No Rio, Barreira contra calote em estação do BRT

sexta-feira, 31 de maio de 2019

O BRT começou a testar, nesta quarta-feira, as barreiras contra o calote. O guarda-corpo metálico instalado por enquanto apenas em parte da estação Mato Alto, do corredor Transoeste, dificulta, mas não impede o passageiro de entrar sem pagar. O sistema foi implantado somente no módulo parador, no sentido Alvorada.
Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo

Para acessar a estação sem pagar é só entrar por trás, na pista no sentido inverso, direção Santa Cruz, onde as portas, inclusive, nem fecham, ou caminhar um pouco mais até o módulo expresso, onde ainda não foram demolidos os beirais, que facilitam a subida.

Os passageiros utilizam os beirais do módulo expresso não só para subir sem pagar, como também para descer da estação e cortar caminho, pelo meio da pista, até as paradas de vans e ônibus alimentadores. Apesar de se arriscarem entre os carros, com isso elas economizam uma caminhada maior até o sinal de trânsito, onde é possível fazer a travessia em segurança.

Por enquanto, foram instalados oito pares de guarda-corpos, um par em cada porta do módulo parador da estação Mato Alto, onde os ônibus só param entre 4h e 9h30. No módulo expresso, que ainda não tem o equipamento, o movimento de embarque e desembarque é o dia todo. O que inibia mesmo os calotes era a presença de guardas municipais na plataforma, até as 10h, quando a equipe foi embora.

O sistema será avaliado e, se for aprovado, poderá ser instalado em outras estações, com possíveis adaptações e em um ritmo que não prejudique o serviço aos usuários. Mas, depois de acompanhar a implantação nesta manhã no Mato Alto, o diretor de Infraestrutura do BRT, Osmar Caetano, ficou satisfeito com o que viu:

— Já consideramos o resultado muito positivo. Acompanhamos desde cedo a operação na estação Mato Alto e não registramos nenhuma tentativa de calote nessas primeiras horas, quando o movimento é bem intenso.

Segundo o BRT o equipamento é um reforço às ações da Intervenção no sistema, iniciada em janeiro, que montou uma força-tarefa com órgãos da Prefeitura. Além do calote, também estão no foco das operações o vandalismo e o comércio ilegal nas estações e terminais, informou a comissão de intervenção.

Informações: Extra Globo


Colabore com o Blog Clicando nos anúncios da página

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960