Recife: Projeto do corredor da Av.Norte é apresentado

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010


O governo do Estado, através da Secretaria das Cidades e do Grande Recife Consórcio de Transporte, realizou hoje uma audiência pública no Centro de Convenções de Pernambuco (Auditório República Pernambucana) para apresentar o projeto de implantação do corredor exclusivo de ônibus Av. Norte Miguel Arraes de Alencar, nos moldes do Transporte Rápido por Ônibus (TRO). Após a conclusão do projeto básico, elaborado pelas empresas LOGIT e Maia Melo Engenharia, o Grande Recife Consórcio de Transporte dará início ao projeto executivo, além da elaboração do edital de licitação das obras do Corredor da Av.Norte Miguel Arraes de Alencar.

O edital será publicado até o final do primeiro trimestre de 2010 e o prazo estipulado para a operação do corredor é de 18 meses. O corredor, orçado em aproximadamente R$ 198 milhões (recursos do BNDES), terá início na BR-101, a partir do Terminal de Integração da Macaxeira, seguindo por vários bairros da Zona Norte do Recife como: Vasco da Gama, Casa Amarela, Encruzilhada e Santo Amaro, encerrando na avenida Cruz Cabugá, no centro do Recife. O equipamento, que beneficiará ao todo 17 bairros daquela região, terá uma extensão de aproximadamente 8,1Km, favorecendo inicialmente cerca de 118 mil usuários que utilizam as 21 linhas de ônibus que trafegam atualmente pelo trecho, além de possibilitar a ligação ao Sistema Estrutural Integrado (SEI).

Ao todo, serão 17 estações, que permitirão integração entre as linhas alimentadoras e a troncais. O corredor terá as seguintes características: em determinados trechos os coletivos farão o deslocamento em faixas exclusivas elevadas. Em outras rotas o percurso dos ônibus será feito em faixas exclusivas em nível. O projeto, que visa priorizar o transporte coletivo, diminuindo o conflito entre o transporte público e o tráfego misto de veículos, também inclui a criação de binários e trechos com ciclovias. Entre as características dos corredores destinados ao TRO está a construção de vias e faixas exclusivas e segregadas para o tráfego dos coletivos; implantação de estações de embarque/desembarque modernas e adequadas aos padrões internacionais de mobilidade e segurança.

O pagamento das tarifas poderá ser feito nas estações, a exemplo do que acontece em cidades como Bogotá, na Colômbia, agilizando o processo de embarque; o piso das estações será elevado, possibilitando o embarque no mesmo nível da entrada dos coletivos, etc. Além disso, o TRO promoverá automaticamente a modernização da frota, incluindo a instalação de equipamentos como GPS, displays eletrônicos, entre outros, que possibilitarão o envio de informações, como horário de chegada e saída das estações em tempo real para os usuários.

Em todo o mundo, a implantação deste tipo de projeto trouxe a melhoria da qualidade do serviço ofertado aos usuários, com ênfase para o crescimento da confiabilidade, conforto e segurança e da redução de custos operacionais. Outra característica positiva observada em cidades que possuem o sistema foi à atração gradativa de passageiros que migraram do uso diário do automóvel para o sistema de transporte público de transporte.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960