Em Salvador, Definido modelo de integração de ônibus e metrô

domingo, 29 de novembro de 2015

O modelo de integração dos ônibus de Salvador e da região metropolitana com o metrô foi definido nesta sexta-feira, 27, quando prefeitura, governo estadual, a concessionária CCR Metrô e o Sindicato de Transporte de Passageiros (Setps), finalmente, conseguiram firmar um acordo.

Reuniões para discutir o assunto vinham acontecendo intensamente desde a semana passada. Na última terça, a negociação ainda estava emperrada. 

Gestores municipais consideravam que a proposta de criação de um sistema de ônibus exclusivo para alimentação do metrô, que circularia em um raio de cinco quilômetros das estações, era a proposta mais viável. Isso, porém, não era aceito pelos consórcios que operam o sistema urbano de Salvador.

Avanço
Além disso, o governo criticava o fato de a prefeitura não ter incluído na licitação das linhas de ônibus um modelo de integração com o sistema metroviário. No final da tarde desta sexta, no entanto, as negociações avançaram e caminham para um desfecho consensual.

Os detalhes do acerto não foram divulgados oficialmente pelas partes, pois o governo do estado ficou responsável por levar o acordo a público. A TARDE apurou que ajustes ainda precisam ser feitos e, por isso, os envolvidos estão tendo cautela para que informações truncadas não gerem ruídos.

Por Yuri Silva
READ MORE - Em Salvador, Definido modelo de integração de ônibus e metrô

No Rio, Cinco linhas de ônibus foram substituídas neste sábado

O carioca precisa estar atento. Será feita nesta sábado mais uma etapa de mudanças nos itinerários dos ônibus na Zona Sul. Cinco linhas serão substituídas por duas novas, além de mudanças nos itinerários de outras três.

Haverá a substituição das linhas 126 (Rodoviária x Copacabana), 128 (Rodoviária x Gávea), 155 (Central x Ipanema); e 354 (Cidade de Deus x Praça XV). Segundo a Rio Ônibus, serão criadas as linhas troncal 6 e Integrada 6, do Consórcio Intersul. A troncal 6 fará o trajeto Jardim de Alah x Rodoviária (via Túnel Santa Bárbara). Já a integrada 6 fará o trajeto General Osório x Cidade de Deus (via Itanhangá).

Haverá alteração de itinerário da linha 434 (Grajau x Leblon), que passa a operar como Grajau x Botafogo. As linhas 432 (Vila Isabel x Leblon) e 435 (Grajaú X Gávea) também sofrerão alterações nos itinerários na altura do Leblon. O percurso passará pela Visconde de Albuquerque, seguindo pela Delfim Moreira, Bartolomeu Mitre, Ataulfo de Paiva e Afrânio de Melo Franco. Segundo a Rio Ônibus, os usuários das linhas 126 e 155 devem utilizar a troncal 6, enquanto os usuários da 128 devem utilizar a linha 415 (Usina x Leblon).

Mudanças no trânsito
Hoje quem passa pelo Centro também sentirá mudanças com interdição parcial da Rua Teixeira de Freitas, na faixa sentido Lapa (entre a Rua Mestre Valentin e Beira Mar); e na faixa sentido Aterro, na interseção com a Rua Augusto Severo. Segundo a CetRio, as obras terminam no dia 10 de janeiro de 2016.

Por TÁSSIA DI CARVALHO
READ MORE - No Rio, Cinco linhas de ônibus foram substituídas neste sábado

Plano de mobilidade indica BRT como solução na Grande Florianópolis

A solução para a mobilidade urbana da Grande Florianópolis é investir em transporte coletivo e incentivar a redução do uso de veículos particulares. Essa é a principal constatação do Plano de Mobilidade Urbana Sustentável da Grande Florianópolis (Plamus), apresentado na tarde de ontem com os diagnósticos e indicações de obras para resolver os problemas de trânsito na região até 2040.  

O estudo foi financiado pelo BNDES e prevê as ações que devem ser realizadas no contexto da região metropolitana. Um dos principais pontos do Plamus é a indicação de que o maior investimento deve ser com a implantação do sistema BRT (Bus Rapid Transit), com vias específicas para ônibus ligando as principais regiões de Florianópolis e demais cidades da região. Também foram feitos cálculos para avaliar a viabilidade do uso do BRT combinado com VLT (veículo leve sobre trilhos) e Monotrilho (metrô de superfície), mas foram descartados pelo alto custo. 

O Plamus prevê investimentos de R$ 3 bilhões em dez anos, metade disso no sistema BRT. O estudo também aponta que o modelo deve ser implantado através de parcerias público-privadas, em modelo de concessão. 

— A nossa prioridade é a implantação do BRT, com corredores exclusivos para ônibus modernos e confortáveis, o que vamos fazer por meio de parceria público privada. Estamos estudando o modelo a ser implantado e a proposta é de que até 2018 o primeiro trecho esteja funcionando — afirmou o secretário de Planejamento, Murilo Flores. 

O Plamus também prevê modificações em vias importantes da Capital e das cidades da região, como as avenidas Mauro Ramos, a SC-401 e trechos da BR-101. A intenção é integrar corredores de ônibus e ciclovias. Pela proposta, em 10 anos a vias especiais para bicicletas passariam de 64 para 350 quilômetros. Com as mudanças, o estudo prevê que o tempo médio do transporte individual caia de 29 pra 22 minutos e o de transporte público, 60 pra 40. 

A Superintendência de Desenvolvimento da Região Metropolitana (Suderf) estima que até 2018 parte do sistema BRT já esteja em funcionamento. 

— A hora em que a obra começar vai ser um caos, vão me crucificar no Morro da Cruz. Mas isso não importa, porque será a etapa principal, a de fazer acontecer — brincou o superintendente Cássio Taniguchi, em referência à necessidade de fazer o planejamento sair do papel.

Por UPIARA BOSCHI
READ MORE - Plano de mobilidade indica BRT como solução na Grande Florianópolis

Curitiba pode ter greve de ônibus nesta terça-feira

As assembleias do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região (Sindimoc), realizadas pela manhã e à tarde desta sexta-feira (27), aprovaram por unanimidade o indicativo de greve para a próxima terça (1º). A decisão da categoria ocorreu após notificação feita pelas empresas sobre a decisão de não pagar corretamente aos trabalhadores os salários de dezembro, janeiro e o 13º, além da intenção de demitir dois mil motoristas e cobradores, sem o pagamento de verbas rescisórias.

A paralisação deve começar às zero hora do dia 1º de dezembro. Durante as assembleias, os trabalhadores também aceitaram que o Sindimoc entre com ações judiciais na esfera da Fazenda Pública visando abrir a planilha do transporte coletivo, incluindo todos os custos de operação por parte das empresas.

O presidente do Sindimoc,  Anderson Teixeira, relatou que a categoria está perplexa e indignada. “Não permitiremos que ilegalidades sejam cometidas contra os trabalhadores. O risco da atividade laboral não pode ser repassada aos funcionários, fazemos nossa parte, que é trabalhar, e exigimos receber o que nos é devido, ou seja, nossos salários e direitos garantidos por Lei”.

Segundo a Lei Federal 4.749/65, a primeira parcela do 13º salário deve ser paga até o dia 30 de novembro. Decisões do Tribunal Superior do Trabalho (TST) também dão entendimento da ilegalidade das demissões em massa, de acordo com o Sindimoc.

READ MORE - Curitiba pode ter greve de ônibus nesta terça-feira

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960