
READ MORE - Mudanças no sistema binário de Maringá começam sem acidentes

Cuiabá: Projeto da mobilidade urbana estará pronto em dois meses


A Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte Urbano apresenta, em dois meses, o projeto que vai regulamentar o sistema de transporte coletivo em Cuiabá nos próximos anos. As mudanças podem afetar o valor da tarifa, hoje em R$ 2,30. Atualmente, cerca de 270 mil pessoas usam o transporte coletivo na Capital, o que representa cerca de 45% da população.
Segundo o responsável pela equipe que elabora o edital de licitação, Edésio Ribeiro, a reformulação levará em consideração as mudanças propostas pela Agência Estadual de Projetos da Copa (Agecopa), visando a Copa 2014.
Uma delas é a implantação de Bus Rapid Transit (BRT), que é um corredor específico para ônibus, no qual os veículos ficam separados dos carros particulares."Temos que debater as alterações propostas pela Agecopa porque vai influenciar diretamente no sistema. O BRT, por exemplo, vai percorrer da região do Coxipó ao Centro de Cuiabá, e outro do CPA ao aeroporto de Várzea Grande. Queremos, neste projeto, definir todas as regras para o sistema".
A elaboração do novo edital é acompanhada por especialistas na área. O subsecretário de Transportes do Rio de Janeiro e professor da Universidade Federal do Rio (UFRJ), Romulo Orrico, destaca que os municípios devem pensar em como utilizar os espaços disponíveis, construindo centrais de integração das linhas, para atender as necessidades dos usuários.
"Hoje as distâncias são maiores e o sistema precisa estar bem desenhado para não gerar mais custos e tempo aos usuários. Precisamos elencar prioridades, a principal delas demarcar as faixas e pistas seletivas para o transporte coletivo, evitando que sejam ocupadas por outros veículos". Situação que é vista diariamente no trânsito de Cuiabá. "Se ocorre um engarrafamento, o ônibus também vai ser prejudicado. Gasta mais tempo, mais combustível e, consequentemente, a tarifa sobe".
A doutora em transporte Yaeko Yamashita também lembrou que qualquer mudança deve ser bem planejada para não gerar ônus aos contribuintes. "O sistema de trânsito direciona o crescimento da cidade. Temos que pensar para onde vai o público, qual a necessidade dele, para não fazer altos investimentos que não terão utilidade".
Outro ponto que, segundo ela, deve ser pensado, é a conservação do patrimônio histórico da cidade. Em Cuiabá, as adequações propostas pela Agecopa preveem investimentos de R$ 900 milhões para a construção de viadutos, trincheiras e alargamento de pistas. Cerca de 60% dos torcedores vão usar o transporte coletivo para ir até a arena de jogos, centros de treinamentos, aeroporto e hotéis.


Fonte: Gazeta

READ MORE - Cuiabá: Projeto da mobilidade urbana estará pronto em dois meses

Manaus: Greve parcial termina com promessa de acordo


Rodoviários aceitaram novo prazo dado pelo Sinetram e suspenderam a paralisação de 40% dos ônibus que já durava 5 horas.

O Sindicato dos Rodoviários, em acordo com os motoristas e cobradores, suspendeu às 10h30 a paralisação que vinha acontecendo desde às 5h30 da manhã desta segunda-feira (21) em uma das garagens da Eucatur, na Cidade Nova. A paralisação, que não havia sido informada à empresa, atingiu cerca de 200 mil usuários do transporte coletivo, a maioria deles da zona norte de Manaus, em virtude da não circulação de 450 carros de um total de 750.
A suspensão da paralisação aconteceu porque não havia um representante da empresa que pudesse negociar as reivindicações. Apesar da liberação da frota, o coordenador de greves do sindicato dos rodoviários, Givancir Oliveira, informou que ainda haverá uma reunião no próximo dia 23 (quarta-feira) entre o Instituto Municipal de Trânsito e Transportes (IMTT), a categoria e os empresários, no Ministério Publico do Trabalho para discutir a questão.
Os trabalhadores exigem o pagamento do vale alimentação e da cesta básica – nos valores de R$ 195 e R$ 135, respectivamente – que deveria ter sido feita na última sexta-feira (18), data que havia sido acordada na Convenção Coletiva 2010-2011, realizada em abril. Além disso, os trabalhadores reivindicam ainda que o valor seja pago em dinheiro. Segundo eles, a empresa adotou um sistema de pagamento via cartão que não beneficia os trabalhadores. “O pagamento com o cartão é complicado porque são poucos comércios que aceitam o cartão”, diz o motorista José Renato, motorista.

A paralisação acontece menos de duas semanas depois do reajuste temporário da tarifa do transporte coletivo, determinado pelo prefeito Amazonino Mendes (PTB) no dia 9 (quarta-feira) deste mês. Na ocasião, o prefeito alegou que o reajuste estava sendo feito para evitar o “caos” e que o novo valor ajudaria as empresas a regularizarem sua situação fiscal.
O argumento do prefeito, no entanto, não condiz com os números da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), que isentou, nos últimos dois anos, os empresários do transporte coletivo de Manaus em R$ 55,4 milhões sobre o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias (ICMS), subsidiado pelo Estado sobre o óleo Diesel. Este ano, os empresários foram isentados em mais de R$ 29 milhões.

Fonte: D24 am
READ MORE - Manaus: Greve parcial termina com promessa de acordo

Feira de Santana: Transporte coletivo mais caro a partir desta segunda-feira


A partir desta segunda-feira (21), os usuários do transporte coletivo urbano, em Feira de Santana vão pagar mais caro pela passagem. Depois de 14 meses sem aumento, a tarifa de ônibus sofreu um reajuste de 7,5%, aumentando de R$ 2,00 para R$ 2,15 na cidade, e nos distritos de Jaíba, Maria Quitéria, Matinha, Governador João Durval e Humildes, e para R$ 2,90 nos demais distritos.

O decreto

Governo Municipal baixou um decreto, no final da tarde de sexta-feira (18), autorizando o reajuste que deixou milhares de pessoas insatisfeitas. Segundo a Secretaria Municipal de comunicação Social (Secom), novas tarifas foram decididas depois que os integrantes do Conselho Municipal de Transportes se manifestaram, por escrito, sobre a proposta de reajuste. Em documento encaminhado à Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), eles votaram e explicaram a posição que estavam adotando, sendo que a correção foi aprovada pela maioria dos conselheiros.

Ônibus

O Governo alega que no período de 15 meses da administração atual, a frota de Feira de Santana recebeu 51 ônibus zero quilômetro, entretanto os usuários do transporte coletivo, consideram o aumento da passagem injusto, uma vez que, constantemente reclamam do serviços prestados, em virtude de atrasos, mal atendimento, e problemas mecânicos, entre outros.

Andréa Trindade Fonte: Acorda Cidade
READ MORE - Feira de Santana: Transporte coletivo mais caro a partir desta segunda-feira

Governo do DF. anuncia reforço no metrô e quer detalhes do custo das empresas de ônibus


O Governo do Distrito Federal quer conhecer as planilhas de custo das empresas de ônibus do DF, anunciou o governador Rogério Rosso nesta segunda-feira (21), durante entrevista à imprensa. O governo quer reunir todas as informações das empresas e saber, por exemplo, quanto é gasto com a folha de pagamento dos funcionários, com combustível e quais os custos fixos e variáveis.

As informações serão essenciais para o avanço nas negociações, disse o governador. “Não vamos permitir o que está acontecendo. Se o empresário fala que - para conceder o aumento aos rodoviários - ele precisa aumentar a tarifa de ônibus, eu quero conhecer esse motivo. Ou seja, sem informação na mesa, o GDF é contra qualquer reajuste na tarifa”, declarou Rosso.

O governador enfatizou que o GDF subsidia 100% da passagem de ônibus para todos os estudantes do DF e que esse dinheiro entra na conta das empresas. “Tem que ser um jogo de cartas abertas. Estamos atentos e não vamos deixar a população sozinha. Vamos agir para acabar com a greve, mas tudo será feito dentro da legalidade e da transparência”, ressaltou Rogério Rosso.

A importância de respeitar a decisão judicial que determinou, no mínimo, 60% da frota dos ônibus circulando foi ressaltada por Rogério Rosso. “Com o sistema parado tudo fica mais difícil e quem perde é a população que precisa do transporte para ir trabalhar ou estudar”, disse.

Metrô é alternativa
O Governo do Distrito Federal busca alternativas de transportes para a população. A Secretaria de Transportes e o Metrô/DF colocaram todos os dezenove vagões de passageiros para circulares, aumentando a oferta do transporte que normalmente conta com apenas dezesseis vagões. Portanto, o metrô passou a circular com a capacidade máxima em todos os horários - das 6h às 23h30 -, aumentando em 30% a capacidade de transportar passageiros. O GDF estuda ainda novas formas para minimizar os transtornos aos brasilienses que precisam do transporte coletivo.

Fonte: Clicabrasília
READ MORE - Governo do DF. anuncia reforço no metrô e quer detalhes do custo das empresas de ônibus

O Distrito Federal amanheceu sem ônibus novamente


Pelo menos, quatro mil rodoviários participaram da assembleia, realizada nesse domingo, dia 20, e decidiram pela greve. Os micro-ônibus também vão parar. De acordo com a determinação da Justiça do trabalho, 60% da frota devem circular. Para evitar represálias, quem for trabalhar vai sem uniforme. O sindicato diz que os empresários vão fazer o controle dos ônibus e os rodoviários não têm como garantir a frota mínima exigida.

“São quase três meses na tentativa de achar uma solução de forma acordada. E em todas as ocasiões que foram realizados encontros, os empresários disseram não poder manter o acordo coletivo da categoria e apresentar qualquer proposta de ajuste salarial”, enfatiza o presidente do Sindicato dos Rodoviários João Osório. Na semana passada, os rodoviários tentaram negociar o aumento de 20% e manutenção do acordo coletivo. Mas não foram ouvidos nem pelos empresários nem pelo governo. O que resultou em sucessivos protestos. Segunda-feira, dia 14, os rodoviários chegaram a liberar a catraca. Os empresários recolheram os ônibus e houve protesto dos passageiros.

Na terça-feira, dia 15, menos ônibus nas ruas e, com isso, paradas cheias. Na quarta-feira, dia 16, 400 ônibus fizeram carreata nas principais ruas da cidade. Já na quinta-feira e sexta-feira houve paralisação dos ônibus extras que circulam em horário de pico. Durante a assembleia desse domingo, distritais do PT disseram que vão impedir a aprovação de qualquer projeto de interesse do governo até que o GDF entre nas negociações.

Pelo menos, 600 mil passageiros vão ficar sem ônibus. Na Rodoviária do Plano Piloto, hoje o dia começou com as baias dos ônibus completamente vazias. E os passageiros estão sem saber o que fazer. Apenas os veículos da TCB estão rodando normalmente, sendo que a empresa não representa nem 5% da frota do Distrito Federal.



Fonte: DFTV
READ MORE - O Distrito Federal amanheceu sem ônibus novamente

Grevistas fecham garagem e impedem saída de ônibus em Fortaleza


O 14º dia de paralisação de motoristas e cobradores de ônibus começou com os mesmos problemas para a população fortalezense. Nos terminais, filas enormes e muita gente atrasada para o trabalho.

Nas ruas, muita reclamação de que diversos ônibus não param nas paradas. Outro fator que tem irritado os passageiros é a chamada "Operação Tartaruga", que é quando os veículos não ultrapassam 40 km/h.

Paralisação em garagem - Nesta manhã, o Sindicato dos Motoristas paralisou a saída dos veículos da garagem da empresa Dragão do Mar, no Passaré. Ao todo, 94 ônibus ficaram parados, assim como cerca de 350 passageiros da empresa, o que refletiu em mais transtornos para os passageiros do transporte público em Fortaleza.

Fonte: Portal Verdesmares
READ MORE - Grevistas fecham garagem e impedem saída de ônibus em Fortaleza

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960