Obra do BRT Transcarioca ainda está longe do fim

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

A previsão inicial era de conclusão em dezembro de 2013. Mas, a pouco mais de um mês desse prazo, o BRT Transcarioca ainda espalha poeira e transtorno ao longo de seus 39 quilômetros, da Barra da Tijuca ao Aeroporto Internacional Tom Jobim, na Ilha do Governador. Os ônibus só devem começar a circular pelo corredor no ano que vem. Segundo a Secretaria municipal de Obras, tudo estará pronto até o segundo trimestre de 2014, pouco antes da Copa do Mundo. Num primeiro trecho, da Barra à Penha, a prefeitura diz que a meta é concluir as intervenções viárias já no mês que vem. Mas quem vê as obras continua cético.

Na Taquara, a sequência de postes no meio da Avenida Nelson Cardoso mostra o desafio que será finalizar a primeira parte da Transcarioca até dezembro. No Largo do Tanque, uma nuvem de poeira indica que o corredor está longe de ficar pronto. E se na Praça Seca já se pode ver a base da futura estação de ônibus, buracos abertos no asfalto deixam moradores e comerciantes temerosos de conviver com as obras por mais tempo que o previsto.


— Duvido terminarem até dezembro. É capaz de chegarmos ao carnaval com essa obra — diz Vicente Augusto Feitosa, funcionário de uma loja na Rua Cândido Benício, na Praça Seca. — O trânsito está caótico e sobe muita poeira. Para melhorar um pouco, molho a calçada. Acredito que isso não vá mudar tão cedo.

‘Tudo dentro do planejado’

O secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto da Silva, no entanto, garante que da Barra à Penha, passando pela Praça Seca, 90% das obras viárias estão prontas. Mas reconhece que, nesse trajeto, há três pontos complicados: a área do Largo do Tanque; o trecho da Rua Ministro Edgard Romero, em Madureira, próximo ao Turiaçu; e dois quarteirões da Rua Cândido Benício, entre o Mato Alto e a Praça Seca, onde as obras de pavimentação não começaram devido ao remanejamento da rede elétrica. Já no trecho da Penha à Ilha do Governador, afirma, 78% das obras estão prontas, e prevê-se a conclusão em 2014. Tudo, diz o secretário, dentro do cronograma proposto.

— Sempre trabalhamos com a entrega do BRT Transcarioca no primeiro semestre de 2014 — diz o secretário. — Hoje, faltam apenas oito quilômetros de pavimento rígido para serem concluídos, e seis quilômetros para colocar asfalto. Está tudo dentro do planejado.

Só que, no ano passado, em vários momentos a prefeitura anunciou a Transcarioca para dezembro de 2013. Em março de 2012, no início da segunda etapa das obras (da Penha à Ilha do Governador), o próprio secretário mencionou esse prazo. Essa data-limite também foi citada pelo município pouco antes da inauguração de três obras do BRT: o mergulhão de Campinho, o novo viaduto de Madureira e a ampliação da Rua Guaxima. Em abril de 2012, quando a construtora Delta, em meio a escândalos, saiu da Transcarioca, também se afirmou que todo o sistema estaria pronto em dezembro de 2013.

Em Vaz Lobo, postes tortos

Os cerca de oito quilômetros entre o Terminal Alvorada, na Barra, e a Estrada dos Bandeirantes, em Curicica, são os mais adiantados, com nove estações (no total, serão 45) em fase avançada. Em uma delas, na Avenida Ayrton Senna, já foi feito o teste de iluminação. A ponte estaiada sobre a Lagoa do Camorim, no entroncamento da Ayrton Senna com a Embaixador Abelardo Bueno, também está em fase final. Mas o cenário muda quando se vai para Jacarepaguá e Zona Norte.

São poucas as estações cujas estruturas já estão subindo. Em Curicica, próximo ao número 3694 da Estrada dos Bandeirantes, a futura estação sequer recebeu a base de concreto. O secretário de Obras argumenta que, ainda que as obras viárias comecem a ser entregues em dezembro, o prazo não se aplica a todas as estações, que serão abertas de forma gradativa.

Na Taquara, ao nó no fluxo de veículos se somam pedestres passando em meio a carros e ônibus. Na última segunda-feira, uma estudante tropeçou num ressalto entre a pista do BRT e a da Nelson Cardoso: ela caiu no asfalto e quase foi atropelada. Dali até Madureira, devido às obras, há vários estreitamentos de pistas, que só permitem a passagem de um ou dois veículos por vez.

— Tenho evitado andar de carro pelo bairro. É mais rápido a pé — queixa-se a dona de casa Luzinete dos Santos, de 43 anos.

Mas até caminhar é difícil. A dona de casa Elisabete da Silva Alves, de 51 anos, ganhou uma cicatriz ao cortar o braço numa grade arrebentada na passagem de pedestres na Taquara. Já em Vaz Lobo, alguns dos postes recém-instalados já estavam tortos. Um deles desabou sobre a fachada de uma funerária.

— A cada dez postes, quatro já estão tortos. Esse que caiu estava completamente oco por baixo. Por que a qualidade da obra aqui é pior? — pergunta o empresário João Paulo Tavares.

Mudança no traçado influiu

A Secretaria de Obras aponta como motivos para a demora a complexidade — como uma ponte em arco que passará sobre a Avenida Brasil, que não poderá ser interditada — e uma mudança de traçado, que aumentou a primeira parte da Transcarioca em quase um quilômetro. Essa alteração, segundo o secretário, reduziu o número de desapropriações, de 3.600 para 1.534.

Menos sorte teve a dona de casa Inês Monte, de 53 anos, cujo imóvel na Rua Ibiapina, entre Penha e Olaria, foi desapropriado. Ela vive agora num salão de festas. Já a aposentada Tereza da Conceição Braz Lobo, de 71 anos, perdeu uma loja:

— Ganhava R$ 800 com o aluguel. Agora, vivo apenas com a pensão, de um salário mínimo. Uma imobiliária avaliou a loja em R$ 220 mil, mas a prefeitura ofereceu R$ 138 mil.

Por Rafael Galdo | Fotos: Alexandre Cassiano
Informações: O GLOBO




READ MORE - Obra do BRT Transcarioca ainda está longe do fim

No Recife, Prazo para adquirir o Cartão VEM Livre Acesso termina no dia 30 de Dezembro

Em Recife, as pessoas com deficiência têm até o dia 30 de dezembro para trocar a antiga carteira de Livre Acesso pelo cartão VEM. Os beneficiários precisam comparecer ao posto de atendimento, na Rua da Soledade, com os documentos para garantir o direito à gratuidade.

Para ser atendimento, é necessário fazer o agendamento pelo site www.vemlivreacesso.com.br ou pelo telefone 3125.7585, das 7h às 19h, de segunda a sábado. No momento da troca, é indispensável que a pessoa com deficiência apresente o CPF, leve a Carteira de Livre Acesso, que será retida, e mostre o comprovante ou o número do agendamento.


Os cartões eletrônicos possuem um layout diferente dos demais, facilitando a identificação e fiscalização. O VEM do beneficiário será na cor azul. Para as pessoas com deficiência que tiverem direito a acompanhante, o cartão será na cor laranja. Os cartões contarão com dados como foto, nome, CPF e o tipo de deficiência. Na troca do documento será usado o cadastro já existente na Sead, que é ligada à Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos do Governo de Pernambuco. 


Embarque – No momento do embarque, a pessoa com deficiência deve registrar o cartão no validador situado ao lado do cobrador e passar a catraca. Em caso de dificuldade, ela deve acomodar-se nos assentos reservados, solicitando que o cobrador gire a catraca. 

Já o cartão VEM da pessoa deficiente, que tem direito a acompanhante, deve ser utilizado para os dois passageiros. No primeiro momento, o titular do cartão passa pela catraca, registrando o seu acesso e em seguida, em até 30 segundos, o acompanhante deve fazer o mesmo procedimento. 

Blog Meu Transporte
READ MORE - No Recife, Prazo para adquirir o Cartão VEM Livre Acesso termina no dia 30 de Dezembro

São Paulo: Bilhete Único Mensal Integrado nasce com mais de 140 mil cadastros

O novo Bilhete Único Mensal, desenvolvido pela Prefeitura, por meio da SPTrans, e que permitirá aos passageiros do transporte público utilizar o sistema por até 31 dias pagando uma tarifa única, também valerá nos trens do Metrô e da CPTM, a partir do dia 30 de novembro.

O anúncio foi feito nesta quinta-feira, dia 21, pelo prefeito Fernando Haddad, pelo governador Geraldo Alckmin, pelo secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto e pelo secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes.

Os passageiros do Bilhete Comum ou do Vale Transporte, que fazem seus deslocamentos apenas nos ônibus, ou apenas nos trens, terão direito ao uso mensal do transporte pagando uma tarifa única de R$ 140,00. Já aqueles que utilizam tanto os coletivos quanto o sistema sobre trilhos, pagarão R$ 230,00 para viajar durante um mês.

Durante o evento, o secretário Jilmar Tatto fez uma apresentação sobre a nova modalidade de pagamento e seus benefícios. Ele ressaltou o impacto que o Bilhete Mensal terá na forma de os cidadãos aproveitarem a cidade.

"A rotina do paulistano irá mudar, pois ele terá um atrativo a mais para utilizar o transporte público, principalmente nos entrepicos e fins de semana, podendo ir a parques e eventos, por exemplo, sem se preocupar com acréscimos nos seus gastos", observa Tatto.

Além de otimizar a utilização do sistema e propiciar novas formas de os passageiros se locomoverem por São Paulo, muitos terão impacto financeiro imediatamente com a nova tarifa, por já gastarem mais do que o valor mensal.

Principais Beneficiados

Segundo o diretor de Gestão Econômico-Financeira da SPTrans, Adauto Farias, estima-se que cerca de 250 mil pessoas já serão beneficiadas com o Bilhete Mensal Integrado, enquanto os que utilizam somente ônibus chegam a aproximadamente 535 mil.

Para os estudantes, a vantagem também será grande. Aqueles que utilizam apenas um sistema pagarão R$ 70,00 para usar o transporte público livremente por até 31 dias. Já a tarifa integrada será de R$ 140,00.

Os usuários que se cadastraram até o último dia 18 de novembro, poderão retirar seu novo cartão a partir do dia 26 no posto indicado no site da SPTrans. Até esta quinta-feira, dia 21, 141 mil pessoas já haviam feito suas inscrições.

Informações: SPTrans


Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP
READ MORE - São Paulo: Bilhete Único Mensal Integrado nasce com mais de 140 mil cadastros

Tortura! No feriadão, Rio de Janeiro e São Paulo registram engarrafamentos recordes

Nos últimos dias, principalmente no último feriadão, cidades como o Rio de Janeiro e São Paulo, registram congestionamentos recordes. Os números do Detran de São Paulo mostram que, desde 1997, a capital ganhou mais carros do que moradores. São 29 mil motoristas por hora numa avenida. Para mostrar o drama de quem enfrenta este tipo de tráfego, bem como apontar possíveis soluções, o Mais Você foi às ruas e conversou com especialistas.

Rio supera São Paulo em trânsito
O programa mostrou uma pesquisa feita por uma empresa holandesa especializada em serviços de navegação: ela aponta que, no Rio, os percursos demoram 50% a mais do tempo que seriam feitos sem engarrafamento. Num fim de tarde, horário de pico, o tempo perdido no trânsito chega a ser 125% maior. A capital fluminense é apontada como a terceira mais engarrafada do mundo, superando São Paulo e ficando apenas atrás de Moscou, na Rússia, e de Istambul, na Turquia. "Com tantas obras, o trânsito aqui piorou muito, e hoje está muito pior do que o de São Paulo", ressaltou Ana Maria Braga.

O feriadão em São Paulo
No dia 14 de novembro, véspera de feriado, sair de São Paulo não foi uma tarefa fácil. A cidade registrou o pior índice de engarrafamento da história: 309 quilômetros de ruas e avenidas travadas. Daria para formar uma fila de veículos da capital até Ribeirão Preto, no interior. O casal Luis Sérgio e Cláudia, que tem duas filhas, queria aproveitar o fim de semana prolongado e viajar para o litoral, só que eles não imaginavam que enfrentariam tanta dificuldade para chegar ao destino. Eles saíram de São Paulo às 18h e só chegaram em Caraguatatuba às 2h30. 

Qual seria a solução
Especialistas afirmam que a única solução é investir no transporte público e desestimular o uso do carro particular. O engenheiro de tráfego Humberto Pullin acredita que o metrô seria uma boa alternativa. "Porque o metrô não tem interferência nenhuma. Ele é um tipo de transporte que pode estar chovendo que não tem problema de acidentes. Se não tiver falhas, ele funciona perfeitamente. Para você ter uma ideia, a região metropolitana de São Paulo, com 22 milhões de habitantes, tem 71 quilômetros de metrô. Hoje, precisaria ter 300 quilômetros", garantiu o especialista.

Pequim: o exemplo!
Pequim tem 21 milhões de moradores e 442 quilômetros de metrô. A cidade de São Paulo tem 12 milhões de habitantes e 71 quilômetros de metrô, ou seja, a população de São Paulo é pouco mais da metade da de Pequim e o metrô paulista é seis vezes menor que o de lá. Atualmente, a maior rede de todas é a do metrô de Pequim, capital da China. São mais de 442 quilômetros de extensão. É praticamente a distância entre o Rio de Janeiro e São Paulo, distribuída em linhas férreas.Também é da China a segunda maior rede de metrô do mundo. Na cidade de Xangai, a extensão das linhas é de 425 quilômetros. Logo atrás vem Nova York com 418 quilômetros.

Informações: G1 Mais Você

Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP
READ MORE - Tortura! No feriadão, Rio de Janeiro e São Paulo registram engarrafamentos recordes

Mais 100 mil curitibanos passaram a utilizar o cartão transporte este ano

Quase 100 mil pessoas optaram neste ano pela utilização do cartão transporte, deixando de pagar a passagem do ônibus em dinheiro. Elas fazem parte do total das 520 mil usuários de cartão transporte atendidos nos primeiros dez meses pela Área de Fiscalização do Transporte da URBS, responsável pela emissão e controle de uso do cartão transporte.

Além da emissão dos quase 100 mil novos cartões transporte na categoria Usuário comum, os atendimentos incluem estudantes, isentos, pessoas que solicitam extratos dos créditos transporte, emissão de segunda via, renovação de isenção e quase 130 mil procedimentos de venda de talões e regularização do Estacionamento Regulamentado (EstaR), feito pela URBS em parceria com a Secretaria Municipal de Trânsito (Setran).


Feito na hora, sem custo, com atendimento que demora apenas alguns minutos, o cartão transporte é uma excelente opção para o usuário, que não precisa ter dinheiro em mãos ou se preocupar com troco e ainda ganha tempo no embarque. Além de maior comodidade para o passageiro, o cartão também é um fator de segurança na medida em que reduz a circulação de dinheiro nos ônibus, estações tubo e terminais.

Em dezembro do ano passado eram 1,372 milhão de cartões transporte ativos na categoria Usuário. Em outubro, este número passou a 1,463 milhão. Hoje, em torno de 55% dos deslocamentos dos 25,2 milhões de passageiros pagantes por mês, é feito com cartão transporte.

Embora em proporção bem menor, também aumentou o número de usuários com cartão de isento – idosos, aposentados por invalidez e pessoas com deficiência - que passou de 210,4 para 213,8 mil usuários. Somados ao total de isentos – policiais, operadores, carteiros, etc. - eles são responsáveis por cerca de 3,5 milhões de deslocamentos por mês.

"Quanto mais pessoas usarem o cartão transporte, maior será a segurança do sistema e o conforto do usuário", afirma o gestor da Área de Fiscalização do Transporte, Edson Berleze. A URBS, explica Berleze, vem desenvolvendo uma série de estudos para adoção de medidas de incentivo à utilização do cartão. As medidas, que em boa parte dependem da implantação de novas funcionalidades do Sistema de Bilhetagem Eletrônica, vão desde a abertura de mais um posto de atendimento da URBS até a implantação de tarifas diferenciadas nos horários de menor demanda e a criação de novos pontos de venda de créditos.

Estudantes

As equipes responsáveis pela emissão de cartão transporte já estão se preparando também para a força-tarefa, feita a partir do início do ano, para atendimento aos estudantes que buscam o benefício do passe escolar, com desconto de 50% na tarifa. Neste ano, 17,4 mil estudantes foram beneficiados com o passe escolar.

O esforço concentrado para atendimento a estudantes do passe escolar vai começar, no ano que vem, no início de fevereiro, uma vez que o calendário escolar será antecipado em função da Copa do Mundo. As equipes da Área de Fiscalização vão atender estudantes nas Ruas da Cidadania, descentralizando o atendimento que, ao longo do ano, é feito exclusivamente na URBS.

Berleze conta que, assim que o período de cadastramento for aberto, os estudantes poderão agilizar o atendimento preenchendo o cadastro e agendando data e local de atendimento pela internet. Desde o início deste ano, foram atendidos 23,5 mil estudantes e, destes, 17,4 mil tiveram seu cadastro aprovado e passaram a contar com o passe escolar.

Facilidades

O cartão transporte amplia a segurança e o conforto do usuário, além de agilizar as operações de embarque. Para fazer o cartão, basta comparecer à URBS ou nos postos de atendimento das Ruas da Cidadania Matriz, Boa Vista, Carmo, Pinheirinho e Fazendinha, munido de documento de identificação com foto, CPF e comprovante de endereço, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17 horas.

Crianças de até 5 anos não precisam fazer o cartão porque são isentas. O cartão é pessoal e intransferível e só pode ser feito pelo próprio usuário. No caso de menores de 18 anos, a solicitação pode ser feita pelos pais ou responsável legal, mediante apresentação de documento de identificação original com foto do responsável e do menor.

Para ter o cartão transporte não é necessário morar em Curitiba. Qualquer pessoa, de qualquer lugar, pode fazer um cartão transporte para utilizar quando estiver na cidade. A primeira via é gratuita e a segunda via do cartão custa o equivalente a cinco passagens de ônibus (atualmente R$ 13,50).

A carga de créditos pode ser feita diretamente na Tesouraria da URBS, no prédio central da Rodoviária, ou pela internet no site www.urbs.curitiba.pr.gov.br. Neste caso, deve ser feita a emissão de boleto para pagamento em banco – quem utiliza internet banking pode pagar os créditos pela internet. A carga dos créditos adquiridos é automática e estará no sistema até 72 horas depois do pagamento. A partir deste prazo, quando o usuário passa o cartão no validador, que destrava a catraca, os créditos disponíveis são automaticamente transferidos para o cartão.


Cartão Transporte Usuário

Custo: 1ª via gratuita. A segunda via custa o equivalente a cinco passagens

Documentos necessários: documento de identidade com foto, CPF e comprovante de endereço

Horário de atendimento: de segunda a sexta-feira, de 8h30 às 17 horas

Onde fazer o cartão: Na URBS, ala ferroviária, e nos postos de atendimento das Ruas da Cidadania Matriz, Boa Vista, Carmo, Pinheirinho e Fazendinha.


Cartão Transporte Estudante

Custo: 1ª via gratuita. A segunda via custa o equivalente a cinco passagens

Benefício: 50% de desconto na tarifa

Quem tem direito: quem estuda em Curitiba, em instituições de ensino regular de primeiro, segundo e terceiro graus, públicas ou particulares, que more a uma distância superior a, no mínimo, 01 (um) quilômetro da escola e tenha renda familiar dentro dos critérios definidos em lei: até 03 (três) salários mínimos para um filho na escola; 04 (quatro) salários mínimos para dois filhos na escola e 05 (cinco) salários mínimos para três ou mais filhos.

Onde fazer o cadastro: Durante o ano todo, na URBS, ala ferroviária. Durante o período de atendimento descentralizado, pode ser feito também nas Administrações Regionais.

Horário de atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17 horas

Informações: Urbs
READ MORE - Mais 100 mil curitibanos passaram a utilizar o cartão transporte este ano

Bilhete Único facilita deslocamentos com o transporte público de Campinas

O Bilhete Único é um cartão individual, intransferível (não pode ser utilizado por outra pessoa) e inteligente, que armazena créditos em dinheiro para o pagamento de passagens de ônibus. Com o cartão, o usuário pode fazer integrações, ou seja, utilizar os veículos do transporte público coletivo municipal (Sistema InterCamp) pagando somente uma tarifa, no período de 2h, todos os dias da semana.

O conceito adotado pelo Bilhete Único é o da integração temporal, sem restrição de uso no sistema, proporcionando economia. Além disso, o uso do cartão evita o pagamento da tarifa com dinheiro, aumentando a segurança dos usuários e operadores; e proporcionando maior agilidade operacional.
Para fazer o Bilhete Único Comum, a pessoa, munida de um documento com foto, pode ir aos postos administrados pela Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas (Transurc). A sede da empresa fica na Rua Onze de Agosto, 757, no Centro. Também há postos nos terminais urbanos de Barão Geraldo, Campo Grande, Central, Mercado, Metropolitano e Ouro Verde. O cartão fica pronto na hora, sem nenhum custo.

Postos de recarga
Os usuários do Bilhete Único encontram postos de recarga do cartão, credenciados pela Transurc, em casas lotéricas, padarias, lanchonetes, farmácias, açougues, bancas de jornais e revistas, e outros estabelecimentos comerciais, espalhados por toda a cidade.

Para saber sobre os postos de recarga, o usuário pode acessar o site da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), no endereço eletrônico www.emdec.com.br, seção “Transporte”, “Bilhete Único”, “Postos de recarga”. Ou no site da Transurc (www.transurc.com.br).

Informações: EMDEC


Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP
READ MORE - Bilhete Único facilita deslocamentos com o transporte público de Campinas

SPTrans prepara serviço Expresso F1 para facilitar o acesso de quem vai ao GP Brasil de Fórmula 1

Vá de ônibus e chegue mais rápido ao autódromo - Os ônibus partirão de 6 miniterminais diretamente para o Autódromo de Interlagos, nos dias 23 e 24 de novembro. O serviço é Expresso, sem paradas, realizado de forma rápida e segura. A operação será monitorada por satélite.


Informações: SPTrans

Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP
READ MORE - SPTrans prepara serviço Expresso F1 para facilitar o acesso de quem vai ao GP Brasil de Fórmula 1

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960