DF tem 334 ônibus extras nas ruas para amenizar a greve do metrô

terça-feira, 16 de março de 2010


O DFTrans informou que 334 ônibus extras estão circulando pelas ruas do Distrito Federal para amenizar os problemas causados pela greve do metrô. O problema é que o trânsito ficou ainda mais complicado. Cinco cidades estão recebendo esses ônibus: Samambaia, com 90 ônibus extras; Ceilândia com 80; Taguatinga com 94; Guará com 40 extras; e Águas Claras com 30 ônibus extras. O metrô funcionou parcialmente nessa terça-feira pela manhã. A greve dos funcionários, iniciada nesta segunda, prossegue. Os metroviários fazem assembleia na Praça do Relógio, em Taguatinga.
Para as poucas pessoas que procuram o metrô, uma surpresa: alguns trens circulavam. Quem usou o transporte logo cedo, não enfrentou dificuldades.
- Tomei o metrô normalmente. Peguei na Rodoviária e desceu a multidão normal de sempre - diz o militar Antônio Carlos Barros.
- Quando peguei, estava vazio - diz uma passageira.
- Tem menos gente porque todo mundo acha que 100% dos trens não estão funcionando. Hoje está mais difícil pegar ônibus, que estão cheios - acrescenta o estudante Marcus Vinicius.
A determinação do funcionamento parcial do metrô veio nessa segunda-feira, depois de uma audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que durou 11 horas e não teve muitos avanços nas negociações. Mas a Justiça determinou que, a partir dessa terça-feira, 360 dos 600 funcionários voltassem a trabalhar. Com isso, das 6h até as 9h, 12 trens operaram. Das 9h até as 16h serão seis trens e das 16h às 19h, devem circular 16 trens.
A direção do Metrô/DF admite que os passageiros podem encontrar dificuldades na volta para casa.
- Vai ser uma operação que não é em condições normais. Isso é matemática. Se eu operava com 23, vou operar com 19 para 12 trens, é evidente que isso vai causar transtorno à população - diz o diretor de operações do Metrô/DF, José Dimas Machado.

Fonte: O Globo
READ MORE - DF tem 334 ônibus extras nas ruas para amenizar a greve do metrô

Em Florianópolis, mudança de linhas irrita passageiros


Prefeitura pretende levar mais ônibus ao Terminal Cidade de Florianópolis
Em protesto na plataforma E do Terminal de Integração do Centro (Ticen), em Florianópolis, cerca de 60 pessoas bloquearam a saída de ônibus, ontem, a partir das 9h30min. Elas são contra a transferência de 85 linhas intermunicipais para o Terminal Cidade de Florianópolis, a partir do dia 21.O protesto durou cerca de 40 minutos. Os passageiros fecharam duas vezes, por 15 minutos cada uma, a saída do Ticen.

Os manifestantes dizem que falta estrutura no Cidade de Florianópolis, parcialmente desativado com a inauguração do Ticen, em 2003.Aproximadamente 50 mil passageiros pegam os ônibus intermunicipais. As linhas circulam por cidades da Grande Florianópolis, como Palhoça, São José e Biguaçu.

– Querem nos jogar naquele lixão! Lá está cheio de mendigos, falta segurança e não tem banheiro – disse Marcos Nascimento, do Grupo Liderança da Serraria, de São José.Manifestantes querem pedir ajuda ao Ministério Público

Os passageiros alegam que, com a mudança, ficará complicado para idosos, pessoas com deficiências e gestantes fazerem a integração para outros terminais.

– Quem quiser ir para a Trindade ou para as praias vai precisar vir caminhando até aqui – observou Lúcia Silveira, da Associação de Idosos do Jardim Zanelatto.

Os manifestantes preparam um abaixo-assinado. Eles pretendem levar as assinaturas ao Ministério Público de Santa Catarina.Mesmo com a manifestação, a transferência de linhas foi confirmada pelo secretário de Transportes de Florianópolis, João Batista Nunes.

Ele disse que as linhas intermunicipais foram escolhidas porque, com elas operando no Ticen, o município deixa de arrecadar cerca de R$ 300 mil, o que poderia subsidiar o transporte público. A taxa paga pelas empresas para uso do Ticen vai para Companhia Operadora Terminais Integração. No Terminal Cidade de Florianópolis, vai para a prefeitura.

O secretário informou que a transferência busca dar nova cara à região do terminal antigo. Ele disse que as reformas no Cidade de Florianópolis devem ficar prontas até sexta-feira. Estão previstos banheiros, câmeras de vigilância e nova iluminação.

Fonte: Diário de Santa Catarina
READ MORE - Em Florianópolis, mudança de linhas irrita passageiros

SP: protesto de usuários de transporte coletivo bloqueia via

Um protesto de moradores da zona sul de São Paulo provocou congestionamentos na manhã desta terça-feira. Cerca de 300 manifestantes interditaram parcialmente a Estrada do M'Boi Mirim, no bairro Jardim Capela, em protesto contra as condições do transporte coletivo na região e a demora no deslocamento, segundo a Polícia Militar.
De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), às 8h20, o grupo bloqueava a pista no sentido centro da via, na altura do número 6 mil, causando lentidão por aproximação. A polícia afirmou que o protesto se dirige à subprefeitura de M'Boi Mirim. Viaturas acompanham a passeata para garantir o policiamento da região.

Fonte: Terra

READ MORE - SP: protesto de usuários de transporte coletivo bloqueia via

Em Recife, VLT em Versos e prosas promete revolucionar o transporte da região metropolitana


É tempo de se avançar com o projeto de obras de infraestrutura, que serão necessárias, conforme as disposições da Fifa, para que o Brasil acolha, em 2014, os jogos do campeonato mundial de futebol. São obras de grande porte, a começar pela construção de novos estádios e reforma de outros nas cidades que vão servir de sede à disputa daquele certame, estando prevista ainda melhora no sistema de transporte coletivo, com o objetivo de atender, com mais eficiência, ao público que acorrerá aos locais dos referidos jogos, que trarão também ao Brasil um número considerável de visitantes, como tem se verificado nos países onde foi realizada Copa do Mundo.

A contagem para 2014 se inicia agora em junho, a partir do torneio da África do Sul. É mais do que conveniente se evitar transtornos de última hora. Serão beneficiadas com melhora no seu sistema de transporte coletivo um total de doze cidades, sedes das futuras disputas, entre as quais o Recife, que já assistiu, aliás, jogo daquele certame, quando da sua realizaçãono Brasil, em 1950, um dos momentos mais dramáticos da história do nosso futebol, quando o Uruguai se tornou, em pleno Maracanã, o campeão do mundo, enfrentando o selecionado nacional.

Algumas dessas cidades, segundo foi anunciado, devem contar com a implantação de veículos leves sobre trilhos (VLTs), uma espécie de modernos bondes, que já trafegaram pelas ruas da capital pernambucana, alcançando os seus trilhos a cidade de Olinda, tendo surgido numa época em que o Recife promovia as suas primeiras mudanças urbanísticas. Mostrou-se uma eficiente modalidade de transporte público. "O Recife crescia, sua população aumentava, o comércio desenvolvia-se, o movimento no centro tornava-se cada vez maior, a cidade estendia-se em direção aos subúrbios", recorda o escritor Alves da Mota, em importante obra que enriquece a história do transporte coletivo da nossa capital, intitulada: No tempo do bonde elétrico.

Este é o momento exato para se concretizar projeto de tal envergadura, colocando-se em funcionamento os VLTs,para não somente atender às demandas da Copa de 2014, mas, sobretudo, para assegurar aos recifenses uma nova alternativa de transporte, capaz de garantir eficiência e conforto ao sistema de mobilidade urbana.

Diante dessa perspectiva, teremos um dia condições de reduzir a presença do transporte individual nas ruas da cidade, a exemplo do que ocorre em muitas e muitas cidades do mundo, onde o transporte ferroviário, em suas diferentes versões, é hoje ponto de referência em termos da mobilidade a que nos referimos.

Temos afirmado, neste espaço, que a melhora do transporte público do Recife e adjacências, compreendendo-se assim a denominada região metropolitana, passa pelo processo de ampliação do sistema ferroviário, estendendo-se inclusive as linhas do nosso metrô a outras áreas da cidade. Entretanto, é necessário que se manifeste, entre os dirigentes do planejamento urbano, vontade política, fazendo prevalecer formulações mais racionais no trato de tão importante aspecto das demandas coletivas.

Para se terideia do que representa a implantação de veículos leves sobre trilhos numa cidade das dimensões do Recife, é bastante lembrar que uma só composição de VLT conduz 270 passageiros, em média, enquanto se necessita de quatro ônibus para o transporte do mesmo número de pessoas.

Fonte: Diário de Pernambuco
READ MORE - Em Recife, VLT em Versos e prosas promete revolucionar o transporte da região metropolitana

Tarifa do transporte público de Joinville pode aumentar para R$2,60


Em leitura de um jornal aqui de SC que não gosto muito mas leio para complementação sobre o que arronda a cidade Joinville, que o prefeito Carlito Merss estima que a tarifa de ônibus poderá subir dos atuais R$ 2,30 para R$ 2,60.
A notícia já deixa em alerta os movimentos sociais, que se articulam para recompor uma frente de lutas como já vem sendo feito em todas as vezes que o aumento de tarifa é anunciado, mas quase sempre sem sucesso, eu ainda sou a favor de boicote.
Com base em informações prestadas pelas empresas de ônibus, a Prefeitura de Joinville tem feito projeções na planilha. Também são feitas comparações com cidades de porte semelhante(até parece que o aumento tem que basear em outras cidades, tem que fazer levantamento interno, esse monopólio tem que acabar, esta na hora de ter mais uma opção que percorra todas as linhas ou uma alternativa mais barata). E por isso que o prefeito Carlito Merss alegou que a tarifa pode chegar a R$ 2,60.
Pode ser, mas não quer dizer que vá. A decisão também é política. E outros insumos podem entrar na análise de custos da tarifa. Por enquanto, as empresas ainda não fizeram um pedido formal de reajuste. Mas, é óbvio, deverão pedir mais do que R$ 2,60 pois assim depois poderão baixar para este valor alegando que foram bonzinhos!!!!

READ MORE - Tarifa do transporte público de Joinville pode aumentar para R$2,60

Prefeitura do Rio retira de circulação mais cinco ônibus

Um ônibus da empresa Estrela Azul foi removido e outros três lacrados na manhã desta segunda-feira, durante operação da Subsecretaria de Fiscalização (SUBF) de Transportes no Terminal da Misericórdia, na Praça 15. A empresa é a quinta pior colocada no ranking daquelas que prestam maus serviços de transporte. Os veículos reprovados são das linhas 311 (Engenheiro Leal - Praça 15) e 292 (Engenho da Rainha - Praça 15). Embora não esteja no topo do ranking, a empresa Estrela também teve um ônibus da linha 260 (Vila Valqueire - Praça 15 lacrado. A ação dos fiscais ocorreu das 9h às 11h. Nos últimos 15 dias, o total de ônibus retirados de circulação pela Subsecretaria de Fiscalização chega a 21.
O veículo da Estrela estava com pneus carecas e extintor de incêndio fora da validade. Já os veículos lacrados da Estrela Azul apresentavam problemas de documentação. Assim que as pendências forem resolvidas, as duas empresas poderão encaminhar os veículos ao pátio de inspeção da Secretaria municipal de Transportes para que o lacre seja retirado e os ônibus voltem a circular.

Fonte: O Globo

READ MORE - Prefeitura do Rio retira de circulação mais cinco ônibus

Empresas investem R$ 12 milhões em transporte público em Ribeirão Preto


As três permissionárias responsáveis pelo transporte coletivo de Ribeirão Preto assinam, na quarta-feira (17), um acordo com o Ministério Público. Na reunião marcada para as 15 horas, as empresas apresentarão as propostas de investimentos no transporte que somam R$ 12 milhões.
Entre as melhorias propostas pelas permissionárias estão a construção de 200 novos abrigos, reforma de 220 pontos de ônibus, bilhetagem eletrônica, instalação de GPS nos veículos e aquisição de frota adaptada para deficientes físicos.
Além das melhorias, as empresas terão que apresentar na reunião um cronograma dos investimentos, destacando valores e prazos.

Fonte: A Cidade
READ MORE - Empresas investem R$ 12 milhões em transporte público em Ribeirão Preto

Ônibus circulam normalmente em Belo Horizonte, após suspensão de greve


Os ônibus circulam normalmente pela Região Metropolitana de Belo Horizonte, nesta terça-feira (16), depois da suspensão da greve de motoristas de cobradores. Na segunda-feira (15), o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de Minas Gerais determinou que a paralisação fosse interrompida.

A diretoria da Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado de Minas (Fettrominas) se reuniu com o desembargador Caio Luiz de Almeida Vieira de Mello e todos decidiram pelo encerramento da greve até uma nova reunião, prevista para acontecer na manhã desta terça.

O desembargador suspendeu os efeitos da liminar, que impunha sanções aos grevistas e foi concedida na sexta-feira (12) ao sindicato patronal. Segundo o TRT, os rodoviários dos municípios de Betim (MG), Brumadinho (MG), Itaúna (MG) e Sete Lagoas (MG) já chegaram a um acordo.

A BHTrans informou que o atendimento ao transporte coletivo foi realizado com cerca de 55% da capacidade na segunda-feira. De acordo com Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH), o sistema operou com quase 90% da capacidade, mesmo com mais de 50 ônibus depredados. Seis pessoas foram presas por crime contra o patrimônio.

Os trabalhadores reivindicam aumento de 37%, redução na jornada de trabalho para seis horas e fim da circulação de ônibus sem cobradores. O reajuste proposto pelas empresas é de 4,36%.

Fonte: G1
READ MORE - Ônibus circulam normalmente em Belo Horizonte, após suspensão de greve

Metrô funciona parcialmente no DF

Por determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), o Metrô/DF teve que funcionar parcialmente nesta terça-feira (16), tendo de operar com pelo menos 80% da capacidade no horário de pico do fim da tarde. Por causa da greve, deflagrada na segunda-feira (15), todo o serviço foi paralisado, o que acabou por prejudicar 160 mil passageiros.
A audiência com os metroviários, que teve início na tarde da última segunda e durou 11 horas, acabou sem acordo. Assim, a Justiça determinou que das 6h às 9h devem estar trabalhando 360 dos 600 funcionários do metrô, garantindo a operação de 12 trens. Depois, até as 16h, 30% da frota, ou seja, seis trens devem voltar a circular. Das 16h às 19h, a operação aumenta novamente para 80% da capacidade, 16 trens. A direção do Metrô/DF admite que a operação parcial ainda pode trazer dificuldades para os 160 mil passageiros.
Nessa segunda-feira (15), na volta pra casa, milhares de pessoas enfrentaram congestionamentos e ônibus lotados. Na Rodoviária do Plano Piloto (centro de Brasília), filas mais longas e a viagem de volta para casa também. “Nem imagino. Isso é o que mais cansa a gente”, reclama uma mulher. “O trabalhador brasileiro não merece isso que está acontecendo. Acho que o transporte público, além de estarmos pagando, deveria ser bem servido”, acrescenta o administrador Manoel Ferreira da Silva.
Cerca de 160 mil pessoas, que usam o metrô, tiveram que pensar em outro itinerário. O jeito foi se apertar dentro dos ônibus, em um teste de paciência. A frota foi reforçada com mais 300 coletivos, mas o número de carros particulares também aumentou. Segundo estimativa do Detran, 200 mil veículos a mais nas ruas, o que deixou o trânsito mais complicado.
Na via marginal da EPIA, em frente ao shopping, duas batidas em menos de meia hora. A primeira foi o engavetamento de três carros. Depois, a colisão entre um veículo e um ônibus. Os acidentes também causaram muita confusão na via marginal que passa em frente à parada de ônibus do shopping.
Na saída do Setor de Oficinas Sul, houve muita retenção e os motoristas tiveram que ter paciência. “Quando vou de metrô gasto 15 minutos para chegar em casa. Hoje já tem uma hora que estou na parada e até agora nada”, contou uma mulher. “Vou ter que ter muita paciência porque se eu não pegar esse agora, o próximo ônibus vai demorar muito”, disse um homem.
Negociações
Os metroviários fazem nova assembléia nesta terça-feira (16), a partir das 12h, na Praça do Relógio em Taguatinga, cidade próxima a Brasília. E às 14h, está marcada uma nova audiência no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) com a direção do Metrô/DF.
O governo propôs reajustar os salários de acordo com a inflação. Mas para o comando da greve, a proposta é insuficiente. “Houve a sinalização da criação da gratificação, de 13%, mas para iniciar em novembro. Então, por exemplo, tem coisas que eu creio que a categoria vai pesar. Porém, ainda está muito longe daquilo que tinha sido pedido”, fala o secretário da administração do SindMetrô, Carlos Alberto Cassiano Silva. As negociações envolvem 77 itens.
Os funcionários do metrô querem aumento salarial de 120%, adicional de periculosidade e risco de vida, abono e gratificação por operações, auxílios de creche e alimentação, redução na jornada de trabalho de quarenta para trinta horas semanais, rodízio de folga nos feriados e a convocação de cerca de 300 aprovados no último concurso.
Fonte: G1
READ MORE - Metrô funciona parcialmente no DF

Olinda entra no Consórcio Grande Recife de Transportes


A partir desta terça-feira (16), o Sistema de Transporte Municipal de Olinda composto por seis linhas troncais e nove linhas complementares passa a operar sob a gestão do Grande Recife Consórcio de Transporte. A ação é mais uma etapa do processo de fortalecimento do sistema metropolitano, iniciado, em 2008, com a criação do consórcio, que desde então conta com o governo do Estado e as prefeituras de Recife e Olinda como entes consorciados. A cerimônia que marcará a transferência da administração acontece, hoje, às 15h, na sede da Prefeitura de Olinda, com a presença do prefeito do município, Renildo Calheiros, do secretário das Cidades, Humberto Costa e o presidente do Grande Recife, Dilson Peixoto.
Com o ingresso no Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STPP/RMR) os usuários destas linhas passam a contar com benefícios como: acesso à bilhetagem eletrônica (incluindo usuários do VEM Estudante, VEM Trabalhador e VEM Infantil); garantia das gratuidades (para idosos e pessoas com deficiência); renovação da frota (cuja idade média cairá de oito para quatro anos de imediato); abatimento nas tarifas aos domingos; possibilidade de integração ao Sistema Estrutural Integrado, que tem como principal característica a circulação em quase toda a RMR com o pagamento de apenas uma tarifa por sentido; ampliação da capacidade de transporte (já que os micro-ônibus possuem mais lugares que as kombis e vans utilizadas até então), entre outras.
As linhas irão operar com 98 veículos, sendo 25 micro-ônibus (para as linhas complementares) e 73 ônibus convencionais (para as linhas troncais). Deste total, 47 são veículos novos (os 25 micros e 22 ônibus), acessíveis para pessoas com mobilidade reduzida. Outros 15 ônibus convencionais serão substituídos por veículos zero quilômetro, em até 120 dias.
A operação do sistema será feita pelas mesmas empresas que vinham operando sob a administração do município de Olinda: Caxangá, Rodotur e Rodolinda (linhas troncais) e pela Cooperativa dos Permissionários de Transporte Complementar de Pernambuco (Cootraol). A administração dos terminais do Caenga e de Ouro Preto também ficará a cargo do Grande Recife, que fará algumas ações de readequação dos equipamentos, nos moldes dos que são operados pelo STPP/RMR.
Com a migração as linhas também serão incluídas na Câmara de Compensação Tarifária, responsável pelos cálculos de remuneração do STPP/RMR. Para garantir o equilíbrio do sistema será realizado o realinhamento tarifário das linhas envolvidas no processo, cujas tarifas são atualmente de R$ 1,50. Será adotado o Anel A (equivalente a R$ 1,85), atualmente utilizado por 80% das linhas do sistema metropolitano. Em função de uma decisão conjunta, do prefeito de Olinda e presidente do Grande Recife, durante o período de 45 dias, após o início da operação, será aplicada uma tarifa de transição, no valor de R$ 1,70.
Para o presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte, Dilson Peixoto, a transferência do sistema municipal de Olinda para o consórcio é um avanço importante. Quando o consórcio foi criado, em 2008, a migração estava prevista. Trabalhamos bastante, em parceria com a prefeitura de Olinda, para garantir as condições ideais para que isso acontecesse. Agora, dentro do STPP os usuários terão acesso a benefícios que inacessíveis, afirmou.
O secretário das Cidades, Humberto Costa, enfatiza o trabalho que vem sendo feito a outros municípios da RMR, que estão avançando em direção ao cumprimento das etapas necessárias para o ingresso no consórcio. O modelo de gestão metropolitana é sem dúvida a melhor forma de administrar uma área como a do transporte coletivo. Temos acompanhado com muito ânimo a busca dos demais municípios da RMR para garantir o acesso a todos os benefícios que o STTP/RMR representa. Paralelamente ao evento, os veículos novos serão apresentados às comunidades que são atendidas, através de um desfile pelas ruas e avenidas locais.
STPP - O Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STPP/RMR) é explorado, hoje, por 17 empresas operadoras, que juntas, possuem uma frota de 2,7 mil veículos. A demanda média, diária, em toda a RMR, é de 1,8 milhões de passageiros catracados (incluindo os que utilizam o STPP através da integração com o Metrô). Com a migração o número de linhas sobe de 368 para 384 (somando as 15 vindas do sistema municipal de Olinda e a recém criada 486-Penedo/TI Camaragibe).

Fonte: Jus Brasil

READ MORE - Olinda entra no Consórcio Grande Recife de Transportes

Transporte Coletivo de Juiz de Fora não entrará em greve


Os sandumonenses que forem para Juiz de Fora, assim como os juizforanos podem respirar aliviados, depois de quatro horas de negociação, a portas fechadas, entre representantes dos sindicatos patronal e de trabalhadores, ficou decidida a suspensão da operação tartaruga, e da ameaça de greve geral, marcada para iniciar na segunda-feira (15).

O compromisso só foi possível com a apresentação de proposta de reajuste linear de 8,63% para toda a categoria feita por Gerência Regional de Trabalho e Emprego e Ministério Público do Trabalho. O aumento foi aceito pela Astransp e será votado pelos trabalhadores em assembleias. O reajuste representa ganho real de 4,3%.

Caso seja aplicado, o salário dos motoristas passa para R$ 1.051,64, e o dos cobradores vai para R$ 525,80. O tíquete-alimentação sobe dos atuais R$ 150 para R$ 160. A diferença referente ao pagamento de fevereiro será paga integralmente em 5 de maio. Até a última rodada de negociação, a categoria pedia 14% de reajuste, e o sindicato patronal oferecia 5,45%.

Fonte: Rádio Cultura
READ MORE - Transporte Coletivo de Juiz de Fora não entrará em greve

Assinado TAC entre Prefeitura, Ministério Público e Assetur


O usuário do transporte coletivo em Campo Grande tem a garantia de que a tarifa de ônibus será mantida nos atuais R$ 2,50 até o próximo ano. Em solenidade realizada no gabinete do prefeito, na tarde desta quinta-feira foi assinado um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) entre Prefeitura, Assetur e Ministério Público Estadual, representados respectivamente pelo prefeito Nelson Trad Filho, o empresário Sinval Martins e a procuradora de Justiça dos Direitos do Consumidor, Regina Broch.

Para a promotora, o termo dará tranqüilidade à população. “A sociedade fica mais bem amparada por um TAC, temos que ter bom senso. Sabemos das dificuldades dos administradores de uma cidade, mas estamos procurando manter o equilíbrio e a justiça”, observou Regina Broch. Segundo ela, a atual gestão sempre manteve a postura, mesmo nos acordos verbais. “Esperamos que seja mantido esse bom relacionamento com o Ministério Público”, desejou a promotora.

O prefeito afirmou que o período de negociação com vistas a reajuste de tarifa do transporte coletivo é sempre de sofrimento. “Como militante da Frente Nacional de Prefeitos, sei que este é um assunto que faz sofrer a maioria dos prefeitos”, informou Nelsinho. Segundo ele, numa audiência da FNP com o presidente Lula foi solicitada a desoneração de impostos federais sobre o combustível utilizado pelos ônibus e o presidente comprometeu-se a solicitar estudos neste sentido.

Nelsinho voltou a citar o fato de tratar com transparência o encaminhamento das questões relacionadas ao reajuste do transporte coletivo. “Tem pessoas que acham estranho elogiar os empresários. Aqui, isto não é estranho porque também há um comprometimento deles com o social”, afirmou o prefeito ao citar a cedência de ônibus para as campanhas do agasalho e a tarifa a R$ 1,00 em datas comemorativas.

O TAC – De acordo com o Termo de Ajustamento de Conduta ficam poder público e empresas obrigados a manter a tarifa a R$ 2,50 até 2011; manter as gratuidades previstas em lei municipal e federal e a tarifa reduzida nas datas comemorativas. A Assetur deverá elevar de 50 para 200 o número de postos de venda do cartão eletrônico e efetuar, ainda em 2010, a compra de 95 ônibus adaptados para o transporte e pessoas com deficiência física.

Além das pessoas diretamente envolvidas na assinatura do TAC, também acompanharam o ato o diretor-presidente da Agetran, Rudel Espíndola Trindade Júnior, o presidente da Agência de Regulação dos Serviços Públicos Delegados, Marcelo Amaral, o procurador Geral do município, Ernesto Borges, o vice-prefeito Edil Albuquerque o secretário Luiz Henrique Mandetta, empresários do transporte coletivo e os vereadores Lídio Lopes, Flávio Cezar e Mário César, além da primeira dama Antonieta Trad.

Fonte: MS Notícias
READ MORE - Assinado TAC entre Prefeitura, Ministério Público e Assetur

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960