Nova licitação deve viabilizar mais de 20 km de ciclovias em Manaus

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Novas ciclovias devem ser construídas para dar continuidade ao trecho da Avenida Boulevard Álvaro Maia, na Zona Centro-Sul de Manaus, ainda esse ano. A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) informou que uma nova licitação deve ser aberta a partir do mês de agosto. Segundo a Seminf, após o início dos trabalhos, as obras têm previsão para durar 120 dias.

De acordo com a Seminf, o projeto vai aumentar em mais de 20 quilômetros os trechos para uso restrito de bicicletas nas ruas da capital. O projeto é implantar ciclovias nas Zonas Sul, Oeste e Centro-Sul.

Atualmente, a cidade possui uma ciclovia no Boulevard, com 2,3 quilômetros de extensão, além de uma ciclofaixa de 3 quilômetros na Avenida Nathan Xavier Albuquerque, na Zona Norte.

Uma das obras está prevista para iniciar na Marina do Davi, na Ponta Negra, passando pelas Avenidas Coronel Teixeira e Brasil, na Compensa, até chegar a ciclovia do Boulevard. A outra obra deve ligar um trecho da Bola do Mindu até a Avenida das Torres.

Estudo
A construção de ciclovias nas ruas e Manaus é uma reivindicação antiga de grupos de ciclistas. Paulo Aguiar, coordenador do grupo Pedala Manaus, criticou as ciclovias existentes, mas destacou a importância de novas obras para promover o modal na cidade.

"A gente é super a favor da continuidade das obras, elas têm que continuar. Aquele trecho que foi construído, do jeito que está, não liga nada a nada. Ele não é funcional. A prefeitura tem que continuar aquela obra. Só que, desta vez, a gente gostaria de ter acesso aos órgãos decisórios, aos projetos, ter acesso aos cronogramas para não acontecer os mesmos erros que aconteceram com aquele trecho do Boulevard", disse.

Ele defende ainda a construção de ciclovias em pontos onde há demanda de uso de bicicletas. "A prefeitura tem que tomar o cuidado de instalar essas estruturas cicloviárias em ruas ou avenidas que sejam cicláveis e que possuam uma quantidade de pessoas e ciclistas que usem a bicicleta como meio de transporte. Tem que se fazer pesquisa de origem-destino, contagem de bicicleta, levantamento de fluxo para poder identificar a ciclovia, ou a ciclofaixa", afirmou Aguiar.

Conscientização
A promoção de campanhas educativas também foi um dos pontos observados pelo coordenador do Pedala Manaus. Segundo ele, os ciclistas lutam para conquistar espaço em meio aos motoristas nas ruas de Manaus.

"A ciclovia e a ciclofaixa são importantes, mas a campanha educativa de conscientização é fundamental também. Se os motoristas, os pedestres e os próprios ciclistas seguissem o que está na legislação de trânsito, se houvesse respeito, educação, cidadania, a gente não precisaria de ciclovia. Mais importante que a estrutura cicloviária é a convivência pacífica. A prefeitura tem que fazer junto um trabalho educativo", destacou.

Críticas
No fim do mês de janeiro a ciclovia do Boulevard foi inaugurada. Ao G1, ciclistas e especialista criticaram a implantação do espaço no local, que, segundo eles, oferece suposto risco por ser em cima de uma calçada e no meio de uma via com grande fluxo de veículos, além de não permitir a ligação entre outras ruas da cidade.

Para o doutor em engenharia de transportes e professor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Geraldo Alves, alguns trechos da obra entregue dificultam o tráfego de usuários de cadeiras de rodas e ciclistas.

"Aquela área, por ter um trânsito intenso, pode não ser uma boa escolha, mas a atitude de pensar na cidade como um local onde há outros tipos de meio de transporte, que não o carro, é muito boa", disse.

O projeto para implantação da ciclovia ligando a Zona Sul e Oeste foi anunciado pela prefeitura em julho de 2013. As obras foram iniciadas em março de 2014 e foram paralisadas em seguida. À época, a Seminf informou que a paralisação nas obras da ciclovia ocorreu por conta de adequações de projeto e definição de novos materiais.

Por Suelen Gonçalves e Leandro Tapajós
Informações: G1 AM

READ MORE - Nova licitação deve viabilizar mais de 20 km de ciclovias em Manaus

Moradores do Leblon fazem a primeira visita guiada à Estação Jardim de Alah

Cerca de 80 moradores do Leblon puderam acompanhar de perto o andamento das obras na futura Estação Jardim de Alah, uma das duas estações da Linha 4 do Metrô no bairro. Em visita guiada na manhã deste domingo (02/08), os grupos circularam pelo acesso de passageiros na esquina da Avenida Ataulfo de Paiva com a Rua Almirante Pereira Guimarães e ouviram as explicações sobre os métodos de engenharia empregados na maior obra de infraestrutura urbana da América Latina.

Esta foi a primeira visita guiada na Estação Jardim de Alah, mas esses encontros acontecem desde o início das obras e fazem parte do Programa de Relacionamento com a Comunidade do Consórcio Linha 4 Sul, responsável pelas obras entre Ipanema e Gávea. Desta vez, os moradores puderam conhecer o Tunnel Boring Machine, ‘Tatuzão’, equipamento alemão que escava o túnel da Zona Sul e que, atualmente, passa por manutenção programada enquanto é arrastado por esta estação.

Depois que o ‘Tatuzão’ deixar o Jardim de Alah, o que está previsto para acontecer em setembro, a obra bruta da estação entra na fase final, com a construção do mezanino e finalização da laje de fundo. É ali que vão ser construídas as vias permanentes, por onde passarão os trens. Em paralelo, segue a fase de montagem das estruturas para instalação de sistemas e a construção do segundo acesso, que ficará na esquina das avenidas Borges de Medeiros e Ataulfo de Paiva, em frente ao canal do Jardim de Alah.

Vizinha à obra, a professora aposentada Mary da Rocha Bocayuva, de 73 anos, estava curiosa para saber o que acontece no subterrâneo do bairro onde mora e pôde observar a área onde ficarão as plataformas de embarque e desembarque. 

“Eu já aposentei meu carro, por causa da idade, e só ando de metrô. Minhas filhas moram na Barra e estou em contagem regressiva para ir à casa delas com a Linha 4”, conta ela, que também já visitou as obras da Estação Nossa Senhora da Paz, em Ipanema. "Acho muito interessante acompanhar de perto as obras. Desta vez, queria ver o 'Tatuzão' ". 

Para se inscrever nas visitas

Mais de mil pessoas já fizeram a visita guiada por engenheiros, que começa na Estação Interativa, com a exibição de vídeos 3D, holografia do 'Tatuzão', telas touch e maquete interativa. De coletes e capacetes, entre as ‘selfies’ com hastag #VoudeLinha4, as dúvidas mais comuns da população são o funcionamento do 'Tatuzão', estágios e profundidade das estações e quanto tempo vão levar no seu deslocamento. As visitas ocorrem sempre no último domingo de cada mês, quando a comunidade pode ver de perto como está a construção da nova linha de metrô, que vai beneficiar mais de 300 mil pessoas, a partir do primeiro semestre de 2016.

As inscrições podem ser feitas pelo telefone 0800-0210620 (ligação gratuita), mesmo canal de informações e solicitações. Quem usa a internet também acha tudo sobre a obra nos canais digitais, com total liberdade para interagir: a Linha 4 tem blog oficial (www.metrolinha4.com.br), Twitter (@metrolinha4) e conta no YouTube (MetroLinha4), com vídeos em timelapse, entrevistas e imagens que mostram o avanço da obra. A Linha 4 também está no Instagram (@linha4dometro).?

Linha 4 do Metrô vai transportar mais de 300 mil pessoas por dia

A Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro é uma obra do Governo do Estado do Rio de Janeiro e vai transportar, a partir de 2016, mais de 300 mil pessoas por dia, retirando das ruas cerca de 2 mil veículos por hora/pico. Serão seis estações e aproximadamente 16 quilômetros de extensão.

A ligação metroviária entre Ipanema e Barra da Tijuca estará à disposição dos passageiros em junho de 2016, com o início da operação assistida, fora do horário de pico e com intervalos maiores no fluxo dos trens, para que os últimos ajustes operacionais sejam feitos. A operação comercial nos mesmos horários das demais linhas do metrô será iniciada em julho de 2016. A partir do ano que vem, será possível ir da Barra a Ipanema em 13 minutos e, da Barra ao Centro, em 34 minutos.

Informações: Jornal do Brasil


READ MORE - Moradores do Leblon fazem a primeira visita guiada à Estação Jardim de Alah

Em Maceió, Faixa de ônibus completa 01 mês com mais de 300 multas

No último sábado (1º), o período de fiscalização da nova faixa exclusiva das Avenidas Comendador Leão, no Poço, e Dona Constança, no bairro de Mangabeiras, completou um mês. Durante o mês de julho, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) de Maceió registrou 382 infrações envolvendo a nova medida, que visa acelerar o fluxo de transportes coletivos, como ônibus e táxis com passageiros, além de garantir a fluidez do trânsito na região.

Na Avenida Comendador Leão, 25 condutores de veículos particulares foram autuados por transitar indevidamente pela faixa exclusiva, e um ônibus foi visualizado deixando a faixa destinada a ele. Já na Avenida Dona Constança, tanto o número de veículos flagrados andando pela faixa exclusiva quanto o de ônibus deixando de utilizá-la foi maior, totalizando 351 autuações no primeiro caso e cinco no segundo.

O superintendente da SMTT, Tácio Melo, lembra que antes de iniciar a fiscalização, no último mês, a faixa exclusiva foi implantada primeiramente em caráter educativo, durante todo o mês de junho, visando preparar quem transita pelas vias para a nova ferramenta de mobilidade urbana. “Apesar de já termos uma experiência com faixa exclusiva nas Avenidas Fernandes Lima, Durval de Góes Monteiro e Tomás Espíndola, nós destinamos o primeiro mês da implantação da nova faixa exclusiva apenas para educação, antes de começarmos a fiscalizar, para que a população da região se acostumasse”, explica o superintendente.

A fiscalização de irregularidades envolvendo o uso da faixa exclusiva e outras infrações de trânsito, em geral, continuará a ser realizada pela SMTT. O órgão lembra ainda que veículos particulares, ônibus de viagens e transportes escolares não devem usar a faixa exclusiva, exceto quando estiverem prestes a entrar numa via com acesso daquele lado, com a antecedência de duas quadras.

O direito de uso da faixa exclusiva reserva-se aos veículos destinados a socorro de incêndio e salvamento, aos de polícia, aos de fiscalização e operação de trânsito e às ambulâncias em serviço de urgência, todos devidamente identificados por dispositivos regulamentares de alarme sonoro e iluminação vermelha intermitente, conforme o art. 29, inciso VII do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Informações: Tribuna Hoje

READ MORE - Em Maceió, Faixa de ônibus completa 01 mês com mais de 300 multas

Em Londrina, Corredor para ônibus passa a valer na avenida Tiradentes

O corredor exclusivo para ônibus públicos na avenida Tiradentes, em Londrina, começa a ser usado nesta segunda-feira (3), de acordo com a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização.

A faixa será dedicada aos coletivos de segunda a sexta-feira, das 7h às 20h, e aos sábados, das 7h às 14h, em trecho entre a avenida Rio Branco e a BR-369. Fora desse horário, qualquer veículo poderá circular pelo corredor. O estacionamento será proibido integralmente.

A obra foi finalizada em um mutirão durante o fim de semana e, segundo a prefeitura, custou R$ R$1.771.390,00, com verbas intergradas entre governo federal e administração municipal.

Informações: G1 PR

READ MORE - Em Londrina, Corredor para ônibus passa a valer na avenida Tiradentes

Em Porto Alegre, Ônibus da Carris não saem das garagens nesta segunda-feira

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Coletivos e Seletivos Urbanos de Passageiros da Cidade de Porto Alegre (Stetpoa), Adair da Silva, somente os ônibus da Carris não estão saindo da garagem. As outras empresas que prestam serviço na Capital operam normalmente. O motivo para os 8,6 mil rodoviários não trabalharem na segunda-feira seria a falta de segurança devido ao possível aquartelamento dos policiais militares.

A EPTC anunciou remanejos para atender as linhas T1, T4 e T11. A empresa Conorte atenderá as linhas T1 e T4 com oito ônibus. Já a STS atenderá a T11 com 10 veículos e a Unibus atende a linha T6 e 346 com 10 veículos. 

A direção do sindicato faria uma reunião, marcada para às 4h, porém ela não aconteceu. O presidente da categoria passou pelas garagens de todas as empresas e conversou com os funcionários, antes da saída dos veículos. No decorrer do dia, caso seja avaliado que não há condições de segurança, a categoria poderá decidir pela interrupção total do serviço.

Entidades que representam a Brigada Militar pediram, em nota, que a população permaneça em casa na segunda-feira. Os brigadianos ficarão aquartelados e garantem que só deixarão os batalhões para atender ocorrências de urgência, como crimes contra a vida. O policiamento ostensivo deve ficar suspenso durante o dia. Constitucionalmente, militares são proibidos de suspenderem suas atividades, mas eles sustentam não se tratar de paralisação, mas de uma redução no ritmo de trabalho.

Informações: Diário Gaúcho


READ MORE - Em Porto Alegre, Ônibus da Carris não saem das garagens nesta segunda-feira

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960