DF: Passageiros não conseguem consultar informações sobre linhas de ônibus a mais de 02 meses

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

O estagiário Christopher Albino da Silva usa ônibus para ir ao trabalho e à faculdade. São quatro viagens por dia. Para saber os horários de cada linha, ele telefonou para o 156 e pediu informações, mas o serviço está indisponível há dois meses - e sem previsão de quando vai voltar a funcionar.

Outra opção seria conseguir as informações no site do DFTrans, mas o portal está desativado desde outubro. Sem saber as opções de horários, os passageiros acabam esperando mais tempo nas paradas. “Já não basta ter um serviço precário a pessoa ainda tem que ficar de uma a duas horas na parada esperando no fim de semana sem saber dos horários. Como a zebrinha, por exemplo, a gente não sabe os horários e linhas que funcionam. Além de ter que pagar um transporte caro, a gente tem que ficar esperando e aguardando por uma coisa que a gente deveria, no mínimo, saber quais os horários e itinerário pra gente não precisar aguardar porque é muito incômodo”, opina o estudante.

A promessa do novo diretor do DFTrans, Marco Antônio Campanella, é melhorar o sistema de comunicação pela internet e por telefone. Outra proposta é que as informações estejam também em todas as paradas de ônibus. “Nós vamos reativar imediatamente, no mais breve prazo possível o portal de informações para que os usuários que têm acesso à internet possam identificar a linha de ônibus que lhe é necessária e o horário. Vamos também providenciar informações precisas nas paradas e terminais de ônibus e buscar uma solução para o problema da comunicação telefônica”, explica.

O diretor do DFTrans também disse que pediu um levantamento do número de paradas que precisam ser construídas e revitalizadas em todo o DF. (Lívia Veiga / Lázaro Aluísio)


Fonte: DFTV
READ MORE - DF: Passageiros não conseguem consultar informações sobre linhas de ônibus a mais de 02 meses

No Recife, Painéis eletrônicos dos ônibus vem dando dor de cabeça aos Usuários

Os painéis eletrônicos dos ônibus da Região Metropolitana do Recife vem dando dor de cabeça aos usuários do sistema de transporte, é que com a nova norma, muitos ônibus estão rodando com os letreiros menores e sem os itinerários .
Segundo o Consórcio Grande Recife, está medida Trata da norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) NBR 14022:2009, que estabelece os parâmetros e critérios técnicos de acessibilidade a serem observados em todos os elementos do sistema de transporte coletivo de passageiros de características urbanas que deve ser acatada, pois muitos usuários estavam sendo prejudicados com muitas paginações o que acabava confundindo o próprio passageiro, para se ter uma idéia, tinha ônibus que tinha o nome do itinerário em duas paginações, o destino e ainda uma saudação de Boa Tarde, por exemplo, ou seja, o ônibus passava e o usuário do ponto sem que o usuário visse, neste ponto muitas linhas melhoraram, pois realmente estava tendo abusos de algumas empresas que exageravam as informações.
Porém o que vem incomodando os usuários são as linhas que antes tinham seus nomes bem visíveis e agora com está nova norma, esses nomes foram diminuídos, deixando muitos usuários prejudicados, pois em muitos casos os nomes são confundíveis com outras linhas, a relatos de muitos passageiros que pegaram o coletivo errado.
Segundo o Consórcio Grande Recife de Transportes, já foi enviado um técnico especializado de painéis eletrônicos para as empresas de ônibus visando tentar amenizar a situação e se possível aumentar um pouco as letras do painel eletrônico nas linhas com maiores reclamações, porém o nome dos destinos só será permitido nos pára-brisas e não mais no painel eletrônico para não confundir mais a população.
Clayton Leal - Blog Meu Transporte
READ MORE - No Recife, Painéis eletrônicos dos ônibus vem dando dor de cabeça aos Usuários

Rio: Nos BRTs, bilhete será validado nas estações, para acelerar embarque e desembarque de passageiros

Assim como nas estações de trens e do metrô, o usuário não pagará a passagem ou descontará seus créditos do vale transporte eletrônico no interior dos ônibus articulados dos quatro corredores exclusivos (BRTs) que a prefeitura pretende implantar até a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016. O controle de acesso às plataformas do BRTs Transcarioca (Barra-Penha-Tom Jobim), Transoeste (Barra-Santa Cruz-Campo Grande), Transbrasil (Avenida Brasil) e Transolímpico (Barra-Deodoro) será feito na entrada das estações, onde também haverá guichês para a venda de bilhetes individuais. O objetivo, conforme explicaram na segunda-feira técnicos da prefeitura, é acelerar o embarque e o desembarque dos passageiros.

— A própria plataforma das estações e dos terminais do BRT foi planejada para isso. Elas ficarão a 90cm do solo para ficar na altura das portas de embarque dos coletivos — informou o secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto.

As futuras estações e terminais serão mantidos e administrados pelos quatro consórcios que operam o Bilhete Único Carioca (BUC). O projeto das estações foi desenvolvido por consultores contratados pela Secretaria de Obras. As estruturas metálicas serão modulares. O número de módulos, com 120 metros cada, dependerá da demanda de usuários em cada estação.

O custo para implantar cada estação ou terminal ainda está em fase de orçamento. Mas, segundo Pinto, ficará entre R$ 800 mil e R$ 1,5 milhão, dependo do número de módulos.

— As estações terão isolamentos térmico e acústico. Mas contarão com aberturas no teto para permitir uma ventilação cruzada, reduzindo a sensação de calor.

As informações foram divulgadas no mesmo dia em que o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, fechou um contrato com o prefeito Eduardo Paes para financiar R$ 1,1 bilhão do projeto. Os recursos fazem parte de uma linha de financiamento do chamado PAC da Mobilidade Urbana para as 12 cidades-sede da Copa. As obras devem começar já em fevereiro, pelo trecho Barra-Penha. A prefeitura planeja concluir os 39km do Transcarioca até dezembro de 2013.

O Transcarioca fará com que o usuário dos ônibus mude suas rotinas, à medida em que as estações fiquem prontas. Cerca de 90 linhas e roteiros (cerca de 10% do total existente na cidade) sofrerão mudanças ou serão extintas por conta do sistema. Pelo menos 30 linhas que hoje cobrem o mesmo percurso do Transcarioca serão transformadas em circulares. Elas apenas levarão os passageiros de áreas mais distantes até um terminal do Transcarioca, onde será possível embarcar com o BUC. Das 57 restantes, 18 terão o percurso alterado e 39, modificados.

READ MORE - Rio: Nos BRTs, bilhete será validado nas estações, para acelerar embarque e desembarque de passageiros

São Paulo: VLT pode ligar Grande ABC a metrô até 2014

Em reunião na qual se anunciou o novo presidente do Metrô, Sérgio Avelleda, o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, fez a previsão de que a ligação da Estação Tamanduateí com o Grande ABC deverá destravar a partir do fim de 2014. Ao lado do prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PTB), e do deputado estadual Alex Manente (PPS), que requisitaram a audiência, Jurandir enfatizou a vontade política do governador Geraldo Alckmin (PSDB) em tornar o projeto, obra executada.
"Tudo leva a crer pelos prazos de hoje que até o fim de 2014 nós tenhamos alguns trechos em operação, pois a ideia é, eventualmente, vir inaugurando algumas estações parciais e fechar até o Ferrazópolis ou Alvarenga (em São Bernardo), que dá uma diferença de cerca de seis quilômetros de uma para outra", detalhou o titular da Pasta de Transportes. Dentro deste prazo, a intervenção entrará em andamento no fim do mandato tucano.
Segundo o secretário, primeiramente serão necessários de dois a três meses para a licitação por conta do prazo regimental, depois cerca de sete meses para o projeto básico em si. Após esse período, a equipe fará contratação, desapropriações e licenças ambientais. "Essa obra física não começa antes de março de 2012."
Jurandir já delegou ao novo comandante do Metrô as atribuições de tocar o projeto. "O Avelleda, que é ex-presidente da CPTM, vai possivelmente ser responsável pela obra. Foi importante essa demonstração de empenho, fundamental para que a intervenção aconteça. O respaldo não é só do Executivo, mas também do Legislativo dentro desse projeto."
O traçado funcional, que já está concluído, servirá para balisamento do contrato seguinte do projeto básico. Sobre os custos da obra, o coordenador de planejamento da secretaria, Renato Viegas, disse que é prematuro estimar valores, porém que devem girar em torno de US$ 60 milhões a US$ 80 milhões se for elevado e a metade disso em termos térreos. "É prognóstico grosseiro, já que depende de muita coisa. Por exemplo, em elevado há economia em desapropriações. A desapropriação social traz algo de negativo."
A obra irá variar de 14 a 20 quilômetros de extensão com distância média de 600 a 1.000 metros de distância média entre paradas e caso seja de média capacidade receberá 30 mil passageiros/hora. "Temos que começar a enxergar a engenharia financeira. O trem de superfície me parece a maior possibilidade segundo nosso planejamento, pois o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) é sofisticado e não tão caro. Se for elevado será 2,5 vezes superior. O veículo tem o custo parecido e definiremos em outubro", disse Viegas, sobre a possibilidade de VLT, monotrilho ou BRT (Bus Rapid Transit), sistema de ônibus elevado, além de misto entre fase térrea e elevada.
Ao salientar que São Caetano não consegue arcar com gastos de caráter metropolitano, o chefe do Executivo ouviu pedido do secretário de Transportes. "O prefeito pode me dar alguns terrenos, pois desapropriações já ajudam."
De acordo com Jurandir, a ajuda federal e PPPs (Parcerias Público-Privadas) serão preponderantes ao andamento. "Obviamente necessitamos de duas fontes: União e privado. Vou optar pelas duas."
READ MORE - São Paulo: VLT pode ligar Grande ABC a metrô até 2014

Rio de Janeiro: Corredores seletivos em Copacabana serão implantados em fevereiro

O secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, informou nesta segunda-feira que a implantação dos corredores seletivos de ônibus em Copacabana (Avenida Nossa Senhora de Copacabana e Rua Barata Ribeiro) que deverão levar à redução do número de coletivos em ciculação no bairro ocorrerá apenas em fevereiro. A previsão inicial era que o novo sistema, chamado de BRS (Bus Rapid System) começasse a operar em janeiro. O sistema prevê que duas faixas de tráfego das vias sejam destinadas só para coletivos. A invasão das faixas por carros particulares seria coibida por radares eletrônicos.
Sansão explicou que decidiu aguardar a conclusão do programa Asfalto Liso de recuperação da pavimentação das vias, iniciado este mês, para então levar o projeto adiante.
— O Asfalto Liso está preparando a via para o BRS. A obra fica pronta no início de fevereiro e, em seguida, nós entramos com a sinalização e a demarcação das faixas. Primeiro vamos implantar na Nossa Senhora de Copacabana e, em seguida, na Barata Ribeiro — disse o secretário municipal de Transportes.

READ MORE - Rio de Janeiro: Corredores seletivos em Copacabana serão implantados em fevereiro

Em Londrina, Prefeito anuncia redução na tarifa de ônibus para R$ 2,20

O prefeito Barbosa Neto (PDT) anunciou, em coletiva convocada hoje, que vai reduzir o valor da tarifa de ônibus de R$ 2,25 para R$ 2,20. A redução da tarifa é um fato inédito na cidade de Londrina. Barbosa Neto explicou que, em outubro de 2010, as empresas de transporte coletivo protocolaram um pedido de reajuste da tarifa, para entrar em vigor neste mês de janeiro, seguindo o exemplo de outras cidades. “Grandes cidades do Brasil reajustaram suas tarifas. Em Florianópolis, a passagem de ônibus coletivo passou de R$ 2,20 para $ 2,52; em Belo Horizonte de R$ 2,30 para R$ 2,45; São Caetano de R$ 2,30 para R$ 2,75; Santo André de R$ 2,75 para R$ 2,90; Rio de Janeiro de R$ 2,35 para R$ 2,50; Guarulhos de R 2,75 para R$ 2,90; Diadema R$ 2,50 para R$ 2,90; Salvador de R$ 2,30 para R$ 2,50 e São Paulo de R$ 2,70 para R$ 3,00,” enumerou.

Segundo o prefeito, a tendência era que a tarifa de ônibus em Londrina, realmente, fosse reajustada em quase 5%, passando de R$ 2,25 para R$ 2,34. “Mas sem criar nenhum imposto, arcando esse subsídio apenas com o superávit que nós esperamos obter com a melhoria de arrecadação de impostos e com as economias que estamos fazendo. Estamos anunciando aqui a redução na tarifa de ônibus coletivo”, afirmou. Barbosa detalhou que será enviado projeto de Lei a Câmara Municipal, onde o município assumirá os 50% do valor da tarifa do transporte concedidos aos estudantes e subsidia, também, a gratuidade aos idosos e  às pessoas com deficiência física. “Nós baixaremos, com essas ações, o valor da tarifa depois que esse projeto passe pela Câmara Municipal, para R$ 2,20, coisa inédita na história do município de Londrina e na contramão de tudo aquilo que o Brasil está fazendo”, explicou. O custo mensal para os cofres municipais é de R$ 560 mil.

READ MORE - Em Londrina, Prefeito anuncia redução na tarifa de ônibus para R$ 2,20

Transporte público de Foz permitirá transbordo em qualquer lugar da cidade

Após uma grande briga na justiça contra as amarras ilegais do município com as empresas de transporte urbano em Foz, que durou aproximadamente dois anos, o consórcio Sorriso, empresa que está administrando o transporte público de Foz do Iguaçu, inicia na quarta-feira (12) uma série de atividades para alertar os usuários sobre as mudanças no sistema, que vai começar a operar na sexta-feira (14).

Colaboradores das empresas pertencentes ao novo certame estarão no terminal de transporte urbano (TTU) entregando materiais explicativos sobre horário dos ônibus e funcionamento do sistema. Porém as rotas só estarão disponíveis no site do cartão eletrônico. Entre as novidades, o bilhete Único está amarrado com a principal delas, o transbordo.

Transbordo – Tratada como a principal mudança pelo consórcio, o Transbordo significa que o usuário pode pegar uma segunda linha em qualquer lugar da cidade, sem a necessidade de ir até o terminal central, utilizando, porém, o cartão de bilhetagem eletrônica.

Os rumores de que o TTU seria fechado não é verdade, para quem não utiliza o sistema Único o terminal de transporte na avenida JK continua integrado, explicou Cátia Fritzen, gestora da empresa Único em Foz do Iguaçu.

Se você é usuário do sistema, vale a pena conferir as novas rotas no site do cartão Único, através do endereço http://www.unicofoz.com.br/

Fonte: ClickFoz
READ MORE - Transporte público de Foz permitirá transbordo em qualquer lugar da cidade

Passagem de ônibus deve aumentar em Florianópolis

Ainda não tem data para acontecer, mas Florianópolis vai aumentar em até 6% o preço da passagem de ônibus em 2011, o que pode elevar os valores da tarifa para R$ 2,52 no cartão e R$ 3,12 no pagamento em dinheiro. A secretaria de Transportes da Capital promete que o reajuste não vai ultrapassar este percentual, baseado no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

O percentual de reajuste nem sempre é o mesmo para as duas tarifas. No último, em maio de 2010, a passagem paga no cartão passou de R$ 2,20 para R$ 2,38 (8%). No dinheiro, subiu de R$ 2,80 para R$ 2,95 (5,3%). O aumento veio antes de uma greve dos trabalhadores, mas não impediu o protesto de estudantes e usuários.

O secretário de Transportes, João Batista Nunes, garantiu que o reajuste vai acompanhar o INPC, que geralmente fecha próximo aos 6%. De acordo com ele, o aumento anual é necessário, por causa das despesas no sistema de transporte.

O valor da tarifa é calculado com base em custos variáveis, como combustível, peças e acessórios. Também são levados em conta os gastos fixos, como salário dos trabalhadores, tarifa de utilização dos terminais, desgaste dos ônibus e impostos. 

Fonte: Diário Catarinense
READ MORE - Passagem de ônibus deve aumentar em Florianópolis

Faltam Investimentos no transportes de passageiros em Macapá

A ausência de políticas públicas e investimentos no setor de transportes de passageiros em Macapá geram uma baixa qualidade na operação e manutenção de infraestrutura, além de conseqüências danosas, resultado da falta de prioridades por parte do poder público. O setor encontra-se a beira do colapso, com baixa produtividade operacional, principalmente na relação custo – benefício

A falta de uma fiscalização permanente faz com que o transporte clandestino cresça diariamente. As gratuidades viraram uma farra, corre sem controle, fonte de custeio ou regulamentação pelo poder público municipal. Algumas gratuidades sequer estão listadas na Lei Orgânica do Município de Macapá.
É importante ressaltar que as gratuidades devem ser custeadas pelos governos Estaduais e Municipais. Outra preocupação do setor á a falta de ajustes operacionais que nunca foram realizados nesta cidade. Novas linhas deveriam ser criadas, pois surgem vários bairros na periferia da Cidade, onde as famílias precisam de deslocamento para o trabalho, escola e diversão.
A falta de um planejamento estratégico para o transito gera um aumento crescente de engarrafamentos. Mensalmente na cidade, 1.500 veículos novos entram em circulação. Novos corredores de tráfego precisam ser criados, com pontos de embarque e desembarque, sinalização horizontal e vertical e maior visibilidade por meio de placas refletivas e pintura adequada.
A sinalização semafórica deve ser mais moderna, pois os que estão nas ruas da cidade estão obsoletos. Outra sugestão é a implantação de paradas seletivas que atendam os deficientes físicos e idosos. Não existe acessibilidade nos corredores de infraestrutura, tampouco estudo da oferta e demanda para minimizar os tempos de viagem, com diminuição de intervalos e uma maior freqüência.
A Casa de Lei deve realizar estudo para aprovar a política de desoneração dos insumos sobre o transporte coletivo, além disso, precisamos de um sistema de transportes interligado, aplicando um conjunto de intervenções que passa por: reorganizar o sistema das linhas operacionais; elaborar um planejamento estratégico viário; delimitar as áreas por regiões; eliminar intervalos excessivos; investir na requalificação profissional e eliminar os tempos lomgos de espera nos pontos de parada.
Essas intervenções precisam de um conjunto de obras estruturais como: corredores exclusivos para o transporte coletivo; novos terminais com coberturas; câmera para monitoramento; canaletas; faixas exclusivas e ciclovias. Como vimos, é preciso investimento público e privado, para que juntos encaminhem as soluções que visam melhorar o trânsito e o sistema de transportes, dando mais conforto aos usuários e segurança aos pedestres, com diminuição do tempo das viagens e reorganização do transporte público da nossa cidade.

Fonte: Corrêa Neto
READ MORE - Faltam Investimentos no transportes de passageiros em Macapá

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960