Está chegando o ônibus verde, movido a hidrogênio

terça-feira, 6 de julho de 2010


Eis trechos da entrevista exclusiva que o engenheiro brasileiro Silvano Pozzi concedeu a este blogueiro e cuja píntegra está na edição no caderno Negócios do Diário do Nordeste.

Quando a população do mundo passará a ser transportada não mais em coletivos poluentes, mas em ônibus verdes?

Essa realidade já não pertence ao futuro, pois já é algo do presente. A tecnologia das células a combustível a hidrogênio para aplicação nos veículos de transporte de passageiros se desenvolveu demais nos últimos 20 anos. No início da implementação da tecnologia, tivemos um foco no automóvel de passeio, por razões óbvias.

O carro de passeio, sem dúvida, é o que vai criar o maior o maior impacto de limpeza da atmosfera quando ela passar a usar essa tecnologia. Por outro lado, o carro de passeio é o que gera mais problemas de introdução. Essa dificuldade é por causa das características de abastecimento, de toda a infraestrutura necessária, o baixo preço que terá de ser alcançado, ou seja, você praticamente terá de remodelar toda uma indústria e todo um setor de infraestrutura muito complexo.

Tendo em vista tudo isso, o uso dessa tecnologia tem de começar pelo transporte de massa?Exatamente. Esse é o caminho. Nós temos feito uma série de aplicações que responderam com a necessidade de aplicação imediata da tecnologia, que já não é mais um ensaio de laboratório, ela está pronta para a industrialização e seu maior desafio hoje em dia é criar volume para reduzir preços para podermos começar a introdução em massa no mercado.

Aí vem a pergunta: quando essa tecnologia passará para a produção em escala industrial?

Se as coisas acontecerem da maneira que estamos prevendo, com as frotas que pretendemos começar a introduzir no mundo inteiro, e contando com o Brasil nisso, evidentemente – nós, em quatro a cinco anos, começaremos a produzir praticar preços da ordem de 15% a 20% acima dos veículos a diesel. Isso, na nossa visão, com a pequena ajuda de governos, de subsídios, e até pelo apelo que essa tecnologia agrega, nós começaremos a observar uma introdução em larga escala.

Uma célula a hidrogênio dura tanto quanto uma de notebook?

Não. Muito embora bateria de computador portátil e células a combustível sejam tecnologias complementares, elas não são tecnologias idênticas. E a grande diferença entre qualquer tipo de bateria e a célula de combustível é que a performance de uma célula de combustível é constante, desde que forneça o combustível hidrogênio. A potência teórica é esta: quando acaba o combustível, você enche o tanque de novo e a potência do veículo volta a ser a que era.

E onde você enche o tanque do ônibus a hidrogênio?

Numa estação de abastecimento especial, pois você estará abastecendo com gás a alta pressão, mas não é nada muito diferente do que se vê hoje com o gás natural. Você tem reservatórios de alta pressão, geralmente no teto do ônibus, e você estaciona o ônibus ao lado de uma estação de abastecimento que parece muito com uma bomba de gasolina, você conecta uma mangueira de alta pressão com um bocal muito parecido com aquilo que usa na aviação. A transferência é feita e em oito minutos os tanques estão cheios outra vez.
No Canadá, onde a Ballard desenvolveu essa tecnologia e onde há muitos ônibus a hidrogênio circulando, quanto custa um ônibus?

O preço para a integração de um ônibus com essa tecnologia, hoje, na América do Norte, está na faixa de US$ 1,4 milhão. No Brasil, estamos desenvolvendo, com as Nações Unidas, um programa cujo objetivo é a construção de três protótipos até o fim deste ano. Nesses protótipos, já vamos demonstrar um preço inferior ou muito perto de US$ 1milhão.

Em 4 a 5 anos, nós chegaremos perto de 20% acima do preço de um ônibus a diesel, em 4 a 5 anos, esse preço então estará reduzido à metade?
No mínimo, à metade.

Fonte: Diario do Nordeste
READ MORE - Está chegando o ônibus verde, movido a hidrogênio

DF: Metrô recebe o primeiro trem da nova frota


A frota de metrôs que atende a população do Distrito Federal está sendo renovada. Nesta quarta-feira (30) o governador Rogério Rosso recebeu o primeiro dos 12 novos trens que entrarão em funcionamento até o final de 2011. O novo veículo passará por um período de testes e deve entrar em operação em um mês.
Os veículos são fabricados em aço inoxidável e proporcionam acesso mais fácil aos passageiros. Há ainda adequações específicas aos portadores de necessidades especiais. Os trens possuem quatro carros cada, além de tecnologia avançada com sistema de tração moderno que diminui as falhas técnicas e reduz o tempo de espera nas estações.

Foram investidos R$ 260 milhões na compra dos 12 novos veículos, R$ 50 milhões na modernização da frota antiga e R$ 15 milhões na aquisição de peças. Desta quantia, R$ 260,3 milhões foram financiados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o restante custeado pelo GDF.
Para Rogério Rosso a nova frota chega para atender com qualidade a demanda do DF.“A aquisição de novos trens é um investimento que nos deixa orgulhosos pela melhoria que significam para os usuários do transporte público”, disse. O metrô transporta cerca de 160 mil passageiros por dia e, com a nova frota, a capacidade será duplicada chegando a 300 mil usuários/dia.
Para transportar os passageiros com mais segurança, rapidez e confiabilidade, os novos carros possuem sistema de controle e operação automáticos, o ATC/ATO, que serão responsáveis por executar funções de alinhar, parar, abrir e fechar portas, além de emitir avisos sonoros, sem a atuação do piloto. A este ficam reservadas as funções de monitorar o sistema e executar as manobras nas áreas necessárias.
Com o sistema, o tempo das viagens e de espera nas estações será reduzido. Haverá diminuição no intervalo entre os trens de 4,5 minutos para 3 minutos. A frota antiga também será modernizada e passará a operar sob o controle da operação automática até junho de 2011. A sinalização interna contará com um painel informativo para melhorar a comunicação com os usuários do transporte público. Mensagens de segurança e cidadania serão transmitidas durante a viagem e para prevenir acidentes. Painéis eletrônicos emitirão um alerta de fechamento de portas antes da saída.
O presidente do Metrô/DF, Divino Alves, reforçou que o intuito da aquisição da nova frota é melhorar o transporte do DF. “Precisamos diminuir o sofrimento dos usuários e os novos carros chegam com tecnologia avançada para alcançar nosso objetivo”, explicou.
O secretário de Transportes, Gualter Tavares, ressaltou que o metrô é moderno e seguro. “Ele faz parte do projeto Brasília Integrada e tem como objetivo oferecer serviços com conforto, segurança e rapidez”, detalhou. “As equipes do metrô estão motivadas para garantir a qualidade do serviço prestado”, completou.
Athayde Passos, administrador de Águas Claras, é morador da cidade há dez anos e acredita que a região é a que mais utiliza o transporte no DF. “Somos 70 mil habitantes que moram na cidade motivados pelo metrô”, acredita.
Atualmente, o Metrô/DF conta com 20 trens. O segundo trem da nova frota será entregue em agosto deste ano. A partir de setembro serão entregues dois veículos por mês. A frota chegará a 32 trens até março de 2011 com as novas aquisições.

Serviço ampliado e segurançaCom o intuito de atender as demandas do comércio e dos trabalhadores com jornada noturna, a operação do Metrô será ampliada aos sábados. A partir do próximo dia (3), os trens funcionarão das 6h às 23h30, ao preço promocional de R$ 2,00.
A segurança também será reforçada. Além disso, serão realizados estudos de viabilidade para a instalação de uma Delegacia de Polícia na Estação Shopping para prestar atendimento rápido às ocorrências registradas nas estações e nos trens.

Fonte: Agência Brasília.
READ MORE - DF: Metrô recebe o primeiro trem da nova frota

Rio de Janeiro: Obra de nova passarela do Metrô interdita faixa na Av. Presidente Vargas


Para facilitar a construção da nova passarela de pedestres do Metrô Rio, uma faixa Avenida Presidente Vargas ficará interditada até a meia-noite de 31 de julho. A faixa de rolamento do lado direito da pista lateral, sentido Zona Norte, entre a passarela provisória e a Rua Visconde Duprat, na Cidade Nova será interditada.

Os pontos de ônibus na pista lateral próxima às Brás serão remanejados de acordo com orientação e planejamento operacional de tráfego da CET-Rio.

Fonte: O Dia
READ MORE - Rio de Janeiro: Obra de nova passarela do Metrô interdita faixa na Av. Presidente Vargas

Governo mira empréstimos ao metrô de SP


O governo federal enviou ao Senado pedido de aprovação a empréstimo de US$ 1,533 bilhão para o governo paulista. Os recursos virão do Banco Mundial, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do Japan Bank for International Cooperation (JBIC) e vão financiar obras e equipamentos das Linhas 4-Amarela e 5-Lilás do metrô, além dos projetos Reágua e Microbacias II.

A aprovação do Senado é a condição para que o dinheiro seja liberado. Segundo o secretário adjunto de Relações Internacionais do Ministério do Planejamento, Carlos Eduardo Lampert Costa, as operações precisam ser aprovadas até 3 de setembro em cumprimento à lei eleitoral, que proíbe contratação de empréstimos 90 dias antes da posse do próximo presidente.

Os empréstimos para a Linha 4 fazem parte de um pacote de US$ 697,4 milhões, dos quais US$ 130 milhões são do Banco Mundial, US$ 130 milhões, do JBIC, e US$ 437,4 milhões são contrapartida do governo do estado. O dinheiro será utilizado para construir a Estação Vila Sônia, concluir quatro outras estações e interligar o metrô com outros meios de transporte.

O projeto da Linha 5 envolve empréstimos de US$ 650,4 milhões do Banco Mundial e de US$ 480,9 milhões do BID. Mais US$ 1,354 bilhão sairá dos cofres paulistas, num pacote de US$ 2,485 bilhões. Os recursos externos serão para compra e reforma de trens e para sistemas operacionais.

Fonte: DCI
READ MORE - Governo mira empréstimos ao metrô de SP

Grande Vitória: Melhorias em cinco linhas beneficiam mais de 5 mil usuários


Mais de 5,5 mil usuários do Sistema Transcol estão sendo beneficiados com as melhorias em cinco linhas de ônibus, programadas pela Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória (Ceturb-GV) a partir de solicitações feitas pelas comunidades. As mudanças incluem aumento de viagens em duas linhas de Vila Velha, em outras duas que ligam bairros de Cariacica ao Terminal Carapina, na Serra, e alteração de itinerário no município de Viana.

Moradores da região de ponta da Fruta, em Vila Velha, foram beneficiados com mais ônibus e mais viagens em duas linhas. A linha 613 (Ponta da Fruta / Terminal Itaparica) teve sua frota ampliada de cinco para seis ônibus e os intervalos nos horários de pico reduzidos de 18 para 14 minutos, o que dará mais conforto para os 1,9 mil usuários que a utilizam nos dias úteis.

Os 450 usuários da linha 619 (Balneário de Ponta da Fruta / Terminal Itaparica) também ganharam mais um ônibus, sendo beneficiados com mais cinco viagens e terão de esperar menos nos horários de pico, pois os intervalos serão reduzidos.

As linhas 583 (Nova Rosa da Penha / Terminal Carapina via Contorno) e 595 (A. F. Borges / Terminal Carapina via Porto de Cariacica – BR-101) receberam, cada uma, mais uma viagem nos dias úteis, com partida do terminal às 22h30. Ambas transportam juntas 3,2 mil usuários de segunda a sexta-feira.

Moradores de Viana Sede foram beneficiados com uma mudança de itinerário em algumas viagens da linha 915 (Jucu / Terminal Campo Grande via Nova Belém), que terá novo quadro horário nos dias úteis. Das 40 viagens realizadas diariamente, seis passarão a realizar itinerário pelo bairro.

Fonte: Ceturb
READ MORE - Grande Vitória: Melhorias em cinco linhas beneficiam mais de 5 mil usuários

Ministro das cidades vistoria obras da Trensurb em Novo Hamburgo


Nesta terça-feira, 6, o ministro das Cidades, Márcio Fortes de Almeida, acompanhado do Conselho de Adminstração da Trensurb, da diretoria da empresa e do prefeito de Novo Hamburgo, Tarcísio Zimmermann, vistoriou as obras de extensão da Linha 1 até a cidade, que no mês de junho completou 50% de sua execução.

O grupo visitou o Trecho 2, onde estão localizadas as pontes rodoviária e ferroviária sobre o Rio dos Sinos, com 90% e 92,2% dos trabalhos concluídos, respectivamente. Para Fortes, o andamento da obra é satisfatório. "Não fiquei surpreso com a marca atingida pois venho acompanhando cada etapa concluída. Os resultados alcançados demonstram a rapidez com que está sendo executada, uma vez que começou, não parou mais", disse o ministro, que ressaltou a importância de se manter o cronograma.

Na oportunidade, o prefeito de Novo Hamburgo, Tarcísio Zimmermann, reforçou o diálogo com o diretor-presidente da Trensurb, Marco Arildo Cunha, em relação ao Sistema Integrado do Eixo Norte. "Estamos buscando, junto à Trensurb, condições para a integração do transporte urbano e metroviário na cidade de Novo Hamburgo", disse Zimmermann.

Conforme Marco Arildo Cunha, essa já é uma realidade em São Paulo, Campinas e Canoas, e é importante que seja implantada também em toda a região metropolitana em parceria com os municípios. "O bilhete único permite que se assegure uma tarifa mais baixa e facilite a vida dos usuários que necessitam mais de uma condução", disse Cunha.

Zimmermann também aproveitou para solicitar obras complementares à extensão do metrô, como um trabalho de drenagem e aprofundamento do Arroio Luiz Rau, que frequentemente sofre inundações e a possível construção de uma quinta estação no bairro Industrial. Para Fortes, é necessário analisar a inclusão das demandas no PAC 2.

"Temos preocupação com as áreas de risco e é importante que o usuário tenha comodidade ao se locomover. Analisaremos o projeto para sua inclusão no PAC 2", disse o ministro. Durante a manhã, Fortes presidiu o Conselho de Administração da Trensurb (Consad), que ocorre mensalmente, com a presença da diretoria da empresa e de conselheiros administrativos.

Fonte: Trensurb
READ MORE - Ministro das cidades vistoria obras da Trensurb em Novo Hamburgo

Solidariedade / EMDEC já recebeu 3 toneladas de donativos para vítimas do Nordeste


A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (EMDEC) enviou na manhã desta terça-feira, dia 6 de julho, mais um lote de doações para as vítimas das enchentes que castigaram a região Nordeste do país.
Uma Van com uma tonelada de donativos - entre roupas, sapatos, alimentos não perecíveis, água e brinquedos - foi encaminhada para a Junta de Missões Nacionais da Igreja Presbiteriana do Brasil, na Nova Campinas. Ontem, segunda-feira, dois veículos, com mais uma tonelada de doações cada, também levou o material arrecadado para a Junta. A organização está responsável pelo transporte dos donativos para a Defesa Civil de Alagoas e de Pernambuco.
Nesta terça-feira, a EMDEC também começa a retirar, quando necessário, donativos em empresas. A Escola Eurodata realizou uma Campanha com os alunos e conseguiu arrecadar cestas básicas e roupas.
Já o Posto de Coleta montado na EMDEC vai receber as doações até a próxima quinta-feira, dia 8 de julho. A Junta das Missões reforça a necessidade de roupas íntimas novas (masculinas e femininas), água, alimentos não perecíveis e material de higiene pessoal e limpeza.
A EMDEC fica na Rua Dr. Salles Oliveira, 1.028, na Vila Industrial. O acesso pode ser feito pela portaria de pedestres, ou pela portaria de veículos O atendimento é das 8 às 17 horas. Para retirar as doações em empresas, o telefone para contato é o (19) 3772-4050.

Fonte: EMDEC
READ MORE - Solidariedade / EMDEC já recebeu 3 toneladas de donativos para vítimas do Nordeste

Sorocaba: Fim de semana prolongado terá dois dias com passagem de ônibus a R$ 1,00


Na próxima sexta-feira, dia 9 de julho, quando é comemorado o Dia da Revolução Constitucionalista, e também no próximo domingo, dia 11, a passagem de ônibus - para quem tem o cartão social - custará apenas R$ 1,00.

A redução no valor da tarifa é possível graças ao programa “Domingão”, lançado pela prefeitura em dezembro de 2007 e que concede o desconto na passagem aos domingos e feriados. A Urbes – Trânsito e Transportes destaca que aqueles usuários que ainda não têm o cartão social podem retirá-lo nas bilheterias dos dois terminais urbanos e nas unidades da Casa do Cidadão, onde é preciso apresentar um documento de identidade e adquirir dois créditos.

O cartão social é de uso contínuo, ou seja, um único cartão pode ser usado por toda a família durante a mesma viagem. Os créditos são descontados no validador de acordo com o número de passagens pela catraca.

Os técnicos da Urbes orientam os usuários a consultar a tabela horária da sua linha. As consultas podem ser feitas aqui pelo site www.urbes.com.br e pelo telefone 118.

Fonte: Urbes
READ MORE - Sorocaba: Fim de semana prolongado terá dois dias com passagem de ônibus a R$ 1,00

Automóvel é o maior vilão do trânsito


Não há como negar que a desorganização do transporte público urbano, com linhas mal distribuídas e muitas vezes sobrepostas, está na raiz dos congestionamentos diários nas principais vias de Belém. Os ônibus, porém, não são os únicos e nem mesmo os maiores vilões do trânsito da capital paraense. Eles são minoria, pelo menos numericamente, nos congestionamentos de todos os dias. É o que aponta estudo elaborado pela Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) para o projeto Ação Metrópole. Nele, os carros particulares, com média baixíssima de ocupação, aparecem como responsáveis por 66% do fluxo de veículos. O dado é referente a medições diárias na avenida Almirante Barroso.
O relatório final do Estudo Preparatório para o Projeto de Sistema de Transporte de Ônibus da Região Metropolitana de Belém (RMB) aponta que nos horários de pico da manhã, os ônibus, microônibus, vans e kombis - ou seja, carros que fazem transporte coletivo - representam apenas 14,7% dos veículos que circulam na avenida Almirante Barroso, uma das três incluídas na pesquisa. Carros particulares e táxis são 61,9%.
A diferença é ainda mais brutal quando se leva em conta o número de passageiros que os carros conseguem deslocar. Os coletivos carregam 87% das pessoas que transitam pela avenida Almirante Barroso entre 7 e 8 horas; os carros particulares, com média de ocupação de 1,6 passageiro cada, levam e trazem apenas 10,3% das pessoas.
"Se a gente observar os carros nas ruas, grande parte deles circula vazia, apenas com o motorista", afirma o diretor de Projetos da Companhia de Transportes do Município de Belém (Ctbel), Onofre Veloso, um dos responsáveis pelo planejamento do trânsito nas vias da capital. "Não é só um problema nosso, de Belém. Não existe espaço nas cidades grandes de hoje para tanto automóvel. A gente não consegue controlar. Há uma facilidade de financiamento muito grande. Basta lembrar o ano passado. No primeiro sinal de crise, o governo baixou o imposto e deixou mais fácil comprar o carro", argumenta.
"É um problema complexo, que passa fundamentalmente pela valorização do transporte coletivo. Se existir um ônibus de qualidade, a pessoa faz a troca, deixa o carro em casa e vai de ônibus. É o que acontece em São Paulo, em Curitiba, em outras capitais no mundo, e é o que propõe o projeto Ação Metrópole", continua. O número de ocupantes por carro pode ser calculado a partir do número de veículos nas vias e o número de pessoas transportadas. Por esta conta é possível constatar que para cada dois carros, há apenas três pessoas sendo deslocadas - enquanto um ônibus comum poderia transportar mais de 60 pessoas.
É simples visualizar como a situação é problemática: os 60 passageiros sentados do ônibus precisariam de 40 carros para seguir viagem - o bastante para ocupar um quarteirão inteiro da avenida Almirante Barroso. A qualidade baixa do serviço de transporte público, a insegurança e até o clima são apontados como prováveis motivos para a preferência pelo automóvel particular.

Fonte: O Liberal
READ MORE - Automóvel é o maior vilão do trânsito

TCDF constata precariedade no transporte coletivo de Brasília


A radiografia do transporte público em palavras. "O que me incomoda é a superlotação dos transportes, as más condições dos veículos", reclama um usuário do sistema Das viagens previstas, 23% não saem no horário. "Às vezes, a gente fica mais de meia hora, uma hora, esperando e ainda vem cheio", afirma uma mulher.

A falta de conforto também chama a atenção. Mais da metade dos terminais visitados não tem condições de receber o passageiro. É o que acontece em Samambaia Norte, onde o único banheiro não tem vaso. "Esse mau cheiro e a gente é obrigado a usar. A gente só tem ele, não tem outro banheiro", fala o motorista Cícero Muniz Pereira.

Faltam coberturas para abrigar os passageiros. "Não tem nada, é uma bagunça, um lameiro. Hoje está muito bom, só tem poeira. Quando chove fica pior do que hoje", fala a dona-de-casa Inácia Lucena. Faltam tabelas com horários dos ônibus e segurança. “Ontem uma menina foi assaltada. Bateram até na casa do motorista. Polícia mesmo não tem”, relata o motorista Lucimar Seabra.

No Terminal Sul de Samambaia, o problema é mais grave. Lá os ônibus estacionam na terra. “É muito buraco. O terminal praticamente não existe”, acredita o motorista Alexandre Souza. A pesquisa mostrou que a frota é velha e mesmo assim continua circulando. Falta fiscalização.

A pesquisa do Tribunal de Contas confirma o que passageiros reclamam há muito tempo: os problemas se arrastam e o governo não resolve as questões. Hoje, em vez de apontar soluções, o GDF informou apenas que os dados do levantamento serão usados na auditoria que começou a ser feita no sistema depois da última greve geral, há duas semanas.



Fonte: DFTV
READ MORE - TCDF constata precariedade no transporte coletivo de Brasília

Justiça condena Consórcio Siga a restituir usuários do transporte coletivo de Blumenau


O juiz de direito da Vara da Fazenda Pública de Blumenau, Osmar Tomazoni, condenou o Consórcio Siga a restituir os usuários do transporte coletivo os valores pagos a mais durante os seis dias em que foi cobrado o reajuste, em fevereiro deste ano. A sentença foi divulgada nesta segunda-feira à noite.

O Decreto nº 9.102, de 3 de fevereiro que determinava o aumento da passagem de R$ 2,30 para R$ 2,55 e instituía a tarifa embarcada, foi anulado pelo juiz. Apesar da sentença em primeira instância, a medida só será executada quando não couberem mais recursos no processo.

A decisão ainda passará por reexame no Tribunal de Justiça. Somente após todos os recursos - se existirem - forem julgados, é que as determinações do juiz Tomazoni serão executadas. Isso se a sentença de primeira instância não for anulada ou modificada. Enquanto o processo não é encerrado em definitivo, a liminar que suspendeu os efeitos do decreto do aumento da tarifa segue vigorando.

READ MORE - Justiça condena Consórcio Siga a restituir usuários do transporte coletivo de Blumenau

DF: Rodoviários se reúnem com empresários e desistem de greve


Após reunião com os empresários nesta segunda-feira (5/7), os rodovários decidiram por não aderir à greve, ameaçada para amanhã (6/7). De acordo com o diretor financeiro do Sindicato dos Rodoviários, Saul Araújo da Silva, os empresários se comprometeram a pagar a diferença dos salários na próxima quinta-feira (8/7).

O motivo para a nova paralisação, segundo a categoria, seria o descumprimento do acordo fechado com as empresas, que estabelece um aumento de 9% no salário dos motoristas e cobradores.Segundo Saul, os empresários explicaram que não rodaram a folha com o reajuste. "Depois da nossa ameaça eles disseram que irão calcular tudo novamente e, na quinta, pagarão a diferença. Com esse compromisso, optamos por não paralisar os serviços", explicou o diretor financeiro.

De acordo com ele a diferença será retroativa a maio.O presidente do Sindicato dos Rodoviários, João Osório, antecipou ao Correio, porém, que o impasse deverá ocorrer nos próximos meses. "Os patrões alegaram que não terão como arcar com o reajuste nos próximos meses caso as novas regras do passe livre entrem em vigor. Se isso ocorrer, vamos ter paralisação novamente, ameaçou Osório.

Por meio de sua assessoria, o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo do Distrito Federal informou que não iria comentar a informação dada por João Osório.

READ MORE - DF: Rodoviários se reúnem com empresários e desistem de greve

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960