Obra do terminal de ônibus de Porto Velho continua parada

quarta-feira, 24 de outubro de 2012


Mais de nove meses após a retirada de comerciantes da Rua Euclides da Cunha, no centro de Porto Velho, para as obras do terminal de transporte público, a construção ainda não foi iniciada. Os comerciantes foram remanejados para um shopping popular na mesma região, mas reclamam do baixo movimento. Os usuários de coletivos continuam sem abrigos nas paradas de ônibus no local.

Há cerca de quatro meses, a Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (Semtran) deu o prazo máximo de 90 dias para finalização do processo licitatório e início das obras, responsabilizando, ainda, o Consórcio Guaporé, formado pelas empresas de transporte coletivos da capital, pelo atraso. O consórcio, por sua vez, passou a responsabilidade para a Semtran.

A proprietária de um salão de beleza, Francisca das Chagas, possuía um ponto na Rua Euclides da Cunha, na parte que foi desocupada pela prefeitura e reclama do baixo movimento no shopping popular, para onde foi transferida.  “A rua foi vedada, nos três primeiros meses o movimento caiu 80%, não dava pra tirar nem o do aluguel”, afirma a cabeleireira.

No local desocupado, motoristas utilizam o espaço como estacionamento e não há nenhum sinal do início da obra. “Até hoje não vimos descarregar um saco de cimento aí, tá tudo parado, acumulando lixo”, reclama Francisca.

A comerciante Delicia Vidal, que também possuía um ponto na rua que foi desocupada e reclama da falta de abrigos nas paradas de ônibus na região. “Os [abrigos] que tem, não protegem nada, nem sol, nem chuva”, reclama Vidal, completando que, com a construção do terminal acreditava que a situação do transporte melhoraria, “mas até agora só ficou na promessa”, finaliza.

READ MORE - Obra do terminal de ônibus de Porto Velho continua parada

Estação do metrô de Fortaleza no Centro é inaugurada

A estação São Benedito do Metrô de Fortaleza, no Centro da cidade, foi inaugurada na manhã desta quarta-feira (24). Com a nova estação, o metrô faz rotas de Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza, à Avenida Tristão Gonçalves.
Foto: André Teixeira
O metrô chegou até a estação São Benedito pela primeira vez com passageiros nesta manhã. Da estação anterior, no Bairro Benfica, o trajeto leva cerca de um minuto. “Preservem esse metrô, que ele é de vocês. Com esse equipamento vamos ajudar a desafogar a mobilidade urbana na cidade”, afirmou Domingos Filho, governador do Ceará em exercício.

Metrô de Fortaleza funciona em fase de teste sem cobrança de bilhete, das 8h às 12h, de segunda-feira a sexta-feira. Outras duas estações devem ser inauguradas em 2013, que vão completar a linha Sul do Metrofor. Quando estiver concluído, o trecho total da linha será de 24 quilômetros.

Informações: G1 Ceará

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Estação do metrô de Fortaleza no Centro é inaugurada

Estação do metrô de Ipanema será fechada por dez meses após carnaval

A estação General Osório, em Ipanema, será fechada logo após o carnaval de 2013, por um período de dez meses, para a realização das obras de construção da Linha 4 do metrô, que ligará a Zona Sul à Barra da Tijuca, na Zona Oeste. Já a estação Cantagalo, em Copacabana, ficará interditada após a folia, por 15 dias, pela mesma razão. As informações são do Consórcio Linha 4 Sul, responsável pelas obras do metrô na Zona Sul, entre Ipanema e Gávea.
De acordo com o consórcio, haverá essas interdições porque, "para garantir a conexão entre as linhas 1 e 4 sem transbordo, será necessário construir um túnel de interligação entre as estações Cantagalo, em Copacabana, e General Osório, em Ipanema".

Após sua construção, a estação General Osório passou a ser ponto de integração para os bairros da Gávea, na Zona Sul, e da Barra da Tijuca, na Zona Oeste. Mas, de acordo com o consórcio, os passageiros não precisam se preocupar, já que a MetrôRio - concessionária que administra o metrô na cidade - criou um plano especial de operação dos ônibus de integração para o período de obras. Com isso, o ponto de integração voltará a ser na estação Siqueira Campos, em Copacabana - como era feito antes da inauguração da estação General Osório.

Conclusão das obras prevista para dezembro de 2015
"O atual intervalo de 4 minutos entre as partidas dos ônibus de integração será reduzido para 3 minutos, com aumento da rota de 15 para 23 veículos. Os coletivos partirão da Estação Siqueira Campos durante o horário de funcionamento do metrô (de 5h a 0h, de segunda a sábado; e de 7h às 23h, aos domingos e feriados)", afirma o Consórcio Linha 4 Sul.

Ainda de acordo com o consórcio, "as obras foram iniciadas em junho de 2010 pela Barra da Tijuca serão concluídas em dezembro de 2015, quando a nova linha entrará em fase de testes".

Na Zona Sul, serão construídas quatro novas estações - Nossa Senhora da Paz, em Ipanema; Jardim de Alah e Antero de Quental, no Leblon; e Gávea – além de um túnel subterrâneo da Gávea à Praça General Osório. Além disso, serão construídas mais duas estações: São Conrado e Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca.

Segundo o consórcio, todas elas serão inauguradas em dezembro de 2015 e entram em operação simultaneamente em meados de 2016.

Informações: G1 Rio

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook

Mapa 1 Jardim de Alá (Foto: Editoria de Arte) (Foto: Editoria de Arte/TV Globo)

Estas são as interdições:
Mapa 2 Antero de Quental (Foto: Editoria de Arte)(Foto: Editoria de Arte/TV Globo)
Mapa 3 Nossa Senhora da Paz (Foto: Editoria de Arte) (Foto: Editoria de Arte/TV Globo)
Mapa 4 Ataulfo de Paiva antes (Foto: Editoria de Arte) (Foto: Editoria de Arte/TV Globo)
Mapa 5 Ataulfo de Paiva depois (Foto: Editoria de Arte) (Foto: Editoria de Arte/TV Globo)

READ MORE - Estação do metrô de Ipanema será fechada por dez meses após carnaval

Cidades de Gravataí e Cachoeirinha na Grande Porto Alegre ganharão corredores de ônibus na Flores da Cunha


Toda a discussão em torno do Plano Setorial da Avenida Flores da Cunha, que derrubou a possibilidade de haver um corredor de ônibus, caiu por terra na última segunda-feira (21) quando a secretaria do Planejamento, Gestão e Participação Cidadã do Estado apresentou o projeto à diretoria de Mobilidade do Ministério das Cidades criando os corredores metropolitanos. O projeto foi elaborado pelo governo do Estado e faz parte da complementação da obra do metrô em Porto Alegre

Gravataí terá 8,8 quilômetros de corredor e Cachoeirinha, 4,6. Esse corredor será ligado ao da Assis Brasil, numa extensão de dois quilômetros, da ponte até a estação do metrô nas proximidades da Fiergs. O investimento total na Região Metropolitana será de R$ 317,7 milhões e caberá aos municípios R$ 35,3 milhões. . Motoristas, contudo, vão passar novamente por transtornos com obras de preparação da pista exclusiva para os ônibus.

A proposta de um corredor de ônibus na Flores a Cunha não é nova. Há alguns anos foi apresentado o projeto da Linha Rápida, do Governo do Estado. A terceira ponte construída no acesso à cidade faz parte deste projeto.

Na época, entidades empresariais e comerciantes foram contra temendo haver prejuízos enormes para o comércio como ocorrer nas regiões onde corredores foram construídos em Porto Alegre.  Durante o projeto do Plano Setorial da Flores da Cunha, essa possibilidade foi apresentada e descartada nas audiências púbilicas por uma posição contrária dos empresários. Desta vez, a determinação vem de cima e como faz parte do projeto do metrô será muito difícil impedir a construção. 

O projeto será apresentado em audiências públicas em dezembro nas cidades de Cachoeirinha, Gravataí, Alborada, Viamão, São Leopoldo, Cachoeirinha, Novo Hamburgo, Sapucaia do Sul e Esteio.

Por Roque Lopes | ClicTribuna

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Cidades de Gravataí e Cachoeirinha na Grande Porto Alegre ganharão corredores de ônibus na Flores da Cunha

Obra de implantação do VLT, altera rota do transporte coletivo em Várzea Grande

Moradores do bairro da Manga, em Várzea Grande, estão dependendo dos serviços de transporte alternativo, disponibilizados pelo Consórcio VLT Cuiabá – responsável pelas obras de implantação do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) na Grande Cuiabá – para fazerem uso do transporte coletivo.
Thiago Bergamasco/MidiaNews
A medida, tomada pelo consórcio em parceria com a Secopa (Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo), teve início na semana passada, quando, devido às obras da Copa do Mundo de 2014 que acontecem na Avenida da FEB, o transporte coletivo precisou sofrer mudanças em seu itinerário.

Agora, os ônibus passam pelo desvio oficial montado pelo consórcio e aprovado pela Prefeitura de Várzea Grande.

De acordo com o secretário da Copa, Maurício Guimarães, a mudança foi necessária para manter a segurança dos operários que trabalham nas obras e dos motoristas que trafegam pela principal via de ligação entre a Cidade Industrial e a Capital.

“Fizemos a experiência e por uma questão de segurança não foi possível manter os ônibus de transporte coletivo trafegando na FEB. Eles tiveram que ser desviados pela rota oficial aprovada pela Prefeitura”, afirmou Guimarães.

Parte da pista que faz o sentido Várzea Grande-Cuiabá teve o acesso bloqueado há 60 dias, mas os ônibus ainda trafegavam por parte da via e os motoristas ainda saiam da rota de desvio oficial montada pelo Consórcio VLT Cuiabá e utilizavam um caminho alternativo, por dentro do bairro da Manga, saindo nas ruas laterais para acessar a Avenida da FEB. Agora, isso não pode mais ser feito, devido ao estágio da obra.

Rota do transporte coletivo

Uma rota circular com transporte alternativo (micro-ônibus) foi criada para atender ao “bolsão de usuários” que ficaram sem atendimento do transporte coletivo no bairro da Manga. Esses micros são responsáveis, agora, por transportar os usuários até a linha do ônibus oficial.

O ponto de referência para quem quiser pegar o micro é o cruzamento das ruas Irmã Elvira e Ari Paes Barreto, com sentido à Rua Izabel Pinto.

No trajeto, o circular passa pelas ruas Ministro Mario Machado, Gonçalo Botelho, Travessa Barnabé e Rua Alves de Oliveira.

Para retorno ao bairro da Manga, o ponto de referência é a Rua Alves de Azevedo, por onde o microônibus passa.

Desvio oficial

O consórcio definiu como rota de desvio que os motoristas sigam pela Avenida 31 de Março até a Rua Isabel Pinto, seguindo nessa via até o encontro com a Avenida Dom Orlando Chaves, no bairro Cristo Rei.

Em seguida, os motoristas deverão acessar o trecho da Avenida Sebastião Oliveira-Doutor Paraná, que dá acesso à Ponte Sérgio Mota.

Quem quiser retornar à Avenida da FEB deverá seguir pela Alameda Júlio Müller, às margens do Rio Cuiabá. Aqueles que quiserem seguir para Cuiabá poderão acessar a Avenida Beira-Rio, pela Ponte Sérgio Motta.

Por Lislaine dos Anjos / Mídia News

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Obra de implantação do VLT, altera rota do transporte coletivo em Várzea Grande

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960