Transporte coletivo de Fortaleza terá mudanças de empresas de ônibus a partir de julho

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Apartir do dia 1º de julho, nove empresas de transporte público não circularão mais por Fortaleza. No entanto, as linhas continuarão a existir, operadas por outras empresas.
A mudança deve ocorrer com o início da operação das empresas vencedoras na licitação do transporte coletivo de Fortaleza, realizada nos primeiros meses deste ano e que dividiu a cidade em cinco áreas de abrangência. As empresas ganhadoras ficam responsáveis por áreas e não mais por linhas. 
 
Algumas das empresas que já atuam em Fortaleza, não participaram da licitação para explorar a prestação de serviços de transporte público e, por isso, devem interromper suas atividades até o final do mês.  
 
De acordo com o presidente da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Ademar Gondim, os contratos com as companhias e consórcios vencedores foi assinado no dia 31 de maio.  
 
Uma das empresas que estará fora das ruas da Capital é a São José de Ribamar, em atividade há 45 anos. Para o sócio-gerente da companhia, João Alberto Leite, a notificação recebida no início deste mês foi uma surpresa ingrata. “A gente estava se preparando para encerrar as atividades no fim de 2013. Temos 300 empregados, pessoas que ficarão desempregadas e que não temos dinheiro para indenizar. Nós tínhamos programação de juntar dinheiro para pagá-los nos 18 meses que ainda restavam. Acredito que houve uma falha”, comentou. 
 
O fim das atividades em 2013, a que João Alberto se refere, estava previsto em decreto publicado no Diário Oficial do Município, em junho de 2008, e instituía o término desse ano como prazo final das permissões para a prestação do serviço. 
 
O presidente da Etufor esclarece que o Município tem o direito de revogar permissões. “A Prefeitura fez licitação e a empresa (São José de Ribamar) fez a escolha de não participar”.  
 
O sócio-gerente da São José de Ribamar justificou a ausência no processo de licitação: a empresa estaria com pendências fiscais.
 
O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Ceará (Sindiônibus), Dimas Barreira, comentou que a abertura de licitação já era assunto discutido há muito tempo, pois era algo inevitável. Segundo Barreira, todos trabalhavam com permissões precárias.
ENTENDA A NOTÍCIA
 
Empresas de ônibus tinham apenas permissão para explorar o serviço. Licitação atualiza concessão. Cinco consórcios foram vencedores e começam a atuar em julho. Companhias que ficaram de fora devem deixar as ruas da Capital. Linhas, no entanto, serão mantidas
Saiba mais
Empresas que operam a partir de julho:
 
Área 1: Viação Urbana Ltda e Auto Viação Fortaleza Ltda.

 
Área 2: Vega S/A Transporte Urbano; Santa Cecília Transportes Ltda; Santa Maria Ltda e Transportes Urbanos Aliança S/A.

 
Área 3: Auto Viação São José Ltda; Fretcar Transporte Urbano; Viação Siará Grande; Cearense Transporte Urbano e Terra Luz Transportes S/A.

 
Área 4: Dragão do Mar Ltda; Auto Viação São José Ltda e Maraponga Transportes Ltda.

 
Área 5: Auto Viação Fortaleza Ltda; Vega S/A; Auto Viação Dragão do Mar Ltda; Rota Expressa S/A.

Fonte: O Povo Online

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960