Em Olinda, Passageiros do TI Xambá passam apuros para pegar ônibus

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Quem depende do transporte público no Grande Recife enfrenta diariamente diversos problemas, que vão desde a superlotação até a demora dos ônibus. Em Olinda, no Terminal de Xambá, os passageiros precisam lidar ainda com a falta de orientadores de fila. Quando o coletivo chega, os usuários se espremem e chegam a brigar, literalmente, pelo espaço.

A situação ficou assim há cerca de um mês, quando os fiscais e orientadores foram dispensados. Desde então, os passageiros reclamam do empurra, empurra, e dos acidentes no momento do embarque. A demora dos coletivos também é motivo de muitas criticas.

Através de nota, o Grande Recife Consórcio anunciou que está sendo feito um rodízio com os orientadores de filas em todos os terminais integrados da Região Metropolitana. Com isso, os do terminal de Xambá foram remanejados para outros terminais. Não há prazo para que eles retornem ao trabalho no local.

Informações: TV Jornal

READ MORE - Em Olinda, Passageiros do TI Xambá passam apuros para pegar ônibus

Rio recebe primeiro trem do sistema Veículo Leve sobre Trilhos (VLT)

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, apresentou o primeiro trem do sistema de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), de um total de 32 que vão funcionar no centro e na zona portuária da capital fluminense por 28 quilômetros de trilhos. A composição foi apresenta neste domingo (5).

Com previsão de começar a circular a partir de abril de 2016, esses serão os primeiros meios de transporte público do País com validação voluntária, ou seja, sem roletas e cobradores. Os passageiros é que devem pagar a tarifa espontaneamente com o bilhete único, de maneira similar ao modelo empregado em algumas cidades da Europa, como Amsterdã e Berlim. Para o prefeito, o carioca terá de aprender a respeitar as regras.

“As pessoas têm que entender que se elas derem o trambique e não pagarem, quem pagará é a própria população, porque a prefeitura terá de arcar com essa conta. Culturas que são importantes mudarmos no Brasil”, disse ele.

As bilheterias serão instaladas em quatro estações - Rodoviária, Central do Brasil, Praça 15 e Aeroporto Santos Dumont -, onde será possível comprar a passagem. Cada módulo vem equipado com oito validadores eletrônicos de cartões já utilizados em outros meios de transporte, como o Bilhete Único. O sistema prevê a instalação de 32 pontos de paradas para o embarque e desembarque de usuários. Não haverá cancelas ao longo dos 28 quilômetros de trilhos.

O prefeito também destacou que o VLT integrará todos os demais modais da cidade. “Quem chega de barca na cidade encontra um VLT, quem vier de trem também, o metrô integra com o VLT e todos os BRT (Bus Rapid Transit) vão integrar o VLT. Isso é um avanço enorme na mobilidade da cidade, tirar essa confusão de ônibus do centro. É a volta do bonde, que sempre foi uma marca da cidade e essa política pública nunca deveria ter sido mudada. Cidade e carro não funcionam", completou Paes.

O primeiro trecho a entrar em operação vai transportar passageiros entre a Rodoviária Novo Rio e o Aeroporto Santos Dumont. Segundo a prefeitura, o serviço será oferecido as 24 horas e deve transportar diariamente 300 mil pessoas, com intervalos de três a 15 minutos.

Com capacidade para 420 pessoas, o modelo apresentado foi construído na França, de onde virão mais quatro trens. Os demais veículos vão ser fabricados na cidade de Taubaté, em São Paulo, com tecnologia francesa.

Investimento público

O novo meio terá um total de R$ 1,157 bilhão de investimento público, sendo R$ 532 milhões de recursos federais do Programa de Aceleração do Crescimento da Modalidade (PAC 2) e R$ 625 milhões viabilizados por meio de Parceria Público-Privada (PPP) da prefeitura. O serviço será terceirizado por meio de concessão, com prazo de 25 anos.

READ MORE - Rio recebe primeiro trem do sistema Veículo Leve sobre Trilhos (VLT)

Empresas decidem participar de licitação do transporte de Porto Alegre

Após dois editais sem concorrentes, cinco empresas de ônibus se inscreveram para participar da licitação do transporte coletivo de Porto Alegre. A abertura dos envelopes ocorreu nesta segunda-feira (6) na sede da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC).

Apresentaram propostas a empresa Stadbus e os consórcios Leste, Sul, Sudeste e Mobi, formado por empresas de ônibus que já operam na capital, apenas com nomes diferentes. Apenas a Stadtbus, empresa que tem sede em Santa Cruz do Sul, apresentou proposta sozinha.

O prefeito José Fortunati se mostrou satisfeito com a apresentação na terceira tentativa de licitar o transporte coletivo. Todos os seis lotes tiveram interessados. "Se não tivermos problemas com a documentação a licitação vai ter êxito", afirmou Fortunati. Cada um dos lotes tem preços de passagem diferentes. Vence em cada lote a empresa/consórcio que oferecer o menor valor.

É a terceira tentativa de licitação do transporte coletivo da capital. Nas duas primeiras vezes a licitação foi frustradas porque não teve interessados. Desde 1920, quando foi autorizada oficialmente a operação de ônibus em Porto Alegre, o serviço funciona sustentado em permissões.

Atualmente, o sistema conta com 1.709 ônibus, 400 linhas - operadas em três consórcios (STS, Unibus e Conorte) -, além da empresa pública Carris, segundo dados da prefeitura. Cerca de um milhão de pessoas utiliza o serviço diariamente.

O novo edital, dividido agora em seis lotes, prevê a ampliação de ar-condicionado na frota. Será de forma gradual, para não pesar no preço da tarifa. No prazo máximo de 10 anos, 100 % da frota estará equipada, sendo 25% já no primeiro ano, em todos os lotes das bacias.

A licitação define ainda como itens de qualificação do serviço a previsão de acessibilidade em toda a frota; a ocupação de, no máximo, quatro pessoas por metro quadrado, diferente dos seis usuários atuais por metro quadrado; um aumento projetado de 72 veículos na frota atual de 1.709 ônibus; e instalação de GPS em toda a frota, entre outros avanços.

Informações: G1 RS


READ MORE - Empresas decidem participar de licitação do transporte de Porto Alegre

Greve de ônibus em João Pessoa marcada para esta terça-feira é adiada

Na tentativa de assegurar a regularidade dos serviços de transporte coletivo e a circulação dos ônibus em João Pessoa, a partir da zero hora desta terça-feira (07), o Sindicato das Empresas de Transportes Coletivos Urbanos da capital (Sintur-JP), protocolou, no início da tarde desta segunda-feira (06), na sede do Sindicato dos Motoristas da Paraíba um ofício propondo o adiamento da greve e a realização de uma nova rodada de negociação para apresentação de outra proposta de reajuste salarial, a ser feita até às 18h, desta terça-feira. O documento foi recebido pelo presidente do Sindicato dos trabalhadores, Antônio de Pádua que disse que vai colocar a proposta para ser avaliada pelos associados.

Os trabalhadores das empresas de transportes da capital anunciaram, na semana passada, que vão entrar em greve, por tempo indeterminado. A decisão foi tomada durante duas assembleias realizadas na noite do dia 30 e na manhã do último dia 1º por causa do impasse entre patrões, que oferecem 6% de reajuste salarial, e os empregados, que só aceitam 12%, além do aumento no ticket refeição.

Segundo o presidente do Sintur-JP, Alberto Pereira, como a data-base da categoria, que é 1º de julho, está assegurada, não haverá prejuízo para os trabalhadores se houver o adiamento da greve. “O que pretendemos é resolver esse impasse sem prejudicar a população, que é quem mais sofre com uma greve de ônibus e como a data-base está garantida, tudo o que for acordado entre as partes retroage ao dia 1º, portanto, não haverá prejuízo para os trabalhadores esse adiamento”, destaca o empresário. Alberto lembra que apesar da crise, da tarifa defasada e das empresas virem perdendo passageiros, a classe patronal ainda está buscando formas de definir o acordo coletivo sem a realização da greve.

Ainda segundo o empresário, a classe patronal espera que os trabalhadores reavaliem a decisão e esperem até às 18h desta terça-feira (07) para ouvir uma nova proposta. “A greve é uma manifestação democrática, mas se ela puder ser evitada, todos saem ganhando. Esperamos que o Sindicato tenha essa compreensão e aceite nossa solicitação”, finaliza o dirigente do Sintur-JP.

READ MORE - Greve de ônibus em João Pessoa marcada para esta terça-feira é adiada

Motoristas e cobradores de Porto Velho entram em greve

Motoristas e cobradores do transporte público de Porto Velho entraram em greve nesta segunda-feira (6),  em protesto por 19% de reajuste salarial e aumento nos vales alimentação e refeição. A greve não tem data para terminar e foi decidida em assembleia na útima quinta-feira (2). Reuniões entre a categoria e as empresas foram realizadas ao longo do fim de semana, mas não houve acordo. Uma nova audiência de conciliação está marcada para as 15h desta segunda.
Foto: Suzi Rocha
O Tribunal Regional de Trabalho (TRT)  determinou que os sindicatos da categoria assegurem a prestação de serviços com 80% da frota nos horários de pico e 50% em outros períodos, sob pena de multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

O Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Transportes Coletivo Urbano (Sitetuperon) e o Sindicato das Empresas de Transporte de Porto Velho (SET) pedem 19% de reajuste salarial, mais vale refeição de R$ 15 (o valor atual é de R$ 10) e vale alimentação de R$ 300, no lugar de R$ 135. Os rodoviários também esperam garantia do prefeito Mauro Nazif em relação aos postos de trabalho, já que o contrato das duas empresas de transporte público que atuam em Porto Velho foi encerrado pela prefeitura.
"Nos outros anos já estaríamos negociando as melhorias. Mas este ano, as empresas já disseram que não há contrato com a prefeitura e decidimos incluir o poder público para não ficarmos desamparados", disse o presidente do Sitetuperon, Edilson Pereira. 

A greve foi decidida em assembleia dos sindicatos na última quinta, sob ameaça de paralisação de 100% da categoria. Para evitar prejuízos, a prefeitura ajuizou uma ação contra os sindicatos. Com isso, uma audiência foi realizada no Tribunal Regional de Trabalho (TRT) para tentativa de conciliação entre município e os funcionários do setor no sábado. No entanto, os dois sindicatos não compareceram para as reuniões.

Na mesma data, o TRT decidiu o efetivo de trabalhadores que deveriam trabalhar em horários de pico e interpico. Os trabalhadores devem trabalhar com efetivo de 80% nos horários de pico  - entre 6h e 8h, das 12 às 14h e das 17h às 20h - e 50% nos horários de interpico.

De acordo com o presidente do TRT, Francisco Cruz, um oficial de justiça tentou notificar os representantes do transporte desde sexta-feira (3) para que pudessem participar da audiência de conciliação, mas até a tarde de sábado nenhum contato com os representantes da categoria concretizado.

Sem a presença dos representantes de transporte, o Ministério Público informou que tentará, por meio de uma ação de dissídio de greve, a conciliação entre os envolvidos.

Por Ísis Capistrano
Do G1 RO
READ MORE - Motoristas e cobradores de Porto Velho entram em greve

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960