No Rio, Ônibus do BRT seguem superlotados durante a pandemia do coronavírus

domingo, 31 de maio de 2020

Dois meses após a Prefeitura do Rio decretar a proibição de viagens com passageiros em pé nos ônibus do município como medida protetiva contra o coronavírus, cariocas relatam superlotação nas estações e dentro dos coletivos do sistema BRT.

A Secretaria Municipal de Transportes diz que tem realizado fiscalizações diárias, em diferentes turnos, para checar se há lotação indevida nos ônibus e se o consórcio BRT está cumprindo as alterações previstas na operação das linhas para evitar aglomerações.

O que diz a prefeitura
A Secretaria municipal de Transportes informou, em nota, que durante a pandemia já aplicou ao consórcio BRT 472 multas por lotação e outras irregularidades, como circulação com lotação acima e frota reduzida de determinadas linhas..

Ao contrário do que foi mostrado na reportagem, a pasta afirmou que desde o dia 22 de março agentes da Guarda Municipal orientam os passageiros nas estações para evitar aglomeração e coibir que as pessoas sejam transportadas em pé . Confira a nota na íntegra:

"Os fiscais da Secretaria Municipal de Transportes têm realizado fiscalizações diárias, em diferentes turnos, para checar se há lotação indevida nos ônibus e se o consórcio BRT está cumprindo as alterações previstas na operação das linhas para evitar aglomerações.

A Secretaria municipal de Transportes tem insistido junto ao consórcio BRT para que colabore e cumpra sua parte.

Durante a pandemia, a SMTR já aplicou 472 multas por lotação e outras irregularidades, como circulação com lotação e frota reduzida de determinadas linhas, o que não foi permitido pela secretaria.

As ações da SMTR para verificar o cumprimento das medidas de contenção da Covid-19 seguem intensificadas.

A Guarda Municipal realiza, desde o dia 22 de março, a orientação de passageiros nas estações do sistema BRT para evitar aglomeração e também coibir que as pessoas sejam transportadas em pé nos ônibus.

Durante o patrulhamento de rotina, os agentes distribuem máscaras de proteção e orientam passageiros sobre a importância da utilização do equipamento individual como forma de minimizar os riscos de transmissão e contaminação do novo coronavírus.

Além disso, as equipes utilizam os carros para transmitir mensagens sonoras de conscientização, a fim de reduzir o risco de disseminação do vírus na cidade."

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960