Na Grande Recife, Passageiros de Paulista reclamam do terminal Pelópidas Silveira

segunda-feira, 22 de março de 2010


Toda manhã, os passageiros que chegam ao Terminal de Integração Pelópidas Silveira, em Paulista, vivem o drama das longas filas para ir ao trabalho. Existem filas com tanta gente que chega a fazer uma curva. Quem está quase nas últimas posições, só tem queixas.“A Grande Recife não está organizada. As pessoas ficam ali, e não tem fiscal para organizar. O ônibus leva 20 minutos para chegar”, falou a técnica de enfermagem Ednalva Ramos.

Quando o ônibus chega, é um sufoco. Quem quer ir sentado, espera o próximo veículo, mas quem não faz questão de ir em pé se espreme para não perder a viagem. Os passageiros reclamam por serem quase obrigados a viajar assim. “Às vezes só falta sair tapa aqui. Tem que se manter fila, se respeitar. Mas a gente tem hora pra chegar”, contou o operador de informática Clayton Brayner.

"Ninguém merece ir trabalhar já se estressando de manhã", disse a funcionária pública Ruth Mocock. Em algumas paradas, o Grande Recife Consórcio de Transporte tem pessoal de apoio para controlar as filas. Mas eles não são suficientes para todas as linhas. Quando eles liberam o pessoal que vai em pé. É um empurra-empurra para conseguir entrar no ônibus.

De acordo com o Grande Recife, as linhas que passam pelo terminal Pelópidas Silveira têm intervalos que variam de 5 a 15 minutos nos horários de maior movimento. O consórcio também vai avaliar a operação de linhas como Paulista/ Expresso e Paulista/PE-15 para melhorar o atendimento.

No terminal trabalham seis orientadores de fila e um supervisor - um número considerado suficiente pelo consórcio, que pediu que os passageiros contribuam com a fiscalização - nada de furar as filas. O telefone da ouvidoria para fazer reclamações é 0800.081.0158.

Fonte: PE360Graus.com

READ MORE - Na Grande Recife, Passageiros de Paulista reclamam do terminal Pelópidas Silveira

PAC 2 vai dar prioridade a investimentos em transporte urbano, diz ministro das Cidades


O ministro das Cidades, Marcio Fortes, disse nesta segunda-feira (22) que a segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento, o chamado PAC 2, terá grande ênfase na área de transportes e mobilidade urbana. A afirmação foi feita durante 5º Fórum Mundial Urbano das Nações Unidas, no Rio de Janeiro.

Segundo o ministro, os investimentos em habitação e saneamento vão continuar, mas é importante complementá-los com a melhoria dos transportes urbanos. De acordo com ele, não adianta construir moradias se as pessoas que forem residir na periferia não tiveram condições de usufruir os equipamentos das cidades. “Eles [os moradores] têm que circular, têm que ter possibilidade de ir ao local de trabalho, ao local de diversão, a um hospital”, disse Fortes, ressaltando que haverá também recursos para contenção de encostas.

Ao comentar o estudo divulgado na semana passada pelas Nações Unidas, que mostra que há 26% de brasileiros vivendo em condições precárias, Fortes disse que o Brasil continuará trabalhando para reduzir o déficit habitacional.

Ele afirmou que o déficit habitacional brasileiro, que durante muito tempo ficou estacionado em torno de 8 milhões de domicílios, começou a cair a partir de 2006. Em 2008, chegou a 5,8 milhões.

Fortes ressaltou que o problema das favelas brasileiras não será resolvido com remoção de moradores dessas áreas para outras, mas com a melhoria das condições das comunidades carentes do país. Segundo ele, a regra no Brasil é apenas remover as casas em áreas de risco de enchentes e de deslizamentos de encostas.

Fonte: Agência Brasil

READ MORE - PAC 2 vai dar prioridade a investimentos em transporte urbano, diz ministro das Cidades

DF: Greve no Metrô confirmada


Após cinco horas de reunião entre a comissão de negociação dos metroviários, a diretoria do Metrô-DF e o Governo do Distrito Federal (GDF), a categoria decidiu pela greve. Segundo a diretora de relações sindicais, Marcelli Motta, o GDF manteve a proposta, que foi recusada. "Vamos esperar agora o GDF marcar uma nova reunião. Vamos começar do zero.". Segundo ela, o metrô vai funcionar com 30% do efetivo.

De acordo com a assessoria do Metrô-DF, a única diferença na proposta do GDF foi a possibilidade de ser paga uma gratificação de R$ 64 para os empregados de operação e manutenção que trabalham na linha. Ela ainda não sabe se o metrô vai funcionar nesta terça-feira (23/3) e informou que a etapa de negociação, intermediada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), terminou nesta segunda-feira (22).

Os metroviários vão se reunir às 20h na Praça do Relógio. "Será definido como o metrô funcionará e vamos repassar para a categoria o que foi discutido na reunião", explica Marcelli.

  • Proposta
- A proposta do GDF é de reajsute progressivo de 6,5% mais a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e R$ 592 referentes ao vale-alimentação. A categoria só pretende acabar com a mobilização se houver uma oferta de aumento salarial de 60%.

Fonte: Correio Brasiliense

READ MORE - DF: Greve no Metrô confirmada

Metrô e Sabesp firmam parceria e chamam atenção para o Dia Mundial da Água


Durante a semana serão oferecidos copos de água à população que utiliza os bicicletários do Metrô
Neste Dia Mundial da Água, 22, o Metrô e a Sabesp firmaram parceria para oferecer água à população que utiliza os bicicletários do Metrô.Incentivando a prática regular da atividade física e a melhoria da qualidade de vida, no período de 22 a 28 de março, serão distribuídos copos de água aos usuários dos bicicletários.

O Metrô possui 15 bicicletários, resultado de uma parceria com o Instituto Parada Vital, com patrocínio da Porto Seguro, empresas comprometidas com a qualidade do ar e a sustentabilidade do planeta.

Os bicicletários do Metrô se localizam nas estações Vila Mariana, Liberdade, Armênia, Santana, Paraíso, Vila Madalena, Palmeiras/Barra Funda, Marechal Deodoro, Santa Cecília, Anhangabaú, Sé, Brás, Carrão, Guilhermina/Esperança e Corinthians/Itaquera, e funcionam das 6h às 22h para estacionamento e empréstimo de bicicletas.

  • Sobre o Dia Mundial da Água
O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) em 22 de março de 1992. Hoje, a data é destinada à discussão de diversos temas relacionados a esse bem natural essencial para a vida.
Esta foi a forma encontrada pela ONU para chamar a atenção para a importância da preservação da água, despertando um momento de reflexão e análise de como o ser humano consome os recursos naturais de forma indiscriminada.
A data também buscar conscientizar a população mundial para a elaboração de medidas práticas que possam auxiliar na resolução do problema da poluição das águas.
Apenas cerca de 0,008% de toda a água do planeta é própria para o consumo, e em função de ações predatórias como desperdício, poluição e contaminação dessas reservas, grande parte da população mundial poderá sofrer de falta de água potável num futuro próximo.

Fonte: Governo do Estado
READ MORE - Metrô e Sabesp firmam parceria e chamam atenção para o Dia Mundial da Água

Prefeitura de Niterói adota medidas para o trânsito do Corredor Metropolitano


A revisão do tempo dos sinais luminosos ao longo do Corredor Metropolitano será uma das principais medidas adotadas pela Prefeitura de Niterói, através da Niterói Transporte e Trânsito, para evitar as retenções ocorridas nesta segunda-feira. Pelo menos 11 agentes munidos de radio, com duas motocicletas e viatura de apoio, estarão posicionados ao longo do Corredor Viário, desde o início da manhã, para monitorar o trânsito. O principal objetivo é orientar os motoristas no Corredor e vias adjacentes que compõem as alças de retorno da Alameda São Boaventura.
No primeiro dia útil de operação do sistema de via exclusiva para o transporte coletivo, a lentidão do trânsito foi agravada pela dificuldade enfrentada pelos ônibus em acessar a faixa exclusiva no trecho da Caixa D’água (RJ-104), fato que será evitado com a orientação dos condutores dos coletivos para que procurem se manter à esquerda, antes de chegarem à Alameda.
A capacidade de fluidez dos ônibus, através da faixa exclusiva, foi verificada pelo Presidente da NitTrans, Sergio Marcolini, que pretende agilizar a operação de embarque e desembarque de passageiros nas estações, para continuar diminuindo o tempo do percurso do transporte coletivo, principal objetivo do novo Corredor Viário. A adaptação dos usuários – motoristas e passageiros – às mudanças também é uma condição considerada importante para a melhoria da fluidez do trânsito.
Mais de 100 mil cartilhas com todas as informações para condutores, passageiros e pedestres serão distribuídas para orientação dos usuários. Desde a semana passada, milhares dessas cartilhas já haviam sido entregues na região do Fonseca. As estações de passageiros estão devidamente adesivadas com as informações sobre as linhas em circulação e os pontos certos de paradas e destino dos ônibus que trafegam pela via exclusiva.

Fonte: Revista Niteróimais




Video: G1
READ MORE - Prefeitura de Niterói adota medidas para o trânsito do Corredor Metropolitano

Aparelhos GPS irão controlar fluxo do transporte coletivo de Ribeirão Preto


Permissionárias e a Transerp irão controlar os horários dos ônibus, vans e micro-ônibus do transporte público de Ribeirão Preto, através do monitoramento via GPS. Os aparelhos serão instalados daqui a cinco meses.
O sistema irá controlar, em tempo real, o trajeto percorrido, paradas, atrasos de cada linha e a velocidade dos ônibus. Antes a fiscalização era feita manualmente.
O monitoramento por GPS já é feito em capitais como São Paulo. O investimento irá custar 430 mil reais, e a manutenção dos GPS aproximadamente 43 mil reais.

Fonte: InfoGPS
READ MORE - Aparelhos GPS irão controlar fluxo do transporte coletivo de Ribeirão Preto

Ônibus do transporte coletivo voltam a circular após seis dias em Serra Negra


Depois de seis dias sem transporte coletivo, Serra Negra voltou a contar com o serviço nesta segunda-feira (22). A prefeitura fez a contratação emergencial da empresa Metrópoles, que vai substituir a Viação Gaivota.
Nesta segunda-feira, 12 veículos da nova empresa fizeram as mesmas linhas e horários do transporte urbano. Depois de negociação com o sindicato, os motoristas foram contratados pela empresa Metrópoles, de Jaguariúna, que vai operar emergencialmente nos próximos 90 dias, até que seja feita nova licitação para o serviço.
O transporte urbano foi interrompido na terça-feira (15), depois que a Gaivota teve três veículos apreendidos por problemas na documentação.
Dois ônibus da prefeitura foram colocados para atender os estudantes, mas a falta de transporte prejudicou a população. Diariamente, cerca de quatro mil pessoas utilizam o transporte coletivo.
O responsável pela Viação Gaivota, Ivan Donizete Beguine, acredita que a prefeitura errou ao abrir um nova concorrência de transporte na cidade, já que a empresa tinha o contrato de prestação de serviços por mais seis meses. Ele promete entrar com uma ação na Justiça.

Fonte: EPTV
READ MORE - Ônibus do transporte coletivo voltam a circular após seis dias em Serra Negra

Cidade de Piracicaba terá 15 novas estações de conexão

Pensando no conforto dos usuários do sistema coletivo de ônibus, a Prefeitura abrirá no próximo dia 29, licitação para implantar, a partir deste semestre, mais 15 novas Estações de Conexão, cuja proposta é incentivar o uso da integração temporal. O pacote também contempla a colocação de 30 novos abrigos e mais 100 bancos. O investimento previsto é de cerca de R$ 300 mil.
Neste mês, a Semuttran inicia a instalação de 15 novas estações adquiridas no ano passado. De 2005 a 2009 foram instalados 200 abrigos e 57 estações de conexão de ônibus, com investimento de R$ 900 mil. No final deste semestre, a cidade terá 72 estações.
A estrutura de cada estação é de alumínio e com cobertura de policarbonato e bancos, nas dimensões de 10 metros de comprimento por 2,5 metros de largura. Os projetos também prevêem a construção de recuos para a parada de ônibus.
O secretário de Trânsito, Paulo Prates, explica que para a implantação das estações, os técnicos do Semuttran avaliarão os destinos das linhas de ônibus que trafegam pela região e a demanda de deslocamento de viagem dos passageiros que utilizam estas linhas. Locais como as avenidas Cássio Paschoal Padovani, Monsenhor Martinho Salgot, 1º de Agosto, próximo à passarela da Belgo e nas proximidades da Faculdade de Odontologia devem ser contemplados com os novos equipamentos.
Vanderlei Antonio Quartarolo, responsável pelo setor de Planejamento de Transportes da Semuttran, explica que as estações de conexão são pontos de ônibus em melhores condições de conforto para o usuário e uma referência para utilizar a integração temporal. Por estas estações passam linhas que seguem para diferentes destinos, evitando que o usuário de transporte público tenha a obrigatoriedade de se deslocar até os terminais para usufruir da gratuidade da integração temporal. Com apenas uma passagem o usuário fez a integração, sem a necessidade de se locomover até o Terminal Central, detalha.
Em relação aos novos abrigos, Quartarolo afirmou que também serão instalados em vias de grande circulação de pessoas e as avenidas Rio das Pedras e Dois Córregos e área central, serão beneficiados com o equipamento. Os 100 bancos serão colocados nos antigos abrigos de ônibus que não contam com assentos, facilitando a vida das pessoas idosas, mães com crianças de colo e pessoas com dificuldade de locomoção.

Fonte: JusBrasil

READ MORE - Cidade de Piracicaba terá 15 novas estações de conexão

Boa Vista: Motoristas de ônibus participam de cursos de qualificação


Melhorar a qualidade do serviço de transporte coletivo é a principal meta do curso de capacitação, que está sendo realizado com os motoristas da empresa de ônibus Viação Cidade de Boa Vista. Aproximadamente 90 profissionais participaram dos treinamentos, que foi divido em quatro etapas.
Nesta primeira fase, os motoristas estão recebendo orientações sobre a segurança no ambiente de trabalho, tais como: postura, direção defensiva, ponto cego dos veículos, parada e saída de paradas de ônibus e cuidados em dias chuvosos. Casos específicos também estão sendo abordados, como a forma mais segura de dirigir no Centro Cívico de Boa Vista.
“É necessário sempre trocarmos experiências com os motoristas sobre casos do cotidiano, pois assim podemos direcionar e melhorar nosso material de treinamento continuado”, explicou Sebastião França, instrutor da empresa Viação Cidade de Boa Vista.
A realização de cursos de reciclagem para os profissionais de transporte coletivo é uma recomendação da Emhur (Empresa de Desenvolvimento Urbano e Habitacional), e de acordo com o presidente Frankembergen Galvão, a Prefeitura de Boa Vista está atuando com o intuito de garantir a qualidade do serviço prestado à população.
“Nossa intenção é de que o usuário de transporte coletivo se sinta seguro ao utilizar o serviço. Esses treinamentos contribuem significativamente para que os motoristas possam estar sempre atualizando informações que são importantes para a sua própria segurança e para o conforto de todos”, destacou Galvão.
A segunda etapa do treinamento, será realizada a partir da segunda-feira, 22, consiste em aulas práticas com os motoristas dentro do veículo. Serão abordados assuntos como: equipamento obrigatórios de segurança, respeito às sinalizações de trânsito e conhecimento do veículo.
Há seis anos trabalhando na empresa, Antonio de Souza Ramos, 34, comentou sobre a importância das atividades de reciclagem realizadas com os profissionais que atuam no transporte coletivo. Ele disse que a releitura do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) está sendo o assunto mais discutido.
“Precisamos sempre renovar nossos conhecimentos a respeito das leis e compartilhar com os colegas, pois assim, podemos evitar muitas situações de risco”, frisou o motorista.
Na terceira e quarta fase do curso será abordado o Regulamento Interno da empresa e o tema Atendimento ao Cliente, respectivamente. Na última parte a empresa convidou um portador de necessidades especiais para conversar com os profissionais sobre as dificuldades enfrentadas na utilização do transporte coletivo.

Fonte: Roraíma em Foco
READ MORE - Boa Vista: Motoristas de ônibus participam de cursos de qualificação

Em São Paulo, Passagens de ônibus intermunicipais já estão 4,19% mais caras


Desde a zero hora desta segunda-feira (22), as tarifas dos ônibus intermunicipais rodoviários do estado de São Paulo estão 4,19% mais caras. Já o valor das passagens das linhas suburbanas ficou 4,22% maior. O reajuste vale para as linhas do estado, exceto as que operam dentro das regiões metropolitanas.
As linhas rodoviárias utilizam predominantemente rodovias e os passageiros só podem viajar sentados. Já as linhas suburbanas circulam em vias de regiões metropolitanas, incluem paradas em seus trajetos e utilizam catraca para a cobrança das passagens.
Quem se adiantou e comprou os bilhetes até o último dia 21 pagou o valor sem reajuste. Os bilhetes para as linhas rodoviárias podem ser comprados com data em aberto e são válidos pelo período de um ano, de acordo com a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo).

Reajuste
Segundo a agência, os índices aplicados ficaram abaixo da inflação do período, que ficou em 4,31%, de acordo com o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).
A Artesp esclarece que os reajustes representam a composição dos custos operacionais das empresas que atuam no setor, e levam em conta as varições de custos administrativos, autopeças, pneus e outros itens que oneram a manutenção dos veículos.
Ainda assim, os índices ficaram abaixo dos reajustes de salários da categoria, que ficaram em 7%, das recapagens de pneus, que ficaram 8,5% mais caros, e dos preços dos pneus novos, que subiram 4,09%.
Os chassis dos ônibus rodoviários e a carroceria dos ônibus suburbanos também sofreram aumento no período, de 4,55% e 9,42%, na ordem.
  • Mais ônibus
    De acordo com a Artesp, 228 veículos novos para o transporte intermunicipal foram incluídos na frota no ano passado.

Fonte: MSN

READ MORE - Em São Paulo, Passagens de ônibus intermunicipais já estão 4,19% mais caras

Em São Luís, Atraso nos ônibus e insegurança preocupam


A série “Transporte Público” traz a sua segunda reportagem. Desta vez, fomos conferir como anda a satisfação dos usuários de transporte coletivo dos bairros que se localizam no entorno da região da Cohama.

A população da região que é composta por seis bairros (Vinhais, Angelim, Bequimão, Recanto Vinhais, Cohafuma. Cohajap e Cohama) é atendida por duas empresas de transporte coletivo: as empresas Viação Primor Ltda. e a Expresso Rodoviário 1001 Ltda., que juntas transportam mais de um milhão de passageiros por mês em 15 linhas de ônibus, sendo 12 da Viação Primor e três da Expresso 1001.

A Viação Primor atua em São Luis há 27 anos, e além da região da Cohama, atende também outros bairros da capital, como Monte Castelo, Liberdade, Bom Milagre, Fé em Deus, entre outros. A empresa conta com 34 linhas de ônibus atendendo a população ludovicense.

Também atuando há 27 anos na capital maranhense, a Expresso 1001 atende, além dos bairros da região do entorno da Cohama, bairros como Olho d’Água, Forquilha e Cohab.

Reclamações

As principais queixas apresentadas pelos usuários estão relacionadas ao atraso de ônibus, ou à demora entre um e outro. As inseguranças nas paradas e dentro dos ônibus, além do aumento nas tarifas também são alvo das reclamações.

O jovem Josevaldo Pison, de 23 anos, é morador do Recanto Vinhais mas necessita pegar ônibus todos os dias para ir ao trabalho. Ele reclama que o bairro conta apenas com dois ônibus e que isso atrapalha a vida de todos os usuários dos coletivos.“Como são só dois ônibus, sempre chegamos atrasados aos nossos compromissos. Ficamos horas na parada esperando”, queixa-se.

Já para os moradores da Cohama, apesar de os ônibus terem um estado de conservação razoavelmente bom, o atraso dos ônibus em qualquer horário do dia é a maior dificuldade encontrada.“Chego a levar 45 minutos ou mais da Cohama ao Centro. Atrapalha toda a minha vida. E isso é em qualquer hora do dia, seja às 7h da manhã, quando o trânsito está mesmo congestionado, ou às 10h do dia. O problema é mesmo a lentidão dos ônibus”, opina o estudante universitário Ivan Sousa, de 21 anos, morador da Cohama.

No bairro do Ipase, a reclamação está mais voltada para a insegurança com que os usuários convivem diariamente, seja nas paradas ou mesmo no interior dos próprios ônibus.

A agente de saúde e moradora do bairro Ozani Carvalho, de 51 anos, disse que já presenciou alguns assalto a coletivos e que conhece pessoas que foram assaltadas por ladrões “especializados” em roubar passageiros em paradas de ônibus.

Fonte: O Imparcial online
READ MORE - Em São Luís, Atraso nos ônibus e insegurança preocupam

Paradas de ônibus depredadas e sujas são cenas constante nas cidades do DF

Fim do dia em Brasília. As paradas de ônibus estão lotadas de pessoas ansiosas para chegar em casa. O desconforto é grande. Estruturas pequenas impossibilitam a permanência da grande quantidade de passageiros embaixo da proteção. Os bancos são insuficientes para tenta gente. Alguns pontos não têm teto. As paradas estão sujas, pichadas e tomadas de papéis de propaganda. Algumas estão mofadas, com infiltrações e correm o risco de desabar. Nenhuma parada tem informação para o passageiro de primeira viagem, que é obrigado a se consultar com o dono da banca de jornal ou o camelô.
O Distrito Federal conta hoje com 3.948 pontos de ônibus. Desses, 2.549 contam com a armação de concreto e 889 são apenas placas de trânsito. O DFTrans, órgão ligado à Secretaria de Transportes e responsável pelos pontos, promete 450 novas paradas de concreto até agosto deste ano. O padrão de concreto armado e pré-fabricado em formato de um “L” de cabeça para baixo será mantido. “Quando chove, a laje inclinada leva a água para trás. Assim, a manutenção efetiva é mais barata”, explicou o gerente de Planejamento e Projetos do DFTrans, Jorge Luís Miranda Nazaré.
Santa Maria ganhou novas paradas de ônibus há aproximadamente dois meses. Os pontos do Sudoeste e da Área Octogonal são, aos poucos, revitalizados. Manteve-se o padrão, mas a área construída foi triplicada e duas rampas de acesso a portadores de deficiência física, instaladas. A doméstica Zenira Barbosa de Sousa, 43 anos, aprovou a reforma do ponto da Estrada Parque Taguatinga nas proximidades da Octogonal. “Antes, chovia dentro da parada, molhava todo mundo. Agora, além de mais bancos para sentar, estamos mais seguros”. Durante esta semana, o Correio percorreu as ruas do DF e identificou vários casos de degradação das paradas de ônibus.
  • Apenas uma placa indicativa
- Em vários pontos do DF, a parada de ônibus é identificada apenas por uma placa. Sem cobertura, estrutura de proteção, iluminação ou bancos, os passageiros ficam nas calçadas. Na maioria dos casos, não há recuo para o veículo parar e ele ainda atrapalha o trânsito na via. Os moradores do Setor P Sul, em Ceilândia, passam por essa situação diariamente. A realidade se repete na Via Estrutural, onde poucas paradas contam com a cobertura.Em frente à Cidade do Automóvel, uma placa na beira da via reúne passageiros que trabalham nas concessionárias e nas lojas de carro no fim do dia. Ali não tem calçada, recuo para o ônibus, ou qualquer estrutura para o passageiro. Todos se equilibram no meio-fio, ficam na grama, e, quando veem o ônibus, têm de ir até o meio da pista —, cuja velocidade é de 80km/h — para acenar.“Aqui é a única alternativa. A outra parada é muito longe e morremos de medo de um carro desgovernado nos atingir na beira da pista”, disse o ajudante de pedreiro Geraldino Monteiro da Silva, 60 anos. O pedreiro Ivanildo Ferreira Sousa, 43 anos, acrescentou: “E tem ônibus que nem para por ser perigoso e pela falta de sinalização. Mas aqui também é parada de ônibus e precisar voltar para casa”.
  • Iluminação precária
Por volta das 19h, as paradas de ônibus desaparecem no breu da W3 Norte. Mesmo com os postes acesos, os passageiros sofrem com a pouca luz. As paradas de concreto armado não têm iluminação própria. Quando as lâmpadas das vias públicas queimam ou simplesmente não acendem, o jeito é aproveitar os faróis dos carros ou a luz do comércio mais próximo.Modernos, os pontos de vidro fumê contam com lâmpada na parte interna da estrutura que colabora com a segurança dos passageiros. O receio de ficar na parada de ônibus depois do escurecer é comum em todo o DF.A auxiliar de farmácia Adriana Souza, 29 anos, chega à parada da 503 Norte por volta das 19h. O ônibus para Brazlândia costuma passar às 19h40. Enquanto espera, no escuro, ela abraça a bolsa com força e fica quieta no banco para não chamar a atenção. “Tem dia que todo mundo pega ônibus e eu fico aqui sozinha, no escuro”, contou.Para fugir dessa situação, Adriana costuma pegar um ônibus para a Rodoviária do Plano Piloto antes de ir para casa. Ela gasta mais dinheiro com passagem, mas garante que vale a pena pela segurança. “É mais claro e mais movimentado”, disse.
  • Propaganda e pichações
No início do ano, as paradas de ônibus da W3 Sul estavam pintadas de branco. Mas hoje, o cenário é diferente. As estruturas de tijolo e concreto estão tomadas por pichações e cartazes de propaganda. Alguns passageiros preferem esperar o ônibus em pé a sentar nos bancos. “Quando estou muito cansado e tenho que sentar, coloco um jornal em cima do banco. É tudo muito sujo”, reclamou o pintor Anézio Alves de Almeida, 28 anos. Ele sugeriu a pintura de grafite nas paradas de ônibus para evitar a ação de vândalos e deixar a cidade mais bonita. “Você percebe que onde tem uma arte bonita, ninguém picha em cima”, disse.Osvaldo Lima de Almeida, 22 anos, também fica incomodado com a sujeira. No caso do ponto de ônibus da 503 Sul, ele ainda reclamou da situação da calçada. Próximo à parada, pedaços inteiros do piso estavam arrancados. Algumas partes ficaram pelo meio do caminho. “É perigoso. Alguém que corre aqui prestando a atenção no ônibus pode torcer o pé”, comentou o morador do Itapoã. O amigo acrescentou: “Além disso, o buraco vira uma verdadeira lama com a quantidade de água e barro”.

  • Estrutura em más condições
Pode ser em áreas afastadas ou no coração da cidade: os moradores de Taguatinga sofrem com as más condições das paradas de ônibus em todos os lugares. Os maiores problemas são encontrados nas estruturas de concreto. No ponto próximo à C-12, na Avenida Helio Prates, os passageiros evitam ficar embaixo da laje. Com mofo, ferros à mostra e rachaduras, o medo da estrutura desabar é iminente.
Quem depende do transporte público ainda sofre com a chuva. “Quando chove, molha mais embaixo da parada do que do lado de fora. Somos obrigadas a nos proteger sob o toldo da loja”, reclamou a costureira Deuzinete de Aquino Lopes, 60 anos, moradora do Gama.Na QNH 11, o banco de concreto teve de ser apoiado em uma pedra para não cair.
Em frente ao Estádio Serejão, a parada de ônibus não tem cobertura. “O vento levou uma parte do teto no início do ano passado. Depois, algumas pessoas terminaram de quebrar”, contou o auxiliar de supermercado Edvan da Cunha Prado, 26 anos. Quem espera ônibus ali é obrigado a se proteger do sol e da chuva embaixo da passarela de pedestres. “Falta banco e informação. Alguns ônibus nem param aqui porque pensam que não é ponto de espera”, contou Edvan.

Fonte: Correio Brasiliense

READ MORE - Paradas de ônibus depredadas e sujas são cenas constante nas cidades do DF

Corredor Sumaré-Campinas inicia operação em faixa exclusiva com duas novas paradas

Passam pela Avenida Lix da Cunha, diariamente, 51 linhas intermunicipais

As linhas de ônibus metropolitanas e municipais que utilizam a avenida Lix da Cunha, em Campinas, passam a trafegar, a partir deste domingo, 21, no Corredor exclusivo para ônibus implantado pela EMTU/SP.
A faixa exclusiva conta com duas novas paradas, Balão do Tavares e Alberto Sarmento, além da Estação de Transferência Anhanguera, que já se encontra em operação.
Passam pela Avenida Lix da Cunha, diariamente, 51 linhas intermunicipais, que ligam Campinas aos municípios de Nova Odessa, Sumaré, Hortolândia, Monte Mor e Americana, mais as linhas municipais que compartilham o Corredor. O horário de funcionamento da operação é das 4h30 às 00h10.
O Corredor Sumaré-Campinas, em sua totalidade, conta com 33 quilômetros de extensão e 7 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus. Atende cerca de 3,5 milhões de usuários/mês. Com a entrega de mais essa obra, o Governo de São Paulo proporciona à Região Metropolitana de Campinas expansão na oferta de viagens, com redução do tempo do percurso, aumento da segurança e diminuição da emissão de gases poluentes.
A obra faz parte do Expansão São Paulo, plano de desenvolvimento do transporte, no qual estão sendo investidos R$ 21 bilhões. O investimento total no Corredor Sumaré-Campinas foi de R$ 150 milhões.

Fonte: Jornal O Serrano
READ MORE - Corredor Sumaré-Campinas inicia operação em faixa exclusiva com duas novas paradas

Em Mogi, Saiba como será o novo sistema, que deve começar em 1º de maio


Com as obras de construção do Terminal Central (na área da antiga NGK), ultrapassando a marca de 50% de conclusão, a Prefeitura de Mogi das Cruzes se empenha agora nos últimos preparativos para a integração das linhas do transporte coletivo municipal - que irão acontecer na área da antiga NGK e no Terminal Estudantes - e a implantação do Bilhete Único e que será denominado Sistema Integrado de Mogi (SIM).

Na última semana, técnicos da Secretaria Municipal de Transportes começaram a definir quais linhas e itinerários dos ônibus que irão assistir o Terminal Central e o Terminal Leste (hoje, Terminal de Integração Estudantes). A previsão é que as mudanças ocorram a partir de 1º de maio, em comemoração ao Dia do Trabalho.

Segundo o projeto, o acesso dos pedestres que irão utilizar o transporte coletivo municipal ocorrerá numa entrada da rua Professor Flaviano de Melo. Ao entrar no galpão, o usuário irá se deparar com seis catracas (cinco para o passageiro e um de acesso a idoso, cadeirante e pessoa portadora de necessidade especial). Dentro do galpão, o usuário terá uma gama de serviços.

O PAC (Pronto Atendimento ao Cidadão), a unidade da MogiPasses, engraxataria, revistaria, lanchonete, cafeteria, banheiros, além da área de administração e fraldário estão planejados. O espaço terá, ainda, bancos para acomodação do usuário e fotos de Mogi de antigamente, a fim de funcionar como "uma grande sala de espera", segundo o prefeito Marco Bertaiolli (DEM).

  • Sistema

O usuário que estiver dentro do galpão e quiser utilizar os ônibus terá de seguir até as plataformas de embarque, o que será feito por uma porta na lateral do galpão, dentro do Terminal. Já quem estiver no ônibus e precisar fazer a "baldeação" poderá descer direto na baia. De acordo com a Coordenadoria de Comunicação Social, serão, ao todo, 17 baias com plataforma dos dois lados. Não há estimativa do número de passageiros que irá circular dentro do Terminal Central, mas sabe-se que, atualmente, 100 mil pessoas utilizam todo sistema de transporte coletivo em Mogi.

  • Integração
A partir do dia 1º de Maio, a integração das linhas do transporte coletivo municipal poderá ser feita tanto dentro como fora dos terminais de Integração Central (NGK) e Leste (Terminal Estudantes). A única ressalva, segundo explicou em recente entrevista o prefeito Marco Bertaiolli (DEM), é que a cobrança de tarifa única (R$ 2,50) aconteça somente nas viagens de ida. "Uma pessoa que mora em César de Souza e deseja ir ao Jardim Universo. Ela pode pegar o ônibus que passa no seu bairro ir até o Terminal Central e esperar a passagem do Jardim Universo.

Outra alternativa é parar em qualquer ponto do centro, onde passa o Jardim Universo e pegar o coletivo. O que não pode é ela ir ao centro e pegar um ônibus que volte para o bairro dela ou passe pelo mesmo corredor, mas no sentido contrário, pagando apenas R$ 2,50. O uso do Bilhete Único será válido apenas andando para a frente, nunca usando a mesma linha", frisou Bertaiolli.

Fonte: MogiNews
READ MORE - Em Mogi, Saiba como será o novo sistema, que deve começar em 1º de maio

No Rio, Tarifa reduzida do metrô começa hoje


A partir de hoje, o usuário do metrô terá um bom motivo para ir trabalhar mais cedo. Das 5h às 6h, a passagem unitária cai de R$ 2,80 para R$ 1,50, um desconto de 46%. A iniciativa — da Metrô Rio e do governo do estado — tem como objetivo usar a passagem mais barata para mudar a rotina de parte dos passageiros e, com isso, diminuir a superlotação nos trens durante o horário de pico, que vai das 6h30 às 9h30.

A redução da tarifa só vale para os cartões da promoção, que podem ser comprados em qualquer uma das 34 estações e nos ônibus da linha Metrô. Seu uso é permitido de segunda a sexta-feira, exceto feriados.

A concessionária ainda não tem uma estimativa de quantas pessoas vão antecipar a ida ao trabalho para economizar. Já a Secretaria Estadual de Transportes espera que até 10 mil pessoas passem a pegar o metrô mais cedo.

No período mais movimentado da manhã, cerca de 190 mil pessoas viajam nas composições, o que representa 35% do total diário de passageiros.Se o desconto no valor da passagem é motivo de comemoração, passageiros dizem o mesmo sobre o serviço, que nos últimos meses vem apresentando problemas frequentes, como superlotação, atraso nas viagens e até erro de trajeto da composição.

Devido aos problemas e às reclamações dos usuários, a Agência Reguladora de Transportes abriu processo contra a concessionária, a Defensoria Pública do Estado entrou com ação na Justiça e a juíza Maria da Penha Nobre Mauro, da 6ª Vara Empresarial, determinou, na última terça-feira, um prazo de 30 dias para que o Metrô Rio melhore a qualidade dos serviços prestados.

Fonte: O Dia online
Video: G1
READ MORE - No Rio, Tarifa reduzida do metrô começa hoje

São Paulo: M'Boi Mirim terá faixa reversível para ônibus

A Secretaria Municipal dos Transportes (SMT) vai criar faixas reversíveis para ônibus, na tentativa de melhorar a velocidade do transporte coletivo na cidade de São Paulo. Trata-se de um corredor móvel para esses veículos instalados somente nos horários de pico, onde normalmente existe uma faixa de tráfego normal - no sentido contrário de circulação. A primeira experiência será no corredor M"Boi Mirim, na zona sul da cidade, no início de abril.
A decisão de criar a faixa reversível foi tomada após uma reunião na quinta-feira passada entre técnico da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da São Paulo Transportes (SPTrans). A medida foi publicada no Diário Oficial da Cidade. Dependendo do resultado, a medida vai ser implantada em outros pontos da capital, segundo a Secretaria Municipal dos Transportes.
A faixa reversível do corredor M"Boi Mirim vai funcionar no sentido centro-bairro de segunda a sexta-feira, das 6 às 8 horas. Os ônibus ganharam um espaço exclusivo de circulação na Estrada do M"Boi Mirim, entre a Rua José de Barros Magaldi e a Rua Amaro Velho. No total, a via segregada terá 1,5 quilômetro de extensão - tachões e grandes cilindros vão fazer a separação dos demais veículos.
Acessos. Será necessário construir dois acessos para que os ônibus cruzem o canteiro central, um para entrar na faixa e outro na saída. A SMT estima que 176 ônibus por hora utilizem a faixa reversível, enquanto outros 300 vão trafegar pelo corredor já existente neste trecho.
"Tudo que vem para melhorar o desempenho do transporte público é bem-vindo", diz o professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) Jaime Waisman. Ele afirma que as faixas reversíveis melhoram o desempenho dos ônibus e eventualmente pioram o tráfego dos demais veículos, que perdem uma faixa de circulação. Segundo o professor, essa situação pode trazer novos usuários para os coletivos.
No entanto, Waisman diz que a criação de faixas reversíveis se trata de uma medida paliativa e que os benefícios se esgotam rapidamente. "A Prefeitura precisa retomar a política de corredores de ônibus, porque são as grandes extensões em faixa segregada que trazem rapidez e conforto aos usuários e estimulam o uso do transporte coletivo."
No caso de M"Boi Mirim, a faixa reversível vai servir como um auxílio a um corredor que já está sobrecarregado. Próxima ao Terminal Guarapiranga, um grande gargalo se forma nos pontos, sendo que os ônibus não conseguem desenvolver um ritmo constante e os passageiros não conseguem entrar nos coletivos, superlotados. Na última quarta-feira, um protesto de cerca de 200 pessoas fechou a Estrada de M"Boi Mirim por melhorias no transporte.

Fonte: Estadão.com

READ MORE - São Paulo: M'Boi Mirim terá faixa reversível para ônibus

Itinerários de ônibus têm alteração a partir de segunda em Cuiába


A Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte Urbano (SMTU), por meio da Diretoria de Transporte, informa as alterações que serão feitas nas linhas 103-Cidade Verde/Jardim Imperial, 509-Osmar Cabral/Porto e 609-Parque Cuiabá/Santa Isabel a partir de segunda-feira (7), visando atender melhor o usuário do transporte coletivo.

A linha 103 - Cidade Verde/Jardim Imperial - a pedido dos moradores do bairro, dos condomínios e adjacências, passa a atender o bairro Recanto dos Pássaros passando pelas vias: Rua 01, Rua 09 e Rua 11.

A linha 509 - Osmar Cabral/Porto - terá alteração na planilha horária ajustando intervalos entre ônibus e microônibus de forma a proporcionar menos tempo de espera para o usuário.

A linha 609 - Parque Cuiabá/ Santa Isabel - passa a ter um novo horário às 5h53 para que assim o usuário tenha mais comodidade.

Fonte: Gazeta Digital
READ MORE - Itinerários de ônibus têm alteração a partir de segunda em Cuiába

Em Canoas, Tarifa integrada beneficia quem usa dois ônibus

Desde domingo, usuários do transporte coletivo de Canoas que utilizam dois ônibus para se deslocar dentro da cidade estão pagando uma única tarifa. O benefício, válido somente no caso de o canoense ingressar no segundo coletivo em até uma hora e meia após o primeiro, foi estendido para qualquer trecho, inclusive para retornar ao mesmo bairro de onde partiu.
Estudantes não estão incluídos, já que usufruem da meia passagem. Sem descartar a possibilidade de aumento no valor da tarifa, a expectativa da Sogal é de que a medida estimule o ingresso de novos usuários.
– Vamos, em trinta dias, conseguir avaliar se houve ou não esse crescimento e o que a mudança impactará para a empresa. Depois desse período, podemos vir a reavaliar o valor da tarifa – afirma o gerente operacional da Sogal, Derju Leite.
Na sexta-feira passada, durante a solenidade de assinatura do decreto que instituiu a integração tarifária, o prefeito Jairo Jorge ressaltou que a iniciativa é inédita no Estado e que no Brasil funciona somente na capital paulista e em Campinas.
– No ano passado, a isenção já ocorria, mas com restrição de sentido. Agora, a mãe que sai de casa para levar o filho na creche pode voltar, pagando uma única tarifa – explica Jairo Jorge.
De acordo com o secretário de Transportes, Luiz Carlos Bertotto, Canoas é o município gaúcho com o maior número de adesões ao cartão eletrônico. A intenção da prefeitura é ampliar os pontos de venda do cartão, hoje localizados apenas na Rodoviária.
– Queremos aumentar ainda mais o número de pessoas portadoras do cartão TEU! Metropolitano. A medida atingirá, diariamente, pelo menos 25 mil usuários – informa Bertotto.
Uma das beneficiárias da segunda passagem é a técnica em enfermagem Lurdes Moreira, 27 anos. Ela mora no Mathias Velho e para chegar até o seu trabalho, no Hospital Nossa Senhora das Graças, usa duas conduções.
– Se não fosse isso, eu gastaria quatro passagens por dia só – afirma Lurdes.
Durante o lançamento da integração tarifária, a prefeitura anunciou a instalação de novos abrigos em 210 pontos de ônibus da cidade.
Com investimento de R$ 750 mil, a remodelação dos locais, está prevista para estar concluída em junho.

Fonte: Intelog

READ MORE - Em Canoas, Tarifa integrada beneficia quem usa dois ônibus

Começa nesta segunda-feira fiscalização em ônibus de Vila Velha


A partir desta segunda-feira (22) a Secretaria de Transporte e Trânsito de Vila Velha intensificará a fiscalização dos ônibus municipais pertencentes a empresa Sanremo. A operação ocorre até o dia 31 de março e toda a frota será vistoriada. A Prefeitura de Vila Velha envia 15 fiscais e um mecânico para o serviço e eles vão verificar 119 ônibus. Nenhuma rota será alterada e nenhuma comunidade ficará sem atendimento.
Segundo o gerente de Transporte Coletivo, Lúcio Otávio Postay, o processo de fiscalização consiste na averiguação das partes de carroceria, de mecânica e elétrica, bem como, a limpeza de todos os veículos da frota. Como o serviço será realizado das 8 até às 14 horas, período em que circulam os carros extras, a operação não vai atrapalhar a vida dos usuários do transporte público municipal.
“Nós faremos a verificação de tudo até dia 31. Caso haja irregularidades, a empresa terá 30 dias para a regularização, quando a Secretaria de Transporte e Trânsito voltará à garagem para nova revisão. Sem que tudo esteja funcionando bem, a licença não é renovada”, alertou o gerente. A operação de fiscalização é anual e precede o licenciamento para funcionamento.

Fonte: Folha Vitória
READ MORE - Começa nesta segunda-feira fiscalização em ônibus de Vila Velha

Terminal de ônibus pode ser desativado em Itapecerica da Serra


Telhado quebrado, falta de banheiros, calçadas adequadas, excesso de lixo, mato e constantes assaltos. Essa é a realidade enfrentada pelos usuários do terminal de ônibus do Jardim Jacira, em Itapecerica da Serra. Responsável pelo atendimento de cerca de 60 mil pessoas que moram no bairro e dependem diariamente do serviço de transporte público, o local, que era para ser destinado apenas para embarque e desembarque de passageiros, transformou-se numa área abandonada e esconderijo para criminosos.

Após receber denúncia anônima, a reportagem da Gazeta SP esteve no local, onde encontrou um cenário desolador e de completo abandono. Além da falta de estrutura para receber diariamente cerca de 120 ônibus responsáveis pela cobertura de cinco linhas, que liga Itapecerica aos terminais Santo Amaro, Guarapiranga, Vila Olímpia, Capelinha, Santa Cruz e Pinheiros, o terminal aguarda, desde novembro do ano passado, uma intervenção prometida pela prefeitura e que até o momento não foi iniciada.

Se não bastasse a falta de estrutura, o terminal ainda oferece poucas condições de segurança e trabalho para os funcionários. Durante 40 minutos que a reportagem esteve no local, foi constatado a falta de banheiros para cerca de 25 mulheres que trabalham em três turnos diferentes. “Nós somos obrigadas a pagar para usar em comércios e residências (no entorno do terminal)”, explicou uma cobradora que pediu para não ser identificada com medo de represálias.

A falta de iluminação a noite serve de engodo para bandidos cometerem assaltos e até arrastões. O caso mais comovente é a da doméstica Florinda de Araújo que, durante um assalto há menos de 15 dias, foi obrigada a repassar a dois assaltantes todo o seu salário do mês. Revoltada, Florinda disse que “isso (assalto) é normal aqui (no terminal), mas roubar todo o salário foi uma covardia. Alguém precisa fazer alguma coisa”.

Fonte: Portal o Taboanense
READ MORE - Terminal de ônibus pode ser desativado em Itapecerica da Serra

Cidade do Rio de Janeiro volta a contar com sistema público de aluguel de bicicletas


A cidade do Rio de Janeiro voltou a contar neste domingo (21/3) com um sistema público de aluguel de bicicletas, em estações de bairros da zona sul. O sistema, que é operado por uma empresa privada sob concessão da prefeitura, havia sido temporariamente suspenso em dezembro, depois de um ano de funcionamento, devido a ocorrência de furto de bicicletas.

As principais novidades do sistema são um maior esquema de segurança com câmeras e travas nas bicicletas, para evitar o furto dos equipamentos, e a ampliação do projeto, que antes só tinha oito estações na área de Copacabana. Agora, o usuário poderá alugar bicicletas em 19 estações dos bairros da Lagoa, do Humaitá, da Gávea, do Leblon, de Ipanema, de Copacabana e do Leme.Há duas formas de usar o sistema. A primeira é alugar a bicicleta pelo período de um dia, por R$ 10.

O usuário pode circular com a bicicleta durante todo o dia, das 6h às 22h, mas sempre fazendo trajetos de, no máximo, uma hora. Ao final de uma hora, a bicicleta terá que ficar estacionada em uma das estações. O ciclista poderá voltar a usar uma das bicicletas depois de 15 minutos, por mais uma hora, e assim sucessivamente.

Outra maneira de usar o sistema é fazer uma assinatura mensal de R$ 20, em que o usuário poderá usar a bicicleta todos os dias, a qualquer hora, também com trajetos máximos de uma hora. Se o ciclista passar desse horário sem estacionar a bicicleta em uma das estações, terá que pagar R$ 5 por hora.

O pagamento poderá ser feito por cartão de crédito ou pelo RioCard, um vale eletrônico usado no transporte público fluminense.Segundo o vice-prefeito e secretário municipal do Meio Ambiente do Rio de Janeiro, Carlos Alberto Muniz, o sistema de aluguel de bicicletas faz parte de um projeto mais amplo de incentivo desse meio de transporte, que inclui também a ampliação da malha cicloviária do Rio dos 150 quilômetros atuais para cerca de 300 quilômetros.

A ideia é integrar a bicicleta ao sistema de transporte público carioca, tornando-a mais uma opção para o cidadão circular pela cidade e se deslocar até pontos de ônibus ou estações de metrô.“A bicicleta é um [meio de] transporte que melhora a saúde e a qualidade de vida da população e também a qualidade do ar da cidade, porque nós estamos usando um meio de transporte não poluente e extremamente barato”, disse Muniz.

Fonte: Correio Brasiliense
READ MORE - Cidade do Rio de Janeiro volta a contar com sistema público de aluguel de bicicletas

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960