Conheça a nova marca do BRT pernambucano

sexta-feira, 14 de março de 2014

Está definida a logomarca oficial do sistema de BRT (Bus Rapid Transit) pernambucano. Foi pensada a partir das cores do Sistema Estrutural Integrado (SEI), a integração que representa o alicerce do transporte da Região Metropolitana do Recife. O BRT pernambucano se chamará Via Livre e estará nas ruas nas cores azul, verde, vermelho e amarelo.

A previsão do Grande Recife Consórcio de Transporte é que os testes comecem em 4 de abril nos dois corredores do sistema: o Leste-Oeste, ligando Camaragibe, na Zona Oeste da Região Metropolitana, ao Centro do Recife, e o Norte-Sul, entre Igarassu, extremo Norte da RMR, à área central da Capital. 


Os testes começarão à noite nos dias úteis e de dia nos fins de semana, sem passageiros. Se os ajustes necessários forem feitos sem dificuldades, a previsão é que a operação com passageiros comece em 17 de maio.

Por Roberta Soares
Informações: JC Online


READ MORE - Conheça a nova marca do BRT pernambucano

VLT de Cuiabá deveria ser entregue nesta 5ª feira mas previsão é só dezembro

Antes sequer da conclusão do primeiro eixo do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), o prazo de entrega da obra de mobilidade urbana, em Cuiabá e Várzea Grande, região metropolitana da capital, já venceu. Pelo contrato, o obra deveria ser entregue nesta quinta-feira (13) e estar em funcionamento até a Copa do Mundo. A Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa) anunciou, porém, que o metrô de superfície que deveria atender a demanda da Copa na capital não vai estar nem mesmo em fase de teste até junho deste ano, quando serão realizados os jogos do mundial.

Para dar continuidade à obra, a Secopa informou que, nos próximos dias, será firmado um termo aditivo de contrato com o Consórcio VLT e a data-limite de entrega da obra de mobilidade urbana deve ser dezembro deste ano. O trajeto será dividido nos eixos Aeroporto-CPA e Coxipó-Centro. Os trilhos serão implantados nos canteiros centrais das avenidas da FEB - em Várzea Grande -, 15 de Novembro, Prainha, Historiador Rubens de Mendonça, Coronel Escolástico e Fernando Corrêa da Costa, em Cuiabá.


Contudo, o governo garantiu que não haverá acréscimo no valor da obra por se tratar de um contrato celebrado por meio do Regime Diferenciado de Contrato (RDC), devendo ser pago o montante acordado inicialmente por ambas as partes, de R$ 1,4 bilhão. Por esse valor, o Consórcio tem obrigação de instalar não somente o VLT, mas de executar todas as obras de mobilidade urbana necessárias para a passagem dos vagões. Entre esses projetos estão três viadutos, sendo eles da Sefaz, na Avenida do CPA, da MT-040, mais conhecida como Palmiro Paes de Barros, e da UFMT, na Avenida Fernando Corrêa da Costa.

A conclusão de que o VLT não estaria pronto até a Copa foi recente, já que, apesar do atraso da obra, o governo assegurou à princípio que pelo menos o primeiro eixo, ligando o Aeroporto Marechal Rondon, em Várzea Grande, ao CPA, em Cuiabá, estaria em pleno funcionamento até o mundial. A declaração foi dada pelo governador Silval Barbosa (PMDB) em outubro do ano passado e, no início deste ano, a previsão foi alterada. A expectativa passou a ser a entrega de parte desse primeiro eixo, entre o aeroporto e a região do Porto, na capital. Neste ano, o governo fez nova previsão, dizendo que na Copa o VLT estaria em fase de teste.

Depois de admitir que nem em teste o VLT estaria, o trabalho se limitou a projetar a desobstrução das vias para melhorar o trânsito dos ônibus coletivos. Uma das primeiras medidas tomadas para a implantação do modal de transporte escolhido para a Copa foi a retiradas de 1.600 árvores que ficavam nos canteiros centrais das avenidas por onde deve passar os trilhos. Parte desses canteiros estão cobertos de tapumes, que na última semana começaram a ser recuados para melhorar o fluxo de veículos nas avenidas.

Demora
A obra do VLT começou a ser executada somente três anos após Cuiabá ter sido escolhida, em 2009, como uma das 12 capitais brasileiras a sediar a Copa do Mundo. Na época, o governo do estado optou pela instalação do sistema de corredores exclusivos para ônibus, o Bus Rapid Transit (BRT), orçado em R$ 400 milhões, o correspondente a um milhão a menos que o VLT. Porém, depois que o projeto já fazia parte da Matriz de Responsabilidade da Fifa, decidiu pela instalação do VLT, apresentando uma série de argumentos e vantagens desse outro modal.

Somente em janeiro de 2012, a substituição do sistema de mobilidade a ser financiado junto ao governo federal foi aprovada pelo Ministério das Cidades. Parte do montante previsto para a execução do projeto foi liberada em abril daquele ano. Com isso, após a habilitação do Consórcio VLT para a instalação, a obra começou a ser construída em junho de 2012, na região do Zero Quilômetro, em Várzea Grande.

Instalação
Os primeiros vagões chegaram em Cuiabá em novembro do ano passado e, no mês passado, os trilhos começaram a ser colocados na via permanente do VLT a partir de Várzea Grande. Também estão sendo instalados os trilhos na via permanente na Avenida Fernando Corrêa da Costa, na capital.

Operação
O valor da tarifa do VLT ainda não foi definido, assim como a empresa que irá operar o sistema. Conforme a Secopa, a Agência Metropolitana de Transporte, vinculada ao governo do estado, está fazendo um estudo jurídico da concessão para exploração do serviço, bem como do valor da tarifa a ser cobrada. No ano passado, durante audiência pública, a Secopa disse que poderá ser cobrado R$ 1,75 por passageiro.

Informações: Pollyana Araújo e Renê Dióz
Do G1 MT
READ MORE - VLT de Cuiabá deveria ser entregue nesta 5ª feira mas previsão é só dezembro

Urbs abre processo para retirada de impostos exclusivos da tarifa de ônibus

A Urbanização de Curitiba S/A (Urbs) abriu um processo administrativo solicitando a retirada de impostos exclusivos do cálculo da tarifa de ônibus em Curitiba.

Urbs pede retirada de impostos da tarifa técnica do transporte coletivo. Atualmente, administração municipal repassa os valores do Imposto de Renda sobre Pessoa Jurídica (IR) e da Contribuição sobre o Lucro Líquido (CSLL) às empresas de ônibus. Embora previsto no contrato entre as duas partes, a operação foi considerada irregular pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE) e pela CPI do Transporte da Câmara Municipal.

Com a retirada dos custos, a tarifa técnica, atualmente em R$ 2,93, seria reduzida em R$ 0,11.

O processo administrativo corre na Urbs desde o final do ano passado e é o primeiro passo para uma revisão contratual. Nele, as empresas são chamadas a se manifestar e, caso continuem as divergências, a situação pode ser levada à Justiça.

O Ministério Público do Paraná (MP) realiza uma análise sobre os impostos. Os dados são avaliados pelo setor de auditoria do órgão. Na sequência, eles serão repassados à promotoria de patrimônio público e do consumidor, que podem entrar com ações judiciais.

Informações: Bem Paraná, com BandNews FM Curitiba

READ MORE - Urbs abre processo para retirada de impostos exclusivos da tarifa de ônibus

Presidente Dilma confirma R$ 466 mi para construção do BRT em Palmas

Foi anunciado nesta quinta-feira, 13, pela presidente Dilma Rousseff, R$ 466,1 milhões para implantação do sistema Bus Rapid Transit (BRT), corredores e terminais de ônibus e sistema de informação em Palmas. Sendo R$ 22,6 milhões do Orçamento Geral da União (OGU) e R$ 238,5 milhões de financiamento público com juros subsidiados. 

O anúncio foi feito durante audiência de investimentos do PAC 2 Mobilidade Urbana, em Brasília, que contou com a presença do ministro das cidades, Aguinaldo Ribeiro, do prefeito Carlos Amastha, secretários municipais e prefeitos de outras cidades do País. Na ocasião a presidenta destacou a importância dos programas de mobilidade. “Os programas de mobilidade urbana têm o sentido de desenvolver a cidade e também o País”, garantiu Dilma.


Para o chefe do poder executivo, a capital tocantinense será destaque nacionalmente em desenvolvimento. “Começamos a trabalhar no projeto BRT Palmas ainda em outubro de 2012 quando nos reunimos por diversas vezes com o ministro das cidades. Nossa dedicação e trabalho em fazer uma gestão para os cidadãos palmenses e liberação dos recursos para implantação deste projeto reforça que estamos no caminho certo. Sem dúvida, vamos fazer muito mais”, enfatizou o prefeito emocionado. 

O presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano de Palmas (Impup),  Luiz Masaru Hayakawa, reforçou que a credibilidade na gestão foi mais uma vez reconhecida. “Este projeto é para os próximos 30 anos e para atender uma população de 2,5 milhões de habitantes. Pensamos na cidade como um todo, associando o desenvolvimento urbano à qualidade de vida da população”, afirmou. 

BRT

O sistema Bus Rapid Transit (BRT) prevê a instalação de uma via rápida de transporte dinâmico de passageiros no canteiro central da Avenida Theotônio Segurado, ligando de um lado o Setor Santo Amaro e de outro uma bifurcação que divide os caminhos a Taquaralto e Taquari que vai proporcionar serviços e ônibus de alta capacidade que proporciona um serviço rápido, confortável, eficiente e de qualidade. 

A extensão do corredor será de 27,19 Km de extensão, com 28 estações de passagens, sete estações de integração sendo duas estações de integração multimodais (trincheiras) e mais cinco futuras. O projeto conta com dois terminais (Urbano em Taquaralto / Metropolitano na Avenida LO-27), 16,92 km de ciclovia com largura de 3m. Serão 85.720 m² de calçadas acessíveis em piso intertravado e com sete pontes, viadutos, elevados, sendo quatro exclusivos para o BRT.

O projeto é uma iniciativa da Prefeitura de Palmas, através do Instituto Municipal de Planejamento Urbano de Palmas (Impup), em conjunto com a Secretaria de Acessibilidade, Mobilidade e Transporte (Samot). 

Ao longo do percurso estão previstas as instalações de estações de integração multimodal que se conectarão às demais linhas. A estrutura de embarque e desembarque possibilitará aos usuários do transporte coletivo urbano o acesso a bens e serviços tais como emissão de documentos, plantões de vacinação, farmácias básicas, atendimento ao usuário, entre outros.

Arborização e Ciclovia

Todo planejamento vem cercado por uma proposta de corredor verde. A instalação de árvores no entorno da via expressa tem o propósito de diminuir a incidência de raios solares direto nos ônibus proporcionando um clima mais ameno nos coletivos. 

O sistema atende ainda ciclovias. Parte da estrutura já está pronta, a exemplo o trecho que liga a Avenida Theotônio Segurado ao Jardim Aureny III. Está prevista a implantação de espaços para tráfego de bicicletas, ainda na região norte, até o Hospital Geral de Palmas. Outra ciclovia deverá ligar a Rodoviária ao Fórum.  Caminhos que irão facilitar o acesso dos moradores ao BRT.

 Rotatórias

O projeto paralelo de estruturação urbana de Palmas atende ainda a correção geométrica do diâmetro externo das rotatórias de modo a acelerar o fluxo de veículos utilizando a terceira faixa. O interior das rótulas será rebaixado para melhor aproveitamento do espaço dentro de uma concepção que alia sustentabilidade e drenagem para melhor aproveitamento do volume de águas pluviais. 

Multimodal

Os técnicos do Impup se aproveitaram do fato de Palmas estar localizada numa região geograficamente estratégica, no centro do País, para visionar um Plano Diretor Logístico e Multimodal. A construção do aeroporto de cargas vai viabilizar a exportação de mercadorias de maior valor agregado produzidas no Tocantins e em estados vizinhos a países da América do Norte e Europa. 

O corredor centro norte da Ferrovia Norte Sul já conta com terminal de transbordo em Porto Nacional, há aproximadamente 20 km de Palmas, que atenderá o nordeste do Mato Grosso e o Centro Norte do Tocantins. A vantagem logística é a redução de custos e a rapidez do transporte de cargas para demais estados do Brasil e o mundo. (Secom Palmas)

Informações: conexaoto.com.br
READ MORE - Presidente Dilma confirma R$ 466 mi para construção do BRT em Palmas

Empresas habilitadas ao BRT visitam Sorocaba

Termina em 11 de abril o prazo para as seis empresas habilitadas apresentarem os projetos técnicos de implantação e operação do sistema Bus Rapid Transit (BRT) em Sorocaba. Os representantes dos consórcios estiveram ontem na cidade e percorreram os eixos norte/sul e leste/oeste, onde serão instalados os futuros corredores de ônibus rápido. O grupo foi acompanhado pelo secretário de Planejamento e Gestão, Rubens Hungria de Lara, e pelo diretor-presidente da Urbes, Renato Gianolla.

Após a entrega das propostas, a Prefeitura de Sorocaba terá 60 dias para analisar os conteúdos e consolidar o projeto. Na sequência será iniciado o processo licitatório para a contratação de uma ou várias empresas voltadas à execução das obras.

Estiveram ontem em Sorocaba os representantes das empresas KPMG, Consur, Promon, Proficenter, Elenco e Creta. A visita técnica teve início pela avenida Ipanema, nas proximidades da Cruz de Ferro, e seguiu por todo o percurso dos futuros corredores do BRT.

Uma das paradas ocorreu no local onde será construído o hospital público de Sorocaba, na extinta sede da empresa Transporte Coletivo Sorocaba (TCS). No projeto, consta a construção de um terminal em frente ao terreno capaz de suportar um elevado número de passageiros.

Segundo o secretário de Planejamento e Gestão de Sorocaba, a visita técnica teve o objetivo de proporcionar aos representantes das empresas um contato visual mais direto da realidade do município. "Já que está próxima a data de apresentação dos estudos", conta. De acordo com Gianolla, o objetivo da Prefeitura de Sorocaba é entregar o BRT em julho de 2016. "As obras deverão começar um ano antes", ressalta.

Sistema BRT

O BRT consiste na implantação e operação de aproximadamente 35 quilômetros de corredores de transporte coletivo, nos quais se incluem as paradas e os terminais urbanos. A linha norte/sul terá início nas avenidas Ipanema e Itavuvu e passará pelas ruas Comendador Hermelino Matarazzo, Comendador Oeterer, região central, Padre Luiz, Barão de Tatuí até a avenida Antônio Carlos Comitre. Já a leste/oeste será formada pela avenida São Paulo, Centro, General Carneiro e Armando Pannunzio.

O investimento inicial previsto gira em torno dos R$ 190 milhões em infraestrutura, que se somará ao serviço de transporte coletivo já existente. O município já conta com financiamento aprovado pelo Governo Federal por meio do PAC-2 da Mobilidade para investimentos nessa modalidade de infraestrutura pública. 

Informações: Cruzeiro do Sul

Leia também sobre:
READ MORE - Empresas habilitadas ao BRT visitam Sorocaba

Obras do BRT em Uberaba têm trabalhos intensificados

A previsão para que todo o sistema de transporte rápido BRT, em Uberaba, esteja funcionando é no início de julho. Mas até lá, muitas obras ainda serão necessárias em pontos diferentes, onde o sistema será implantado. Com a equipe reforçada, algumas alterações já começaram. As obras estão seguindo o cronograma estipulado pela Prefeitura.

Uma equipe trabalha na construção do Terminal Oeste, que está atrasada. A expectativa é de que até maio tudo esteja pronto. Do outro lado da Avenida Leopoldino de Oliveira, o Terminal Leste está mais avançado e deve ser entregue em abril.

Entre um e outro, serão 17 quilômetros de linha do sistema BRT. No corredor, as doze estações para embarque e desembarque de passageiros já estão instaladas. Algumas precisam de reforma e todas ainda receberão acabamento climatizado, além de portas e catracas elétricas.

A Avenida Leopoldino de Oliveira também passará por adaptações. A licitação para contratação de empresa que será responsável por essas mudanças está em andamento e o valor estimado do contrato é de R$ 8 milhões. "Todos os canteiros estão irregulares. Eles vão ser readequados. Após esse trabalho, nós vamos fazer o recapeamento de toda a pista do trajeto leste/oeste", explicou Roberto Indaiá, secretário de Infraestrutura.

Outras intervenções serão feitas pela própria Prefeitura. No meio da rotatória do Parque do Mirante, por exemplo, passarão duas pistas para uso exclusivo dos ônibus, onde também ficarão duas estações de passageiros. "Estamos seguindo o novo cronograma que o prefeito Paulo Piau estipulou", garantiu Roberto Indaiá.

Informações: G1 Triângulo Mineiro
READ MORE - Obras do BRT em Uberaba têm trabalhos intensificados

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960