Rio de Janeiro: Ônibus vão ser divididos por cor em regiões

sábado, 18 de setembro de 2010

O festival de cores, algumas em combinações duvidosas, e a poluição visual provocada pela falta de padronização dos ônibus da cidade deverão chegar ao fim no prazo de um ano. A prefeitura assinou, nesta sexta-feira, o contrato com os quatro consórcios vencedores da licitação para operar, pelos próximos 20 anos, as linhas municipais. Uma das regras é a nova identidade visual dos 8,5 mil veículos: eles serão brancos, com só alguns detalhes em outra cor, para identificar a região onde o coletivo circulará no Rio.

Assim, verde identificará as linhas da concessionária Santa Cruz (Zona Oeste); laranja, as da Internorte (Zona Norte); amarelo, as da Transcarioca (Jacarepaguá, Barra da Tijuca e Recreio); e azul, as da Intersul (Zona Sul e Grande Tijuca).

— Os ganhos estéticos para a cidade serão imensos. Todos os veículos terão a mesma cor, como acontece nos lugares mais civilizados do mundo — disse o prefeito Eduardo Paes.

Lelis Marcos Teixeira, presidente do Rio Ônibus (sindicato das empresas do setor), explicou que já foi preparada toda uma campanha para divulgar a nova identidade visual dos ônibus.

— O contrato nos deu regras claras para operar e também segurança jurídica. Acredito que a transformação final será em 2016, quando os corredores e a infraestrutura da cidade estarão prontos. Vamos investir ainda em 600 ônibus articulados para colocar em todos os BRts (Bus Rapid Transit ) — prometeu Lelis

O contrato de licitação atualizou ainda o Código Disciplinar do Serviço Público de Transportes de Passageiros por Ônibus. As penalidades serão ainda mais rígidas aos operadores. Entre elas, a anulação da concessão no caso do mau serviço prestado e multas no caso de a demora para rebocar um ônibus enguiçado em via pública exceder o prazo de 30 minutos.

As operadores também serão obrigadas a instalar GPS, para acessar em tempo real a movimentação da frota, e um sistema de segurança como câmeras de vídeos e tacógrafos eletrônicos, para registrar a velocidade dos veículos.

— O novo código é mais rigoroso e aumentamos os valores das multas. Para se ter uma idéia, é considerado gravíssimo a operadora que não atender a demanda dos usuários que dependem do transporte noturno — detalhou o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão.
Tarifa menor e linhas mais organizadas
Alexandre Sansão lembrou ainda que a redução de 45 empresas administrando as linhas de ônibus para apenas quatro consórcios facilita a racionalização do serviço.

— Teremos agora apenas quatro empresas administrado o sistema. Isso, associado ao Bilhete Único Carioca, vai nos permitir fazer a integração tarifária e ordenar melhor as linhas. As empresas não competem mais entre si, desta forma fazemos a racionalização da frota. Retiramos o excesso de veículos de linhas onda não existe a demanda, como na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, e ofertamos mais ônibus em outras regiões, como em Santa Cruz — explicou o secretário.

O prefeito Eduardo Paes citou a importância da implantação do Bilhete Único Carioca, a partir do próximo dia 30 de outubro.

— É sensacional para os moradores de áreas mais carentes das zonas Oeste e Norte, que hoje pagam R$ 7 para se deslocar até o local de trabalho, e passarão a pagar R$ 2,40.

Fonte: Extra online

Share |
READ MORE - Rio de Janeiro: Ônibus vão ser divididos por cor em regiões

São Paulo perde por ano R$ 33 bilhões com o trânsito

De acordo com um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a cidade de São Paulo perde, por ano, R$ 33 bilhões por conta do trânsito. Deste total, cerca de R$ 27 bilhões estão diretemante conectados ao que o município deixa de produzir. De acordo com o professor Marcos Cintra, que assina o estudo, em 2008 esse montante correspondeu a 10% do PIB do município.
Por essas e outras, ONGs e instituições da sociedade civil estão tratando de fazer barulho durante a Semana da Mobilidade - instituída aqui para coincidir com o evento europeu, que acontece de 16 a 22 de setembro, quando se comemora o Dia Mundial sem Carros. A programação está sendo capitaneada pelo Movimento Nossa São Paulo (MNSP) e uma rede de organizações da sociedade civil.
"O ponto alto da programação será a entrega, na segunda-feira, de uma proposta de diretrizes para compor o Plano Municipal de Mobilidade e Transportes Sustentáveis em um seminário organizado em conjunto com a Comissão de Transportes da Câmara Municipal de São Paulo", resslata Maurício Broinizi Pereira, coordenador da Secretaria Executiva do MNSP. "O Plano Diretor da cidade, aprovado em 2002, exige a elaboração do Plano Municipal de Mobilidade. Mas ele nunca foi feito. Fizemos um trabalho imenso de pesquisa com vários especialistas e vamos entragar à Câmara Municipal um documento de mais de 300 páginas, que inclui propostas ousadas", revela Broinizi.
Entre as propostas "ousadas" ele destaca o uso das principais artérias da cidade como corredores de ônibus expresso. "Muitas das principais vias da cidade, que poderiam ter corredores de ônibus, não têm. É o caso da Henrique Schaumman e das avenidas Brasil e Tiradentes. O que propomos é maior compartilhamento do sistema viário entre o transporte publico e o privado".
O MNSP também propõe que as 31 subprefeituras tenham um plano cicloviário que se conecte com os terminais de transporte público e com um tronco cicloviário central. "Temos consciência claríssima de que essas mudanças vão exigir intervenções urbanas enormes, mas não podemos continuar assistindo a cidade se autodestruir. Ou esperar pelas linhas de metrô prometidas para 2015, quando nada garante que elas irão sanar a imensa demanda reprimida que já existe pelo transporte público", diz Broinizi.
A proposta do MNSP inclui um novo modelo de corredores de ônibus, com bilheteria nas paradas - ao invés da cobrança ser realizada dentro do veículo, o que retarda o ingresso das pessoas no ônibus e empata o trânsito.
Além da entrega da proposta à Câmara Municipal, a programação inclui ainda a Bicicletada (passeio pelas ruas de São Paulo e de outras cidades que participam do movimento), a "Praia do Tietê", evento que vai reunir manifestantes para tomar banho e sol às margens do rio Tietê e a vaga-viva, que consiste no uso de vagas de estacionamento para atividades de lazer e convivência entre as pessoas, com o objetivo de provocar uma reflexão sobre a relação entre a cidade e o automóvel.

Mais carros
A frota de veículos em São Paulo cresceu assustadoramente nos últimos anos e, potencializada pela venda de carros livres do IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados), não parece ter perspectivas de redução em curto prazo. Nos últimos 29 anos, a frota da maior cidade do Brasil cresceu 695%, enquanto o sistema viário teve uma ampliação de apenas 10%, segundo dados utilizados por Juliano Borghi de Mendonça em estudo elaborado em 2009 para um MBA sobre mobilidade urbana que ele realiza na FGV.
De acordo com pesquisa encomendada pelo MNSP ao Ibope, os paulistanos perdem, em média, 27 dias por ano no trânsito da cidade. O levantamento mostra que o tempo médio gasto no trânsito para realizar todos os deslocamentos diários é de 2 horas e 42 minutos, um minuto a menos do que a média do ano passado. Ou seja: a cada mês, o cidadão passa dois dias e seis horas no carro ou no transporte público para se locomover.
O Ibope ouviu 805 paulistanos com mais de 16 anos nas cinco regiões da capital. Destes, 76% afirmaram que deixariam de usar o carro se houvesse boa alternativa de transporte público.  Cerca de 2 milhões de pessoas utilizam carros todos os dias ou quase todos os dias na capital paulista. Para 67%, o transporte público deveria receber mais atenção dos governos.
"Existe uma crise de mobilidade na cidade, isso é óbvio. Mas estamos tentando fazer com que as pessoas percebam que, da mesma forma que são parte do problema, podem também ser parte da solução", acredita Mendonça, que é coordenador de mobilização comunitária do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente. Ele explica que a entidade está mobilizando a comunidade por meio do site. "E vamos participar da organização de atividades como a vaga-viva, que tem como objetivo chamar atenção das pessoas para o uso privado de espaços públicos: as vagas que os carros ocupam nas ruas".
Mendonça diz acreditar nas mobilizações que utilizam manifestações artísticas para transmitir mensagens edificantes.
"Convencer os convencidos é fácil. Mas, para chegar aos que ainda não pensaram seriamente sobre o problema do trânsito nas cidades, é preciso usar uma linguagem lúdica. Precisamos fazer a população pensar seriamente sobre o uso abusivo do automóvel, refletir sobre o impacto de suas escolhas cotidianas", arremata.


Fonte: Estadão

Share |
READ MORE - São Paulo perde por ano R$ 33 bilhões com o trânsito

Grupo de Transporte do Mercosul conhece experiência de Curitiba

Diretores, superintendentes e técnicos de organismos federais ligados à área do transporte público do Brasil e da Argentina conheceram de perto a experiência de Curitiba no setor, durante a visita do chamado Grupo de Transporte do Mercosul à Urbs – Urbanização de Curitiba S/A nesta sexta-feira (17).. A apresentação técnica do sistema de transporte da cidade foi feita pelo presidente da empresa, Marcos Isfer.

Isfer disse que o sistema de transporte curitibano continua servindo de modelo a outras cidades do país e do mundo, e foi o embrião, em 1974, do hoje chamado Sistema BRT (Bus Rapid Transit). Disse ainda que existe uma tarifa única, de R$ 2,20, paga pelos usuários em quaisquer das linhas urbanas, e mostrou a importância da integração físico-tarifária.

Graças a esses mecanismos, o passageiro faz deslocamentos rápidos e seguros, dirigindo-se aos mais diversos pontos da cidade pagando uma só tarifa e viajando em ônibus que oferecem qualidade e conforto”, disse Isfer.

O presidente da Urbs disse ainda que o total de viagens diárias feito pelos cerca de dois mil coletivos urbanos que transportam em média dois milhões de usuários, corresponde a oito voltas em torno da Terra, Salientou ainda que, graças aos mecanismos de plnejamento, Curitiba faz investimentos contínuos no setor com recursos próprios, do governo federal e de organismos instenacionais.

A delegação argentina, formada por representantes de órgãos como a Comissão Nacional de Regulação de Transporte, da Comissão de Transporte e Segurança Viária e da Subsecretaria de Transporte Ferroviário, foi liderada pelo coordenador de Políticas de Transporte Automotor de Passageiros, Raul Cuence,

O grupo brasileiro foi representado pelo diretor do Departamnto de Planejamento e Avaliação da Política de Transportes, do Ministério dos Transportes, Francisco Luiz Baptista da Costa, bem como gerentes e superintendentes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Após a palestra de Marcos Isfer e da apresentação do sistema em audiovisual, o Grupo do Mercosul fez visita técnica à Linha Verde, onde conheceu o traçado revitalizado da BR-476, bem como os ônibus articulados que usam combustível 100% à base de soja. A delegação percorreu ainda parte do eixo Boqueirão.

Fonte: URBS

Share |
READ MORE - Grupo de Transporte do Mercosul conhece experiência de Curitiba

CPTM: Obras de melhoria modificam operação em algumas linhas

A CPTM [Companhia Paulista de Trens Metropolitanos] executará obras e intervenções de manutenção para melhoria do sistema em quatro linhas nos dias 17 e 18 de setembro [sábado e domingo]. Os serviços são feitos no fim de semana com o objetivo de minimizar os impactos aos usuários. Veja abaixo como fica a operação em cada linha:

Linha 7-Rubi [Luz-Jundiaí]
A partir das 16h00 do sábado [18], até o final da operação comercial de domingo [19], devido às obras de construção da nova estação de Franco da Rocha, os trens partirão da Estação da Luz com destino a Caieiras e Francisco Morato, de forma alternada, com aumento do intervalo entre as partidas.

Linha 8-Diamante [Júlio Prestes - Itapevi]Das 8h00 às 20h00 de domingo [19], por conta de obras de reforma e modernização da Estação Engenheiro Cardoso, os trens partirão de Júlio Prestes com destino a Barueri e Itapevi, alternadamente, aumentando o intervalo entre uma composição e outra.

Linha 11-Coral [Luz - Estudantes] - Expresso LesteNo domingo [19], ao longo de todo o dia, a partir das 4h00 até o final da operação comercial, os trens sofrerão aumento no intervalo e partirão da Estação Luz, de forma alternada, com destino a Corinthians-Itaquera e Guaianazes. O motivo é a implementação de melhorias na cobertura da Estação José Bonifácio.

Linha 11-Coral [Luz - Estudantes] - trecho Guianazes - Estudantes
A partir das 10h00 de sábado [18] até o final da operação comercial, devido a obras de modernização da Estação Calmon Viana, os trens partirão com maiores intervalos de Guaianazes, alternadamente, com destino a Calmon Viana e Estudantes. No domingo [19], do início da operação comercial até seu final, os trens partirão de Guaianazes com destino a Suzano e Estudantes, alternandamente. A razão é a execução de serviços de manutenção preventiva da rede aérea de alimentação elétrica no trecho entre Jundiapeba e Mogi das Cruzes.

Fonte: CPTM

Share |
READ MORE - CPTM: Obras de melhoria modificam operação em algumas linhas

SPTrans altera itinerários para passeio ciclístico e caminhada no Belém

Em função do passeio ciclístico e caminhada no bairro do Belém, na Rua Elói Cerqueira entre as Ruas Julio de Castilhos e Rua Herval, na zona leste, neste domingo, dia 19 de setembro, das 8h às 11h, a SPTrans informa a alteração nos itinerários de 12 linhas de ônibus que trafegam na região.
Para informações sobre linhas e trajetos de ônibus consulte itinerários ou ligue 156.
Linhas e itinerários:
172N/10 Shop. Center Norte – Metrô Belém
Ida
: sem alteração
Volta: normal até a Rua Herval, Rua Siqueira Bueno, Rua Julio de Castilho, Rua Eloi Cerqueira, Rua Cajuru, prosseguindo normal.
271F/10 Metrô Belém - Shop. Center Norte
Ida:
normal até a Rua Herval, Rua Siqueira Bueno, Rua Julio de Castilho, Rua Eloi Cerqueira, Rua Cajuru, prosseguindo normal.
Volta: sem alteração.
702C/10 Jd. Bonfiglioli - Metrô Belém
Ida:
sem alteração
Volta: Normal até a Rua Herval, Rua Siqueira Bueno, Rua Julio de Castilho, Rua Eloi Cerqueira, Rua Cajuru, prosseguindo normal.
172P/10 V. Zilda – Metrô Belém
172Y/10 V. Constança – Metrô Belém
172R/10 Jaçanã – Metrô Belém
172K/10 Jd. Tremembé – Metrô Tatuapé
Ida:
sem alteração.
Volta: normal até a Rua Herval, Rua Siqueira Bueno, Rua Julio de Castilho, Rua Eloi Cerqueira, Rua Cajuru, prosseguindo normal.
372R/10 Pq.São Rafael – Metrô Belém
Ida:
sem alteração.
Volta: normal até a Rua Herval, Rua Siqueira Bueno, Rua Julio de Castilho, Rua Eloi Cerqueira, Rua Cajuru, prosseguindo normal.
3701/10 Jd. da Conquista – Metrô Belém
Ida:
sem alteração.
Volta: normal até a Rua Herval, Rua Siqueira Bueno, Rua Julio de Castilho, Viaduto Guadalajara, prosseguindo normal.
3112/10 V. Industrial - Metrô Belém
4729/10 Pq. Bancário – Metrô Belém
Ida:
sem alteração.
Volta: normal até a Rua Cajuru, Rua S. Leopoldo, Rua Julio de Castilho, Viaduto Guadalajara, prosseguindo normal.
574R/10 Term. Sapopemba/Teotonio Vilela – Metrô Belém
Ida:
sem alteração.
Volta: normal até a Rua Cajuru, Rua S. Leopoldo, Rua Julio de Castilho, Viaduto Guadalajara, prosseguindo normal.

Fonte: SPTrans

Share |
READ MORE - SPTrans altera itinerários para passeio ciclístico e caminhada no Belém

Designers propõem um novo metrô suspenso

São Paulo - A Bienal Brasileira de Design, que ocorre em Curitiba, no Paraná, conta com projetos interessantes, desenhados por jovens recém-formados. Um deles chama a atenção. É o Sistema Suspenso de Transporte, projetado pelos alunos Elisa Irokawa e Rafael de Oliveira Costa, da Universidade Estadual de Minas Gerais.

O objetivo dos dois designers é solucionar os problemas de transporte público, que atingem as grandes metrópoles brasileiras. A partir de torres de aço carbono e um par de estrutura elevada onde são fixados os trilhos, os vagões mais estreitos e mais leves se deslocam em suas laterais por meio de tecnologia de eletromagnetismo, usando energia limpa.

Na visão dos desigers, essa nova forma supsensa de metro poderia desafogar o trânsito caótico das grandes cidades. O projeto faz parte do programa Design Excellence Brazil e é finalista do IF Concept Award, na Alemanha. A Bienal Brasileira de Design segue até o próximo dia 31 de outubro.

Fonte: Revista EXAME

Share |
READ MORE - Designers propõem um novo metrô suspenso

São Paulo: Dirigentes do metrô fazem plantão especial em 15 estações

Na próxima semana, os dirigentes do Metrô estarão em 15 estações para ouvir diretamente dos usuários suas necessidades, reclamações, elogios e sugestões. A ação será na segunda-feira [20], quarta-feira [22] e quinta-feira [23], entre 7h e 9h e das 17h às 19h.

A iniciativa faz parte do programa "Dirigente de Plantão", que desde 2008 complementa os canais de relacionamento da empresa com os usuários das estações. O programa ocorre na segunda semana de cada mês e envolve o Plano Representativo e demais cargos de liderança.

Estações participantes - setembro 2010

Linha 1-Azul: Conceição, Vila Mariana, São Joaquim, Armênia e Parada Inglesa
Linha 2-Verde: Sacomã, Clínicas e Santos-Imigrantes
Linha 3-Vermelha: Santa Cecília, Marechal Deodoro, Bresser-Moóca, Penha e Artur Alvin
Linha 5- Lilás: Santo Amaro e Capão Redondo

Fonte: Metrô SP

Share |
READ MORE - São Paulo: Dirigentes do metrô fazem plantão especial em 15 estações

São Paulo: Governo revoga estudo sobre fim de cobrador em ônibus metropolitano

O governo de São Paulo cancelou a criação de um grupo para analisar "a necessidade da existência de cobrador" nos ônibus da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU). A Secretaria dos Transportes Metropolitanos alegou a "necessidade de adequações" nos "termos" da resolução, que foi algo de críticas de líderes sindicais. A categoria dos metroviários vê a medida como uma ameaça à presença dos cobradores nos coletivos que fazem trajetos urbanos intermunicipais. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.
A resolução, publicada nesta semana, estipulava que a necessidade dos cobradores fosse analisada junto com as alternativas de cobrança de bilhetagem eletrônica. A EMTU opera 650 linhas somente na Grande São Paulo. A empresa havia informado que iria "estudar as alternativas de cobrança automatizada das tarifas com ou sem cobrador". "A ausência do cobrador dificulta a vida do motorista, que precisa manipular dinheiro. Isso provoca atrasos. E onde ele foi tirado não teve redução de tarifa", diz Francisco Mendes da Silva, do sindicato dos rodoviários no ABC paulista.

Fonte: Terra

Share |
READ MORE - São Paulo: Governo revoga estudo sobre fim de cobrador em ônibus metropolitano

Paulistano gasta 2 horas e 42 minutos no trânsito diariamente, mostra pesquisa

Os moradores de São Paulo gastam, em média, duas horas e 42 minutos por dia com deslocamentos para realizar suas atividades cotidianas. O dado consta de uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira pelo Movimento Nossa São Paulo e o instituto de pesquisas Ibope.
Foram ouvidos 805 moradores da cidade entre os dias 25 e 30 de agosto. A apresentação dos resultados do estudo faz parte das atividades programadas pelo Nossa São Paulo para a Semana de Mobilidade Urbana, que termina na próxima quarta-feira (22), Dia Mundial Sem Carro.
Segundo o levantamento, só para ir e voltar do trabalho, o paulistano gasta, em média, uma hora e 49 minutos. Do total de entrevistados, 11% gastam três horas ou mais.
Entre os moradores ouvidos, 68% consideram a situação do trânsito de São Paulo péssima ou ruim. Todos os serviços de locomoção receberam da população nota abaixo da média. Em uma escala de 1 a 10, o item trânsito teve nota 3,3.

Fonte: Folha.com
Share |
READ MORE - Paulistano gasta 2 horas e 42 minutos no trânsito diariamente, mostra pesquisa

Trânsito precisa de medidas a longo prazo, diz coordenador do Nossa São Paulo

O trânsito só melhorará se as políticas públicas forem pensadas a médio e longo prazos, segundo avaliação de Maurício Broinizi Pereira, coordenador do Movimento Nossa São Paulo. Pesquisa divulgada pelo movimento nesta quinta-feira mostra que o paulistano passa, em média, 2 horas e 42 minutos no trânsito por dia.
Para 67% dos entrevistados, as medidas adotadas pelo governo deveriam priorizar o transporte público. A pesquisa foi feita pelo instituto Ibope com 805 pessoas, entre os dias 25 e 30 de agosto.
Pereira afirma que um dos grandes problemas do trânsito é a falta de planejamento. Segundo ele, as medidas adotadas pela prefeitura não consideram a integração entre os diversos meios de transporte público da Grande São Paulo.
"O trânsito é feito para o carro, as obras viárias são pensadas para o transporte individual", afirma. Para Pereira, o trânsito melhoraria com políticas que privilegiassem pedestres e ciclistas.
De acordo com a pesquisa, 25% dos paulistanos se mostraram dispostos a usar bicicleta todo os dias se existissem mais ciclovias na cidade.
Considerando a amostragem de entrevistados, 5,2 milhões de moradores utilizariam outras ciclofaixas nos moldes da existente, que liga o Parque das Bicicletas, do Ibirapuera e o Parque do Povo.
DIRETRIZES
O Movimento Nossa São Paulo apresentará na segunda-feira (20) diretrizes de um projeto de mobilidade para a cidade. Segundo Pereira, apesar de previsto desde 2002 no Plano Diretor do município, o projeto ainda não foi feito.
As diretrizes incluem, de acordo com Pereira, ampliação do número de corredores de ônibus e adoção de um sistema semelhante ao que existe em Bogotá (Colômbia) e Curitiba (PR), no qual a passagem é comprada no próprio ponto de ônibus.
Também serão sugeridas a ampliação da proibição de estacionamento, a instituição do trânsito lento em vias secundárias e a implantação de uma malha cicloviária central e outras 31 nas subprefeituras da cidade.
"É necessário um olhar novo sobre as calçadas, dar prioridade ao pedestre. Tem que ser uma política integrada entre prefeitura e as concessionárias de luz, água e gás", diz Pereira.
Ele afirmou ainda que o número de motos na cidade poderia diminuir com a melhora do trânsito. Segundo ele, o uso de moto cresce em função do congestionamento. "Se o transporte público funcionar bem e o passageiro tiver a certeza de que demorará, por exemplo, meia hora para chegar ao destino, talvez o office-boy possa voltar."
Entre as pessoas pesquisadas que usam carro todos os dias, 76% afirmaram que deixariam de usá-lo caso houvesse uma boa alternativa de transporte; 65% disseram que pretendem aderir ao Dia Mundial Sem Carro, que acontece no próximo dia 22.

Fonte: Folha.com

Share |
READ MORE - Trânsito precisa de medidas a longo prazo, diz coordenador do Nossa São Paulo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960