Metrô chegará a Ipanema em dois meses

segunda-feira, 19 de outubro de 2009


Nunca o metrô foi tão longe. Nunca Ipanema esteve tão perto dele. Dentro de dois meses, precisamente às 11h do dia 17 de dezembro, os trens da Linha 1 chegarão finalmente à Praça General Osório, concretizando um sonho de pelo menos três décadas. Para cumprir o prazo acordado com o governo do estado, cerca de mil operários da Odebrecht trabalham dia e noite. É o que informa a reportagem de Paulo Marqueiro, publicada na edição do GLOBO deste domingo.
Em ritmo acelerado seguem também as obras de ligação das linhas 1 e 2, que eliminarão a transferência no Estácio. Elas também serão inauguradas no dia 17 de dezembro. A conexão direta Pavuna-Botafogo é um investimento de R$ 1,1 bilhão bancado pela empresa Metrô Rio, em troca da renovação da concessão.
Para entregar a tempo 1,3 quilômetro de viadutos e 1,2 quilômetro de vias duplas na superfície, cerca de mil operários da Carioca Engenharia trabalham ininterruptamente, à luz do sol ou de potentes refletores.

Segundo Joubert Flores, diretor de relações institucionais da Metrô Rio, a inauguração da conexão Pavuna-Botafogo, daqui a dois meses, dobrará a oferta de lugares, durante o horário de pico, no trecho entre a Central e Botafogo, para onde se dirige a maior parte dos passageiros:
- Dos cerca de 20 mil lugares por hora, passaremos a ter 40 mil lugares por hora.
Outro efeito imediato das obras, segundo Joubert, é a redução do intervalo entre os trens no trecho Central-Botafogo: passará dos atuais 4 minutos (Linha 1) para 2,5 minutos, o que significa uma diminuição de quase 40%. Nas pontas do sistema, no entanto, a espera deve aumentar para cinco minutos.
Com a nova conexão, os trens que partem da Pavuna seguirão diretamente até Botafogo, sem passar pelo Estácio. Os que saem da Praça Saens Peña irão até a Praça General Osório. O passageiro da Linha 2 com destino a Ipanema terá de fazer a transferência em qualquer estação do trecho entre a Central e Botafogo.

Fonte: O globo
READ MORE - Metrô chegará a Ipanema em dois meses

Piracicabana estreia com frota reduzida em Uberaba


Viação Piracicabana entra em operação hoje, mas vai estrear no transporte coletivo de Uberaba com tabela reduzida. Apenas 40% da frota estarão nas ruas, cumprindo a mesma tabela estabelecida para a antiga operadora, a Transmil.
A informação é do presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Transporte Rodoviário, Lutério Alves, que passou a manhã de ontem na nova empresa, acompanhando os últimos detalhes para entrar em operação. Segundo Alves, a grande maioria dos funcionários da Transmil aceitou a proposta feita pela empresa para o acerto trabalhista. Pelo acordo firmado, ficou decidido que o valor da rescisão contratual será dividido em cinco vezes, além dos trabalhadores abrirem mão da multa indenizatória de 40%, sendo liberados de cumprir o aviso prévio.
Já na Viação Piracicabana, a informação é de que serão aproveitados no máximo 150 funcionários da Transmil, sendo que a empresa pretende ter um quadro de 230 profissionais no total, incluindo a área administrativa. O diretor Carlos Cherulli já havia adiantado que a empresa só contrataria o necessário para colocar o serviço em operação.
Por outro lado, o sindicato afirma que vai dar total apoio aos que ficarem de fora do quadro de funcionários da empresa. “Estamos pedindo para os profissionais enviarem seus currículos para o sindicato, porque vamos tentar recolocá-los no mercado de trabalho”, salientou Lutério.
O presidente garante ainda que estará a partir das 4h de hoje, na garagem da empresa, para acompanhar o primeiro dia de trabalho da Piracicabana.
READ MORE - Piracicabana estreia com frota reduzida em Uberaba

Transporte público SP adota esquema horário de verão


Por conta do início do Horário de Verão, o Metrô e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) adotarão esquema especial de operação neste sábado, 17. Às 24 horas de sábado, a circulação de trens continuará normal, de acordo com o horário antigo. Os relógios das duas empresas somente serão alterados após o encerramento do expediente, às 2h da manhã no novo horário.
Assim, a operação de sábado, que normalmente vai até à 1 hora no Metrô e na CPTM, funcionará sem mudanças. Ou seja, o usuário que embarcar até às 2 horas da manhã do horário de verão terá a viagem garantida. A circulação dos trens será retomada no domingo,18, às 4 horas na CPTM e às 4h40 no Metrô, já no novo horário.
Na EMTU/SP, as 600 linhas de ônibus intermunicipais irão operar normalmente, com o mesmo número de viagens previstas; porém, as partidas programadas para a meia noite serão feitas à 1 hora do Horário de Verão. O mesmo ocorrerá nas 13 linhas que atendem o Corredor Metropolitano ABD (São Mateus – Jabaquara).
O Horário de Verão é adotado todos os anos por decreto federal. Neste ano, terá início à meia-noite do sábado, 17, e término na mesma hora do dia 21 de fevereiro de 2010.
Acerto dos relógios
O início do Horário de Verão mobilizará cerca de 28 funcionários e técnicos do Metrô e da CPTM. O grupo vai ajustar 1.475 relógios nas 55 estações do Metrô e 89 estações da CPTM. Estarão também envolvidos na operação o Centro de Controle Operacional (CCO), pátios e oficinas das duas empresas.
No Metrô, são 565 relógios, todos digitais, ainda que alguns apresentem ponteiros. Inicialmente, dez técnicos desligarão, por trechos, todos os relógios. Depois, dentro de sua área, cada um voltará a ligá-los.
Nas estações da CPTM, 18 técnicos farão o ajuste de 910 relógios. A mudança será feita na central horária de cada estação. Assim, todos os relógios são acertados ao mesmo tempo; mas, ao término, todos são inspecionados.
Nos terminais da EMTU/SP do Corredor Metropolitano ABD e no Terminal Metropolitano de Cotia, um técnico ajustará 72 relógios digitais.
READ MORE - Transporte público SP adota esquema horário de verão

Brasília: Lei que garante passagem gratuita a estudantes está em processo de regulamentação, quase quatro meses depois de publicada no Diário Oficial

Quase quatro meses depois de ser publicada no Diário Oficial, a Lei nº 4.371, que cria o passe livre (1)para estudantes no Distrito Federal, ainda não começou a valer. A norma está em processo de regulamentação e, até o fim do mês, deve seguir para a Procuradoria Geral do DF. A previsão é de que só passe a funcionar em novembro.
A lei garante transporte gratuito, em ônibus e metrô, a estudantes que morem ou trabalhem a mais de 1 quilômetro da escola em que estejam matriculados. O benefício vale para as linhas que atendem o endereço do colégio ou faculdade. Atualmente, alunos que usam o cartão Fácil para pegar ônibus ou metrô pagam um terço da tarifa completa — segundo a empresa, 140 mil pessoas estão cadastradas e recebem o desconto. Após a regulamentação, os estudantes continuarão usando o cartão para passar pela roleta.
O responsável pela compra dos créditos é o governo local, que deve desembolsar R$ 3,5 milhões por mês para bancar o passe. O passageiro também tem direito a usar o transporte público de graça para ir ao estágio. O benefício será estendido ao veículo leve sobre trilhos (VLT) e ao veículo leve sobre pneus (VLP), quando eles estiverem disponíveis. Com a mudança, o estudante da Universidade de Brasília (UnB) Rennan Moura Martins, 18 anos, deve economizar pelo menos R$ 80 por mês.
O aluno do 2º semestre de engenharia florestal gasta entre R$ 4 e R$ 8 por dia para ir do Guará, onde mora, à UnB e voltar. O valor muda de acordo com o trajeto — às vezes, ele pega um ônibus até a Rodoviária do Plano Piloto e, de lá, toma outro em direção à universidade. “Tem que separar um dinheiro, caso contrário não vai para a aula”, disse. Ele acredita que a gratuidade será útil principalmente para os alunos de baixa renda. “Tem gente que às vezes não tem condições de pagar para ir estudar”, comentou Rennan.

O projeto de lei que deu origem ao passe livre foi enviado à Câmara Legislativa em maio deste ano e teve aprovação unânime em primeiro e segundo turnos. Os deputados incluíram 12 emendas no documento, que teve oito artigos vetados pelo governador José Roberto Arruda. Entre eles, estava a gratuidade aos fins de semana e a distribuição de 16 passes extras para cada estudante. Em setembro, o Diário Oficial do DF publicou novamente a lei, desta vez com os vetos derrubados pela Câmara.
A nova redação amplia as passagens gratuitas para qualquer horário e itinerário, dentro do limite comprovado pelo estudante. “Ele contribui para que a gente possa dedicar mais tempo à universidade, mas não resolve todos os problemas da vivência da educação”, comentou um dos coordenadores do Diretório Central do Estudante (DCE) da UnB, Raul Cardoso. Ele acredita que o estudante precisa de incentivos não só para frequentar as aulas, mas para continuar o aprendizado em bibliotecas e atividades culturais. “Tudo isso contribui, em grande parte, para a formação cidadã de todos nós”, completou.
READ MORE - Brasília: Lei que garante passagem gratuita a estudantes está em processo de regulamentação, quase quatro meses depois de publicada no Diário Oficial

Greve de ônibus ainda não tem data em Urbelândia


Motoristas e cobradores das três empresas do transporte público de Uberlândia e membros do sindicato da categoria decidiram que a greve do setor, cogitada desde a semana passada, ainda não tem data marcada. “A greve já está aprovada e pode acontecer na próxima semana. Vamos aguardar as assembleias que serão feitas na segunda-feira”, afirmou Célio Moreira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Público. Moreira disse que a ameaça de paralisação é porque as empresas querem retirar alguns direitos dos trabalhadores. Para José Luiz Rissato, presidente da entidade patronal (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Triângulo Mineiro - Sindett), uma contraproposta será enviada hoje aos trabalhadores.
READ MORE - Greve de ônibus ainda não tem data em Urbelândia

Em São Paulo, Quatro mil passageiros deixam fretados na região

Pelo menos metade dos passageiros do Grande ABC, cerca de 4.000 pessoas, que iam trabalhar de ônibus fretado na Capital, deixaram de utilizar o transporte por causa da lei que restringe a circulação desses veículos em uma área de 70 quilômetros quadrados, em vigor desde julho. Eles viajavam em aproximadamente 100 veículos. A estimativa é do diretor da Assofresp (Associação das Micro, Pequenas e Médias Empresas de Fretamento e Turismo do Estado do São Paulo), Geraldo Silva Maia Filho.
Por outro lado, levantamentos do metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) mostram que o número de usuários desses meios de transportes se manteve praticamente o mesmo após a lei. Em alguns pontos até houve queda no movimento. Nos primeiros cinco dias de junho, 10.967 pessoas embarcaram na Estação Berrini, na Zona Sul. Na primeira semana da lei (entre os dias 27 e 31 de julho), o número de passageiros que passou pelo mesmo local caiu para 10.778. Na Linha 1 do metrô houve crescimento de 1,21% na média de usuários após o início da restrição aos fretados.
READ MORE - Em São Paulo, Quatro mil passageiros deixam fretados na região

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960