Prefeitura de São Paulo testa ônibus com internet wi-fi, TV e aviso sonoro de paradas

domingo, 13 de outubro de 2013

A Prefeitura de São Paulo testa, por meio de um projeto-piloto da SPTrans, uma série de novas tecnologias em uma linha de ônibus da capital. Atualmente, 20 veículos da linha 509M – Jardim Miriam/Terminal Princesa Isabel já contam com equipamentos de Wi-Fi livre com internet banda larga, sistema de televisão que exibe notícias e serviços para os usuários e alto-falantes externos e internos, que avisam os passageiros sobre as próximas paradas do coletivo. Além disso, um painel eletrônico instalado dentro dos veículos também informa o itinerário para facilitar o desembarque do passageiro.

O projeto está sendo gradualmente ampliado para outras quatro linhas em diferentes regiões e, se aprovado após o período de monitoramento, poderá ser integrado a toda a frota do sistema de transporte coletivo - conta com cerca de 15 mil ônibus e mais de 1,3 mil linhas e itinerários.


Com acessibilidade plena para pessoas com deficiência, os “ônibus inteligentes” contam ainda com equipamentos que ajudam o setor operacional do sistema de transporte coletivo, como aparelhos de telemetria, que indicam dados do desempenho do motor, além de câmeras de segurança ligadas a central da SPTrans e sistema de GPS, que permite saber a localização instantânea do veículo e até informar os usuários em painéis nos pontos.

Os novos ônibus estão servidos com aparelhos de contador de passageiros e acompanhamento de lotação, que apontarão quando o coletivo estiver cheio e acima da capacidade. Segundo a SPTrans, a informação serviria para, por exemplo, o motorista do coletivo optar por uma viagem expressa ou com menos paradas, aumentando a velocidade e diminuindo a lotação dentro dos corredores de ônibus.

“São equipamentos que vão, de um lado, prestar melhores serviços para o usuário no sentido de orientar melhor a viagem com informações como o destino, próximas paradas e o wi-fi dentro dos ônibus para navegar na Internet e, por outro lado, outras tecnologias com grande utilidade para termos condições de operar e controlar a rede de transporte”, afirmou o diretor de gestão econômico-financeira da SPTrans, Adauto Farias.

“A cidade precisa de uma operação mais ordenada, mais disciplinada e mais organizada e essa tecnologia virá para nos ajudar nesse sentido. A ideia é de que esses equipamentos auxiliem a cidade a operar de uma maneira mais racional e confortável para o usuário”, comentou.

Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans
·         EMTU-SP

Outro sistema embarcado dos veículos inteligentes, também por câmera, permite fotografar e identificar veículos que invadam, sem autorização, as faixas exclusivas e corredores de ônibus. Apesar de estar em fase de testes para servir para multas de trânsito neste tipo de caso, o sistema ainda precisaria de regulamentação pelas autoridades de trânsito. De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), trafegar pela faixa exclusiva de ônibus é uma infração leve que gera perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20.

“Na eventualidade de haver uma invasão de corredor por um veículo não autorizado, ele vai fazer o reconhecimento da placa e vai ser emitida uma multa, embora isso seja uma coisa que ainda dependa de autorizações finais da autoridade de trânsito”, disse Adauto Farias.

Usuários

Para os usuários, as novas tecnologias tornam as viagens mais confortáveis e seguras. A assistente administrativa Neide dos Santos Reis, de 46 anos, que utiliza a linha 509M – Jardim Miriam/Terminal Princesa Isabel há dois anos, acredita que os avisos sonoros e visuais externos e internos facilitam o desembarque dos passageiros e aumenta a segurança, já que o motorista não precisa mais dar informações como essas. “Antes, andava e não sabia onde estava. Até conhecia meu ponto, mas se precisasse descer antes ou em outro lugar tinha que perguntar. Com a opção da TV e da internet a viagem fica mais agradável”, afirmou.

Usuário da linha há quatro anos, o cozinheiro Claudinaldo Lopes Justino, de 35 anos, aproveita o sinal wi-fi livre para se informar na internet durante o itinerário. “É uma opção para passar o tempo enquanto viajo. Posso até me distrair que, quando chega o ponto, o sistema sonoro avisa e não perco o lugar para descer”, disse.

O motorista Expedito Caetano Costa, que trabalha na linha há 15 anos, afirma que as inovações tecnológicas são excelentes para os condutores e passageiros. Ele explica que deficientes visuais são os maiores ganhadores com o sistema que faz aviso sonoro das paradas. “Facilitou muito. A viagem fica mais agradável e está mais rápida, com os corredores e as faixas exclusivas”, disse o motorista.

Informações: Prefeitura de São Paulo
READ MORE - Prefeitura de São Paulo testa ônibus com internet wi-fi, TV e aviso sonoro de paradas

Mais uma empresa de ônibus deixará de operar em SP

A empresa de ônibus Viação Novo Horizonte/Itaquera Brasil deixará de operar no sistema do transporte coletivo em São Paulo, anunciou nesta sexta-feira a prefeitura da capital paulista. Em nota, o Executivo municipal afirmou que a decisão ocorre em decorrência de “reincidentes falhas na prestação de serviços” da empresa. 

Nesta sexta-feira, os empregados da empresa realizaram a terceira paralisação do serviço, causando problemas para usuários de ônibus na zona leste da capital paulista. 

Com a decisão, a operação das linhas passará a ser feita pelo Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência (Paese), na garagem onde já está operando, e por outras empresas de transporte, por meio de contrato emergencial - em outras duas garagens.
De acordo com a prefeitura, a Secretaria Municipal de Transportes e a São Paulo Transporte (SPTrans) anunciarão “nos próximos dias” a reorganização geral das linhas de toda a região onde a Novo Horizonte/Itaquera Brasil atuava, na zona leste. A garagem Tiradentes atuava com 288 ônibus.

De acordo com a prefeitura, este ano a Viação Novo Horizonte/Itaquera Brasil recebeu 11.038 multas em função de mau atendimento à população. As principais são por descumprimento de intervalos e partidas e por veículos quebrados aguardando socorro no sistema viário. 

No mesmo período, a empresa foi alvo de 8.030 reclamações de usuários, todas referentes à qualidade do serviço. A queixa mais frequente é por excesso de intervalo nas linhas. Entre os itens mais citados há, também, casos de motoristas que não atendem o sinal de parada, direção perigosa, e descumprimento de partidas. A companhia era a ultima colocada no Índice de Qualidade de Transporte (IQT). 

Outra empresa anunciou fim de operação em setembro
No início de setembro, a empresa de ônibus Oak Tree, deixou de operar em São Paulo após entrar em acordo com a prefeitura. A empresa vinha apresentando problemas na prestação de serviços e enfrentou também uma greve de funcionários. 

De acordo com a prefeitura, o serviço foi suprido por outras empresas do Consórcio Sudoeste, formado pelas viações Transppass e Gato Preto, que assumiram as nove linhas até então operadas pela Oak Tree, que atuava com 83 veículos. 

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), disse ainda que a prefeitura estuda criar uma companhia municipal de ônibus, que atue em casos de emergência. De acordo com ele, o plano para a implementação da empresa já está em andamento.

Informações: Portal Terra

Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans

·         EMTU-SP
READ MORE - Mais uma empresa de ônibus deixará de operar em SP

Dilma confirma recursos para metrô de Porto Alegre

Dois anos após o primeiro anúncio para a construção do metrô em Porto Alegre, a presidente Dilma Rousseff voltou neste sábado à capital gaúcha para anunciar novamente a obra, já com um novo aporte de recursos e modelagem financeira. Dilma falou ainda sobre a construção do sistema metroferroviário nas cidades de Belo Horizonte e Salvador – sendo que, na terça-feira, assinará a construção do primeiro trecho na capital nordestina.

“Estamos vendo isso acontecer (dificuldades) em Belo Horizonte e Salvador... todos tiveram dificuldades técnicas e aperfeiçoaram os seus modelos, isso é natural no momento em que nós estamos”, disse Dilma, ressaltando o empenho do governo do Rio Grande do Sul e da cidade de Porto Alegre.
Dilma falou que a mobilidade urbana é apenas um dos pactos que foram acertados após as manifestações. “O pacto apresenta direção para avanço, na mobilidade, do reconhecimento de que no nosso País, de 30 a 40 anos, não investiu de mobilidade urbana de forma adequada, necessária e sistemática.”

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, falou sobre as adequações do projeto do metrô, destacando o acompanhamento pessoal da presidente na negociação. “Temos o escopo financeiro, o escopo técnico, para que a PMI (proposta de manifestação de interesse) aconteça”, disse, falando sobre as perspectivas de início das obras.
Fase 1
Ao todo, o governo federal vai destinar R$ 4,8 bilhões para o metrô, R$ 1,7 bilhão do orçamento e mais R$ 1,7 bilhão que serão financiados em 61% pelo governo do Rio Grande do Sul e 39% pela prefeitura de Porto Alegre. O restante dos recursos será obtido por meio de Parceria-Público-Privada (PPP), para um traçado de 10,3 quilômetros.

A vinda de Dilma ao Rio Grande do Sul fez com que técnicos da prefeitura e do governo do Estado se reunissem durante toda a semana em busca de uma formatação financeira que possibilitasse a obra, tendo em vista que a presidente queria fazer o anúncio do metrô neste sábado. Segundo Dilma, em cidades mais ricas o governo tem adotado a divisão de 50/50% para a construção de metrôs, e em municípios maiores, como São Paulo, essa divisão é de 75/25%.
Fase 2
No projeto inicial, apresentado em abril, as estimativas apontavam o metrô ao custo de R$ 9,5 bilhões para um traçado de 14,8 quilômetros, valor maior acima dos R$ 2,4 bilhões previstos inicialmente.

Segundo a prefeitura, o projeto atual prevê estações da Esquina Democrática ao Terminal Triângulo, na zona norte. A ideia inicial era estender a linha até a Fiergs, mas a iniciativa esbarrou na impossibilidade técnica de instalar uma área de manutenção de trens ao final da avenida Assis Brasil.

Tendo em vista a disparidade de recursos disponíveis e orçamento da obra, a prefeitura e o Estado do Rio Grande do Sul começaram a solicitar mais recursos junto ao governo federal, enquanto buscavam alternativas para encaixar os valores no orçamento.

O projeto do metrô foi elaborado com base em uma modelo de integração com sistemas de BRT (ônibus de rápida circulação em faixas exclusivas) e com o trem da Trensurb.

Além dos recursos para o metrô, Dilma também anunciou a construção de quatro corredores de ônibus nas cidades de Porto Alegre, Viamão, Guaíba e Canoas.

Pouco antes dos anúncios do metrô, o ministro das Cidades, Agnaldo Ribeiro, revelou o investimento de R$ 200 milhões para a construção de corredores exclusivos de ônibus em cidades da região metropolitana de Porto Alegre e na capital. Em relação ao metrô, disse que o anúncio de hoje “é uma renovação da crença na infraestrutura de transporte de alta capacidade de Porto Alegre, que sem dúvida é uma anseio de toda a população".

Cinquenta e sete chaves de retroescavadeiras foram entregues a prefeitos gaúchos, sendo que alguns aproveitaram o momento com a presidente. O vice-prefeito da cidade de Bossoró pediu para o governador do Estado, Tarso Genro, que tirasse uma foto sua com Dilma. Outra prefeita trouxe as rainhas de uma festa local para a cerimônia.

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas disse que “se não me engano, é a terceira vez que a presidente vem a Porto Alegre para entregar as máquinas”. Ele ressaltou que todas as cidades com menos de 50 mil habitantes já receberam as máquinas, que são financiadas com recursos do PAC 2.

Por Daniel Favero
Informações: Portal Terra

READ MORE - Dilma confirma recursos para metrô de Porto Alegre

Vias da Zona Leste de SP ganham faixas exclusivas nesta segunda

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) implantará 7,5 km de faixas exclusivas para ônibus nesta segunda-feira (14) em várias vias da Zona Leste de São Paulo. Com esses novos trechos, 232,1 km de faixas ficaram destinadas somente à circulação de ônibus. Esse número superou a meta estabelecida pela gestão Fernando Haddad (PT) para 2013, que era de 220 km de vias exclusivas para o transporte coletivo.

Um trecho de 3,7 km de faixa exclusiva estará em ambos os sentidos da Avenida Marechal Tito, entre a Avenida Nordestina e a Rua Ribeiro Escobar, e também na Rua Beraldo Marcondes. Os coletivos terão prioridade de segunda a sexta-feira, das 6h às 9h, no sentido Centro, e das 17h às 20h, em direção ao bairro.
A Avenida Engenheiro Caetano Álvares, na Zona Norte, ganhará mais 900 metros, no trecho entre a Rua Zilda e a Rua Padre João Gualberto. Os coletivos terão prioridade à direita de segunda a sexta-feira, no sentido Centro das 6h às 9 horas, e no sentido bairro, das 17h às 20h.

A ação faz parte da Operação Dá Licença para o Ônibus, que tem como objetivo priorizar a circulação do transporte coletivo na cidade, diminuir o tempo de viagem dos usuários e melhorar os padrões de conforto e segurança do transporte público.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), trafegar pela faixa exclusiva de ônibus é uma infração leve, que gera perda de três pontos na carteira e multa de R$ 53,20. Veja os trechos que vão receber novas faixas nesta segunda-feira:
Veja outros trechos que vão receber novas faixas na Zona Leste:

Na Rua Dr. Luiz Ayres, sentido Centro, no trecho entre a Rua Tomazzo Ferrara e o acesso ao Túnel Jornalista Odon Pereira, das 6h às 9h;
Na Rua Dr. Luiz Ayres, sentido bairro, no trecho entre a Av. Padre Estanislau de Campos e a Rua Castelo do Piauí, das 16h às 21h;
Na Rua Castelo do Piauí, sentido bairro, no trecho entre a Rua Dr. Luiz Ayres e a Av. Itaquera, das 16h às 21h;
Na Avenida Itaquera, sentido bairro, no trecho entre a Rua Castelo do Piauí e a Rua Heitor, das 17h às 21h;
Na Rua Américo Salvador Novelli, sentido bairro, no trecho entre a Rua Heitor e a Rua Victório Santim, das 17h às 21h;
Na Rua Augusto Carlos Bauman, sentido Centro, no trecho entre a Rua Sabbado D'Ângelo e a Rua Antonio de Moura Andrade, das 5h às 9h. No sentido bairro, a exclusividade à direita para os ônibus valerá por período integral.

Informações: G1 São Paulo

Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans

·         EMTU-SP
READ MORE - Vias da Zona Leste de SP ganham faixas exclusivas nesta segunda

Obras do BRT de Porto Alegre são retomadas

Depois de quase um mês paralisadas, foram retomadas nesta quinta-feira (10) as obras de implantação do sistema Bus Rapid Transit (BRT) nos corredores de ônibus das avenidas Protásio Alves e Bento Gonçalves, em Porto Alegre. O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) liberou a continuidade da construção, que estava parada por suspeita de sobrepreço em trabalhos como pavimentação e sinalização.

De acordo com a Prefeitura, 70% da primeira fase do BRT já está concluída. A previsão é de que a pavimentação fique pronta no primeiro trimestre de 2014. Porém, a estrutura completa só deve ser entregue em 2015, após a realização da Copa do Mundo em Porto Alegre. A intenção era que pelo menos a linha do BRT na Zona Sul ficasse pronta até o evento. No entanto, a Fifa vai usar a Avenida Padre Cacique, no sentido centro-bairro, para a colocação de estruturas provisórias.
Em setembro, a Prefeitura de Porto Alegre divulgou um balanço sobre o andamento das obras de três corredores de ônibus na capital. O levantamento apontou que o corredor da Avenida Bento Gonçalves é o que está mais adiantado, com 85% das obras concluídas. O da Avenida João Pessoa, por outro lado, atingiu apenas 35% de conclusão, mas também não foi paralisado.

As obras do BRT da Bento Gonçalves, que engloba o trecho de 5,9 km entre as avenidas Antônio de Carvalho e Princesa Isabel, se iniciaram no dia 14 de março de 2012 e estão dentro do prazo previsto de 18 meses. O investimento no corredor de ônibus foi de R$ 13,9 milhões.

Com os trabalhos iniciados em 12 de março de 2012, o BRT da Avenida Protásio Alves tem 65% das obras concluídas. Orçado em 15,2 milhões, é o corredor de ônibus mais extenso, com 6,8 km. Último BRT a ter construção iniciada, em 28 de setembro de 2012, o corredor da Avenida João Pessoa tem 35% de execução da obra. Com 3,3 km de extensão, custou R$ 5,3 milhões.

Informações: G1 Rio Grande do Sul
READ MORE - Obras do BRT de Porto Alegre são retomadas

Santo André terá corredor para ônibus até fim do ano

A Prefeitura de Santo André prevê implementar o primeiro dos 13 corredores exclusivos para ônibus programados para a cidade até o fim do ano. O primeiro eixo beneficiado será a área central, incluindo as avenidas Cel. Alfredo Flaquer (Perimetral) e General Glicério.

Conforme explica o diretor da SATrans, Leandro Petrin, as intervenções serão realizadas com recursos próprios, tendo em vista a necessidade de melhorar a fluidez viária da cidade para incentivar o uso do transporte coletivo. A administração pleitea R$ 500 milhões do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) para a construção dos corredores exclusivos.
Atualmente, a cidade conta apenas com faixas preferenciais para ônibus, o que não impede motoristas de veículos de passeio de circular pelo trecho. Com a medida, os carros que invadirem o espaço passam a ser multados. O CBT (Código Brasileiro de Trânsito) estabelece multa de R$ 53,20 e o motorista perde três pontos na carteira de habilitação.

“Nas próximas semanas concluiremos estudo realizado e vamos apresentar cronograma de obras dos corredores”, conta Petrin. Segundo ele, a expectativa é implementar a faixa exclusiva para o transporte público em mais dois pontos da cidade no início de 2014. “As avenidas Carijós e D. Pedro II estão entre as que precisam ser privilegiadas, mas ainda não sabemos se teremos condições de fazer com recurso próprio ou vamos esperar a verba do BID”, destaca.

O diretor da SATrans explica que o corredor definitivo é mais caro do que a simples separação de faixas para os coletivos, mas apresenta eficiência maior, já que o embarque dos passageiros é mais rápido e existe possibilidade de interação entre os semáforos para que o transporte público tenha mais fluidez. “Já estamos fazendo estudo para adaptar os semáforos para dar preferência aos ônibus e melhorar a fluidez”, comenta Petrin.

Os locais escolhidos para acolher os corredores são considerados “intransitáveis” pelo próprio prefeito, Carlos Grana (PT), como as avenidas Industrial e Vieira de Carvalho, Viaduto Castelo Branco, avenidas Príncipe de Gales, José Amazonas e D.Pedro I, e Estrada do Pedroso.

Os únicos corredores definitivos que existem no Grande ABC são o ABD (Jabaquara/Brooklin/São Mateus) e o da Avenida Capitão Mário Toledo de Camargo, em Santo André.

Bilhete Único registra 348,7 mil integrações

Em três meses de operação, o Bilhete Único Andreense já registrou 348,7 mil integrações tarifárias. O número corresponde a cerca de 7% do total de viagens observadas no período, superando a meta traçada em 2012 para este ano. O sistema de transporte público municipal tem cerca de 100 mil usuários cadastrados.

Desde junho, a SATrans já emitiu 6.600 cartões, além de contabilizar a migração de 93,1 mil usuários do Urban Pass para o novo sistema.

O Bilhete Único permite ao passageiro embarcar em até três ônibus municipais pagando apenas uma passagem. Em dias úteis, a integração gratuita deve ser feita em uma hora e meia. Já aos domingos e feriados, a conexão precisa ser realizada em até duas horas.

De acordo com Leandro Petrin, com a modernização o número de viagens aumentou. Entre setembro de 2012 e 2013, houve alta de 3,2%.

Na visão do gerente geral da Aesa, Luiz Marcondes de Freitas Júnior, a população já entendeu os benefícios da integração. “As pessoas perceberam que podem racionalizar suas viagens e a tendência é que cada vez mais pessoas optem pelo serviço”, diz.

Petrin esclarece que o próximo desafio é aprimorar a confiança dos passageiros em relação aos horários dos ônibus. Serão feitas pequenas intervenções, como proibição de estacionamento próximo dos pontos de ônibus, retirada de espaços que atrapalhem a circulação nos viários, além da implantação dos corredores exclusivos e estudo semafórico.

Informações: Natália Fernandjes
Do Diário do Grande ABC
READ MORE - Santo André terá corredor para ônibus até fim do ano

CPTM interliga 22 municípios da Região Metropolitana de São Paulo

Conhecida por 2,7 milhões de passageiros que diariamente trafegam pelos seus trilhos, a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), vinculada à Secretaria de Transportes Metropolitanos, conta hoje com 250 km de vias operacionais, sendo 136,5 Km na cidade de São Paulo. A CPTM interliga 22 municípios da Grande São Paulo. É a melhor alternativa em mobilidade na Região Metropolitana, já que une ao centro da capital paulista municípios vizinhos localizados em variadas direções, como Jundiaí, Itapevi, Grajaú, Rio Grande da Serra, Mogi das Cruzes e Poá.

Criada em 28 de maio de 1992 a partir da promulgação da Lei 7.861, coube à CPTM assumir em abril de 1994 os sistemas de trens operados pela CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos) e, em 1996, também aqueles operados pela Fepasa (Ferrovia Paulista).

Desta maneira, a herança assumida pela CPTM é de um sistema ferroviário de quase um século de existência. Por isso, vem executando uma de suas principais missões, que é promover a melhoria dos serviços. Consequentemente, o maior desafio hoje enfrentado é executar as obras sem deixar de atender aos usuários.


Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans

·         EMTU-SP

Toda a infraestrutura da rede ferroviária está passando por um processo de modernização. As intervenções são feitas nos horários de menor movimentação de passageiros: finais de semana, feriados e madrugada. É uma medida que prolonga o tempo das obras, mas reduz os transtornos ao usuário no dia a dia.

As seis linhas passam por obras de modernização da infraestrutura, com a implantação de novos sistemas de sinalização, telecomunicações, energia, rede aérea e via permanente, além de uma readequação das estações mais antigas e renovação da frota de trens. Em outras linhas, a CPTM aguarda decisão de processo licitatório para iniciar obras. Quando as obras de modernização estiverem concluídas, a CPTM estará capacitada para operar com intervalos menores e aumentará a oferta de lugares. Atualmente, a Companhia já oferece 2.600 viagens diárias ao longo das suas seis linhas.

Desde 2006 o Governo do Estado adquiriu 105 novos trens para a CPTM, dos quais, 96 já foram entregues. Os demais entrarão em operação até o fim de 2013. Também estão sendo licitados mais 65 trens para reforçar a frota. Os novos trens têm monitoramento por câmeras, ar condicionado e informações eletrônicas para melhorar o conforto do usuário. Também são acessíveis a pessoas com deficiência e possuem portas mais largas para o embarque e o desembarque.

A CPTM tem como objetivo que as 90 estações tenham acessibilidade garantida. Atualmente, 38 estão adaptadas de acordo com as normas vigentes, 10 estão em obras e 12 em processo de pré-qualificação das empresas interessadas em executar as melhorias. As demais estações estão em fase de execução dos projetos básicos e executivos e/ou elaboração dos editais para contratar as empresas que vão elaborar os projetos específicos de acessibilidade.

Do Portal do Governo do Estado
READ MORE - CPTM interliga 22 municípios da Região Metropolitana de São Paulo

Saiba quais os terminais metropolitanos têm postos do Acessa SP

Os terminais metropolitanos de São Mateus, Santo André Leste, Diadema, Cotia, Jabaquara (dentro do CAPEs) e Campinas, gerenciados pela EMTU/SP, contam com postos do Acessa São Paulo.

O programa promove a inclusão digital, levando internet à população e estimulando o desenvolvimento humano e social. Os usuários utilizam os microcomputadores para navegar em sites, fazer pesquisas escolares, elaborar e enviar currículos, procurar vagas de emprego, fazer cursos à distância, entre outras atividades.


Para utilizar o serviço é necessária a apresentação do RG e menores de 11 anos devem estar acompanhados dos responsáveis.

Do Portal do Governo do Estado


Leia também sobre:
·         Metrô São Paulo
·         SPTrans

·         EMTU-SP
READ MORE - Saiba quais os terminais metropolitanos têm postos do Acessa SP

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960