No Rio, Inaugurado primeiro dos 19 trens do MetrôRio

sábado, 25 de agosto de 2012

O primeiro dos 19 trens do MetrôRio que vieram da China para substituir a atual frota foi inaugurado na manhã desta sexta-feira. A composição saiu da Estação Estácio e foi até o Maracanã. Em seguida, recebeu os primeiros passageiros, e seguiu viagem para a Pavuna.
A composição, que durante o primeiro mês vai operar, em regime de operação assistida, das 10h às 15h e das 21h às 0h, conta com menos assentos do que o trem antigo. Por outro lado, o espaço interno é maior, permitindo o embarque de mais passageiros. Oficialmente, eles começam a circular neste sábado (25).
Na primeira viagem, pôde-se perceber que a composição balança mais do que os trens antigos. Esta característica chegou a ser alvo de polêmica, já que teria obrigado, segundo o Sindicato dos Metroviários do Estado do Rio, uma adaptação dos trajetos para que os trens não esbarrassem nas paredes. A concessionária MetrôRio nega o fato, e o presidente do MetrôRio, Flávio Almada, minimizou o balanço do trem. "Está dentro da normalidade".
O vão entre os trens e a plataforma é maior do que o das antigas composições (de 4cm passou para 9cm), mas, de acordo com o MetrôRio, a distância também está dentro da normalidade e não afetará o embarque e desembarque de passageiros. A inauguração contou ainda com a presença do governador Sérgio Cabral.
Jornal do Brasil
READ MORE - No Rio, Inaugurado primeiro dos 19 trens do MetrôRio

Em BH, Revitalização do Anel poderá incluir a implantação do BRT

A reforma do Anel Rodoviário de Belo Horizonte pode contemplar a preparação da via para a implantação do Transporte Rápido por Ônibus (BRT). De acordo com a Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans), a proposta foi bem-recebida pelo governo do Estado, responsável pela licitação do projeto executivo de modernização da via. A ideia é que o BRT seja instalado nas marginais do Anel e faça a interligação das avenidas, que vão receber o sistema.

Segundo o diretor de planejamento da BHTrans, Célio Freitas, a revitalização do Anel será uma oportunidade para articular um sistema de transporte público ligando as principais avenidas da cidade. "Solicitamos ao governo estadual para preparar as marginais para receber o sistema. A prefeitura aproveitaria a obra e implantaria os corredores e as estações do BRT", explicou Freitas. Conforme a proposta, seriam ligadas transversalmente às avenidas Cristiano Machado, Antônio Carlos, Pedro II, Amazonas, Tereza Cristina e a Via do Minério - região entre os bairros São Gabriel, na região Nordeste, e Olhos d’Água, no Barreiro. Por enquanto, apenas a Cristiano Machado e a Antônio Carlos estão em obras para a implantação do BRT. A expectativa é de que, a cada ano, o sistema seja implementado em uma das avenidas sugeridas. Portanto, as próximas seriam a Amazonas, a Pedro II e a Via do Minério. No Anel Rodoviário, o transporte funcionaria da mesma forma que será feito nas avenidas da cidade, com estações elevadas, pagamento antecipado da passagem e embarque no nível da calçada. "O usuário economiza muito tempo no deslocamento, já que vai ir de uma região a outra da cidade, sem precisar passa pelo centro", disse Freitas.


Temor. Para o subcomandante da Polícia Militar Rodoviária (PMRv), major Agnaldo Lima de Barros, antes de pensar em BRT, o governo deveria tratar de outras prioridades mais urgentes no Anel Rodoviário. "É preciso estudar muito para saber se é viável. Além disso, temos vários outros problemas no Anel que até hoje não foram resolvidos. Não podemos mais atrasar as obras de revitalização", disse o major.

"A princípio, acredito que existam soluções mais viáveis e mais baratas, como o próprio sistema de linhas de ônibus. O Anel tem uma função mais rodoviária do que de passageiros", avaliou Márcio Aguiar, especialista em transporte e trânsito.
Informações: O Tempo Online
READ MORE - Em BH, Revitalização do Anel poderá incluir a implantação do BRT

São Paulo vai ganhar mais 12,4 km de faixas exclusivas de ônibus a partir de segunda-feira

A cidade de São Paulo vai ganhar mais 12,4 km de faixas exclusivas de ônibus a partir de segunda-feira (27) nas avenidas Itaquera e Líder, na Zona Leste. Segundo a São Paulo Transportes (SPTrans), as novas faixas serão implantadas para aumentar a velocidade dos coletivos e diminuir o tempo da viagem.
Os novos trechos estão localizados na Avenida Itaquera, entre a Avenida Aricanduva e Rua Serra das Divisões, seguindo na Avenida Francisco Munhoz Filho e Rua Harry Dannemberg; e na Avenida Líder, entre a Rua Serra das Divisões e a Avenida Francisco Munhoz Filho. As faixas exclusivas funcionarão de segunda a sexta-feira, entre 6h e 20h, em ambos os sentidos.

As novas faixas fazem parte de um pacote da implantação de mais de 100 km de faixas exclusivas de ônibus à direita, em toda a cidade, que pretende aumentar em 15% a velocidade dos coletivos até o fim deste ano. Com os novos trechos nas avenidas Líder e Itaquera, a cidade soma 62,5 km de faixas entregues, segundo a Prefeitura.

De acordo com a SPTrans, a Radial Leste, que teve a faixa exclusiva implantada em setembro de 2011, a redução no tempo de viagem foi de 38,4% no sentido centro e de 31,7%, no sentido bairro, em novembro de 2011 comparado ao mesmo período de 2010.
MultaOs carros que usarem as faixas para trafegar em horários proibidos serão penalizados com quatro pontos na carteira e em R$ 85,13. Os táxis poderão utilizá-las, desde que com passageiros, assim como nos corredores de ônibus.
 
Fonte: G1 SP
READ MORE - São Paulo vai ganhar mais 12,4 km de faixas exclusivas de ônibus a partir de segunda-feira

Mobilidade para o espaço: Governo estuda manter redução do IPI dos carros

O governo deve manter a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos veículos, que venceria na próxima sexta-feira (dia 31), por pelo menos mais dois meses, informa o jornal Folha de S. Paulo nesta sexta-feira. A estratégia do Palácio do Planalto é manter o incentivo ao setor para garantir os primeiros sinais de crescimento da indústria brasileira.

A prorrogação, de acordo com a reportagem, deve ser anunciada na próxima semana, no último dia de validade da atual redução do IPI. Em maio, o governo reduziu o IPI de carros nacionais de motor 1.0 de 7% para zero. Dos veículos com motor flex até 2.0, o imposto caiu de 11% para 5,5%. Nos veículos utilitários, o corte foi de 4% para 1%.

Reunião – O ministro da Fazenda, Guido Mantega, vai se reunir na próxima semana com representantes do segmento para avaliar dados que subsidiarão a decisão do governo sobre o IPI para automóveis. Segundo apurou a Agência Estado, o ministro deve receber informações sobre o período de vigência do benefício fiscal. De acordo com fontes, a análise do ministro levará em conta o repasse do incentivo para os preços, dados de emprego e de produção.

Como está às vésperas do final do prazo da redução do IPI e, nesse período, há um aumento das vendas com os feirões de automóveis espalhados por todo o país, integrantes da equipe econômica mantêm muita cautela em relação às informações sobre a possibilidade de prorrogação do incentivo que podem comprometer esse esforço final de vendas. As montadoras estão fazendo feirões e preveem o melhor mês de vendas da história.

Há integrantes do governo que defendem a prorrogação como necessária para estimular e acelerar a atividade econômica nos últimos meses do ano. A assessoria do ministério da Fazenda, no entanto, informou que não há definição, até o momento, sobre a questão.

Informações: Veja Abril



Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - Mobilidade para o espaço: Governo estuda manter redução do IPI dos carros

Na Grande Vitória, Ceturb-GV e empresas de transporte coletivo assinam adesão ao Prêmio ANTP de Qualidade 2013

A Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória (Ceturb-GV) e outras sete empresas operadoras de transporte assinaram nesta quinta (16) o Termo de Adesão ao Prêmio ANTP (Associação Nacional de Transportes Públicos) de Qualidade 2013. A Ceturb-GV ganhou por duas vezes consecutivas (2009 e 2011) o prêmio, que tem abrangência nacional e é bienal. O objetivo do prêmio é incentivar a melhoria da eficiência da gestão dos transportes públicos e trânsito.

A adesão ao prêmio durante o I Encontro de Lideranças, organizado pela ANTP, no auditório do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Espírito Santo (Setpes). O diretor presidente da Ceturb-GV, Léo Carlos Cruz, disse que a participação da empresa no prêmio é importante porque significa a busca constante da qualidade do serviço oferecido para a população.“Nós prestamos um dos melhores serviços do país. A Ceturb ganhou dois ciclos, o que mostra nosso entendimento de que é preciso ter foco na qualidade da gestão”.

A presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBus), Simone Chieppe, disse que a busca pela qualidade, hoje, é um caminho sem volta. “Hoje nós não temos usuários do sistema, temos clientes. Por isso precisamos ter a qualidade em foco. Até as instituições financeiras, antes de liberarem financiamentos, querem saber como estamos investindo em qualidade, por isso, a grande maioria da empresas operadoras do Transcol já oferece serviço dentro dos padrões adequados”.

Na opinião da coordenadora do Prêmio ANTP de Qualidade, Denise Cadete, o que todos esperam é resultado. “A população espera ser bem servida; os funcionários das empresas esperam ser bem tratados e valorizados; os fornecedores esperam ter parceria nos negócios com as empresas; os acionistas esperam números positivos. Por isso o prêmio é importante: porque leva todos os envolvidos a trabalharem para melhorar a gestão da organização como um todo, com foco nas pessoas, processos e sociedade”.

O prêmio

Esse é o 9º Ciclo do Prêmio ANTP de Qualidade (cada ciclo é de dois anos) e já acontece há 18 anos. A Ceturb-GV concorrerá ao Prêmio Referencial de
Excelência, tendo em vista já ter sido vencedora de dois prêmios da ANTP. Para participar, as organizações de transporte público e trânsito podem se beneficiar de duas formas: adesão ao programa ou candidatura ao prêmio. A adesão consiste no estabelecimento de um compromisso formal de melhoria, acompanhado de uma autoavaliação em relação aos critérios do prêmio e da elaboração de planos de ação. A adesão não obriga a empresa a candidatar-se.

Já a candidatura implica na elaboração de um relatório sobre o sistema de gestão da empresa e os resultados. Esse relatório será submetido à avaliação de uma banca examinadora independente. Um dos resultados do processo de candidatura é o relatório de realimentação, contendo uma avaliação do grau de aderência do sistema de gestão da empresa aos critérios do prêmio e suas principais oportunidades de melhoria.

Adesão

Além da Ceturb-GV, também assinaram ao Termo de Adesão as empresas Praia Sol, Vereda, Viação Serrana, Tabuazeiro, Metropolitana, Unimar e Viação Flecha. Ao todo, quinze empresas estiveram presentes ao evento e se comprometeram a assinar a adesão posteriormente.

A data limite para a inscrição ao prêmio é o dia 29 de março de 2013. Entre abril e maio do ano que vem será feita a análise dos relatórios de inscrição e em junho serão realizadas as reuniões de consenso. Já entre julho e agosto serão feitas as visitas técnicas às empresas e a avaliação final acontecerá em setembro. A cerimônia de entrega do prêmio à empresa vencedora acontecerá em outubro de 2013, durante o 19º Congresso da ANTP.


READ MORE - Na Grande Vitória, Ceturb-GV e empresas de transporte coletivo assinam adesão ao Prêmio ANTP de Qualidade 2013

Sistema de transporte opcional de Natal está literalmente falido

A exemplo da empresa Riograndense, que cerrou definitivamente as portas no último dia 12, o sistema de transporte opcional de Natal também está literalmente falido e dificilmente terá fôlego para concorrer no edital de licitação do transporte público que há vários meses aguarda uma lei autorizativa da Câmara Municipal de Natal (CMN) para ser publicado. O temor é dos próprios permissionários dos opcionais que, através de números, mostram que o sistema pode estar com os dias contados, devido principalmente à incapacidade de renovação da frota, à escassez de passageiros nos itinerários impostos pela Semob, às multas freqüentes impostas aos motoristas e ao sistema de bilhetagem eletrônica, que só favoreceria o sistema convencional de transporte urbano.
Das 180 permissões existentes, pouco mais de 90 ainda estariam operando, mas 66 permissionários desistiram do serviço. Foto: Fotos: Fábio Cortez/DN/D.A Press
O resultado de todos esses problemas é o afundamento do sistema nos últimos anos. Das 180 permissões existentes, hoje só estão em atividade pouco mais de 90, sendo que destes 66 já devolveram a permissão. Bairros como Felipe Camarão que contavam com nove veículos hoje só tem um. Quando foi licitado, Parque dos Coqueiros era a melhor linha de Natal com 10 carros, hoje também só conta com um. O mesmo se repete no Bairro Nordeste que caiu de seis para um. Pior no Gramaré: não restou nenhum dos oito veículos. Com a desistência dos permissionários, o sistema que empregava diretamente 800 funcionários, despencou para 230 trabalhadores. Cada carro empregava pelo menos quatro pessoas, hoje caiu para dois ou até um funcionário que na maioria das vezes é o próprio permissionário.
Atualmente, as linhas de Ponta Negra, Parque das Dunas e Nova Natal que eram consideradas as melhores, não conseguem ultrapassar a casa dos 200 passageiros nas seis viagens diárias. Antes elas chegavam a 500 passageiros, enquanto que as linhas de percurso menor chegavam a 350 passagens. Segundo dados da Coppetur, para colocar um carro para rodar, um permissionário gasta aproximadamente R$ 18 mil por mês. Como o sistema não está correspondendo, os carros estão envelhecendo e os problemas vão se acumulando. "A maioria dos permissionários está acumulando prejuízos e tirando do próprio bolso para poder rodar", informa Edileusa Queiroz, presidente da Transcoop Natal.
"Estamos a todo instante esperando a última pá de cal que sepulte vez o sistema de transporte alternativo. É só o que falta acontecer. Descapitalizados como estamos, como vamos poder concorrer numa licitação pública?", questiona o permissionário Franklin Alves. Ele é o único sobrevivente dos seis opcionais que faziam a linha do Bairro Nordeste e só não parou porque dá emprego a três pessoas da própria família. Franklin também dirige o opcional. Diz que a situação está insustentável e, se não houver mudanças rápidas, poderá também parar com a atividade.
Bilhetagem
A principal reclamação dos permissionários é a redução drástica no número de passageiros, decorrente da falta de uma bilhetagem eletrônica unificada que dê o direito ao passageiro de poder escolher o próprio destino e como usar seus créditos. "O chip com duas janelas não correspondeu, a parceria foi uma tentativa já desesperada de fazer sobreviver o sistema e só firmamos porque já estávamos falidos. Para se ter um ideia, recebemos um repasse do Seturn de cerca de R$ 83 mil para dividir com 97 associados, o que dá em torno de R$ 850 para cada um. Hoje não é mais vantagem ter o equipamento. Se nada acontecer a tendência da categoria é retirar o equipamento passando a rodar como era antes", disse Edileusa Queiroz. A bilhetagem dos opcionais é feita pela Fijitec, a mesma do transporte convencional, sendo que os ônibus transportam diariamente cerca de mil passageiros, enquanto o alternativo não leva 200, mas paga o mesmo valor de R$ 230 pelo uso do equipamento.
Além disso, o permissionário Franklin Alves diz que o sistema de bilhetagem é uma verdadeira caixa preta, direcionada para favorecer ao Seturn. "Um trabalhador normal que recebe o Natal Card já vem creditados valores para serem usados apenas nos ônibus. Para mudar e colocar também o opcional tem que enfrentar uma burocracia muito grande que normalmente faz desistir. Se ele pedir um extrato de sua utilização é também outra via crucis, exigem um login e uma senha que só quem tem acesso é a empresa e, normalmente, não se consegue. É só fazer um teste e verificar", disse ele.
Fonte: Diário de Natal
READ MORE - Sistema de transporte opcional de Natal está literalmente falido

Música alta dentro de ônibus pode ser proibida em Belo Horizonte

Quem fica incomodado com som alto dentro do transporte coletivo pode ficar satisfeito com um projeto de lei discutido na Câmara Municipal de Belo Horizonte. A proposta, aprovada em primeiro turno nesta semana, prevê o veto aos aparelhos sonoros e musicais em volume elevado dentro de veículos como ônibus e metrôs. Segundo o texto do projeto apresentado em 2009, de autoria do vereador Léo Burguês (PSDB), a recomendação é usar fones de ouvido.

Pela proposta, aqueles que descumprirem a norma seriam convidados a sair e estariam sujeitos a multas entre R$ 5 mil e R$ 10 mil. Também está prevista a afixação de cartazes informativos nos veículos. Caso não receba emendas e seja aprovado no segundo turno, o projeto de lei ainda precisa ser sancionado pelo prefeito Marcio Lacerda.

Campinas Os ônibus de Campinas, no interior paulista, já estão menos barulhentos. Quem insistir em escutar música com celulares ou tocadores de MP3 sem fone de ouvido será expulso dos veículos. Se for necessário, os motoristas da cidade podem até chamar a polícia.
A medida está prevista na Lei 14.350/12 e vale para todas as linhas urbanas.A regra entra em vigor a partir de outubro.
Fonte: O Tempo


READ MORE - Música alta dentro de ônibus pode ser proibida em Belo Horizonte

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960