Ônibus elétricos serão testados em Salvador no mês de setembro

domingo, 28 de julho de 2013

Para iniciar o processo de ter um sistema de transporte sustentável, Salvador testará dois ônibus elétricos no mês de setembro. O anúncio foi feito pelo secretário municipal da Cidade Sustentável, Ivanilson Gomes, durante o IV Fórum de Sustentabilidade da Ademi.


“O modelo nos foi apresentado por empresas da China que possuem esse  tipo de veículo. Os dois ônibus chegam aqui em setembro e vamos testar em algumas linhas de Salvador”, explicou, dizendo que é possível incluir a medida na próxima licitação de transporte público de Salvador.

Os ônibus elétricos são mais caros do que os convencionais, que custam, em média, R$ 500 mil. “O valor a mais varia em uns 20% do preço do veículo convencional. A diferença é que esses veículos quase não poluem o ambiente, não fazem barulho e ainda têm ar condicionado”, ponderou.

Para Ângelo Consoli, da Sociedade Europeia da Terceira Revolução Industrial, o uso sustentável do transporte público é um dos pilares do desenvolvimentos das cidades sustentáveis. “Não se pode adensar pessoas em uma área sem pensar na sua mobilidade pelo transporte público de qualidade”, afrimou durante sua palestra no fórum.

Informações: Bahia Todo Dia

READ MORE - Ônibus elétricos serão testados em Salvador no mês de setembro

BRT se consolida como um dos meios de transporte mais eficientes do mundo

Cotado por especialistas como uma das melhores saídas para evitar que o trânsito das grandes metrópoles chegue ao colapso, o BRT (Bus Rapid Transit) foi adotado em 35 países e em 14 cidades brasileiras, inclusive no DF, onde 220 mil pessoas deverão ser transportadas diariamente.

“O BRT é uma boa oportunidade de transporte coletivo, que tem por objetivo transportar o maior número de pessoas de forma racionalizada. É um sistema que se adequa bem a uma demanda relativamente alta e que poderá amenizar o trânsito que temos”, analisou o especialista em transporte, Paulo César Marques.

O projeto do BRT do DF (Expresso DF) terá 43,5 km de extensão e usará tecnologia de ponta, semelhante à empregada no Rio de Janeiro e São Paulo e em países como Japão, Alemanha, Chile e Estados Unidos.

De acordo com Marques, entre as melhorias que este modelo proporciona à população está a maior rapidez nos deslocamentos, uma vez que a quantidade de veículos nas ruas será reduzida com a oferta de transporte público de qualidade.
Na capital federal, esse sistema, assim como ocorreu em outras cidades, ajudará a desafogar o trânsito durante os deslocamentos entre Santa Maria/Gama e o Plano Piloto.

BENEFÍCIOS – Dados da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) revelam que, em média, um ônibus comum comporta até 80 passageiros, quantidade que substitui 50 automóveis ou 70 motocicletas. Os do BRT, por sua vez, chegam a carregar até 270 passageiros.

“A implantação de sistemas BRT com serviços mais rápidos e de maior qualidade iria, sem dúvida, atrair usuários de carros e motos. Essa seria uma forma, relativamente rápida, de promover, com baixo custo, melhorias no trânsito”, ressaltou o diretor administrativo e institucional da NTU, Marcos Bicalho.

Ao mesmo tempo em que acontece a diminuição de veículos nas ruas, a tendência é que os engarrafamentos sejam reduzidos e que a população ganhe mais tempo em seus deslocamentos.

O sistema BRT também afeta positivamente o meio ambiente, já que atualmente 30% dos deslocamentos são feitos em meios motorizados, que ocupam 70% das vias de circulação e comprometem, de forma significativa, a qualidade do ar com a emissão de uma série de poluentes.

“Para que tenhamos uma solução adequada para o trânsito e o meio ambiente, principalmente nos centros urbanos, é preciso estimular a população a usar o transporte coletivo. Paralelamente, é preciso oferecer melhores condições no transporte coletivo por ônibus, implantando os sistemas BRT”, defendeu Bicalho.

EXEMPLOS – As cidades brasileiras que contam com esse meio de transporte em operação, conforme levantamento da NTU são Goiânia, Uberlândia, Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo.

No total, as 14 cidades do Brasil contam com 32 projetos do BRT e somam 554,4 km de extensão de corredores adaptados à operação dos ônibus desse serviço.

Na capital carioca, o primeiro dos quatro trechos implantados na cidade completou, em junho, um ano em operação, e o saldo, segundo o subsecretário municipal de Transportes, Carlos Eduardo Maiolino, é positivo.

“O BRT é uma das grandes apostas do governo, e vemos que a expectativa foi superada. Planejávamos transportar 100 mil pessoas por dia, em um trecho de 45km, e hoje, em funcionamento, transportamos 120 mil. Temos uma demanda 20% a mais”.

O trecho em funcionamento -TransOeste- liga as bairros de Santa Tereza (Zona Central) à Barra da Tijuca (Zona Oeste), percurso que, antes do BRT, era realizado em até 2h30 e que agora leva apenas 1h.

De acordo com o subsecretário, outras três linhas serão construídas na cidade até 2016, quando 150km de corredores exclusivos serão conectados.

Ele destaca que o BRT é superior a outros formatos de transporte coletivo: “A primeira escolha do usuário é o tempo de viagem, seguido da confiabilidade do sistema, além do conforto. Hoje temos quatro milhões de viagens de ônibus por dia, e o BRT é, sem dúvida, uma das melhores opções”.

Em nível mundial, 35 países utilizam essa tecnologia -nove deles na América Latina-, com destaque para a Cidade do México, que teve o BRT inaugurado em 2005 com a promessa de melhorar a mobilidade de 20 milhões de habitantes da área metropolitana.

O resultado desse investimento do governo mexicano foi satisfatório, de acordo com a empresa responsável pela operação do serviço, e atualmente transporta 120 mil passageiros diariamente, em 67km de faixas exclusivas, que é atendida com um ônibus a cada 1,8 minutos.

Istambul, na Turquia, também é outra cidade que apostou, desde 2007, o BRT como forma de amenizar o caos no trânsito.

Na maior cidade turca são transportados 600 mil passageiros por dia, em 42km de corredor e com 33 paradas, numa operação que conta com um ônibus a cada 60 segundos.

De volta à América Latina, Bogotá, na Colômbia, tem o sistema desde 2000, que transporta 1,690 milhões de passageiros diariamente, em 84km de extensão e 114 paradas.

A média de espera pelos ônibus é de 63 segundos e cada veículo transporta, em média, 1,5 mil pessoas por dia, segundo informações do operador do sistema colombiano.

Informações: Gov. DF
READ MORE - BRT se consolida como um dos meios de transporte mais eficientes do mundo

Curitiba terá centro de pesquisa em mobilidade urbana

A Prefeitura de Curitiba irá integrar um centro de excelência em mobilidade urbana, que está sendo montado para desenvolver pesquisas e buscar soluções inovadoras nas áreas de mobilidade e transporte público. O prefeito Gustavo Fruet assinou um termo de cooperação e intercâmbio científico e tecnológico com a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e a Pontifícia Universidade Católica (PUC) para a integração a esse centro, que terá a participação da Urbs.

Participaram da assinatura do convênio, no gabinete do prefeito, o reitor da UFPR, Zaki Akel Sobrinho; o vice-reitor da PUC, Paulo Mussi Augusto, o secretário de Governo, Ricardo Mac Donald Ghisi, e o presidente da Urbs, Roberto Gregorio da Silva Junior.

A assinatura do acordo tem como objetivo o envolvimento da universidade na busca por soluções para a área de mobilidade. “O que nós pretendemos é desenvolver soluções e inovações para a melhoria do serviço de transporte coletivo e outros serviços que a cidade utiliza. Para isso reunimos as principais instituições de ensino, com tradição neste segmento, para iniciar a configuração deste projeto”, declarou Roberto Gregório .
O acordo prevê o desenvolvimento de projetos de pesquisa, envolvendo alunos de graduação e pós-graduação e pesquisadores das duas universidades, que trabalhão de acordo demandas da Prefeitura. “A Urbs irá funcionar como elemento indutor. Primeiro oferecendo os problemas, os desafios para a academia desenvolver. Queremos ser o grande campo de testes e de aplicações destas inovações, no sentido de manter Curitiba na vanguarda dos avanços na área de mobilidade urbana”, disse Roberto Gregorio.

O reitor da UFPR, Zaki Akel Sobrinho, disse que a universidade está aberta para cooperar com a Prefeitura. “A partir das demandas que forem surgindo, vamos construir projetos específicos, termos de cooperação pontuais, com recursos e a estrutura de pesquisa da universidade. É com estes núcleos que, a partir de agora, nós vamos trabalhar, de forma integrada com a Urbs e a PUC”, disse.

O centro de excelência em mobilidade urbana irá funcionar dentro do Tecnoparque, um complexo de empresas de tecnologia, existente na Pontifícia Universidade Católica. 

Segundo o vice-reitor da PUC, Paulo Mussi Augusto, embora o centro seja especificamente voltado para a mobilidade, outros setores devem se envolver no projeto. “Nós temos a necessidade que outros setores da universidade se envolvam na busca de soluções inovadoras para esta área, entre eles, a área de transporte, de informática, de gestão”, comentou.

A Câmara Municipal aprovou um projeto de lei que amplia os benefícios fiscais do Programa Tecnoparque para toda a área do município de Curitiba.

Informações: Prefeitura de Curitiba
READ MORE - Curitiba terá centro de pesquisa em mobilidade urbana

BRTs de Porto Alegre só ficarão prontos depois da Copa

O sistema de ônibus de trânsito rápido (BRT, na sigla em inglês) de Porto Alegre não ficará pronto até a Copa do Mundo de 2014. O atraso foi admitido nesta terça-feira (23) pelo presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari.  

Segundo Cappellari, o sistema só entrará em operação entre os meses de julho e agosto de 2014, após a realização do Mundial na capital gaúcha. A intenção era que pelo menos a linha do BRT na Zona Sul ficasse pronta até o evento, no entanto, a Fifa vai usar a Avenida Padre Cacique no sentido centro-bairro para a colocação de estruturas provisórias.

“O trânsito vai ficar bloqueado por no mínimo 58 dias no sentido centro-bairro na Avenida Padre Cacique. Será preciso fechar a avenida 15 dias antes da Copa para a colocação de toda a estrutura e 10 dias depois da Copa para a retirada das instalações. Tivemos que reorganizar todo o sistema e estamos planejando implantar a linha BRT na Zona Sul entre os meses de julho e agosto do ano que vem”, disse Cappellari ao G1.

O presidente da EPTC explicou que as linhas que passam pela Avenida Padre Cacique utilizarão a Avenida Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio) para ir até o Centro. Serão colocadas também linhas especiais do Aeroporto Salgado Filho até o terminal que será construído no Viaduto Dom Pedro I (na esquina da Rua José de Alencar com a Avenida Padre Cacique).

“Porto Alegre é a sede onde as pessoas irão desembarcar mais perto do estádio. No terminal que será construído no Viaduto Dom Pedro I também desembarcarão pessoas que vêm dos estacionamentos conveniados. Como a PUC, por exemplo. As pessoas poderão deixar o carro estacionado na PUC e pegar uma linha que o levará até praticamente a porta do estádio”, acrescenta Cappellari.
A secretaria municipal de Obras e Viação de Porto Alegre, responsável pela fiscalização das obras executadas pelas empresas que constroem os corredores de ônibus para o sistema BRT (Bus Rapid Transit), divulgou um balanço parcial sobre a situação das três frentes de trabalho.  Dos três corredores previstos na Matriz de Responsabilidades da Copa, o da avenida Bento Gonçalves está mais avançado, com 85% da obra concluída. Confira o detalhamento:

BRT João Pessoa

Trecho: entre a avenida Bento Gonçalves e a rua Desembargador André da Rocha.
Comprimento: 3.346 metros.
Largura: duas faixas de 3,50 metros (corredor de ônibus).
Trecho atual: avenida João Pessoa, entre a Venâncio Aires e a rua Otávio Correa; avenida Azenha, entre a Praça Piratini e Prof. Freitas e Castro, rua Vicente da Fontoura e rua Domingos Crescêncio; rua Freitas e Castro até a Praça Piratini.
Investimento: R$ 5.310.565,27.
Início: 28 de Setembro de 2012.
Previsão de conclusão: 12 meses.
Empreiteira: Consórcio Giovanella e Construtora Brasília-Guaíba.
Percentual atual de execução da obra: 35%.

BRT Protásio Alves

Trecho: rua Saturnino de Brito até a rua Sarmento Leite.
Comprimento: 6.850 metros.
Largura: duas faixas de 3,50 metros (Corredor de ônibus).
Trecho atual: São Manoel e Ramiro Barcelos; Ramiro Barcelos e João Telles; João Telles e Garibaldi e Garibaldi a Paulo Gama.
Investimento: R$ 15.240.010,67.
Início: 12 de Março de 2012.
Previsão de conclusão: 18 meses.
Empreiteira: Consórcio Contepa (Conpasul e Sultepa)
Percentual atual de execução da obra: 65%.

BRT Bento Gonçalves

Trecho: avenidas Antonio de Carvalho e Princesa Isabel.
Comprimento: 5.955 metros.
Largura: duas faixas de 3,50 metros (corredor de ônibus).
Trecho atual: Estação Sanatório, Evangelina Porto e Juarez Távora, Barão do Amazonas e Paulino Azurenha, Portuguesa e Barão do Amazonas, Verissimo Rosa e Paissandu, Gonçalves Ledo e Luiz de Camões, Princesa Isabel e Domingos Crescêncio, Domingos Crescêncio e Vicente da Fontoura, Vicente da Fontoura e Teixeira de Freitas.
Investimento: R$ 13.976.983,83.
Início: 14 de Março de 2012.
Prazo: 18 meses.
Empreiteira: Consórcio Contepa (Conpasul e Sultepa)
Percentual atual de execução da obra: 85%.

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre

READ MORE - BRTs de Porto Alegre só ficarão prontos depois da Copa

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960