Primeiro trecho do metrô de Salvador fica pronto este mês

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Até o final do mês já estará pronta a eletrificação da segunda linha do Metrô de Salvador, já que a primeira das duas existentes já foi concluída que é o trecho do lado direito, no sentido Lapa – Acesso Norte. A informação foi prestada pelo secretário municipal de Transportes e Infraestrutura (Setin) Euvaldo Jorge, que evita marcar datas para a inauguração. As linhas poderão ser usadas nos dois sentidos, quando o metrô estiver funcionando.
De acordo ainda com o secretário, com as linhas energizadas, os testes dos trens podem começar. A previsão é de que estes testes durem  no mínimo seis meses e meio, ou seja, andar de metrô mesmo só a partir de abril de 2011. “Estamos fazendo um esforço tremendo para o metrô funcionar o mais rápido possível. O prefeito quer inaugurar o metrô e entregar à população”, garante Jorge.
Os quatro trens do metrô serão movidos a energia elétrica,  produzida por uma subestação instalada na Avenida Bonocô. Cada um possui seis vagões e só podem ser testados corretamente sob a tensão de três mil volts em corrente direta. Primeiro serão conferidos sistemas como a abertura das portas, iluminação e ar-condicionado, por exemplo.
Só depois os trens serão testados em movimento, primeiro sem passageiros (a direção é controlada por computador) e depois em testes com pessoas. Nos testes sem passageiros são colocados pesos artificiais para simular a lotação do trem.
O secretário da Setin  explicou que  antes de ser iniciado os testes, cada um dos 24 vagões passará por uma “reabilitação”, para detectar se o tempo em que ficaram parados, durante um ano e nove meses num armazém no CIA, causou algum dano aos equipamentos. A inspeção prévia ao início dos testes foi uma exigência das empresas fabricante e fornecedora dos trens, a coreana Rotem e a japonesa Mitsui.
Custos operacionais avaliados
Em relação aos custos operacionais do metrô, o presidente da Companhia de Transportes de Salvador (CTS), Herbert Mota, afirma que os estudos  ainda não estão concluídos e tem sido alvo de constantes reavalições; tendo em vista o grande número de variáveis ainda a serem consolidadas e discutidas com os diversos integrantes do processo operacional(Setin, CTS, Cptm, Vicoufer dentre outros) e que estes dados estarão mais evidenciados a partir de jan/fev de 2011.
Questionado sobre como deveria ser o valor da tarifa para cobrir totalmente os custos de operação, Mota adiantou que nos sistemas de transporte em qualquer lugar do mundo a tarifa não é vista apenas como o resultado de uma simples conta aritmética, também não é um mero cálculo econômico da relação custo/nº de passageiro, como alguém menos informado possa imaginar, a tarifa é fruto de estudos complexos; em que são levados em conta diversos fatores e principalmente precisa ser observada do ponto de vista social, levando-se sempre em conta o interesse da população.
Para o presidente da CTS, o gestor deverá, sempre com o foco maior no interesse público; observar o conjunto dos modais de transporte de uma cidade, e de forma equilibrada e eficiente; visando à mobilidade, o conforto e a melhor economicidade;  utilizar-se dos recursos técnicos disponíveis para construir uma modelagem  matemática que permita a integração intermodal, garantindo ao usuário um valor de bilhete justo compatível com o viés de integração.
Com o metrô não deverá acontecer algo muito diferente disso ou seja o preço do bilhete deverá ficar próximo ao do BRT e ônibus; modais estes que deverão ser integrados.
Mota adianta ainda estudos preliminares relacionados com a quantidade estimada de  passageiros transportados por dia pelo metrô indicam que  poderá transportar com folga e conforto todos os passageiros definidos para o carregamento originalmente previsto; num primeiro momento apenas com a integração com ônibus no Acesso Norte e posteriormente todo o carregamento dos BRT‘s com integração no Acesso Norte e Retiro.
“Em números redondos, considerando um padrão de conforto metade do máximo permitido pelas normas internacionais para sistemas metropolitanos de transporte sobre trilhos; a oferta de lugares previstos para o primeiro momento será de 10.000/15.000 passageiros/hora/pico; considerando uma jornada de 10 horas diárias teríamos uma oferta de lugares de algo como 100.000/150.000 passageiros/dia; o tempo de viagem previsto para o trecho Acesso Norte/Lapa é de 12 minutos e o intervalo entre trens está previsto em 6 minutos; considerando a utilização de quatro composições com quatro vagões cada.
O sistema poderá ampliar a oferta se necessário, no entanto o que os estudos indicam é que só será necessário à medida que forem sendo implantadas as estações do Tramo 2 (Retiro, Jauá, Pirajá) o que irá permitindo novos carregamentos integrados com o sistema de ônibus e BRT”, explicou
Ele informou ainda que o estudo sobre o replanilhamento dos preços do metrô está em andamento com sua conclusão prevista conforme Plano de Trabalho para março de 2011.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960