Metrô do Cariri e Linha Sul do Metrô de Fortaleza voltam a circular

domingo, 13 de janeiro de 2013

O Metrô do Cariri e Linha Sul do Metrô de Fortaleza vão voltar a circular nesta segunda-feira (14). Ambos os metrôs estavam em um período de manutenção para otimização dos serviços. As atividades serão retomadas sem alterações. Nos municípios de Fortaleza, Maracanaú e Pacatuba (Região Metropolitana), por onde passa a Linha Sul, recomeça a operação assistida, que ocorre de 8 as 12 horas, de segunda a sexta-feira. Já nas cidades de Crato e Juazeiro do Norte, será reiniciada a operação comercial, entre os horários de 6 e 20 horas, de segunda a sábado.

O período de manutenção na Linha Sul serviu para que fosse finalizada a energização de toda a via, procedimento necessário para a passagem dos trens unidade-elétrica (TUEs). Com isso, será possível para o equipamento passar pelo percurso inteiro, que corresponde a 24,1 quilômetros, começando na Estação Carlito Benevides, em Pacatuba, e indo até a Estação Chico da Silva, em Fortaleza.

Por questões de segurança, durante a energização, houve interrupção da concretagem das últimas estações que faltam ser entregues (a própria Chico da Silva e a José de Alencar). Contudo, com a conclusão do trabalho, estima-se que as construções sejam entregues no final de fevereiro ou início de março.

Região do Cariri
No Cariri, onde há já ocorre a operação comercial, os veículos leves sobre trilhos (VLTs) foram recolhidos para uma manutenção mais intensa devido ao funcionamento durante os três turnos e a um desgaste mais evidente. A via percorrida pelo metrô possui extensão de 13,6 km. No decorrer do percurso há nove estações, sendo cinco em Juazeiro do Norte e quatro no Crato. São elas: Juazeiro, Teatro, Crato, Fátima, São Pedro, Antônio Vieira, São José, Muriti e Padre Cícero. O valor da passagem é de R$ 1,00 a inteira e R$ 0,50 a meia.

Informações: G1 CE

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Metrô do Cariri e Linha Sul do Metrô de Fortaleza voltam a circular

Estudo de viabilidade do trem bala de Belo Horizonte começa neste ano

O estudo de viabilidade para implantação do ramal do Trem de Alta Velocidade (TAV Brasil) - também chamado de “trem bala” - em Belo Horizonte será realizado ainda em 2013. O levantamento mostrará se o trem fará a ligação de Belo Horizonte a Campinas (SP) ou da capital mineira a Volta Redonda (RJ). Em Curitiba, será realizado estudo similar.

As informações são do presidente da Empresa de Planejamento e Logística S.A. (EPL), Bernardo Figueiredo, que participou de reunião com o Conselho Consultivo da EPL ontem, na sede da Sociedade Mineira de Engenheiros (SME), em Belo Horizonte.

O investimento padrão internacional para esse tipo de empreendimento gira em torno de R$ 50 milhões por quilômetro instalado. Sem considerar Belo Horizonte, o TAV Brasil irá percorrer 510 quilômetros ligando o Rio de Janeiro a Campinas. A expectativa é a de que o projeto demande cerca de R$ 30 bilhões.

O montante é bastante superior ao estimado para as três linhas do Metrô de Belo Horizonte, que totalizam 16,7 quilômetros, com custo de R$ 3,05 bilhões, que estão empacadas há anos.

O traçado de referência (trajeto esperado) do TAV Brasil já está confirmado entre o Rio de Janeiro e São Paulo. No Rio de Janeiro, a expectativa é a de que o trem tenha estações em Barão de Mauá, no Galeão, e em Barra Mansa/Volta Redonda. Em São Paulo, haverá paradas em Aparecida, São José dos Campos, Guarulhos, Campo de Marte, Viracopos e Campinas. A estimativa é a de que este trecho do projeto fique pronto até 2020.

Composição

O TAV Brasil será um meio de transporte capaz de competir com avião em conforto, velocidade e preço, afirma o presidente da EPL. Além disso, atenderá a cidades onde não há aeroportos. Segundo tabela divulgada pela Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT) e contida no edital, os preços a serem cobrados são inferiores à média paga pelo consumidor para viajar de avião.

Os valores serão diferenciados de acordo com o horário da viagem (horário de pico ou não) e com o conforto escolhido pelo consumidor (poltrona executiva ou econômica). Do Rio de Janeiro para São Paulo em horário de pico, por exemplo, a passagem no trem-bala custará R$ 200 no assento econômico e R$ 325 no executivo. De avião, a viagem sai por cerca de R$ 400 nas horas mais movimentadas e R$ 180 nas de menor demanda.

Por Tatiana Moraes
READ MORE - Estudo de viabilidade do trem bala de Belo Horizonte começa neste ano

Grande Recife: Terminal Integrado de Jaboatão passa por reforma

A coberta do Terminal Integrado de Jaboatão está sendo reformada. As obras tiveram início na última segunda-feira (7) e não estão interferindo na operação das linhas. Os usuários estão realizando o embarque e o desembarque normalmente. 

Os serviços ocorrem em dois turnos diários: das 9h às 16h os serviços que podem ser realizados junto à operação e das 0h às 4h os serviços que necessitam, por medida de segurança, da total interdição da plataforma e via de circulação. 

A Gerência de Fiscalização (GFIS) e a Gerência de Terminais Metropolitano Oeste (GTMO) do Grande Recife Consórcio de Transporte acompanharão os serviços no período diurno realizando os ajustes operacionais necessários para minimizar os possíveis transtornos que venham ocorrer. Se houver a necessidade de modificação do local de desembarque ou embarque de qualquer linha, os usuários podem contar com divulgadores no próprio terminal. 

Informações: GRCT

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Grande Recife: Terminal Integrado de Jaboatão passa por reforma

PRF já recolheu mais de 30 ônibus na Grande Aracaju

Desde o último mês de dezembro agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) vêm intensificando as fiscalizações em ônibus coletivos que realizam percursos na Grande Aracaju, e até o momento cerca de 30 veículos já foram apreendidos. Só na última segunda-feira, 8, cinco foram detidos por precariedade em faróis, assentos para os passageiros, problemas mecânicos e licenciamento atrasado. Por se tratar de um meio de transporte que atende a população, agentes da PRF admitem que já liberaram alguns veículos para serem encaminhados para a garagem enquanto as pendências são resolvidas.

Segundo o agente Mário Lúcio, inspetor da PRF, as empresas de ônibus em determinadas circunstâncias acabam desrespeito a determinação policial, e os veículos são imediatamente retidos e encaminhados para o pátio da companhia. "Para não prejudicar ainda mais a população a gente acaba aceitando que o motorista chegue ao final de linha e retorne para a garagem da empresa para regularizar os problemas constatados, mas como estamos observando, a maioria retorna para as ruas irregularmente e continuam oferecendo risco aos usuários", declarou. Entre os veículos apreendidos, alguns circulam no interior do Estado de Sergipe.
Para a PRF, a parceria entre a população e os órgãos de fiscalização é essencial para solução imediata dos problemas, e para que o serviço oferecido seja de melhor qualidade. Ainda de acordo com Mário Lúcio, a fiscalização continuará sendo realizada diariamente. "Esse é o nosso papel e estamos trabalhando conforme as leis exigem. Além do posto de fiscalização da saída de Aracaju, também estamos atuando rigorosamente no interior", concluiu o inspetor. Para retirar os ônibus que permanecem retidos, as empresas devem regularizar as pendências junto ao Departamento Estadual de Trânsito de Sergipe (Detran), e em seguida se dirigir à sede da PRF.

Fiscalização - Pela assessoria de comunicação da companhia não foi informado os locais onde agentes estarão atuando nos próximos dias. O objetivo é evitar que motoristas que conduzem veículos com irregularidade modifiquem a rota e driblem a ação policial. Até o início da próxima semana a PRF deve apresentar um novo balanço quanto a esse assunto.

Por Milton Alves Júnior
Informações: Jornal do Dia
READ MORE - PRF já recolheu mais de 30 ônibus na Grande Aracaju

Chegou a vez do plano diretor de mobilidade urbana em Salvador

O crescimento das cidades fez com que a mobilidade urbana se transformasse em tema gerador de demandas de grande complexidade. Como, no geral, estas demandas são respondidas pontualmente, elas se esgotam tão logo são implementadas, com pouca ou nenhuma efetividade. Começa aí, então, um ciclo vicioso, no qual, o caos no sistema de transporte nas cidades se retroalimenta dos suas próprias limitações.

O elemento de complexidade reside no fato de que os transportes de pessoas e de cargas, sobretudo nas grandes metrópoles, se entrelaçam com questões de ordem econômica, social, política, ambiental e cultural. Nesse intrincado labirinto, as soluções para a mobilidade urbana não podem absolutizar os interesses daqueles que exploram o transporte público, sob pena de consolidar a distorção de um sistema de transporte baseado exclusivamente no ônibus.

A superação do sucateamento do transporte público e a construção de um novo sistema de mobilidade urbana nas cidades brasileiras, que leve em conta estas premissas,passaram a ter um ponto de origem a partir de 03 de janeiro de 2012, data na qual a presidente Dilma Roussef promulgou a Lei 12.587, que institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana e dá a ela o caráter de instrumento da política de desenvolvimento urbano.

A nova lei passa a ser um parâmetro para toda e qualquer discussão e definição sobre mobilidade urbana no Brasil. O caráter sustentável está explícito quando a mesma interliga mobilidade urbana às políticas de habitação, saneamento básico, planejamento, gestão do uso do solo e prioriza o transporte não motorizado sobre o motorizado e o transporte público coletivo sobre o transporte individual motorizado.

Consoante com o Estatuto da Cidade, do qual ela é instrumento, a Lei Nacional de Mobilidade estipula a necessidade de toda cidade brasileira, acima de 20 mil habitantes, elaborar o Plano Diretor de Mobilidade Urbana Sustentável.

Diante disso, a atual legislatura da Câmara de Vereadores de Salvador tem pela frente a tarefa de construir a mobilização da sociedade para exigir que o novo prefeito envie à Casa a proposta de PDMUS (Plano Diretor de Mobilidade Urbana Sustentável), com todos os estudos técnicos e pareceres, planilhas e índices técnicos. A partir daí as audiências públicas serão realizadas e finalmente o mesmo irá para apreciação final dos vereadores, que votarão e aprovarão o novo Plano de Mobilidade Urbana da cidade.

Salvador não pode perder mais esta oportunidade de repensar o transporte público sob o ponto de vista da maioria da cidade, adotando um sistema com vários modos de transporte (trens, metrô, VLT, BRT, ascensores, aquáticos, bicicletas, motos, à pé, ônibus), com acessibilidade universal, no qual todos possam confiar e deixar o carro em casa. A verdadeira solução para os engarrafamentos, acidentes constantes, perda de tempo e de qualidade de vida, passa pela afirmação do transporte público de qualidade, sustentável e justo socialmente.

Por Everaldo Augusto
Informações: Bahia Notícias

READ MORE - Chegou a vez do plano diretor de mobilidade urbana em Salvador

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960