DF: Justiça obriga 80% da frota do metrô na hora de pico

terça-feira, 23 de março de 2010


O presidente do Tribunal Regional do Trabalho, desembargador Mário Caron, determinou, no início da tarde desta terça-feira (23), que os metroviários cumpram percentual mínimo de 80% do efetivo durante a volta para casa dos trabalhadores brasilienses.

Em decisão liminar, o desembargador do Trabalho determinou ao sindicato da categoria, em greve desde a 0h desta terça-feira, que mantenha 60% da frota no pico da manhã (das 6h às 9h), 30% da frota no intervalo entre picos e 80% no fim do dia (das 16h às 19h). A decisão tem efeito imediato.

O TRT se manifestou em ação protocolada nesta manhã pelo Metrô-DF, onde a Companhia argumenta que não foram observados os prazos legais de notificação do movimento com antecedência mínima de 72 horas (art. 13 de Lei de Greve). O Metrô-DF questionava ainda o percentual de 30% de operação, definido pelo sindicato, o que colocaria em risco a segurança dos usuários do sistema. Como prova do transtorno enfrentado pela população, foram anexadas cópias das imagens registradas pelo Circuito Fechado de TV das estações.

Falta de energia
A operação do Metrô-DF foi interrompida no início da tarde (por volta de 1h20) pela queda no fornecimento de energia. Todas as estações foram fechadas por aproximadamente 30 minutos até a retomada total no sistema elétrico.

Fonte: Agência Brasília


Video: G1
READ MORE - DF: Justiça obriga 80% da frota do metrô na hora de pico

Passe livre em coletivos urbanos aos domingos em Caxias do Sul está ameaçado de extinção


A Secretaria do Trânsito, Transportes e Mobilidade (STTM) e a Viação Santa Tereza (Visate) tornaram público um pacote de medidas para fazer a revisão das gratuidades da tarifa no transporte coletivo de Caxias do Sul. As propostas indicam até a possibilidade de extinção do passe livre no último domingo de cada mês.Na conta para reduzir gratuidades entram as isenções para Pessoas Portadoras de Deficiência (PPDs), que passariam a ter direito a 40 passagens por mês em vez de livre utilização como ocorre hoje.

A tarifa estudantil também consta nos estudos. Para obter o desconto de 50%, como ocorre hoje, o estudante terá de ganhar até dois salários mínimos. Quem tem rendimentos até cinco salários mínimos, teria direito a 25% de desconto sobre o valor da passagem, de R$ 2,20. O critério renda per capita também seria utilizado para conceder o benefício a pessoas entre 60 anos e 65 anos.
Segundo o titular da STTM, Vinicius Ribeiro, a ideia não é retirar direitos e benefícios, mas encontrar saídas para fazer valer inclusive o que estabelece a legislação. Pela lei, para serem implementadas novas gratuidades é preciso indicar as fontes de receitas para custear a instituições de novas isenções.

Fonte: Pioneiro
READ MORE - Passe livre em coletivos urbanos aos domingos em Caxias do Sul está ameaçado de extinção

Ônibus biarticulado chama a atenção em SP


O modelo de ônibus conhecido como Top Bus chamou a atenção de quem passava nessa tarde de sábado (20) pela rodovia SP-147, no trecho entre Mogi Mirim e Limeira. O ônibus biarticulado, segundo o morador Wagner Guidi, "é uma novidade na região, porque circula mais só na capital".
O Top Bus é conhecido como o maior ônibus do mundo. Tem capacidade para transportar 161 passageiros, sendo 63 sentados e 98 em pé. Suas proporções impressionam: são 3,5 m de altura, 2,5 m de largura e 26,78 m de comprimento. Há modelos em circulação nas cidades de São Paulo (SP) e Goiânia (GO) e Curitiba(PR).

Fonte: Terra
READ MORE - Ônibus biarticulado chama a atenção em SP

Transporte de ônibus e micro-ônibus do DF é restabelecido


Cerca de 100 mil usuários das linhas de ônibus e micro-ônibus da Alternativa (Cooperativa de Trabalho do Transporte Autônomo de Passageiros Regular) e da Cootarde (Cooperativa de Transportes Alternativos do Recanto das Emas) podem voltar a utilizar os serviços das duas cooperativas na tarde desta terça-feira (23).

Pela manhã, os funcionários decretaram greve por tempo indeterminado e estacionaram quase duzentos veículos em volta da sede do governo do Distrito Federal, o Palácio do Buriti, como forma de se manifestar contra as linhas prometidas e não oferecidas, por contrato de licitação do governo do DF.

Após reunião com representantes das duas partes, o DFTrans, órgão gestor ligado à Secretaria de Transportes do DF, pediu o prazo de uma semana para fazer um relatório para readequar os termos negociados anteriormente. Neste meio tempo, compromisso é de que os usuários sejam normalmente abastecidos pelo transporte público desses grupos para as cidades-satélites de Brazlândia, Santa Maria e Gama.

Fonte: BOL Notícias
READ MORE - Transporte de ônibus e micro-ônibus do DF é restabelecido

Em Maceió, SMTT faz novas alterações em linhas de ônibus da capital


Novas alterações ocorrem nos transportes coletivos de Maceió, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) informa a população que suas reivindicações e necessidades são estudadas com o intuito de proporcionar-lhe um melhor atendimento.
A primeira acontece na linha 716 – Clima Bom/Pta. Verde/Iguatemi/V. Farol, que terá suas viagens alternadas, sendo duas pela B. do Gonzaga e uma pela Feirinha e Morada. Além disso, nos dias úteis, a viagem de 6h36 sai do Osman (via G. Barbosa).
A linha 602- S. Lira/Iguat./Via D. Leão/Cleto/P.Verde teve seu itinerário revisto e atualizado, além de reajuste na grade horária, de acordo com a mudança operacional na região do Salvador Lira. Veja:
Ida: Terminal Salvador Lira; Av. Dr. Julio Cesar M. Uchoa; Estrada do Rio do Meio; Rua Carlos Gomes De Barros; Av. Gov. Luiz Cavalcante; Rua Eliezer Rufino de Castro; Rua 3 – Conj. Jose Maria de Melo; Rua Desemb. Carlos de Gusmao; Rua Luiz B. Xavier; Rua Ver. M. Vieira Peixoto; Rua Hamilton Moraes; Rua Antonio Magalhães; Rua Pedro Braga Dubeaux Leaorua Santana; Av. Durval de Goes Monteiro; Av. Fernandes Lima; Praca do Centenario; Av. Moreira E Silva; Rua Santa Cruz; Rua Comendador Palmeira; Av. Dom Antonio Brandao; Ladeira Geraldo Santos Melo; Av. Humberto Mendes; Av. Maceio; Praca Da Liberdade; Rua Jangadeiros Alagoano; Praca Lions; Rua Eng. Mario de Gusmao; Av. Alvaro de Otacilio; Av. Dr. Antonio Gomes de Barros; Av. Dona Constanca; Shopping Center Iguatemi.
Volta: Shopping Center Iguatemi; Av. Dona Constanca; Rua Industrial Moacir Duarte; Av. Gustavo Paiva; Bomba da Marieta; Av. Comendador Calaca; Praca Senhor do Bonfim; Ladeira Geraldo Santos Melo; Av. Thomas Espindola; Praca do Centenario; Av. Fernandes Lima; Av. Durval de Goes Monteiro; Rua Santana; Rua Luiz B. Xavier Rua Ver. M. Vieira Peixoto; Rua Hamilton Moraes; Rua Antonio Magalhaes; Rua Pedro Braga Dubeaux Leao; Rua Desemb. Carlos De Gusmao; Rua 3 – Conj. Jose Maria de Melo; Rua Eliezer Rufino de Castro; Av. Gov. Luiz Cavalcante; Rua Carlos Gomes de Barros; Estrada do Rio do Meio; Av. Dr. Julio Cesar M. Uchoa; Terminal Salvador Lira.

Dias úteis: 05:10; 05:30; 05:45; 06:00; 06:12; 06:24; 06:36; 06:48; 07:00; 07:12; 07:24; 07:36; 07:50; 08:05; 08:20; 08:35; 08:50; 09:10; 09:30; 09:45; 10:00; 10:15; 10:30; 10:45; 11:00; 11:15; 11:30; 11:45; 12:00; 12:15; 12:30; 12:45; 13:00; 13:15; 13:30; 13:45; 14:00; 14:20; 14:40; 15:00; 15:20; 15:40; 16:00; 16:16; 16:32; 16:48; 17:04; 17:20; 17:36; 17:52; 18:10; 18:30; 18:50.
Sábados: 05:15; 05:45; 06:15; 06:40; 07:05; 07:30; 08:00; 08:30; 09:00; 09:25; 09:50; 10:15; 10:40; 11:05; 11:35; 12:05; 12:35; 13:05; 13:35; 14:05; 14:35; 15:05; 15:40; 16:15; 16:50; 17:25; 18:00; 18:35; 19:10; 19:45; 20:20; 21:00; 21:40; 22:20.
Domingos e Feriados: 05:30; 06:00; 06:30; 07:00; 07:30; 08:00; 08:25; 08:50; 09:15; 09:40; 10:05; 10:30; 11:00; 11:30; 12:00; 12:25; 12:50; 13:15; 13:40; 14:05; 14:30; 15:00; 15:30; 16:00; 16:30; 17:00; 17:35; 18:10; 18:45. 19:20; 19:55; 20:35; 21:15; 21:55; 22:35.
A linha 039 – Cleto Marques Luz/Centro, devido à demanda, passou por reajuste da programação dos sábados. Veja:
Dias úteis: 05:15; 05:40; 06:00; 06:13; 06:25; 06:35; 06:45; 06:53; 07:01; 07:09; 07:17; 07:25; 07:33; 07:42; 07:51; 08:00; 08:10; 08:20; 08:30; 08:40; 08:50; 09:00; 09:13; 09:26; 09:39; 09:52; 10:05; 10:16; 10:27; 10:38; 10:49; 11:00; 11:11; 11:22; 11:33; 11:44; 11:55; 12:06; 12:17; 12:28; 12:39; 12:50; 13:05; 13:20; 13:35; 13:50; 14:05; 14:20; 14:35; 14:50; 15:05; 15:20; 15:35; 15:50; 16:05; 16:20; 16:35; 16:50; 17:05; 17:20; 17:35; 17:50; 18:10; 18:30; 18:50; 19:15; 19:45; 20:15; 20:45; 21:15; 21:50; 22:30.
Sábados: 05:15; 06:00; 06:20; 06:36; 06:52; 07:08; 07:24; 07:40; 07:56; 08:12; 08:28; 08:44; 09:00; 09:20; 09:40; 10:00; 10:16; 10:32; 10:48; 11:04; 11:20; 11:40; 12:00; 12:20; 12:40; 13:10; 13:40; 14:10; 14:50; 15:30; 16:10; 16:50; 17:30; 18:10; 18:50; 19:30; 20:10; 21:00; 21:50.
Domingos e Feriados: 06:00; 06:50; 07:40; 08:30; 09:20; 10:10; 11:00; 11:50; 12:40; 13:30; 14:20; 15:10; 16:00; 16:50; 17:40; 18:30; 19:20; 20:10; 21:00; 21:50.

Fonte: O Jornal
READ MORE - Em Maceió, SMTT faz novas alterações em linhas de ônibus da capital

Bento: Bilhetagem eletrônica para ônibus deve ser implantada até o final do ano

Atualmente, o município conta com duas empresas de ônibus, e o passageiro que tiver o ticket de uma das empresas só pode utilizar a mesma. Nós conversamos com o Diretor Geral de Trânsito de Bento Gonçalves Pedro Soliman que fala que o problema só será resolvido quando for implantada a bilhetagem eletrônica.
Soliman cita com exemplo a bilhetagem eletrônica em Porto Alegre. Um especialista de trânsito será contratado pelo município e o objetivo é colocar em prática um cartão eletrônico até o final do ano, beneficiando o passageiro.
  • Confira a matéria em áudio com o repórter Agnelo Juchem.
READ MORE - Bento: Bilhetagem eletrônica para ônibus deve ser implantada até o final do ano

Em BH, Nova linha amplia atendimento à Cidade Administrativa


Servidores estaduais que já trabalham na Cidade Administrativa contam com nova linha implantada pela BHTRANS A partir de segunda-feira, 22/03, começa a circular a linha de ônibus 66 -Estação Vilarinho/Savassi via Hospitais, criada com o objetivo de facilitar os deslocamentos dos servidores estaduais para a Cidade Administrativa do Estado de Minas Gerais.

Com a implantação dessa linha, a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da BHTRANS, proporciona aos usuários outra opção de deslocamento, com itinerário passando por vias da Região Hospitalar e pela Avenida Cristiano Machado.

Inicialmente, a linha vai funcionar nos horários de pico da manhã, das 6h15 às 8h, e da tarde, das 16h45 às 18h30, nos dias úteis. No período da manhã, os ônibus vão partir da Rua Professor Moraes, 139, Funcionários (ponto inicial), na ida para a Cidade Administrativa, e, à tarde, eles sairão da Estação Vilarinho, passando pela Cidade Administrativa e retornando pela Avenida Cristiano Machado em direção à Rua Professor Moraes.

  • Pagamento das passagens - As pessoas que forem utilizar o Cartão BHBUS e usufruir dos benefícios das integrações tarifárias poderão comprar créditos ou recarregar o cartão nos postos do Transfácil (consórcio responsável pela venda e comercialização do Cartão BHBUS), nas estações BHBUS e do metrô.
Os usuários também podem comprar o Cartão BHBUS Retornável à venda em todos os ônibus com os agentes de bordo.

O serviço de atendimento do Transfácil é feito pelo telefone 3248-7300. Outras informações das linhas de ônibus da capital podem ser obtidas por meio da Central de Relacionamento Telefônico da Prefeitura, 156.

Fonte: BHTrans
READ MORE - Em BH, Nova linha amplia atendimento à Cidade Administrativa

Prefeitura de Rio Branco recebe 35 novos ônibus que vão operar na capital


A Prefeitura de Rio Branco através da RBTRANS recebe esta semana, 35 novos ônibus que passam a ser usados nas principais linhas da Capital. A aquisição dos veículos faz parte de um pacote de medidas adotadas pela atual gestão para melhorar o sistema de transporte coletivo da cidade, que passa por um processo de modernização tecnológica, a partir da implantação do sistema de bilhetagem eletrônica e vai até a renovação total da frota atual.
Estes 35 novos ônibus vão atender linhas prioritárias em substituição aos veículos que estão com idade superior ao considerado aceitável. Entre as novidades adotadas para aprimorar o Sistema de Transporte Coletivo e garantir acessibilidade, destacam-se veículos do tipo “micrão” mais curtos, que facilitam o acesso a regiões de ruas estreitas, permitindo agilidade de manobras e que serão deslocados para atender as linhas que possuem um número menor de passageiros;
Os novos veículos estarão em circulação a partir da próxima semana e a expectativa é de que 100% da frota seja renovada até 2011, gradativamente todas as linhas serão contempladas com as mudanças.Ao longo do ano de 2010, outras medidas serão adotadas para a continuidade do processo de qualidade na prestação do serviço de transporte na capital, são elas: Desenvolvimento de campanhas educativas com a finalidade de promover a boa relação entre usuários e operadores do sistema; Desenvolvimento de um programa de requalificação para fiscais, motoristas e cobradores que atuam no sistema de transporte coletivo da capital. Disponibilização do cartão de bilhetagem eletrônica categoria “criança”, para atender crescente demanda existente; Melhoria dos serviços dos operadores de telemarketing existente no Sindcol; implantação do sistema de qualidade dos serviços concedidos, com base ISSO 9000;

  • O Transporte Coletivo de Rio Branco
O sistema de transporte público coletivo por ônibus de Rio Branco é composto por 36 linhas e é operado por quatro empresas: Via Verde, Floresta, São Judas Tadeu e Rápido São Roque. Os itinerários das linhas do sistema possuem, em geral, características bairro centro e vice-versa, tendo como principal ponto de convergência o Terminal Urbano. A expectativa é de que até o meio deste ano, metade da frota seja renovada, concluindo a substituição até 2011.

  • Sistema de Bilhetagem Eletrônica
Implantado em Rio Branco em 2008, essa ferramenta tecnológica é utilizada nos transportes públicos de algumas cidades do mundo. O sistema permite ao usuário entre outras coisas, viajar pela rede de transportes durante um período de tempo pré-determinado, pagando apenas o valor de uma passagem.
Cada pessoa pode compor seu próprio percurso, já que o sistema é integrado por meio eletrônico, não necessitando passar pelo Terminal Urbano, é a chamada integração temporal, que diminui o fluxo de pessoas no terminal de passageiros de Rio Branco, onde circulam atualmente 50 mil passageiros por dia.São utilizados dispositivos especiais, como os validadores e smart cards, para facilitar o controle. Esta tecnologia oferece melhores condições de administração de todo o sistema, uma vez que cria um arquivo de informações, de acesso fácil e rápido, sobre as viagens realizadas, garantindo agilidade e segurança das informações nele processadas.

Fonte: Notícias da Hora
READ MORE - Prefeitura de Rio Branco recebe 35 novos ônibus que vão operar na capital

DF: Empresas de ônibus e microônibus paralisam atividades nesta terça-feira


Cerca de 100 mil usuários de ônibus no DF foram prejudicados por uma greve iniciada nesta terça-feira (23/3). Duas empresas de transporte coletivo, Cooperativa de Trabalho do Transporte Autônomo de Passageiros Regular (Alternativa) e da Cooperativa de Transportes Alternativos do Recanto das Emas (Cootarde), paralisaram as atividades por tempo indeterminado.
Segundo representantes das cooperativas, o intuito da greve é reivindicar as linhas prometidas por contrato de licitação do Governo do Distrito Federal (GDF) e não foram oferecidas. Da frota de 610 veículos, 30% circulam normalmente no Distrito Federal.
Cerca de 200 ônibus estão parados em volta do Palácio do Buriti. Na frente do órgão, no Eixo Monumental, os veículos ocupam duas faixas, o que causou retenções no trânsito no início desta manhã. Não há bloqueio de Policiais Militares no local.
  • Reivindicação
    De acordo com a categoria, o governo colocou novos ônibus nas linhas que deveriam ser operadas pela Alternativa e Cootarde. Dessa forma, onde circulam, as duas empresas têm poucos passageiros, o que gera prejuízo.
    O diretor da Cootarde, Jefferson Luiz Dias, afirma que as empresas estão em negociação com o Transporte Urbano do DF (DFTrans) há quatro meses. “O governo tem que cumprir o edital. Esses ônibus que estão na nossa linha não passaram por licitações e estão ilegais”, ressalta. Segundo ele, a greve não tem previsão para acabar, pois aguardarão uma resposta do DFTrans.
    De acordo com o DFTrans, já houve uma reunião com a categoria recentemente. Nela, foi explicado que existe uma liminar na Justiça que impede esse remanejamento das linhas. O órgão precisa aguardar a liberação da Justiça para resolver o problema.
Reunião
Os representantes da categoria estão reunidos, neste momento, com um representante da Secretaria de Transportes do DF, Adonis Guimarães, para fazer negociações.
  • Prejudicados
    Os ônibus das cooperativas circulam em todo o Distrito Federal, menos em Taguatinga. Os veículos que estão parados em frente ao Buriti são das linhas de Santa Maria, Ceilândia e Samambaia.
Fonte: Correio Brasiliense
READ MORE - DF: Empresas de ônibus e microônibus paralisam atividades nesta terça-feira

No Rio, Segundo dia de corredor viário tem tempo de espera maior nos pontos de ônibus


O engarrafamento e o tempo de espera nos pontos de ônibus continuam intensos neste segundo dia de funcionamento do corredor viário da Alameda São Boa Ventura, em Niterói, Região Metropolitana do Rio. Apesar das reclamações dos usuários, a secretaria estadual de Transporte afirma que o problema na entrada da alameda já foi solucionado.

“Estou há mais de uma hora esperando um ônibus que passava a cada 15 minutos”, contou revoltada a funcionária pública Lia Siqueira, de 50 anos. Ela também reclama do sol. “A plataforma de embarque fica praticamente toda no sol. Não temos proteção”, completou. Para o frentista do posto de gasolina em frente ao ponto onde Lia pega o ônibus, a explicação é simples: “O problema acontece na altura da Caixa D’Água. Os veículos de passeio atrapalham a entrada dos ônibus no corredor viário”.

  • Secretaria nega problemas na Alameda
    Segundo a secretaria estadual de Transportes, nesta terça-feira (23), não houve problemas na entrada da Alameda, onde os ônibus iniciam o percurso pelo corredor viário. O órgão disse que o problema ocorreu apenas no primeiro dia de funcionamento. A secretaria informou ainda que técnicos da prefeitura estão na altura da Caixa D’Água para orientar motoristas de ônibus a pegar a pista da esquerda na saída da Rodovia Amaral Peixoto.
O comerciante Marcial de Castro, de 25 anos, reclama do tempo que demora de carro para chegar da descida da Alameda até a Estação do Horto, na mesma via. “Antes levada 30 minutos, agora estou levando uma hora”.

Segundo o secretário estadual de transporte, que vistoriou o novo esquema de trânsito nesta terça, o único problema deste segundo dia foi no intervalo de tempo do último sinal, perto da Ponte. “Hoje o trânsito fluiu muito melhor do que ontem e, com certeza, amanhã será melhor ainda”, acredita

Fonte: G1
READ MORE - No Rio, Segundo dia de corredor viário tem tempo de espera maior nos pontos de ônibus

O Rodoanel, 80 anos depois


O governo do Estado de São Paulo garante que as chuvas recordes do verão não atrapalharam seus planos de concluir, até o fim deste mês, os 61,4 quilômetros do Trecho Sul do Rodoanel Mario Covas. A urgência é bem-vinda, pois há 80 anos foram elaborados os primeiros projetos para a construção de um anel viário em torno da região metropolitana, mas somente na década de 90, a partir da gestão Mario Covas/Geraldo Alckmin, o primeiro trecho começou a ser construído na região oeste da Grande São Paulo. No próximo dia 27, o governador José Serra quer entregar o segundo trecho, que interligará a Avenida Papa João XXIII, em Mauá, à Rodovia Régis Bittencourt, passando pelas Rodovias Anchieta e Imigrantes, cortando sete municípios da região metropolitana.
Conforme estimativas da empresa Desenvolvimento Rodoviário S.A., a nova via deverá tirar 301 mil veículos da Marginal do Pinheiros e outros 85 mil da Avenida dos Bandeirantes. Dos 210 mil caminhões que circulam diariamente por vias internas da cidade de São Paulo, entre 40 mil e 55 mil destinam-se a outras cidades, principalmente ao Porto de Santos. Se todos eles usarem o novo trecho do Rodoanel, haverá redução de pelo menos 12% nos índices de congestionamentos da capital.
A conclusão do Rodoanel será seguida pela entrega de outras duas obras de grande importância para o trânsito da região metropolitana: as novas pistas da Marginal do Tietê, que deverão elevar a velocidade média de circulação na via para 59,1 km/h, e a ampliação da Avenida Jacu-Pêssego, entre o Rodoanel, em Mauá, e o Aeroporto de Cumbica.
O objetivo é desatar os nós de tráfego que a cada manhã criam quilômetros de lentidão a partir dos pontos de chegada das rodovias à capital. Sete das dez rodovias que desembocam em São Paulo serão interligadas: Bandeirantes, Anhanguera, Castelo Branco, Raposo Tavares, Régis Bittencourt, Imigrantes e Anchieta. Juntas, essas estradas despejam 500 mil veículos a cada manhã na cidade, cuja malha viária é utilizada por pelo menos 4 milhões de carros, caminhões e ônibus.
O prefeito Gilberto Kassab comemora a conclusão do conjunto de obras, acreditando que será "extraordinário para São Paulo, principalmente por reorganizar o trânsito".
Assim será se outras medidas forem tomadas em caráter de urgência. Especialistas alertam que de pouco adiantará o Rodoanel, se não houver melhoria do transporte público e da regulamentação do transporte de carga na capital.
O Trecho Oeste do Rodoanel, que liga o sistema Anhanguera-Bandeirantes à Rodovia Régis Bittencourt é prova disso. Quando inaugurado, chegou a ser chamado de elefante branco por ambientalistas e urbanistas. Já os defensores da obra asseguravam que ela reduziria 16% do movimento da Marginal do Pinheiros.
Foi o que ocorreu. No entanto, sem a organização do transporte público e da circulação de cargas, em oito anos o trecho se transformou numa nova Marginal. O Rodoanel reduziu em 15% a lentidão, de início, mas, desde então, mais de 1,3 milhão de veículos foram incorporados à frota de São Paulo. E hoje, mesmo com a cobrança de pedágio naquela via, mais de 200 mil veículos a utilizam diariamente. Com a conclusão do Trecho Sul, estima-se aumento de 30% no movimento do Trecho Oeste do Rodoanel.
Tivesse o projeto do anel viário sido complementado pela execução efetiva do plano integrado de transporte público, elaborado no início do governo Marta Suplicy, o crescimento da frota não teria sido tão acelerado. Novas linhas de metrô e melhores e mais amplos serviços de ônibus e trens teriam desestimulado a opção da população pelo transporte individual. A construção do Ferroanel também deveria ter sido iniciada há décadas, retirando-se os trens de carga da malha urbana.
São soluções há muito tempo previstas e que, atrasadas, comprometem a eficácia de projetos como o Trecho Sul do Rodoanel.

Fonte: Estadão
READ MORE - O Rodoanel, 80 anos depois

Governo quer reativar trem de passageiros até Sorocaba


Decreto assinado pelo governador José Serra ampliando a área de atuação da Secretaria dos Transportes Metropolitanos para a região de Sorocaba confirma a intenção do governo em restabelecer o transporte regular de passageiros entre a Capital e cidades próximas.
Sorocaba poderá ser a primeira cidade a ter novamente o trem de passageiros. Ao jornal “O Estado de S. Paulo”, o secretário dos Negócios Metropolitanos, José Luiz Portella, disse que, “em até dois meses, os técnicos de sua pasta estarão em condições de apresentar um plano nessa linha”. E foi além: “Hoje, há um trânsito de pessoas que moram em Sorocaba e trabalham em São Paulo. Muitas usam ônibus fretados, mas isso vai passar a ser feito, em algum momento, por trem”.
Rodrigo Moreno, secretário de Governo da Prefeitura de Sorocaba, disse que Vitor Lippi (PSDB) acompanha o caso. “O prefeito já solicitou informações ao governo e vai acompanhar de perto o projeto antes de dar uma opinião oficial sobre o assunto.”

Fonte: Bom Dia Bauru
READ MORE - Governo quer reativar trem de passageiros até Sorocaba

Tarifa promocional do metrô aumenta em 40% fluxo de passageiros entre 5h e 6h


Muitos passageiros acordaram mais cedo nesta segunda-feira (22) para aproveitar o primeiro dia de descontos na tarifa do metrô no horário entre 5 e 6h.
Nesse período, a passagem custa R$ 1,50. De acordo com a concessionária responsável pelo transporte, cerca de sete mil pessoas usaram o transporte no período promocional, o que representa um aumento de 40% no fluxo de passageiros nesse horário.
A redução no valor da passagem, que custa R$ 2,80 nos demais períodos, tem como objetivo reduzir a superlotação dos vagões nos horários de pico. O horário promocional é válido em todas as 34 estações das linhas 1 e 2 e nos ônibus da linha "Metrô na Superfície". O desconto não é valido para embarques com vale transporte eletrônico, cartões Riocard e Bilhete Único.
Também não estão incluídos no preço de R$ 1,50 os serviços de Integração Expressa, Intermunicipal, Barra Expresso, Oeste Expresso e a ligação com a SuperVia. Os bilhetes promocionais são válidos por 48 horas e só podem ser usados de segunda a sexta-feira, exceto feriados. O secretário estadual de transportes, Júlio Lopes, espera elevar em dez mil o número de passageiros no horário promocional.
“Este desconto, de R$ 2,80 para R$ 1,50, é um benefício duplo, pois, além de desonerar os usuários, reduz a concentração de passageiros nos horários de maior fluxo. Hoje, 35% dos 550 mil passageiros atendidos diariamente embarcam entre 6h30 e 9h30. Vamos acompanhar diariamente o desenvolvimento desta campanha. Esperamos elevar para mais de dez mil o número de pessoas viajando no período promocional”, disse o secretário.
Fonte: G1
READ MORE - Tarifa promocional do metrô aumenta em 40% fluxo de passageiros entre 5h e 6h

Em Goiânia, Alterações em sistema não atingem objetivo


Tendo como justificativa a busca de um modelo de transporte coletivo que atenda satisfatoriamente a população, a Companhia Municipal de Transportes Coletivos (CMTC) e o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Goiânia (Setransp) têm realizado uma série de mudanças desde o ano passado.

Entre as inovações estão o Citybus, o serviço de informação por mensagem de celular e ligações gratuitas, a criação do cartão integração, a proibição da ação de vendedores nos ônibus e nos terminais e as recentes mudanças de itinerário. As mudanças não agradaram a população, como ficou nítido na manifestação que ocorreu na última terça-feira no Terminal Praça da Bíblia, que paralisou o serviço de transporte público na região por três horas e meia.

Os projetos de melhoria começaram em abril do ano passado com a implantação do Citybus, que deveria ser um serviço complementar diferenciado de transporte coletivo e entrou em circulação com tarifa de R$ 4,50. Em de julho do mesmo ano, com objetivo de aumentar a demanda do Citybus, a CMTC e o Setransp anunciaram novas opções de intinerário e de tarifa. O “bilhete citybus 1 dia”, com qual o passageiro pode usar o transporte especial várias vezes ao dia pagando R$ 6. Nos finais de semana a tarifa é de R$ 2,25.

De acordo com o diretor-técnico da CMTC, Denício Trindade, este sistema foi implantado com o propósito de atender uma classe diferenciada, e diminuir o número de veículos particulares. “A princípio, o estudo que foi feito, em cima de pesquisas, era para atender as classes A e B, mas vimos que não atingiu o objetivo, então reestruturamos, mantendo o mesmo foco e mudando as linhas, todavia, a demanda continuou insatisfatória”. Com menos da metade da expectativa de passageiro usando o Citybus, a Companhia direcionou o sistema para as classes C e D, que também tem veículo próprio. As tarifas, que eram altas, também sofreram modificações.

Para Denício, a não ascensão da sociedade ao transporte se dá por uma questão cultural, porém, ele acredita que “com as últimas mudanças, vai funcionar”.Outra inovação foi o cartão integração, criado para desafogar terminais que sempre estão lotados. Mas apenas 3,6% das 800 mil pessoas que utilizam o serviço diariamente estão cadastradas no sistema que oferece aos passageiros a chance de utilizar duas linhas, pagando apenas uma passagem (tarifa de R$ 2,25), em qualquer ponto fora dos 20 terminais da região metropolitana de Goiânia.

O serviço foi lançado em outubro de 2009, com a meta de atingir pelo menos metade dos usuários do sistema e fazer com que cerca de 97 mil passageiros, principalmente dos terminais da Praça da Bíblia e da Praça A, cuja estrutura não comporta mais a demanda de cerca de 70 mil usuários por dia, não circulassem pelas plataformas.

Cinco meses depois da implantação do serviço, apenas 29.539 aderiram ao sistema.Denício explica que as pessoas ainda não sabem a importância do cartão e até acham que vão pagar mais caro, mas ele avisa que a tarifa é a mesma. A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) e o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de Goiânia (Setransp) reconhecem que a falta de informações e de divulgação do cartão são os principais problemas para a adesão mínima. “Estamos estudando para melhor divulgar essas ações, com uma linguagem popular. A CMTC não está parada”, afirma o diretor-técnico.

Quanto à questão da burocracia e excesso de documentos para adquirir o cartão, o presidente da CMTC, Marcos Massad, revela que é preciso apenas preencher uma ficha, uma cópia do documento de identidade e duas fotos.

Fonte: O Hoje

READ MORE - Em Goiânia, Alterações em sistema não atingem objetivo

Frota de BH cresce 7 vezes mais que população em 10 anos


O engenheiro Aarão Reis, chefe da comissão construtora de Belo Horizonte, acreditava ter planejado uma cidade livre dos congestionamentos. O relatório assinado por ele e aprovado por decreto, em 1895, mostrava como seriam os corredores da capital inaugurada, em 1897: “Às ruas, fiz dar a largura de 20 metros, necessária para a conveniente arborização, a livre circulação dos veículos (…). Às avenidas, fixei a largura de 35 metros, suficiente para dar-lhes a beleza e o conforto que deverão, de futuro, proporcionar à população (…)”.

Mas o especialista não poderia imaginar que a frota de veículos do antigo Curral del-Rey cresceria de forma tão rápida. Grande parte do problema enfrentado hoje por motoristas e passageiros é explicada pela comparação entre dois indicadores: enquanto a frota cresceu 79,5% na última década, o número de moradores subiu apenas 9,5%.

Em números absolutos, a planilha da BHTrans revela que o total de carros, motos, ônibus e caminhões saltou de 679 mil unidades, em 2000, para 1,2 milhão, em 2009 (540 mil unidades a mais). No mesmo período, relatório do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) mostra que a população passou de 2,23 milhões para 2,45 milhões (saldo positivo de 214 mil habitantes). O aumento significativo da frota é reflexo de vários fatores, como a dilatação dos prazos de pagamento oferecidos pelas concessionárias – algumas empresas negociam prestações em até 72 vezes.

No fim de 2009, a decisão da União em reduzir o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos veículos zero para enfrentar a crise mundial também ajudou a impulsionar o mercado.

O fator cultural é outra explicação para o aquecimento nas vendas. “É sinônimo de status”, reforça o consultor e professor universitário Frederico Rodrigues, doutorando em engenharia de transportes pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e mestre na mesma área pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Ele coordenou pesquisas que sobre a Avenida Antônio Carlos e a Linha Verde, duas das principais vias da capital. Os estudos de campo foram feitos pelos alunos da disciplina planejamento de transportes e tráfego do Cefet-MG. Eles ouviram a opinião de 920 motoristas, passageiros e moradores de bairros cortados pelos dois corredores.

A pesquisa apresenta dados que podem orientar o poder público a melhorar o transporte coletivo em ambas as vias. Para se ter uma ideia, 52% dos condutores abordados pelos alunos na Antônio Carlos disseram que estão dispostos a deixar o carro na garagem para usar os ônibus, mas enfatizam que a troca depende de investimentos no saturado sistema de transporte público. Em fevereiro, por exemplo, a greve dos rodoviários mostrou que basta os motoristas decidirem sair de casa com seus carros, ao mesmo tempo, para a cidade parar.

A prefeitura, o governo estadual e a União vêm investindo elevados recursos para melhorar o vaivém de veículos, como o alargamento de vias, entre elas o Anel Rodoviário, a Linha Verde e a Antônio Carlos. A implantação de pistas exclusivas para ônibus nestas duas últimas também foi outra estratégia adotada.

Da mesma forma, a promessa de adotar o transporte rápido por ônibus (BRT, do inglês bus rapid transit) até a Copa do Mundo de 2014, que terá a capital como uma das sedes.O sistema prevê o pagamento antecipado da passagem, a exemplo do que já ocorre em Curitiba (PR), e deve ser instalado nas avenidas Cristiano Machado, Pedro I, Pedro II e Carlos Luz. Todas dão acesso ao estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão.

  • Metrô
Mas a melhoria no trânsito passa pela expansão do metrô, que não atende toda a população em razão do trajeto limitado. A chamada linha 1, construída na década de 1980 e que liga o Bairro Eldorado, em Contagem, à estação Vilarinho, em Venda Nova, transporta 160 mil passageiros por dia. Nos horários de pico, as composições trafegam abarrotadas de pessoas. Algumas não conseguem entrar nos vagões na primeira tentativa.

Em agosto passado, a União repassou R$ 15 milhões à Companhia Brasileira de Trens Urbanos para que a autarquia atualize os projetos básicos dos ramais 2 (Barreiro/área hospitalar) e 3 (Pampulha/Savassi), classificados como essenciais para desafogar o trânsito da cidade.

O projeto vai avaliar os traçados do estudo anterior e outros aspectos, como a sondagem do solo e locais das prováveis estações. Contudo, não há data para que as linhas 2 e 3 saiam do papel. Enquanto a cidade fica refém de mais recursos, condutores e passageiros vão continuar enfrentando os diários congestionamentos, palavra conhecida por qualquer motorista de hoje.

Fonte: UAI Minas
READ MORE - Frota de BH cresce 7 vezes mais que população em 10 anos

Trânsito do Rio a passos de tartaruga


Você sabe qual é o tempo médio de uma viagem em transporte coletivo no Rio? Sessenta e oito minutos, pouco mais de uma hora, com previsão de chegar, num futuro próximo, a insuportáveis 82,39 minutos. E a velocidade média gasta no trânsito? Dezenove quilômetros por hora - com possibilidade de piorar, caindo para 17km/h. Resumindo: o deslocamento na cidade é lento e estressante.

Um dos piores indicadores da América Latina e Caribe, que, por sua vez, também amargam índices ruins. Apenas para ilustrar semelhanças e diferenças - porque muitos dados estão defasados ou foram coletados por diversas fontes -, a Cidade do México consegue ter um deslocamento até mais enervante: uma viagem em transporte público pode levar de 90 a 120 minutos.

  • Santiago conta com bilhete único
    O número, além de útil na comparação, serve para mostrar a complexidade da engenharia de trânsito. Se os engarrafamentos são diários numa cidade como a do México, que chega a transportar cinco milhões de pessoas em seu metrô - dez vezes mais do que a rede no Rio - , o que os usuários do sistema carioca podem esperar do futuro?
    Os vizinhos mais próximos também vêm tentando responder a essa pergunta. Com um metrô considerado exemplar, a cidade de Santiago, no Chile, tem um gasto médio de tempo em viagens bem mais razoável que o Rio: 38 minutos. E a uma velocidade um pouco maior: 22km/h. Leva ainda a vantagem de contar com a tarifa única, que permite ao passageiro circular por todo o sistema, já completamente integrado, com um só bilhete.
    Com 70% dos deslocamentos diários feitos por transporte coletivo, o que já representa um avanço em relação aos vizinhos, Buenos Aires, no entanto, ainda luta contra os engarrafamentos nos horários de pico. As viagens duram cerca de 40 minutos, ainda à frente da média carioca, num ritmo de 40km/h.

Em Quito, bicicleta é vista como opção
Já o grande desafio de Quito, no Equador, é o gerenciamento de problemas do trânsito. Por causa da topografia da cidade, do pouco número de policiais para controlar o fluxo de veículos e da falta de sincronização dos sinais, a população enfrenta engarrafamentos diários na hora do rush, das 6h às 9h e das 17h às 20h. Em especial, no Centro, a região comercial da cidade. A situação é tão torturante, que um monitoramento feito pelo governo da capital já registrou ônibus a uma velocidade média de 13km/h. O caos no trânsito tem provocado o desenvolvimento de campanhas públicas, ou organizadas por ONGs, que visam a estimular o uso de bicicletas.
Um grande número de cidades ainda lida com questões relacionadas ao transporte clandestino. Em sua região periférica, Bogotá enfrenta problemas com os piratas, assim como o Rio. Na Cidade do México, os táxis bandalhas dão dor de cabeça.

O mesmo acontece em Buenos Aires, embora não haja dados oficiais sobre o transporte clandestino feito por taxistas e motoristas de Kombis. Em San José e Quito, a rede paralela chega a concorrer com a oficial nos centros das cidades.
O maior avanço contra os piratas foi registrado em Santiago do Chile. Em 2007, o número de veículos que circulava clandestinamente pela cidade começou a cair com a implantação do sistema integrado, o Transtiago. Antes, havia um grande número de ônibus piratas em circulação.

Fonte: O Globo
READ MORE - Trânsito do Rio a passos de tartaruga

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960