Projeto de Mobilidade Urbana de Porto Velho foi aprovado no Ministério das Cidades

sábado, 9 de março de 2013

O Ministério das Cidade aprovou o projeto Reestruturação do Sistema de Transporte Urbano do Município de Porto Velho, apresentado pela prefeitura da capital. O anúncio da aprovação foi feito pela presidente Dilma Rousseff, ao prefeito Mauro Nazif e ao secretário Carlos Guttemberg, da Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (Semtran), em reunião para tratar sobre o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II), ocorrida em Brasília. A confirmação da seleção do projeto foi feita pelo prefeito Mauro Nazif, em coletiva à imprensa nesta sexta-feira, 08, na Semtran. Participaram também do ato o secretário Carlos Guttemberg e um grupo de vereadores.

O projeto prevê a implantação e reforma de abrigos para os usuários de transporte coletivo, instalação de sinalização vertical (placas) e horizontal (pintura de pista) de ponto de parada de ônibus, construção e reforma de Estações de Integração e Terminais de Ônibus Urbano, Instalação do Sistema de Prioridade Seletiva e de padronização de calçadas, adequação de rampas de acesso à hidrovia para os distritos do Baixo Madeira e colônia dos pescadores, implantação de uma nova rampa de acesso no Terminal Intermodal Hidroviário de Porto Velho e readequação do espaço, além da implantação da Rede Cicloviária no município.




Apresentado no final do ano passado pela prefeitura, o projeto que trata sobre a melhoria na mobilidade urbana na capital, teve que ser todo reformulado em função do baixo custo que apresentava. “Esse projeto estava orçado em pouco mais de dez milhões de reais e abrangia apenas três vias principais da cidade. E nós, ainda na condição de deputado federal, conseguimos elevar esse valor para noventa milhões e contemplar todas as regiões da cidade”, adiantou o prefeito revelando que o projeto original atendia apenas as avenidas Calama, Joaquim Francisco Araújo (Abunã) e a Farquar.

Transporte mais ágil

Para o prefeito Mauro Nazif, o projeto é audacioso, pois fará a interligação de todos os bairros da cidade, contribuindo para que Porto Velho passe a ter um sistema de transporte urbano mais rápido. O Plano cria um Projeto de Rede de Transporte que está divido em três níveis hierárquicos (principal, secundário e alimentar) que visam ordenar o fluxo, aumentar o controle e melhorar a comunicação visual nas vias. O plano apresenta ainda quatro níveis de linhas, as expressas, semi-expressas, paradoras e linhas locais. “Os estudos sobre planos de mobilidade urbana feitos pela prefeitura, indicam como solução a elaboração de uma Rede de Transportes Prioritária, que consiste na hierarquização das linhas, definição dos elementos componentes da rede e a troncalização por feixe de linhas, principalmente em relação aos corredores de transportes”, disse o prefeito.

O sistema contará também com o serviço tronco-alimentador formado por três corredores — Principal em via segregada (BRT e linhas expressas), Secundário em faixa exclusiva (linhas semi e expressas) e Alimentador em fluxo misto (linhas locais e paradoras). Haverá ainda locais para transferências de passageiros (nos Terminais e em qualquer ponto com bilhetagem eletrônica) e também atendimento aos serviços locais (linhas locais e paradoras).

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960