Paradas de ônibus de Porto Alegre já contam com adesivos informativos sobre as linhas de ônibus

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Na tarde desta quinta-feira, 5, teve início a colocação dos adesivos “Que Ônibus Passa Aqui?”, com identificação das linhas nas paradas da Capital. Para marcar as ações, foram adesivadas duas paradas na avenida Cristóvão Colombo, próximas à rua Visconde do Rio Branco. Os trabalhos seguiram de acordo com as condições climáticas.

Os materiais serão afixados no suporte de 30 abrigos, indicando o número e nome da linha que atende o local. Os pontos escolhidos pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) estão ao longo das avenidas Cristóvão Colombo e Benjamin Constant. As peças foram elaboradas pelo grupo de publicitários Shoot The Shit e tiveram a aceitação e o apoio da prefeitura e EPTC, que ficaram responsáveis pelo financiamento e implantação do projeto. A ação também foi incluída no Plano de Informação ao Usuário do Transporte Público de Porto Alegre, mantendo o layout das peças realizado pelos publicitários.

“Percebemos que a cidade aprovou a ideia do grupo. Realizamos alguns encontros com os criadores e adequamos as peças às normas e regras de transporte, para garantir que todo e qualquer dado informado seja fiel à realidade. O objetivo é qualificar a informação para quem utiliza ônibus”, afirmou a diretora de transportes da EPTC, Maria Cristina Ladeira.

Informação de Transporte – Quem utiliza transporte público em Porto Alegre pode contar ainda com o fone 156, Fala Porto Alegre, e 118, da EPTC, para se informar sobre itinerários e tabela horária dos ônibus, 24 horas, todos os dias. Ano passado, os dois fones receberam 3,4 milhões de ligações, sendo a principal demanda consultas de transporte. Para mais informações, estão disponíveis os sites da EPTC e o PoaTransporte: ambos podem ser acessados também por celular e tablets com acesso à Internet. Neles, podem ser consultados os itinerários e tabelas horárias dos ônibus e lotações, assim como os pontos de táxi da Capital.

Guias e Mapas – Além dessas alternativas, anualmente a EPTC publica o Mapa de Ônibus e os Guias de Ônibus e Lotação da Capital, distribuídos gratuitamente. A edição de 2012 estará disponível aos cidadãos no final do mês de julho, em pontos estratégicos da cidade.

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre

READ MORE - Paradas de ônibus de Porto Alegre já contam com adesivos informativos sobre as linhas de ônibus

Em Maceió, Sai edital de convocação de audiência do transporte

Foi publicado no Diário Oficial do Município de Maceió de ontem, o edital de convocação para a audiência pública que trata da licitação do transporte coletivo de passageiros, que acontece no dia 18 de julho, das oito horas às 13 horas, no auditório da Escola de Governo da Procuradoria Geral do Maceió, na Rua Doutor Pedro Monteiro, no Centro da capital alagoana.
A licitação é da modalidade concorrência e tem como principal intuito “contratar empresas que tenham por objetivo o transporte coletivo urbano de passageiros para atuar nos limites da cidade de Maceió”.
Por recomendação do Ministério Público Estadual (MPE), a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) precisou fazer algumas alterações no edital, que estava pronto no ano passado.
O procurador geral do Município, Carlos Roberto Ferreira, anunciou que a partir de agora existe uma nova modalidade com a exclusão do artigo 75 da Lei de Concessões. Ele explicou que a única mudança foi que a licitação não será de ‘melhor técnica’, mas também de ‘preço de outorga’, ou seja, maior oferecimento de linhas.

ESPECULAÇÕES
Muito já se ouviu falar sobre as mudanças que poderão ocorrer no transporte público municipal com o edital de licitação, mas ainda não há nada de concreto.
Entre as mudanças mais comentadas estão a extinção de linhas e criação de outras; a integração aberta, onde os passageiros poderão pegar mais de um ônibus da mesma linha, e no mesmo sentido, no período de uma hora pagando apenas a primeira passagem, e o corredor exclusivo de ônibus na Avenida Fernandes Lima, no bairro do Farol.

Fonte: Tribuna Hoje
 
 
READ MORE - Em Maceió, Sai edital de convocação de audiência do transporte

Fim da greve de ônibus no Recife, TRT declara abusiva a paralisação

O Tribunal Regional do Trabalho da 6º Região (TRT-PE) decretou o fim  da greve dos rodoviários do Grande Recife, no julgamento do dissídio coletivo da categoria, realizado na tarde desta quinta-feira (5). Por unanimidade, os desembargadores consideraram a greve abusiva; por maioria, ficou determinado que o reajuste salarial será de 7%. Os motoristas e cobradores devem voltar ao trabalho a partir da meia-noite desta sexta-feira (06).

A desembargadora Nise Pedroso foi a relatora do dissídio dos rodoviários. Em seu voto, ela declarou abusivas as paralisações do dia 27 de junho e as realizadas a partir de 3 de julho. "Os rodoviários não avisaram o patronato nem a população com 72 horas de antecedência e as negociações não haviam sido esgotadas", afirmou.

Segundo o voto da relatora, haverá desconto nos salários pelos dias parados. O reajuste salarial determinado pela corte segue a proposta do Ministério Público do Trabalho. "Os 31% pedidos pela categoria estão distantes dos índices do INPC [Índice Nacional de Preços ao Consumidor]", disse a desembargadora.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários no Estado de Pernambuco (STTRE-PE), Patrício Magalhães, assegurou que a categoria vai voltar ao trabalho. "Decisão judicial não se discute. O reajuste não era o esperado, mas é maior que o que foi dado em outros estados", comentou. Do lado de fora da sede do TRT, no entanto, o clima entre os grevistas é de insatisfação. Aos gritos de "Fora, Patrício", a multidão afirma que não vai encerrar a greve.

Antes dos votos dos integrantes do tribunal, o advogado do Sindicato das Empresas de Transporte (Urbana-PE) conversou com a imprensa. "Eu peço a abusividade do movimento grevista e a reposição dos pisos e salários com percentual de 5% de reajuste. As cláusulas sociais foram conciliadas", disse Antônio Henrique Neuenschwander. Já Eriberto Guedes, defensor do STTRE-PE, pediu "o provimento das reivindicações econômicas e a não abusividade da greve".
O procurador Fábio Farias, do Ministério Público do Trabalho, avaliou como "desordenada" a decretação da greve dos motoristas. "Os 7% não são o reajuste dos sonhos, mas há uma falta de parâmetros para definir qual seria o reajuste mais justo. Eu não sei quanto da tarifa vai para o empresário, quanto vai para os custos do serviço. Então, acho que é melhor ficar com esses 7%", ponderou.

Informações: G1 PE

READ MORE - Fim da greve de ônibus no Recife, TRT declara abusiva a paralisação

Paralisação de ônibus causa transtornos em Brasília

A greve dos rodoviários deixou a capital federal sem ônibus hoje (5) e causou transtornos à população desde o início da manhã. Quem depende do transporte coletivo teve muita dificuldade para se locomover na cidade, pois a paralisação retirou das ruas quase todos os veículos das empresas.

Os rodoviários exigem reajuste de 7,88% nos salários a partir de maio deste ano, conforme acordo assinado com as empresas no ano passado. Para amenizar a situação, o metrô começou a funcionar uma hora e meia mais cedo que o habitual, às 5h30, mas o problema dos usuários foi conseguir chegar às estações, devido a falta dos ônibus.

Nas estações do metrô, o movimento foi bem maior nas primeiras horas do dia e depois diminuiu, permitindo o embarque dos passageiros sem problemas, apesar do grande número de pessoas nas plataformas. O trânsito foi menor em muitos pontos da cidade sem os ônibus, como no centro de Taguatinga, região administrativa do Distrito Federal (DF), onde há congestionamentos diários.

Na Estação da Praça do Relógio, no centro de Taguatinga, a comerciária Amanda Andrade esperava o metrô para ir trabalhar no Setor Comercial Sul, bairro distante da região e localizado no centro de Brasília, e se queixava da dificuldade que teve no trajeto até a estação. “Como não tinha ônibus, recorri ao transporte pirata, mas o Detran [Departamento de Trânsito] flagrou a van e fez todo mundo descer. O pior é que não obrigou o motorista a devolver o dinheiro da passagem”.

Outra passageira no metrô era a universitária Jurema Fonseca, que também recorreu ao transporte irregular para chegar até a estação e reclamava da falta de ônibus. Ela estuda em uma faculdade, no bairro de Águas Claras, e já estava atrasada para um compromisso.

Na mesma estação de metrô, a comerciante Neuza Martins aguardava o trem para ir à Rodoviária do Plano Piloto, no centro da capital, para tentar chegar de táxi até outro ponto da cidade, na Avenida L2 Sul, onde trabalha. Segundo ela, a linha de ônibus que ligava esses dois pontos foi cancelada, porque a empresa alegou “falta de passageiros”.

Em Santa Maria, bairro situado a cerca de 25 quilômetros do centro da capital, muita gente esperava por um ônibus nas paradas, como a atendente Dayana Cristina Souza Araújo, 20 anos."Estou aguardando há mais de duas horas, mas os poucos ônibus circulando estão superlotados, não cabe mais ninguém. Ninguém estava preparado para essa paralisação. Fiquei sabendo por amigos. Eu estou indo trabalhar e me falaram que não importa a hora que eu chegue, tenho que estar lá hoje. É injusto. O caos de hoje já dá para imaginar como será se os ônibus pararem de circular por mais tempo”, disse.

Fonte: Exame Abril

READ MORE - Paralisação de ônibus causa transtornos em Brasília

Em Porto Alegre, Integração somou 35 milhões de viagens gratuitas de ônibus

Um ano após implantação no sistema de ônibus, a gratuidade 100% na integração já resultou em 35 milhões de viagens em Porto Alegre. Desde 1º de julho de 2011, quando implantada a medida pela prefeitura, por intermédio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), houve um acréscimo de mais de 90 mil usuários cadastrados no Vale-Transporte e Passe Antecipado, e de mais 96 mil de usuários da Passagem Escolar, que passaram a usufruir do benefício da integração. Atualmente, são 712 mil usuários do TRI (VT, PA e Estudantes) aptos a usufruir da integração 100% gratuita. O número de passageiros subiu de 1 milhão para 1,2 milhão/dia. Em 11 meses, com a integração 100%, a economia para os usuários foi de cerca de R$ 42 milhões.

O diretor-presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Vanderlei Cappellari, afirma que a medida representou um ganho para a população. “A ação da Prefeitura possibilitou aos passageiros a liberdade de escolha dos melhores pontos de integração, além de um ganho importante no bolso dos trabalhadores, estudantes e dos usuários em geral do sistema de ônibus. Vamos continuar trabalhando pela qualificação do sistema de ônibus.” A frota, lembra Cappellari, já atingiu uma idade média de 3,8 anos, sendo uma das mais novas do país, com mais de 50% dos veículos adaptados para deficientes físicos. Além disso, salienta, o sistema BRT (Bus Rapid Transit) será um novo passo, importante, neste processo de qualificação do sistema de ônibus.

READ MORE - Em Porto Alegre, Integração somou 35 milhões de viagens gratuitas de ônibus

No DF, Paralisação dos ônibus prejudicam mais de 600 mil usuários nesta quinta-feira

Motoristas e cobradores do Distrito Federal iniciaram nesta quinta-feira (5) uma paralisação de 24 horas pelo pagamento de um reajuste de 7,88%. Segundo o sindicato a categoria, o índice havia sido acertado em convenção coletiva e deveria começar a ser pago nos salários de maio.

A paralisação dos rodoviários deixou os pontos de ônibus cheios. Na Rodoviária do Plano Piloto, passageiros recorriam ao transporte pirata para poder chegar ao trabalho.

Com a greve, o Metrô passou a funcionar às 5h30, meia hora antes do horário normal, e disponibilizou trens extras para os horários de pico (das 6h às 9h e das 16h30 às 20h).

O presidente do sindicato da categoria, João Osório, estima que a paralisação atinja 13 mil rodoviários, incluindo motoristas e cobradores das cooperativas de transporte. Nesta sexta (6) os motoristas e cobradores voltam a trabalhar normalmente. Está marcada para domingo (8) uma assembleia para decidir sobre uma possível greve geral da categoria.

Acordo
No ano passado, um acordo assinado entre os rodoviários e as empresas evitou a greve geral da categoria. O acordo previa reajuste de 7,88% nos salários, na cesta básica e no ticket refeição feita pelas empresas de ônibus.
O acordo previa também as manutenção dos benefícios garantidos pela no acordo coletivo de 2010, além do pagamento de R$ 150 por trabalhador para garantir plano de saúde e de R$ 15 para seguro odontológico.

Metrô
O metrô do DF também já tem um aumento considerável no número de passageiros na manhã desta quinta-feira (5/7). Segundo a assessoria de imprensa do órgão, foram colocados dois trens extras em circulação no horário de pico, que vai até às 9h. Ao todo, são 26 veículos a disposição da população. A empresa ainda abriu o serviço 30min mais cedo. Para o final da tarde, o número de trens também será igual ao da manhã. O vagões param de rodar às 23h30, como de costume.

Rodovias
Enquanto isso, cidadãos que tem carro tentam chegar ao trabalho enfrentando longos congestionamentos, que tomaram conta das principais vias do Distrito Federal. O tráfego na Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB), Estrutural, Estrada Parque Taguatinga (EPTG) e BR-040, que liga Luziânia à Brasília, está fluindo com muita lentidão devido ao excessivo número de veículos.

Transporte pirata
Embora seja ilegal, a opção para muitas pessoas tem sido o transporte pirata e as lotações. O aposentado José Dantas da Silva, 47 anos, não teve escolha. Ele saiu de casa em Águas Claras às 3h30 e ficou duas horas no ponto de ônibus, até que devidiu pegar um transporte ilegal com destino à Taguatinga para embarcar no metrô. Ainda assim Silva não conseguiu e até às 7h o aposentado não tinha conseguido entrar no transporte.

Informações: G1 DF e Correio Braziliense

Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook
READ MORE - No DF, Paralisação dos ônibus prejudicam mais de 600 mil usuários nesta quinta-feira

Greve de ônibus no Recife entra no 2º dia, usuários esperam mais de uma hora nas paradas

Mais um dia em que a população é prejudicada, poucos ônibus e muita espera dos usuários que muitas vezes penam nas paradas, o tempo de espera chega a mais de uma hora em algumas linhas, já outras nem circulando estão. Ontem os sindicatos não chegaram a um acordo, o dissídio coletivo foi determinado pelo Ministério Público do Trabalho e nesta quinta-feira (05), às 15h, a justiça decidirá o destino da paralisação.

Os dissídios coletivos são ações propostas à Justiça do Trabalho por pessoas jurídicas (Sindicatos, Federações ou Confederações de trabalhadores ou de empregadores) para solucionar questões que não puderam ser solucionadas pela negociação direta entre trabalhadores e empregadores.
Com a paralisação, o comércio registrou queda de mais de 70% das vendas, pois só usam os ônibus nestes dias quem realmente precisa.
A situação é mais preocupante nos terminais integrados, onde a fluxo de passageiros são bem maiores. Ontem tumultos e quebra quebra de ônibus em algumas linhas foram registradas.
Conseguir um ônibus em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife, está sendo um desafio na manhã desta quinta-feira (5). Paradas lotadas e espera prolongada. Para aqueles que precisam ir para lugares próximos, onde os micro-ônibus circulam, a espera não é tão grande, mas ainda encontram os pequenos coletivos lotados.
No Ibura, os usuários estão desistindo de sair de casa devido a demora dos coletivos e quando passam, eles vem lotados. É melhor ficar em casa e levar falta no trabalho do que enfrentar estes transtornos, diz a moradora da UR-02 Tereza Cristina.
No terminal da PE-15, em Olinda, um dos mais movimentados do Grande Recife, o cenário era de filas, ônibus demorando mais que o normal, mas sem confusão. A linha que apresenta maiores filas é a PE-15/ Afogados. O terminal, o mais antigo do Grande Recife, atende cerca de 44 mil pessoas, com 12 linhas, 134 ônibus e 1,5 mil viagens por dia. As empresas estão contratando motoristas do cadastro de reserva para atender a demanda durante a greve. Ainda em Olinda, as paradas da Avenida Getúlio Vargas estão cheias, com pessoas esperando ônibus por muito tempo.
Mais informações sobre a greve de ônibus no Recife nas próximas postagens.
READ MORE - Greve de ônibus no Recife entra no 2º dia, usuários esperam mais de uma hora nas paradas

Expansão do Metrô de BH pode gerar novo gargalo na cidade

A viabilidade das linhas 2 e 3 do metrô de Belo Horizonte, como foram apresentadas pela Trem Metropolitano S.A. (Metrominas), está sendo questionada pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e pelo Sindicato dos Metroviários (Sindimetro). Em audiência pública sexta-feira na Câmara Municipal, o representante da operadora federal dos trens da capital, Adão Guimarães Silva, afirmou que apenas a construção de metade da Linha 2 não vai atender os 283 mil moradores do Barreiro. Os passageiros dessa região têm, em sua maioria, o Centro como destino, mas chegarão apenas ao Calafate, onde será necessário ingressar nos já abarrotados vagões da Linha 1 (Eldorado/Vilarinho). “Não faz mais sentido (a Linha 2 tangenciar a Linha 1 no Calafate). Isso foi adaptado no projeto antigo por causa da transferência da rodoviária para lá, o que já não vai acontecer”, disse Silva. A Metrominas admite o gargalo e procura soluções.

Pela análise do representante da CBTU, a melhor solução seria concluir a Linha 2 inteira, do Barreiro ao Bairro Santa Tereza, na Região Leste, perto da área hospitalar, e passando pela Praça Sete. “O estudo da CBTU concluiu que o melhor itinerário seria Barreiro-Santa Tereza”, considera. Não é a primeira vez que técnicos da companhia criticam os projetos. A implantação de uma oficina e pátio de manobra subterrâneos na Linha 2 já foi considerada inviável por operadores da companhia.

Opostos na greve que paralisou o metrô por mais de um mês, CBTU e o Sindicato dos Metroviários concordam que o projeto precisa ser mudado. “Não faz nem sentido encontrar mais as duas linhas (1 e 2) no Calafate. O certo é ir direto do Barreiro à Praça Sete e Santa Tereza. Nem que seja preciso deixar a Linha 3 (Savassi-Lagoinha) para depois”, disse o vice-presidente do sindicato, Romeu José Machado Neto.



Savassi

A própria necessidade de uma linha subterrânea é contestada pelo sindicalista que representa os operadores dos trens da CBTU. “A primeira coisa a fazer quando se executa uma linha é pesquisar a origem e o destino. Isso não foi feito no trecho Lagoinha-Savassi. O metrô é para tirar das vias o grande fluxo de ônibus. Qual é o grande corredor de ônibus entre a Lagoinha e a Savassi?”, questiona. E conclui: “O sistema já não comporta o que tem, com a Linha 1 lotada todos os dias. Imagina injetar mais gente”, alerta Neto.

O coordenador do projeto do metrô pela Prefeitura de Belo Horizonte, Márcio Duarte, admitiu que o projeto como está cria um gargalo na Estação Calafate. “Será uma questão operacional. Estamos fazendo estudos e simulações, em busca de soluções. Uma das respostas pode ser o trem da Linha 2 ingressar nos trilhos da Linha 1 e cumprir o restante de seu itinerário até o Centro”, afirma.

De acordo com a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas (Setop), a necessidade de adequação de recursos exigiu, em 2008, a elaboração de estudos para definição de prioridades nos investimentos do metrô. “Os recursos disponíveis atualmente não são suficientes para a execução da totalidade das linhas. Com esta modelagem, o metrô terá a possibilidade de transportar até 900 mil passageiros/dia, ou seja, quase quatro vezes o movimento atual, com um aumento do número de vagões para 240”, informa em nota a Setop.

Primeira perfuração vem aí

A expectativa da Metrominas é de que as primeiras perfurações para levantamentos de geotecnia do metrô de Belo Horizonte sejam marcadas na próxima semana e ocorra nos próximos dias. De acordo com a companhia, a ordem de serviço está para ser assinada. A licitação para os serviços de topografia ainda não teve um vencedor determinado, uma vez que na primeira concorrência todas as empresas foram consideradas inabilitadas e tiveram tempo para se adequar às exigências do trabalho.





Fonte: Estado de Minas / Mateus Parreiras
READ MORE - Expansão do Metrô de BH pode gerar novo gargalo na cidade

Tarifas de ônibus na Grande Porto Alegre sobem a partir de domingo

Entra em vigor a partir da 0h de domingo (8) o novo valor das tarifas dos ônibus intermunicipais da Região Metropolitana de Porto Alegre, informou nesta quarta-feira (4) a Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan). A data da entrada em vigor do reajuste de 6,28% foi publicada nesta quarta-feira (4) no Diário Oficial do Estado.

O índice foi homologado na terça-feira (03) pelo Conselho Superior da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS (Agergs). Segundo a agência, o aumento anual leva em conta a variação no preço de combustíveis e outros insumos, além do Percurso Médio Anual (PMA) e o aproveitamento econômico do serviço, que são constantes.
No total, 24 empresas que operam na Grande Porto Alegre vão reajustar as tarifas, afetando cerca de 514 mil usuários dos serviços de transportes. O aumento também será refletido na passagem de integração com o Trensurb. Os novos valores das tarifas, no entanto, ainda não foram oficializados pelas empresas.

READ MORE - Tarifas de ônibus na Grande Porto Alegre sobem a partir de domingo

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960