Ônibus de Maceió ganham sistema de monitoramento via smartphones‏

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Quem utiliza o transporte público coletivo em Maceió não precisa mais se apressar presumindo que o ônibus irá passar a qualquer momento. A partir desta segunda-feira (1º), a Prefeitura de Maceió, por meio da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), disponibiliza gratuitamente o aplicativo CittaMobi, que permite a localização dos ônibus via GPS. O lançamento oficial do aplicativo aconteceu na sede da SMTT, no bairro do Tabuleiro do Martins.
O aplicativo está disponível para os sistemas operacionais Android e iOS ou através do site.  O CittaMobi mostra a localização do usuário por meio do GPS do smartphone, indica os pontos de embarque e desembarque mais próximos, as linhas que passam pelo local, o percurso que o ônibus faz pela cidade e a localização do coletivo em tempo real.

Em junho, a prefeitura determinou um prazo de 60 dias, por meio de uma portaria no Diário Oficial, para que as empresas de ônibus que atuam na capital instalassem equipamento de GPS e desenvolvessem um aplicativo para o sistema de monitoramento da frota, pela necessidade de um controle efetivo e preciso da regularidade do tráfego dos ônibus.

Também nesta manhã, foi lançada a sala de videomonitoramento dos transportes coletivos, que funcionará na sede do órgão. Segundo a SMTT, a sala fará a fiscalização diariamente de toda a frota de ônibus da cidade e do cumprimento dos itinerários, horários de chegada e saída dos terminais.

Informações: G1 AL

READ MORE - Ônibus de Maceió ganham sistema de monitoramento via smartphones‏

Ônibus de Macapá terão câmeras de monitoramento, catracas dianteiras e o 'botão do pânico'‏

Órgãos de segurança e do trânsito de Macapá definiram em reunião realizada no dia 25, que os ônibus que circulam na capital terão câmeras de monitoramento, catracas dianteiras e o 'botão do pânico', um mecanismo de ligação direta com a polícia. As mudanças foram acertadas após o aumento de registros de assaltos aos veículos na cidade.
As alterações deverão ser feitas pelas empresas, através do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amapá (Setap). O prazo para as mudanças será definido a partir de um decreto que deverá ser publicado em dezembro no Diário Oficial do Município, conforme informou a diretora da Companhia de Trânsito de Macapá (CTMac), Cristina Badinni, nesta quinta-feira (27). Ela ressaltou que a intervenção deve ocorrer até janeiro de 2015. Os primeiros veículos que passarão pela implantação serão os que circulam na Zona Norte da capital, onde ocorrem mais casos de assaltos.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Amapá (Sincotrap), Genival Cruz, disse que as alterações são necessárias para garantir a integridade dos trabalhadores.

“A mudança da catraca, por exemplo, é uma medida de saúde para a nossa categoria. A gente já havia pedido essa mudança há um tempo pela prefeitura, mas até então não tínhamos obtido resposta alguma”,falou.

O diretor do Setap, Artur Sotão, disse que o “botão do pânico” já é usado nos coletivos que fazem linha ao município de Santana, distante 17 quilômetros de Macapá, e os resultados são considerados satisfatórios.

“Não há como fazer essas alterações em todos os ônibus de uma só vez. Essas mudanças serão gradativas e, como foi decidido, elas vão ocorrer nas áreas de maior risco”, reforçou.

A novidade nos transportes coletivos de Macapá, o "botão do pânico", será instalado no interior dos veículos. O mecanismo poderá ser acionado em caso de emergência pelo motorista ou cobrador. O sinal de alerta será repassado diretamente pela polícia através de um sistema de comunicação.

Por Cassio Albuquerque
Informações: G1 AP
READ MORE - Ônibus de Macapá terão câmeras de monitoramento, catracas dianteiras e o 'botão do pânico'‏

No Rio, Apenas 30% dos ônibus estão equipados com ar-condicionado‏

O próximo verão, segundo meteorologistas, promete ser igual ao que passou, com dias de sensação térmica beirando os 50 graus. A notícia é péssima para passageiros de ônibus do Rio, já que apenas 30% da frota (9.028 veículos) estão equipados com ar-condicionado. Ou seja: as empresas do setor terão de acelerar para cumprir a meta de refrigerar todos os ônibus da cidade até 2016, conforme exigência da Secretaria municipal de Transportes.
O sindicato Rio Ônibus afirma que o prazo de um ano e meio para instalar ar-condicionado em 70% da frota será cumprido e lembra que, em dezembro do ano passado, apenas 18,6% tinham o equipamento. Em outubro, eram 2.407 ônibus refrigerados, quantidade que equivalia a 26,7% do total. O aumento de percentual corresponde à melhoria de 781 veículos.

A exigência de refrigeração de toda a frota até 2016 consta do decreto municipal nº 38.328, publicado no dia 21 de fevereiro deste ano. De acordo com a Secretaria municipal de Transportes, um eventual descumprimento acarretará em penalidades. Questionado se os empresários cumprirão o prazo estabelecido pela prefeitura, o presidente do Rio Ônibus, Lélis Teixeira, afirma que ‘‘todo o esforço está sendo feito para isso’’.

— Estamos seguindo religiosamente a meta, mas seu cumprimento também depende do setor público. Vamos ver se haverá estímulos, como contemplar as tarifas, pois os custos aumentam — afirma Teixeira.

NADA DE SUAR NO BRT

O presidente do Rio Ônibus disse ainda que uma das contribuições para o aumento da frota com ar-condicionado foi a implantação de dois corredores de BRT: o Transoeste, que tem 120 veículos e está prestes a ganhar outros 12, e o Transcarioca, no qual circulam 154. Todos os ônibus usados nesses sistemas são refrigerados. Teixeira acrescenta que as linhas alimentadoras também têm veículos com ar-condicionado:

— Quebramos o paradigma de que apenas a Zona Sul tem ônibus confortáveis. Os veículos dos dois corredores expressos circulam pelas áreas mais quentes da cidade. Em Santa Cruz, na Zona Oeste, o percentual da frota com ar-condicionado chega a 31%. É maior que o registrado em muitas regiões.

Publicidade

Segundo o sindicato, ainda não há ar-condicionado em toda a frota do Rio porque nunca existiu uma política pública que estabelecesse essa condição e indicasse a forma como seria feita a transformação do sistema. No atual contrato de concessão, por exemplo, não consta a exigência de refrigeração nem regras para a mudança.

Passageiros e motoristas esperam mais um verão difícil

Enquanto 70% da frota de ônibus do Rio permanece sem ar-condicionado, só resta aos passageiros reclamar do calor que, dentro de cada veículo, pode ser dois graus maior que a temperatura registrada fora, de acordo com especialistas. Os primeiros dias do mês passado deram uma mostra do que será o verão, que começará no próximo dia 20: a sensação térmica passou dos 40 graus. A operadora de telemarketing Camila Trajano, que mora na Baixada Fluminense, trabalha no Centro e costuma fazer baldeação entre trem e ônibus no Méier, diz que está se “preparando para sofrer’’:

— Saio de casa de banho tomado e chego ao trabalho suada. Começo o dia estressada.

O Terminal Américo Ayres, no Méier, é um retrato da situação da frota de ônibus do Rio. Ali, a maioria dos veículos não tem ar-condicionado. Somente uma linha está totalmente refrigerada: é a 685 (Irajá-Méier), da Viação Três Amigos. Quem se vê obrigado a usar outras morre de inveja.

— Pego a linha 693 (Méier-Alvorada), infelizmente — reclama o professor de judô Ricardo Tashiaki.

Se, para passageiros, o desconforto de viajar num ônibus sem ar-condicionado é grande, para quem passa o dia inteiro ao lado do motor a situação beira o insuportável.

— Rezo todos os dias para ser transferido de itinerário — diz um motorista da linha 693, que pede para não ser identificado.

Publicidade

No terminal de Cascadura, nenhum ônibus que para ali tem ar-condicionado. A empregada doméstica Maria Rodrigues, que dá expediente na Barra, lembra que, antes do Transcarioca, seguia diretamente para o trabalho num “quentão”. Hoje, pega três conduções e fica feliz por uma delas, a do BRT, ter refrigeração.

— Agora, só faltam as outras duas — cobra Maria.

Informações: oglobo.globo.com

READ MORE - No Rio, Apenas 30% dos ônibus estão equipados com ar-condicionado‏

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960