Aumento da tarifa do transporte coletivo de Londrina vai ficar para o próximo prefeito

domingo, 11 de novembro de 2012

O atual prefeito de Londrina, Gerson Araújo (PSDB), pode deixar para Alexandre Kireeff (PSD) a decisão sobre o pedido de reajuste da tarifa do transporte coletivo, requisitado pelas empresas que prestam o serviço. Atualmente, a passagem custa R$ 2,20 ao consumidor, com R$ 0,15 sendo subsidiados pelo poder público.

No mês de julho, as empresas protocolaram um pedido de reajuste, alegando que estão tendo perdas devido ao aumento dos salários dos funcionários e dos preços dos combustíveis. O valor indicado seria de R$ 2,60, mas o tema ainda está sob estudo da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMT).
"Nós temos conversado com a empresa, ainda de uma forma tranquila, sem qualquer tipo de comprometimento. É lógico que tem que estudar isso com muito carinho. Você realmente apelar para Ministério Público, universidades, a própria sociedade em geral, aguardando a planilha que é apresentada pela empresa e também a planilha pela CMTU com algumas inclusões de alguns elementos novos, que na verdade eu não sei. Discutir eu me proponho, mas não me proponho agora de assumir o compromisso e dar esse aumento", colocou à rádio Paiquerê AM.

Neste ano, devido à crise financeira que a prefeitura passava, aconteceram atrasos nos pagamentos do subsídio. Segundo Araújo, o problema já foi resolvido, já que o caixa ganhou novo fôlego com o Programa de Regularização Fiscal (Profis), que deve arrecadar mais de R$ 100 milhões até o mês de dezembro.

O prefeito afirmou que o subsídio continuará sendo quitado, mas há a possibilidade de Alexandre Kireeff ser o responsável pela decisão do aumento. "Normalmente isso deve acontecer. Eu acho que ele poderá, com muito mais tranquilidade, estabelecer esse aumento, mas eu estou aguardando as discussões", colocou à rádio Paiquerê AM.

0 comentários:

Seja Mais Um a Curtir o Blog Meu Transporte

 
 
 

O Brasil está pagando um preço alto pela falta de mobilidade

Hibribus (ônibus híbrido-elétrico) de Curitiba é elogiado por especialistas

Exemplo: Nova York ganhou 450 quilômetros de ciclovias em 04 anos

Brasil tem mais de cinco mil vagões de trem sem uso parados em galpões

Ônibus em corredores exclusivos é tão bom quanto o metrô

Os ônibus elétricos do Recife começaram a circular em junho de 1960