Ônibus Ligeirão será destaque na cúpula internacional de prefeitos

sexta-feira, 20 de maio de 2011

O uso de biocombustível na frota do transporte coletivo de Curitiba será destaque na Rede C40 - Large Cities Climate Leadership Group – entre 31 de maio e 3 de junho em São Paulo. A quarta edição, a primeira a ser realizada na América Latina, da cúpula internacional de prefeitos reúne projetos sustentáveis de Nova York, Londres, Seul, entre outras grandes cidades do mundo.
As ações de Curitiba fazem parte do temário da cúpula e serão apresentadas pelo prefeito Luciano Ducci. Do encontro participam o presidente do Banco Mundial, Roberto Zoellick e os prefeitos Michael Bloomberg (Nova York), Boris Johnson (Londres), Marcelo Ebrad (Cidade do México) e Mauricio Macri (Buenos Aires).
A cidade mais verde da América Latina – título conquistado neste ano pela capital do Paraná - é a única metrópole a contar com uma frota de ônibus do transporte coletivo operando exclusivamente com biocombustível. O B100 (100% bio) foi implantado em agosto de 2009, em caráter experimental, com seis ônibus, frota ampliada a partir deste mês para 24 veículos. Serão 140 até o fim do ano que vem.
Resultado de uma grande parceria coordenada pela Urbs, Urbanização de Curitiba S/A, empresa gerente de trânsito e transporte, o B100 será obrigatoriamente o combustível do Expresso Ligeirão, sistema de ônibus que trafegam em canaletas exclusivas com paradas a longa distância. 
O sistema Ligeirão opera nos eixos Boqueirão e Linha Verde e será levado na seqüência para os outros quatro corredores exclusivos do transporte coletivo da cidade. Em todos os eixos, os ônibus do Expresso Ligeirão vão operar só com biocombustível.

Resultados - O esforço curitibano para ter o transporte coletivo como aliado na questão ambiental tem dado resultados significativos. Comparados a outros ônibus que fazem a mesma linha, nas mesmas condições e com o mesmo tempo de uso, os ônibus do B100 emitiram 50% menos poluentes. Na média, com a renovação contínua da frota e a utilização de biocombustível, o transporte coletivo tem reduzido a emissão de poluentes em 161 toneladas a menos, por mês.
O biocombustível utilizado em Curitiba é a base de soja, o que exigiu uma série de pesquisas para evitar a cristalização em baixas temperaturas como ocorreu com experiência semelhante, feita com apenas um ônibus, na Alemanha há alguns anos.
Testado, ele se mostrou viável e superou expectativas. A estimativa inicial era de que o consumo de bio seria em torno de 8% maior do que de diesel. Quase dois anos depois do início do projeto, o aumento no consumo ficou em 2,5% mais do que o diesel. O ganho ambiental e de saúde pública, garantem os técnicos, compensam largamente o consumo maior.

Pioneira – As experiências de Curitiba na área de combustíveis alternativos começaram há 15 anos, com tentativas de mistura no óleo diesel, em diferentes percentuais, de álcool ou óleo de fritura de cozinha reaproveitado.
A experiência tinha, há época, várias limitações. Os ônibus em que eram feitos os testes eram antigos e as montadoras não participavam do projeto. Apesar das dificuldades, em Curitiba as pesquisas evoluíram para testes de misturas de biocombustível à base de soja de 5% e de 20% chegando ao biocombustível sem mistura, o B100.
Agora, o quadro é outro. A busca pelos combustíveis “verdes” envolve desde as montadoras, que fornecem chassis e motores – cruciais para o início dos testes, até operadores e institutos de pesquisa, além de produtor e distribuidor.

Linha Verde – Não por acaso, a experiência com o B100 começou no eixo Linha Verde Sul, construído ao longo de 10 quilômetros do trecho urbano da antiga BR 116. Transformada em uma ampla avenida, com canaletas exclusivas para o ônibus, a Linha Verde é um ícone da busca pelo desenvolvimento sustentável na cidade.
Todos os detalhes, do projeto à operação, passando pela execução da obra levam em conta o cuidado ambiental. Feita dentro de critérios técnicos rigorosos, a obra demorou dois anos e movimentou em torno de 200 máquinas, aí incluídos tratores e caminhões.
Mesmo assim, a emissão de ruído foi menor do que o emitido pelo trânsito no período anterior à obra. A poluição do ar, com a movimentação de terra, areia e outros materiais, ficou bem abaixo dos níveis máximos toleráveis, segundo atestaram técnicos da Universidade Federal do Paraná, contratada para acompanhar obra.
Os mais de 700 mil metros cúbicos de terra retirados nas escavações foram utilizados no aterro de uma área íngreme onde agora está sendo construído mais um parque curitibano, na Vila Audi, no Uberaba.

Estações - Pronta, a Linha Verde tem luminárias que direcionam a luz para o chão, evitando dispersão; tem 2,5 mil árvores nativas, com as de maior porte concentradas no entorno das estações tubo para formação futura de bosques nos pontos de parada dos ônibus. Ao longo de 10 quilômetros do eixo, foram plantados 13,6 mil arbustos e mais de 700 mil mudas de flores.
As estações tubo da Linha Verde são climatizadas, com entrada de ar puro e fresco a cada 90 segundos. A climatização é um sistema inédito, desenvolvido para a Linha Verde e que utiliza uma lâmpada comum.
Canos por entra o ar passam por um espaço aquecido e em seguida pelo meio de um tanque de água. O ar purificado, frio, entra na estação e mantém a temperatura agradável e o ambiente mais saudável.
É nestas estações que param os primeiros ônibus a circular apenas com biocombustível, mais um projeto pioneiro de Curitiba e que tem, como ponto central, a conservação ambiental.


Fonte: Prefeitura de Curitiba

READ MORE - Ônibus Ligeirão será destaque na cúpula internacional de prefeitos

Greve de ônibus em Natal é acertada para segunda-feira

Os motoristas e cobradores de ônibus de Natal decidiram ontem, em assembleia, iniciar greve por tempo indeterminado na próxima segunda-feira. Uma nota de esclarecimento à população foi publicada nessa quarta-feira na TRIBUNA DO NORTE e a categoria confirmou a paralisação com início após a meia-noite de domingo. O Seturn considera desnecessário o movimento, já que as negociações entre patrões e empregados continuarão, agora no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), com encontro já marcado para hoje, às 14h.

O pedido da categoria é de um reajuste de 13,98%. O salário-base atual é de R$ 1.192 para motorista e R$ 715, cobradores.

Durante a manhã de ontem, os rodoviários paralisaram os ônibus em três pontos da cidade: no Baldo, em frente ao sindicato da categoria (Sintro), onde era realizada a assembleia; na Bernardo Vieira; e também nas proximidades da Prefeitura de Natal. Na assembleia da tarde, a paralisação dos veículos foi bem menos, e ocorreu por 20 minutos apenas no Baldo.

“Quem nos levou à greve foi o patronato”, afirmou o presidente do Sintro, Nastagnan Batista. Ele afirmou que não houve avanços nas negociações realizadas até a última terça-feira e argumentou que há 48 dias os rodoviários tentam ver atendida sua pauta de reivindicações. “Não realizamos paralisações antes por respeito à Justiça e à população.”

Às 9h40, uma centena de trabalhadores que participavam da assembleia no Sintro foi para o Baldo e determinaram que os coletivos que rodavam nas imediações estacionassem nas ruas próximas. Três faixas da avenida Coronel Estevam (av. 9) foram fechadas por dezenas de ônibus e, na descida para o Baldo, restou aos motoristas que vinham do Alecrim apenas uma quarta-faixa, geralmente utilizada pelos coletivos que seguem da Cidade Alta para o Alecrim. Nas proximidades da Cosern e também entre a Deodoro da Fonseca e a Olinto Meira, os veículos parados causaram congestionamentos.

O presidente do sindicato lamentou o prejuízo à população, mas pediu o apoio dos passageiros à luta da categoria. “Só de aumento de passagem a prefeita Micarla de Sousa concedeu 10% e para nós, trabalhadores, os patrões só oferecem 6,3%”, criticou.

De acordo com Nastagnan Batista, a partir de segunda-feira só funcionará a frota mínima de 30% dos ônibus. “Foram os patrões que quiseram assim”, reforçou.

São ao todo 4 mil rodoviários trabalhando nas empresas urbanas e outros 3 mil nas que fazem as linhas intermunicipais. “Também reunimos esse pessoal, já que os sindicato das empresas intermunicipais (Setrans) declarou que vai seguir o que for oferecido pelo Seturn”, explicou.

Ele assegurou que o Sintro mantém aberta a mesa de negociações e que a greve marcada para segunda-feira poderá ser suspensa se até lá houver avanços na oferta feita pelos empresários.

Empresários e passageiros reclamam

O diretor de Comunicação do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano (Seturn), Augusto Maranhão, classificou de “intempestivas” e “desnecessárias” tanto a paralisação de ontem, quanto a greve marcada para segunda-feira. “Atos como esse de hoje (quarta-feira) são um procedimento que não cabe mais. As negociações continuam e agora, com a instauração do dissídio coletivo (por parte do Seturn), seguem sob a tutela do Tribunal Regional do Trabalho”, enfatizou.

O empresário aguarda a nova rodada de negociações no TRT e voltou a afirmar que o índice de 6,3% de reajuste é o possível de ser oferecido, no momento, pelas empresas a seus empregados. O Sindicato dos Rodoviários, no entanto, não aceita o percentual e quer incluir ainda nas negociações o aumento para R$ 300 do vale-alimentação (atualmente é R$ 140 para motoristas e R$ 94 para cobradores), o retorno do quinquênio (5% de reajuste a cada cinco anos de tempo de trabalho), plano de saúde e o fim da cláusula que permite 20% da frota rodar com uma pessoa exercendo as duas funções.

Além dos empresários, a maioria dos passageiros também criticou a paralisação de ontem. Centenas de pessoas deixaram os ônibus na descida do Baldo e seguiram o trajeto até a Cidade Alta a pé. No sentido inverso, indo para casa, parte dos ocupantes preferiu aguardar o fim do ato de protesto, que durou exatas duas horas.

Enquanto alguns passageiros paravam para apoiar a luta dos rodoviários, muitos gritavam palavrões contra os motoristas e cobradores. Os ânimos se exaltaram em alguns momentos, mas não houve agressão física das partes.

Fonte: Tribuna do Norte

READ MORE - Greve de ônibus em Natal é acertada para segunda-feira

Prefeito de Guarulhos apresenta projetos de mobilidade urbana ao Ministério das Cidades

O prefeito de Guarulhos Sebastião Almeida apresentou nesta quinta-feira (19) um pacote de obras ao Ministério das Cidades, em Brasília, que prevê a construção de corredores de ônibus e viadutos em várias regiões do município. Os projetos foram incluídos no PAC Mobilidade Urbana, que destinará R$ 430 milhões ao município nos próximos anos.
Almeida destacou que todas as cidades contempladas por verbas federais são obrigadas a fazer a defesa dos projetos junto aos técnicos do ministério, entre eles a diretora de Mobilidade Urbana, Luiza Gomide. “Mostramos a importância dos projetos para a cidade e teremos uma reposta sobre sua viabilidade até o final de julho”, disse o prefeito.
Segundo Almeida, os principais pedidos da Prefeitura de Guarulhos atualmente são a reformulação completa do Trevo de Bonsucesso na Via Dutra, a ampliação do Viaduto Santos Dumont também na mesma rodovia, em Cumbica, e a construção de corredores de ônibus em avenidas importantes como a Monteiro Lobato, Juscelino Kubitschek e Paulo Faccini.


READ MORE - Prefeito de Guarulhos apresenta projetos de mobilidade urbana ao Ministério das Cidades

Novo corredor de ônibus de Santos será na Rua João Pessoa

A Rua João Pessoa, um dos maiores conglomerados de trânsito de Santos, receberá um novo corredor de ônibus na Cidade,o quarto instalado desde 2009. A Companhia de Engenharia de Tráfego de Santos (CET) planeja implantar o mecanismo até o final deste ano.

O sistema funcionará nos moldes do corredor que vigora na Avenida Ana Costa desde o segundo semestre de 2009. Nos horários de grande fluxo, das 6 às 9 horas e das 17 às 20 horas, a faixa será exclusiva para ônibus. Porém, a CET ainda não descarta a possibilidade do corredor funcionar durante todo o dia.

"Assim que a pavimentação da João Pessoa for feita, implantaremos o corredor. Por fazer ligações com outros municípios, é uma via que precisa de um corredor", explica o presidente da CET, Rogério Crantschaninov.

A Secretaria Municipal de Infraestrutura e Edificações (Seidi) calcula que a pavimentação será feita no segundo semestre deste ano."Mandamos uma solicitação para o Governo do Estado, para contarmos com o apoio do Dade (Departamento de Apoio e Desenvolvimento das Estâncias). A autorização já foi publicada no Diário Oficial. Só estamos no aguardo de um retorno do Estado para assinarmos o convênio", detalha. "Acredito que no segundo semestre deste ano faremos essa pavimentação", afirma Antonio Carlos Silva Gonçalves, titular da Seidi.

Antes da Rua João Pessoa, também no segundo semestre, a CET promete implantar o corredor de ônibus na Avenida Bernardino de Campos (Canal 2). A instalação, porém, será de acordo com o que vigora na Avenida Conselheiro Nébias desde o mês passado: o fluxo de veículos é permitido, mas com preferência para os ônibus.

A pista exclusiva no Canal 2 funcionará somente no sentido Centro/Praia, das 17 às 20 horas, mas ainda sem a determinação do início e fim do percurso. Segundo a CET, oito mil pessoas de 11 linhas de ônibus cinco municipais, cinco intermunicipais e uma seletiva) utilizam essa via no horário da tarde. 

Ainda segundo o órgão que controla o trânsito na Cidade, desde que os corredores de ônibus foram implementados, o tempo gasto no trajeto das linhas municipais e intermunicipais diminuiu entre 20% e 30% nos períodos de funcionamento.

"Onde tiver espaço para tirarmos carros e colocarmos o transporte público isso será feito", explica o presidente da CET.


Carvalho

Além dos corredores na Bernardino de Campos e na João Pessoa, a Rua Carvalho de Mendonça também passará por uma transformação em seu tráfego.
Até junho, a via terá estacionamento regulamentado no lado direito, das 9 às 18 horas, e proibição para estacionar na faixa da esquerda, das 7 às 20 horas

Fonte: A Tribuna

READ MORE - Novo corredor de ônibus de Santos será na Rua João Pessoa

Apresentado projeto de mobilidade urbana no Dist. Federal

O secretário de Transportes do Distrito Federal, José Walter Vasquez, apresentou na última segunda-feira (16/5), o projeto que o Governo do DF encaminhou ao Ministério das Cidades para ser financiado pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade Urbana. O evento ocorreu na sede do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF) e contou com a presença do governador do DF em exercício, Tadeu Filippelli.

“Grandes corredores exclusivos de ônibus, com sistema circular alimentador. Esse é o desenho do sistema público de transporte do Distrito Federal até 2020”, resumiu o secretário José Walter, lembrando que o projeto contempla ainda obras como a expansão do Metrô, Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) e Veículo Leve sobre Pneus (VLP).

O plano prevê também investimentos no sistema público de transportes e em infraestrutura para veículos não motorizados, além de melhorias na mobilidade. Com o projeto, o GDF pode concorrer a recursos do PAC da Mobilidade no valor de R$ 2,4 bilhões. Ao receber esse investimento, o Distrito Federal poderá garantir maior qualidade de vida à população com transporte eficiente, além de gerar empregos e movimentar a economia local. Além disso, possibilitará avanços necessários para o recebimento da Copa do Mundo em 2014.

“Todas as obras serão concluídas até 2014, antes da Copa. Somente o Eixo Norte, que foi incluído posteriormente no nosso projeto de mobilidade urbana,  tem previsão para ficar pronto em 2015”, anunciou o secretário.

Desafios

Para o José Walter, os principais problemas do transporte público no Distrito Federal e na região do Entorno são a falta de integração e a demora para instituir o Plano Diretor de Transporte Urbano (PDTU), aprovado pela Câmara Legislativa do DF (CLDF) somente em abril e sancionado no começo deste mês pelo governador Agnelo Queiroz. O atraso de 36 anos na aprovação dificultou a fiscalização e não permitiu que houvesse novas licitações na área de transporte público por quase quatro décadas.

Também participaram do encontro os presidentes do Sinduscon, Elson Póvoa, da Associação Brasiliense de Construtores, Régiton Queiroz Menezes, e da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário, Adalberto Valadão.


Fonte: Agência Brasília

READ MORE - Apresentado projeto de mobilidade urbana no Dist. Federal

Apenas 10% das estações do metrô têm banheiro em São Paulo

Além da superlotação, o paulistano que utiliza o metrô enfrenta outro problema sério: das 62 estações das quatro linhas, apenas 10% possuem sanitários abertos ao público na área das plataformas.

Só nas paradas do Tamanduateí e Vila Prudente, na Linha Verde, e Butantã, Paulista, Pinheiros e Rebouças, da Linha Amarela, o passageiro não precisa sair da estação e pagar outra passagem para usar o banheiro. Mesmo se optar por pagar outros R$ 2,90 para sair e voltar, o usuário só vai encontrar sanitários perto de 29 estações, ou seja, menos da metade.

Nas estações Itaquera, Barra Funda, e Jabaquara e Tietê, da Linha Azul, são cobrados entre R$ 0,25 e R$ 1,25 pelo uso. Na Sacomã, planejada para receber 19 mil pessoas por hora, também não estavam previstos toaletes. Apenas cinco meses após a inauguração, a companhia iniciou uma reforma para implantar os sanitários.

Mesmo na recém-inaugurada Linha Amarela, foram projetados apenas banheiros para deficientes, que ficam em áreas administrativas. Para usá-los, o passageiro comum precisa contar com a boa vontade dos funcionários.

Ontem, a ViaQuatro, concessionária da linha, afirmou que está orientando os funcionários a liberar o acesso para todos os usuários.




READ MORE - Apenas 10% das estações do metrô têm banheiro em São Paulo

No Recife, Começam as obras de construção do Terminal Integrado Largo da Paz

Quem passa pelo bairro de Afogados, nas proximidades da Estação do Metrô Largo da Paz, acompanha, desde fevereiro, as obras de construção do Terminal Integrado de Passageiros Largo da Paz. O empreendimento, orçado em R$ 3 milhões, faz parte do processo de expansão do Sistema Estrutural Integrado (SEI), uma das prioridades do Governo de Pernambuco.

O TI Largo da Paz, após sua conclusão, irá promover a interligação entre as linhas de ônibus que vêm das áreas Norte e Sul da Região Metropolitana do Recife. O terminal beneficiará cerca de 48 mil usuários nos dias úteis, operando, inicialmente, com duas linhas.

Serão realizadas 406 viagens/dia, utilizando uma frota de 47 veículos. O TI irá funcionar em uma área de 565,77 m². A previsão de conclusão da obra é de 12 meses.

A coordenadora de Planejamento do Grande Recife Consórcio de Transporte, Ivana Vanderlei, ressaltou a importância da implantação do novo terminal. "O equipamentopermitirá a integração entre os corredores do metrô da linha Sul com o metrô da linha Centro, por meio das linhas de ônibus. Além disso, também será efetuada toda a requalificação das paradas que estão localizadas no entorno do novo TI", afirma.

O governador do Estado, Eduardo Campos, enfatizou o esforço que vem sendo feito para a melhoria do sistema de transporte público de passageiros. "Melhorar e ampliar o Sistema de Transporte Público de Passageiros é uma prioridade para o governo estadual. O SEI é um sistema que traz benefícios importantes para a população e por isso nossa meta é concluir todo a rede prevista para o sistema nos próximos anos", destacou o governador, durante a assinatura da ordem de serviço para o início das obras.

PRAZERESAlém do início da obras do TI Largo da Paz, o Governo do Estado também lançou, em fevereiro, o edital de licitação do Terminal Integrado de Prazeres, que será construído em Jaboatão dos Guararapes. A obra está orçada em R$ 3,8 milhões e o terreno onde será construído o TI tem 4.080,11 m². Para este terminal, o Grande Recife prevê a implantação de seis linhas de ônibus, com o transporte de 51 mil passageiros nos dias úteis.

Até 2012, o Sistema Estrutural Integrado (implantado em 1992 e que tem como principal característica a integração inter-terminais, com a possibilidade de circulação pela RMR com o pagamento de apenas uma tarifa por sentido), ganhará dez novos terminais, totalizando 23 equipamentos deste tipo. O investimento previsto para a conclusão do SEI é de aproximadamente R$ 44 milhões.

Fonte: CGRT

READ MORE - No Recife, Começam as obras de construção do Terminal Integrado Largo da Paz

Metrô DF vai ficar fechado aos domingos para manuntenção a partir de junho

A partir do dia cinco de junho, todas as 24 estações em operação do Metrô-DF ficarão fechadas aos domingos, deixando parados os 32 trens da Companhia. De acordo com a assessoria de imprensa do Metrô, cerca de 25 mil pessoas utilizam esse meio de transporte no domingo. Já pela semana, 160 mil pessoas usam diariamente o metrô. A assessoria informa ainda que a decisão de interditar as estações neste dia foi tomada por causa das moradias localizadas próximas aos locais onde as manutenções serão realizadas. O intuito é, além de diminuir o barulho durante à noite, reduzir o tempo de manutenção, previsto inicialmente para três ou quatro meses.

No meio da semana, as atividades foram direcionadas para o turno da madrugada para não alterar o funcionamento do Metrô, mas podem causar um outro problema para quem mora perto da linha do trem: a poluição sonora. Os dois equipamentos, principalmente a socadeira, emitem muito barulho, em uma intensidade semelhante à de um caminhão de lixo.

A decisão foi anunciada na manhã desta quinta-feira (19/5), durante a demonstração de como será realizada a maior manutenção em 12 anos de existência da companhia no DF. A manutenção só começa oficialmente entre a meia noite e as 5h de amanhã, utilizando máquinas que farão o nivelamento e polimento dos trilhos.

Serão utilizadas socadeiras e esmerilhadeiras. A primeira tem a função de nivelar a linha do trem ao solo, e só será utilizada nos trechos onde os vagões passam ao ar livre e o chão é coberto por brita, sendo desnecessária a manutenção por esse aparelho nos túneis. Já a esmerilhadeira fará o polimento, visando corrigir imperfeições ao longo de todos os 42,5 quilômetros de trilhos - sendo 85 no total, considerando que os vagões são sustentados por duas linhas.

O orçamento previsto, segundo anunciado pelo governador em exercício, Tadeu Filipelli, é de R$ 4,8 milhões, o mesmo previsto anteriormente. O governador justificou que o o alto orçamento deve-se ao fato de o Metrô-DF nunca ter passado por uma manutenção como esta em 12 anos de operação.

Os trabalhos começam em Ceilândia e seguem na direção da Estação Central na Rodoviária. As obras estão programadas entre meia-noite e 5h de terça a sábado e de 21h às 5h no domingo. Também já está definido que os vagões não vão circular nos domingos do mês de junho, sendo o dia todo destinado à manutenção.



READ MORE - Metrô DF vai ficar fechado aos domingos para manuntenção a partir de junho

Em Palmas, Greve de ônibus é dada como certa pelos sindicalistas

O presidente do Sindicato Motoristas do Estado do Tocantins (Sintromet), Carlos Antônio Araújo, disse na tarde desta quinta-feira, 19, em entrevista ao Portal Stylo que há grande propabilidade de os motoristas do transporte coletivo de Palmas entrarem em greve a partir da meia noite de domingo, 22. "A greve dos motoristas é praticamente inevitável", disse o sindicalista.

A declaração foi feita após uma reunião entre os membros do Conselho Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade da Capital, na qual técnicos da Secretaria Municipal da Segurança, Trânsito e Transporte apresentaram um diagnóstico dos principais problemas enfrentados pelo sistema público de transporte da Capital.

Os motoristas reivindicam melhores condições de trabalho, revisão da carga horária e aumento do salário. Atualmente, fora alguns benefícios, eles ganham R$ 938,00. "Acredito que a categoria não vai aceitar menos de dois salários mínimos, o que daria R$ 1.040,00", explicou o presidente do Sintromet. O assunto deverá ser discutido em assembleia neste sábado, 20.

Durante a reunião, realizada no auditório da secretaria, o Sindicato Empresário do Transporte Coletivo de Palmas (Seturb) pediu a "revisão" do preço da tarifa de ônibus em Palmas. Na prática, o sindicato patronal quer que o preço da tarifa aumente dos atuais R$ 2,20 para R$ 2,50. De acordo com o presidente do Seturb, Toninho da Miracema, sem esse aumento as empresas não teriam condições de reajustar os salários dos motoristas.

O assunto será debatido agora na Câmara Temática de Estudo Permanente de Aumento da Tarifa do Transporte. Após essa discussão, que deverá acontecer na próxima segunda-feira, 23, o presidente do Conselho Municipal de Trânsito se reunirá novamente para decidir se concorda ou não com o aumento. Caso concorde, o valor será elevado para R$ 2,50 três meses após a decisão. 

Fonte: Portal Stylo

READ MORE - Em Palmas, Greve de ônibus é dada como certa pelos sindicalistas

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960