ANTP divulga relação das melhores empresa de ônibus no Prêmio de Qualidade

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Numa época que a mobilidade urbana se torna ainda mais necessária e ganha as discussões no dia a dia das pessoas, estando presente inclusive na reivindicação das vozes nas ruas, destacar o trabalho de empresas de ônibus que prestam serviços com qualidade é tão importante quanto denunciar as companhias que ainda deixam muito a desejar no atendimento à população.
Medianeira Dourados Transportes
Isso porque estas empresas se tornam referências em operação que podem servir de modelo para melhorar o deslocamento das pessoas em todo o País.

A ANTP – Associação Nacional de Transportes Públicos realizou a nona edição do prêmio ANTP de Qualidade.

A premiação é uma das mais sérias e reconhecidas de todo o País e o processo de avaliação dos participantes é rigoroso, respeitando os mesmos critérios do PNQ - Prêmio Nacional da Qualidade, baseados no MEG – Modelo de Excelência em Gestão, da Fundação Nacional de Qualidade.

A lisura, idoneidade, transparência e honestidade das empresas são alguns dos pontos necessários para as companhias participarem da premiação.

Além de responderem um minucioso questionário, as empresas de ônibus para conseguirem participar precisam apresentar documentos que comprovam que elas respeitam as leis e estão em dia com as obrigações fiscais e trabalhistas. Entre os documentos estão:

- Certidões Negativas de Débito
- Certificado de Regularidade de Situação Junto ao FGTS
- Certidão Conjunta expedida pela Receita Federal do Brasil e Procuradoria Geral da Fazenda Nacional
- Certidão Negativa de Débitos junto ao INSS.

Após a análise destes documentos e do questionário, os examinadores da ANTP visitam as garagens e sedes administrativas para verificarem se o que as empresas responderam se aplica na prática.

Entre os critérios avaliados estão gestão da liderança, qualidade operacional, o relacionamento com os passageiros e sociedade, gestão de pessoas, comprometimento ambiental e até mesmo saúde financeira.

A premiação divide as empresas em categorias de acordo com o tipo de operação. Há troféus ouro, prata e bronze que são entregues de acordo com a pontuação alcançada pelos participantes Confira:

EMPRESAS DE ÔNIBUS URBANAS E RODOVIÁRIAS:

- TROFÉU OURO:

Medianeira Dourados Transportes Ltda – Dourados/Mato Grosso do Sul
Viação Nossa Senhora das Graças – Rio de Janeiro/Rio de Janeiro

- TROFÉU PRATA:

Leblon Transporte de Passageiros Ltda – Fazenda Rio Grande/Paraná (possui filial em Mauá, na Grande São Paulo)
Viação Nobel Ltda – Fazenda Rio Grande/ Paraná (pertence ao Grupo da Leblon, mas concorreu separadamente)
Viação Nossa Senhora de Lourdes S.A. – Rio de Janeiro/Rio de Janeiro
H.P. Transportes Coletivos Ltda – Goiânia/Goiás
Mobibrasil Transporte São Paulo Ltda – São Paulo/São Paulo
MobiBrasil em São Paulo
Viação Urbana Ltda – Fortaleza/Ceará

- TROFÉU BRONZE

MTU – Medianeira Transporte Ltda – Ijuí/Rio Grande do Sul.
Transportadora Itamaracá Ltda
Viação Piracicabana Ltda – São Vicente/SP.

OPERADORAS DE SERVIÇOS DE FRETAMENTO:

- TROFÉU BRONZE (o único alcançado nesta categoria)
Vésper Transportes Ltda – Limeira/SP

OPERADORAS METROFERROVIÁRIAS URBANAS E METROPOLITANAS:

- TROFÉU PRATA (o único alcançado nesta categoria)

TRENSURB – Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A. – Porto Alegre/Rio Grande do Sul

ÓRGÃOS GESTORES DE TRANSPORTE E TRÂNSITO:

- TROFÉU PRATA (o único alcançado na categoria)

BHTRANS – Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte S.A. – Belo Horizonte/MG.

EMPRESA REFERENCIAL DE EXCELÊNCIA:

CETURB/GV – Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória – Vitória/Espírito Santo.

As empresas têm acesso aos exemplos de todas as participantes, o que pode trazer ideias e novos modelos de operação melhorando os serviços para a população.

A cerimônia de entrega de premiação vai ser no dia 08 de outubro durante o 19º Congresso Brasileiro de Transporte e Trânsito, em Brasília.

Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.

Informações: Canal do Ônibus

READ MORE - ANTP divulga relação das melhores empresa de ônibus no Prêmio de Qualidade

Porto Alegre fará licitação para 400 linhas de ônibus até dezembro

A prefeitura de Porto Alegre pretende colocar um produto inédito no mercado nos próximos meses: o sistema de ônibus. Pela primeira vez, a operação das mais de 400 linhas da Capital será colocada em licitação. Vai assumir o negócio a empresa que se prontificar a oferecer o serviço em troca da menor tarifa.

— É possível que haja redução no preço da passagem — afirma o diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari.

A licitação, um compromisso assumido pelo prefeito José Fortunati, é tratada como prioridade, mas há uma série de percalços a superar para cumprir a meta de publicar o edital até dezembro. Um dos principais é a definição da metodologia de cálculo da tarifa, alvo de uma auditoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A prefeitura precisa incluir as regras no edital, mas para isso depende de uma definição do tribunal. O TCE informou que o relatório está sendo concluído. Depois, irá a plenário.


— Sem a finalização da auditoria, não tem como lançar o edital, porque não podemos dizer: a metodologia é esta. São muitas incógnitas a superar — reconhece Cappellari.

Outra dúvida é a construção do metrô. O novo sistema de transporte, quando implantado, interferirá na quantidade de ônibus em circulação e na configuração das linhas. Por isso, seria fundamental incluir no edital o cronograma de implantação do trem e as adaptações que a empresa que operará as rotas deverá fazer quando ele começar a percorrer os trilhos.

A EPTC tem esperança de que esse cronograma saia até dezembro, para ser contemplado no edital.

— Se não houver cronograma, teremos de deixar o horizonte de implantação do metrô indefinido — diz o diretor-presidente da EPTC.

O sistema tem sido operado por meio de permissões. Com a licitação, três grandes lotes (Sul, Leste e Norte) serão concedidos à iniciativa privada por 10 anos, renováveis por outros 10. A Carris, empresa pública, continuará operando linhas transversais e circulares.

No momento, os técnicos da prefeitura discutem os parâmetros de qualidade que serão exigidos dos competidores, como tamanho e idade da frota, estrutura mínima, linhas a oferecer e intervalo de horários. A Associação de Transportadores de Passageiros (ATP) diz não comentar o processo, por tratar-se de uma atribuição da prefeitura.

O QUE ESTÁ EM DISPUTA

— O que vai ser licitado: toda a rede de transporte de ônibus de Porto Alegre, com exceção das linhas operadas pela Carris. Técnicos da EPTC estão detalhando a divisão da Capital em quatro bacias.

— Quem pode concorrer: uma empresa pode concorrer solitariamente ou por por meio de um consórcio. Os atuais operadores poderão candidatar-se. Uma mesma empresa ou grupo terá autorização para concorrer às três bacias, mas só poderá sair vencedor em uma delas.

— Critérios de escolha: a empresa vencedora em cada bacia será aquela que atender às exigências feitas no edital e que oferecer o serviço pela menor tarifa. Isso não significa que cada bacia terá uma tarifa diferente. A prefeitura fará uma média e manterá uma tarifa única.

— O cronograma: a meta é publicar o edital até o fim de dezembro. A partir daí, haverá 30 dias para apresentação de propostas.

— O prazo de concessão: a tendência é que operem por 10 anos, renováveis por mais 10 anos.

TIRE AS SUAS DÚVIDAS

— A tarifa do ônibus pode baixar?

Existe essa possibilidade. Como sairá vencedora a empresa que se comprometer a operar com a menor tarifa, é possível que candidatos cortem a margem de lucro para vencer, com impacto no bolso do usuário.

— O número de ônibus vai aumentar? Serão criadas mais linhas e horários?

O edital vai determinar uma frota mínima para cada área, com especificações sobre o tipo de veículo e a idade. Ele também dirá que linhas terão de ser oferecidas, em que horários e com que tipo de ônibus. A quantidade de passageiros que podem ser transportados por metro quadrado será determinada. Tudo isso ainda está sendo definido. Há possibilidade de mudanças em relação ao sistema atual. Na fase inicial, as linhas devem ser as que já existem hoje.

— Que requisitos vão ser exigidos das empresas concorrentes na licitação?

Os competidores terão de se comprometer a oferecer a infraestrutura prevista no edital, que além da frota de ônibus vai incluir itens como número de profissionais e garagens.

— Uma empresa que não atua no sistema hoje terá condições de competir, sem dispor ainda da infraestrutura necessária?

A prefeitura diz que todos terão igualdade de condições. Não precisarão ter a estrutura previamente, mas deverão provar a capacidade de oferecê-la.

— O que acontecerá se uma mesma empresa ou consórcio vencer a licitação em mais de uma bacia operacional?

Como a prefeitura definiu que uma mesma empresa só poderá operar uma bacia, a vencedora terá de escolher com qual delas vai ficar.

— Os ônibus serão melhores do que os atuais? Vão incorporar novidades?

Uma proporção da frota terá de ser nova. Com relação aos equipamentos, há previsão de que todos os ônibus sejam equipados com GPS, para serem monitorados pela EPTC. No caso do sistema BRT (ônibus de linha rápida), os coletivos deverão ter um sistema de comunicação interligado ao centro de operações da empresa pública, de forma que o motorista possa receber instruções pelo seu painel.

— Os coletivos terão ar-condicionado?

Estão sendo feitas simulações de custo com e sem ar-condicionado. Ainda não há uma decisão sobre o assunto. Uma possibilidade é de que parte da frota seja obrigada a oferecer a comodidade ou que ela seja exigida somente nos veículos BRT.

— O edital vai ter especificações para o sistema BRT?

Sim. Atualmente em obras, o sistema BRT deve começar a operar em outubro do ano que vem, com frota nova de veículos. A prefeitura espera que até lá o processo licitatório esteja totalmente concluído, para os novos operadores investirem no equipamento necessário, que estará especificado no edital.

— Se uma empresa nova, diferente da que atualmente opera, assumir os lotes, como é que vai ser a troca de bastão?

A EPTC diz que uma equipe ficará responsável por garantir que a transição seja tranquila, afiançando que os usuários não sofram qualquer tipo de prejuízo.

Se o projeto do metrô sair do papel, como é que fica a empresa que venceu a licitação para operar na área da linha do trem?

Com a construção do metrô, a bacia operacional Norte sofreria um impacto direto. A EPTC espera que haja até dezembro uma definição sobre o cronograma da obra, para poder incluí-lo no edital e estabelecer as adaptações que o operador terá de fazer. Uma das hipóteses é empurrar um pouco mais para a frente a abertura da licitação da bacia.

— Como é que ficam as empresas e os trabalhadores que atualmente atuam no sistema?

Segundo a EPTC, quem quer que sejam os vencedores, será vantajoso para eles aproveitar o pessoal atualmente empregado. Quanto às empresas, a Procuradoria-Geral do Município estuda se elas terão direito a alguma indenização, compromisso que poderia ser repassado aos vencedores da licitação. O aproveitamento da frota e da estrutura existentes hoje poderia ocorrer, caso haja acordo entre as empresas.

Informações: ZERO HORA
READ MORE - Porto Alegre fará licitação para 400 linhas de ônibus até dezembro

Com transporte coletivo bom, 61% dos paulistanos deixariam carro em casa, diz pesquisa

A proporção de paulistanos dispostos a não usar o carro, caso haja uma boa alternativa de transporte público, aumentou de 44%, em 2012, para 61% este ano, de acordo com a sétima pesquisa sobre Mobilidade Urbana Rede Nossa São Paulo e Ibope divulgada ontem (16).

Segundo o levantamento, 27% dos entrevistados usam carro todos os dias (em 2012, eram 23%). Além disso, o paulistano gasta, em média, diariamente duas horas e quinze minutos no trânsito e 69% avaliam o trânsito da cidade ruim ou péssimo.
A pesquisa mostra ainda que o interesse pelas ciclofaixas de lazer diminuiu. Em 2012, 67% disseram que usariam as faixas exclusivas para bicicletas aos domingos e feriados. Este ano, o percentual caiu para 60%.

Já as recentes faixas exclusivas para ônibus foram aprovadas pelos entrevistados: 93% disseram ser a favor da medida. Aumentou também a aprovação dos paulistanos às medidas polêmicas para melhorar o trânsito na cidade, como pedágio urbano (de 17% em 2012 para 27% em 2013); rodízio de dois dias (de 37% em 2012 para 49% em 2013) e até multa para pedestres (de 34% em 2012 para 54% em 2013).

Sobre as recentes manifestações em todo o país, 58% disseram ser favoráveis, desde que não haja prejuízo ao trânsito e 34% são a favor mesmo que provoquem interrupções e congestionamentos na cidade.

Em relação ao custo do transporte público, 56% defenderam tarifa intermediária (meia tarifa paga pelo usuário e o restante, pelo governo), 34% são a favor da tarifa zero (totalmente custeada pelo governo) e 7% optaram pela tarifa cheia (totalmente paga pelo usuário). Sobre a tarifa zero, 46% disseram ser uma medida possível e viável para todos. Para 29%, o benefício deve valer somente para estudantes e desempregados e 21% acham a medida inviável.

Do total de entrevistados, 53% se manifestaram contra o aumento do preço da gasolina para subsidiar a redução da tarifa e 45% são a favor. Entre os que não usam carro, o resultado é o inverso: 53% a favor e 41% contra.

A pesquisa também apurou quais são as áreas mais problemáticas da cidade: Saúde mantém o primeiro lugar desde 2008, seguida de educação e segurança pública. Trânsito e transporte coletivo ficaram, respectivamente, em quarto e em quinto lugares.

Informações: Portal Uol

Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans

·         EMTU-SP
READ MORE - Com transporte coletivo bom, 61% dos paulistanos deixariam carro em casa, diz pesquisa

No Recife, Começa obra das estações para transporte no Capibaribe

A construção das estações de embarque e desembarque de passageiros no Rio Capibaribe, no Recife, teve início na sexta-feira (13). As obras fazem parte do Programa Rios da Gente, projeto que pretende tornar o Capibaribe navegável para transporte público fluvial até junho do próximo ano. A ordem de serviço foi assinada, na manhã de hoje, pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos, pelo prefeito do Recife, Geraldo Julio, e pelo secretário das Cidades, Danilo Cabral, em solenidade realizada no canteiro de obras da BR-101, no bairro de Dois Irmãos, Zona Norte da capital.

Inicialmente, está prevista a construção de sete estações. O projeto, que deve transportar 300 mil pessoas por mês, prevê a circulação de embarcações em duas rotas. Com 11 quilômetros de extensão, a Rota Oeste terá 5 estações e vai passar pelos bairros de Dois Irmãos, Santana, Torre, Derby e Centro do Recife.  As três primeiras estações dessa rota devem ficar prontas até fevereiro de 2014: as estações do Derby, na área central; do Recife, próxima à Estação Central de Metrô, e a de Santana, em Casa Forte. As outras duas devem ficar prontas até junho.


Já a Rota Norte terá 2,5 quilômetros e duas estações, ligando a Rua do Sol, no Centro da cidade, até a região próxima à Escola de Aprendizes Marinheiros, no limite entre a capital e Olinda.

As estações serão erguidas em uma área de 438 m², cuja limpeza está inserida no processo de construção. As cabines serão compostas por plataformas flutuantes, acessibilidade plena, guichê para emissão dos bilhetes, banheiros, circuito fechado de televisão, estacionamento para veículos e bicicletário. Uma audiência pública marcada para 15 de outubro deve discutir com a população o projeto de operação do transporte fluvial, incluindo os preços das passagens, que ainda não estão definidos.

De acordo com o governador, a reunião também vai tratar do processo de licitação para contratar a empresa que vai comandar o serviço. "Vamos terminar o ano sabendo quem vai ser responsável por colocar os barcos na água e operar o serviço. Está tudo dentro do cronograma", afirmou Eduardo Campos. "A ideia é chegar à Copa do Mundo com o sistema funcionando a pleno vapor".

Os treze barcos que farão o transporte de passageiros no Capibaribe têm capacidade para transportar 89 pessoas por vez. As viagens serão realizadas em intervalos de dez minutos e tempo máximo de 40 entre os pontos mais distantes. Também está prevista a construção de uma garagem para a manutenção dos barcos no bairro da Ilha Joana Bezerra. O projeto ainda prevê o serviço de dragagem do rio, que pretende recuperar 17 quilômetros fluviais desde a BR-101 até a divisa entre Recife e Olinda.

Dragagem e limpeza
Desde abril passado, o Capibaribe vem recebendo obras de dragagem, que busca criar um canal de navegação, com 35 metros de largura por 3 metros de profundidade. Todo o sedimento contaminado que é retirado do fundo do rio é levado até o canteiro de obras, na BR-101, onde cerca de 100 caminhões levam até um aterro sanitário em Igarassu, no Grande Recife. Dos treze quilômetros da rota prevista, já foram dragados seis no trecho que liga a BR-101 à Praça do Derby. O processo de dragagem também deve ser concluído até março do ano que vem, juntamente com as três primeiras estações.

O prefeito do Recife, Geraldo Julio, acredita que o projeto vai unir a população e o rio e criar uma relação melhor do que a que já existe. "Tenho certeza que a integração das pessoas com o rio vai promover um tratamento melhor. O rio hoje é isolado das cidades, as pessoas só vêem o rio nas pontes. A navegabilidade vai fazer todo mundo cuidar melhor do rio", disse. De acordo com ele, projetos a médio e longo prazo também vão discutir a retirada das famílias que vivem à beira do Capibaribe e a mudança para diversos habitacionais em construção na cidade.

O Programa Rios da Gente está orçado em R$ 289 milhões com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do tesouro estadual.

Por Lorena Aquino
Informações: G1 Pernambuco

READ MORE - No Recife, Começa obra das estações para transporte no Capibaribe

Em SP, Semana da Mobilidade incentiva uso do transporte público na cidade

No próximo dia 22, Dia Mundial Sem Carro, a Prefeitura demonstrará como ficaria o Centro da cidade caso os veículos particulares não circulassem no local. A restrição dos carros, que será entre 7h e 17h do domingo, ocorrerá na área delimitada pelas avenidas Ipiranga e São Luís, rua Maria Paula, praça João Mendes, avenida Mercúrio, rua Senador Queiroz e avenida São João (mapa abaixo). O objetivo é incentivar o debate sobre o uso do veículo na cidade.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) colocará faixas na região e orientará os motoristas sobre a proibição. Os ônibus e veículos de moradores da área serão liberados para trafegar no Centro.


A ação no Centro está incluída na Semana da Mobilidade, que começa na próxima quarta-feira (18) e vai até dia 25 de setembro. O objetivo é chamar a atenção para o uso excessivo do carro e propor soluções como praticar a carona entre amigos e vizinhos (para aumentar a lotação dos carros e diminuir o número de veículos nas ruas), incentivar o uso do transporte coletivo e considerar fazer pequenas viagens a pé ou de bicicleta.

A programação da Semana da Mobilidade inclui ainda palestras, debates e atividades culturais nos terminais da capital. No encerramento do evento, o Conselho Municipal de Trânsito e Transporte se reunirá para debater o novo Plano Diretor Estratégico (PDE), sob o enfoque da mobilidade urbana.

Faixas exclusivas e corredores
A Prefeitura de São Paulo implementou neste ano cerca de 170 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus em todas as regiões da cidade. A intenção, segundo a nova versão do Programa de Metas, é instalar 220 km até o fim de 2013. Além disso, 150 quilômetros de corredores de ônibus serão construídos até o fim de 2016.


Informações: Prefeitura de SP

Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP
READ MORE - Em SP, Semana da Mobilidade incentiva uso do transporte público na cidade

Em Manaus, Sinetram calcula menor tempo de espera e mais passageiros com o BRS

A velocidade dos ônibus em Manaus, que hoje é de menos de 10 km/h, em média, deve triplicar com a implantação do Bus Rapid Service (BRS). A estimativa é do Sindicato das Empresas de Transporte de Manaus (Sinetram), que vem fazendo estudos mais detalhados para melhorar o transporte coletivo na capital com a implantação do novo modelo de locomoção. Além disso, o número de passageiros pode sofrer um aumento em até 30%.

O Sinetram sugeriu à Prefeitura de Manaus que o BRS seja implantado nas seguintes vias: avenidas Constantino Nery, Djalma Batista, Getúlio Vargas, Brasil, Torquato Tapajós, Max Teixeira, Cosme Ferreira, André Araújo, Noel Nutels, Grande Circular, Autaz Mirim, Monsenhor Pinto, Das Torres, Mário Ypiranga Monteiro e Jornalista Humberto Calderaro Filho.


“O BRS se aplica somente às troncais e vêm justamente de tronco, como numa árvore. São as vias de maior fluxo, que distribuem passageiros para as demais. Quando aumenta-se a velocidade dos ônibus diminui o tempo para percorrer a mesma distância e esta é a vantagem do modelo”, explica o presidente do Sinetram, Algacir Gurgacz.

De acordo com a Prefeitura de Manaus, até 2014 a cidade terá mais de 80 quilômetros de corredores exclusivos para ônibus na cidade. Com o BRS, o percurso Centro-Grande Circular, que hoje leva uma hora e meia, por exemplo, passará a ser percorrido em 45 minutos. Na demais vias o Sinetram espera que o cálculo seja semelhante.

Para o diretor da Global Green, Rosano Conte, uma das empresas que terá mais linhas nas paradas, como os veículos que passarão a trafegar com mais intensidade, o sistema trará mais vantagens. “Temos a linha 650, que sai do terminal 4, na Zona Leste, e vai até o terminal central da cidade. Essa linha faz esse trajeto hoje em aproximadamente duas horas e dez minutos. Com o BRS o percurso poderá ser feito em uma hora e quarenta minutos, o que com certeza vai melhorar e muito para os usuários que dependem dessa linha”, informa Conte.

Além disso, o Sinetram também espera que o poder público iniba os veículos que insistirem em circular nas faixas exclusivas de ônibus. Isso porque, com a segregação das pistas, carros menores serão terminantemente proibidos de utilizar a via dedicada aos coletivos. A multa para quem for pego desrespeitando a norma, segundo o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) será de R$191,54, além da perda de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Simulado do BRT

A Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) destaca que o BRS servirá como uma espécie de simulado para o BRT, que será implantado pela Prefeitura. "O BRS é um degrau para o sistema BRT, que é mais eficiente ainda. Depois do BRS estar implantado, para funcionar o BRT será necessário fechar as paradas, criar espaços para ultrapassagem dos ônibus e instalação de tecnologias como o GPS. Com o BRS, uma das medidas que a Prefeitura irá adotar é implantar uma fiscalização mais rigorosa para que somente os ônibus circulem nessas faixas”, informa o superintendente da SMTU, Pedro Carvalho.

Transporte clandestino

Para o Sinetram, um dos entraves que ainda preocupa o sistema de transporte coletivo em Manaus é o transporte clandestino, como mototaxistas, alternativos e executivos, que acabam subtraindo passageiros do sistema. Um estudo recente realizado pelo Sinetram sobre o transporte clandestino revelou que na cidade existem 697 veículos clandestinos. Eles transportam uma média de 297,7 mil passageiros por dia e faturam aproximadamente R$ 818 mil diariamente.

“Os meios de transporte clandestinos são os predadores do sistema convencional. Se bem pensado pela população, eles não usariam este tipo de serviço, pois além de mal estruturado, eles fazem aumentar o valor da passagem. No sistema BRT ou BRS, os ônibus são bem equipados e modernos, justamente para dar conforto aos nossos usuários. Tudo que o passageiro quer hoje é o menor tempo de espera nas paradas e conforto dentro dos ônibus. Temos certeza que a prefeitura vai se empenhar e diminuir com esse alto número de predadores e nossa cidade”, destaca Gurgacz.

Informações: A Critíca
READ MORE - Em Manaus, Sinetram calcula menor tempo de espera e mais passageiros com o BRS

São Paulo tem quatro projetos de Trens Regionais

No estado de São Paulo existem quatro projetos para trens regionais, são eles: São Paulo-Sorocaba, São Paulo – Jundiaí, São Paulo – Santos e Jundiaí – Campinas.  O presidente da CPTM, Mario Bandeira, informou que o mais avançado desses projetos é o trem de São Paulo a Jundiaí, que está em análise das propostas da licitação.  A ligação Jundiaí – Campinas está em projeto de adequação do projeto funcional. São Paulo – Santos ainda enfrenta questões ambientais, os estudos funcionais já foram finalizados.

Segundo Joaquim Lopes da Silva Jr, presidente da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), que está a frente dos projetos de ferrovias regionais de São Paulo, esses projetos deverão ser tocados por Parcerias Público Privadas (PPP). Os estudos de demanda de passageiros feitos pelo Estado devem estimular mais interessados e compensar os investimentos, principalmente em São Paulo, cujo acesso deve ser por túneis ou vias elevadas.

“A proposta dessas ligações é estruturar a rede de trilhos do estado de São Paulo e melhorar a acessibilidade entre as cidades aliviando as vias públicas”, concluiu o presidente.


A Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT) apresentou no último dia da Semana de Tecnologia da Aeamesp (13/09) a situação de alguns trechos dos trens regionais em projeto no país. Sérgio Seabra, analista de regulação da ANTT, destacou o interesse do governo federal na implantação das linhas regionais e falou sobre os trechos.

No Rio Grande do Sul, o trem Caxias – Bento Gonçalves já está com os estudos finalizados e já foi realizada a audiência publica em maio deste ano.  Em Santa Catarina a solicitação para o trem que ligará Itajaí, Blumenau e Rio do Sul, em uma via de 146 km já está no Ministério dos transportes aguardando aprovação. No estado do Paraná, o trem Londrina – Maringá, conhecido como Pé-Vermelho, está com os estudos finalizados e aguarda o agendamento da audiência pública. O trecho terá 152 km de extensão.

Passando para a região Sudeste, em São Paulo o projeto executivo do trem intercidades São Paulo – Itapetininga, passando por Santos, Jundiaí, Campinas, S. J. dos Campos, e Sorocaba, está sendo contratado para o trecho Jundiaí e já foi lançada as PMIs dos demais trechos. Em Minas Gerais, a ligação de 505 km de BH – Ouro Preto/Conselheiro Lafaiete já teve sua PMI publicada. Além disso foi enviada proposta para o Ministério dos Transportes para o trecho Araguari-Uberlândia.

Na região Centro-Oeste a ligação de 80 km de Brasília – Luziânia está em fase de licitação dos Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) enquanto o trecho Brasília – Goiânia esta em fase de elaboração.

No Nordeste, o trecho baiano de 288 km entre Salvador e Feria de Santana já está com seus estudos finalizados. Dois trechos já tem suas conclusões previstas para dezembro deste ano, no Maranhão a ligação de 111 km entre São Luís e Itapecuru Mirim e o trecho entre as cidades de Codó (MA), Terezina (PI) e Altos (PI).

Fonte: Revista Ferroviária 

READ MORE - São Paulo tem quatro projetos de Trens Regionais

Paulistanos aprovam novas faixas de ônibus, aponta Datafolha

Pesquisa realizada pelo Datafolha afirma que 88% dos paulistanos aprovam as novas faixas exclusivas de ônibus criadas pela administração do prefeito Fernando Haddad. A medida faz parte do plano de metas da prefeitura, que pretende aumentar a velocidade no transporte público na capital. 

Nesta segunda feira, 19,8 km de novas faixas foram inaugurados, fazendo com que o número total chegue a 169 km na cidade. De acordo com a prefeitura, a meta é chegar a 220 Km até o fim do ano.


Segundo o Datafolha, a medida é bem vista até pelos usuários de carros, que agora têm uma faixa a menos para circular. A aprovação dos motoristas é de 77%. Entre os que mais usam o transporte coletivo, 90% dos que andam de metrô e 91% dos usuários de ônibus aprovam as novas faixas.

De acordo com a pesquisa, 55% dos entrevistados afirmaram que o trânsito está melhor com as novas faixas. Já 27% afirmaram que o trânsito continua igual. Para 14%, o trânsito piorou após a medida.

O levantamento foi feito com 832 entrevistados na última quarta-feira. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais.

Informações: Exame Abril

Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP
READ MORE - Paulistanos aprovam novas faixas de ônibus, aponta Datafolha

Em Salvador, Sistema de compartilhamento de bicicletas será implantado ainda neste mês

Inspirado em cidades como Paris e Nova Iorque, Salvador receberá, no próximo dia 22, cerca de 400 bicicletas para integrar ao Movimento Salvador Vai de Bike, iniciativa da Prefeitura com parceria com o Banco Itaú, para implantar um sistema de compartilhamento. 

As bikes devem ser distribuídas em 40 estações, localizadas em pontos estratégicos na cidade, da Ribeira até Itapuã. O sistema funcionará através de um cadastro e um pagamento anual de R$ 10. 

Os usuários terão direito a usar o serviço das 6h às 22h, quantas vezes quiserem. Porém, cada bicicleta só poderá ser utilizada durante 45 minutos. Depois, ela deve ser devolvida ou trocada por outra em alguma das estações.

Informações: Metro 1

READ MORE - Em Salvador, Sistema de compartilhamento de bicicletas será implantado ainda neste mês

Universitários de Curitiba ganham nova linha de ônibus

A partir desta quarta-feira (18), começa a funcionar uma nova linha de ônibus, a ser implantada pela Urbs. A nova linha X23 – Especial Sociesc atenderá principalmente os alunos matriculados na Faculdade Sociesc, que fica no quilômetro 106,5 da BR-476.

Com saídas e chegadas no Terminal Pinheirinho, a nova linha, ao deixar o terminal, circulará pelas ruas Marechal Octávio Saldanha Mazza, José Egídio Martins, Nélio Dirceu Woitiwik, Engenheiro João Bely e BR-476, passando pela faculdade.

O retorno, a partir da rodovia, é pelas ruas Reinaldo Stocco, Luciano Piuzzi, Engenheirto João Bley Filho, Adão Ordakowski, João Malta de Albuquerque Maranhão, Sagrado Coração, Izaac Ferreira da Cruz, João Bochnia, José Egídio Martins, Marechal Octávio Saldanha Mazza, Joaquim Simões, avenida Winston Churchill e rua André Ferreira Barbosa, por onde chega ao terminal.

Informações: Urbs

READ MORE - Universitários de Curitiba ganham nova linha de ônibus

Em São José dos Campos, Fiscalização dos corredores começa com multas e queixas

O primeiro dia de fiscalização nos corredores de ônibus em São José dos Campos foi marcado por aplicação de multas e reclamações por parte dos motoristas.

A Secretaria dos Transportes não divulgou o total de multas aplicadas ontem, mas o número pode ser alto. Alguns agentes de trânsito chegaram a aplicar 30 multas cada um, em avenidas da região central. 

Entre 9h e 17h, essa era a média de autuações, segundo relato informal dos próprios agentes.  No primeiro dia da fiscalização, a secretaria mobilizou um contingente de 80 agentes para monitorar as seis avenidas onde se encontram as faixas exclusivas para o transporte coletivo. 


O VALE percorreu a região central e acompanhou a reação dos motoristas e o trabalho da fiscalização. Na Adhemar de Barros, por exemplo, agentes posicionados em vários pontos observavam o comportamento do trânsito, esclareciam dúvidas e multavam.
Segundo a prefeitura, os número oficiais sobre a fiscalização dos corredores só serão divulgados em 30 dias.

Critérios.
Agentes ouvidos por O VALE disseram que um dos critérios utilizados na aplicação de multas é a permanência do veículo nas faixas exclusivas para ônibus.

“O critério é não permanecer na faixa. Nosso objetivo é inibir e não autuar. Por isso, antes de aplicar a multa, a gente observa o comportamento do condutor: se ele vai fazer uma conversão ou cruzar a faixa, não tem problema”, disse um agente que não quis se identificar. Segundo ele, o que não pode é manter o veículo nas faixas de ônibus o tempo todo. 

Circular com o carro nas faixas exclusivas de ônibus foi uma das infrações mais registradas ontem pela fiscalização. “Alguns motoristas chegam a percorrer toda a extensão da Adhemar de Barros, uns quatro quilômetros, na faixa de ônibus. O condutor entra na faixa de ônibus e vai embora, não respeita a regra. É isso que a gente está fiscalizando”, afirmou outro agente.

Motoristas.
Há 13 anos vendendo sanduíches na altura da rua Paulo Becker, o comerciante Daniel Cistófalo ainda não sabia bem como obedecer às regras. “Não estava entendendo, mas procurei um agente para tirar a dúvida. É só não andar na faixa azul”, disse. 
Amedeu Viola, 19 anos, foi estudar no Sul e acabou pego de surpresa ao voltar de férias. “Ainda não entendi como funciona o trânsito na Adhemar de Barros”, afirmou.

Pior para os taxistas. Segundo Luiz Gonzaga, há 33 anos no ramo, a medida gerou transtornos. “Complicou demais para embarcar e desembarcar passageiros, e a prefeitura até agora não falou da nossa situação”. “Devíamos ter direito a andar no corredor”, disse o taxista Miguel Cardoso. 

Para prefeitura, motorista teve orientação
Os 80 agentes de trânsito que atuaram no primeiro dia de fiscalização ficaram concentrados nas avenidas cortadas pelos corredores de ônibus --Adhemar de Barros, João Guilhermino, São José/Madre Tereza, São João, Francisco José Longo, e rua Paraibuna.

Desde ontem, o motorista que for flagrado trafegando na faixa exclusiva para ônibus receberá multa de R$ 85,13 e perda de 4 pontos na carteira de habilitação. 

Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP

De acordo com a prefeitura, a fiscalização encerra “um período de 50 dias de adaptação dos motoristas às novas faixas”. A medida, segundo a Secretaria dos Transportes, permite aos motoristas a utilização de corredores “apenas para acessar estacionamento de comércios e residências, fazer conversões à direita ou acessar demais faixas”. 

Segundo a prefeitura, será autuado quem “utilizar a faixa dos ônibus para ultrapassar veículos ou permanecer no corredor após o cruzamento”. 

Sobre campanhas de educação no trânsito, a secretaria informou que há 50 dias tem orientado motoristas: “desde 27 de julho, quando foram implantados os corredores”. 

Parque Santos Dumont continua sem zona azul
Com atraso da previsão, a Prefeitura de São José voltou a afirmar ontem que a zona azul no Parque Santos Dumont e na região da Vila Adyana será implantada ainda esse ano.  A iniciativa está programada para até o final do segundo semestre. O prazo já havia sido anunciado em agosto pelo secretário de Transportes, Wagner Balieiro.

O que pode
O condutor pode transitar livremente dentro dos corredores de ônibus apenas para casos de conversão ou para acessar estacionamento de comércios, sem ser multado

O que não pode
O motorista fica proibido de manter a condução do veículo dentro das faixas azuis, destinadas exclusivamente para a circulação do transporte coletivo de São José

Infração
Quem for pego trafegando pela faixa exclusiva comete infração média. A multa é de R$ 85,13, além de perder 4 pontos na carteira. A medida passou a valer ontem

Efetivo
Segundo a Secretaria de Transportes, foi mobilizado um efetivo de 80 agentes de trânsito para fiscalizar todos os corredores exclusivos de ônibus na área central da cidade

Informações: O Vale
READ MORE - Em São José dos Campos, Fiscalização dos corredores começa com multas e queixas

Licitação do transporte coletivo de Florianópolis será conhecida nesta quarta-feira

O edital de licitação do transporte coletivo de Florianópolis, inclusive com itinerários e linhas, só será conhecido na íntegra após a publicação. A previsão é que isso aconteça nesta quarta-feira, dia 18. As informações disponíveis no site da prefeitura são aquelas apresentadas durante a audiência pública na terça-feira.
Marco Santiago/ND
Quem acessar o site da prefeitura pode clicar na notícia “Conheça as diretrizes do edital do transporte coletivo”. Neste link está a apresentação feita pela prefeitura, com informações como o SAO (Sistema de Apoio à Operação), um centro de controle para gerenciar o sistema.


Em entrevista aos veículos do Grupo RIC, na quarta-feira, o prefeito Cesar Souza Júnior antecipou as principais novidades do setor, como o SIM (Sistema Integrado de Mobilidade), que será apresentado na próxima quarta-feira. Cesar adiantou que, após a publicação do edital, há um prazo de 45 dias para possível impugnação.  

O assunto licitação também foi discutido ontem na Câmara de Vereadores, na Comissão de Defesa do Consumidor, Direitos Humanos e Segurança Pública, a pedido do presidente Tiago Silva (PDT). "Foi um erro autorizar, em 1999, a concessão de 20 anos para as empresas sem licitação, ferindo a Constituição. Além de aplicar um novo modelo, é necessário identificar e punir os agentes que foram coniventes com a concessão", ressaltou o vereador.

O diretor de Operações da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, André Luiz Curcio, representou o secretário Valmir Piacentini na audiência pública. No entanto, o servidor afirmou que não tem conhecimento sobre a licitação. 

LICITAÇÃO
Principais mudanças

Tarifa será de, no máximo, R$ 2,60
Sistema será controlado por uma empresa ou consórcio
Integração nos ônibus não terá mais os 20 minutos de tolerância
Idade média da frota será de, no máximo, seis anos
Tarifa social será para toda cidade

por maurício Frighetto
Informações: ND Online
READ MORE - Licitação do transporte coletivo de Florianópolis será conhecida nesta quarta-feira

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960