Grande Vitória pode ter 100% da frota parada nesta quarta-feira

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Os motoristas e cobradores da Grande Vitória, em greve há uma semana, decidiram paralisar todo o sistema de transporte coletivo da Grande Vitória a partir da zero hora desta quarta-feira (01).

Os rodoviários não ficaram satisfeitos com o resultado do dissídio coletivo julgado na tarde desta terça-feira (30). Motoristas e cobradores conseguiram aumento salarial de 10% e de 5,39% no valor do tíquete alimentação por determinação do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES).

A questão salarial é apenas um dos ítens do dissídio coletivo que começou a ser julgado às 14h e terminou por volta das 19h desta terça-feira (30).

O voto do relator do processo, desembargador Jaílson Pereira da Silva, propondo o aumento, foi acompanhado por outros três desembargadores. A votação final teve o placar de 4 a 3. Outras questões, como por exemplo, melhoria das condições de trabalho também foram analisadas. A Justiça decidiu que a categoria deve voltar ao trabalho sob pena de multa diária de R$ 30 mil. Os trabalhadores se reuniram em assembleia na praça Getúlio Vargas, no Centro de Vitória, logo após o resultado do dissídio coletivo. A maioria dos rodoviários decidiu continuar com a greve.

O presidente do Sindirodoviários, Édson Bastos, salientou que essa é uma decisão tomada pelos motoristas e trocadores que operam o sistema de transporte coletivo na Grande Vitória. Bastos disse ainda que o sindicato se diz contrário à manutenção da greve. "O sindicato não concorda com essa decisão tomada ainda com o sangue quente. Ainda vamos tentar convencê-los a partir desta quarta a rever essa posição", disse.

Às 19h40, logo após o fim da assembleia, motoristas e cobradores saíram em passeata pelo Centro de Vitória. Duas pistas da Avenida Princesa Isabel, sentido Centro - Zona Norte, chegaram a ser fechadas, mas foram liberadas cerca de 10 minutos após a caminhada, tempo suficiente para tumultuar o trânsito em uma das vias mais movimentadas da Capital capixaba.
READ MORE - Grande Vitória pode ter 100% da frota parada nesta quarta-feira

São Paulo: Transporte coletivo é melhor alternativa para aumentar a mobilidade num dos principais pólos de compras da Cidade

Com a chegada da temporada de compras de Natal, a região central é a mais procurada, principalmente a Rua 25 de Março. Bem próximo à Rua 25 de Março está o Terminal Parque Dom Pedro II, que funciona 24 horas todos os dias e oferece uma série de facilidades para quem vai fazer as compras de final de ano.
São 93 linhas ao todo, distribuídas em 7 plataformas. O terminal oferece lanchonetes, espaço multibancos, banheiros, atendendo a uma demanda de 250 mil passageiros por dia. As linhas chegam de todas as regiões da Cidade, principalmente da Zona Leste, como Cidade Tiradentes, São Mateus, São Miguel, Itaim Paulista, Ermelino Matarazzo, Vila Mara, Jd. Helena, Vila Nova Curuçá, Vila Progresso, Jd. Camargo Velho, Conjunto Encosta Norte e Jd. das Oliveiras . Além dessas, chegam também linhas da região do Zoológico, Sacomã, Jd. Celeste, Pinheiros, Butantã, Ceasa, Lapa e Casa Verde.
No Terminal Parque Dom Pedro II, o usuário pode fazer a interligação com o Expresso Tiradentes, que liga a região central ao Sacomã. O Terminal Sacomã opera 24 linhas municipais e 18 intermunicipais, vindas da região Sul da Cidade, com uma demanda de 81 mil passageiros por dia. Os percursos dentro do Expresso Tiradentes são feitos em 14 minutos em média, com ônibus articulados e biarticulados. O terminal recebe passageiros da região de São Bernardo do Campo, Santo André e São Caetano do Sul e dos bairros do Parque Bristol, Jd. Celeste, Moema, Penha, Vila Arapuã, Vila Livieiro e Água Funda. Funciona das 4h à 0h e possui 6 plataformas, espaço multibancos, banheiros e lanchonetes.
Outra opção para as compras nesta região são as linhas que têm ponto de parada na Praça do Correio. Com uma demanda estimada em 150 mil passageiros por dia, nas 33 linhas que chegam principalmente da Zona Norte da Cidade, de bairros como a Vila Maria, Vila Sabrina, Casa Verde, Pedra Branca, Lauzane Paulista, Vila Ede, Parque Edu Chaves e Cachoeirinha. Outras regiões também têm como destino a Praça do Correio, entre elas Cidade Tiradentes, Sapopemba, Sacomã, São Miguel, AE Carvalho e Vila Industrial.
Com uma localização priviligiada na região central da Cidade, a Praça do Correio também é ótima opção para os que desejam fazer compras na região da Rua Santa Ifigênia.
Utilizando o Bilhete Único, as vantagens para as compras se ampliam, pois estão garantidas 4 viagens de ônibus com o preço de uma única passagem dentro do intervalo de 3 horas para o Bilhete Único Comum e de 2 horas para os Bilhetes Escolar e Vale-Transporte. Para os que irão fazer compras nos domingos ou feriados, o Bilhete Único Comum vale até 8 horas (Bilhete Amigão) desde que a última recarga tenha sido referente a pelo menos 4 tarifas, ou R$ 10,80.
Para tirar dúvidas a respeito de itinerários e outras informações, o usuário pode ligar para 156 ou visitar a página da SPTrans na internet: http://www.sptrans.com.br/.

Fonte: SPTrans
READ MORE - São Paulo: Transporte coletivo é melhor alternativa para aumentar a mobilidade num dos principais pólos de compras da Cidade

Metrô do Cariri atinge um ano de operação

Amanhã, o Metrô do Cariri, primeiro projeto do Governo do Ceará de requalificação do transporte ferroviário de passageiros no Interior do Estado, completará um ano de operação. Ao longo deste período, o sistema tem sido responsável por fomentar o desenvolvimento da região do Cariri, já que liga importantes polos geradores de viagens, como universidades, comércio, escolas, indústrias. O Metrô do Cariri liga Juazeiro do Norte ao Crato ao longo de 13,6 quilômetros.

"O Metrô do Cariri significou um avanço na região não somente por ser uma opção de transporte eficiente, seguro e barato", destaca o prefeito do Crato Samuel Araripe. Ele lembra que, no rastro do trem, estão surgindo outros empreendimentos como a Escola Técnica, que está sendo construída no Bairro São Miguel, na margem da ferrovia, e a futura avenida que parte da antiga Estação Ferroviária, hoje Centro Cultural do Araripe, até a saída da cidade. O sistema é operado com Veículos Leves sobe Trilhos (VLTs), que estão ganhando o mundo como uma solução inteligente na área de transporte e de menor impacto ambiental.

Os VLTs que operam no Cariri usam uma tecnologia local, visto que são produzidos pela Empresa Bom Sinal de Barbalha, que fabrica vagões para diversas cidades do Nordeste. A terceira composição que será incorporada ao Metrô do Cariri, por exemplo, está na lista de espera. A fabricação das composições estimulou a indústria ferroviária nacional, que não produzia novos trens desde a década de 1970. "Este Metrô foi o maior acontecimento do Cariri. É uma viagem confortável, segura e rápida", diz o representante comercial Francisco das Chagas de Castro.

Os elogios são reafirmados pelo aposentado Francisco Lenildo de Luna que, todos os dias, faz o percursos Crato-Juazeiro. Na condição de aposentado (não paga passagem), Lenildo utiliza o trem como lazer. "Vou ao Crato para rever os meus amigos na Praça Siqueira Campos", conta. No balanço de um ano de operação, o gerente de Controle e Tráfego da Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor), Antônio Chalita de Figueiredo, diz que o Metrô do Cariri trouxe melhorias significativas à qualidade de vida da população da Região. "As pessoas ganharam a opção de poder se deslocar num transporte barato, seguro, limpo e confortável. Houve ainda a melhoria do entorno das estações criando um ambiente agradável. Ficamos motivados com a alegria nos olhos do povo do Cariri, que é um eterno apaixonado pela ferrovia", diz.

E já existem planos para o futuro. Em 2011, terá início a integração entre o Metrô do Cariri e algumas linhas de ônibus intermunicipais. Isso significa que os usuários do Metrô poderão, com um só bilhete, pegar as linhas integradas de ônibus para continuar seu percurso. Segundo Chalita, a integração será tarifária, operacional, temporal e física. "Prevemos que haverá um incremento em torno de 20 a 30% de passageiros no sistema", avalia.

Em 2011, o Metrô do Cariri também ganhará sua nona estação, que ficará nas proximidades da escola técnica no Bairro Antônio Vieira, em Juazeiro. Atualmente, estão em funcionamento oito estações: Juazeiro, Teatro, Crato, Fátima, São Pedro, São José, Muriti e Padre Cícero. Está prevista ainda para o próximo ano a entrega de mais um VLT. Hoje, operam dois. "Com o terceiro VLT, estamos fazendo estudos para a diminuição do intervalo entre os trens no horário de pico", prevê Chalita. No momento, a operação está pela metade, porque uma das composições foi retirada para manutenção. Ele espera que o sistema seja normalizado ainda esta semana.

Também está sendo estudado, segundo Chalita, a extensão do Metrô até a cidade de Barbalha, promovendo a integração do chamado Triângulo Crajubar, (Crato, Juazeiro e Barbalha) integrantes de Região Metropolitana do Cariri. Ele explica que existem duas opções de trajeto: a malha ferroviária antiga, que interligava Barbalha com a Rede Ferroviária Federal, ou uma nova ferrovia, margeando a Avenida Leão Sampaio. O Metrofor está fazendo levantamento de custos para saber qual a melhor alternativa.

O Metrô do Cariri opera de segunda a sexta-feira, de 6 horas às 19 horas, fazendo um total de 42 viagens/dia. No sábado, funciona de 6 horas às 14 horas, com 30 viagens. O percurso Juazeiro à Crato leva cerca de 40 minutos. Atualmente, são transportados cerca de 1.200 passageiros por dia, mas a capacidade é de 15 mil passageiros. A passagem custa R$ 1,00.

Fonte: Diário do Nordeste
READ MORE - Metrô do Cariri atinge um ano de operação

Grande Vitória: 7º dia de greve é de longa espera e ônibus lotados

Terminal lotado. Filas, longas filas, que testavam a paciência dos passageiros logo cedo. Assim começou o sétimo dia de greve dos rodoviários por toda Grande Vitória.
No Terminal de São Torquato, a espera pelos coletivos durava mais de uma hora e os pontos de parada dos ônibus estavam completamente vazios. Eram poucos ônibus para a quantidade de passageiros que esperava. Muitas pessoas estão madrugando nos terminais para chegar ao trabalho e ainda assim chegam atrasadas.

"Tem que sair todo dia cedo de casa e encontrar essa situação em Vila Velha. É complicado. Um transtorno. Estou atrasado de novo e o patrão já me ligou", afirma o pedreiro Romildo Cardoso dos Santos.
 
O pedreiro Vivaldo Francisco Barbosa também vem sendo prejudicado pela greve. O trajeto casa-trabalho está durando até três horas e ele tem medo de perder o emprego. "Essa greve está atrapalhando em tudo. Toda hora o patrão está ligando e a gente não pode fazer nada".

Quando o ônibus chega ao ponto nem todo mundo consegue embarcar. Os coletivos ficam superlotados e muita gente acaba não conseguindo entrar e tem que aguardar a próxima viagem.
Segundo o presidente do sindicato da categoria, Edson Bastos, os rodoviários deverão acatar o julgamento e finalizar a greve. "Uma decisão judicial deve ser cumprida e não questionada. Temos que ser coerentes e vamos passar isso aos rodoviários. Não acredito que eles decidam manter a paralisação mesmo depois do julgamento", explicou.
A decisão de solicitar a antecipação do dissídio aconteceu por conta dos problemas ocorridos na última sexta-feira (26) no terminal de Campo Grande, em Cariacica. A população se revoltou com a demora dos ônibus por conta da greve e queimou quatro ônibus e apedrejou 20 coletivos. Os manifestantes ainda fecharam a BR 262 e muitos passageiros ficaram a pé.
Segundo o procurador-geral do Estado, Rodrigo Rabello, não há motivos para que a greve continue porque o dissídio já tem data marcada. Durante a greve de ônibus, pelo menos 300 mil passageiros estão sendo prejudicados na Grande Vitória.
No último dia 22, a Justiça determinou que os motoristas e cobradores devem manter 50% da frota em circulação, sob pena de multa de R$ 20 mil por dia. Segundo o TRT, até o momento, os grevistas estão cumprindo essa exigência.
O Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBus) e o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Espírito Santo (Setpes) comentam que a paralisação é desnecessária levando em conta que a decisão sobre o reajuste dos rodoviários se dará só com o julgamento do dissídio.

READ MORE - Grande Vitória: 7º dia de greve é de longa espera e ônibus lotados

Em Juiz de Fora, 90% da frota já circulam com o novo modelo de embarque e desembarque

Segundo dados da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra), cerca de 90% de toda a frota que atende o Transporte Coletivo Urbano (TCU) de Juiz de Fora já estão circulando com o novo modelo de embarque e desembarque. Dos 553 coletivos, 499 já atendem com o fluxo invertido de passageiros. E nesta terça-feira, 30, os usuários da linha 137 (Sagrado Coração de Jesus/Centro) passam a entrar pela porta da frente. Na quinta-feira, 2, será a vez da linha 129 (Previdenciários). A mudança gradativa na forma de embarque e desembarque teve início no dia 2 de agosto e será concluída no dia 15 de dezembro.

Os usuários das linhas que ainda não inverteram o fluxo devem ficar atentos às sinalizações na frente e nas laterais dos ônibus. Antes da roleta, próximo ao motorista, os assentos preferenciais para grávidas, idosos, obesos e portadores de deficiência continuam assegurados. Nos ônibus com motor dianteiro (97% da frota) são sete bancos para essas quatro categorias. Já os veículos com motor traseiro possuem oito assentos preferenciais.

Com a alteração do embarque, a roleta também muda para a parte dianteira do veículo, próxima ao motorista. Entre os benefícios estão menor tempo de embarque, mais conforto e maior espaço útil para acomodação dos usuários, já que o orientador do fluxo de passageiros será eliminado; aproximação dos cobradores e motoristas, o que vai inibir os assaltos e aumentar a segurança no embarque e desembarque dos cadeirantes; indução dos passageiros a não atravessar na frente dos ônibus, com a consequente redução dos acidentes; e igualdade no embarque para as gratuidades, acabando com a discriminação contra os usuários que têm direito ao benefício.

Fonte: Pref. Juiz de Fora
READ MORE - Em Juiz de Fora, 90% da frota já circulam com o novo modelo de embarque e desembarque

Greve do transporte coletivo continua em Blumenau

Terminais e pontos de ônibus vazios marcaram o início desta terça-feira em Blumenau. O Sindicato dos Empregados das Empresas Permissionárias do Transporte Coletivo Urbano de Blumenau (Sindetranscol) cumpriu a promessa e está com 100% do serviço parado por tempo indeterminado.

Cobradores e motoristas se reuniram para uma assembleia organizada pelo sindicato para discutir se manterão, pelo menos, parte dos ônibus funcionando, como exige a lei, ou permanecerão com todo os 258 veículos da frota parados ao longo do dia.

Os trabalhadores entraram em greve na manhã de segunda-feira. Durante a tarde, o sindicato da categoria e as empresas do Consórcio Siga se reuniram novamente para tentar chegar a um acordo.

Porém, pela quinta vez, a negociação fracassou. Os trabalhadores pedem 8,5% de reajuste salarial e R$ 260 de vale alimentação. As empresas oferecem 7% de aumento e R$ 250 de vale.

READ MORE - Greve do transporte coletivo continua em Blumenau

Recife: Ônibus Adaptados: Problemas e Avanços

Na semana internacional da pessoa com deficiência, o Blog Meu Transporte saiu as ruas de Recife e constatou a falta de preparo pela maioria dos operadores no que diz respeito a acessibilidade no transporte publico, é verdade que o numero de ônibus adaptados aumentou de forma significativa na região metropolitana, porém este crescimento não condiz com o numero de motoristas e cobradores preparados para está situação, flagramos diversas vezes os profissionais sem saber operar o equipamento, teve pessoas deficientes que tiveram que esperar mais de 10 minutos para embarcar, colocando em constrangimento o próprio deficiente, sem falar que muitos motoristas expressam claramente sua insatisfação em operar o equipamento, é bom lembrar que de acordo com o Censo de 2000 do IBGE, 24,5 milhões de pessoas possuem algum tipo de deficiência, representando 14,5% da população brasileira. Dados mais recentes, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD), apontam que, em 2008, os idosos representavam 10,5% da população no Brasil, proporção que vem aumentando a cada ano.
A falta de acesso ao transporte coletivo é um dos gargalos do ingresso no mundo do trabalho para pessoas com algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida. A RAIS de 2007 contabilizou cerca de 348.000 pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida, empregadas, mas estão fora do mercado, aproximadamente, quatro milhões de pessoas com essas características.
Resposta do Consórcio Grande Recife:
Nos últimos três anos e meio o Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STPP/RMR) conseguiu avanços significativos no serviço ofertado as pessoas com deficiência. Os avanços são: 
Em 2007 o consórcio, na época EMTU, contava com apenas com 46 linhas e 49 ônibus, das 383 linhas e 2.700 veículos operantes, equipadas com elevador. Hoje, as pessoas com deficiência já podem contar com 255 linhas e 853 veículos adaptados para pessoas com deficiência.

No projeto de ampliação do Sistema Estrutural integrado, que foi pensado para a construção de 13 terminais, de 2007 pra cá, sendo que dois já foram entregues (Pelópidas Silveira e Cabo de Santo Agostinho), todos os projetos arquitetônicos foram pensados com total acessibilidade à pessoa com deficiência.

Para atender as pessoas com deficiência visual que utilizam os terminais integrados do Cabo de Santo Agostinho e Pelópidas Silveira, ambos inaugurados em 2009, o Grande Recife sinalizou todos os pontos de embarque e desembarque. Os usuários podem identificar a localização exata de sua linha através da sinalização em Braille (sistema de leitura com o tato).

Todo o entorno dos terminais contam com rampas de acesso. No interior do equipamento, foi colocado piso tátil (que facilita a orientação de pessoas com deficiência visual e visibilidade reduzida), além de mecanismos antiderrapantes, para evitar quedas e escorregões.  Nas áreas de atendimento, como o local destinado aos trabalhos do pessoal da Central Atendimento ao Cliente, também há acessibilidade. 

Em relação a colocação de Braille nas paradas de ônibus da RMR o consórcio esclarece que este tipo de sinalização já tinha sido implantada nas avenidas Nossa Senhora do Carmo, Conde da Boa Vista e Guararapes, de forma experimental, mas que infelizmente praticamente todas as placas informativas foram alvo de atos de vandalismo nos últimos anos.

Porém, o Grande Recife vem elaborando, desde 2009, um projeto de novas paradas de ônibus que prevê a sinalização para deficientes visuais, no entanto, ainda não foi definida a forma que o material será implantado devido aos problemas citados acima.

Os atos de vandalismo também ocorrem nos terminais que possuem as placas em braille. Constantemente as placas arrancadas são repostas o que infelizmente, por causa do alto custo, não pode ser feita nas cerca de 5 mil paradas existentes na RMR.

Já em relação a sonorização o consórcio já conta com um sistema de som, com informações sobre as linhas de ônibus, implantado no Terminal Pelópidas Silveira e em breve no Terminal do Cabo. Ressaltando que todos os novos terminais, além dos já existentes no sistema de transporte da RMR também irão contar com o serviço até 2012. 

Capacitação dos operadores

O Grande Recife desenvolve junto com as empresas operadoras um curso de multiplicação de formadores. Ou seja, atua na formação de instrutores que trabalharão com motoristas e cobradores. O treinamento incluiu, entre outros temas, a operacionalização dos elevadores de acesso para as pessoas com deficiência e a questão comportamental (atendimento aos usuários). É fornecido para os formadores, material didático e os planos de aulas que são usados no curso. Além deste curso, todos os motoristas que renovam suas CNH, precisam passar pelo curso “Condutores de Transporte de Coletivos”, ministrado durante 50h. Nele, os motoristas reciclam seus conhecimentos sobre legislação de trânsito, primeiro socorros, direção defensiva e atendimento ao cliente.



Siga o Blog Meu Transporte pelo Facebook

Fonte: Meu Transporte
READ MORE - Recife: Ônibus Adaptados: Problemas e Avanços

Greve de ônibus na Grande Vitória deve acabar hoje

A greve dos motoristas e trocadores pode terminar nesta terça-feira (30) com o julgamento do dissídio coletivo, caso nenhum dos 11 desembargadores do Tribunal Regional do Trabalho (TRE) peça vista do processo. A audiência está marcada para às 14h.

De acordo com a desembargadora presidente do TRT, Wanda Lúcia Decuzzi,  a greve tem que terminar com o julgamento do dissídio. Se a paralisação  for prolongada após a decisão da Justiça será considerada ilegal, salientou a magistrada.

"Segundo a lei, após o julgamento do dissídio não pode existir mais greve. Isto é um esforço que o Judiciário, o Ministério do Trabalho e os representantes dos rodoviários e empresas fazendo para diminuir os prazos, afim de que este caos urbano termine.

A manutenção da greve acarreta em multa para o sindicato, caso os rodoviários insistam em ficar de braços cruzados após apreciação do dissídio, explicou a desembargadora Wanda Lúcia Decuzzi."Eles até podem fazer a greve, mas ela será considerada ilegal. E isto resulta em multa pesada. O que acaba inviabilizando para o sindicato, e não interessa para a categoria".

A antecipação só foi possível porque o Ministério Público do Trabalho atendeu ao pedido da Presidência do TRT e se comprometeu a entregar seu parecer antes do prazo legal.

A paralisação dos rodoviários começou na quarta-feira (24). No mesmo dia, houve uma audiência de conciliação entre representantes do Sindicato dos Rodoviários (Sindirodoviários) e das empresas que atuam no transporte coletivo da Grande Vitória no TRT, mas não houve consenso.

O diretor-executivo do Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBus), Elias Baltazar, apoiou a antecipação da audiência do dissídio para esta terça. Ele ressaltou que o prejuízo com quatro ônibus incendiados e 20 depredados só serão calculados após o fim da greve.

"Entendemos que o judiciário contribui para a resolução do problema. A sociedade capixaba já não aguenta mais esta greve. E entendemos que a greve é desnecessária, já que, a audiência estava marcada. Assim que este processo for concluído nós levantaremos todo o prejuízo com a paralisação, inclusive, o que houve na última sexta-feira (26)", afirmou.

O presidente do Sindirodoviários, Edson Bastos, informou que a categoria irá acatar a decisão da Justiça. "Nós sabemos que quando a justiça falar, ela, não está me perguntando se eu quero. Ela está me dando uma decisão. Então, eu irei levar isto para a categoria. Se nós levamos a nossa decisão para o TRT é porque acreditamos nele", pontuou.

O julgamento do dissídio coletivo para definir o percentual de reajuste a ser aplicado à categoria, havia sido marcado para o dia 03 de dezembro, às 10h. Os trabalhadores querem 30% e as empresas oferecem 5,39%.

READ MORE - Greve de ônibus na Grande Vitória deve acabar hoje

EMDEC incentiva respeito aos assentos preferenciais

Durante todo esse mês de novembro até a primeira quinzena de dezembro, quem utiliza o transporte coletivo na cidade, pode ver estampado, em toda a frota, cartazes com informações sobre o respeito ao assento preferencial nos ônibus urbanos.

A proposta da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas – EMDEC – ao abordar o tema no Jornal do InterCamp, que circula mensalmente no transporte, é incentivar e orientar a sociedade para que respeite e ceda sempre esse espaço aos mais velhos, adultos com crianças de colo e gestantes.

Os cartazes trazem mensagens como “Faça a diferença. Dê a preferência. Respeite os assentos preferenciais.”
De acordo com a Lei 5.782/1987, o direito aos assentos preferenciais é  garantido a esse público.  Entretanto, é muito comum o desrespeito à legislação. No período de festas de fim de ano, quando a procura pelo transporte coletivo aumenta, cenas de idosos de pé e jovens ocupando os assentos são freqüentes.

Para a gerente de Educação e Cidadania da EMDEC, Roberta Mantovani, esse tema integra, de forma permanente, o trabalho educativo nas escolas, universidades e ações da EMDEC com os usuários do transporte.

“Vale destacar que nosso trabalho com os idosos contemplou, ainda, neste ano, a discussão e o respeito da sociedade às vagas exclusivas; e temos um projeto específico, batizado como Idosos em Movimento, que incentiva os idosos a refletirem sobre todos os seus direitos na mobilidade".

Segundo o presidente da Associação dos Idosos de Campinas, José Alves dos Santos, 75, esse é um problema diário que o idoso enfrenta no transporte coletivo. “Basta entrarmos nos ônibus para ver que ninguém cede os lugares”.

Ele conta que já presenciou casos em que os passageiros chegam a humilhar os idosos e esbravejam que também pagam a passagem.

O presidente afirma, ainda, que se trata de uma situação complexa. “As campanhas são importantes, mas precisam ser mais frequentes. O idoso também precisa fazer a sua parte e ocupar os assentos; e a sociedade enfatizar de forma constante esse direito garantido”.

Fonte: Emdec
READ MORE - EMDEC incentiva respeito aos assentos preferenciais

Greve de ônibus na Grande Vitória será julgada amanhã

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A audiência de julgamento do dissídio dos motoristas foi antecipada para esta terça-feira, 30, às 14h. A antecipação só foi possível porque o Ministério Público do Trabalho atendeu ao pedido da Presidência do TRT e se comprometeu a entregar seu parecer antes do prazo legal.

A paralisação dos rodoviários começou na quarta-feira (24). No mesmo dia, houve uma audiência de conciliação entre representantes do Sindirodoviários e das empresas que atuam no transporte coletivo da Grande Vitória no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), mas não houve consenso.

Sem acordo, o julgamento do dissídio coletivo para definir o percentual de reajuste a ser aplicado à categoria, havia sido marcado para o dia 03 de dezembro, às 10h. Os trabalhadores querem 30% e as empresas oferecem 5,39%.

Ainda na quarta-feira da semana passada, a desembargadora presidente do TRT da 17ª região, Wanda Decuzzi, pediu aos rodoviários que suspendessem a greve até o julgamento.

"Esse tempo inteiro de greve é um transtorno muito grande. Estou tentando sensibilizar o sindicato da necessidade do retorno ao trabalho", disse a desembargadora logo após a primeira tentativa para que motoristas e trocadores não paralisassem as atividades.

A nota do Tribunal Regional do Trabalho salienta que desde a instauração do dissídio coletivo a Justiça do Trabalho no Espírito Santo empreende esforços para que todos os envolvidos (Sindrodoviários, GVbus, Setpes e MPT) diminuam os prazos legais e o julgamento possa ocorrer o mais breve possível.

Fonte: Gazeta Online
READ MORE - Greve de ônibus na Grande Vitória será julgada amanhã

Transporte coletivo de Blumenau será interrompido às 20h por motivo de segurança

Uma nova paralisação das linhas de ônibus está prevista para as 20h desta segunda-feira em Blumenau. A decisão foi tomada pelo Consórcio Siga e pelo Sindicato dos Empregados das Empresas Permissionárias do Transporte Coletivo Urbano (Sindetranscol) por motivo de segurança.

De acordo com o presidente do Consórcio Siga, Humberto Sackl, a suspensão dos serviços se estenderá até as 6h desta terça-feira. O motivo é que dois ônibus foram apedrejados no bairro Bela Vista, por volta das 16h45min, quando 28 linhas já haviam voltado a operar de modo irregular. Os veículos 1117 e 1118 tiveram a lataria amassada e os vidros quebrados.

Nos dois ônibus havia passageiros, mas ninguém se feriu. Os veículos foram tirados de circulação e conduzidos à garagem da rua Jordão, no bairro Progresso.

As linhas só haviam retomado o itinerário porque a Polícia Militar foi acionada para garantir a segurança dos cobradores e motoristas que não aderiram à paralisação, e temiam represálias da população. A polícia acompanhou a saída dos funcionários das garagens e dos terminais de ônibus.

Por volta de 17h, um ônibus da empresa Rodovel, responsável pela linha Troncal 30, foi apedrejado na rua Governador Jorge Lacerda, no bairro da Velha. O veículo foi levado à garagem da empresa, próximo ao Terminal da Velha.

Greve
Os motoristas e cobradores do transporte coletivo entraram em greve nesta segunda-feira. O motivo é a falta de acordo com o Consórcio Siga sobre o reajuste salarial da categoria.

De acordo com o presidente do sindicato da categoria, Ari Germer, a paralisação é por tempo indeterminado e nenhum trabalhador era obrigado a aderir. Na manhã desta segunda-feira, não havia ônibus circulando nas ruas de Blumenau.

Todos os ônibus ficaram parados nas garagens e nos terminais. A medida desobedeceu ordem judicial de que pelo menos 50% da frota deveria circular em horários de pico e 20% nos demais horários.

À tarde, 28 linhas voltaram a operar. Os veículos cumpriram a rota convencional, com parada em todos os pontos e terminais, mas não seguiram o itinerário normal.

Fonte: Diário Catarinense
READ MORE - Transporte coletivo de Blumenau será interrompido às 20h por motivo de segurança

RIO 2016: BRTs, bilhete único e ampliação do metrô deslancham, mas ainda estão longe de resolver os gargalos do trânsito

Numa cidade com uma frota de dois milhões de veículos - média de um para cada três habitantes -, o desafio é tirar do papel os projetos que estimulem o cidadão a deixar o carro em casa e privilegiar o transporte coletivo. O primeiro passo foi dado com a implantação do bilhete único nas linhas municipais, no início deste mês. Mas, de todas as obras de infraestrutura para privilegiar o transporte de massa e não o individual e preparar o Rio para as Olimpíadas, apenas duas começaram. E mesmo assim apenas em alguns trechos: a Linha 4 do metrô e o Transoeste, linha de BRT (faixas segregadas para ônibus articulados) ligando a Barra a Santa Cruz e Campo Grande. Curiosamente, nenhuma dessas obras constava do caderno de encargos entregue pela candidatura do Rio ao COI.
O Transoeste, que deve ficar pronto até 2012, se interligará com a futura Linha 4 (Barra-Zona Sul) do metrô e com a Linha 1 (Gávea-Ipanema), cujo traçado ainda não está definido. Contratada pelo estado, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) termina até o fim do primeiro semestre de 2011 os estudos que definirão o orçamento e as etapas de implantação do metrô. O custo estimado inicialmente é de R$ 4 bilhões, mas o secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, diz que o orçamento final ainda dependerá de uma série de decisões técnicas, como a localização das estações.
Por enquanto, os trabalhos se concentram na escavação de um túnel de serviço no Jardim Oceânico. As escavações iniciadas em março já abriram 350 metros na rocha. A previsão é concluir esta fase até o Natal.
- O que temos é a meta de inaugurar o metrô para as Olimpíadas. Agora, existem alternativas que implicam mais ou menos gastos com o projeto. Uma série de coisas tem que ser avaliada, inclusive o custo-benefício no longo prazo. Se vamos ter todo o sistema automatizado desde o início da operação ou não. Outra coisa é como conciliar a operação da linha com a falta de cultura do usuário de fazer integrações - comenta Lopes.
O engenheiro Marcos Vidigal, representante da Odebrecht no consórcio de empresas responsável pela implantação da Linha 4, destaca que a execução das obras na Zona Sul será um desafio, por atravessarem bairros muito adensados: Gávea, Ipanema e Leblon.
- Boa parte das escavações podem ser feitas sem interromper o trânsito, com máquinas apropriadas para isso (tatuzões). Mas os transtornos serão inevitáveis quando tivermos que começar a construir as estações. Neste caso as obras têm que ser feitas a céu aberto, porque os serviços são feitos de baixo para cima, com a construção das paredes da estação - explica.
A implantação da Linha 4 dependerá ainda da compra de novos trens para o sistema, que estão sendo fabricados no exterior. No caso dos quatro BRTs projetados pela prefeitura (além do Transoeste, as ligações Barra-Deodoro, Barra-Aeroporto Tom Jobim e corredor da Avenida Brasil), os veículos já existem no mercado brasileiro.
A licitação das linhas de ônibus realizada pela prefeitura para operar o sistema e implantar o bilhete único já prevê que os quatro BRTs serão operados pelos consórcios vencedores da concorrência. O diretor-técnico do Sindicato das Empresas de ônibus do Rio, Otacílio Moneiro, porém, destaca que o setor público também terá que cumprir o seu papel para garantir o sucesso da operação. Ele observou que carros articulados exigem vias em bom estado de conservação:
- Esses coletivos tem um sistema de suspensão mais baixo que os veículos comuns. Se a via estiver esburacada, as quebras serão maiores. Em Belo Horizonte, por exemplo, a operação desses veículos enfrentou problemas por causa das caractetísticas das vias. Boa parte das vias tem canaletas para escoar as águas. Os carros articulados batiam nessas canaletas e quebravam - conta Otacílio.
" Não adianta implantarmos projetos apenas para atender aos Jogos Olímpicos ou à Copa do Mundo. Estamos trabalhando sempre pensando no legado "

Alguns cronogramas na área de infraestrutura de trânsito e de transportes ainda estão indefinidos. Um deles é se sairá mesmo do papel a proposta de alargamento da Avenida Niemeyer para melhorar o trânsito entre a Barra e a Zona Sul. O projeto, se sair do papel, não deve ser executado antes de 2013.
A possibilidade de adotar rodízio de placas ainda não está descartada. Das 20 faixas exclusivas para ônibus na cidade em planejamento apenas uma tem data prevista para sair do papel: ela deve ser implantada em janeiro, na Avenida Nossa Senhora de Copacabana. De qualquer forma, o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, e a presidente da Compahia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), Claudia Secin, destacam que nem todas as soluções para melhorar a circulação viária no Rio passarão por grandes intervenções.
- Não adianta implantarmos projetos apenas para atender aos Jogos Olímpicos ou à Copa do Mundo. Estamos trabalhando sempre pensando no legado. Muitas vezes, a melhor solução pode estar em reforçar a operação de trânsito. Isso é possível com o uso mais itensivo de painéis informativos, por exemplo - diz Claudia.

READ MORE - RIO 2016: BRTs, bilhete único e ampliação do metrô deslancham, mas ainda estão longe de resolver os gargalos do trânsito

Blumenau amanheceu com greve de ônibus

Os motoristas e cobradores dos ônibus do transporte coletivo urbano de Blumenau começaram uma greve na manhã desta segunda-feira. O motivo é a falta de acordo com o Consórcio Siga sobre o reajuste salarial da categoria.
De acordo com o presidente do sindicato da categoria, Ari Germer, a paralisação é por tempo indeterminado e nenhum trabalhador é obrigada a aderir. No entanto, não há ônibus circulando nas ruas de Blumenau.
Todos os ônibus estão parados nas garagens e nos terminais.  A medida desobedece ordem judicial de que pelo menos 50% da frota deveria circular em horários de pico e 20% nos demais horários.

READ MORE - Blumenau amanheceu com greve de ônibus

Bilhete Único: patroas e domésticas agora discutem com quem fica o dinheiro economizado com as passagens das trabalhadoras

A economia obtida pela implantação do Bilhete Único Carioca e do Intermunicipal tem mudado a relação entre patroas e empregadas domésticas, conforme mostra reportagem de Isabela Bastos. O hábito de se pagar as passagens em dinheiro, e não em vale-transporte, tem sido deixado para trás. Além disso, o bilhete único - que permite o barateamento das passagens em até 50%, no caso de trabalhadores que pegam dois ônibus no Rio em um período de até duas horas - trouxe outra questão à tona: a negociação sobre quem ficará com a diferença de dinheiro gerada pelo uso dos cartões.
Especialistas ouvidos pelo GLOBO explicam que, por lei, o empregador é obrigado a fornecer vale-transporte aos empregados, mas, no caso das domésticas, já existe jurisprudência nacional que permite o pagamento em dinheiro, desde que mediante recibo e desconto de até 6% do salário bruto do empregado em folha de pagamento (o empregador complementa até a quantia necessária ao número de passagens). O valor economizado com o bilhete único não pode ser considerado parte do salário e nem é um direito adquirido das empregadas domésticas. Por conta disso, as patroas não precisam repassar as quantias às funcionárias, mas podem fazê-lo a título de gratificação ou aumento salarial, se quiserem.
Segundo a advogada trabalhista e colaboradora da Comissão de Justiça do Trabalho da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Silvia Correa, as empregadoras devem observar, contudo, se o bilhete único atende efetivamente às necessidades de transporte de suas empregadas, sobretudo as que moram em áreas de difícil acesso, onde o transporte convencional circula com menor frequência. Ainda de acordo com advogada, apesar de a legislação não obrigar a patroa a providenciar ela mesmo o bilhete único, a recomendação é que tomem para si essa tarefa:
- Quem quiser usufruir da economia, deve comprar o cartão e fazer as recargas, não deixando a tarefa para a empregada. No caso de o bilhete não atender às necessidades da funcionária, não importando o motivo, é obrigação da patroa complementar os valores ou retomar o pagamento total em dinheiro.

READ MORE - Bilhete Único: patroas e domésticas agora discutem com quem fica o dinheiro economizado com as passagens das trabalhadoras

Modernidade e mobilidade no transporte coletivo de Cuiabá

A preparação de Cuiabá para receber os jogos da Copa do Mundo de 2014 envolve muito mais do que a simples construção do Novo Verdão (Arena Multiuso Pantanal). Também estão previstas 21 intervenções classificadas como obras de Mobilidade Urbana, que permitirão o reordenamento do trânsito e dos transportes coletivos na capital. Entre estes projetos estão os três BRTs (Bus Rapid Transit), que são corredores exclusivos para ônibus.
O BRT – ou TRO (Trânsito Rápido de Ônibus) – é um transporte coletivo sobre pneus, rápido, flexível, de alto desempenho, que combina elementos físicos e operacionais em um sistema integrado, com uma imagem de qualidade e identidade única. O conceito evoluiu a partir dos corredores exclusivos para ônibus, como alternativa ao metrô para o transporte de massa.
Além de segregar o tráfego geral e impor medidas de prioridade na circulação, o que facilita o trânsito das pessoas, o BRT também proporciona redução dos tempos de embarque e desembarque de passageiros, por ser composto de veículos com grande número de portas e de plataformas niveladas ao piso do ônibus. Outras vantagens são o pagamento fora do veículo, as estações fechadas e seguras e os mapas de informação em tempo real.
Na grande Cuiabá, estão previstos três estação de BRT. A primeira ligará o Aeroporto Internacional Marechal Rondon ao grande CPA, em Cuiabá. Vai estabelecer a principal ligação de transporte coletivo e viário entre o aeroporto, o centro político administrativo, a região hoteleira e a área central da cidade. Esse trecho é o principal eixo de demanda de viagens entre Várzea Grande e Cuiabá e entre a região Nordeste de Cuiabá com o centro da cidade, que possui a maior concentração da população.
Outra unidade ligará a Avenida Tenente Coronel Duarte (Prainha) à região do Coxipó, prevendo uma integração do transporte coletivo da região Sudeste da cidade com a área central, que fará conexão com o BRT Aeroporto/CPA. A ligação dos dois corredores facilitará o acesso a hospitais e hotéis – como também ao futuro Centro de Treinamento para os jogos da Copa, que estará em funcionamento na MT-456, Rodovia dos Imigrantes.
Já o terceiro BRT circulará ao longo da Avenida Mário Andreazza, em Várzea Grande. Seu objetivo é interligar as rodovias BR-163, BR-364 e BR-070 com as duas cidades do Aglomerado Urbano. Ele será de fundamental importância para a ligação direta com o novo Estádio Verdão, com o Centro de Treinamento e com o Corredor da Miguel Sutil, oferecendo facilidade de acesso a toda região.
O diretor de Infraestrutura da Agência da Copa do Mundo do Pantanal (Agecopa), Carlos Brito, explica que o objetivo destes projetos é implantar uma rede de mobilidade na região que atenda as necessidades dos jogos da Copa 2014 e, mais ainda, venha a oferecer à sua população melhores condições de deslocamento no seu dia-a-dia. “As obras têm como eixo principal de mobilidade o transporte público coletivo, que será estruturado a partir de uma concepção de rede de serviços integrada”. 
Aliando-se obras de infraestrutura, notadamente corredores de transporte e equipamentos de integração (Terminais e Estações), serão disponibilizadas à população e aos visitantes soluções de rede de serviços (linhas e atendimentos), tecnologias de controle operacional, de informação ao passageiro e de cobrança eletrônica de passagens, e uma frota de veículos adequada aos serviços a serem prestados.
Entre os projetos estão também adequações na região do Porto, entrada da Capital, que será totalmente revitalizada. Todas estas obras são legados da Copa que continuarão servindo à comunidade depois do Mundial.
Sobre as datas iniciais dessas construções, a Agecopa, ressalta que os projetos foram encaminhados ao Ministério dos Transportes através do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) que, por sua vez encaminhará um pedido de suplementação orçamentária que assegurará o repasse de R$ 286 milhões para estas obras de mobilidade urbana. O convênio deve ser assinado em breve, iniciando-se os processos licitatórios que antecedem as obras propriamente ditas.  

Fonte: Resumo Online
READ MORE - Modernidade e mobilidade no transporte coletivo de Cuiabá

Secretário dos Transportes viaja à China para acompanhar fabricação de novos trens para Supervia

O secretário estadual de Transportes, Julio Lopes, desembarcou, neste domingo, em Pequim para acompanhar o andamento da fabricação dos 30 trens comprados pelo governo estadual para serem usados na Supervia. Pelo contrato, a fábrica contratada, a Changchun Railway Vehicles (CNR), deverá entregar a primeira composição em março do próximo ano. Os trens foram adquiridos por US$ 166 milhões (cerca de R$ 300 milhões).
A CNR também é a fornecedora dos 19 trens comprados pelo Metrô Rio por US$ 148,2 milhões (cerca de R$ 266 milhões). O primeiro deles chegará ao Rio no fim de 2011.
Além de inspecionar o andamento da construção dos trens, Lopes também vai pressionar a empresa chinesa para que os prazos acertados no contrato sejam cumpridos, sobretudo depois de indicações de que a CNR iria adiar a primeira entrega para maio do ano que vem.
- Este é um dos maiores consórcios do mundo. Recebem encomendas de diversos países. É fundamental a cobrança do cumprimento dos prazos. Vamos acompanhar de perto a fabricação dos 30 trens, que começam a ser entregues agora em 2011 - afirmou o secretário. - O governo está comprometido com a população, que merece um transporte mais ágil e com um maior nível de conforto.

Fonte: O Globo
READ MORE - Secretário dos Transportes viaja à China para acompanhar fabricação de novos trens para Supervia

Fortaleza: Linha Central é alternativa para lotação de ônibus

Se os ônibus que cruzam as ruas congestionadas do Centro estão quase sempre lotados, com passageiros "pendurados" na porta, há uma alternativa ainda pouco conhecida: a Linha Central (061), que faz um trajeto pelas principais vias de comércio por R$ 0,40 e com a vantagem de se ir quase sempre sentado, observando a beleza histórica da Capital.

No trajeto, é possível viajar pela memória arquitetônica de Fortaleza do século XX, vendo pela janela a Catedral, Passeio Público, Praça da Estação, Parque das Crianças e outros atrativos, como o Centro de Pequenos Negócios (CPN), antigo Beco da Poeira.

O presidente da Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), Ademar Gondim, anunciou que vai aumentar a divulgação da linha neste mês e espera um aumento de fluxo devido ao período de compras natalinas.

Com sacolas nas mãos, o autônomo Francisco de Assis aprovou a iniciativa da criação da linha, mas reclamou do fato de só haver dois ônibus circulando, da grande espera na parada e na restrição de só aceitar vale transporte eletrônico. Ele fez compras na Rua Senador Alencar e ia se deslocar até o Parque das Crianças.

O trajeto que antes era feito a pé pela quase ausência de linhas que rodavam pelo Centro e que foram impedidas de circular pelas obras do Metrô de Fortaleza. "Está ruim andar, é muito camelô, assalto e sol quente. Pego o Central todo dia, ajudou muito quem faz compras e não tinha outra alternativa", comentou.

Em funcionamento há apenas três meses, a Central ainda é pouco usada, levando menos de 200 passageiros por dia, disse o motorista Maurício Oliveira, de 44 anos. A estimativa de público da Etufor era de cerca de 800 por dia. "Nem todo mundo sabe que existe essa linha.

Seria bom divulgar mais, já que dá para se deslocar com conforto e ir até sentado, sem muita lotação. É até bom para os turistas que querem conhecer os pontos turísticos e para quem anda com muitas compras e não quer ficar se cansando", disse.

O trajeto dura cerca de 30 minutos e parece uma boa desculpa para circular entre as ruas que deram origem a Fortaleza que hoje conhecemos. No itinerário, o ônibus trafega pela Rua Castro e Silva, Avenida do Imperador, Rua Pedro Pereira, Rua Pinto Madeira, Rua 25 de Março, Rua Costa Barros, Rua São José, Rua Rufino de Alencar, Rua Dr. João Moreira e Rua 24 de Maio. A linha opera nos dias úteis até as 20h e nos sábados até as 16h.

Para o presidente da Etufor, Ademar Gondim, o mais interessante da Central é acostumar as pessoas com a integração temporal e a complementação tarifária que virá com o Metrofor. "Se o passageiro vier, por exemplo, da Avenida Bezerra de Menezes e tiver como destino a Rua 25 de Março terá a possibilidade de integrar temporalmente com a Linha Central e com transporte alternativo. Estamos em fase de teste e vamos apostar mais na divulgação", disse.

Fonte: Diário do Nordeste
READ MORE - Fortaleza: Linha Central é alternativa para lotação de ônibus

Metrô de Lisboa quer alargar presença internacional

O Metro de Lisboa quer alargar a sua presença internacional, oferecendo “serviços mais integrados” do que os que presta hoje, onde a sua expertise se tem resumido à área de estudos, consultoria, apoio à construção e entrega dos projectos na altura de início do serviço.
“Os nossos clientes esperam mais de nós. Estão à espera que sejamos capazes de dinamizar uma solução integrada em que ofereçamos inclusivamente a exploração ferroviária”, disse ontem o presidente do Metro de Lisboa, Francisco Cardoso dos Reis, em entrevista ao jornal Expresso.
De acordo com o responsável, a empresa terá sido mesmo convidada para explorar concessões na Argélia, mas não teve “capacidade para mobilizar um consórcio em tempo útil”.
“É algo que tem de ser bem amadurecido mas parece-me que é a solução de futuro. Dará alguma estabilidade à presença portuguesa noutros países. E é o que procuram alguns países com capacidade financeira, porque têm um plano de intervenção ao nível da infra-estrutura, mas ainda não têm competências de exploração suficientes para assegurarem eles próprios as operações”, explicou o presidente do Metro de Lisboa.
Finalmente, e segundo o Expresso, a empresa estará atenta a outros países do Norte de África e Países de lingua portuguesa para alargar a sua estratégia de internacionalização.

READ MORE - Metrô de Lisboa quer alargar presença internacional

Cuiabá: Veja mudança no itinerário de quatro linhas de ônibus

Quatro linhas de ônibus de Cuiabá terão mudanças em seus itinerários. Segundo a Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte Urbano de Cuiabá, as mudanças então previstas para entrar em vigor a partir dos dias 24 e (28-11), nas linhas 501, 503, 720 e 721.

Desde sábado a linha 501 – Santa Laura / Centro, retornará ao bairro pelo Morro da Luz (av. Cel. Escolástico). A linha 503 – Osmar Cabral / Rodoviária passará a fazer o retorno no Shopping Pantanal, deixando de retornar na Morada do Ouro.

A linha 721 – Voluntários / Terminal CPA I deixará de ir até o Terminal do CPA I. A integração com essa linha será feita no ponto de embarque/desembarque do Shopping Pantanal, através do cartão transporte.

A partir de hoje, as mudanças acontecem na linha 720 – Voluntários da Pátria / Centro, somente aos domingos, passará a operar como A70 – Alimentadora Voluntários / CAIC.

Mais informações pelos telefones da diretoria de transporte da SMTU: 3315-4213 / 3315-4229.

READ MORE - Cuiabá: Veja mudança no itinerário de quatro linhas de ônibus

Estudos do metrô de Curitiba ficam para fevereiro

Metrô SP
A prefeitura de Curitiba adiou para fevereiro de 2011 a conclusão dos estudos para elaborar o projeto de engenharia, o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto ao Meio Ambiente (Rima) da chamada Linha Azul, trecho de metrô entre os bairros Santa Cândida e CIC Sul, em Curitiba. Esses documentos são a base para o desenvolvimento de um futuro estudo de viabilidade e criação de um projeto executivo, que detalharão a construção do que seria a primeira linha de metrô da capital paranaense. A previsão inicial é que esses estudos estariam prontos no primeiro semestre deste ano, mas por causa de mudanças ao longo do projeto de engenharia houve atraso em todo o cronograma.
O consórcio Novo Modal (Trends, Engefoto, Esteio e Vega) foi contratado em março de 2009 para elaborar o projeto de engenharia, mas teve o prazo de conclusão do contrato prorrogado por duas vezes, segundo dados do Portal do Controle Social, mantido pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), com base em informações da própria prefeitura. Este estudo teria sido concluído em julho e, a partir dos detalhes dele, a empresa Ecossistema começou a se dedicar a desenvolver o EIA-RIMA.

Financiamento
Uma das grandes dúvidas sobre a construção de uma linha de metrô em Curitiba é quem será o responsável por pagar pela obra. O governo federal é o mais cotado a desembolsar os R$ 2 bilhões – estimados em 2008. Porém, o metrô de Curitiba não consta nos planos de investimento em infraestrutura do governo federal, como o Plano de Aceleração de Crescimento 2 (PAC 2), que será executado ou iniciado no governo de Dilma Rousseff a partir do ano que vem.
Portanto, a conclusão das análises para a elaboração do estudo de viabilidade econômico-financeira do metrô é importante para tentar convencer o governo federal a custear a construção. A prefeitura de Curitiba, através do Ippuc, foi procurada para comentar o andamento dos estudos e da negociação, mas a assessoria de imprensa informou que ninguém falaria sobre o assunto. Na CBTU, a informação é que o órgão acompanha o desenvolvimento dos projetos e aguarda a conclusão deles.
A construção de uma linha de metrô foi apontada pelo ex-prefeito Beto Richa (PSDB), eleito governador do Paraná, como uma obra importante para melhorar a mobilidade de Curitiba para receber turistas durante a Copa do Mundo de 2014.
A intenção seria construir até lá pelo menos um trecho da Linha Azul, que teria no total 22 quilômetros de extensão, entre os terminais Santa Cândida e CIC Sul, passando pelo Centro. Estão previstas no projeto 21 estações de embarque e desembarque, com distância média de 1 quilômetro entre elas. O veículo usado no metrô terá características leves com capacidade de transportar 1.150 passageiros em cada composição, formada por quatro carros motorizados. A previsão é que 500 mil passageiros possam ser transportados por dia.


READ MORE - Estudos do metrô de Curitiba ficam para fevereiro

Governo do Estado quer acabar com a greve dos ônibus na Grande Vitória

O governo deve oficializar, em caráter urgente, na manhã desta segunda-feira (29), o pedido para antecipar o julgamento do dissídio dos rodoviários, marcado para acontecer só na próxima sexta-feira (03). Caberá à presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), Vanda Lúcia Decuzzi, decidir se antecipa ou não.

Para o procurador-geral do Estado, Rodrigo Rabello, não há motivos para que a greve continue, uma vez que o dissídio já tem data para acontecer. "Sexta-feira ainda está longe. Precisamos pôr fim a isso logo. O ideal é que o julgamento ocorresse nesta segunda mesmo ou, no máximo, terça", ressaltou Rabello.

O Sindicato dos Rodoviários, por meio da assessoria, diz que concorda com a antecipação do julgamento, mas que a categoria não aceita menos de 9,5% de aumento. A oferta inicial das empresas é de 5,39% de reajuste. Ainda de acordo com o Sindirodoviários, índices menores que 9,5% sequer serão levados para discussão da categoria em assembleia, e não descarta uma "reação espontânea" dos motoristas caso a Justiça decida por um reajuste menor.

Fonte: Gazeta Online
READ MORE - Governo do Estado quer acabar com a greve dos ônibus na Grande Vitória

O Polêmico Trem Bala de mais R$ 33 Bilhões

domingo, 28 de novembro de 2010

O adiamento do leilão do trem-bala anunciado pelo Governo é bom em todos os aspectos para a sociedade brasileira. Um projeto orçado em R$ 33 bilhões, mas com projeções que podem chegar a R$ 60 bilhões, não pode ser objeto de processos apressados. Muito pelo contrário. Deve ser sujeito a análises detalhadas para se chegar a um custo-benefício favorável ao País. Mesmo que por questões relacionadas ao desinteresse de um bom número de concorrentes, por vias indiretas o adiamento será melhor para todos.

Agora, o Brasil tem de aproveitar o tempo ganho com o adiamento para uma reavaliação de cronogramas e análise de outras prioridades na infraestrutura. Por exemplo, não se pode dizer que o trem-bala é mais importante do que a duplicação da capacidade dos terminais de passageiros dos aeroportos. Ou que tem mais retorno que o aumento do calado dos portos de Santos, Paranaguá, e mais pelo menos oito portos capazes de receber navios de grande porte. É também motivo de dúvidas atribuir importância maior ao trem-bala do que a projetos que poderiam duplicar as atuais malhas metroviárias de São Paulo e Rio de Janeiro, inclusive fornecendo acesso por metrô aos dois aeroportos mais importantes do País. Pois o orçamento do trem-bala engloba os orçamentos de todos os projetos acima listados.

O momento vivido pelo Rio, associado aos congestionamentos que atingem situações incontroláveis em São Paulo, aos eventos de 2014 e 2016, e à deterioração da mobilidade urbana em quase todas as capitais não permitem que o foco das atenções seja todo dirigido para um projeto limitado espacialmente. Todas as regiões têm suas necessidades e dividir os recursos para resolver gargalos diversos é uma demonstração de gestão pública avançada e mais comprometida com a eficiência e competitividade brasileira.

As prioridades em infraestrutura logística começam no interior, passam pelas capitais e desembocam nos portos marítimos. Portanto, do novo governo demanda-se um aumento da densidade ferroviária, principalmente nas fronteiras agrícolas. Não se pode conceber uma nação que depende cada vez mais das fronteiras agrícolas do Centro-Oeste, Nordeste e Norte, sem que tais regiões sejam servidas de uma malha ferroviária conectada a uma rede rodoviária de alimentação.

No caminho do consumo, é preciso cuidar para que a malha rodoviária seja eficiente, principalmente pelo volume maior de estradas asfaltadas e com melhores condições de tráfego para produtos de maior valor agregado. Nesse contexto, é importante priorizar a duplicação das principais rodovias do Sudeste, Sul e Centro-Oeste, com consequente projeto de transferência para a iniciativa privada, com modelos de concessão que garantam pedágios com alto custo-benefício tanto para concessionários quanto para usuários.

Ao entrar nas grandes cidades, torna-se fundamental melhorar a mobilidade urbana, com investimentos robustos na expansão do metrô e criação de novos sistemas de transporte coletivo. Associada à mobilidade urbana, apresenta-se a duplicação imediata da capacidade de movimentação de passageiros nos aeroportos, principalmente aqueles que serão porta de entrada dos visitantes na Copa de 2014 e na Olimpíada de 2016. A imagem do Brasil será construída a partir dos aeroportos, e neles devem estar nossas atenções.

Os recursos públicos são limitados e, no caso brasileiro, necessários para a busca de melhorias em várias áreas. As vantagens competitivas e comparativas adquiridas nos últimos 16 anos não podem ser comprometidas por situações vergonhosas de infraestrutura. A entrada no seleto clube de países desenvolvidos tem de estar acompanhada de melhor qualidade de vida para os cidadãos. Portanto, não se deve brincar com R$ 33 bilhões quando muita coisa ainda está por ser feita.

READ MORE - O Polêmico Trem Bala de mais R$ 33 Bilhões

Recife: Vestibular UPE 2011 terá reforço em 38 linhas de ônibus

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Os candidatos que irão realizar as provas da Universidade de Pernambuco (UPE) e precisarão utilizar o Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife (STPP/RMR), irão contar com uma programação especial de ônibus. No total, 38 linhas receberão acréscimos de viagens para os três dias de prova. Estão previstos um total de 419 viagens a mais e 70 veículos extras em circulação, além da estocagem especial de coletivos em três terminais de integração.

Para a prova do domingo, o Grande Recife Consórcio de Transporte reativou e ampliou a operação da linha 116-Circular (Príncipe), já que ela geralmente não opera, além de reforçar o serviço de outras 37 linhas, totalizando 66 veículos a mais em operação e 379 atendimentos extras.

Além desta programação, também no domingo, dez ônibus estarão estocados em três terminais de integração, sendo cinco no TI da Macaxeira, quatro no da PE-15 e mais um no TI de Igarassu. A estocagem funciona como uma reserva especial de coletivos em um local fixo, geralmente terminal de integração (TI), preparados para atuar nas linhas (qualquer linha do terminal) que apresentarem maior demanda de passageiros.

Já para as provas que serão realizadas na segunda (29/11) e na terça (30/11), o Grande Recife incluiu quatro veículos e 40 viagens divididos em ambos os dias de prova. Assim, 588 ônibus realizarão 4.511 viagens em cada um dos dois dias. Para saber mais sobre os horários que os ônibus saem do seu terminal e os itinerários das linhas, o usuário pode acessar o site http://www.granderecife.pe.gov.br/.
LISTA DE LINHAS REFORÇADAS
CODLINHA
032SETUBAL CONDE DA BOA VISTA
061PIEDADE
062JARDIM PIEDADE
116CIRCULAR (PRÍNCIPE)
118PRAZERES/BOA VIAGEM
123TRES CARNEIROS BAIXO
132UR-02 (IBURA)
137UR - 11
142ALTO DOIS CARNEIROS
143UR - 06
152JORDÃO BAIXO
181CABO (COHAB)
185CENTRO DO CABO
206BARRO / PRAZERES
216BARRO / PRAZERES (BR101)
232CAVALEIRO
243VILA DOIS CARNEIROS
331TOTÓ PLANALTO
432CDU (VÁRZEA)
442JARDIM PRIMAVERA (VALE DAS PEDREIRAS)
445TABATINGA
446UR - 07
450CAMARAGIBE (CONDE DA BOA VISTA)
460CAMARAGIBE (PRINCIPE)
624BREJO
631NOVA DESCOBERTA (CABUGÁ)
645AV. NORTE (MACAXEIRA) DIESEL
726ALTO Sª TEREZINHA (C.B. VISTA)
742LINHA DO TIRO
842AGUAS COMPRIDAS
914PE-15/AFOGADOS
920RIO DOCE /CDU
946IGARASSU (BR-101)
967IGARASSU (VIA SITIO HISTÓRICO)
971AMPARO
973CASA CAIADA
977PAULISTA (CDE. DA BOA VISTA)
987RIO DOCE (PRINCIPE)
Total38 LINHAS

Fonte: CGRT
READ MORE - Recife: Vestibular UPE 2011 terá reforço em 38 linhas de ônibus

Blumenau: Obras dos corredores de ônibus chegam à Rua Floriano Peixoto

As obras de implantação dos corredores de ônibus em Blumenau estão no cruzamento entre as ruas Floriano Peixoto e 7 de Setembro, no Centro. Desde o início da semana, os trabalhos estão concentrados na ampliação da baia de entrada na Rua Floriano Peixoto.
O espaço deixará de ser apenas um recuo e passará a ser uma faixa de conversão. A medida foi necessária para que os carros que precisam convergir à direita, não atrapalhem a conversão dos ônibus que estarão nos corredores.
Além do alargamento da via, novas faixas de segurança serão pintadas nas duas ruas. E o semáforo, retirado para a conclusão das obras, será recolocado para que os motoristas possam continuar cruzando a Rua 7 em direção ao Hospital Santa Isabel.
Segundo o Seterb, os motoristas que estiverem na Rua 7 de Setembro terão que ter um pouco de paciência para entrar na Rua Floriano Peixoto, convergindo à direita. O tráfego não está bloqueado, mas como há máquinas e trabalhadores na pista, poderá ficar lento em alguns períodos. A previsão é que o trabalho neste local fique pronto até este sábado.

READ MORE - Blumenau: Obras dos corredores de ônibus chegam à Rua Floriano Peixoto

Rio de Janeiro: Linhas de integração do Metrô para à noite


A circulação das linhas de integração para a zona oeste, norte e para os municípios de Duque de Caxias e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense foi suspensa na noite desta sexta-feira (26). A venda dos bilhetes está suspensa.

As empresas de ônibus que operam as linhas para outros municípios, saindo da estação da Pavuna, decidiram parar o funcionamento às 19h desta sexta-feira. A circulação das estações Del Castilho, na zona norte, com destino a Curicica, na zona oeste, e Ilha do Fundão, na zona norte, e da estação Estácio, no centro, para o Rio comprido, na zona norte e para a Rodoviária, na zona portuária, foram interrompidas as 20h.

As outras linhas que fazem a ligação para a zona sul da cidade (Estação Botafogo para a Gávea e Ipanema-General Osório para a Gávea) e os trens subterrâneos estão circulando normalmente.

Fonte: R7.com
READ MORE - Rio de Janeiro: Linhas de integração do Metrô para à noite

ANTT adia leilão do trem-bala para abril de 2011

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informou nesta sexta-feira (26) que adiou para 29 de abril o leilão do trem de alta velocidade (TAV), que ligará São Paulo a Campinas e Rio de Janeiro. A data inicialmente prevista para o leilão era o próximo dia 16 de dezembro.
O diretor-geral da ANTT, Bernardo Figueiredo, afirmou em entrevista coletiva que o adiamento tem por objetivo aumentar a concorrência do leilão. Segundo ele, quatro grupos empresariais teriam manifestado a determinação de participar do leilão se houvesse o adiamento. Além deles, um grupo coreano teria garantido a presença mesmo que a disputa ocorresse em dezembro, como estava previsto.
"O que houve foi uma manifestação ao governo que esta data estava impossibilitando de alguns consórcios participarem. O governo avaliou politicamente essa questão e achou que era mais importante ter um processo competitivo do que manter a data, mas essa é uma decisão política, de governo", afirmou Figueiredo.
De acordo com o diretor-geral da ANTT, grupos da Espanha, do Japão e da China poderão participar da concorrência em abril do próximo ano. Figueiredo fez a ressalva de que estes grupos que manifestaram interesse poderão se unir e formar consórcios. Por isso, ainda não é possível estimar quantos consórcios disputarão o leilão na nova data.
Um dos fatores mencionados foi a aprovação recente da medida provisória que deu incentivos para a operação do trem-bala. Na visão da ANTT, alguns grupos podem ter aguardado a aprovação da MP para avançar seus estudos. A Agência destaca mudanças no edital ou novas alterações de prazos relativos ao leilão.
De acordo coma agência, interessados em participar do leilão poderão apresentar propostas até o dia 11 de abril do ano que vem.

Fonte: G1.com
READ MORE - ANTT adia leilão do trem-bala para abril de 2011

Passagem de ônibus do transporte coletivo sobe para R$ 2,60 em Gaspar

A empresa de ônibus Auto Viação do Vale de Gaspar irá alterar o custo da tarifa do transporte coletivo no município a partir de 1º de dezembro. Com o reajuste, o preço da passagem a ser praticado passa de R$2,35 para R$2,60.
Na planilha de custos do transporte coletivo, são lançados os principais insumos como pneu, combustível, chassis, carroceria e despesas com pessoal. O número potencial de passageiros e quilometragem mensal, além da depreciação e remuneração da frota também faz parte da planilha.
De acordo com o diretor do transporte coletivo, Dirceu dos Passos, os principais motivos do aumento da tarifa são o aumento nos valores dos insumos e a diminuição no número de passageiros.

Fonte: Jornal de Santa Catarina
READ MORE - Passagem de ônibus do transporte coletivo sobe para R$ 2,60 em Gaspar

Empresas de ônibus montam plano contra ataque no Rio

Os consórcios responsáveis pelo sistema de ônibus da cidade do Rio de Janeiro apresentaram à prefeitura um plano de contingência para garantir que as linhas continuem em funcionamento. O objetivo é evitar que a população sofra com a falta de transporte público, como aconteceu na noite de quarta-feira, quando a maior parte dos carros foi retirada das ruas devido ao receio de que novos veículos fossem queimados por traficantes.
Na noite de ontem, dezenas de pessoas ficaram sem condução para voltar para casa. Por volta das 23h, muita gente se aglomerava na Central do Brasil. Mulheres choravam com medo de ter de passar a noite na rua. Outras pessoas precisaram voltar para o trabalho para passar a noite.
As empresas se comprometeram a monitorar o número de ônibus de cada linha nas ruas e desenvolver itinerários alternativos caso alguma via da cidade seja bloqueada devido aos confrontos entre policiais e criminosos. Os administradores também estão em contato com os motoristas por celular para alertá-los e orientá-los, com o objetivo de evitar riscos.
Três dos quatro consórcios que integram o sistema de ônibus da cidade tiveram carros queimados nos últimos dias. No total, 16 veículos foram incendiados. Ontem, apenas 80% da frota das empresas estava nas ruas, enquanto o contrato firmado com o município exige que 100% dos carros circulem nos horários de pico.
A Secretaria Municipal de Transportes informou que compreende os riscos existentes para os motoristas e os danos provocados às empresas, mas alerta que a população carioca precisa de meio de transporte.
"Esperamos que os consórcios cumpram o que ficou estabelecido em contrato entre eles e a prefeitura - mantendo nas ruas a circulação do número exigido de veículos para atender a população, principalmente nos horários de maior demanda", disse o subsecretário de Fiscalização da Secretaria Municipal de Transportes, coronel da Polícia Militar (PM) Eduardo Frederico Cabral de Oliveira.
Na reunião de hoje com os consórcios, a prefeitura não discutiu a aplicação de multas às empresas - previstas no código disciplinar estabelecido pelo novo contrato entre o município e as concessionárias. A secretaria esclareceu, no entanto, que vai fiscalizar as empresas para verificar se as exigências de manutenção das frotas estão sendo cumpridas.

Fonte: G1.com
READ MORE - Empresas de ônibus montam plano contra ataque no Rio

Greve de Ônibus deixou Grande Vitória em Caos pela manhã

Ônibus incendiados e depredados, muita correria e uma pessoa ferida. Esse foi o resultado da manifestação de usuários do sistema Transcol, que começou por volta das 7h desta sexta-feira (26) no terminal de Campo Grande, em Cariacica. De acordo com a Polícia Militar cerca de 500 pessoas chegaram a participar do tumulto no início da manhã.

O que começou com o apedrejamento de um ônibus da linha 724 (Novo Brasil - Terminal de Campo Grande) e ainda outro coletivo, que estava atravessado na saída do terminal, terminou com o incêndio em ao menos três ônibus nas imediações do terminal de Campo Grande e na BR 262, ainda em Cariacica.

De acordo com o repositor de estoque Paulo da Silva Ribeiro, 23 anos, que estava no terminal no início da manifestação, tudo começou com a insatisfação dos usuários com a demora para a saída dos coletivos, uma vez que os rodoviários estão em greve desde a última quarta-feira (24) e apenas 50% da frota está circulando.

"Eu estava no terminal desde 7h da manhã. Não saía ônibus e então todo mundo se revoltou e começou a jogar pedras nos ônibus. Depois começaram a atear fogo. A revolta é porque queriam ir para o trabalho e não conseguiam. Eu esperei por duas horas e meia e não consegui. Agora vou voltar para casa", afirma o passageiro.

No meio da confusão, uma jovem de 23 anos foi atingida por uma pedra na cabeça e socorrida por uma viatura da Polícia Militar para o hospital São Francisco. Até o carro do Corpo de Bombeiros, acionado para conter as chamas nos ônibus, foi apedrejado.

Os comerciantes que atuam dentro do terminal fecharam as portas em meio à correria dos passageiros que, assustados, não sabiam para onde ir. O local foi fechado para entrada e saída e ficou vazio durante toda a manhã.

A população que mora na região e quem passava pelo local, reprovava o protesto, que fechou a BR 262 nos dois sentidos por mais de duas horas. Somente com a chegada do Batalhão de Missões Especiais (BME) da Polícia Militar é que a via foi liberada. Foi preciso o uso de balas de borracha e bombas de efeito moral para dispersar a multidão.

Desde o início da manhã policiais militares acompanhavam a movimentação dentro e fora do terminal de Campo Grande. O comandante da Rondas Ostensivas Tático Motorizadas (Rotam), tenente-coronel Laércio, diz que a polícia foi chamada, a princípio, para atuar na BR 262.

Após os tumultos, 15 pessoas foram presas e levadas para a delegacia de Campo Grande, mas ainda de acordo com o tenente-coronel, imagens fornecidas por populares serão analisadas para identificar se os detidos têm ou não envolvimento com as ações de vandalismo. Ao todo, de acordo com os sindicatos que representam as empresas do transporte coletivo, GVBUS e Setpes, quatro ônibus foram incendiados e 20 depredados nesta sexta-feira na Grande Vitória.

Fonte: Gazeta Online
READ MORE - Greve de Ônibus deixou Grande Vitória em Caos pela manhã

Ceturb denuncia rodoviários por reduzir circulação de ônibus na Grande Vitória

O terceiro dia da greve dos motoristas e trocadores na Grande Vitória foi de muita confusão, troca de acusações, quebra-quebra, agressões físicas, pontos e terminais superlotados de passageiros e poucos ônibus nas ruas.

No final da tarde desta sexta-feira (26), após ônibus serem incendiados e depredados pela manhã, a Ceturb-GV apresentou denúncia no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-ES) contra o Sindicato dos Rodoviários por não garantir a circulação de 50% dos ônibus do Sistema Transcol, conforme determinação judicial.

De acordo com a Ceturb, no período da tarde, em virtude da falta de motoristas e cobradores na troca de turno das empresas, a redução da frota ficou mais evidente. Segundo a denúncia, diversos ônibus ficaram "parados nos terminais por falta de operadores".

A diretora Presidente da Ceturb, Denise Cadete Gazzinelli, frisou que pela manhã ocorreram problemas nas garagens das empresas que atendem as linhas da região de Cariacica. Ela lembra que a operação do Transcol é interligada.

"E necessário, em primeiro lugar, partirem os ônibus das linhas alimentadoras para buscarem os usuários para o Terminal. Em seguida, as empresas liberam os ônibus das linhas Troncais para transportarem os usuários entre os terminais", ressaltou Denise Cadete.

Segundo a denúncia, na liberação dos ônibus das linhas alimentadoras não ocorreu problemas, mas, em seguida, na liberação dos ônibus das linhas troncais, houve retardamento por parte do controle feito pelo Sindirodoviários.

Fonte: Gazeta Online
READ MORE - Ceturb denuncia rodoviários por reduzir circulação de ônibus na Grande Vitória

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960