Greve de motoristas de ônibus começa 2ª no Grande Recife

quinta-feira, 24 de julho de 2014

A reunião de negociação entre motoristas, cobradores e fiscais do Grande Recife e os representantes das empresas de ônibus, realizada nesta quinta (24), na sede do Ministério Público do Trabalho (MPT), Zona Norte da capital, terminou sem acordo. Com isso, a categoria entra greve por tempo indeterminado a partir da 0h da próxima segunda (28). A paralisação deve afetar cerca de dois milhões de passageiros que utilizam o transporte diariamente na Região Metropolitana.

Os trabalhadores não aceitaram a proposta de reajuste de 5% nos salários e no tíquete-refeição, feita pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana/PE). Eles querem aumento de 10%, proposto pelo MPT, e elevação no valor do tíquete-refeição de R$ 171 para R$ 320.

O procurador-chefe do MPT, José Laízio Pinto Júnior, disse que recebeu nesta quinta o comunicado de indicativo de greve, aprovado pela categoria em assembleia realizada na quarta (23). “Nessa última reunião de negociação, nesta quinta, não houve nova contraproposta do sindicato patronal. Os trabalhadores não aceitam os 5% de aumento. Vamos avisar as secretarias de Defesa Social e das Cidades sobre a paralisação, que começa segunda”, afirmou.

Segundo ele, os sindicatos das Empresas de Transportes de Passageiros no Estado de Pernambuco (Urbana-PE) e das Empresas de Transportes Rodoviários de Passageiros do Estado de Pernambuco (Serpe) também não chegaram a um acordo sobre o percentual mínimo de frota que irá circular durante a greve. “Os trabalhadores sugeriram 30%. Já o sindicato patronal pediu 100% da frota nos horários de pico e 50% fora desse horário. Os trabalhadores dizem que esse percentual não representa uma paralisação. Portanto, também não foi possível consenso chegar a esse consenso”, explicou.

Procurado pela reportagem, o Sindicato dos Rodoviários informou que o movimento está mantido para a próxima segunda (28) e que vai fechar o calendário de mobilização. Em nota, a Urbana-PE afirmou que conduziu as negociações tendo em vista o equilíbrio econômico-financeiro do sistema e a garantia de prestação de um serviço essencial à população. “O setor tem passado, ao longo dos últimos anos, por um processo de aumento dos custos não acompanhado pela arrecadação de receita. E tem ainda realizado investimentos para proporcionar melhorias no sistema de transporte público na RMR e nas condições de trabalho dos operadores. A Urbana-PE informa que não medirá esforços para evitar a interrupção do serviço de transporte e minimizar eventuais transtornos aos usuários.”

Procurado pela reportagem, o Grande Recife Consórcio de Transporte, que gerencia o sistema de transporte na Região Metropolitana, ainda não informou se haverá esquema especial a partir de segunda. Atualmente, o sistema conta com aproximadamente 3.000 veículos integrando a frota, distribuídos em 385 linhas e 18 empresas operadoras de ônibus. São feitas, em média, 25 mil viagens por dia. O sistema conta também com mais de 15 terminais integrados.

Informações: G1 PE

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960