Linha de ônibus do Eixo Anhanguera é estendida para mais três cidades

domingo, 21 de setembro de 2014

Os ônibus biarticulados que cortam Goiânia através do Eixo Anhanguera começam a atender também as cidades de Trindade, Goianira e Senador Canedo, todas na Região Metropolitana. A medida começou a valer neste sábado (20). Segundo a Metrobus, que administra o serviço, o preço da passagem, de R$ 1,40, não foi alterado.

Por dia, cerca de 240 mil pessoas passam pelo Eixo. Com a extensão, o número deve aumentar em até 30% - chegando a 312 mil. A linha corta a capital do Terminal Padre Pelágio, no Bairro Capuava, até o Terminal do Jardim Novo Mundo.

O trecho até Trindade será feito pela GO-060. Os ônibus vão sair do Padre Pelágio e irão até o terminal da cidade. Para Goianira, o percurso será feito pela GO-070 até a rodoviária municipal. Já a linha que vai atender Senador Canedo sairá do Terminal do Novo Mundo e vai até o terminal do município passando pela GO-403.

Mais ônibus, menos linhas
Ao todo, 40 novos veículos integrarão a frota, sendo que 15 deles já estão no pátio da Metrobus. A previsão é de que o restante chegue até a próxima semana. Estes ônibus são diferentes dos que já circulam atualmente. Eles têm portas dos dois lados: uma suspensa para a entrada e saída das plataformas e outra com degraus para as paradas convencionais ao lado da rodovia e dos pontos finais.

Com o aumento dos veículos, quatro linhas serão extintas: a 139, em Goianira; a 255 e 625, em Senador Canedo; e a 142, em Trindade.
"Estamos preparados para esse aumento, porque estamos incrementando, nesse início, 15 novos ônibus biarticulados com o dobro de capacidade e que terão a frequência mais rápida, ou seja, menos tempo de espera para o cidadão", explica Marco Antônio Ferreira, presidente da Metrobus.

Opiniões divididas
A mudança agradou alguns passageiros que tem de passar pelo trajeto todos os dias.  “Vai tirar muito o congestionamento desses ônibus lotados, isso é muito bom", diz o auxiliar de motorista Max Wilhame.

Para a costureira Ionete de Castro, o principal benefício será não enfrentar mais veículos tão lotados. “Quando a gente vai embora é um tumulto. Acho que vai esvaziar mais os ônibus. Melhor para gente que não vai chegar tão cansada", opina.

Já para o profissional em artes gráficas Valderei Mariano, a situação deve piorar. Ele acredita que isso deixará os terminais ainda mais lotados. “De todo jeito vai ficar congestionado, só vai aumentar a extensão do percurso, facilitar para não ter que reembarcar. Mas resolver o problema do acúmulo de pessoas aqui no Eixo, nunca", afirma.

Informações: G1 GO, com informações da TV Anhanguera

READ MORE - Linha de ônibus do Eixo Anhanguera é estendida para mais três cidades

Déficit do VLT de Cuiabá será de R$ 20 mi ao ano

Uma nota técnica recém-concluída pela CGU (Controladoria Geral da União) diz que a operação do VLT em Cuiabá e Várzea Grande será deficitária em até R$ 20 milhões anuais. 

A escolha do modal, de acordo com o documento de 52 páginas a que o Diário teve acesso, foi uma decisão "equivocada" e que "tende a apresentar impactos negativos ao erário". 

"O atual Sistema VLT Cuiabá – Várzea Grande, contratado e em implementação, é deficitário, necessitando para sua plena operação, complementação de recursos, tal como a possível utilização de subsídio público", afirma a CGU. 

A análise da corregedoria leva em conta informações repassadas pela Secopa, pela Caixa Econômica Federal (financiadora da obra) e pela Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana, ligada ao Ministério das Cidades. 

De acordo com a nota, a justificativa técnica para a substituição do BRT pelo VLT, oficializada em 2011, continha valores "subdimensionados" para custos de operação e tarifas. 

À ocasião, em ofício encaminhado ao Ministério das Cidades, a Secopa estimou que o novo modal teria um custo mensal de R$ 2,2 milhões. Este ano, no Relatório Final da Rede Integrada de Transporte Coletivo, a estimativa saltou para R$ 6.155.242,06 - um diferença de 180%. 

"Estes fatos demonstram que a escolha do VLT em relação ao BRT, (...) sem o adequado estudo de planejamento da rede de transporte coletivo, modelo de integração, modelo operacional, custos, avaliação econômica financeira e tarifária para a operação do Sistema VLT Cuiabá/Várzea Grande, foi uma escolha equivocada que tende a apresentar impactos negativos ao erário", diz a nota. 

Nas condições em que foi apresentado, afirma a CGU, o projeto do VLT não poderia ter sido enquadrado no programa de financiamento Pró-Transporte, do Ministério das Cidades. 

"A opção por ser utilizar o VLT necessitava de ações complementares que permitissem integrá-lo ao planejamento urbano. Portanto, o pré-requisito para o seu enquadramento, previsto no Programa Pró-Transporte, não foi devidamente seguido." 

A aprovação, de acordo com a corregedoria, mostra "deficiências na atuação" dos gestores do ministério e também da Caixa Econômica Federal ao analisar o caso. 

A nota afirma que o VLT irá operar com déficit de R$ 19,6 milhões anuais, quando considerada a sua operação isolada. O prejuízo cairá para R$ 11,8 milhões/ano se o modal fizer parte de um sistema único, totalmente integrado com a rede de ônibus. 

"Por estes fatos, observa-se que um Sistema de BRT’s seria economicamente mais apropriado à realidade local, haja vista ser possível empregar menores custos de implantação, operação e a aplicação de menor tarifa ao usuário." 

Procurado pela reportagem, o secretário Maurício Guimarães (Secopa) disse que teve acesso ao documento elaborado pela CGU, mas que não iria comentar suas conclusões. 

Por Rodrigo Vargas
Informações: Diário de Cuiabá

READ MORE - Déficit do VLT de Cuiabá será de R$ 20 mi ao ano

EPTC garante sinalizar as paradas de ônibus já a partir de outubro

O usuário de ônibus em Porto Alegre, que não consegue encontrar informações sobre que linha passa em qual parada, pode ter o problema resolvido a partir do mês que vem. A Empresa Pública de Transportes e Circulação (EPTC) se comprometeu a colocar as primeiras placas indicativas na segunda quinzena de outubro. O processo deve começar nas avenidas mais centrais e gradativamente chegar a locais mais afastados do Centro. 
Tarsila Pereira / CP Memória
As placas devem ter informações básicas sobre linhas e trajetos em material anti-pichação. A depredação das paradas é um dos principais problemas para a manutenção dos informativos, segundo a EPTC. A autarquia gasta R$ 500 mil anualmente com a limpeza dos locais. 

No ano passado, a EPTC abandonou inicialmente uma ideia criada por um grupo de publicitários de Porto Alegre, o Shoot the Shit, que colocou adesivo informativos nos locais, mas voltou atrás. Porém, a ação foi interrompida posteriormente em função do vandalismo.

Por Samantha Klein 
Informações: Correio do Povo


READ MORE - EPTC garante sinalizar as paradas de ônibus já a partir de outubro

Linhas de ônibus de Cascavel passam por alterações de trajeto

Algumas mudanças foram feitas nas linhas de ônibus do transporte público de Cascavel, no oeste do Paraná. Segundo a Companhia de Engenharia de Transporte e Trânsito (Cettrans), as alterações são para melhorar o trânsito e aumentar a segurança dos passageiros ao se evitar as manobras dos ônibus.

De acordo com a Companhia, as linhas Santo Onofre e Esmeralda, que saem do terminal oeste com destino aos bairros, vão deixar de passar pela Rua Juscelino Kubistchek para passar pela Avenida Assunção.

Já as linhas Claudete, Canadá e Manaus/ Maranhão, que saem dos bairros no sentido terminal oeste, não vão mais passar pela Rua São Paulo e sim pela Avenida Brasil.

O itinerário dos ônibus que fazem a linha Manaus/ Maranhão com destino ao terminal leste vão passar a transitar somente pela Rua Manaus e será nomeada de Leste-Oeste via Rua Manaus.

A linha Manaus/ Santa Catarina que opera no sentido terminal leste a oeste pela Rua Santa Catarina vai passar a transitar somente pela Rua Santa Catarina. Já no sentido terminal oeste a leste o itinerário será pela Rua Maranhão. Essa linha vai ser chamada de Leste-Oeste vias Rua Santa Catarina e Maranhão.

No terminal oeste também haverá mudanças no embarque e desembarque dos passageiros. Os pontos das linhas Santo Onofre, Esmeralda, Manaus/ Maranhão/ Santa Catarina, Claudete e Canadá vão mudar de lugar e os usuários devem ficar atentos na hora do embarque, conforme a Cettrans.

Informações: G1 PR

READ MORE - Linhas de ônibus de Cascavel passam por alterações de trajeto

Em Fortaleza, Novo Terminal Antônio Bezerra é entregue

A população de Fortaleza recebeu, na noite desta sexta-feira (19), mais uma obra concluída pelo Programa de Transporte Urbano de Fortaleza (Transfor), que beneficiará uma média de 200 mil passageiros por dia: o Novo Terminal Antônio Bezerra. “Mais que uma obra bonita, com tecnologia e nova estrutura, este terminal faz parte de uma política nossa de priorizar o transporte público. Com isso, vamos diminuir o tempo de espera do cidadão pelos coletivos e aumentar a economia no bolso do povo”, disse o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, durante a solenidade de entrega do equipamento .

O Terminal Antônio Bezerra tem, agora, mais que o dobro do espaço original, passando de 12 mil m² para 29 mil m², tendo recebido um investimento de, aproximadamente, de R$ 21,5 milhões. O novo equipamento conta com plataformas com piso industrial, cobertura em estrutura metálica e pavimento rígido para circulação de ônibus. No total, são duas plataformas de embarque e desembarque e uma para a Administração, todas com amplas áreas para circulação de passageiros, com estações para receber os ônibus articulados e os convencionais.

Para garantir o funcionamento adequado das 46 linhas de ônibus que passam pelo local, o terminal possui rampas e túneis de acesso de pedestres às plataformas, que evitam o cruzamento entre usuários e ônibus, proporcionado mais rapidez, comodidade e segurança. O terminal conta com duas entradas com bilheterias, prédio para a administração, posto de monitoramento, auditório, além de quatro conjuntos de banheiros acessíveis. Toda a sinalização do equipamento também foi pensada para facilitar o deslocamento dos passageiros, informando desde a localização dos serviços até a relação das linhas por plataforma.


Na oportunidade, o secretário Municipal de Infraestrutura, Samuel Dias, agradeceu a todos os trabalhadores que fizeram parte da obra. “É uma grande satisfação podermos entregar uma obra que vai beneficiar tantas pessoas. Vamos reformar todos os terminais e melhorar a mobilidade urbana de Fortaleza”, afirmou. Segundo Samuel Dias, os próximos terminais a receberem melhorias serão: Messejana; Siqueira; Parangaba e Papicu.

A dona de casa Maria das Graças, moradora do bairro Quintino Cunha, utiliza o terminal diariamente e diz que essa é uma melhoria muito boa. “Achei bem mais amplo, está bem melhor. Tomara que melhore o movimento também, pois dependemos muito deste terminal”, disse.

Rosa dos Santos, dona de casa, moradora do bairro Antônio Bezerra e mãe de seis filhos, também é usuária constante do termina e o achou muito bonito. “Vai ser bem melhor pra população, a gente tava precisando disso fazia tempo. Ficou muito lindo”, afirmou.

Para o metalúrgico Erivelton Barroso, morador do Quintino Cunha, o novo terminal está maravilhoso. “Para nós que usamos transporte público é sempre boa uma reforma dessas. Nossa esperança é que melhore ainda mais. A gente precisava mesmo de algo assim”, declarou.

O Novo Terminal Antônio Bezerra faz parte do primeiro corredor exclusivo de Fortaleza: o corredor Antônio Bezerra/Centro, que ligará o Novo Terminal Antônio Bezerra ao Centro, num percurso total de 8,2 km. Vale destacar que o corredor Antônio Bezerra/Centro é a primeira etapa do corredor Antônio Bezerra/Papicu, que terá extensão de 17,4km.

Area verde
O Novo Terminal Antônio Bezerra, que antes não possuía nenhuma vegetação, agora conta com ampla área verde e projeto paisagístico, garantindo maior sombreamento no local, que é ponto de grande circulação de pessoas e veículos. No total, são 56 carnaubeiras e 68 mudas de árvores semi-adultas nos passeios e ao longo do equipamento. As mudas semi-adultas são das espécies Munguba (33), Chichá-do-Pará (29) e Ipê Roxo (6). Além disso, há no local 150 mini-lacres, 88m² de Pacavira e 850m² de grama.

Breve histórico
Iniciada em agosto de 2009, a obra de reforma e ampliação do Terminal Antônio Bezerra passou por diversas paralisações, sendo definitivamente retomada já na atual gestão em março de 2013. O projeto passou por ajustes e adaptações para trazer modernidade e conforto à população.

O Novo Terminal Antônio Bezerra teve sua primeira etapa entregue em 20 de janeiro deste ano. A entrega da segunda etapa do Terminal, que tem dois terços do espaço total, completa o pacote de melhorias prometidas para os usuários do transporte público que precisam acessar este equipamento diariamente.

Operação de transporte em 100% do espaço do novo Terminal Antônio Bezerra será iniciada domingo. Clique aqui para saber mais.

Informações: Etufor
READ MORE - Em Fortaleza, Novo Terminal Antônio Bezerra é entregue

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960