Confira as Informações dos principais terminais rodoviários do eixo Rio-São Paulo

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Confira nesta página as informações dos principais terminais rodoviários do país, nos links abaixo, você pode se informar sobre os trajetos, tarifas e os serviços prestados em cada terminal.

Rodoviária Novo Rio
A Rodoviária Novo Rio foi construída em 1956 pelo então governador Carlos Lacerda. Estrategicamente localizada – próxima ao Centro e às principais vias de entrada e saída do Rio de Janeiro (Ponte Rio – Niterói, Avenida Brasil e Linha Vermelha), a rodoviária facilita a mobilidade da população a diversos pontos da cidade.


Rodoviária de Niterói

A Rodoviária de Niterói fica na R. Primeiro de Maio, 170 - Varzea, Teresópolis - RJ, 25955-010
Telefone:(21) 2641-4630


Rodoviária Angra dos Reis

A Rodoviária Angra dos Reis fica na Av. Almirante Jair Carneiro Toscano de Brito, s/nº - Balneário
CEP:23906-805. Telefone: (24) 3365-2041


Rodoviária Tietê

A Rodoviária Tietê, inaugurada em 1982, é o maior terminal rodoviário do país e o segundo maior do mundo, ficando atrás apenas do terminal de Nova York.
A Rodoviária Tietê funciona 24 horas, conta com 61 empresas rodoviárias, que atendem a mais de 1.000 cidades, 21 estados e linhas internacionais para o Paraguai, Uruguai, Argentina e Peru.


Rodoviária de Campinas

A Rodoviária de Campinas (Ramos de Azevedo), o segundo maior terminal do Estado de São Paulo, é administrado pela Socicam e Equipav, que promoveram uma grande reforma em 2008 com objetivo de oferecer aos seus usuários maior conforto, acessibilidade e segurança. Durante a reforma, foram investidos aproximadamente 30 milhões de reais.

Com aproximadamente 70 mil metros quadrados, a Rodoviária Ramos de Azevedo possui três pavimentos, inclui mezanino e ainda integra terminais urbanos e metropolitanos. A Rodoviária de Campinas é considerada um cartão postal da cidade paulistana.


Terminal Barra Funda

O Terminal Rodoviário Barra Funda fica na Rua Mário de Andrade, 664, Barra Funda - Cep: 01.154-060. Tel: (11) 3866-1100


Terminal Jabaquara

O Terminal Rodoviário Jabaquara fica na Rua dos Jequitibás, Jabaquara - São Paulo - SP. Cep: 04321-090. Tel: (11) 3866-1100

* Consulta de passagens e trajetos


Rodoviária de Ribeirão Preto

A Rodoviária de Ribeirão Preto concentra em uma única construção todos os ônibus urbanos, suburbanos e também os rodoviários. Foi inaugurada em 1976 e nesses mais de 30 anos de história, a rodoviária, que hoje é administrada pela Socicam, cresceu e ganhou reformas de modernização assim como a grande e querida cidade de Ribeirão Preto.

* Consulta de passagens e trajetos

Rodoviária de São José do Rio Preto

A Rodoviária de São José do Rio Preto é o principal ponto de entrada para essa linda cidade do interior de São Paulo. A cidade que também conta com um aeroporto internacional, recebe milhares de turistas todos os anos, eles são atraídos pela calmaria e pela tranquilidade do interior, além dos vários pontos turísticos e da zona da mata da região.

Outra atração interessante é a estação ferroviária que funciona anexada ao terminal rodoviário, uma construção que fez 100 anos em 2012 e conserva até os dias de hoje toda a tradição dos trens que movimentaram o Brasil durante tanto tempo. Atualmente a estação ferroviária de São José do Rio Preto funciona somente com transporte de carga, sendo que o último trem com passageiros saiu da estação em 15 de março de 2001.

O terminal rodoviário da cidade possui linhas diretas para quase todas as principais cidades do Brasil. São dezenas de linhas de ônibus de hora em hora para a cidade de São Paulo e algumas outras do estado de Minas Gerais.


Com Informações da TransPortal e Rodoviária Online
READ MORE - Confira as Informações dos principais terminais rodoviários do eixo Rio-São Paulo

Confira as Informações dos principais terminais rodoviários de Florianópolis, Joinville, Porto Alegre, Foz do Iguaçu e Londrina

Confira nesta página as informações dos principais terminais rodoviários do país, nos links abaixo, você pode se informar sobre os trajetos, tarifas e os serviços prestados em cada terminal.

Rodoviária de Florianópolis 

A Rodoviária de Florianópolis começou a funcionar em 7 de setembro de 1981, data de sua inauguração. O nome usado foi Terminal Rodoviário Rita Maria, uma pequena homenagem a uma simpática e sorridente senhora que morava e frequentava a região da rodoviária oferecendo abrigo para os viajantes e turistas que chegavam a Florianópolis todos os dias.

O prédio ocupa uma área muito grande. São mais de 15 mil m² usados para embarque, desembarque, venda de passagens e fretamento de transportes municipais e interestaduais.  Todo esse espaço foi construído para suprir a necessidade de 8 mil pessoas que por ali passam diariamente.
No Terminal Rodoviário de Florianópolis funcionam 20 empresas de transporte rodoviário que oferecem mais de 100 rotas de destinos dentro de Santa Catarina. Para outros estados às empresas disponibilizam quase 400 destinos distribuídos em vários estados do Brasil. A administração é de responsabilidade da DETER, Departamento de Transportes e Terminais do Estado de Santa Catarina.
A rodoviária de Florianópolis funciona 24 horas por dia e chega a receber 12 mil pessoas por dia nos meses de verão, quando as lindas praias de Floripa atraem milhares de pessoas, e aumenta o fluxo de turistas. São quase 515 ônibus chegando diariamente à rodoviária, vindos de todos os pontos do Brasil.


Rodoviária de Joinville 

A Rodoviária de Joinville se chama Terminal Rodoviário Harold Nielson e é um dos locais com maior fluxo de pessoas da linda Joinville, Santa Catarina. Localizada em uma região privilegiada, a estação está entre a região central da cidade e a zona oeste.
O terminal foi inaugurado em 9 de julho de 1971 pelo prefeito Harald Karmann. O primeiro prédio foi concedido de forma provisória para simplesmente reunir todas as empresas que fazem transporte rodoviário, além dos guichês de passagens e área de embarque e desembarque.
O local onde a rodoviária de Joinville foi construída pertencia à prefeitura e foi doado a fim de descongestionar o trânsito na rua do Príncipe, antigo local de parada das principais empresas de ônibus, impedindo o fluxo da rua e prejudicando os moradores dos bairros vizinhos.
O terminal rodoviário definitivo foi inaugurado no dia 9 de março de 1974 e somente 27 anos depois que aconteceram as primeiras obras de reestruturação e ampliação organizadas pelo prefeito Luiz Henrique da Silveira que conseguiu manter a rodoviária em funcionamento mesmo em reforma.


Rodoviária de Porto Alegre 

A Rodoviária de Porto Alegre foi fundada em 1970 e já ocupou diversos endereços. A primeira estação construída ficava na conhecida e antiga Praça do Coliseu, um dos principais pontos turísticos da grande Porto Alegre, depois se mudou para a Praça dos Bombeiros, que hoje se chama Oswaldo Cruz e Rui Barbosa.

Ao longo do tempo, a Estação Rodoviária de Porto Alegre mudou de endereço ainda mais 3 vezes, até que então foi reinaugurado o prédio que abriga a rodoviária até os dias de hoje. O prédio que foi considerado por muito tempo como o mais moderno de toda a América do Sul, tanto na arquitetura, quanto no aspecto de funcionalidade.
A atual rodoviária de Porto Alegre fazia parte do grande projeto de otimização do transporte rodoviário desenvolvido pelo DAER, o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem do Rio Grande do Sul.


Rodoviária de Foz do Iguaçu 

A Rodoviária de Foz do Iguaçu é o ponto de entrada para essa grande cidade que reserva muitas surpresas para todos os turistas oriundos dos mais diferentes pontos do Brasil e do mundo. Seja pelas lindas e naturais Cataratas do Iguaçu ou pela oportunidade de compras mais acessíveis no Paraguai, Foz é um dos maiores pontos turísticos do estado do Paraná.
Ao chegar à Rodoviária de Foz, o turista tem a disposição um completo serviço de recepção que garante a boa estadia na cidade. O suporte turístico, que fica no posto de informações da rodoviária, oferece diversas informações sobre pontos turísticos, bons restaurantes e pontos de compra que a cidade possui.
Além disso, vários hotéis, pousadas e resorts ficam a poucos metros da rodoviária. Se preferir, você pode alugar um carro na loja dentro da própria estação de ônibus e aproveitar todos os pontos do mapa turístico da cidade que é distribuído por várias agências de turismo.
Na Rodoviária de Foz do Iguaçu você também conta com vários bares, restaurantes, além de banheiros e outros serviços que facilitam a vida dos viajantes. O serviço de guarda-volumes funciona também no balcão de informações no piso térreo, assim como o comitê de boas vindas que recebe e informa todos os turistas.
No prédio operam mais de 18 companhias de transporte rodoviário que oferecem centenas de destinos em território brasileiro e internacional. Países mais próximos como o Paraguai, a Argentina e também o Uruguai são os principais destinos buscados pelo milhares de viajantes que passam pela rodoviária todos os dias.
A Rodoviária Internacional de Foz do Iguaçu está localizado na Avenida Costa e Silva, 1601.
Qualquer dúvida e para mais informações o telefone de contato é (45) 3522-2590.


Rodoviária de Londrina 

A Rodoviária de Londrina é uma das mais bonitas do país e da América Latina, beleza que está associada à funcionalidade e muita eficácia. Ela é responsável pelo tráfego de pelo menos 200 mil ônibus por ano, são mais de 400 mil passageiros transportados para vários destinos nacionais e até internacionais todos os anos.

Rodoviária chama- se Terminal Rodoviário José Garcia Vilar. O interessante prédio construído para ser a principal rodoviária de Londrina ocupa uma área total de 16 mil m². Estão em funcionamento 55 plataformas que na soma de embarque e desembarque, envolve mais de 200 ônibus por dia, 6 mil passageiros e 21 empresas em operação.
Para quem gosta de viajar e não se sente bem com a falta de informações sobre os destinos, está disponível na estação rodoviária uma sala destinada sobre ao atendimento e distribuição de informações. Lá o turista tem acesso a diversos panfletos de restaurantes, mapas da cidade e pontos turísticos que podem ser visitados na linda cidade de Londrina.
O terminal de Londrina também oferece uma sala com computadores conectados à internet, onde é possível realizar pesquisas e acessar redes sociais a qualquer momento. Para facilitar ainda mais a vida do viajante, o terminal também possui serviço de guarda-volumes, shopping 24 horas e serviço de desembarque integrado ao transporte coletivo municipal.


Com Informações da Rodoviária Online
READ MORE - Confira as Informações dos principais terminais rodoviários de Florianópolis, Joinville, Porto Alegre, Foz do Iguaçu e Londrina

Confira as Informações dos principais terminais rodoviários de Fortaleza, Recife, Aracaju, Natal e Salvador

Confira nesta página as informações dos principais terminais rodoviários do país, nos links abaixo, você pode se informar sobre os trajetos, tarifas e os serviços prestados em cada terminal.

Rodoviária Fortaleza

Construída em 1973, a Rodoviária Engenheiro João Thomé tem aproximadamente 37 anos e em 1999 passou por reformas para levar mais conforto aos viajantes. A Rodoviária de Fortaleza fica localizada na região central da cidade a 3 km do centro de Fortaleza e a 5 km da Praia de Iracema. Circulam pela Rodoviária aproximadamente 8000 passageiros diariamente e cerca de 200 linhas de ônibus de 35 empresas. A Rodoviária Engenheiro João Thomé oferece ainda serviço de guarda-volumes, correios, lojas e restaurantes e estacionamento que tem custo fracionado ou R$ 4,50 por 18h e R$5,40 por 24h. Tel (85) 3230-1111.


Rodoviária Recife

Localizado a cerca de 13 Km da Arena Pernambuco, o terminal integra os serviços de ônibus e metrô, realizando 104 viagens interestaduais e 175 intermunicipais por mês nas 122 linhas de ônibus. Em períodos de maior movimentação, chega a realizar 9.000 embarques por dia.

A Rodoviária de Recife – Pernambuco fica na Av. Prefeito Antônio Pereira, s/n - Várzea. CEP: 50950-030 Telefone: (81) 3452-1704


Rodoviária Aracaju

A Rodoviária de Aracaju (José Rollemberg Leite) – Sergipe fica na Av. Presidente Tancredo Neves, s/nº - Novo Paraíso. 
CEP: 49080-470. Telefone: (79) 3238-3900


Rodoviária Natal

A Rodoviária de Natal (Severino Tomaz da Silveira) - Rio Grande do Norte fica na Av. Capitão Mor Gouveia, 1237 - Cidade da Esperança
CEP: 59060-971. Telefone: (84) 3205-2931.


Rodoviária de Salvador

A Rodoviária de Salvador já tem quase 40 anos de história. Considerada por muito tempo como uma das construções mais modernas e bonitas de todo o país, a rodoviária, que fica bem localizada e próximo ao Shopping Iguatemi, ganhou espaço e o carisma entre a população da cidade de Salvador.

Todos os serviços e funcionários da rodoviária são administrados pela Companhia Sinart, um grupo de prestadores de serviços especializado na área de administração de terminais rodoviários e passageiros.
A Rodoviária de Salvador - Bahia  fica na Av. Antônio Carlos Magalhães, nº 4362 - Pernambués.
CEP: 41800-700. Telefone: (71) 3616-8300


Com Informações da TransPortal
READ MORE - Confira as Informações dos principais terminais rodoviários de Fortaleza, Recife, Aracaju, Natal e Salvador

Confira as Informações dos principais terminais rodoviários de Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande e Curitiba

Confira nesta página as informações dos principais terminais rodoviários do país, nos links abaixo, você pode se informar sobre os trajetos, tarifas e os serviços prestados em cada terminal.

Rodoviária de Belo Horizonte
Inaugurada em 1971, a Rodoviária de Belo Horizonte(Governador Israel Pinheiro) é uma das mais modernas da América Latina. Com aproximadamente 45 mil metros quadrados, o terminal possui capacidade para atender uma demanda de 17 milhões de viajantes ao ano.

Em junho de 2003, a Rodoviária de Belo Horizonte passou a ser administrada pela prefeitura da cidade com a finalidade de atender ao interesse público. A rodoviária, que atende em média 40 mil pessoas ao dia, disponibiliza aos viajantes facilidades e entretenimento como salão de beleza, padaria, lan house, farmácia, correios, loteria e muito mais.


Rodoviária de Brasília 
A Rodoviária de Brasília ocupa mais de 20 mil metros quadrados e fica localizada na Asa Sul do Distrito Federal. Além de grande, a Rodoviária possui um conceito exclusivo de desenvolvimento sustentável, utiliza iluminação natural e resíduos de água da chuva, economizando os gastos com luz e água.

A Rodoviária possui além da segurança patrimonial, um sistema inteligente de câmeras de última geração para garantir que os usuários possam viajar com segurança e tranquilidade. Com cerca de 14 lojas, guarda-volumes, duchas e outras facilidades, chegam a passar pela Rodoviária de Brasília mensalmente cerca de 140 mil passageiros.


Rodoviária Campo Grande

A Rodoviária Campo Grande - Mato Grosso do Sul fica na Avenida Guri Marques, 1215. CEP: 79063-000. Telefone: (67) 3026-6789


Rodoviária de Curitiba 

A Rodoviária de Curitiba foi inaugurada em 1972 e fica em frente ao Mercado Municipal da cidade, próxima a hotéis e ao complexo Rodoferroviário. O terminal conta com dois blocos que dispõe de estações de embarque e desembarque para os cerca de 930 mil passageiros que passam pela por lá mensalmente.

Quem passar pela Rodoviária de Curitiba poderá ir às compras nas aproximadamente 50 lojas, além de poder utilizar a internet, ter acesso a loteria, correios, salão de beleza, livrarias e ainda a oito quiosques de alimentação entre lanchonetes, cafés e restaurantes.

Dentro da Rodoviária de Curitiba existe ainda um posto da Polícia Militar e a segurança conta com um sistema de 36 câmeras de monitoramento 24h. No local operam 35 empresas de ônibus que realizam transporte intermunicipal, interestadual e internacional. Saem da Rodoviária de Curitiba, 141 linhas, dessas, 85 linhas estaduais e 56 interestaduais. E ainda outras 40 linhas entre elas cinco internacionais.

* Consulta de passagens e trajetos


Com Informações da TransPortal
Blog Meu Transporte
READ MORE - Confira as Informações dos principais terminais rodoviários de Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande e Curitiba

Ônibus mais rápido será realidade em São Paulo

O sistema BRT (sigla em inglês para transporte rápido de ônibus) precisou ser criado em Curitiba (PR) há 40 anos, exportado para Bogotá, na Colômbia, em 2000, para finalmente ser implantado em São Paulo.

De acordo com a Secretaria Municipal de Transportes, importantes eixos de deslocamento  na cidade, as avenidas dos Bandeirantes, 23 de Maio e Celso Garcia devem ganhar nos próximos anos corredores de ônibus expressos no sistema BRT (com espaço para ultrapassagens e maior distância entre paradas).

Se o cronograma oficial for mantido, a licitação sairá ainda neste ano e as obras começarão em 2014.

Essas obras fazem parte do pacote com 150 quilômetros de corredores prometido pelo prefeito Fernando Haddad (PT) em sua campanha eleitoral. Além disso, Haddad prometeu mais 150 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus até o final da sua gestão.

“Escolhemos os eixos para esses corredores em vias que têm espaço para a implantação e têm demanda para esse tipo de transporte rápido”, disse Ana Odila de Paiva Souza, responsável pelo planejamento na Secretaria Municipal de Transportes. “Os corredores terão, preferencialmente, áreas de ultrapassagem e bilhetagem antes do embarque, o que os torna mais rápidos.”

Segundo Odila, os corredores são parte de um modelo maior de transporte coletivo, que prevê o funcionamento em rede, cobrança tarifária em rede, espaço segregado para os ônibus e gestão operacional com o padrão do Metrô.

Para o especialista, em trânsito Horácio Figueira, a notícia é para ser comemorada.

O projeto de implantação de BRT está engavetado há mais de 40 anos em São Paulo porque aqui o deus automóvel fala mais alto”, afirmou Figueira. “A verdade é que nenhum prefeito teve coragem para implantá-lo porque obviamente ele vai ocupar lugares destinados a automóveis”, disse ele.

Zonas Sul e Leste receberão mais faixas exclusivas
Partindo do Terminal Bandeira, no Centro, o futuro corredor da 23 de Maio também passará pelas avenidas Rubem Berta, Moreira Guimarães, Washington Luís, Interlagos e Teotônio Vilela e terminará no Largo do Rio Bonito, na Zona Sul. O percurso total é de cerca de 20 quilômetros.

Outro corredor que deve sair do papel, o da Avenida dos Bandeirantes, vai ter 16 quilômetros e ligará a região da Marginal Pinheiros, na Zona Sul, ao Terminal Vila Prudente, na Zona Leste. Este será o principal eixo de transporte público a unir essas duas regiões de forma perimetral,  de um bairro a outro sem passar pela região central e assim desafogando o trânsito.

Está em estudo também o Corredor da Celso Garcia, que sai da Rangel Pestana, no Centro, passa pela via que dá nome à faixa, pela Avenida Amador Bueno da Veiga e Rua Marechal Tito, na Zona Leste. Terá cerca de 25 quilômetros.

Outra avenida que deverá ter corredor é a Aricanduva, também na Zona Leste, passando pela Ragueb Chohfi, Terminal São Mateus até a Marginal Tietê. Ele terá 12 quilômetros de extensão.

Haddad retoma licitações de corredores de ônibus 
Com quase um ano de atraso, os 63,8 quilômetros de corredores de ônibus prometidos desde a gestão Gilberto Kassab (PSD) deverão começar a ser construídos neste ano. O prefeito Fernando Haddad (PT) retomou as licitações para a contratação das empresas.


Cidade tem só 130 km de corredores exclusivos

Entrevista 
João Carlos Scatena_
Engenheiro

‘Havia resistência em mexer com a fluidez dos carros’

DIÁRIO_ Como surgiu a ideia de se implantar o sistema BRT?
JOÃO CARLOS SCATENA_ A ideia foi do Jaime Lerner, em Curitiba. Isso foi no tempo da ditadura militar. Ele trabalhava no Instituto de Planejamento de Curitiba, estava encostado e passava o dia desenhando a cidade. Numa dessas, ele inventou um plano estrutural de transporte para a cidade. Quando foi prefeito, anos mais tarde, estava tudo pronto.

E como funcionava o sistema?
Tinha uma lógica muito simples: dar prioridade para o transporte coletivo (ônibus) nos principais corredores de tráfego e promover sua integração tanto com sistemas de transportes de menor capacidade (sistemas alimentadores) quanto com o processo de planejamento urbano. O resultado desta iniciativa inédita revelou ao Brasil e ao mundo a possibilidade de se implantar um sistema de transporte público de qualidade a custos não muito altos, isso tudo num  ambiente urbano mais humano. Essa é a lógica.

O senhor trabalhou num projeto para implantar o modelo em São Paulo ainda nos anos 1970. Por que não foi para frente?
Havia muita resistência com o problema de se mexer na fluidez dos automóveis. Ocorreram várias tentativas de implantação, mas o projeto nunca se concretizou.

Depois o senhor trabalhou em estudos para a implantação desse modelo na China?
Sim. Lá, o sistema de transporte coletivo é bom, mas não é muito eficiente econômica e operacionalmente. O BRT tinha o objetivo de diminuir o custo do sistema. A ideia era otimizar o sistema e cortar o que era supérfluo.

Por Fernando Granato
READ MORE - Ônibus mais rápido será realidade em São Paulo

Obras de mobilidade urbana para Copa em Salvador têm prazos incertos

A mobilidade urbana em Salvador é um problema crônico e que leva a um gargalo atualmente insuperável na cidade. Com a confirmação de que a capital baiana sediaria a Copa de 2014, houve grande esperança por parte da população de que obras e recursos pudessem enfim livrar a cidade dos enormes engarrafamentos e melhorassem seu sistema de transporte de baixa qualidade. Hoje, quem não tem carro em Salvador está servido unicamente de ônibus para se movimentar pela cidade.

A frota de ônibus de Salvador gira em torno atualmente de 2.450 ônibus, auxiliados por 290 veículos que integram o Sistema de Transporte Complementar. Entretanto, a passagem de R$ 2,80 é criticada por usuários e entidades civis devido à frota mal distribuída entre os bairros e com veículos antigos e desconfortáveis. Além disso, os coletivos seguem por ruas malcuidadas e frequentemente engarrafadas a qualquer hora do dia. Com isso, a melhor opção segue sendo tomar um táxi, cuja bandeirada inicial custa R$ 3,75 e o quilômetro rodado em R$ 1,85 na bandeira 1 e R$ 2,59 na bandeira 2. É o táxi mais caro entre as capitais do Nordeste, mas com um custo nacional apenas mediano.

A falta de entendimento entre os entes públicos causa grande desconfiança de que as intervenções prometidas sejam de fato efetivadas e entregues aos moradores. De todas estas obras, a mais polêmica, esperada e que poderia começar a sinalizar uma transformação radical na forma de encarar o transporte de massa na cidade é a do metrô de Salvador. Porém, após mais de 12 anos de iniciada, a construção do modal jamais chegou ao seu final e ainda teve o trecho original, de 12 quilômetros, reduzido à metade. Atualmente, a linha já erguida liga a Estação da Lapa – a maior da cidade – à movimentada Rótula do Abacaxi, mas não funciona. O trecho adicional deveria seguir até a Estação Pirajá e desobstruir o quase caótico trânsito da BR-324, mas somente as estruturas elevadas ficaram prontas, sem trilhos nem estações.

A ideia do governo do estado é usar verba federal para terminar e colocar em operação o primeiros seis quilômetros e, logo após, efetuar as obras de uma segunda linha, da Rótula até o aeroporto, com extensão de 24 quilômetros atravessando toda a avenida Paralela, uma das mais importantes da cidade. Além disso, o governo estadual também propôs construir paralela à nova linha corredores para BRT, o que resultaria em grande alívio do trânsito da Paralela, atualmente sufocado durante qualquer período do dia. Por fim, há a promessa de revitalizar os trens do Subúrbio Ferroviário e também implementar ciclovias em torno do estádio.
O projeto ainda está em fase de licitação e, caso seja aprovado, deverá ter obras iniciadas em 2013 e encerradas somente em 2016, dois anos depois da Copa. O custo foi fixado em R$ 3,5 bilhões com parceria entre governo e entes privados. A própria Linha 1, de seis quilômetros, não estará disponível a baianos e turistas na época do evento. Apesar de já ter trilhos, trens e ter passado por fase de testes, ainda não há os últimos recursos disponíveis para, enfim, liberar o transporte aos moradores de Salvador. Por conta de indefinições políticas, ainda é impossível determinar quando e como o modal será enfim inaugurado e integrado à vida da população.

Assim, a estratégia dos organizadores locais é, em última análise, trabalhar com o improviso. Há propostas de explorar sistemas de transporte alternativos, como ônibus especiais, reforço da frota de coletivos comum. O trade turístico entraria na questão oferecendo pacotes de traslado de hóspedes de hotéis até o estádio. Para facilitar este processo, haverá decreto de feriados em todos os dias de partidas na cidade, o que, esperam os gestores, diminua o trânsito em toda a cidade e facilite o caminho para quem vai à Fonte Nova.
Ampliação do Aeroporto Internacional de Salvador
As únicas duas obras relativas aos esforços da Copa em andamento atualmente são a ampliação do Aeroporto Internacional de Salvador e a reforma do porto da cidade. Classificada como satisfatória em termos de prazos, a intervenção no terminal aéreo visa reforma e adequação do terminal de passageiros e ampliação do pátio de aeronaves, além de construção de nova torre de controle. Todas as etapas deverão ser entregues no período entre agosto e dezembro de 2013.

Já no porto, uma intervenção longamente acalentada pelo trade turístico, o trabalho teve início no meio do ano. A intenção é transformar dois antigos armazéns em terminais turísticos e de passageiros, o que trará ao local atrações como restaurantes, galerias de exposição, casas de shows e outros equipamentos a serem usados por baianos e turistas. O estado aplicará verba federal de cerca de R$ 36 milhões, com fim das obras previsto para maio, coincidindo com o aniversário de 100 anos do terminal. 

Outra obra que, apesar de não ter sido iniciada, tem previsão de entrega para este ano é a das ciclovias da cidade. O projeto, chamado “Cidade Bicicleta”, prevê construir oito quilômetros de pista cicloviária no entorno da Arena Fonte Nova e 14 quilômetros no percurso do Centro até a orla, a área de Itapagipe (situada na Cidade Baixa) e o Centro Antigo. Este projeto, de execução considerada simples, seria entregue já para a Copa das Confederações e estaria também entre os planos de mobilidade como teste para a Copa do Mundo, integrando os sistemas já disponíveis.

Plano Diretor, a grande polêmica
Em Salvador, a grande polêmica que envolve a organização da Copa do Mundo é relativa a uma série de concessões institucionais às empresas da construção civil listadas na tentativa de aprovação de um novo Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU). Como as alterações visam a mudanças de regras para exploração financeira no período da copa, a matéria passou a ser popularmente conhecida como PDDU da Copa.

O conjunto de propostas inclui alterações de exploração do espaço no entorno da Arena Fonte Nova para a construção de novos estacionamentos e estabelecimentos comerciais. A região, considerada histórica, tem uma série de edifícios tombados e, assim, muitos poderiam ser derrubados para dar lugar a novos centros comerciais. Mas a grande polêmica está em relação às concessões para construção de novos empreendimentos em diversas áreas da cidade, em especial a Orla Marítima.

Segundo o projeto, haverá mudanças nas regras que podem liberar o gabarito da região, o que, na avaliação dos ambientalistas, provocará o inapelável sombreamento da orla da cidade, nos moldes da região da praia de Boa Viagem, em Recife. A prefeitura de Salvador não obedeceu o trâmite legal da votação do projeto e não realizou a série necessária de audiências púbicas, além de não colocar à disposição o projeto na íntegra para apreciação da população, apostando no envio da matéria para a Câmara de Vereadores. Assim, o PDDU da Copa foi travado pela Justiça a pedido do Ministério Público Estadual (MP-BA) e assim permanece desde o ano passado.

Para tentar aprovar as medidas, os vereadores de Salvador transferiram os pontos questionados do PDDU da Copa para a votação de outro projeto, o da Lei de Ordenamento do Uso e Ocupação do Solo (Louos), de caráter similar. A Louos original foi votada no final do exercício legislativo de 2011 em uma sessão extraordinária no dia 27 de dezembro, novamente sem o cumprimento do trâmite legal, e sancionada pelo prefeito João Henrique no início de janeiro de 2012.

Para que as matérias do PDDU da Copa vingassem na Louos, uma nova votação deveria ser feita, mas novamente o MP questionou na Justiça os méritos e a própria aplicação da Louos foi suspensa pela Justiça no meio do ano. Os vereadores de Salvador prometeram e votaram os aditivos da lei no final do ano mesmo com protestos de políticos e entes jurídicos de toda a cidade alegando que a discussão deveria ser transferida para a próxima legislatura.

O ambientalista e vereador eleito pelo PV Marcell Moraes analisa a situação e afirma que a votação da matéria é uma “afronta à população”. “Houve uma renovação de 56% na Câmara de Vereadores de Salvador, o que indica que a cidade quer um outro perfil de legisladores. Até por respeito a esta decisão, a Câmara atual e o prefeito deveriam esperar mais 15 dias para que os novos vereadores assumam e que esta proposta possa ser debatida pela sociedade. Já chega, em Salvador, de votações no apagar das luzes do fim do ano”, criticou Moraes.

Mesmo assim, a polêmica matéria foi votada na noite do último dia 12 de dezembro. Na ocasião, o PDDU da Copa teve sete emendas para facilitar a construção durante o período do mundial e o texto dos adendos foi arbitrariamente escondido da oposição, minoria na Casa até então. O texto final era desconhecido de todos os vereadores. No final do pleito, apenas os parlamentares Olívia Santana (PcdoB), Aladilce Souza (PCdoB), os petistas Gilmar Santiago, Marta Rodrigues e Vânia Galvão, além de Andréa Mendonça (PV) e Heber Santana (PSC) foram contrários às medidas.

Como havia prometido ao longo de 2012, a promotora de Justiça Rita Tourinho foi à Justiça exigindo a anulação da votação ocorrida no apagar das luzes da última legislatura. Segundo ela, as decisões comprometem diversas administrações além da última e dá aos construtores poder para ignorar regulamentações ambientais. “O mínimo que se deve fazer é uma discussão ampla com a sociedade. O prefeito tem legitimidade até o último dia de mandato, mas há, neste caso, um aspecto moral. O correto seria deixar essas questões para o administrador seguinte. As mudanças só beneficiam o empresariado”, ponderou.

Por: Lucas Esteves
Informações: Rede Brasil Atual
READ MORE - Obras de mobilidade urbana para Copa em Salvador têm prazos incertos

Tarifa de ônibus de Curitiba será reajustada ainda neste mês de fevereiro

Não tem escapatória! A tarifa do transporte coletivo será reajustada até o final do mês, mas não deve passar de R$ 3. A informação foi dada pelo prefeito Gustavo Fruet (PDT), na manhã de ontem. “O sindicato das empresas afirma que o custo técnico é de R$ 3,10, mas evidentemente não vamos bancar esse preço”, declarou.

Também ontem, o presidente da Urbs, Roberto Gregório da Silva Júnior, protocolou dois ofícios na Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec). Um deles solicita a readequação dos valores do convênio vigente, que prevê subsídio de R$ 64 milhões ao sistema integrado de transporte coletivo metropolitano até maio. Porém, como em agosto, por decisão judicial, a Comec foi obrigada a adotar para as empresas das cidades vizinhas o mesmo valor pago às da capital, o custo técnico foi elevado e a prefeitura estima que a verba disponível só “dure” até março. Para garantir o subsídio até maio, seriam necessários mais R$ 17,7 milhões.

Interligação

Já o segundo pedido é para garantir a integração com 13 municípios metropolitanos por, no mínimo, 5 anos. “A tarifa única é um fator de justiça social. Não é subsídio apenas para a capital, mas para a região de maior demanda do Estado”, salientou. A Comec informou que não tinha conhecimento do teor dos documentos e que só poderá se pronunciar sobre a questão na segunda-feira.

Segundo o prefeito, o custo técnico da tarifa está sendo estudado e precisa ser definido ainda neste mês, por causa da data-base dos motoristas e cobradores, que estão em negociações com as empresas de ônibus. “Não é arbítrio nem chute. A partir disso, vamos definir qual será o impacto da tarifa cobrada do usuário. Nosso papel é garantir que a conta não fique só com o usuário”, afirmou. Fruet promete fortalecer o Conselho Municipal de Transporte e, com acompanhamento do Ministério Público, realizar auditoria do sistema de transporte coletivo, trabalho previsto para ser concluído em um ano.

READ MORE - Tarifa de ônibus de Curitiba será reajustada ainda neste mês de fevereiro

Ônibus de Mauá terá novas tecnologias como GPS e ampliação de câmeras dentro dos coletivos

A Leblon Transporte de Passageiros anunciou uma série de investimentos que visam melhorar o atendimento aos passageiros em Mauá. Ações de respeito e preservação ao meio ambiente também estão entre os investimentos. Além disso, o passageiro de Mauá vai contar com tecnologia para que os serviços sejam mais regulares e para ampliar o nível de conforto nos ônibus.

Em breve, toda a frota da Leblon em Mauá vai ter um sistema de computador que orienta eletronicamente a condução dos ônibus. Os equipamentos já foram comprados e estão em fase de instalação. Isso vai proporcionar um comportamento melhor do motorista na direção, já que o sistema transmite em tempo real os dados de operação dos veículos. Com o controle de dirigibilidade é possível diminuir os riscos de acidentes e registrar ocorrências como freadas bruscas, impactos e curvas percorridas em alta velocidade.

- Blog Meu Transporte/Mauá

O sistema também vai permitir que o setor de tráfego envie em tempo real mensagens de orientação aos motoristas, por um display no painel e detecte ocorrências repetidas, o que auxilia na programação dos serviços. É possível programar até a velocidade em determinados trechos e com o monitoramento, ajustar melhor os horários.

Segundo a Leblon, com o sistema, será possível ter um maior controle dos horários e das linhas.

O sistema de GPS vai ser modernizado, informa a empresa, e o passageiro vai consultar com mais precisão os horários e a localização dos ônibus em tempo real no site da Leblon (http://www.leblontransporte.com.br/).

Ainda na parte tecnológica, já estão sendo instalados monitores de TVs para os passageiros terem acesso a uma programação diferenciada, com serviços, informações e entretenimento enquanto estão nos ônibus da Leblon. Já são 15 veículos com os equipamentos, mas o objetivo é colocar nos 90 ônibus do lote 02. Mais que diversão, o sistema de monitores também representa segurança maior para os passageiros, já que além das TVs, os ônibus têm no painel uma tela de 10 polegadas que mostra a entrada e saída dos passageiros, facilitando o controle por parte do motorista da movimentação de pessoas na região das portas.

O número de câmeras em cada veículo também será ampliado de 4 para 6 aparelhos. Ainda de acordo com a Leblon, o objetivo é monitorar melhor o fluxo de pessoas dentro dos veículos, inibir a criminalidade e ajudar a elucidar possíveis ocorrências, como acidentes de trânsito ou mesmo esclarecer reclamações de passageiros quanto a postura dos funcionários.

Por Adamo Bazani 
jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes.


Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook

READ MORE - Ônibus de Mauá terá novas tecnologias como GPS e ampliação de câmeras dentro dos coletivos

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960