Prefeitura de Florianópolis prevê início de oito obras de mobilidade em 2014

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Até o final do primeiro semestre do ano que vem, oito obras de mobilidade urbana devem começar em Florianópolis. Pelo menos é o que prevê a prefeitura, dentro do Sistema Integrado de Mobilidade (SIM), apresentado nesta terça-feira. 

Segundo o secretário-adjunto de Obras, Domingos Zancanaro, a prefeitura tem até março para apresentar à Caixa Econômica Federal os projetos concluídos - para garantir recursos do PAC 2 - de duas obras que vão impactar diretamente no trânsito da região central: o anel viário do Morro da Cruz e o teleférico até a Trindade. 


A primeira é a implantação de um anel viário de 14,9 quilômetros, de contorno ao Morro da Cruz, com corredores exclusivos para ônibus em alguns trechos e faixas compartilhadas preferenciais ao transporte coletivo nos horários de pico. O teleférico levará passageiros do Centro até a Praça Santos Dumont, próximo à UFSC, passando sobre o Morro da Cruz. 

Juntas, as obras custarão R$ 149 milhões e devem ser concluídas em 2016. Até outubro deste ano, também vence o prazo para a prefeitura apresentar à Caixa os projetos da implantação de vias marginais em dois trechos da Avenida Beira-Mar Norte e pavimentação das ruas Pastor William Richard Schisler Filho e Padre Rohr. 

E devem ser licitadas até o fim do ano a recuperação da Avenida Ivo Silveira, com implantação de ciclovia e corredor exclusivo de ônibus, e o Elevado do Rio Tavares. O pacote de obras do SIM foi apresentado pelo prefeito na tarde desta terça-feira, em entrevista coletiva.

Também compõe o SIM o lançamento do edital de concessão do transporte coletivo, que deve ser publicado no diário oficial na segunda-feira, propondo melhorias tecnológicas no sistema de transporte e tarifa de R$ 2,60. 

– Se as empresas vão ter que fazer esforço com investimentos, o poder público também. É a única maneira de tirar a cidade do engessamento – avalia o prefeito Cesar Souza Junior. 

As medidas pretendem atrair passageiros ao sistema público de transporte e melhorar a mobilidade na capital. O SIM agrega ações e obras de infraestrutura que devem ser executadas em etapas de curto a longo prazo, pelos próximos 30 anos, em parceria com o Estado e a União, como o uso da Ponte Hercílio Luz pelo transporte coletivo, 5,4 mil vagas da nova Zona Azul e parquímetros, duplicação da SC-403 e quadriplicação com corredor de ônibus da Via Expressa.

Informações: DIÁRIO CATARINENSE

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960