Em São Luís, Greve de ônibus continua e população vai ficar sem ônibus pelo 5º dia seguido

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Após nova reunião realizada na sede da OAB-MA, não houve acordo entre o Sindicato das Empresas de Transporte de São Luís (SET) e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Maranhão (STTREMA). Com isso, a greve do transporte coletivo, que já tem duração de quatro dias, continuará nesta sexta-feira (25). As negociações continuarão nesta sexta, em local e horário ainda a definir.

Em reunião que durou cerca de quatro horas, estiveram presentes os presidentes José Medeiros (SET), Dorival Silva (STTREMA) e Mário Macieira (OAB-MA), além de alguns vereadores. Apesar de obterem alguns avanços nesta reunião, não houve nova proposta do SET e o sindicato dos rodoviários manterá a greve, que completa amanhã seu quinto dia.

Multa ao sindicato aumenta
Em nota, a presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão, desembargadora Ilka Esdra Silva Araújo, aumentou para R$ 80 mil ao dia a multa a ser aplicada ao Sindicato das Empresas de Transportes (SET). Essa decisão visa inibir as atitudes que adiem o cumprimento da decisão, como a disponibilização de frota de veículos, além da exigência de tempo de experiência prévia a três anos para a contratação de substitutos para a função.

Além disso, a desembargadora encaminhou ofício à Polícia Federal pedindo a abertura de inquérito para apuração de crise de desobediência à ordem judicial pelo sindicato patronal e pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário de São Luís. Com a greve completando quatro dias, está sendo feita diariamente a execução das multas aplicadas aos sindicatos pela suspensão dos serviços. A decisão será comunicada à Polícia Federal, ao Ministério Público Federal, bem como ao Ministério Público Estadual e à Procuradoria do Município.

SET anuncia seleção para motoristas e cobradores nesta sexta
A partir das 8h desta sexta-feira (25), o SET selecionará motoristas e cobradores de ônibus para encaminhá-los a processo de seleção nas empresas filiadas ao sindicato, já que as mesmas estão em processo de contratação imediata desses profissionais.

Os interessados devem comparecer à sede do SET, na Rua Barão de Bagé, nº 11, Apicum, munidos dos documentos necessários: RG, CPF, carteira de trabalho, carteira de motorista e currículo.

Fonte: Imirante.com

READ MORE - Em São Luís, Greve de ônibus continua e população vai ficar sem ônibus pelo 5º dia seguido

Paralisação parcial de ônibus em Osasco afetou 250 mil pessoas

Cerca de 250 mil moradores de Osasco, município da Grande São Paulo, ficaram sem transporte na manhã desta quinta (24). Os motoristas da Viação Osasco, empresa responsável por linhas de ônibus que ligam a cidade à capital e a municípios da região, entraram em greve. Nenhum dos 550 ônibus da empresa saiu das garagens.

Aproximadamente 10% dos funcionários da empresa Urubupungá, que também atende à região, chegaram a aderir a greve, no final da madrugada, mas em uma assembleia realizada por volta das 8h, no Sindicato dos Condutores de Osasco e Região, decidiram retornar às atividades. Neste momento, já trabalham normalmente. Funcionários de outras empresas responsáveis por linhas que atendem à região de Osasco também participaram da assembleia e optaram por não aderir à greve.

Segundo o presidente do sindicato, Antônio Alves, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) havia determinado que não ocorresse a paralisação total e que fossem mantidos 100% do efetivo operando nos horários de pico, além de 80% no restante do dia. O TRT determinou multa de R$ 80 mil por dia em caso de descumprimento da decisão. Uma audiência de conciliação está marcada para hoje às 14h no tribunal.

Os trabalhadores reivindicam um aumento de 15%, vale-refeição de R$ 18 e Participação nos Lucros e Resultados (PLR) de R$ 1,2 mil. “A empresa ofereceu apenas 7% de aumento, uma PLR de R$ 550 e um aumento no vale-refeição de R$ 1”, informou Alves.

Informações: Rede Bom Dia

READ MORE - Paralisação parcial de ônibus em Osasco afetou 250 mil pessoas

Na Grande Florianópolis, Motoristas e cobradores decidem entrar em greve a partir de segunda-feira

Os trabalhadores do transporte coletivo da Grande Florianópolis decidiram, por unanimidade, entrar em greve por tempo indeterminado a partir da 0h próxima segunda-feira, após se reunirem em três assembleias, nesta quarta-feira.

Ao todo, serão cerca de 5 mil cobradores e motoristas parados. Um comunicado será entregue nesta quinta-feira à prefeitura pelo Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano (Sintraturb), para oficializar o aviso de greve com 72h de antecedência, conforme prevê a lei.

Diante do alerta, a prefeitura assegurou que vai acionar imediatamente a Justiça do Trabalho para garantir que um contingente mínimo de ônibus continue a circular na cidade — 30% nos horários normais e 70% nas horas de pico.

O motivo da greve é o impasse entre trabalhadores e empresários nas negociações por redução da jornada de trabalho e aumento salarial, que são as principais reivindicações na pauta deste ano.

Na segunda assembleia realizada nesta quarta-feira no Terminal de Integração do Centro (Ticen), em Florianópolis, trabalhadores do transporte coletivo da Grande Florianópolis decidiram novamente por entrar em greve.

No primeiro encontro, pela manhã, a categoria já havia decidido pela paralisação, com decisão unânime dos cerca de 600 profissionais que compareceram, segundo o secretário de comunicação do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo Urbano (Sintraturb), Antônio Carlos Martins.
Impasse com empresas de ônibus:
Na última segunda-feira, a rodada de negociações entre trabalhadores e empresas de ônibus terminou sem avanços. Na ocasião, a categoria já havia anunciado a possibilidade de greve.

O presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Florianópolis (Setuf), Waldir Gomes, argumentou que as propostas para jornada de trabalho e aumento salarial são impraticáveis.

— Se eles entrarem em greve, vamos deixar a Justiça decidir — alega o presidente, que descarta a possibilidade de greve esta semana, já que a categoria precisa alertar a sociedade 72h antes, conforme prevê a legislação.

Principais reivindicações
:: Aumento salarial com base no INPC e mais 5%.
:: Redução da jornada de trabalho de 6h40min para 6h.

O que diz o Setuf
:: A redução da carga horária é inviável, pois exigiria a contratação de mais funcionários e as empresas não podem arcar com o custo.
:: A prefeitura já sinalizou que não vai mais autorizar aumento de tarifa.


READ MORE - Na Grande Florianópolis, Motoristas e cobradores decidem entrar em greve a partir de segunda-feira

No Recife, Prazo de validade da Carteira de Estudante 2011 vence em junho

Os alunos da rede de Educação Infantil; ensinos Fundamental, Médio, Profissionalizante e Pré-Vestibular de toda a RMR, que desejam receber a Carteira de Estudante deste ano antes do vencimento da versão 2011, em 30 de junho, devem emitir e pagar o boleto até o dia 30 de maio. Isso porque o Grande Recife precisa de 30 dias corridos para confeccionar o documento de 2012, cuja responsabilidade de entrega cabe às escolas.

Das 244 mil carteiras solicitadas até o momento, 184 mil já foram entregues às instituições de ensino. Outras 25 mil já estão prontas aguardando o resgate; e 35 mil estão em fase de confecção. O número de boletos emitidos e não pagos é de 40 mil. Portanto, o Consórcio reforça aos alunos e responsáveis que fiquem atentos com os prazos e cobrem das escolas o resgate dos documentos.

Em fevereiro de 2012, os estudantes ganharam a possibilidade de solicitar a Carteira de Estudante pela internet, através do sistema Carteira Fácil. A ferramenta tem como objetivos agilizar o processo de produção do documento. O Grande Recife informatizou o processo, antes feito de forma manual. A mudança acarretou uma economia de tempo e redução da burocracia na emissão da carteira.
SOLICITAÇÃO – Para solicitar a Carteira, os estudantes devem acessar o site www.granderecife.pe.gov.br, e clicar no espaço “Carteira Fácil”, que dará acesso ao link “Acesso para o Estudante”. Nesta página, o aluno digitará o seu nome completo, nome da mãe (não obrigatório) e data de nascimento. Caso o cadastro esteja correto ele visualizará as informações que constarão na carteira, além d a foto que seguirá anexada.

Em seguida, o sistema irá gerar um boleto bancário, que poderá ser impresso pelo próprio aluno, a ser pago na Caixa Econômica Federal (Rede Lotérica, Internet, Auto Atendimento e Correspondente Caixa Aqui). Após o pagamento, o Grande Recife solicita automaticamente a produção da carteira, que ficará pronta em até 30 dias corridos. A taxa é de R$ 9,00.

Dúvidas e reclamações podem ser feitas pela Central de Atendimento ao Cliente no número 0800.081.0158. Caso necessário, os alunos também podem dirigir-se a Gerencia Comercial do Consórcio, na Avenida Agamenon Magalhães, 143, das 8h às 16h.

Dados:
•Carteiras Solicitadas – 244 mil
•Carteiras entregues – 184 mil
•Carteiras aguardando resgate das escolas – 25 mil
•Carteiras em confecção – 35 mil
•Boletos emitidos e não pagos – 40 mil

Informações: GRCT

READ MORE - No Recife, Prazo de validade da Carteira de Estudante 2011 vence em junho

Greve de ônibus continua em 100% em Salvador e São Luís

Duas capitais do País continuam sem transporte rodoviário por causa da greve dos trabalhadores. Em São Luís, no Maranhão, e Salvador, na Bahia, a paralisação é de 100%.

A greve em Salvador começou nesta quarta-feira. Além da capital, o movimento atinge todo o Estado baiano. Na sessão de conciliação desta quinta-feira ficou definido que os dissídios de greve envolvendo os rodoviários intermunicipais e de Salvador serão julgados conjuntamente nessa sexta-feira, às 14h, na sala de sessões plenárias, na sede do Tribunal Regional Eleitoral (TRT), em Nazaré. A relatora é a desembargadora Graça Boness e a reunião das ações foi determinada em audiência em razão da similaridade das matérias.

Foto: Gildo Lima/Futura Press

Desde o início da paralisação, a Polícia Militar da Bahia montou um esquema especial com efetivos na porta das 18 garagens instaladas na capital e região metropolitana para garantir a segurança da frota de ônibus que venha a circular. Até o momento, segundo a assessoria de imprensa do órgão, não foi registrado incidente. A operação cumpre decisão judicial dada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Estado.

Na segunda-feira, uma liminar judicial determinou que os trabalhadores de Salvador mantivessem rodando 60% do efetivo de ônibus nos horários de 5h às 8h e 17h às 20h. No restante do tempo, deveria ter 40% do efetivo de transporte público. Em caso de descumprimento da medida, seria aplicada multa diária de R$ 50 mil.

Os funcionários querem 13,8%, entre 8% de ganho real e o restante de acumulados da inflação desde o último aumento. Também pedem o retorno do pagamento aos funcionários das empresas a cada 15 dias, fim da terceirização do trabalho de motoristas e cobradores e também a redução da jornada de trabalho de 7h para 6h. Por fim, os rodoviários querem que o plano de saúde Mastermed seja substituído.

São Luís: 4º dia sem ônibus
Em São Luís, a população enfrenta o seu 4º dia sem transporte rodoviário. A greve começou no dia 15, com metade da frota de ônibus circulando pelas ruas. Desde segunda-feira, a paralisação passou a ser de 100%.

No início da semana, o Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão (TRT-MA) declarou a ilegalidade e abusividade da greve. Também determinou a aplicação de multa diária de R$ 40 mil contra o sindicato da categoria e autorizou os empresários a demitirem os grevistas por justa causa e contratarem outros trabalhadores.

Na mesma decisão, a desembargadora Ilka Araújo solicitou, junto à Polícia Federal, a instauração de inquérito para apuração do crime de desobediência à ordem judicial e perturbação da ordem pública.

Na semana passada, o TRT-MA concedeu, em sede de antecipação de tutela, reajuste salarial de 7% aos rodoviários e determinou a suspensão imediata da greve. A categoria, que pleiteia 16% de reajuste, recusou o valor.

Transporte ferroviário
Outras cinco capitais - Natal, Maceió, Recife, Belo Horizonte e João Pessoa - enfrentam problemas há nove dias com a greve dos funcionários da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). O serviço está sendo feito com 30% da capacidade e em horários especiais nos momentos de maior movimento.

Fonte: Terra Notícias

READ MORE - Greve de ônibus continua em 100% em Salvador e São Luís

Distrito Federal: Mobilidade urbana à beira de um colapso

A dois anos da Copa, as discussões sobre as ações necessárias para melhorar a mobilidade urbana nas cidades-sede não param de crescer. No Distrito Federal, quarta região mais populosa do país, os desafios são muitos. Como reduzir o caos instalado nas principais vias de acesso a Brasília, cada vez mais próximas da saturação? Como diminuir os transtornos à população? Como oferecer transporte coletivo de qualidade e diminuir os engarrafamentos?

Essas são perguntas que devem ser respondidas antes que o Distrito Federal entre em colapso no quesito mobilidade urbana. Um exemplo alarmante: um estudo encomendado pela Secretaria de Transportes, realizado no âmbito do Plano Diretor de Transporte Urbano e Mobilidade do DF e Entorno (PDTU), aponta que, até 2020, as principais ruas e avenidas de Brasília estarão tomadas por um número de carros superior àquele que as vias conseguem comportar.

Segundo o mapa (veja abaixo), que compara o sistema de transporte da capital em 2010 e 2020, as vias destacadas com a cor vermelha apresentam entre 80% e 100% de saturação. Dez anos depois, essa cor dá lugar ao preto e mostra que a maior parte das vias – Estrutural, Eixo Monumental e BR-040, por exemplo - estarão operando acima do limite de 100%, ou seja, o número de carros, ônibus, vans e motos no DF terá superado completamente a capacidade de absorção das ruas.

“O problema é resultado da forma como a cidade foi concebida, nos anos 50. A ocupação dos espaços obedeceu a uma concepção rodoviarista, de motorização”, explica à Agência CNT de Notícias o professor de Engenharia de Tráfego da Universidade de Brasília (UnB), Paulo César Silva. Segundo o especialista, apesar de a população ter se acostumado à dependência do automóvel, a mobilidade não pode ser baseada em soluções individuais. “As grandes cidades que adotaram o uso intensivo dos carros estão revendo essa possibilidade”, destaca.

De acordo com Silva, o maior problema do DF é ausência prolongada do estado no seu papel de administrador do sistema. “O caminho para buscar uma solução passa pela retomada do poder de gestão do estado, tanto no planejamento como no controle da operação. É preciso implantar sistemas de transporte coletivo eficientes, integrados e com tecnologia adequada a cada região, adaptados a cada tipo de demanda”, indica o professor.

E, se depender do governo federal, o caminho para diminuir o caos no trânsito pode ser mais difícil. Nesta terça-feira (22), entram em vigor as medidas de estímulo à economia adotadas pelo Ministério da Fazenda. Carros populares, modelos mais potentes e utilitários tiveram o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) reduzido. A medida, cuja intenção é retirar dos pátios das montadoras 360 mil veículos, vale até o final de agosto.


Transporte público coletivo
Diante do quadro preocupante, o subsecretário de Políticas de Transporte do DF, Luiz Fernando Messina, garante que o governo está adotando ações voltadas à modernização da estrutura viária e à melhoria do sistema de transporte. A principal delas, destaca, é um novo sistema de transporte público coletivo, cujo início das operações está previsto para o primeiro trimestre de 2013. Mas aí reside outro impasse: o processo licitatório está suspenso, desde a semana passada, pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF).

"O pedido não decorre de nenhuma irregularidade, são recomendações de caráter técnico. O Tribunal determinou que ajustássemos ou apresentássemos justificativas consistentes a alguns questionamentos”, afirma Messina. Segundo ele, a paralisação não vai acarretar mudanças significativas no novo modelo – ao invés das atuais linhas, será dividido por áreas de atuação -, que promete minimizar os transtornos dos passageiros e reduzir o número de automóveis em circulação.

Sobre as obras de infraestrutura para a Copa, o presidente da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Otávio Cunha, acredita que apenas o projeto do sistema de Transporte Rápido por Ônibus (BRT) ficará pronto no prazo. “No DF, uma das vantagens é que não há desapropriações a serem feitas, problema comum nas outras cidades”, explica. No caso do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e da expansão do metrô, ele é mais pessimista: “os projetos de trilhos estão momentaneamente paralisados e, mesmo que sejam ativados, não vai dar tempo”.

Soluções
Na avaliação da NTU, devem ser implantadas faixas seletivas para ônibus em todas as grandes avenidas e corredores que dão acesso a Brasília, a exemplo da W3 Sul e Norte. “Os ônibus terão mais velocidade, farão mais viagens, e a oferta do serviço será maior. A outra questão é operar com veículos de maior capacidade, para resolver a questão do custo. Essa seria uma solução viável para o BRT. As pessoas deixariam o carro em casa para utilizá-lo”, acredita.
A solução desse tipo de gargalo é fundamental para resolver o que o especialista em trânsito Paulo Cesar Silva, da UnB, considera “um dos piores sistemas de transporte público do país, em termos de atendimento à população”. Segundo ele, à medida que o serviço oferecido é ruim, aumenta o número de automóveis nas vias – atualmente a taxa de ocupação é de 1,2 pessoas/veículo. O ideal, diz, é buscar melhorias para a cidade, para quem reside nela todos os dias, além de pensar apenas no evento esportivo de 2014.

O GDF garante que está fazendo o “dever de casa” para melhorar a mobilidade urbana dos mais de 2,6 milhões de habitantes do Distrito Federal. Os recursos de R$ 2,2 bilhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Grandes Cidades, liberados recentemente pelo governo federal, serão aplicados, por exemplo, em expansão e modernização do metrô, melhorias no sistema de ônibus e construção de ciclovias e calçamentos para quem anda a pé.

Em relação aos pedestres, eles também devem ser prioridade quando o assunto é mobilidade, lembra Paulo Cesar. “A movimentação fica reduzida. Faltam calçadas e, no lugar onde elas existem, o caminho é irregular, descontinuado. Em um local onde prevalece o transporte motorizado, os percursos naturais do dia a dia são uma tortura”, afirma o professor da UnB.
Para os especialistas, as intervenções realizadas em função da Copa podem ser o incentivo que faltava para resolver os principais gargalos de mobilidade urbana do Distrito Federal nas próximas décadas. “Os investimentos que serão feitos começam a mudar essa regra. Faltavam projetos para a melhoria da mobilidade. Agora, nossa esperança é que eles sejam exitosos”, salienta Otávio Cunha, da NTU.

Fonte: Agência CNT de Notícias

READ MORE - Distrito Federal: Mobilidade urbana à beira de um colapso

Salvador terá mil ônibus novos até a Copa, após licitação do setor de transporte

Há mais de 50 anos o sistema de transporte público de Salvador opera de forma irregular. O serviço não é regulamentado e não há contrato de concessão.

As empressas de ônibus são permissionárias. Ontem à tarde, durante entrevista coletiva, o secretário José Mattos, da Secretaria Municipal dos Transportes Urbanos e Infraestrutura (Setin), anunciou a consulta pública do edital de licitação para o sistema, que permitirá a cidade ter mil ônibus novos circulando até a Copa de 2014. 

“No momento em que nós publicarmos o edital, nós damos 45 dias de prazo para que as empresas possam preparar as suas propostas para apresentar para prefeitura. A partir daí nós vamos ter o julgamento e, se correr tudo bem, se não houver nenhum recurso por parte das empresas que venham participar, nós acreditamos que teremos tudo pronto em 90 a 120 dias.

Aí assinaremos um contrato formal com as empresas ganhadoras deste processo. Ainda este ano elas poderão vir a operar. A nossa ideia é que haja a renovação da frota e que até a Copa do Mundo nós tenhamos, aproximadamente, mil ônibus novos em Salvador”, declarou, na oportunidade, José Mattos.
 
“Gradativamente, a cada ano, as empresas serão obrigadas a colocar ônibus novos, para que Salvador possa ter um equipamento de qualidade e conforto para a população”, acrescentou o secretário. A Licitação Pública do Sistema de Transporte Coletivo de Salvador decorre da Audiência Pùblica ocorrida em 08/02/2012, conforme determinação/orientação do Ministério Público Estadual. Hoje são cerca de 2.600 ônibus rodando em Salvador. Com a regulamentação do setor, mil coletivos considerados velhos serão retirados de circulação e substituídos por novas unidades.
Conforme o secretário, a ação do Setps – Sindicato das Empresas de Transportes – que trâmita na Justiça há alguns anos, já foi julgada e não cabem mais recursos por parte da prefeitura. “Esta ação impedia que a licitação fosse aberta. Nós estamos buscando  entendimento com o Setps, pra fazer um acordo na Justiça e, com isso, a gente possa liberar a possibilidade de licitar o sistema de trasnsporte público de Salvador. Nós temos a convicção e a certeza que este entendimento será feito nos próximos dez dias e a licitação sairá ainda no mês de junho”,  ressaltou José Mattos.
 
Com o serviço de transporte público regulado, a cidade será dividida em três áreas para exploração por parte das empresas vencedoras da licitação: as regiões do subúrbio, orla e da Paralela. “Vamos fazer uma ampla reformulação do sistema de transporte público e implantar vias exclusivas, inclusive na Vasco da Gama, onde estamos fazendo uma obra de macrodrenagem e, no futuro breve, teremos o sistema BRT, ligando a Estação da Lapa até o Iguatemi”, adiantou.  
 
Quanto à greve dos rodoviários, o secretário José Mattos, fez um apelo à categoria para que não sejam radicais, no descumprimento de uma determinação judicial, para que 60% da frota seja mantida no horário de pico e 40% nos horários de menor movimento. “Isto está acontecendo e nos entristece.

Eles têm o direito de greve, fazer paralizações, reivindicar, mas não têm o direito de prejudicar a população e não cumprir uma determinação da Justiça. A prefeitura não pode intervir porque esta é uma relação privada, entre empregado e empregador.

A nós cabe tentar mostrar que esta situação é de um serviço público essencial, que não pode sofrer descontinuidade por que representa um prejuízo incalculável, não só para a população como para a economia. Que eles cumpram a determinação judicial e continuem reivindicando e esperando que a Justiça defina e medie este impasse entre eles e os empregadores”, concluiu.
Fonte: Tribuna da Bahia
READ MORE - Salvador terá mil ônibus novos até a Copa, após licitação do setor de transporte

Após caos, linhas de Metrô e da CPTM voltam a funcionar em São Paulo

A circulação dos trens do metrô de São Paulo e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) está normal na manhã desta quinta-feira, um dia após o caos vivido pela população na manhã de ontem.
Governo considera 'nociva e inútil' greve dos metroviários
Com fim da greve, circulação do metrô de SP é normalizada
Jovem é atingida por pedra durante protesto
Os trens voltaram a funcionar por volta das 18h40 desta quarta-feira (23), horas depois que os funcionários decidiram aceitar a proposta da companhia e decretar o fim da greve.
As estações foram reabertas gradativamente. A paralisação parcial do metrô provocou tumultos e prejudicou o trânsito --que atingiu recorde histórico de congestionamento. À noite, o índice de congestionamento ficou dentro da média. O pico de lentidão foi registrado às 19h, com 118 km de filas, segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego).
Os metroviários aceitaram a proposta de reajuste de 6,17% do Metrô apresentada durante a audiência. O Metrô de São Paulo se comprometeu a não descontar do salário dos grevistas as horas não trabalhadas.
Inicialmente, o Metrô tinha oferecido reajuste de 4,65%, enquanto o sindicato pedia 20,12%.
Greve no metrô em São Paulo
Os metroviários ainda pediram para que a Justiça reconsidere a multa de R$ 100 mil, já que eles descumpriram a ordem judicial. Na audiência de ontem, a desembargadora Anélia Li Chum decidiu que, em caso de greve, os funcionários deveriam manter 100% do efetivo nos horários de pico (das 5h às 9h e das 17h às 20h) e 85% nos demais horários.
O caso ainda será julgado -- não há data prevista-- e, se a Justiça aplicar a multa pelo descumprimento da ordem, o sindicato diz que vai recorrer da decisão.
Funcionários das linhas 11 e 12 da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) também decidiram, na noite desta quarta-feira, voltar ao trabalho após audiência na Justiça do Trabalho.
As linhas 11-coral e 12-safira da CPTM ligam o centro de São Paulo a cidades da região metropolitana, passando pela zona leste. A proposta da empresa estabelece reajuste de 6,63% para a categoria e valei-refeição de R$ 20 por dia, entre outros pontos.

Fonte: Folha.com

READ MORE - Após caos, linhas de Metrô e da CPTM voltam a funcionar em São Paulo

No Rio, Transoeste vai mudar 26 linhas de ônibus comum

Passageiros de ônibus devem ficar atentos, pois com o corredor expresso de ônibus BRT Transoeste, que vai ligar Barra da Tijuca a santa Cruz e Campo Grande, 26 linhas municipais sofrerão alterações: cinco deixarão de existir e 21 terão o percurso reduzido, se transformando em 24 novas linhas alimentadores, que ligam diferentes trajetos às estações do BRT. Na primeira fase do projeto, que sairá do papel nas próximas semanas, só uma será extinta, outra adaptada e três itinerários novos, criados.

Folhetos com as novas regras e linhas já estão sendo distribuídos à população. A mudança será gradual. Mesmo com o corredor operando, antigos itinerários podem continuar por algumas semanas para que os passageiros se adaptem. Na primeira fase, deixa de existir a linha 882 (Santa Cruz-Barra). A atual 460S, que hoje sai de Itaguaí e vai até a Barra, só irá até Curral Falso, em Santa Cruz.

Motoristas continuam treinando o percurso da fase 1, entre Barra e Santa Cruz. Serão quatro fases, com aumento gradativo do trajeto, até chegar a Campo Grande. O ônibus BRT, com capacidade para 140 passageiros, quatro portas do lado esquerdo e sem roleta impressionou, até quem trabalha no projeto.

Carlos José Duarte, 23 anos, armador de ferragens da obra do Terminal Alvorada, ficou surpreso: “Nunca vi um ônibus desse, só na televisão”. O operário mora em Guaratiba e planeja usar o novo meio de transporte: “Não vejo a hora de sair de casa e poder vir para o trabalho de BRT, sem trânsito”.
Morador do Recreio, o estudante Bruno Álvares, 21, que também viu o novo ônibus passando pela Av. das Américas, ainda está na expectativa pelo novo serviço. “Prefiro esperar para elogiar. Espero que coloquem bastantes ônibus rodando”, torce.

Multas por trafegar em local proibido

Nesta terça-feira, primeiro dia de fiscalização para coibir o veículos pesados na pista central da Av. das Américas, entre a Av. Ayrton Senna e a Alceu Amoroso de Lima, 29 ônibus e caminhões foram multados em R$ 85,13. A proibição valerá para o Túnel da Grota Funda. Os limites de velocidade são: 70 km/h nas pistas laterais da Av. das Américas; 80 km/h nas centrais, entre o Canal de Marapendi e a Av. Alceu Amoroso Lima; e 80 km/h dali em diante.
Expectativa e orgulho de dirigir os veículos articulados
Quem está escalado para dirigir o novo ônibus não esconde o orgulho. O motorista Marcos Torres, 42 anos, está ansioso para começar a rodar de verdade. “É um marco na história do Rio. Vou contar a meus filhos e netos que fui uns dos primeiros a conduzir o ônibus. É preciso dirigir mais devagar”, explica ele. Os condutores terão microfone para comunicar emergências a um centro de controle e tela com a imagem de câmera externa que o ajudará a dar ré.

Motoristas de ônibus comuns estão com água na boca. “Dá vontade de dirigir. Fui motorista de articulado em São Paulo e fiquei com saudades”, admite Hélio Marcos Domingos, 49.

Confira como funciona o Ligeirão Transoeste clicando aqui.
MUDANÇAS IMEDIATAS
Na 1ª fase, uma linha será extinta, mas até a fase 4, cinco itinerários deixam de existir. São eles: 882 (Santa Cruz-Barra da Tijuca), 876 (Vila Kennedy-Alvorada), 877 (Campo Grande-Alvorada), 897 (Pingo D’Água-Alvorada) e SP870 (Praia do Cardo-Bangu).

PRÓXIMAS FASES
Outras 21 linhas de ônibus comum terão os seus trajetos reduzidos para se tornarem alimentadoras do sistema BRT. São elas: 857, 858, SV858, 870, SV870, 871, 872, 873, 883, 878, 891, 896, 387, 853, SV853, 854, SV854, 882, 460S, 855 e 879.

Fonte: O Dia Online

READ MORE - No Rio, Transoeste vai mudar 26 linhas de ônibus comum

Monotrilho e BRT de Manaus ainda não sairam do papel

A pouco mais de 24 meses da Copa do Mundo 2014, a execução das obras de mobilidade urbana em Manaus ainda não foi iniciada, segundo o Balanço do Ministério do Esporte divulgado ontem.  No entanto, o coordenador da Unidade Gestora da Copa do Estado (UGP Copa), Miguel Capobiango, garantiu que o Monotrilho e o sistema BRT (Bus Rapid Transit) estarão prontos até maio de 2014, um mês antes do início da Copa.

“O projeto executivo das obras está sendo elaborado e o cronograma de execução aponta que tanto o Monotrilho quanto o BRT devem estar atendendo a população até maio de 2014”, ressaltou Capibiango, que estava ontem em Brasília durante a apresentação do Balanço das obras da Copa para a imprensa nacional e internacional.

De acordo com Ministério do Esporte, as duas obras deveriam ter a execução iniciada em maio deste ano. Os projetos têm disponíveis R$ 1,845 milhão, em recursos federal e estadual para a execução.

Segundo Capobiango, as obras de mobilidade tem como objetivo serem um legado da Copa para a cidade. “O principal foco destas obras é resolver um problema de transporte e trânsito na cidade de Manaus”, disse.
Questionado sobre a afirmação feita por ele, em dezembro do ano passado, quando disse que não contaria mais com o Monotrilho e o BRT para a Copa de 2014, o coordenador resumiu em reafirmar que a previsão é das duas obras estarem prontas em maio de 2014.

Uma das mudanças já acertada em relação a obra do Monotrilho é a sua construção em uma única etapa. “No início a obra estava dividida em duas fases: a primeira, do (bairro) Cidade Nova até a Arena (da Amazônia) e a segunda, da Arena até o Centro. Agora, ficou definido que o Monotrilho será construído em apenas uma fase, partindo da Cidade Nova até o Centro, passando pela Arena”,  explicou Capobiango.

Um dos entraves da obra, segundo ele, são as desapropriações que estão adiando a conclusão do projeto executivo. “Vamos mexer que na vida das pessoas. No caso do BRT é mais complicado porque a maioria dos imóveis são residenciais. Já em relação ao Monotrilho são imóveis mais comerciais, o que gera mudanças menos bruscas para os envolvidos”, avaliou.

Entraves
As duas obras de mobilidade urbana em Manaus enfrentam restrições do Ministério Público Federal (MPF). O órgão recomendou que a contratação da obra do Monotrilho não seja financiada. No caso do BRT, o MPF recomenda a suspensão da licitação em função de questionamentos sobre o edital.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) e a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) para obter informações sobre o andamento das obras,  mas até o fechamento desta reportagem, os e-mails não foram respondidos.

Fonte: portal.d24am.com

READ MORE - Monotrilho e BRT de Manaus ainda não sairam do papel

No Dist. Federal, Governo abre licitação emergencial para contratar 80 ônibus para Planaltina

O governo do Distrito Federal (GDF) publicou nesta quarta-feira (23) no Diário Oficial o aviso de licitação para a contratação em caráter emergencial de 80 ônibus que irão operar em Planaltina. As propostas, segundo o órgão que regulamenta o transporte público, o DFTrans, devem ser apresentadas até 30 de maio.

Moradores da região têm feito protestos na rodovia BR-020, que liga a cidade a Brasília, de forma frequente e pedido número maior de ônibus, mais segurança para os usuários do transporte coletivo e passarelas para pedestres.

De acordo com o DFTrans, cerca de 170 veículos operam na cidade em 55 linhas. O órgão diz que os 80 novos ônibus serão suficientes para suprir as necessidades da população que vive na região. O governo informou que as unidades substituirão outros 80 que pertenciam a uma cooperativa que faliu no ano passado.

O contrato com a empresa vencedora prevê que as linhas operem dentro da cidade e em direção à região central de Brasília. Segundo o DFTrans, não haverá custos para o GDF com a licitação desses veículos.

Em nota, o órgão informou que o edital foi publicado em caráter emergencial, pois “a população sobre com problemas no transporte público” desde a falência de uma cooperativa, mas não comentou protestos realizados na cidade antes disso.As empresas que estiverem com inscrição na dívida ativa não poderão participar do processo de licitação.

Fonte: G1
READ MORE - No Dist. Federal, Governo abre licitação emergencial para contratar 80 ônibus para Planaltina

Em Campo Grande, Corredor de ônibus do Cerejeira será inaugurado nesta sexta-feira

A Prefeitura de Campo Grande se aproxima da meta de entregar até o final deste ano quase 100% dos corredores do transporte coletivo pavimentados. O prefeito Nelson Trad Filho inaugura sexta-feira, às 9 horas, dois corredores do transporte coletivo que beneficiam o Jardim Cerejeira. São quase dois quilômetros de pavimentação e 1,282 metros de drenagem. Foram investidos cerca de R$ 1,5 milhão para a conclusão da obra, que vai permitir aos moradores daquela região desfrutar do conforto que obras como estas de infraestrutura proporcionam. Já foi concluída a pavimentação em 24 dos 28 corredores onde a prefeitura lançou o asfaltamento com recursos do Ministério das Cidades.

Entre os moradores, a chegada do asfalto no CTC do Cerejeiras é interpretada como uma conquista. A comerciante Luzia Francisca de Oliveira, de 53 anos, fala que não havia mais esperança de ver sua rua asfaltada e, com isso, a valorização do bairro onde vive com a família. “Criei meus filhos neste lugar e chega uma hora que a gente não acredita mais que o asfalto vai chegar. Entrou e saiu prefeito prometendo isso e até agora nada. Imagine, então, como nos sentimos com esse presente do prefeito. A gente merece porque também somos contribuintes. O bairro agora passa a ter uma cara nova”, considera a moradora que há 23 anos vive no Jardim Cerejeiras I.

Já o aposentado Damião Alves de Lima, de 73 anos, fala que apesar de não residir na rua onde foi executada a pavimentação, a benfeitoria já pode ser sentida por todos do bairro. “O asfalto melhora tudo. Eu não moro na rua onde foi asfaltada, mas todos os dias eu passo por ela. Seja para ir ao mercado ou para pegar o ônibus. Quando chovia era um transtorno. A gente vivia a triste realidade de ver aquela lama toda descendo para as nossas casas com a enxurrada”, conta o morador que há 30 anos reside no Jardim Cerejeiras II.

Outra comerciante da região, Elaine Ferreira, de 31 anos, observa que até mesmo as vendas em seu pequeno mercado do Jardim Cerejeiras II melhoraram depois que o asfalto foi executado. “Quando chovia, nem eu mesmo conseguia sair de casa. Imagine então os moradores que precisavam comprar alguma coisa. Outra coisa era o ônibus que não chegava até o ponto. Aí, quem precisava pegar tinha que se deslocar até a rua de cima. Com tudo correndo normal, o ônibus chegando ao ponto e o asfalto, ficou mais fácil circular e agora o movimento aqui vai bem. Para mim, em especial foi um grande presente da prefeitura essa obra”, comemora a moradora que há cinco anos reside nos fundos do estabelecimento comercial de propriedade da família.

Projeto - Os recursos investidos para execução da pavimentação e drenagem nos corredores do transporte coletivo são oriundos do Pró-Transporte e teve a contrapartida da Prefeitura de Campo Grande. Para a execução das obras, foram aplicados recursos federais do Pró-Transporte, provenientes do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Já foram entregues algumas das obras dos Corredores de Transporte Coletivo (CTC). Alguns já inaugurados foram os bairros: Nova Jerusalém e Indianápolis, Residencial Barra da Tijuca, Jardim das Nações, Jardim Ouro Preto, Morada do Sol, Parque dos Laranjais. O CTC irá contemplar 28 bairros da cidade.

Fonte: MS Notícias

READ MORE - Em Campo Grande, Corredor de ônibus do Cerejeira será inaugurado nesta sexta-feira

Prefeitura de Teresina inicia no dia 1º de junho, a implantação da última etapa da integração de ônibus

A Prefeitura de Teresina através da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) inicia no dia 1º de junho, a implantação da última etapa da integração de ônibus das linhas urbanas de Teresina. A partir desta data, mais 23 linhas irão fazer parte da integração, contabilizando 56 linhas para atender aos usuários de transportes públicos de Teresina.

Nesta última etapa serão cinco linhas na zona Norte, cinco no Centro, quatro na zona Sudeste e para finalizar nove na zona Sul. De acordo com a superintendente da Strans, Alzenir Porto, a integração das linhas urbanas do transporte público já é uma realidade e tem sido elogiada pelosa usuários. "As pessoas estão percebendo a economia no bolso, por isso temos recebido muitos agradecimentos pelo serviço", acrescentou.

Com a implantação dessa nova etapa o sistema vai contar com 304 veículos, reduzido o tempo de espera nos abrigos pelo transporte público. "Na verdade, agora a integração está apenas sendo ampliada, com isso está crescendo o número de pessoas beneficiadas com o serviço", ressaltou.

O gerente de Planejamento da Strans, José Lopes, enfatizou que a partir de agora cerca de 200 mil usuários do transporte público serão beneficiados com mais essa etapa da integração. "Estaremos a partir do dia primeiro com 70% das linhas urbanas integradas, o que vai representar um ganho de serviço enorme para os usuários", enfatizou.

Lopes informou ainda que algumas linhas que fazem pequenas viagens vão permanecer sem integrar e a zona rural ainda não será atendida porque os carros não trabalham com a bilhetagem eletrônica. "Os resultados positivos  do nosso trabalho são percebidos. As pessoas estão conseguindo ter um transporte público mais rápido e esperando muito menos pelos ônibus". finalizou.

Novas linhas da integração:

Zona Leste:
Vila Bandeirantes/Dom Severino
Planalto Uruguai/Avenida Jóckey Clube
Planalto Uruguai/ São Cristóvão
Nova Theresina/ São Cristóvão
Pedra Mole/ Vila do Avião


Zona Norte :
Primavera/Avenida Pinel
Mocambinho/Alto Alegre/Matadouro
Buenos Aires/Aeroporto
Santa Sofia/Avenida José dos Santos e Silva


Zona Sudeste:
Redonda/Dirceu I/Miguel Rosa
Alto da Ressurreição/Redonda/Barão
São Paulo/Renascença I/ João XXIII


Zona Sul :
Planalto/Bela Vista/Miguel Rosa
Sacy/Miguel Rosa
Santa Fé/Pedro Freitas
I.A.P.C./Cristo Rei
Lourival Parente/Morada Nova / Miguel Rosa
Três Andares/ Cidade Nova/Monte Castelo
Lourival Parente/Morada Nova/Shopping/São João 
Cerâmica Cil/Miguel Rosa
Vila São Francisco/Promorar/Barão

Da Redação / Cidade Verde










READ MORE - Prefeitura de Teresina inicia no dia 1º de junho, a implantação da última etapa da integração de ônibus

Salvador amanhece sem ônibus no segundo dia de greve dos rodoviários

A capital baiana na manhã desta quinta-feira (24) continua sem ônibus no segundo dia da greve dos rodoviários. Até as 6h30 nenhum ônibus foi encontrado circulando nas ruas. A Polícia Militar divulgou na quarta-feira (23), que uma operação foi montada para dar suporte à saída dos veículos das garagens, mas em duas empresas visitadas até as 6h30, uma na Avenida Vasco da Gama e outra em Brotas, apesar da presença dos policiais, nenhum carro havia saído.

Na porta das empresas, sindicalistas que não quiseram se identificar informaram que os carros não irão sair antes que o acordo entre a categoria e os donos das empresas seja cumprido.

Nos pontos de ônibus, as pessoas que saíram de casa aguardam os coletivos, esperam pela frota do transporte complementar, ou seguem nos transportes irregulares, feitos por vans, micro-ônibus e carros de passeio particulares. Cerca de 1,3 milhão de pessoas estão sem transporte público na capital.

GreveOs rodoviários pedem 13,8% de aumento. A categoria almeja a volta do pagamento do quinquênio (benefício extinto em 2006), reajuste salarial referente ao cálculo de índice de inflação do Dieese, mais 3% de ganho real. Os rodoviários pedem também 30 tíquetes alimentação com valor de R$ 12 (hoje de R$ 10,70), com desconto de 20% do valor do salário. Ao todo, 18 mil rodoviários estão em greve na Bahia.

Por determinação da Justiça, grevistas e empresários são obrigados a manter em funcionamento, nos horários de pico, 60%. A multa pelo descumprimento dessa ordem é de R$ 50 mil.

READ MORE - Salvador amanhece sem ônibus no segundo dia de greve dos rodoviários

Motoristas de ônibus Ribeirão Preto devem fazer greve a partir de segunda-feira

Os motoristas de ônibus de Ribeirão Preto decidiram, na última terça-feira (22), não aceitar a proposta de reajuste salarial de 5% oferecida pela Transurb (Associação das Empresas de Transporte Coletivo) e farão uma paralisação para segunda-feira (28). A categoria exige 15%.

O Seeturp (Sindicato dos Empregados em Empresas de Transporte Urbano e Suburbano de Passageiros de Ribeirão) deve confirmar a paralisação em reunião às 16h em sua sede.

Além do reajuste de 15%, os motoristas de ônibus reivindicam aumento no valor do vale-alimentação de R$ 400 para R$ 500, aumento do prêmio do motorista (por trabalhar sem cobrador) de R$ 251 para R$ 350, aumento do PRL (Participação nos Lucros e Resultados) e 100% de convênio médico.

Fonte: Ribeirão Preto Online


READ MORE - Motoristas de ônibus Ribeirão Preto devem fazer greve a partir de segunda-feira

Em São Luís, SET diz que não tem condição de dar aumento a Rodoviários

O Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de São Luís (SET) enviou uma nota para o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) afirmando que o Judiciário determinasse força de trabalho para dirigir os ônibus.

Em entrevista a O Imparcial, o presidente do SET, José Medeiros, disse que o objetivo da nota é a esclarecer que os empresários estão querendo cumprir a decisão de voltar ao trabalho, mas que não há mão-de-obra para o serviço. "Nós estamos sendo acusados de não estarmos disponibilizando a frota de ônibus. Mas isso é uma inverdade. Nós tentamos contratar motoristas habilitados para a função. Na terça, apareceram 400 pessoas para concorrer ao cargo, mas somente 15 tinham habilitação na categoria D, mas não tinham experiência. Então nós enviamos uma nota afirmando que estamos disponibilizando toda a nossa frota para que o TRT determine quem poderá dirigir os carros", afirmou Medeiros.

O presidente do SET afirmou também, que na sua opinião o Tribunal do Trabalho está agindo corretamente. "O TRT está agindo corretamente em tudo o que faz. Tentou fazer a conciliação, estabeleceu ordem para que os rodoviários voltassem ao trabalho, inclusive sob pena de multa. A presidente do TRT está certa, mas o Tribunal do Trabalho não tem poder sobre o transporte público, essa competência é da Prefeitura de São Luís", disse Medeiros

Medeiros afirmou que o sindicato não tem condições de conceder reajuste salarial maior que o determinado. "A presidente do TRT já determinou o reajuste de 7%, mas os rodoviários não aceitam menos de 16% e nós não temos condições nem de conceder reajuste, mas nós iríamos cumprir a decisão. Hoje nós sofremos uma defasagem de 7% no sistema de transporte, fora o aumento dos trabalhadores", explicou o presidente.

O presidente do SET garantiu que o prefeito João Castelo tem ciência da situação de defasagem do sistema de transporte público. "Desde fevereiro de 2011 o prefeito sabe das nossas dificuldades. Naquele ano, nós concedemos reajuste para os trabalhadores, mesmo sem condição de fazer isso, mas fizemos porque o prefeito havia se comprometido em reajustar as tarifas dos ônibus. Desde maio de 2011, quando concedemos o reajuste, nós estamos enviando relatórios periódicos informando a situação, mas nada foi feito. No começo deste ano foi a mesma coisa, nós procuramos o prefeito e dissemos que não teríamos condições de dar reajuste se não fosse aplicado um reajuste tarifário. Nós queremos conceder o reajuste, mas não temos como", finalizou José Medeiros.

Fonte: O Imparcial

READ MORE - Em São Luís, SET diz que não tem condição de dar aumento a Rodoviários

Ônibus executivos terão rotas alteradas no centro de Manaus devido as cheias dos rios

Para evitar maiores transtornos à população, a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) resolveu mudar o itinerário dos ônibus executivos na área do Centro de Manaus por causa da cheia dos rios. As mudanças começam a valer a partir do dia 24 de maio, próxima quinta-feira.
Cerca de 260 ônibus, da modalidade executivo, circulam atualmente pelo Terminal Central da Matriz na rua Marques de Santa Cruz.

A partir desta quinta-feira, em regime emergencial, eles devem desviar o itinerário pela Avenida Epaminondas, seguindo pela rua Simão Bolívar (Praça da Saudade) e Avenida Ferreira Pena para então seguir o itinerário normal.

Técnicos da SMTU avaliaram na manhã desta quarta (23) que ainda é possível manter em funcionamento o Terminal Central somente  para o ônibus convencional urbano afim de evitar maiores transtornos aos usuários do Transporte Coletivo. 

O Plano Emergencial só vai ser implementado na íntegra se a água invadir o terminal, impedindo o acesso da população.
Logo nas primeiras horas desta quinta feira, fiscais da SMTU e Manaustrans estarão no local para orientar os motoristas e usuários do transporte coletivo. Os técnicos da SMTU permanecem no local realizando o monitoramento diário.

Fonte: d24am.com

READ MORE - Ônibus executivos terão rotas alteradas no centro de Manaus devido as cheias dos rios

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960